maioridadeFRANCA - SP, NOVEMBRO DE 2012ANO I, EDIÇÃO 01
Ops! Lá vamos nósMeu apelido é Gug, da época deum jogo virtual que jogava há cin-co anos, mas meu nome é GustavoCésar. Ten...
bem - vindosespecialJÉSSICA BASTIANINIVocê é “DE MAIOR”?Tá! Tudo bem agora; Alguém disse quemaioridadeéoqueestáescritonodi...
trampandoGUSTAVO CÉSARA falta de experiência, com certeza, é ocritério que mais dificul-ta a busca peloprimeiro emprego. A...
vida universitáriaGUSTAVO CÉSAR•	 A UNESP de Franca oferece maisde 400 vagas por anos, divididas entreseus cursos de Direi...
wWWMuitoooo Prazer!upando!JÉSSICA BASTIANINIGUSTAVO CÉSAREste é o cantinho escuro da nossa revista,reservado especialmente...
Bate - papoGUSTAVO CÉSAR... com Cesar ColletiPara iniciar a nossa seção, um dos maiores empresários do ramo comunicacional...
Revista Maioridade
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Revista Maioridade

368 views
324 views

Published on

Uma revista elaborada por Jéssica Bastianini >http://jessicabastianinii.blogspot.com.br/<;
e Gustavo César, alunos na epoca, no segundo ano de Comunicação Social com habilitação em Jornalismo na Unifran, em Franca, São Paulo.

Published in: Entertainment & Humor
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
368
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
88
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista Maioridade

  1. 1. maioridadeFRANCA - SP, NOVEMBRO DE 2012ANO I, EDIÇÃO 01
  2. 2. Ops! Lá vamos nósMeu apelido é Gug, da época deum jogo virtual que jogava há cin-co anos, mas meu nome é GustavoCésar. Tenho 19 anos. Gosto de sé-ries norte-americanas e de cantorasinternacionais. Atualmente estou nomeu primeiro emprego, que bem,não é muito fácil. Além disso, cur-so o segundo ano de Jornalismo naJE SUS...DE NÓS PARA VOCÊSDA REDAÇÃO Era uma vez... Dois alunos do segundo anode Jornalismo com gostos totalmente dife-rentes. Gustavo César gosta de pop, entre-tenimento e principalmente Mariah Cary eJéssica Bastianini é bastante eclética e seirrita com a ignorância de muitas pessoasque se acham o centro do universo (nervo-sinha). Em um encontro cósmico (kkkk’)Eles se uniram em uma difícil missão:criar uma revista que uni-se seus sonhosde ‘sucesso’ profissional e suas vivências.Assim surge MAIORIDADE!Durante todas as edições buscaremos abor-dar temas relevantes ao mundo dos adoles-centes que estão passando pela transaçãopara a vida adulta. Nesta primeira ediçãovocê encontra uma matéria especial so-bre a maioridade que tirara suas duvidas arespeito do que muda ou não em sua vida.Toda a revista foi feita com muito ca-rinho e principalmente muita persona-lidade; buscamos abordar temas queforam questionamentos presentes (eainda são) durante nossas vidas... Afi-nal estamos todos no mesmo barco!EXPEDIENTEEDITORIAL: Jéssica BastianiniDIAGRAMAÇÃO: Jéssia BastianiniCOLABORADORA: Andrea BerzotiBEM-VINDOS: Jéssica BastianiniTRAMPANDO: Gustavo CésarVIDA UNIVERSITARIA: Gustao CésarSEXO: Jéssica BastianiniUPANDO!: Gustavo CésarFOTOGRAFIAS: Da EdiçãoANO I, EDIÇÃO 1; NOVEMBRO 2012MENINA TEIMOSA“ Unifran. Já tive (e ainda tenho) meusmomentos para querer mudar de cur-so, mas isso não vem ao caso. Apai-xonado por música e pela literaturasobrenatural. Sou responsável pe-las editorias “trampando”, “mundouniversitário” e “bate-papo” por--que me identifico com elas. Enjoy!““ Sobrevivendo na realidade de umlaboratório, eu me divirto. Mas nomeu mundo, EU SOU!Brinco deboneca; crio regras; invento umjogo; e escrevo sobre o que eu qui-ser como eu quiser e quando eu qui-ser. Enfrento uma faculdade de jor-nalismo, cheia de dúvidas, sorrisose principalmente lágrimas. Tenhoamigos que estão comigo desde ojardim de infância, mas há tambémaqueles que eu tenho certeza quenão me suportam. Não sou de fazermédia nem ficar de sorrisinho bobopara agradar ninguém, falo o que eupenso e não aceito desaforo. De mimpara vocês fica o editorial, a sessãoespecial de Boas Vindas! Algumascuriosidades em Muitoooo Prazer!Além da edição e diagramação donosso periódico: MAIORIDADE!“www.facebook.com/JessicaBastianinijessicabastianini@hotmail.comwww.facebook.com/Gugcesar?ref=ts&fref=tsgugcesar@hotmail.com
  3. 3. bem - vindosespecialJÉSSICA BASTIANINIVocê é “DE MAIOR”?Tá! Tudo bem agora; Alguém disse quemaioridadeéoqueestáescritonodicionário:MAIORIDADE : Substantivo Femininodade, estabelecida pela lei, em que o in-divíduo passa a ser capaz de se respon-sabilizar por suas ações. Idade em que,segundo a lei, uma pessoa adquire totalcapacidade de exercer seus direitos, ou éconsiderada responsável pelos seus atos:no Brasil atualmente - a idade estabeleci-da para o cumprimento das obrigações oudos deveres civis é de 18 anos; segundo oArt.5º do Código Civil, revisto em 2002.Além de tudo, é um substantivo feminino.Muito interessante, não é?! Desde muitopequenos somos convencionado a este ide-al falido de que tudo se resolve aos 18 anos.O primeiro passo é sair da casa dos paisdireto para uma mansão em Paris ou umapartamento a beira-mar no Rio de Ja-neiro; depois conseguir o emprego dossonhos, nunca mais se preocupar com afalta de dinheiro e principalmente não sermais barrado na porta de festas e boates.Caros Amigos! Desculpem-me, masaqui vai o balde de água fria: maio-ridade não quer dizer sucesso.Aos 18 anos, a sociedade cobra mais res-ponsabilidade de você, não dá mais para seesconder e viver “sob as assas do papai e damamãe”; todos esperam que você estude,trabalhe e conquiste sua vida independente.Mas calma... Não se assustem!A idade é apenas um número dos vá-rios que uma pessoa pode ter na vida,assim como RG, CPF, entre outros. OExiste somente uma idade para a gente ser feliz,somente uma época da vida decada pessoa em que é possível sonhar e fazer planos e ter energia bastante pararealizá-los a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. Uma só idade para agente se encantar com a vida e viver apaixonadamente e desfrutar tudo com todaintensidade sem medo nem culpa de sentir prazer. Fase dourada em que a gentepode criar e recriar a vida à nossa própria imagem e semelhança e vestir-se comtodas as cores e experimentar todos os sabores e entregar-se a todos os amoressem preconceito nem pudor. Tempo de entusiasmo e coragem em que todo desa-fio é mais um convite à luta que a gente enfrenta com toda disposição de tentaralgo NOVO,de NOVO e de NOVO, e quantas vezes for preciso. Esta idade tão fu-gaz na vida da gente chama-se PRESENTE e tem a duração do instante que passa.que vai determinar sua maioridade éa responsabilidade com que você en-cara sua vida, seu trabalho e estudos.Muitos começam a trabalhar cedo paraajudar em casa, Outros nunca trabalham;uns fazem faculdade, mestrado, doutora-do; Outros custam terminar o supletivo.Não estou exaltando que ficar sem es-tudar e trabalhar seja algo positivo, massomente cada um conhece sua historia esuas necessidades. Engana-se você queprocura na nossa revista MAIORIDA-DE! A solução de seus problemas, o quetentamos é abordar os temas que con-sideramos relevantes para a situação,não são regras, são ideias e incentivos.Por isto estamos sempre abertos a suges-tões, ideias e comentários dos leitores.A IDADE DE SER FELIZMário Quintana
  4. 4. trampandoGUSTAVO CÉSARA falta de experiência, com certeza, é ocritério que mais dificul-ta a busca peloprimeiro emprego. Apesar disso, váriassão as em-presas e programas que dãooportunidades para os inexperientes. EmFranca algumas das empresas que dãooportunidade para o primeiro empregosão a ACIF, à Rua Voluntários da Fran-O PRIMEIRO DE MUITOSca, 690, a Universidade de Franca, a Uni--Facef, o Arquivo Histórico Munici-pal,o Museu José Chiachiri e tantos outros.“Eu ainda me lembro do meu primei-ro emprego como auxiliar administra-tivo no IPES, da Uni-Facef. Foi mui-to importante para a minha carreira”,diz Luis Fabiano Jardini, 27, advogado.O primeiro emprego tem um papel im-portante na vida das pes-soas. Quemaproveita as oportunidades de apren-der com ele, vai longe. Mas os espe-cialistas alertam: é preciso de vontade,paciência e muito comprometimento.As marcas da adolescência ainda nem sa-íram do rosto de Vitor Carrijo, mas elejá toma conta de um grupo de mais dedez traba-lhadores. O auxiliar adminis-trativo tem só 17 anos, mas responsabi--lidade de gente grande. “Faço diário deobras, vejo projetos para passar para osencarregados das obras, tento solucio-nar os proble-mas das obras”, afirma.RESPONSABILIDADE DE GENTE GRANDESe você tá cansado de pedir o dinhei-ro para seus pais, não a-guenta maisesperar a mesada, ou viu a importân-cia do primeiro emprego, então, tána hora de trampar. Confira as vagas:• Entregador:RestauranteeLanchone-te do Filipe. Horário: das 10:30h às 16h30,de segunda a sexta. Telefone: 3713-3303.TÁ NA HORA DE TRAMPAR• Secretária: Nena Via-gens. Conferir horários na sede,à Rua Major Claudiano, 1163.• Repositor: Granero Supermercados.Várias vagas. Rua Major Claudiano, 607.• Se você busca outras vagas con-fira em meuprimeirotraba-lho.sp.gov.br, francasite.com e no HardFranca.
  5. 5. vida universitáriaGUSTAVO CÉSAR• A UNESP de Franca oferece maisde 400 vagas por anos, divididas entreseus cursos de Direito, História, Rela-ções In-ternacionais e Serviço Social.MUDANÇA DE CURSOAQUI E AGORA!Você já passou da época de escolha, estáem seu primeiro, se-gundo ano, ou atémesmo no último, mas você percebe queseu curso não é algo que quer fazer o restoda vida. Ou uma ou outra: ou o seu cur-so é muito chato e você não tem interesse,ou você re-almente não quer atuar na áreaque escolheu. Caso seja a primeira opção,então conclua os estudos. É o que acon-Os que já estão no segundo ano continu-am a pensar. Os que es-tão no terceirão sãoaflitos. Aqueles que fazem o cursinho têma certeza. Sabem o que é? O vestibular. Noperíodo que antecede o vestiba as coisasficam tensas. Os vestibulandos mudamde humor, sentem mais fome, choram, sedesesperam, brigam com todos e a maio-ria se pergunta: “escolhi o curso certo?”.Segundo a psicóloga Maria Luiza Salo-mão a indagação é algo normal. Mas se aquestão for tão grande e caso você não te-nha 1% de certeza que aquele curso é paravocê, o melhor é desistir. “O aconselhávelé acompanhar um profissional da área queo vestibu-lando escolheu, para ver se é oque ele quer fazer”, explica a psicó-loga.A pergunta é normal, mas lembre-se:não faça nada querendo agradar nin-guém, a não ser você mesmo. Ansie-dade é algo normal em situações comoessa, procure se relaxar antes do vesti-ba chegar fazendo algo que você goste.A ESCOLHA• A Unifran oferece mais de 55 cur-sos de graduação e mais de 20 técnicos.• Mais de 40 opções de cursos naUni-Facef, sem contar os técnicos.• A escola de idiomas Know-Howtem cursos preparatórios para aqueles queprestarão vestibular no exterior ou outrosmais específicos.selha a psicóloga Dayane Caravieri: “Sóé melhor largar o curso se você perceberque não vai ser o tipo de carreira a seguir”.A arquiteta Cibelle Costa, 34 anos, já pas-sou por tal situação. No segundo ano deBiologia ela decidiu mudar de curso. “Mi-grei para Arquitetura e Urbanismo e hojesou uma das arquitetas referência”, conta.
  6. 6. wWWMuitoooo Prazer!upando!JÉSSICA BASTIANINIGUSTAVO CÉSAREste é o cantinho escuro da nossa revista,reservado especialmente para você quenão se aguenta de tantas perguntas sobreSexo e outras coisinhas mais... (kkkk’)Nesta primeira edição, de lançamento se-lecionei um texto da famosa sexóloga Lau-ra Miller, que esta disponível em seu blog.Abriremosarevistaparaquevocêsnosenviesuas perguntas, que nós (Jéssica Bastianinie as vezes Gustavo César) responderemoscom Muitoooo Prazer! Contando sempre, éclaro com a colaboração de sexólogos paraperguntas digamos assim mais técnicas.D i v i r t a - s eDARKROOMSe você ainda tem alguma dúvida sobre o uso ou não dovibrador, veja o que a Laura diz sobre o acessório.Não faz mal à saúde. Desde que você te-nha alguns cuidados, como não compar-tilhá-lo com outras pessoas, para evitar atransmissão de doenças. O ideal é colocarnele uma camisinha lubrificada e jogá-lafora depois do uso. Ao mesmo tempo quereduz o atrito com a pele, evita a transmis-são de doenças. Outro cuidado é com ocontato violento ou repetitivo demais: issopode provocar lesões. Isso você contornafacilmente: ao primeiro sinal de descon-forto, pare. Uma dica: use-o com lubrifi-cante à base de água, vendido em farmá-cias. Isso ameniza o atrito do aparelhocom a pele e torna a prática mais prazerosa““Vocês viram que American Horror Story está maravilhosa? Sa-biam que Gleeestá perdendo audiência? Que a Rihanna tá lançando álbum novo? Que o Ame-rican Idol estreia dia 16 de janeiro? Não viram? Então está na hora de UPAR!A segunda temporada da série AmericanHorror Story está ga-rantindo bons frutospara a emissora exibidora, a FOX. Issoporque os episódios alcançam mais de 12milhões de telespectadores. A FOX con-firmou mais uma temporada para a série.Diferentemente de AHS, Glee está combaixas audiências. A sé-rie de comédia--musical estreou com 14 milhões de au-diência e está caindo, nada estável. Oepisódio número sete foi exibido recente--mente e chegou a míseros oito milhões.A 12ª temporada do American Idol serálançada no dia 16 de ja-neiro de 2013 naFOX norte-americana. Para essa nova tem-porada foram confirmados quatro jurados,Keith Urban, Randy Jackson, Nicki Minaje Mariah Carey. American Idol foi respon-sável por levar artistas como Kelly Cla-rkson e Carrie Underwood ao estrela-to.A cantora de Barbados e um dos nome--sensação do momento, Rihanna, acabade lançar um novo álbum – que novida-de! – no dia 19 de novembro. IntituladoUnapolagetic – algo como “perdoável”– o novo CD da Rihanna é o sétimo emoito anos de carreira. O primeiro sin-gle já está disponível nas lojas e alcan-çou o #1 em vários iTunes do mundo.
  7. 7. Bate - papoGUSTAVO CÉSAR... com Cesar ColletiPara iniciar a nossa seção, um dos maiores empresários do ramo comunicacional de Franca, Cesar Colleti. Ele é for-mado em Direito pela Unesp de Franca, tem 58 anos. É jornalista desde os 16. Em 2001 lançou a maior revis-ta de Franca, a Enfoque, em 2004 repetiu o sucesso com a estreia da primeira revista social da cidade, Mérito.Por que decidiu entrar no Jornalismo?Foi o meu primeiro emprego, não foi algobem pensado. Estavam precisando de al-guém na rádio daquela época então eu fizo teste e depois fui chamado. Assim quecomecei percebi que era o que eu gostava.Então por que fez Direito?Eu queria ter um curso superior e den-tre as opções escolhi esse. É um óti-mo curso, mas nunca atuei. Sem-pre fiquei na área de co-municação.Onde já trabalhou?Lembra do seu primeiro emprego?Na rádio, num jornal como repór-ter e depois como editor, tam-bémjá fui assessor de um prefeito e ago-ra sou diretor das minhas revistas.Claro! Eu entregava jornais. Mui-to cansativo. Mas foi graças à eleque consegui chegar no rádio...Tudo o que você conquis-tou algo é devido a que?Empenho. Sempre quando co-mecei a fazer algo eu fui até ofim, vestia a camisa do negócio.Diga-nos alguns desejos seus de quan-do tinha 18 anos e que já realizou.Qual seu sonho no momento?Viajarpelomundo,termeupróprionegócio,conhecerminhasorigenseterminhafamília.Ver o meu filho, Vinicius, se for-mar e eu me aposentar. Isso, claro,deixando as revistas em boas mãos.TEMPO PERDIDOLegião UrbanaTodos os dias quando acordoNão tenho maisO tempo que passouMas tenho muito tempoTemos todo o tempo do mundo...Todos os diasAntes de dormirLembro e esqueçoComo foi o diaSempre em frenteNão temos tempo a perder..Então me abraça forteE diz mais uma vezQue já estamosDistantes de tudoTemos nosso próprio tempo...Não tenho medo do escuroMas deixe as luzesAcesas agoraO que foi escondidoÉ o que se escondeuE o que foi prometidoNinguém prometeuNem foi tempo perdidoSomos tão jovens...Tão Jovens! Tão Jovens!...Oquemaisgostadefazernotempolivre?Viajar e ficar em casa. Aqui em Franca eunão costumo fazer muitas coisas, amo a mi-nha casa e o meu conforto. Fora isso, pre-firo conhecer o mundo. Já fui há dezenasde capitais europeias e norte-americanas.E da sua primeira vez?Nossa! Tem tempo hein? Eu ti-nha 17 anos e a moça 18. Foi na casadela. Fomos amigos até ela falecer.Deixe um recado para o pes-soal da Maioridade.Aproveitem esse tempo. Se puderem fa-zer intercâmbio, façam. Se puderemaprender trabalhando, aprendam. Se pu-der amar, ame. Façam tudo o que pude-rem, contato que vocês tenham a certezaque isso não magoará nem você ou outro.

×