Cap 2   jael eneas, fernando beier, marcos nunes.ppt
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cap 2 jael eneas, fernando beier, marcos nunes.ppt

on

  • 901 views

 

Statistics

Views

Total Views
901
Views on SlideShare
901
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
30
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cap 2   jael eneas, fernando beier, marcos nunes.ppt Cap 2 jael eneas, fernando beier, marcos nunes.ppt Presentation Transcript

  • Fernando Canale
    Capítulo 1 e 2Parte II
    Tema: Revelação Geral
    Por Jael Eneas – RA 20019
  • Objetivos
    1. Compreender como Deus esteve envolvido na
    origem da Bíblia.
    2. Identificar conceitos da Revelação Especial e
    Revelação Geral.
    3. Examinar como a tradição cristã não distingue
    diferenças conceituais entre Revelação Especial e a
    Revelação Geral.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    Revelação Geral e Especial
    CONCEITOS
    Revelação Geral – É a atividade revelatória de Deus por outros meios além das Escrituras.
    INTRODUÇÃO
    2. Revelação Especial – É a manifestação de Deus e de Sua vontade por meio das Escrituras.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    1. Revelação Geral na Bíblia
    1.1. Declarações Bíblicas
    Salmo 19:1- 4– Deus se revela por intermédio de sua criação. “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos...”
    b) Romanos 1: 18 – 21– Deus se revela mediante sua ira, juízos, atributos invisíveis e eterno poder. “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens...”
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    1. Revelação Geral na Bíblia
    1.2. Três Facetas
    O Agente– Deus se manifestou e se encontra pessoalmente envolvido na revelação. Deus cria o mundo e o Espírito Santo o usa para revelar Deus – Romanos 1: 19.
    b) Os Meios– São as realidades observadas na natureza criada por Deus em oposição às realidades históricas e experienciais do homem. Rm 1: 20
    c) O Alvo: Permite que a inteligência humana reconheça
    a verdade de Deus.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    1. Revelação Geral na Bíblia
    1.3. Alcance Salvífico
    Romanos 2: 9-13– Deus se manifesta em Cristo para salvar a cada homem, sem fazer distinção de pessoas.
    b) Romanos 2: 15-16 – Deus através de Jesus Cristo julgará os segredos de cada homem, conforme o evangelho.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    2. Revelação Geral e Teologia Natural
    2.1. Visão Clássica
    Visão de Deus a partir de dados fornecidos pela natureza e analisados pela capacidade da razão e imaginação humanas.
    b) Teologia Natural surge da sua identificação coma revelação geral, que também é conhecida como revelação natural.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    2. Revelação Geral e Teologia Natural
    2.1. Revelação Geral versus Teologia Natural
    A Diferença:A Revelação Geralé uma atividade revelatória realizada por Deus, enquanto que a Teologia Natural é uma atividade interpretativa realizada por seres humanos.
    b) Importante: A Bíblia confirma a revelação, no entanto, as Escrituras não abre espaço para algum tipo de teologia natural.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    3. A Filosofia Hospeda a Teologia Cristã
    A Teologia Natural:As bases estão firmadas não na natureza, mas, exclusivamente na imaginação humana.
    Limites – Devido as limites da natureza como meio de comunicação que Deus usou a Revelação Especial para se comunicar pessoalmente com Adão e Eva.
    Importante: A natureza e história são fatos que interpretamos, mas, não os ensinos de Deus ou conhecer a Sua vontade.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    4. A Teologia Natural e a Filosofia
    Autoridade: - A Teologia Natural (TN) Considera como princípios hermenêuticos a filosofia, a ciência e a cultural.
    Negação – Por negar os princípios da sola, tota e prima Escritura, a TN nega as Escrituras, para priorizar a filosofia como fonte.
    É preciso compreender o tema da revelação-inspiração para oferecer respostas sólidas sobre fonte e validade da Bíblia.
  • Livro: O PrincípioCognitivo da TeologiaCristã
    5. CONCLUSÃO
    5.1. A Revelação-Inspiração não deve ser confundida com a Revelação Geral e nem com a Teologia Natural. A Revelação-Inspiração define como a Revelação Especial (Escrituras) veio existir.
    5.2. Teologia Natural é o nome dado para a filosofia humana que tenta explicar Deus.
    5.3. É por meio da Revelação Especial que Deus revela
    Seus propósitos e vontade ao homem, embora a
    Revelação Geral descreva os atos poderosos de
    Deus.