Portugues recursos de estilo

14,727 views

Published on

N

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
14,727
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
90
Actions
Shares
0
Downloads
120
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Portugues recursos de estilo

  1. 1. Adjectivação – Consiste na utilização de um ou mais adjectivos deforma a tornar o texto mais belo ou mais expressivo.“O tigre é um mamífero carnívoro, robusto, elegante e muito feroz ,cujo pêlo apresenta coloração com lindas listas transversais negras …”Advérbios de modo Locuções Adverbiais de Modo Ás pressas, às claras, às cegas, à toa, à vontade, às escondidas, aos poucos, desse jeito, desse modo, dessa maneira, em geral, frente a frente, lado a lado, a pé, de cor, em vão.
  2. 2. Alegoria Expressão de uma idéia através de uma imagem, um quadro, um ser vivo etc.; obra literária ou artística que utiliza esta forma de expressão Aliteração – Repetição de sons consonânticos. Exemplo: “Fogem fluindo à fina-flor dos fenos.” (Eugénio de Castro) “Na messe, que enlourece, estremece a quermesse.” (Eugénio deCastro)Anáfora - Repetição de uma ou mais palavras no início de verso ou deperíodo.Exemplo:“Toda a manhã/fui a flor/impaciente/por abrir. /Toda a manhã/fuiardor/do sol/no teu telhado. “ (Eugénio de Andrade)“É brando o dia, brando o vento.É brando o Sol e brando o céu.” (Fernando Pessoa)Anástrofe – Inversão da ordem directa das palavras.Exemplo:“Tirar Inês ao mundo determina.” (Camões)
  3. 3. Antítese – Apresentação de um contraste entre duas ideias ou coisas.Exemplo:“Ganhe um momento o que perderam anos/Saiba morrer o que vivernão soube!” (Bocage)“Ali, àquela luz ténue e esbatida, ele exalava a sua paixão crescente eescondia o seu fato decadente.” (Eça de Queirós)“O mito é o nada que é tudo.” (Fernando Pessoa)Apóstrofe ou Invocação – Interpelação a alguém ou a alguma coisapersonificada.Exemplo:“Ó glória de mandar, ó vá cobiça/Desta vaidade a quem chamamosfama. ” (Camões)“Bem puderas, ó Sol, da vista destes…” (Camões)Ó mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal!” (Fernando Pessoa)Assonância – Repetição de sons vocálicos.Exemplo:“Sino de Belém, pelos que inda vêm!Sino de Belém bate bem-bem-bem.
  4. 4. Sino da Paixão, pelos que lá vão!Sino da Paixão bate bão-bão-bão.”(Manuel Bandeira, Poesia Completa e Prosa)~O campo lexical - É conjunto de palavras que pertencem a uma mesmaárea de conhecimento, e está dentro do léxico de alguma língua.São uns exemplos de campos lexicais:- o da medicina: estetoscópio, cirurgia, esterilização, medicação, etc.- o da escola: livros, disciplinas, biblioteca, material escolar, etc.- o da informática: software, hardware, programas, sites, internet, etc.- o do teatro: expressão, palco, figurino, maquiagem, actuação, etc.- campo lexical dos sentimentos: amor, tristeza, ódio, carinho, saudade,etcComparação – Consiste na relação de semelhança entre duas ideias oucoisas, através de uma palavra ou expressão comparativa ou de verbosa ela equivalentes (parecer, lembrar, assemelhar-se, sugerir).Exemplo:“O génio é humilde como a natureza.” (M. Torga)“A rua […] parece um formigueiro agitado.” (Érico Veríssimo)“Eu toco a solidão como uma pedra.” (Sophia de Mello BreynerAndresen)
  5. 5. Elipse – Omissão de uma palavra (um adjectivo, um verbo, etc.) quesubentende.Exemplo:“Quero perder-me neste Pisão, nesta Pereira, neste Desterro.” (VitorinoNemésio)Equivalente a: Quero perder-me neste Pisão, [quero perder-me] nestaPereira, [quero perder-me] neste Desterro.Enumeração – Apresentação sucessiva de vários elementos.Exemplo:“Deu sinal a trombeta castelhana/Horrendo, fero, ingente e temeroso.”(Camões)Eufemismo – Dizer de uma forma suave uma ideia ou realidadedesagradável.Exemplo:“…Só porque lá os velhos apanham de quando em quando uma folhade couve pelas hortas, fazem de nós uns Zés do Telhado!” (AquilinoRibeiro)Tirar Inês ao mundo determina.” (Camões)
  6. 6. Gradação – Disposição dos termos por ordem progressiva no seio deuma enumeração. Pode ser crescente ou decrescente.Exemplo:“Duro, seco, estéril monte…” (Camões)”O Chico Avelar é bom moço; mas o pai é tacanho, um bana bóia…!Tem medo de tudo; é um capacho debaixo dos pés de certos senhoresda cidade. Quanto á fortuna de dona Carolina Amélia, […] bem sabescomo aquilo estava: capitais espalhados, rendas em atraso, casas acair…” (Vitorino Nemésio)Hipérbato – Inversão violenta da ordem dos elementos na frase.Exemplo:“Casos/Duros que Adamastor contou futuros.” (Camões)“Estas sentenças tais o velho honrado Vociferando estava.” (Camões)Hipérbole – Ênfase resultante do exagero.Exemplo:“Se aquele mar foi criado num só dia, eu era capaz de o escoar numasó hora.” (Agustina Bessa - Luís)Ela só viu as lágrimas em fio/que duns e doutros olhos derivadas/seacrescentaram em grande e largo rio.” (Camões)
  7. 7. Imagem - Em sentido lato, a imagem engloba figuras como a metáfora,o símbolo, a alegoria, etc., figuras criadas por meio de uma comparação,de uma relação analógica. "O Mondego, como uma cobra na areia, espreguiça a sua trança de águas mortas" (Fialho de Almeida)Interjeições – são palavras com que, de maneira espontânea,exprimimos vivamente as nossas emoções.“ Ai de mim , tenho teste amanhã!”Interrogação retórica -Estratégia retórica ou figura de estilo queconsiste na formulação de uma frase interrogativa, dirigida a umdestinatário presente ou ausente, sem que se espere obter resposta.Por outras palavras, trata-se de uma frase declarativa ou assertivadisfarçada de pergunta.Exemplo"Quem no havia de salvar?Ironia – Figura que sugere o contrário do que se quer dizer.Exemplo:“Senhora de raro aviso e muito apontada em amanho da casa eignorante mais que o necessário para ter juízo.” (Camilo Castelo Branco)
  8. 8. “A Câmara Municipal do Porto, com uma nobre solicitude pelo peixe,para quem parece ser uma extremosa mãe, e receando com umcarinho assustado, que o peixe se constipasse […] construiu-lhe umapraça fechada.” (Eça de Queirós) Metáfora – Comparação de dois termos, seguida de uma identificação.Exemplo:“A menina Vilaça, A loura, vestida de branco, simples, fresca, com o seuar de gravura colorida.” (Eça de Queirós)Metonímia – Emprego de um vocábulo por outro, com o qual estabeleceuma relação de contiguidade (o continente pelo conteúdo; o lugar peloproduto, o autor pela sua obra, etc.).Exemplo:Tomar um copo (=um copo de vinho). Beber um Porto (=um cálice devinho do Porto).Ando a ler Eugénio de Andrade (=a obra de…)Nomes- No português, como em qualquer outro idioma, existempalavras para nomear um ser ou um objecto, uma acção e qualidade ouestado. As palavras que nomeiam seres ou objectos formam a maiorclasse morfológica da língua portuguesa, os substantivos (ex .: livro,gato, mesa, cama, Brasil, etc.). Onomatopeias – são palavras que procuram imitar certos sons:vozes de pessoas ou animais, ruídos de objectos, fenómenos danatureza, etc.
  9. 9. “E o pobre Gafanhoto…Paam! Catrapaam!Deu um grande trambolhão.”Paralelismo ou simetria – Repetição do esquema ou construção dafrase ou do verso.Exemplo:“Meu amor! Meu amante! Meu amigo!” (Florbela Espanca)“E agora José? A festa acabou/a apagou/o povo sumiu/a noite esfriou/eagora José? E agora Joaquim? /Está sem mulher/está semdiscurso/está sem caminho…” (Carlos Drummond de Andrade)Personificação – é um processo pelo qual se atribui característicashumanas a animais, objectos ou plantas.Exemplo:“O gato fartou-se de rir com a queda do dono“Ó mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal.” (Fernando Pessoa)Polissíndeto – Repetição dos elementos de ligação entre palavras.Exemplo:
  10. 10. “Aqui e no pátio e na rua e no vapor e no comboio e no jardim e ondequer que nos encontremos.” (Sebastião da Gama)“E crescer e saber e ser e haverE perder e sofrer e ter terror.” (Vinicius de Morais)Repetição – consiste no uso repetido da mesma palavra ou palavras.“E a professora fala, fala, fala … ela nunca se cala!”Sinédoque – Variante de metonímia, pela qual se exprime o todo pelaparte ou vice-versa.Exemplo:“…a Ocidental praia Lusitana.” (Camões)“…novo temor da Moura lança.” (Camões)Tipos e formas de fraseFrase é um conjunto de palavras organizadas e com sentido. Começapor letra maiúscula e termina com um sinal de pontuação.Conforme a intenção de quem fala podemos encontrar quatro tipos defrase:Tipo declarativo - A intenção de quem fala é informar, apresentar umfacto, uma ideia. A frase termina com ponto final ( . ).Tipo interrogativo - A intenção é perguntar. A frase termina com umponto de interrogação ( ? ).
  11. 11. Tipo imperativo - A intenção é dar uma ordem, um conselho, fazer umpedido. A frase termina com ponto final ( . ) ou ponto de exclamação ( !).Tipo exclamativo - A intenção é exprimir sentimentos, surpresa,indignação, espanto. A frase termina com um ponto de exclamação ( ! ). Forma da fraseA frase pode ser negativa ou afirmativa. As palavras que dão ideia denegação são não, nunca, ninguém, nada...Verbo - É o nome dado à classe gramatical que designa umaocorrência ou situação. É uma das duas classes gramaticais nuclearesdo idioma, sendo a outra o substantivo. É o verbo que determina o tipodo predicado, que pode ser predicado verbal, nominal ou verbo-nominal. O verbo pode designar acção, estado ou fenómeno danatureza. Definições retiradas de:http://www.notapositiva.com/resumos/portugues/figurasdeestilo.httphttp://estudacomcarla.blogspot.com/2008/10/campo-lexical.htmlhttp://portugues2c.cvg.com.pt/tem_est/5ano/recursos.htmhttp://esjmlima.prof2000.pt/figuras_estilo/figuras_estilo.html Pesquisas feitas por: Joana Cunha 9ºano

×