Figuras de linguagem

459 views
350 views

Published on

Sobre figuras de linguagem, imagens representando, definições e comparações. Estilística.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
459
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Figuras de linguagem

  1. 1. Figuras deFiguras de LinguagemLinguagem Literatura – 2º EM/2006Literatura – 2º EM/2006 Profa. Jacqueline Sant´annaProfa. Jacqueline Sant´anna
  2. 2. Estou verde de fome. Meu estômago parece um buraco. Estou com fome. Estou morrendo de fome.
  3. 3. Conceito de figuraConceito de figura Organização da língua feita pelos seus falantes, de modo que possa resolver as situações da vida. Desta forma, têm à disposição palavras e expressões que “traduzem” suas sensações e suas emoções.
  4. 4. Macarrão é mais barato do que carne. Este time joga melhor que aquele. Um Fusca é menos espaçoso do que um Ka. Meu caderno tem mais páginas do que o seu. Cátia é tão estudiosa quanto Paula.
  5. 5. Comparação simplesComparação simples É uma comparação entreÉ uma comparação entre dois elementos de umdois elementos de um mesmo universo.mesmo universo.
  6. 6. Figuras deFiguras de palavras (tropos)palavras (tropos) Quando empregamosQuando empregamos um termoum termo emem sentidosentido diferentediferente daquele em que esse termo édaquele em que esse termo é convencionalmenteconvencionalmente empregado.empregado.
  7. 7. Errei a porta dos sentimentos. Juca é uma porta. Vou comprar mais danoninhos. O mundo é uma bola. Vou pegar o Jaçanã hoje. Use apenas cotonetes no ouvido. Peguei Jorge Amado para ler.
  8. 8. Esta criança é forte como um touro. A casa dele é escura como a noite. O remédio que eu tomo é ruim feito o diabo. Ele chorou que nem um condenado.
  9. 9. ComparaçãoComparação metafóricametafórica É uma comparação entre doisÉ uma comparação entre dois elementos de universoselementos de universos diferentes.diferentes. É aÉ a subjetividadesubjetividade que faz comque faz com que a comparação metafóricaque a comparação metafórica seja diferente da simples.seja diferente da simples.
  10. 10. metáforametáfora
  11. 11. É a figura de palavra em que um termo substitui outro em vista de uma relação de semelhança entre os elementos que esses termos designam. Essa semelhança é resultado da imaginação, da subjetividade de quem cria a metáfora. A metáfora também pode ser entendida como uma comparação abreviada, em que o conectivo comparativo não está expresso, mas subentendido.
  12. 12. Não conseguiu embarcar num avião. Apoiou-se no braço da cadeira. Quebrei a perna de mesa. Tinha apenas uma cabeça de cebola e um dente de alho na geladeira. O azulejo amarelo da cozinha não combina com o piso que comprei.
  13. 13. CatacreseCatacrese É um tipo especial de metáfora. AÉ um tipo especial de metáfora. A catacrese não é mais a expressãocatacrese não é mais a expressão subjetiva de um indivíduo, mas jásubjetiva de um indivíduo, mas já foi incorporada por todos osfoi incorporada por todos os falantes da língua, passando afalantes da língua, passando a ser uma metáfora corriqueira e,ser uma metáfora corriqueira e, portanto, pouco original.portanto, pouco original.
  14. 14. Uma melodia azul tomou conta da sala. A sua voz áspera intimidava a platéia. Senti saudades amargas. Esse perfume tem cheiro doce.
  15. 15. SinestesiaSinestesia É um tipo de metáfora eÉ um tipo de metáfora e consiste em aproximar, naconsiste em aproximar, na mesma expressão, sensaçõesmesma expressão, sensações percebidas por diferentespercebidas por diferentes órgãos dos sentidos. Como naórgãos dos sentidos. Como na metáfora, trata-se de relacionarmetáfora, trata-se de relacionar elementos de universoselementos de universos diferentes.diferentes.
  16. 16. MetonímiaMetonímia
  17. 17. a)O autor pela obra: Ler Jorge Amado. Ter um Picasso em casa. b)O possuidor (P) pelo possuído (p), ou vice- versa: Ir ao barbeiro. (Barbeiro, P, está por barbearia, p.) c)O lugar pela coisa ou pelo produto: Ir ao correio. (Correio esta pro edifício,onde funciona o serviço do correio) d)A causa pelo efeito, ou vice-varsa: Viver pro trabalho. (Trabalho está por alimento)
  18. 18. e)O continente pelo conteúdo: Bebi dois copos de leite. (Copos está por leite) f)O instrumento pela causa ativa: Ser uma pena brilhante. (Pena está por escritor) g)A coisa pela sua representação: Ser defensor intransigente do lar. (Lar está por familia)
  19. 19. É a figura de palavra queÉ a figura de palavra que consiste na substituição de umconsiste na substituição de um termo por outro, em que atermo por outro, em que a relação entre os elementosrelação entre os elementos que esses termos designamque esses termos designam não depende exclusivamentenão depende exclusivamente do indivíduo, mas da ligaçãodo indivíduo, mas da ligação objetiva que esses elementosobjetiva que esses elementos mantêm na realidade.mantêm na realidade.
  20. 20. sinédoquesinédoque Comer o pão com o suor do rosto. Não dá para viver sem um teto. O homem é destruidor por excelência. O toque do bronze anunciava a missa.
  21. 21. É a substituição de um termoÉ a substituição de um termo por outro, em que os sentidospor outro, em que os sentidos desses termos têm umadesses termos têm uma extensão desigualextensão desigual. Na. Na sinédoque há uma ampliaçãosinédoque há uma ampliação ou uma redução do sentidoou uma redução do sentido usual da palavra.usual da palavra.
  22. 22. Sinédoque - MetonímiaSinédoque - Metonímia Alimento pão suor trabalho
  23. 23. AntonomásiaAntonomásia • O Pai da Aviação = Santos Dumont • O Salvador • O Redentor • O Nazareno = Cristo • O mestre • O Criador = Deus • O Poeta dos Escravos = Castro Alves
  24. 24. É um tipo de metonímia que consiste na designação de uma pessoa não pelo seu nome, mas por uma qualidade, característica, feito ou fato que a distingue das demais.
  25. 25. Figuras de construçãoFiguras de construção (figuras sintáticas)(figuras sintáticas)
  26. 26. Dizem respeitoDizem respeito a desvios ema desvios em relação à concordância entre osrelação à concordância entre os termos da oração e à ordem emtermos da oração e à ordem em que estes termos aparecem, ouque estes termos aparecem, ou ainda a possíveis repetições ouainda a possíveis repetições ou omissões de termos.omissões de termos.
  27. 27. São Paulo é movimentadaa. A gente é obrigadoo a varrer até cair mortoo.  AA Bandeirantes está cada dia mais congestionadaa. Esta gente está furiosa e com medo; por conseqüência, capazescapazes de tudo. Os Lusíadas glorificouglorificou nossa literatura.] Os brasileiros choramoschoramos a derrota da seleção. “Eu e você não éé assim tão complicado, não éé difícil perceber “ SilepseSilepse
  28. 28. AnáforaAnáfora GrandeGrande no pensamento, grandegrande na ação, grandegrande na glória, grandegrande no infortúnio, ele morreu desconhecido e só. Amor éé um fogo que arde sem se ver; ÉÉ ferida que dói e não se sente. TudoTudo cura o tempo, tudotudo gasta, tudotudo digere.
  29. 29. elipseelipse Como estávamosestávamos com pressa, preferipreferi não entrar. Sobre a mesa, apenas um copo d´água e uma maçã. Veio sem pinturas, um vestido leve, sandálias coloridas.
  30. 30. PleonasmoPleonasmo • As minhas botasminhas botas, quero arrancá-laslas! • Realmente, as catástrofes sociaiscatástrofes sociais só podem provocá-laslas as próprias classes dominantes. • ViVi com meus próprios olhosolhos. • ChoveuChoveu uma chuvachuva fina durante a noite toda.
  31. 31. Hipérbato ou inversãoHipérbato ou inversão Passeiam, à tarde, as belas na Avenida. (As belas passeiam na Avenida bela.) Passarinho, desisti de ter. (A máquina nada pode inventar das coisas.)
  32. 32. Figura sintática que ocorre quando um termo antecipado fica desligado sintaticamente da oração. EuEu parece que estou ficando zonzo. MorrerMorrer, todo o mundo vai morrer.

×