HISTÓRIA, ARTE E CRIATIVIDADE: DAS TECNOLOGIAS À APRENDIZAGEM EM CONTEXTO                                                2...
HISTÓRIA, ARTE E CRIATIVIDADE: DAS TECNOLOGIAS À APRENDIZAGEM EM CONTEXTO                                                2...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Registo actividade 3 (1) net

359

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
359
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Registo actividade 3 (1) net

  1. 1. HISTÓRIA, ARTE E CRIATIVIDADE: DAS TECNOLOGIAS À APRENDIZAGEM EM CONTEXTO 2011/2012 Registo Atividade em Aula – História, Arte e CriatividadeTítulo/Tema do trabalho: Uma história insólitaViagem transcontinental na época dos Descobrimentos / Império do Oriente (século XVI)Unidade/Subunidade: Designação da Unidade/Subunidade Didática (se aplicável):E1 – O expansionismo europeu: o comércio à escala mundialDestinatários: Duração da atividade: 1Alunos do 8º ano de bloco de 90 minutos (salaescolaridade de aula) A visita ao museu não está contabilizada, já que pode ocorrer em dia em que os alunos não tenham a disciplina, ou mesmo ao sábado.Museu Condes Castro Guimarães | 2012Introdução: A atividade é realizada tendo por ponto de partida a visita ao Museu dos CondesCastro Guimarães. Cada grupo de alunos deverá ser constituído por 12 elementos, no máximo,e procurarão as 2 obras (identificadas com post-it) e que serão utilizadas na atividade.Proposta: Na 1ª obra, o grupo sentar-se-á, observará a imagem e far-se-á a leitura danarrativa. Conforme esta se vai fazendo, irão sendo utilizados os post-its, 3 cores diferentesque identificarão: uma cor, as personagens; outra cor, as emoções (cor-de-rosa) e outra, osconceitos que aparecem no documento de forma direta ou indireta. Os alunos irão colocando noseu caderno/ bloco de apontamentos o que conseguem identificar. A continuidade ficará para asala de aula, espaço mais formal, já que apesar do museu desempenhar a função de sala de aula,o espaço não permite realizar a atividade de forma completa.Esta atividade poderá ser articulada com as áreas disciplinares de Educação Visual, Geografia,Língua Portuguesa, Ciências Naturais e a área não disciplinar de Formação Cívica. Além disso,a atividade possibilita o seu uso como consolidação de conhecimentos adquiridos pelos alunos,ou como motivação para a aquisição de novos.Objetivos pedagógicos: Consolidar os conhecimentos já adquiridos pelos alunos;Motivar os alunos para os conteúdos programáticos supra referenciados;Adquirir/ aplicar conceitos como: rotas comerciais; aculturação; emancipação; mundializaçãodas trocas; império colonial; miscigenação, analisar obras de arte diversificadas.Ferramentas e Recursos: Ida ao museu / transporte; as 2 obras (Muleta, de Augusto deAndrade, 1865/ Espingardas japonesas, séc. XVIII); caderno e lápis, máquina fotográfica(facultativa).Operacionalização: Os alunos, em aula, ouviriam novamente a narrativa e projetavam-se asobras selecionadas. De seguida, os grupos / ou as duas partes da turma enunciavam asconclusões a que tinham chegado, e iniciar-se-ia um espaço de debate sobre as temáticas daaculturação (englobando a transformação das paisagens e da vida das pessoas) e sobre o papelda mulher (tanto nas sociedades europeias, como nas outras civilizações, não esquecendo asfunções que a mulher hoje desempenha). Seria ainda proposto que os alunos continuassem a 1 Registo Final – Ação de Formação: História, Arte e Criatividade – 2011/2012
  2. 2. HISTÓRIA, ARTE E CRIATIVIDADE: DAS TECNOLOGIAS À APRENDIZAGEM EM CONTEXTO 2011/2012narrativa, havendo ainda a possibilidade da mesma se transformar numa pequena peça teatral(que seria realizada com a colaboração do Clube do Teatro).Avaliação: Grelha de observação sobre a participação dos alunos na atividade realizada nomuseu e a que decorreria na aula (observação direta). Continuação da narrativa (expressãoescrita). Ficha de auto avaliação para os alunos.Reflexão Individual: A ação de formação foi produtiva, interessante e útil. A parte teórica, noinício, alertou a formanda para uma nova visão da história e da construção do saber quecanalizada para o quotidiano da prática pedagógica poderá proporcionar aos professores novospontos de partida para motivar os alunos, podendo estes criar através dos objetos pontos departida diversos. Foi útil e produtiva, pois possibilitou a construção de materiais facilmenteutilizáveis pelos participantes em contexto de sala de aula, seja ela informal – museu, ou formal– escola. Contribuiu ainda para a troca de ideias e impressões com os colegas, demonstrando-seque quando existe interesse e apetência para uma determinada tarefa, o individuo até agoradesconhecido, torna-se num colaborador participativo, facilitador do intercâmbio de ideais,com o consequente enriquecimento do trabalho. A ação será ainda interessante para os alunospois permite-lhes a visita a espaços diferentes, agradáveis, belos, harmoniosos e encantados,como o museu em causa.Realço apenas alguns dos aspetos que muito me agradaram: a interação e dinâmica criadas eincutidas pelo formador; a intencionalidade de ensinar a olhar a obra de arte de diferentesmodos; a criatividade das atividades e o envolvimento dos participantes durante as sessões deformação e durante o tempo que mediou as duas sessões; a preocupação de não sobrecarregaros formandos com atividades extra sessão; o espaço onde decorreu (belíssimo). Gostei muito!O espaço despertou o olhar para peças maravilhosas que me eram desconhecidas e que mefarão voltar com alunos e com a família. A partir de agora, a palavra criatividade passou a teroutra dimensão. A natureza e a duração das atividades propostas foram as adequadas ao curso.Abriram novas perspectivas de abordagem. Foi um prazer fruir de um espaço encantado,aprender com um formador muito dinâmico que ensinou a desconstruir algumas ideias que, nofundo são barreiras ao “olhar”. O museu como espaço de aprendizagem. A bibliografiaindicada aguçou a curiosidade de saber mais. O trabalho desenvolvido em grupo foi muitointeressante. A partilha de ideias e a apresentação das várias propostas de atividades a realizarcom os alunos tornaram os dois dias muito enriquecedores. Gostei, aprendi, convivi.Esta ação de formação foi um contributo importante para a minha prática letiva já que mepermitiu ver uma ida ao museu com outra perspetiva. Ao mesmo tempo permitiu-me que aspróximas visitas de estudo sejam, por mim, planificadas de forma diferente e talvez maismotivadoras para os meus alunos tendo em conta o caráter criativo que tentarei implementar.Para finalizar devo referir que esta ação decorreu num espaço muito bonito e com um grupo detrabalho muito participativo e criativo. Quero dar os parabéns aos formadores, em particular aoJoão, pelo ambiente agradável e simples com que desenvolve as suas sessões.Observações: Podem existir alguns condicionalismos temporais, já que a pressão sobre osdocentes para o cumprimento dos programas curriculares pode pôr em risco o uso maisfrequente destas estratégias / metodologias. 2 Registo Final – Ação de Formação: História, Arte e Criatividade – 2011/2012

×