A evolução do hominídeo
Como surgiram os hominídeos  <ul><li>Símios (primatas): Os símios ou primatas surgiram à cerca de 6 milhões de anos a.C. E...
Austrolopiteco <ul><li>Em 1924, ao ser dinamitada uma pedreira em Taung, na África do Sul, encontrou-se por acaso um peque...
Homo Habilis <ul><li>Em 1960 descobriram-se em Olduvai Gorge, na Tanzânia, uma mandíbula infantil com os parietais, uma cl...
Homo Erectus <ul><li>Em consonância com as teorias de Darwin, o naturalista alemão Ernst Haeckel já afirmava que certament...
Homo Sapiens <ul><li>Em 1856 descobriu-se, perto da aldeia alemã de Neandertal, um crânio de aspecto simiesco, mas com cap...
<ul><li>Este trabalho foi realizado por: </li></ul><ul><li>André Domingos </li></ul><ul><li>Lucas Godinho  </li></ul><ul><...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

ApresentaçãO12

1,468

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,468
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
20
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

ApresentaçãO12

  1. 2. A evolução do hominídeo
  2. 3. Como surgiram os hominídeos <ul><li>Símios (primatas): Os símios ou primatas surgiram à cerca de 6 milhões de anos a.C. Estes habitavam nas florestas tropicais, onde comiam alimentos em abundância. Devido as alterações climáticas a paisagem transformou-se; o clima tornou-se mais seco e a floresta de lugar à savana. Tiveram de se adaptar a novas condições do meio adquirindo a verticalidade e a bipedia. </li></ul>
  3. 4. Austrolopiteco <ul><li>Em 1924, ao ser dinamitada uma pedreira em Taung, na África do Sul, encontrou-se por acaso um pequeno crânio com alguns traços de chimpanzé, embora prevalecessem outras características que apontavam uma clara linha de hominização. Este fóssil, o Australopithecus africanus , conhecido como Baby Dart, em virtude dos estudos que lhe dedicou o paleontólogo inglês Raymond Arthur Dart, carecia da viseira frontal própria dos macacos antropóides, tinha uma capacidade craniana de 500cm3 (que, na idade adulta, teriam chegado a 600 ou 700cm3) e uma dentadura com apenas dois caracteres gorilóides, nenhum próprio do chimpanzé e vinte comuns com o homem. </li></ul>
  4. 5. Homo Habilis <ul><li>Em 1960 descobriram-se em Olduvai Gorge, na Tanzânia, uma mandíbula infantil com os parietais, uma clavícula e alguns ossos da mão e do pé, rodeados por objectos de pedra. Embora tais restos estivessem a nível do solo inferior ao dos fósseis do Australopithecus robustus , os seus traços anatómicos levaram à sua classificação dentro de uma nova espécie, mais evoluída: a do Homo habilis , assim denominado em 1964 por L. S. B. Leakey. Os espécimes mais recentes de H. habilis têm aproximadamente dois milhões de anos. </li></ul>
  5. 6. Homo Erectus <ul><li>Em consonância com as teorias de Darwin, o naturalista alemão Ernst Haeckel já afirmava que certamente existiria um ser metade macaco (pithecos) e metade homem (anthropos). Em 1891, o cientista holandês Eugène Dubois procurou e achou em Trinil, na ilha de Java, o tipo que denominou Pithecanthropus erectus . Era um ser totalmente bípede, com capacidade craniana de 900 cm3, quase o dobro da de seu ancestral, o Australopithecus , mas com a fronte, as órbitas e as mandíbulas semelhantes às dos macacos antropóides. A antiga denominação, que compreendia também o chamado homem de Pequim, foi substituída pela de H. erectus . </li></ul><ul><li>       Mais tarde localizaram-se outros fósseis semelhantes a este na Europa ( homem de Heidelberg ) e na África ( Atlanthropus ). Tais variedades da espécie genericamente H. erectus tiveram, segundo as diversas hipóteses paleontológicas, um período de duração variável, entre 1,6 milhão a 130.000 anos atrás. </li></ul>
  6. 7. Homo Sapiens <ul><li>Em 1856 descobriu-se, perto da aldeia alemã de Neandertal, um crânio de aspecto simiesco, mas com capacidade cerebral de 1.600 a 2.000cm3. Classificou-se o achado como a transição para uma espécie mais evoluída, o Homo sapiens , de que o exemplar da Alemanha constituiu a subespécie Homo sapiens neandertalensis . Eram indivíduos de caixa craniana e rosto grandes, que teriam vivido no sul e no centro da Europa, assim como no Oriente Médio, entre 100.000 e 35.000 anos atrás. Supõe-se que o desaparecimento do homem de Neandertal resultou do predomínio da outra subespécie, o homem de Cro-Magnon , que procedia do Oriente. </li></ul><ul><li>Os primeiros fósseis de Cro-Magnon (localidade do sul da França) têm cerca de 32.000 anos, mas é provável que tenham penetrado na Europa antes dessa data. Outra hipótese atribui a extinção do homem de Neandertal ao cruzamento entre as duas subespécies. Os dois tipos de esqueletos foram encontrados, praticamente juntos, no monte Carmelo, em Israel. </li></ul><ul><li>       O pleistoceno, que abrange o último 1,6 milhão de anos, caracterizou-se pelas cinco glaciações sucessivas que ocorreram sobre a Terra, intercaladas por quatro intervalos mais brandos. O homem actual, frágil e de corpo relativamente desprotegido, apareceu entre as duas últimas glaciações. Nas suas deficiências físicas encontrou o desafio que o seu grande cérebro enfrentou com êxito: aperfeiçoou a protecção contra as dificuldades e ameaças da natureza e inventou instrumentos para, de diversas maneiras, dominar o ambiente e diversificar suas condições de vida. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Este trabalho foi realizado por: </li></ul><ul><li>André Domingos </li></ul><ul><li>Lucas Godinho </li></ul><ul><li>7º B </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×