• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Portugues  recursos de estilo
 

Portugues recursos de estilo

on

  • 9,652 views

N

N

Statistics

Views

Total Views
9,652
Views on SlideShare
9,567
Embed Views
85

Actions

Likes
0
Downloads
88
Comments
0

3 Embeds 85

http://aprender-idades.blogspot.com 82
http://www.blogger.com 2
http://aprender-idades.blogspot.pt 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Portugues  recursos de estilo Portugues recursos de estilo Document Transcript

    • Adjectivação – Consiste na utilização de um ou mais adjectivos deforma a tornar o texto mais belo ou mais expressivo.“O tigre é um mamífero carnívoro, robusto, elegante e muito feroz ,cujo pêlo apresenta coloração com lindas listas transversais negras …”Advérbios de modo Locuções Adverbiais de Modo Ás pressas, às claras, às cegas, à toa, à vontade, às escondidas, aos poucos, desse jeito, desse modo, dessa maneira, em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de cor, em vão.
    • Alegoria Expressão de uma idéia através de uma imagem, um quadro, um ser vivo etc.; obra literária ou artística que utiliza esta forma de expressão Aliteração – Repetição de sons consonânticos. Exemplo: “Fogem fluindo à fina-flor dos fenos.” (Eugénio de Castro) “Na messe, que enlourece, estremece a quermesse.” (Eugénio deCastro)Anáfora - Repetição de uma ou mais palavras no início de verso ou deperíodo.Exemplo:“Toda a manhã/fui a flor/impaciente/por abrir. /Toda a manhã/fuiardor/do sol/no teu telhado. “ (Eugénio de Andrade)“É brando o dia, brando o vento.É brando o Sol e brando o céu.” (Fernando Pessoa)Anástrofe – Inversão da ordem directa das palavras.Exemplo:“Tirar Inês ao mundo determina.” (Camões)
    • Antítese – Apresentação de um contraste entre duas ideias ou coisas.Exemplo:“Ganhe um momento o que perderam anos/Saiba morrer o que vivernão soube!” (Bocage)“Ali, àquela luz ténue e esbatida, ele exalava a sua paixão crescente eescondia o seu fato decadente.” (Eça de Queirós)“O mito é o nada que é tudo.” (Fernando Pessoa)Apóstrofe ou Invocação – Interpelação a alguém ou a alguma coisapersonificada.Exemplo:“Ó glória de mandar, ó vá cobiça/Desta vaidade a quem chamamosfama. ” (Camões)“Bem puderas, ó Sol, da vista destes…” (Camões)Ó mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal!” (Fernando Pessoa)Assonância – Repetição de sons vocálicos.Exemplo:“Sino de Belém, pelos que inda vêm!Sino de Belém bate bem-bem-bem.
    • Sino da Paixão, pelos que lá vão!Sino da Paixão bate bão-bão-bão.”(Manuel Bandeira, Poesia Completa e Prosa)~O campo lexical - É conjunto de palavras que pertencem a uma mesmaárea de conhecimento, e está dentro do léxico de alguma língua.São uns exemplos de campos lexicais:- o da medicina: estetoscópio, cirurgia, esterilização, medicação, etc.- o da escola: livros, disciplinas, biblioteca, material escolar, etc.- o da informática: software, hardware, programas, sites, internet, etc.- o do teatro: expressão, palco, figurino, maquiagem, actuação, etc.- campo lexical dos sentimentos: amor, tristeza, ódio, carinho, saudade,etcComparação – Consiste na relação de semelhança entre duas ideias oucoisas, através de uma palavra ou expressão comparativa ou de verbosa ela equivalentes (parecer, lembrar, assemelhar-se, sugerir).Exemplo:“O génio é humilde como a natureza.” (M. Torga)“A rua […] parece um formigueiro agitado.” (Érico Veríssimo)“Eu toco a solidão como uma pedra.” (Sophia de Mello BreynerAndresen)
    • Elipse – Omissão de uma palavra (um adjectivo, um verbo, etc.) quesubentende.Exemplo:“Quero perder-me neste Pisão, nesta Pereira, neste Desterro.” (VitorinoNemésio)Equivalente a: Quero perder-me neste Pisão, [quero perder-me] nestaPereira, [quero perder-me] neste Desterro.Enumeração – Apresentação sucessiva de vários elementos.Exemplo:“Deu sinal a trombeta castelhana/Horrendo, fero, ingente e temeroso.”(Camões)Eufemismo – Dizer de uma forma suave uma ideia ou realidadedesagradável.Exemplo:“…Só porque lá os velhos apanham de quando em quando uma folhade couve pelas hortas, fazem de nós uns Zés do Telhado!” (AquilinoRibeiro)Tirar Inês ao mundo determina.” (Camões)
    • Gradação – Disposição dos termos por ordem progressiva no seio deuma enumeração. Pode ser crescente ou decrescente.Exemplo:“Duro, seco, estéril monte…” (Camões)”O Chico Avelar é bom moço; mas o pai é tacanho, um bana bóia…!Tem medo de tudo; é um capacho debaixo dos pés de certos senhoresda cidade. Quanto á fortuna de dona Carolina Amélia, […] bem sabescomo aquilo estava: capitais espalhados, rendas em atraso, casas acair…” (Vitorino Nemésio)Hipérbato – Inversão violenta da ordem dos elementos na frase.Exemplo:“Casos/Duros que Adamastor contou futuros.” (Camões)“Estas sentenças tais o velho honrado Vociferando estava.” (Camões)Hipérbole – Ênfase resultante do exagero.Exemplo:“Se aquele mar foi criado num só dia, eu era capaz de o escoar numasó hora.” (Agustina Bessa - Luís)Ela só viu as lágrimas em fio/que duns e doutros olhos derivadas/seacrescentaram em grande e largo rio.” (Camões)
    • Imagem - Em sentido lato, a imagem engloba figuras como a metáfora,o símbolo, a alegoria, etc., figuras criadas por meio de uma comparação,de uma relação analógica. "O Mondego, como uma cobra na areia, espreguiça a sua trança de águas mortas" (Fialho de Almeida)Interjeições – são palavras com que, de maneira espontânea,exprimimos vivamente as nossas emoções.“ Ai de mim , tenho teste amanhã!”Interrogação retórica -Estratégia retórica ou figura de estilo queconsiste na formulação de uma frase interrogativa, dirigida a umdestinatário presente ou ausente, sem que se espere obter resposta.Por outras palavras, trata-se de uma frase declarativa ou assertivadisfarçada de pergunta.Exemplo"Quem no havia de salvar?Ironia – Figura que sugere o contrário do que se quer dizer.Exemplo:“Senhora de raro aviso e muito apontada em amanho da casa eignorante mais que o necessário para ter juízo.” (Camilo Castelo Branco)
    • “A Câmara Municipal do Porto, com uma nobre solicitude pelo peixe,para quem parece ser uma extremosa mãe, e receando com umcarinho assustado, que o peixe se constipasse […] construiu-lhe umapraça fechada.” (Eça de Queirós) Metáfora – Comparação de dois termos, seguida de uma identificação.Exemplo:“A menina Vilaça, A loura, vestida de branco, simples, fresca, com o seuar de gravura colorida.” (Eça de Queirós)Metonímia – Emprego de um vocábulo por outro, com o qual estabeleceuma relação de contiguidade (o continente pelo conteúdo; o lugar peloproduto, o autor pela sua obra, etc.).Exemplo:Tomar um copo (=um copo de vinho). Beber um Porto (=um cálice devinho do Porto).Ando a ler Eugénio de Andrade (=a obra de…)Nomes- No português, como em qualquer outro idioma, existempalavras para nomear um ser ou um objecto, uma acção e qualidade ouestado. As palavras que nomeiam seres ou objectos formam a maiorclasse morfológica da língua portuguesa, os substantivos (ex .: livro,gato, mesa, cama, Brasil, etc.). Onomatopeias – são palavras que procuram imitar certos sons:vozes de pessoas ou animais, ruídos de objectos, fenómenos danatureza, etc.
    • “E o pobre Gafanhoto…Paam! Catrapaam!Deu um grande trambolhão.”Paralelismo ou simetria – Repetição do esquema ou construção dafrase ou do verso.Exemplo:“Meu amor! Meu amante! Meu amigo!” (Florbela Espanca)“E agora José? A festa acabou/a apagou/o povo sumiu/a noite esfriou/eagora José? E agora Joaquim? /Está sem mulher/está semdiscurso/está sem caminho…” (Carlos Drummond de Andrade)Personificação – é um processo pelo qual se atribui característicashumanas a animais, objectos ou plantas.Exemplo:“O gato fartou-se de rir com a queda do dono“Ó mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal.” (Fernando Pessoa)Polissíndeto – Repetição dos elementos de ligação entre palavras.Exemplo:
    • “Aqui e no pátio e na rua e no vapor e no comboio e no jardim e ondequer que nos encontremos.” (Sebastião da Gama)“E crescer e saber e ser e haverE perder e sofrer e ter terror.” (Vinicius de Morais)Repetição – consiste no uso repetido da mesma palavra ou palavras.“E a professora fala, fala, fala … ela nunca se cala!”Sinédoque – Variante de metonímia, pela qual se exprime o todo pelaparte ou vice-versa.Exemplo:“…a Ocidental praia Lusitana.” (Camões)“…novo temor da Moura lança.” (Camões)Tipos e formas de fraseFrase é um conjunto de palavras organizadas e com sentido. Começapor letra maiúscula e termina com um sinal de pontuação.Conforme a intenção de quem fala podemos encontrar quatro tipos defrase:Tipo declarativo - A intenção de quem fala é informar, apresentar umfacto, uma ideia. A frase termina com ponto final ( . ).Tipo interrogativo - A intenção é perguntar. A frase termina com umponto de interrogação ( ? ).
    • Tipo imperativo - A intenção é dar uma ordem, um conselho, fazer umpedido. A frase termina com ponto final ( . ) ou ponto de exclamação ( !).Tipo exclamativo - A intenção é exprimir sentimentos, surpresa,indignação, espanto. A frase termina com um ponto de exclamação ( ! ). Forma da fraseA frase pode ser negativa ou afirmativa. As palavras que dão ideia denegação são não, nunca, ninguém, nada...Verbo - É o nome dado à classe gramatical que designa umaocorrência ou situação. É uma das duas classes gramaticais nuclearesdo idioma, sendo a outra o substantivo. É o verbo que determina o tipodo predicado, que pode ser predicado verbal, nominal ou verbo-nominal. O verbo pode designar acção, estado ou fenómeno danatureza. Definições retiradas de:http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/figurasdeestilo.httphttp://estudacomcarla.blogspot.com/2008/10/campo-lexical.htmlhttp://portugues2c.cvg.com.pt/tem_est/5ano/recursos.htmhttp://esjmlima.prof2000.pt/figuras_estilo/figuras_estilo.html Pesquisas feitas por: Joana Cunha 9ºano