UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS-UNISINOS                       UNIDADE ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO                       ...
AutismoEtimologia:• Grego AUTO-, “referente a si mesmo”, mais o  sufixo -ISMOS, indicando ação ou estado.
Abertura Autismo        animeautismo.exe   www.autismo.com.br
Slides do Autismo
Síndrome de AspergerHANS ASPERGER, um psiquiatra e pediatra austríaco.Asperger publicou a primeira definição da síndrome,e...
Asperger• Foi    reconhecida      como      patologia   e  denominada Síndrome de Asperger em 1981• Em 1994, foi incluída ...
Descrição clínica• A Síndrome de Asperger é um distúrbio do  espectro do autismo, que só foi reconhecido  em 1984. Por ess...
ASPERGER-CID (Classificação Internacional de                Doenças-10)• Um transtorno de validade nosológica incerta,  ca...
Diagnóstico• Baseia-se na combinação de uma falta de  qualquer atraso global clinicamente significativo  no desenvolviment...
Características• As características essenciais do Transtorno de Asperger são  um prejuízo severo e persistente na interaçã...
Entrevista com a professora de C. (8 anos)    Fale-me um pouco sobre as aprendizagens de C. , maneira de agir e etc...•   ...
Entrevista com C. (8 anos)• O QUE TU GOSTA DE FAZER?“CANTAR A MÚSICA DA SHAKIRA”• O QUE TE DEIXA FELIZ?“QUANDO EU VEJO OS ...
Ação Pedagógica• Quando necessário explicar metáforas ou palavras de duplo sentido  (interpreta literalmente o que é dito)...
Vídeo•   Mary e Max – Síndrome de Asperger                Mary e M ax - Síndrome de A sperger.mp4
Síndrome de Rett• Foi descrita pela primeira vez em 1966, por  Andreas Rett (Austríaco), numa publicação  médica alemã.
O que é a síndrome de Rett?• A Síndrome de Rett é uma anomalia genética  que causa desordens de ordem neurológica,  acomet...
Descrição Clínica• Do ponto de vista clínico, a Síndrome de Rett  pode ser organizada em quatro etapas, de  acordo com Mer...
Transtornos Globais do            Desenvolvimento• Estagnação precoce: dos 6 aos 18 meses,  caracterizando-se pela estagna...
• Entre o primeiro e o terceiro ano de vida, com  regressão psicomotora, choro imotivado,  irritabilidade, perda da fala a...
Pseudoestacionária• Entre os dois e dez anos de idade, podendo  haver certa melhora de alguns dos sintomas  como, por exem...
• Deterioração motora tardia.• Inicia-se em torno dos dez anos de idade, com  desvio cognitivo grave e lenta progressão de...
• Mesmo com a identificação do gene, os  mecanismos envolvidos na Síndrome de Rett  ainda      são   desconhecidos.   Redu...
Características Pedagógicas• Como lidar com essas crianças na escola?• É preciso criar estratégias para que as  crianças c...
• A escola deve ser um espaço acessível, já que  muitas crianças com essa síndrome necessitam  de equipamentos para caminh...
Vídeo• Síndrome de Rett       Síndrome de Rett.mp4
VÍDEO FINAL
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS•   <http://www.google.com.br/imgres?q=s%C3%ADndrome+de+rett+INFANTIL+DESENHO&um=1&hl=pt-    BR&...
• http://edif.blogs.sapo.pt/43281.html• portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&ta  sk...• http://revistaescola.abri...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Inclusao e educacao

1,890
-1

Published on

Trabalho Inclusão e Educação

Published in: Education
2 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Envie-me uma foto se for possível; muito grato!!!!!!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Sou aluno formando do curso de pedagogia, no IFESP, Natal-RN, gostaria que me informasse esse mistério sobre o nome da professora Betina S. (ese de quê) por gentileza!!, já pesquisei, muitas páginas mas nada do nome completo da Professora Betina, estamos estudando um artigo do material dela A língua de sinais na escola inclusiva, por favor, desvende esse mistério por favor!!!!!!!!

    Gregory III
    gregori.3@hotmail.com_
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
1,890
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
48
Comments
2
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Inclusao e educacao

  1. 1. UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS-UNISINOS UNIDADE ACADÊMICA DE GRADUAÇÃO PEDAGOGIA INCLUSÃO E EDUCAÇÃOACADÊMICAS:ALINE B. LUNKESGREICE R. DA SILVAJÉSSICA BOSCAINILIAMARA R. CARVALHOROSÂNGELA MORSCHELPROFESSORA : BETINA S.GUEDES
  2. 2. AutismoEtimologia:• Grego AUTO-, “referente a si mesmo”, mais o sufixo -ISMOS, indicando ação ou estado.
  3. 3. Abertura Autismo animeautismo.exe www.autismo.com.br
  4. 4. Slides do Autismo
  5. 5. Síndrome de AspergerHANS ASPERGER, um psiquiatra e pediatra austríaco.Asperger publicou a primeira definição da síndrome,em 1944, em um artigo sob o título "psicopatiaautista, uma desordem de personalidade. Eleidentificou um padrão de comportamento ehabilidades peculiares, principalmente em meninos.O padrão incluía: "falta de empatia, capacidadereduzida para relacionamentos sociais e conversas,comportamento solitário, profunda ligação cominteresses especiais e movimentos desajeitados“.
  6. 6. Asperger• Foi reconhecida como patologia e denominada Síndrome de Asperger em 1981• Em 1994, foi incluída na Classificação Internacional de Doenças (CID.10), pela OMS• Está classificada sob o registro número F84.5 – Síndrome de Asperger
  7. 7. Descrição clínica• A Síndrome de Asperger é um distúrbio do espectro do autismo, que só foi reconhecido em 1984. Por esse motivo, as pessoas que desenvolveram a doença antes desta data, eram vistas como esquizofrênicas, depressivas ou doentes mentais.
  8. 8. ASPERGER-CID (Classificação Internacional de Doenças-10)• Um transtorno de validade nosológica incerta, caracterizado pelo mesmo tipo de anormalidades qualitativas de interação social recíproca que tipifica o autismo, junto com um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. O transtorno difere do autismo primariamente por não haver nenhum atraso ou retardo global no desenvolvimento cognitivo ou de linguagem. A maioria dos indivíduos é de inteligência global normal, mas é comum que seja marcadamente desajeitada; a condição ocorre predominantemente em meninos (em uma proporção de cerca de oito garotos para uma menina).
  9. 9. Diagnóstico• Baseia-se na combinação de uma falta de qualquer atraso global clinicamente significativo no desenvolvimento da linguagem ou cognitivo, como com o autismo, a presença de deficiências qualitativas na interação social recíproca e padrões de comportamento, interesses e atividades restritos, repetitivos e estereotipados. Pode haver ou não problemas de comunicação similares àqueles associados ao autismo, mas um retardo significativo de linguagem excluiria o diagnóstico.
  10. 10. Características• As características essenciais do Transtorno de Asperger são um prejuízo severo e persistente na interação social;• Contrastando com o Transtorno Autista, não existem atrasos clinicamente significativos na linguagem (isto é, palavras isoladas são usadas aos 2 anos, frases comunicativas são usadas aos 3 anos);• Os marcos motores podem apresentar atraso e uma falta de destreza motora em geral está presente;• Embora os dados disponíveis sejam limitados, parece existir uma frequência aumentada de Transtorno de Asperger entre os membros das famílias de indivíduos com o transtorno.
  11. 11. Entrevista com a professora de C. (8 anos) Fale-me um pouco sobre as aprendizagens de C. , maneira de agir e etc...• “Há momentos em que ela lê, mas diz não saber ler, houve um momento em que estava respondendo as agendas e ela escorou-se em minha mesa e leu bem baixinho o que eu estava escrevendo para o colega, me surpreendi, pois ela sempre afirma não saber ler, [...] de vez em quando ela faz isso, lê depois nega que leu”• “Já percebi que ela pensa e depois fala uma resposta que tu quer ouvir... Que te deixa contente, mas não age conforme falou”• “Ela têm dificuldades motoras, mas já esta bem melhor, depois que os médicos a diagnosticaram, a mãe dela conseguiu que a menina frequente uma psicomotricista”• “A tratamos como qualquer criança que frequenta esse ambiente, quando ela chegou aqui com 6 anos, ela pedia para que déssemos comida em sua boca, pedia ajuda para tudo (ir ao banheiro, abrir mochila, estojo, etc...), inclusive dizia que não podia fazer determinadas tarefas porque tinha uma válvula na cabeça (percebemos que esse era o discurso também da mãe e, que provavelmente faziam tudo para ela em casa por conta da válvula) [...] A ensinamos a ter mais autonomia, hoje ela come sozinha, vai ao banheiro com independência e quando ela pede ajuda a um colega, primeiro pedimos que ela tente fazer sozinha (ela sempre consegue fazer sozinha!), mas sempre tenta que alguém faça a tarefa pra ela”
  12. 12. Entrevista com C. (8 anos)• O QUE TU GOSTA DE FAZER?“CANTAR A MÚSICA DA SHAKIRA”• O QUE TE DEIXA FELIZ?“QUANDO EU VEJO OS MEUS AMIGOS”• O QUE TE DEIXA TRISTE?“QUANDO EU NÃO VEJO OS MEUS AMIGOS”
  13. 13. Ação Pedagógica• Quando necessário explicar metáforas ou palavras de duplo sentido (interpreta literalmente o que é dito);• Incentivar que procure auxílio quando estiver confuso e com dúvida;• Saber a rotina é importante, prepará-lo para qualquer mudança (calendários, programações);• Utilizar desenhos e histórias para ajudar a assimilar as mudanças;• Feedback pode ajudar;• Redução de tarefas, ter lugar mais na frente na sala;• Ajudar a fazer uma lista do que tiver que fazer e depois listas de verificação;• Computador pode auxiliar na tarefa escrita;• Sempre mostrar exemplos do que se pede;• Atividades de manutenção física;• Trabalhar também a turma;
  14. 14. Vídeo• Mary e Max – Síndrome de Asperger Mary e M ax - Síndrome de A sperger.mp4
  15. 15. Síndrome de Rett• Foi descrita pela primeira vez em 1966, por Andreas Rett (Austríaco), numa publicação médica alemã.
  16. 16. O que é a síndrome de Rett?• A Síndrome de Rett é uma anomalia genética que causa desordens de ordem neurológica, acometendo geralmente em crianças do sexo feminino. Compromete progressivamente as funções motoras, intelectual assim como os distúrbios de comportamento e dependência.
  17. 17. Descrição Clínica• Do ponto de vista clínico, a Síndrome de Rett pode ser organizada em quatro etapas, de acordo com Mercadante (2007):
  18. 18. Transtornos Globais do Desenvolvimento• Estagnação precoce: dos 6 aos 18 meses, caracterizando-se pela estagnação do desenvolvimento, desaceleração do crescimento do perímetro cefálico e tendência ao isolamento social.• Rapidamente destrutiva.
  19. 19. • Entre o primeiro e o terceiro ano de vida, com regressão psicomotora, choro imotivado, irritabilidade, perda da fala adquirida, comportamento autista e movimentos estereotipados das mãos. Podem ocorrer irregularidades respiratórias e epilepsia.
  20. 20. Pseudoestacionária• Entre os dois e dez anos de idade, podendo haver certa melhora de alguns dos sintomas como, por exemplo, o contato social. Presença de ataxia, apraxia, espasticidade, escoliose e bruxismo.• Episódios de perda de fôlego, aerofagia, expulsão forçada de ar e saliva.
  21. 21. • Deterioração motora tardia.• Inicia-se em torno dos dez anos de idade, com desvio cognitivo grave e lenta progressão de prejuízos motores, podendo necessitar de cadeira de rodas.
  22. 22. • Mesmo com a identificação do gene, os mecanismos envolvidos na Síndrome de Rett ainda são desconhecidos. Reduções significativas no lobo frontal, no núcleo caudato e no mesencéfalo têm sido descritas, havendo também algumas evidências de desenvolvimento sináptico.
  23. 23. Características Pedagógicas• Como lidar com essas crianças na escola?• É preciso criar estratégias para que as crianças com Síndrome de Rett possam aprender. O principal é estabelecer sistemas de comunicação que ajudem a criança - como placas com desenhos e palavras, para que ela possa indicar o que deseja.
  24. 24. • A escola deve ser um espaço acessível, já que muitas crianças com essa síndrome necessitam de equipamentos para caminhar.• O que é dito sobre suas condições de aprendizagem?• Respeitar o tempo de aprendizagem de cada criança e contar com a ajuda do Atendimento Educacional Especializado (AEE). Fazer ajustes nas atividades sempre que necessário e procurar apresentar os conteúdos de maneira bem visual, para facilitar a compreensão.
  25. 25. Vídeo• Síndrome de Rett Síndrome de Rett.mp4
  26. 26. VÍDEO FINAL
  27. 27. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS• <http://www.google.com.br/imgres?q=s%C3%ADndrome+de+rett+INFANTIL+DESENHO&um=1&hl=pt- BR&biw=1441&bih=678&tbm=isch&tbnid=tWURllHRJpLSsM:&imgrefurl=http://www.jornallivre.com.br/3 12272/autismo-infantil-e-sindrome-de- asperger.html&docid=TEIoNu2mp7kvaM&imgurl=http://www.jornallivre.com.br/images_enviadas/autism o-infantil-e-sindrome-de.jpg&w=285&h=285&ei=o9x8T4adB4uztwe- r5z8DA&zoom=1&iact=rc&dur=344&sig=115935493219296739777&page=3&tbnh=153&tbnw=153&start =44&ndsp=24&ved=1t:429,r:8,s:44,i:182&tx=107&ty=71>• <http://www.jornallivre.com.br/312272/autismo-infantil-e-sindrome-de-asperger.html>• <http://www.dicionarioinformal.com.br/autismo/>• <http://origemdapalavra.com.br/pergunta/autismo/>• <http://edif.blogs.sapo.pt/43281.html>• http://www.mundoasperger.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=27&Itemid=30>• http://inclusaobrasil.blogspot.com.br/2011/05/ensinando-o-aluno-com-sindrome-de.html
  28. 28. • http://edif.blogs.sapo.pt/43281.html• portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&ta sk...• http://revistaescola.abril.com.br/inclusao/educacao- especial/sindrome-rett-tgd-624925.shtml• Belisário Filho, José Ferreira. A educação Especial na Perspectiva da Inclusão Escolar: transtornos globais do desenvolvimento. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da Educação Especial; [Fortaleza]: Universidade Federal do Ceará, 2010. v.9.
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×