Litosfera e sua Dinâmicas

8,198 views
7,986 views

Published on

Published in: Education

Litosfera e sua Dinâmicas

  1. 1. LITOSFERA E SUA DINÂMICAS
  2. 2. ORIGEM DOS CONTINENTES <ul><li>Teoria da deriva </li></ul><ul><li>Placas tectônicas </li></ul>
  3. 3. ORIGEM DOS CONTINENTES <ul><ul><li>Resultado de um processo na fragmentação e no afastamento das terras emersas, a partir de um bloco único chamado PANGÉIA. </li></ul></ul><ul><ul><li>Duas teorias que se completam, procuram explicar as etapas desse processo. </li></ul></ul>
  4. 4. Deriva dos continentes <ul><ul><li>Defendida pelo geofísico alemão Alfred Wegener, em 1912. </li></ul></ul><ul><ul><li>Havia originalmente uma única massa continental, a Pangéia, cercada pelo um único oceano, o Pantalassa. </li></ul></ul><ul><ul><li>Na era Mesozóica, há cerca de 135 milho~es de anos teria começado a fragmentação. </li></ul></ul><ul><ul><li>Formou-se dois continentes:Laurásia, ao noret e Gondwana, ao sul. A partir daí foram se sucedendo até a configuração atual. </li></ul></ul>
  5. 5. Deriva dos continentes <ul><ul><li>Wegener não definiu as causas. Sugeriu o movimento de rotação da Terra e as marés. </li></ul></ul><ul><ul><li>As maiores evidências eram as identidades geológicas e de vida animal e vegetal entre os continentes. </li></ul></ul><ul><ul><li>Na comunidade científica da época poucos davam créditos às idéias de Wegener, acabando esquecida durante anos, voltando a ser considerada com o passar dos anos com os avanços tecnológicos. </li></ul></ul>
  6. 6. Deriva dos continentes <ul><ul><li>Durante a década de 60, geólogos americanos encontraram uma resposta para a causa da deriva. A respostas estava no fundo dos oceanos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Pois as rochas situadas no centro do assoalho submarino são mais recentes do que as das bordas, chegou a conclusão de que verdadeiras “esteiras rolantes” submarinas são responsáveis pelo movimento das placas tectônicas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ao longo das grandes cordilheiras submarinas(dorsais oceânicas), abrem-se fendas pôr onde passa o material magmático, que após se resfriar forma uma nova crosta, provocando a expansão do fundo do mar. </li></ul></ul>
  7. 7. Teoria das placas tectônicas <ul><ul><li>Resultado da teoria de Wegener e da descoberta da expansão do fundo do mar. </li></ul></ul><ul><ul><li>A crosta terrestre esta dividida em placas de espessura média de 150 km que flutuam sobre um substrato pastoso: a astensofera e sobre o magma. </li></ul></ul>
  8. 8. Teoria das placas tectônicas <ul><ul><li>É justamente na região de encontro entre uma placa e outra que ocorrem fenômenos e as conseqüentes modificações na crosta terrestre. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estas regiões estão sujeitas a vulcanismo e terremotos </li></ul></ul><ul><ul><li>As áreas mais estáveis localizam-se no interior das placas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Estes encontros não acontecem da mesma forma. </li></ul></ul>
  9. 9. DERIVA DOS CONTINENTES
  10. 10. AS PLACAS TECTÔNICAS
  11. 11. Principais placas tectônicas <ul><ul><li>Americana </li></ul></ul><ul><ul><li>Pacífico </li></ul></ul><ul><ul><li>Antártica </li></ul></ul><ul><ul><li>Indo-australiana </li></ul></ul><ul><ul><li>Euro-asiática </li></ul></ul><ul><ul><li>Africana </li></ul></ul>
  12. 12. As Placas
  13. 13. Áreas de encontro das placas <ul><li>● Convergência ou Zona de subducção </li></ul><ul><li>● Afastamento, limites divergentes ou cristas em expansão </li></ul><ul><li>● Deslizamento ou limites transformantes </li></ul>
  14. 14. Convergência ou Zona de subducção <ul><li>geralmente a crosta oceânica funde-se no manto e muitas vezes estas rochas fundidas abrem caminho até a superfície e formam vulcões. </li></ul>
  15. 15. Convergência de placas
  16. 16. Convergência de placas
  17. 17. Convergência de placas
  18. 18. Afastamento, limites divergentes ou cristas em expansão <ul><li>a fossa entre elas é preenchida por rochas liquefeitas do manto, no fundo do mar damos nome de cordilheiras submarinas e no continente vales de afundamento </li></ul>
  19. 19. Divergência de placas
  20. 20. ● Limites transformantes ou Neutros <ul><li>As placas deslizam podendo ocasionar terremotos </li></ul>
  21. 21. Limites transformantes
  22. 22. Limites transformantes
  23. 23. A ESTRUTURA DA TERRA (INTERIOR) <ul><ul><li>crosta: constituída de materiais mais leves </li></ul></ul><ul><ul><li>manto: camada intermediária </li></ul></ul><ul><ul><li>núcleo: formado pôr materiais mais densos. </li></ul></ul>
  24. 24. A ESTRUTURA DA TERRA(INTERIOR)
  25. 25. A ESTRUTURA DA TERRA(INTERIOR)
  26. 26. Crosta terrestre ou Litosfera <ul><ul><li>É dividida em crosta : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>continental </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>oceânica </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Abaixo da litosfera está a astenosfera, e abaixo encontramos a mesosfera. </li></ul></ul><ul><ul><li>Logo em seguida encontramos a endosfera (núcleo) formada pôr ferro e níquel. </li></ul></ul>
  27. 27. Crosta continental inferior(SIMA) <ul><ul><li>crosta continental inferior, com 30 a 35 km de espessura; nela predomina silício e magnésio (SIMA) </li></ul></ul>
  28. 28. Crosta continental superior(SIAL) <ul><ul><li>Crosta continental superior, com 15 a 25 km de espessura, formada principalmente pôr silício e alumínio (SIAL) </li></ul></ul>
  29. 29. A dinâmica Interna do Relevo <ul><li>Tectonismo: </li></ul><ul><li>Movimentos Epirogênicos </li></ul><ul><li>Movimentos Orogênicos) </li></ul>
  30. 30. Tectonismo <ul><li>Compreende a todos movimentos que deslocam e deformam as rochas que constituem a crosta terrestre.São causados por forças internas. O tectonismo se manifesta de duas maneira através da epirogênese e orogênese. </li></ul>
  31. 31. Movimentos Epirogênicos <ul><li>Epirogênicos - do grego épeiros = continente </li></ul><ul><li>São movimentos verticais que provocam abaixamento ou soerguimento da crosta terrestre. </li></ul><ul><li>Pode provocar o rebaixamento de litorais pelas invasões do mar (transgressão marítima) . </li></ul>
  32. 32. Movimentos Epirogênicos <ul><li>Ou o levantamento da costa pelo recuo dos oceanos (regressão marinha). </li></ul><ul><li>Pode também soerguer ou rebaixar os leitos dos rios, modificando seu trabalho erosivo. </li></ul><ul><li>Ocorrem em áreas relativamente mais estáveis. </li></ul>
  33. 33. Movimentos Orogênicos <ul><li>Orogênicos - do grego ôros = montanha </li></ul><ul><li>Resultado de movimentos verticais ou horizontais. São movimentos de pequena duração no tempo geológico, mas muito intenso </li></ul><ul><li>Como resultado deste movimento temos: dobras(dobramentos) e as falhas(falhamento) ou fraturas. </li></ul>
  34. 34. Faixa orogênicas ou dobramentos <ul><li>São movimentos originados pôr forças internas, que deram origem a cadeias de montanhas. Podemos distinguir de acordo com a era geológica. </li></ul><ul><li>Podem ser divididas em dobramentos antigos e modernos. </li></ul>
  35. 35. As Dobras <ul><li>Ocorrem se as rochas atingidas não oferecerem grande resistência às forças internas. </li></ul><ul><li>Os dobramentos ocorreram em diferentes eras geológicas (pré-cambriana e Cenozóica) </li></ul>
  36. 36. Orogênese
  37. 37. Dobramentos antigos <ul><li>Alguns datam do pré-cambriano, período Arqueozóico, exemplo serra do Mar e Mantiqueira, no Brasil. </li></ul><ul><li>Outros datam do período Proterozóico, dando origem à chapada Dimantina, na Bahia e a serra do Espinhaço em Minas Gerais. </li></ul>
  38. 38. Dobramentos Modernos <ul><li>Ocorreram na Era Cenozóica no terciário e deram origem às altas cadeias de montanha da terra - Himalaia, Alpes, Andes. </li></ul>
  39. 39. Falhas ou Fraturas <ul><li>Ocorrem em áreas onde as rochas são rígidas e resistentes às forças internas e “quebram-se” em vez de dobrar. </li></ul><ul><li>Caracterizam-se pôr um desnível do terreno: uma parte elevada e outra rebaixada. </li></ul>
  40. 40. Vulcanismo <ul><li>Chamamos de vulcanismo os fatos e fenômenos geográficos relacionados com as atividades vulcânicas, através dos quais o magma do interior da Terra chega até a superfície. </li></ul>
  41. 41. Vulcanismo - Everest
  42. 42. Vulcanismo
  43. 43. Vulcanismo
  44. 44. Vulcanismo
  45. 45. O círculo de Fogo
  46. 46. O círculo de Fogo <ul><li>A maior parte dos vulcões se localiza ao longo ou próximo do limite de placas tectônicas.São os chamados vulcões de limite de placas. Porém alguns deles localizam-se no interior de uma placa, sendo pôr isto chamados de vulcões intraplacas, cujo exemplo mais conhecido é o arquipélago havaiano, situado no interior da placa do Pacífico. </li></ul>
  47. 47. O círculo de Fogo <ul><li>Temos vulcões tanto nos limites de divergência , como nos de convergência. </li></ul><ul><li>Nos limites divergência, geralmente nos fundo do mar, ocorrem quase 80% das manifestações vulcânicas da Terra. </li></ul>
  48. 48. Vulcanismo(Gêiseres) <ul><li>Manifestações vulcânicas secundárias </li></ul><ul><li>Expelem água quente no sentido vertical. </li></ul><ul><li>Seus jatos podem durar segundos ou semanas e atingir muitos metros de altura. </li></ul><ul><li>Seu funcionamento dependem da quantidade e da temperatura da água subterrânea. </li></ul>
  49. 49. Vulcanismo(Gêiseres) <ul><ul><li>Quando a temperatura da água se torna muito elevada, formam-se jatos de água no sentido vertical. A água expelida do interior da Terra se infiltra lateralmente no solo, é novamente aquecida e recomeça o ciclo das águas quentes. </li></ul></ul>
  50. 50. Vulcanismo(Gêiseres)
  51. 51. Vulcanismo(Gêiseres)
  52. 52. Vulcanismo(Gêiseres)
  53. 53. Vulcanismo(Fontes Termais) <ul><li>As águas atingem camadas mais profundas, tornando-se aquecidas. Quando aflora, com temperaturas elevadas, constitui uma fonte termal. </li></ul>
  54. 54. Vulcanismo(Fontes Termais) <ul><li>Caldas novas(GO) </li></ul>
  55. 55. Vulcanismo(Fontes Termais) <ul><li>Caldas Novas(GO) </li></ul>
  56. 56. Abalos Sísmicos ou Terremotos <ul><li>Uma das manifestações mais temidas e destruidoras dos movimentos da crosta terrestre. </li></ul><ul><li>Ocorrem quando as forças tectônicas atuam prolongadamente em áreas de rochas duras, elas provocam fraturas ou o deslocamento de camadas.Seu ma das camadas se mover horizontalmente ou verticalmente, serão produzidas ondas vibratórias que se espalham em várias direções, causando um terremoto. </li></ul>
  57. 57. Abalos Sísmicos ou Terremotos <ul><li>Portanto, o terremoto é produzido pôr acomodações geológicas de camadas internas da crosta ou pela movimentações das placas. </li></ul><ul><li>Em limites transformantes, onde não há convergência nem divergência de placas. Podemos citar como exemplo a falha de San Andreas , na Califórnia, EUA e a falha da Anatólia, na Turquia. </li></ul>
  58. 58. Terremotos
  59. 59. Abalos Sísmicos ou Terremotos <ul><li>O ponto onde o terremoto se origina recebe o nome de Centro ou Foco. </li></ul><ul><li>O ponto da superfície terrestre diretamente acima do centro é o Epicentro, onde o terremoto é sentido com maior intensidade. </li></ul><ul><li>O aparelho utilizado para medir a intensidade de um terremoto é o Sismógrafo, que segue a escala Richter - uma escala com 10 graus, cada um indicando uma intensidade 10 vezes maior que a anterior </li></ul>
  60. 60. Abalos Sísmicos ou Terremotos
  61. 61. Abalos Sísmicos ou Terremotos
  62. 62. Abalos Sísmicos ou Terremotos
  63. 63. Dinâmica Externa do Relevo Processo erosivo <ul><li>Intemperismo físico </li></ul><ul><li>Intemperismo químico </li></ul>
  64. 64. Intemperismo físico <ul><li>Conceito:primeiro passo no processo erosivo, ocorre principalmente devido a contração e dilatação das rochas provocadas pelas mudanças de temperatura.No frio as rochas contraem e no calor dilatam, este processo ao longo de vários anos provoca sua fratura. </li></ul>
  65. 65. Intemperismo químico <ul><li>Conceito:segundo passo no processo erosivo, após o intemperismo físico, ou seja, com a rocha fraturada, a penetração da água da chuva dissolvendo alguns minerais hidrossolúveis ocasiona a quebra das rochas. </li></ul>

×