Os livros poéticos II – O livro de EclesiastesO quarto livro dos cinco livros poéticos da Bíblia    (Um dos livros sapienc...
Introdução  O título do livro vem de  uma expressão hebraicaque quer dizer “pregador” ou orador de assembléia, que foi tra...
Segundo os historiadores o texto se compõe de umdiscurso que deve ter sido apresentado por Salomãoem uma assembléia para a...
Os comentaristas   atribuem a Salomão o livro, embora não haja     similar para ele na   tradição judaica. Sua  linguagem ...
Alguns historiadoresquestionam a unicidade da autoria, afirmando que olivro deve ter sido escritopor 2, 4, ou até mesmo 8 ...
Eclesiastes começa por mostrar que a busca pelos bens terrenos não é causa básica para a felicidade.Para o autor tudo isto...
Este será então o terceiro livro dos chamados poéticos (II) que estudaremos neste 1T12, conforme podemos    ver no Supleme...
Os livros poéticos II                         O livro de Eclesiastes                               Estudo 11              ...
Alguns destaques do capítulo 11. QUANTO À FUGACIDADE DAS COISAS TERRENAS:[2] Vaidade de vaidades, diz o pregador;vaidade d...
Alguns destaques do Capítulo 2                          1. QUANTO À ALEGRIA FUGIDIA:                         [1-3] Disse e...
Alguns destaques do Capítulo 3                      1. QUANTO ÀO TEMPO PRÓPRIO:                 [1-8] Tudo tem a sua ocasi...
Alguns destaques do Capítulo 41. QUANTO AOS MALES ETRIBULAÇÕES DA VIDA:[2] Pelo que julguei mais felizes os que jámorreram...
Alguns destaques do Capítulo 5                     [1.     1. QUANTO A VÁRIOS CONSELHOS:                         [1] Guard...
Alguns destaques do Capítulo 63.QUANTO AO DESFRUTARDAS BÊNÇÃOS DE DEUS:[7] Todo o trabalho do homem é para a suaboca e con...
CONCLUSÃO Um livro com este conteúdo  é para ser lido e estudado com um espírito crítico bemapurado, para que possamosreti...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

“Tudo tem a ocasião própria”

12,149

Published on

Estudo 11 - Os Livros Poéticos II – Eclesiastes - EBD - JUERP

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
12,149
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
30
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

“Tudo tem a ocasião própria”

  1. 1. Os livros poéticos II – O livro de EclesiastesO quarto livro dos cinco livros poéticos da Bíblia (Um dos livros sapienciais da Palavra de Deus)
  2. 2. Introdução O título do livro vem de uma expressão hebraicaque quer dizer “pregador” ou orador de assembléia, que foi traduzido para aSeptuaginta no grego, por “ecclesiastes” que quer dizer basicamenteassembléia. Este termo éoriginado da palavra grega “ekklesia”, de onde se originou para o latim e para o português a nossa palavra “igreja”.
  3. 3. Segundo os historiadores o texto se compõe de umdiscurso que deve ter sido apresentado por Salomãoem uma assembléia para a qual teriam sido convidados os sábios eentendidos da época, para ouvirem o que teria adizer a eles o homem mais sábio do mundo. O temado discurso seria a busca pela sabedoria, como a coisa suprema na vida do homem.
  4. 4. Os comentaristas atribuem a Salomão o livro, embora não haja similar para ele na tradição judaica. Sua linguagem filosófica sevolta mais para a cultura grega com a influência que os epicuristas iriamdesenvolver depois, sobre a vida austera,pessimista até, relegando a plano secundário os prazeres físicos para enaltecer os prazeres mentais.
  5. 5. Alguns historiadoresquestionam a unicidade da autoria, afirmando que olivro deve ter sido escritopor 2, 4, ou até mesmo 8 mãos diferentes. Alguns mesmos chegam a mencionar que sua influência cultural gregaindica que o livro deva ter sido escrito no períodointerbíblico (Epícuro, viveu entre 341/270 a.C.Sua vida foi marcada pelo ascetismo, pela serenidade e pela doçura)
  6. 6. Eclesiastes começa por mostrar que a busca pelos bens terrenos não é causa básica para a felicidade.Para o autor tudo isto é vaidade. Podem trazer algum benefício que são em geral passageiros. Para o autor prazeres e riquezas não são sinônimos de felicidade mas, sim, a busca pela sabedoria no viver, isto sim, seria o essencial e fundamental.O livro nos ensina que vicissitudes e bênçãos, atingema todos os seres humanos indistintamente, que a vida tem uma realidade imutável, que a fugacidade dos bens terrenos é presente e que a devemos ter consciência de que Deus é o Senhor do tempo.
  7. 7. Este será então o terceiro livro dos chamados poéticos (II) que estudaremos neste 1T12, conforme podemos ver no Suplemento acima: o livro de Eclesiastes.
  8. 8. Os livros poéticos II O livro de Eclesiastes Estudo 11 “Tudo tem a sua ocasião própria” Há tempo para todo o propósito na vida Texto bíblico Eclesiastes 1 a 6 Texto áureo: Eclesiastes 3.1:“Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.”
  9. 9. Alguns destaques do capítulo 11. QUANTO À FUGACIDADE DAS COISAS TERRENAS:[2] Vaidade de vaidades, diz o pregador;vaidade de vaidades, tudo é vaidade.2. QUANTO À AMBIÇÃO DESMEDIDA:[3] Que proveito tem o homem, de todo oseu trabalho, com que se afadiga debaixo do sol?3. QUANTO À ANSIEDADE PELO FUTURO:[4] Uma geração vai-se, e outra geração vem, mas a terra permanecepara sempre.4. QUANTO A QUERER MUDAR O MUNDO:[9-10]: O que tem sido, isso é o que há de ser; e o que se tem feito,isso se tornará a fazer; nada há que seja novo debaixo do sol. Háalguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? ela já existiu nosséculos que foram antes de nós.5. QUANTO À LIMITAÇÃO DA SABEDORIA:[13] E apliquei o meu coração a inquirir e a investigar com sabedoria arespeito de tudo quanto se faz debaixo do céu.. [14] Atentei para todasas obras que se fazem debaixo do sol; e eis que tudo era vaidade edesejo vão. [15] O que é torto não se pode endireitar; o que falta nãose pode enumerar.
  10. 10. Alguns destaques do Capítulo 2 1. QUANTO À ALEGRIA FUGIDIA: [1-3] Disse eu a mim mesmo: Ora vem, eu te provarei com a alegria; portanto goza o prazer; mas eis que também isso era vaidade. 2. QUANTO AO SENTIMENTO DE AFIRMAÇÃO: [4-11] Fiz para mim obras magníficas: edifiquei casas; plantei vinhas; fiz hortas ejardins; e plantei neles árvores; fiz tanques de águas; comprei servos eservas; ajuntei também para mim prata e ouro; provi-me de cantores ecantoras; concubinas em grande número. Assim me engrandeci, e metornei mais rico do que todos; tudo quanto desejaram os meus olhosnão lho neguei, nem privei o meu coração de alegria alguma. Então olheieu para todas as obras que as minhas mãos haviam feito, como tambémpara o trabalho que eu aplicara em fazê-las; e eis que tudo eravaidade e desejo vão, e proveito nenhum havia debaixo do sol.3. QUANTO À MELHOR CONSTATAÇÃO PARA O VIVER:[15] Pelo que eu disse no meu coração: Como acontece ao estulto, assimme sucederá a mim; por que então busquei eu mais a sabedoria? Entãorespondi a mim mesmo que também isso era vaidade. [24]: Não há nadamelhor para o homem do que comer e beber, e fazer que a sua almagoze do bem do seu trabalho. Vi que também isso vem da mão de Deus.
  11. 11. Alguns destaques do Capítulo 3 1. QUANTO ÀO TEMPO PRÓPRIO: [1-8] Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer; morrer; plantar; colher; matar; curar; edificar; derribar; chorar; rir; prantear; dançar; espalhar; ajuntar; abraçar; afastar; buscar; perder; guardar; lançar; rasgar; coser; calar; falar; amar; odiar; guerra; paz.2. QUANTO AO MELHOR PROVEITO NA VIDA:[9-13] Que proveito tem o trabalhador naquilo em que trabalha? Sei que não há coisa melhor para eles do que se regozijarem e fazerem o bem enquanto viverem; e também que todo homem coma e beba, e goze do bem de todo o seu trabalho é dom de Deus. 3. QUANTO AOS DESÍGNIOS DE DEUS:[14-22] Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe pode acrescentar e nada se lhe pode tirar; o que é já existiu, e o que há de ser, também já existiu; e Deus procura de novo o que já se passou; Deus julgará o justo e o ímpio; Todos vão para um lugar; todos são pó e ao pó voltarão; Pelo que tenho visto não há coisa melhor do que alegrar-se o homem nas suas obras; porque esse
  12. 12. Alguns destaques do Capítulo 41. QUANTO AOS MALES ETRIBULAÇÕES DA VIDA:[2] Pelo que julguei mais felizes os que jámorreram, do que os que vivem ainda .[3] E melhor do que uns e outros é aquele queAinda não é, e que não viu as más obras que se fazem debaixo do sol.[4] Também vi eu que todo trabalho e destreza em obras provêm dainveja que o homem tem do seu próximo. Também isso é vaidade edesejo vão.[6] Melhor é um punhado com tranquilidade do que ambas as mãoscheias com trabalho e vão desejo.[9] Melhor é serem dois do que um, porque têm melhor paga do seutrabalho.[10] Pois se cairem, um levantará o seu companheiro, mas ai do queestiver só, pois caindo, não haverá outro que o levante.[13] Melhor é o mancebo pobre e sábio do que o rei velho e insensato,que não se deixa mais admoestar
  13. 13. Alguns destaques do Capítulo 5 [1. 1. QUANTO A VÁRIOS CONSELHOS: [1] Guarda o teu pé quando entrares à casa deDeus, porque chegar-se para ouvir é melhor do que oferecersacrifícios de tolos; pois não sabem que fazem o mal.[2] Não te precipites com a tua boca,nem o teu coração se apresse apronunciar palavra alguma na presença de Deus; porque Deus está nocéu e tu estás sobre a terra; portanto sejam poucas as tuas palavras.[4] Quando a Deus fizerss algum voto não tardes em cumpri-lo,porque ele não se agrada de tolos. O que votares, paga-o.[5] Melhor é que não votes, do que votares e não pagares.[9] O proveito da terra é para todos. Até o rei se serve do campo.[12] Doce é o sono do trabalhador, quer coma muito ou pouco; mas asaciedade do rico não o deixa dormir.[18] Eis aqui o que eu vi, uma boa e bela coisa: alguém comer e beber;e gozar cada um do bem de todo o seu trabalho, com que se afadigadebaixo do sol, todos os dias da vida que Deus lhe deu, pois esse é oseu quinhão.
  14. 14. Alguns destaques do Capítulo 63.QUANTO AO DESFRUTARDAS BÊNÇÃOS DE DEUS:[7] Todo o trabalho do homem é para a suaboca e contudo não se satisfaz o seu apetite.[8] Pois que vantagem tem o sábio sobre otolo? E que tem o pobre que sabe andarperante os vivos?[11] Visto que as muitas palavras aumentam a vaidade, quevantagem tira delas o homem?[12] Por que quem sabe o que é bom nesta vida para o homem,durante os poucos dias da sua vida vã, os quais gasta comosombra? Pois quem declarará ao homem o que será depois deledebaixo do sol.
  15. 15. CONCLUSÃO Um livro com este conteúdo é para ser lido e estudado com um espírito crítico bemapurado, para que possamosretirar dos ensinamentos nele contidos as verdades que o Senhor quer nos mostrar.Leia versículo a versículo, pare um pouco e feche os olhos.Indague-se então: O que este texto quer me dizer? Isto chama-se reflexão! E é a isto que nos convida o livro de Eclesiastes!!!
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×