Ofertas Formativas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
10,843
On Slideshare
10,321
From Embeds
522
Number of Embeds
6

Actions

Shares
Downloads
85
Comments
0
Likes
3

Embeds 522

http://rvccno.blogspot.com 335
http://rvccno.blogspot.pt 150
http://rvccno.blogspot.com.br 16
http://www.slideshare.net 13
http://www.rvccno.blogspot.com 7
http://209.85.229.132 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Metodologia de Acolhimento, Diagnóstico e Encaminhamento de Adultos Momento de Formação Abril de 2009
  • 2. Modalidades de Educação e Formação para Jovens
  • 3. ENSINO SUPERIOR 4º Ensino 3º Superior 2º 1º (*) Certificação ENSINO PÓS-SECUNDÁRIO 12º Ano Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Especializaç Tecnoló + Qualificação Qualificaç Profissional Nível 4 T7 12º Ano Ensino 12º Cursos Cursos Cursos Aprendizagem + Científico- Tecnológicos Profissionais Ensino (AP) Secundário 11º Música / Dança Secundá -Humanísticos (CT) (CP) - Artes Visuais e Recorrente Qualificação Qualificaç Audiovisuais 10º (CCH) (ER) Reconhecimento, Validação e Certificação Profissional Nível 3 T4 9º Ano de Competências (RVCC) 9º ESCOLARIDADE OBRIGATÓRIA Cursos + 3º Ciclo Ensino de 8º Artístico Educação Educação Qualificação Qualificaç e Profissional Nível 2 7º Especializado e Formação (EAE) Formação Ensino Básico (CEF) de 6º Ano 6º Adultos 2º Ciclo + (EFA) 5º Música / Dança Qualificação Qualificaç Profissional Nível 1 4º Ano 4º 1º Ciclo 3º 2º 1º PRÉ-ESCOLAR (*) Certificação escolar: Certificaç Certificação profissional: Certificaç Dupla Certificação: escolar + profissional Certificaç
  • 4. Iniciativa Novas Oportunidades Sistema Nacional de Qualificações (Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro) Reestruturar a formação profissional inserida quer no sistema educativo, quer no mercado de trabalho Ofertas Formativas de Dupla Certificação
  • 5. Jovens Ofertas Formativas de Dupla Certificação Cursos Tecnológicos e Cursos de Educação e Formação Cursos Artísticos Especializados Cursos Profissionais de dupla certificação Sistema de Aprendizagem Cursos de Especialização Tecnológica
  • 6. Cursos de Educação e Formação Características e Objectivos da Modalidade percurso de educação e formação profissional inicial para jovens estruturado em patamares sequenciais de entrada e de saída que fomentam a aquisição progressiva de níveis mais elevados de qualificação. estimular o cumprimento da escolaridade e a obtenção de uma qualificação profissional.
  • 7. Cursos de Educação e Formação Destinatários Jovens com idade igual ou superior a 15 anos em risco de abandono escolar ou que já abandonaram o sistema antes da conclusão da escolaridade de 12 anos que pretendam adquirir uma qualificação profissional com vista ao ingresso qualificado no mercado de emprego. Acesso Processo de orientação escolar e profissional a desenvolver pelos Centros de Apoio Sócio-educativo (CASE) e pelos Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)
  • 8. Cursos de Educação e Formação Tipologia, Duração e Certificação •Titulares de um curso científico-humanístico Tipo 7 Nível 3 ou de habilitação equivalente (12º ano) 1155 h / 1 Ano •11º ano de escolaridade ou frequência Tipo 6 do 12º ano s/ aprovação 1380 h / 1Ano 12.º Ano . Titulares de curso T4 Nível 3 . 10º Profissionalizante Tipo 5 FORMAÇÃO . 10º ano de escolaridade ou frequência de COMPLEMENTAR 2276 h / 2 Anos 11º ano sem aprovação 1020 h / 1 Ano . 9º ano de escolaridade Tipo 4 . Frequência do nível secundário s/ o concluir Nível 2 1230 h / 1 Ano . 8º ano de escolaridade . Frequência do 9º ano s/ aprovação Tipo 3 1200 h / 1 Ano 9.º Ano . 6º ano de escolaridade Nível 2 . 7º ano de escolaridade Tipo 2 . Frequência do 8º ano s/ aprovação 2109 h / 2 Anos • 4º ano de escolaridade sem aprovação Tipo 1 6.º Ano • 4º ou 5º anos de escolaridade 1872 / 1125 h Nível 1 • Frequência do 6º ano de escolaridade até 2 Anos
  • 9. Cursos de Educação e Formação Prosseguimento de Estudos - Tipo 2 ou 3 – permitem o prosseguimento em qualquer uma das modalidades do nível secundário. É exigível a realização dos exames do 9º ano de Língua Portuguesa e de Matemática, no caso de prosseguirem nos Cursos Científico-Humanísticos diurnos; - Tipo 5 ou 6 – Acesso ao Ensino Superior (mediante a realização de exames como provas de ingresso no ensino superior). Entidades Formadoras - Escolas Públicas, Privadas e Cooperativas; - Centros de Formação do IEFP; - Entidades Acreditadas.
  • 10. Cursos Profissionais Características da Modalidade Integram a oferta formativa do ensino secundário Formação inicial de Jovens que se caracteriza por uma forte ligação ao mundo do trabalho Desenvolvimento de competências para o exercício de uma profissão, em articulação com o sector empresarial local. Destinatários Jovens com o ensino básico concluído que procuram um ensino secundário que privilegia a sua inserção na vida activa ao mesmo tempo que os prepara para o prosseguimento de estudos
  • 11. Cursos Profissionais Duração - Duração de três anos, correspondentes aos anos de escolaridade do ensino secundário. Certificação Certificação escolar de conclusão do nível secundário de educação e qualificação profissional de nível 3.
  • 12. Cursos de Aprendizagem Objectivos • Formação profissional inicial destinada aos jovens Facilitar a inserção no mercado de trabalho e permitir o prosseguimento de estudos. Características • Desenvolvida em alternância Interacção entre a formação teórica e a formação prática e os contextos em que as mesmas decorrem, sendo a formação prática distribuída, de forma progressiva, ao longo do curso.
  • 13. Cursos de Aprendizagem Destinatários • Jovens com idade inferior aos 25 anos; • Jovens que concluíram o 3.ºciclo do Ensino Básico e que não detêm uma habilitação escolar de nível secundário; • Candidatos coma frequência de um ou mais anos de qualquer curso de nível secundário, sendo estabelecido um percurso de formação em função dos conhecimentos e competências certificados.
  • 14. Cursos de Aprendizagem Prosseguimento de estudos Cursos de nível superior de educação mediante a realização de exames nacionais como provas de ingresso Entidades Formadoras • Centros de formação profissional do IEFP, I.P. • Entidades tuteladas pelo ministério responsável pela área de formação profissional • Entidades formadoras públicas e privadas devidamente certificadas, à excepção das escolas básicas, secundárias e profissionais
  • 15. Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Objectivos aprofundar conhecimentos científicos e tecnológicos numa determinada área de formação; desenvolver ou reforçar competências para o exercício profissional; efectuar uma requalificação profissional.
  • 16. Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Destinatários jovens que já concluíram o 12.º ano; jovens que tenham obtido aprovação em todas as disciplinas dos 10.º e 11.º anos e que tenham frequentado o 12.º ano de um curso de ensino secundário sem o concluírem; jovens com uma qualificação profissional de nível 3; jovens titulares de um diploma de especialização tecnológica ou de um grau ou diploma do ensino superior que pretendem uma requalificação profissional indivíduos com idade igual ou superior a 23 anos aos quais sejam reconhecidas as capacidades e competências resultantes da experiência adquirida para ingresso no CET
  • 17. Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Certificação qualificação profissional de nível 4 diploma de especialização tecnológica (permite o acesso a um certificado de aptidão profissional emitido no âmbito do Sistema Nacional de Certificação Profissional) Prosseguimento de estudos ensino superior (estabelecimento de protocolos com algumas universidades e institutos politécnicos).
  • 18. Cursos de Especialização Tecnológica (CET) Entidades Formadoras estabelecimentos de ensino superior públicos, particulares e cooperativos, Centros de Formação Profissional de gestão directa ou participada do IEFP, Escolas Tecnológicas e outras instituições de formação acreditadas; estabelecimentos de ensino público, particulares e cooperativos com autonomia ou paralelismo pedagógico que ministrem cursos de nível secundário de educação.
  • 19. O Catálogo Nacional de Qualificações e as modalidades de educação e formação de adultos Cursos EFA e Formações Modulares
  • 20. O CNQ e a educação e formação de adultos » os cursos EFA e as Formações Modulares « Catálogo Nacional de Qualificações Cursos EFA Formações Modulares Certificação
  • 21. O Catálogo Nacional de Qualificações Integra o Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) www.catalogo.anq.gov.pt Garante a articulação com o Quadro Europeu de Qualificações (QEQ) e com o Sistema Europeu de Créditos para a Educação e Formação Profissional (ECVET)
  • 22. O Catálogo Nacional de Qualificações É um instrumento dinâmico de gestão estratégica das www.catalogo.anq.gov.pt qualificações de nível não superior Integra, num único instrumento referenciais associados à definição e obtenção de qualificações, definindo para cada uma: Um perfil profissional Um referencial de formação Um referencial de reconhecimento, validação e certificação de competências
  • 23. O Catálogo Nacional de Qualificações Promove o acesso à qualificação escolar e www.catalogo.anq.gov.pt profissional Garante a flexibilidade na construção da qualificação Promove a eficácia do financiamento público da educação e formação
  • 24. O Catálogo Nacional de Qualificações Integra, actualmente: www.catalogo.anq.gov.pt • 240 qualificações 50% nível 2 de formação (9º ano de escolaridade) 45% nível 3 (12º ano de escolaridade) 5% nível 4 (pós-secundário) • distribuídas por 37 áreas de educação e formação (Classificação de Áreas de Educação e Formação – Portaria 256/2005, de 16 de Março)
  • 25. O Catálogo Nacional de Qualificações Define para cada Qualificação: Referencial www.catalogo.anq.gov.pt Perfil Referencial de Formação de dupla de Profissional certificação RVCC Perfil de saída Missão Base Tecnológica (escolar) (profissional) Organização do referencial: Actividades Componente de Formação de Competências Base (escolar) e Tecnológica (profissional) Unidades de -Saberes Unidades de competência -Saberes fazer Competência -Tarefas Desenvolvimento das UFCD -Saberes sociais -Conhecimentos e e relacionais Critérios de evidência saberes Sugestão de recursos didácticos
  • 26. O Catálogo Nacional de Qualificações O referencial de formação do CNQ: www.catalogo.anq.gov.pt Componente de formação de base CURSOS EFA UFCD UFCD UFCD … RVCC UFCD UFCD UFCD … Escolar UFCD UFCD UFCD … Componente de formação tecnológica UFCD UFCD UFCD … UFCD UFCD UFCD … RVCC UFCD UFCD UFCD … Profissional FORMAÇÃO Formação prática em contexto de trabalho MODULAR
  • 27. Cursos EFA Destinatários EFA Secundário EFA Básico Diurno ou Pós-laboral tempo integral >= 18 anos >= 23 anos >= 18 anos Podem ser integrados em EFA formando com menos de 18 anos, a título excepcional, desde que comprovadamente inseridos no mercado de trabalho e aprovados pelo organismo competente para a autorização de funcionamento do EFA Entende-se por formação a tempo integral aquela que é desenvolvida em período equivalente à duração diária de trabalho prestado, correspondente para este efeito a 7 horas/dia. Um adulto, com idade inferior a 23 anos, desde que encaminhado do Centro Novas Oportunidades, com certificação parcial (NS), pode integrar um curso EFA NS diurno, para efeitos de conclusão da respectiva qualificação.
  • 28. Cursos EFA (NB/N1 e NB/N2) Componentes da formação Percurso Condições mínimas Aprender com Formação Formação TOTAL formativo de acesso autonomia de base tecnológica Cursos EFA de nível básico e nível 1 de formação Cursos EFA- Nível Básico e < 1.º ciclo do ensino 40 400 350 790 B1 Níveis 1 e 2 de Formação básico 40 450 350 840 B2 1.º ciclo do ensino básico < 1.º ciclo do ensino 40 850 350 1.240 B1+ 2 básico Cursos EFA de nível básico e nível 2 de formação 40 900 1.000 1.940 B3 2º ciclo do ensino básico 40 1.350 1.000 2.390 B2+3 1.º ciclo do ensino básico Percurso 40 1.350 1.000 --------- flexível a partir < 1.º ciclo do ensino de processo básico RVCC
  • 29. Cursos EFA (NS/HB) Componentes da formação Cursos EFA - Nível Secundário Condições mínimas Percurso formativo TOTAL de Acesso Formação de base PRA e de habilitação escolar S - Tipo A 9º ano 1.100 50 1.150 S - Tipo B 10º ano 600 25 625 S - Tipo C 11º ano 300 15 315 Percurso flexível a < ou = 9º ano 1.100 50 ------- partir de processo RVCC
  • 30. Cursos EFA (NS/N3) Componentes da formação Cursos EFA - Nível Secundário e Condições Formação Percurso formativo mínimas de Formação Formação TOTAL Prática em PRA Acesso de base tecnológica contexto de trabalho Nível 3 de Formação S3 - Tipo A 9º ano 550 1.200 210 85 2.045 S3 - Tipo B 10º ano 200 1.200 210 70 1.680 S3 - Tipo C 11º ano 100 1.200 210 65 1.575 Percurso flexível a < ou = 9º ano 550 1.200 210 85 -------- partir de processo RVCC
  • 31. Cursos EFA (NS) PERCURSO CURSOS CONDIÇÔES DE TRANSIÇÃO EFA Acesso aos percursos Tipo B e Tipo C Percursos formativos Do 1º para o 2º ano do ciclo de estudos. Tipo B organizados por 3 anos de Do 2º para o 3º ano do ciclo de estudos. Tipo C Planos de escolaridade estudo Conclusão de pelo menos 1/3 da totalidade das unidades que constituem o Ensino secundário Tipo B anteriores curso recorrente por unidades / Cursos EFA - Nível Secundário ao Decreto- Conclusão de pelo menos 2/3 da totalidade das unidades que constituem o blocos capitalizáveis Tipo C Lei n.º curso 74/2004, de Conclusão com aproveitamento de um conjunto de módulos que perfaçam, 26 de Março Tipo B pelo menos, 1/3 da carga horária total prevista para o curso Cursos profissionais Conclusão com aproveitamento um conjunto de módulos que perfaçam, pelo Tipo C menos, 2/3 da carga horária total prevista para o curso Científico-humanísticos Do 1º para o 2º ano, nos termos do respectivo regime de avaliação das Tipo B (regulares), tecnológicos aprendizagens ou artísticos especializados no domínio das artes Do 2º para o 3º ano, nos termos do respectivo regime de avaliação das Tipo C visuais e dos audiovisuais aprendizagens Realização de todos os módulos de todas as disciplinas previstas para o 1º Ensino secundário Tipo B ano do ciclo de estudos, ou de todas menos duas Planos de recorrente e/ou cursos estudos profissionais Realização de todos os módulos de todas as disciplinas previstas para o 1º e Tipo C actuais o 2º anos do ciclo de estudos, ou de todas menos duas Conclusão de percursos que constituem condição de acesso aos cursos de educação e formação que conferem certificação de nível secundário com um Tipo B ciclo de formação superior a um ano Educação e formação Realização de todos os módulos de todas as disciplinas que integram o 1º ano do ciclo de estudos dos cursos de educação e formação que conferem Tipo C certificação de nível secundário com um ciclo de formação superior a um ano ou de todas menos duas Do 1º para o 2º período de formação Tipo B Cursos de aprendizagem Do 2º para o 3º período de formação Tipo C
  • 32. Formações Modulares Capitalizáveis para a obtenção de uma qualificação prevista no Catálogo Nacional de Qualificações Permitem a criação de percursos flexíveis de duração variada
  • 33. Formações Modulares Organização dos percursos modulares Percursos <= 600 horas A duração de um curso de formação modular pode variar entre 25 e 600 horas Referenciais do CNQ Formação ou Formação ou Ambas UFCD de Base Tecnológica
  • 34. Formações Modulares Destinatários Adultos com idade >= 18 anos Excepcionalmente: Podem ser integrados em formações modulares, formandos com menos de 18 anos, desde que comprovadamente inseridos no mercado de trabalho ou inseridos em centros educativos.
  • 35. Formações Modulares Acesso UFCD integradas em UFCD integradas em UFCD integradas em percursos de percursos de percursos de nível básico nível secundário nível pós-secundário Prioritariamente adultos com Apenas adultos com O acesso, organização, gestão, níveis de habilitação escolar habilitação escolar de, funcionamento, avaliação e inferiores ao 3º ciclo do pelo menos, o 3º ciclo do certificação destes percursos, ensino básico ensino básico são reguladas no âmbito da legislação aplicável aos cursos de especialização tecnológica
  • 36. Formações Modulares Condições de acesso As habilitações escolares exigidas para desenvolver uma UFCD comum a dois referenciais com percursos de nível diferente devem ser as mínimas; por exemplo, para UFCD comuns a percursos de nível básico e secundário, deve ser considerada a condição de acesso de nível básico. O acesso a UFCD inseridas em percursos de nível secundário exige uma habilitação escolar de, pelo menos, o 3º ciclo do ensino básico, o que não inibe o acesso a indivíduos com habilitação superior. É possível uma entidade ministrar um curso de formação modular integrando UFCD de percursos de nível básico e secundário. Nesse caso, deve ser considerada a condição de acesso definida para as UFCD integradas num percurso de nível secundário.
  • 37. Certificação Certificado de Qualificações • Conclusão com aproveitamento de um curso EFA • Conclusão com aproveitamento de uma ou mais Cursos EFA unidades de competências (UC) ou de unidades de formação de curta duração (UFCD) de um curso EFA, mas que não permitem a conclusão do mesmo • Conclusão com aproveitamento de uma acção de Formações formação modular (discrimina todas as UFCD Modulares concluídas com aproveitamento)
  • 38. Certificação Diploma • Conclusão com aproveitamento de um curso EFA de dupla certificação Cursos EFA • Conclusão com aproveitamento de um curso EFA que permita a conclusão do ensino básico ou do ensino secundário Formações • Conclusão com aproveitamento de uma formação Modulares modular que permita a obtenção de uma qualificação constante no CNQ
  • 39. Vias de conclusão do ensino secundário Decreto-Lei nº 357/2007
  • 40. Vias de conclusão do secundário Objectivo? A quem se destina? Vias de Conclusão do Nível Secundário de Educação Que Como se entidades? operacionaliza?
  • 41. Objectivo Criar uma resposta de conclusão e certificação adaptada a indivíduos com idade igual ou superior a 18 anos com percursos de ensino secundário incompletos, reforçando: a flexibilidade das soluções a sua acessibilidade
  • 42. A quem se destina: A todos os candidatos que frequentaram cursos do ensino secundário com planos de estudo já extintos (desde 1967) ou em processo de extinção A todos os candidatos que pretendam concluir os seus cursos, completando as disciplinas em falta, até um máximo de seis disciplinas/ano com classificação inferior a 10 valores
  • 43. Entidades associadas As entidades associadas à aplicação deste diploma são: Centros Novas Oportunidades Escolas públicas e privadas com cursos do ensino secundário Entidades formadoras que promovam Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) relativas aos referenciais de formação de nível secundário, inscritos no Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ)
  • 44. Procedimentos Diagnóstico e Centros Novas Escolas Encaminhamento Oportunidades • Escolas com ensino secundário Respostas • Centros de Formação (com Centro Novas Oportunidades) • Escolas e entidades que promovam UFCD relativas aos referenciais de educação de nível secundário, inscritos no Catálogo Nacional de Qualificações (CNQ) Certificação •Escolas •Entidades Formadoras
  • 45. Operacionalização Candidato O que pode fazer? O que obtém? Diploma escolar ou de Dupla Exame das disciplinas Certificação 1 dos actuais planos de estudos com menção ao curso (cursos científico-humanísticos de origem e com ou cursos profissionais) classificação final Limite máximo de seis disciplinas/ano em falta: Exame de qualquer das Diploma generalista de nível 6 anuais disciplinas da bolsa de disciplinas ou 2 dos actuais planos de estudos secundário com classificação 4 anuais + 1 bienal final, mas sem menção ao (constantes da Tabela I, Anexo B) curso de origem 3 anuais + 1 trienal 2 anuais + 2 bienais …. Módulos correspondentes aos Diploma de nível secundário 3 referenciais de formação sem classificação final ou inscritos no CNQ menção ao curso de origem
  • 46. Casos Tipo Um candidato apresenta-se a uma entidade com o registo Caso 1 biográfico, em que se identifica que frequentou o Curso Complementar Liceal ao abrigo do Decreto-Lei nº 47587/67, cujo plano de estudos é: 1º 2º Disciplina Complementar Complementar Exame Nota Final Português 8 8 8 8 Filosofia 13 13 10 12 Introdução à Política 14 14 Disp. 14 Ciências Naturais 13 13 13 13 Ciências Físico-Químicas 16 15 Disp. 16 Matemática 10 7 7 8 Educação Física 12 15 14
  • 47. Casos Tipo – Caso 1 Este candidato, para concluir o nível secundário de educação, tem de acrescer às disciplinas/ano em falta no Curso Complementar Liceal que frequentou, o plano curricular de um 12.º ano, porque desde 1980/81, a Portaria n.º 240/80, de 19 de Julho, instituiu o ensino secundário composto por 3 anos. Considerando a afinidade com o curso de origem, este candidato terá que fazer o 12º ano via ensino – 1º curso, constituído pelas disciplinas de: Matemática, Biologia e Química
  • 48. Casos Tipo – Caso 1 Quantas disciplinas/ano tem em falta? 6 disciplinas/ano em falta: Português – 1º complementar – 8 valores Português – 2º complementar – 8 valores Matemática - 2º complementar – 7 valores Matemática - 12º ano via ensino – s/classificação Biologia - 12º ano via ensino – s/classificação Química - 12º ano via ensino – s/classificação
  • 49. Casos Tipo – Caso 1 Quais as hipóteses de conclusão do ensino secundário? Como o curso de origem era vocacionado para o prosseguimento de estudos pode optar por: Conclusão e certificação de um curso prioritariamente orientado para o prosseguimento de estudos Conclusão e certificação generalista do nível secundário de educação Conclusão e certificação do nível secundário de educação através da realização UFCD dos referenciais de formação de nível secundário inscritos no CNQ.
  • 50. Casos Tipo – Caso 1 Qual a via de conclusão mais adequada? Encaminhamento em função de: • Expectativas •Tempo de afastamento da escola • Profissão/formações frequentadas • Certificação pretendida Exames a nível de escola ou nacionais (conforme opção do candidato) - Conclusão e certificação de um curso prioritariamente orientado para o prosseguimento de estudos
  • 51. Casos Tipo – Caso 1 Quais os exames a realizar? Componente de Componente de formação geral formação geral Português Português Tabela 1 – Anexo A – Decreto-lei n.º 357/2007
  • 52. Casos Tipo – Caso 1 Disciplinas/ano Disciplinas/ano da componente Área de Formação da componente de formação específica de formação específica dos Científico-Natural específica do actuais cursos curso de origem científico- humanísticos A(s) disciplina(s) escolhida(s) não podem ser homóloga(s) ou com os mesmos conteúdos de uma disciplina já concluída no curso de origem.
  • 53. Casos Tipo – Caso 1 2 anos de Matemática ou 1 disciplina bienal de entre a Economia A, ou a Geometria Matemática Descritiva A, por exemplo 2 anos em falta 2 Disciplinas Anuais: 2 disciplinas de entre a Biologia, a Física, a Química, a Geologia, a Psicologia B ou as Aplicação Informáticas B As Disciplinas Bienais: Biologia e Geologia e Física e Química A são homólogas e têm os mesmos conteúdos das disciplinas de Ciências Naturais e Ciências Físico-Químicas já concluídas. Não podem ser usadas na substituição
  • 54. Casos Tipo – Caso 1 Biologia – 1 ano em Disciplinas Anuais: Biologia, ou 1 de falta (Anual) entre a Física, a Química, a Geologia, a Psicologia B ou as Aplicações Informáticas B Química – 1 ano em Disciplinas Anuais: Química, ou 1 de falta (Anual) entre a Biologia, a Física, a Geologia, a Psicologia B ou as Aplicações Informáticas B O mesmo exame (Biologia) não pode ser usado para substituir duas disciplinas em falta (Biologia e Química)
  • 55. Conclusão e certificação generalista do nível secundário de educação Quais os exames a realizar? Português/Língua Portuguesa Português Componentes de Componentes formação: geral, de formação Tabela 1 específica, geral ou vocacional,… Anexo B específica A(s) disciplina(s)/ano escolhida(s) não podem ser homólogas nem abranger os mesmos conteúdos de uma disciplina/ano já concluída no curso de origem e desde que respeitado o número exacto de disciplinas/ano em falta.
  • 56. Assim, como o candidato tem 6 disciplinas/ano em falta, poderá fazer uma das seguintes opções: Português – 2 anos Geografia A – bienal Clássicos da Literatura - anual Ciência Política – anual OU Português – 2 anos Aplicações Informáticas B – anual Clássicos da Literatura – anual Direito – anual Economia C – anual
  • 57. Casos Tipo – Caso 2 Um candidato apresenta-se a uma entidade com o registo biográfico, em que se identifica que frequentou Curso complementar, Área D – Estudos Humanísticos (Despacho Normativo nº 135-A/79) e 12º ano via profissionalizante (Decreto-Lei n.º 240/80, de 19 de Julho e Portaria n.º 684/81, de 11 de Agosto, cujo plano de estudos é: Componentes Disciplinas 10º ano 11º ano Português 11 12 Filosofia 10 11 Geral L.E. I (Inglês) 10 10 Educação Física 12 12 História 9 9 L.E.II (Francês) 10 10 Específica Psicologia 15 ______ Sociologia _____ 10 Noções de Administração Pública 11 12 Vocacional Relações Públicas 13 12 Técnicas de Tradução ______ 11
  • 58. Casos Tipo – Caso 2 Curso de Administração Pública Ano: 12º Disciplinas Class. Língua Portuguesa 12 Administração Pública 7 Economia 8 Noções de Psicosociologia 12 Planificação e Orçamentologia 8 Noções de Direito económico e Social 7 Contabilidade Pública 9
  • 59. Quais as hipóteses de conclusão do ensino secundário? Como o curso de origem era vocacionado prioritariamente para a inserção na vida activa pode optar por: • Conclusão e certificação de um curso profissionalmente qualificante •Conclusão e certificação generalista do nível secundário de educação •Conclusão e certificação do nível secundário de educação através da realização de UFCD correspondentes aos referenciais de formação inscritos no CNQ
  • 60. Disciplinas/ano Disciplinas/ano Área de Formação da componente da componente 345 – Gestão e de formação de formação Administração específica do científica dos Tabelas II e III do curso de cursos Anexo A origem profissionais Disciplinas/ano Disciplinas da Área de Formação da componente componente de 345 – Gestão e de formação formação Administração técnica do técnica dos curso de cursos Tabelas II e III do origem profissionais Anexo A A(s) disciplina(s) escolhida(s) não podem ser homólogas nem abranger os mesmos conteúdos de uma disciplina já concluída no curso de origem
  • 61. Disciplinas ano em falta – 4 disciplinas/ano Componente de História – 10º ano formação História - 11º ano específica Escolhe duas entre: Componente de formação Técnica Administração Pública (3 disciplinas de carga Economia horária mais elevada 12º ano Planificação e Orçamentologia via profissionalizante) Noções de Direito Económico e Psicossociologia – já Social realizada Contabilidade Pública
  • 62. Casos Tipo – Caso 3 Disciplinas Unidades Português Capitalizou 13 unidades num total de 13 com nota final de 12 valores L.E.II (Inglês) Capitalizou 10 unidades num total de 10 com nota final de 10 valores Área Interdisciplinar Capitalizou 4 unidades num total de 6 com nota final de ------- Geografia Capitalizou 10 unidades num total de 14 com nota final de ----------- História Capitalizou 12 unidades num total de 12 com nota final de 14 valores Economia Capitalizou 15 unidades num total de 15 com nota final de 16 valores Psicologia Capitalizou 3 unidades num total de 9 com nota final de ------------ Qual o curso frequentado? Curso Geral do Ensino Secundário Recorrente Por unidades Capitalizáveis (Decreto-Lei nº 74/91)
  • 63. Casos Tipo – Caso 3 Quantas disciplinas ano em falta? 4 disciplinas/ano em falta: Área Interdisciplinar – 6:3= 2 1 Disciplina/ano Geografia – 14:3 = 4,6= 5 1 Disciplina/ano Psicologia – 9:3= 3 2 Disciplinas/ano
  • 64. Quais as UFCD a realizar? Disciplina/ano 50 horas de formação dos em falta referenciais de formação inscritos no CNQ 4 disciplinas/ano 200h de formação em falta Combinatória de UFCD da formação tecnológica ou da formação de base O Centro Novas Oportunidades apoia a identificação das UFCD necessárias para a conclusão da(s) disciplina(s) em falta a realizar em função do interesse e necessidade do candidato.
  • 65. Sites a consultar www.anq.gov.pt www.catalogo.anq.gov.pt www.novasoportunidades.gov.pt www.iefp.pt www.dges.mctes.pt
  • 66. Obrigada pela atenção! Contactos: Av. 24 de Julho, nº 138 1399-026 Lisboa Tel 213 943 700 Fax: 213 943 799 E-mail: anq@anq.gov.pt