O Portefoio no Curso Efa (Ns)

38,080 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
38,080
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,962
Actions
Shares
0
Downloads
700
Comments
0
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Portefoio no Curso Efa (Ns)

  1. 1. O Portefólio no Curso EFA (NS) EFA, 2008
  2. 2. O Portefólio: 3 definições… <ul><li>«O Portefólio é uma colecção organizada e devidamente planeada de trabalhos produzidos por [um aluno] ao longo de um determinado período de tempo, de forma a poder proporcionar uma visão tão alargada e detalhada quanto possível das diferentes componentes do seu desenvolvimento ( cognitivo, metacognitivo e afectivo).» </li></ul><ul><li>In: http://aulaportugues.no.sapo.pt/portefolio.htm </li></ul>
  3. 3. O Portefólio: 3 definições… (cont) <ul><li>«A área de portefólio reflexivo de aprendizagens é destinada a desenvolver nos adultos processos reflexivos e de aquisição de saberes e de competências. » </li></ul><ul><li>In: http://www.anq.gov.pt </li></ul>
  4. 4. O Portefólio: 3 definições… (cont) <ul><li>«É um conjunto de documentos (fotografias, trabalhos de pesquisa, textos escritos, desenhos, …), reunidos num dossiê, acompanhados de uma reflexão do autor e organizados tendo em conta os objectivos que se pretende atingir/desenvolver.» </li></ul><ul><li>In: http://www.apm.pt/ </li></ul>
  5. 5. E o que é o Portefólio EFA (NS)? <ul><li>Das três definições retiramos partes e construímos uma nova: </li></ul><ul><li>«O Portefólio é uma colecção organizada e devidamente planeada de trabalhos produzidos ao longo de um determinado período de tempo na área de portefólio reflexivo de aprendizagens destinada a desenvolver nos adultos processos reflexivos e de aquisição de saberes e de competências que pode/deve incluir documentos (fotografias, trabalhos de pesquisa, textos escritos, desenhos, …) acompanhados de uma reflexão do autor e organizados tendo em conta os objectivos que se pretende atingir/desenvolver» </li></ul>
  6. 6. Reflexão inicial. <ul><li>O número de horas destinadas à área de PRA pela publicação da portaria 230, não deixa grande possibilidade de um trabalho continuado pelo Mediador na construção do Portefólio com os formandos nos momentos destinados a esse efeito. Se a área de PRA tiver a frequência mensal, mais difícil se torna essa tarefa. Uma das estratégias passa pela delegação de competências nas equipas de formadores das áreas de competência-chave. </li></ul>
  7. 7. O Portefólio: Planificar é preciso! <ul><li>Para que o Portefólio tenha uma consistência estrutural é preciso planificar e clarificar o seu objectivo. No caso dos cursos EFA (NS) essa tarefa é feita por todos os elementos da equipa, mas pode ser tomada a cargo pelo Mediador que, com o adulto, cria um plano e um conjunto de objectivos para o desenvolvimento do Portefólio. Haverá neste instrumento três vertentes principais: </li></ul><ul><li>A) O registo de competências adquiridas ao longo da vida; </li></ul><ul><li>B) O registo de competências adquiridas em contexto de formação; </li></ul><ul><li>C) A ligação lógica e estruturada do Portefólio como produto final da mobilização das competências e como instrumento de avaliação, auto-análise e reflexão por parte do formando. </li></ul>
  8. 8. O Portefólio como caderno diário… <ul><li>Todas as actividades realizadas pelos formandos num curso EFA (NS) devem estar presentes/ilustradas no Portefólio. Mas este recurso pode e deve ser visto como uma estratégia de mobilização e aquisição de competências que passa pelos conhecimentos, capacidades e aptidões desenvolvidos ou desocultados em contexto de formação. Assim, o Portefólio pode ser visto como um caderno diário onde o formando regista, não só o resultado da aquisição de novas competências mas as estratégias, actividades e recursos utilizados para o conseguir. </li></ul>
  9. 9. O Portefólio: Retratos, filmes e vida… <ul><li>O Portefólio deve reflectir as competências que os formandos adquiriram ao longo da sua vida. Mas a sua essência é a de ser um instrumento de reflexão prospectiva e não só de análise dos adquiridos. Por isso, cabe ao Mediador, com o apoio das equipas de formadores, promover estratégias para a dinamização e criação de registos desses adquiridos estruturados numa lógica de reflexão consciente por parte do formando. Pode associar-se a esta estratégia o objectivo concreto do próprio Portefólio definido como: a forma de poder proporcionar uma visão, ao formando, tão alargada e detalhada quanto possível das diferentes componentes do seu desenvolvimento. </li></ul>
  10. 10. O Portefólio e a Reflexão. <ul><li>«A mais importante etapa do processo. Pode ocorrer em vários momentos. Por exemplo, sempre que é adicionada um novo trabalho ou sempre que o portefólio é revisto. Nesta etapa o aluno reflecte sobre cada uma das evidências que seleccionou para o seu portefólio, decide quais são as mais representativas dos seus progressos, das suas capacidades e competências, e que, como tal devem permanecer no portefólio enquanto outras devem sair. Esta reflexão pode ser auxiliada por registos desenvolvidos para o efeito.» </li></ul><ul><li>In: http://blogfolios.blogspot.com/ </li></ul>
  11. 11. O Portefólio e a Avaliação. <ul><li>  O Portefólio deve ser discutido entre o formando e os formadores/mediador. A avaliação pode passar pela capacidade de análise que o formando faz da sua evolução presente no documento sendo acompanhada pela análise e discussão com os objectivos propostos inicialmente e os objectivos e estrutura do referencial de competências-chave. Acima de tudo a troca de impressões entre a equipa e os formandos, muitas vezes cabendo ao mediador esse papel é fundamental para a regulação e avaliação do desempenho do formando no processo formativo do curso EFA (NS). </li></ul>
  12. 12. O Portefólio: A Estrutura. <ul><li>Tudo no Portefólio é negociável e negociado entre o formando e a equipa do curso EFA (NS), no entanto, após a negociação deve o formando respeitar os objectivos, estratégias e plano que definiu. Uma das orientações que pode ser dada ao formando é a da datação dos registos, assim como, do principio da continuidade/evolução e da globalidade que permita ver o documento final como um todo lógico e coerente. Deve ser ainda indicado ao formando que as áreas de competência devem estar indicadas para a fácil identificação e conhecimento da lógica sequencial do processo de formação. </li></ul>
  13. 13. O Portefólio EFA (NS): Não é… <ul><li>Não é… tão autobiográfico como o Portefólio do Processo RVCC. </li></ul><ul><li>Não é… fechado, nem tem conclusão prevista no contexto da formação. </li></ul><ul><li>Não é… ausente da lógica e actividades realizadas em contexto de formação. </li></ul><ul><li>Não é… um conjunto de fichas e registos isolados sem lógica interna assente na reflexão. </li></ul><ul><li>Não é… somente um instrumento para avaliação. </li></ul>
  14. 14. O Portefólio: Conclusões… <ul><li>O  portefólio dá conta do percurso de aquisição de competências do formando. </li></ul><ul><li>Os elementos a inserir são escolhidos em função das metas estipuladas. </li></ul><ul><li>Os elementos são escolhidos de acordo com critérios predeterminados e acordados entre os formandos, formadores e mediador. </li></ul><ul><li>Os elementos escolhidos representam, de forma clara, as competências adquiridas pelo formando tendo em conta a sua evolução ao longo da formação. </li></ul>
  15. 15. O Portefólio: Conclusões… <ul><li>Os elementos são escolhidos, de modo regular, a partir de situações significativas de aprendizagem e reflexão. </li></ul><ul><li>O formando faz reflexões e estabelece objectivos, desafios e estratégias registando-os também no Portefólio. </li></ul><ul><li>Os elementos escolhidos são sempre datados. </li></ul><ul><li>Há uma ligação entre os diferentes trabalhos/actividades/registos. A reflexão sobre desafios estabelecidos previamente é obrigatória. </li></ul>
  16. 16. O Portefólio: Conclusões… <ul><li>O portefólio é um documento de avaliação em constante reformulação. </li></ul><ul><li>O portefólio do formando pode ser visto como uma colecção significativa das actividades do seu autor que ilustram os seus esforços, os seus progressos e as suas realizações num ou em diferentes domínios. </li></ul><ul><li>O portefólio deve incluir registo de competências adquiridas ao longo da vida. </li></ul><ul><li>Adaptado de: Portefólio  Uma escola de competências &quot;; Carla Bernardes e Filipa Bizarro Miranda - Porto Editora </li></ul>
  17. 17. FIM

×