A internet como comunicação política

  • 750 views
Uploaded on

Texto de Mauricio Guindani Romanini, jornalista, professor universitário e consultor em comunicação política

Texto de Mauricio Guindani Romanini, jornalista, professor universitário e consultor em comunicação política

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
750
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
11
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A internet como comunicação política1 ROMANINI, Mauricio Guindani Mestre em Comunicação Centro Universitário da Fundação Educacional Guaxupé, MG mgromanini@bol.com.brResumo: O paper aborda a internet como uma ferramenta estratégica de comunicaçãopolítica no âmbito local e regional. Mas, com as novas restrições impostas pelo TribunalSuperior Eleitoral (TSE), os candidatos procuram mídia alternativa. A cada eleição ainternet ganha mais espaço dentro do jogo político. O espaço virtual é um ótimo lugar derelacionamento diferenciado para candidatos e partidos, que buscam mídia alternativa emcampanhas políticas.Palavras-chaves: comunicação, política e internet.1 Grupo temático: Propaganda Política Digital e Audiovisuais (internet, rádio e TV)
  • 2. 1. Introdução2 No cenário contemporâneo mundial, brasileiro incluso, a política se faz midiatizada.No Brasil, são ações bem definidas e demarcadas: desde 1989, periodicamente realizam-seeleições em âmbito municipal, estadual e federal. A internet começa a ganhar força quando o assunto é política, especificamente, naépoca pré-eleitoral. A sociedade civil participa, discute e influencia – a classe maisintelectualizada ou a chamada classe A/B, com troca de e-mail, chat e vídeos, por enquanto. São cabos eleitorais virtuais que tentam através da persuasão convencer eleitores aintegrar a campanha de determinado candidato. Já, por ouro lado, são distribuídos centenasde e-mail, que faz o marketing político contrário, ou seja, lista com os nomes de candidatosenvolvidos em falcatruas, corrupção entre outros delitos. Muitas vezes, informaçõesverdadeiras, mas que em muitos casos são invenções. Os jornais, colunistas, partidos e candidatos disponibilizam páginas para orientadoro eleitor. Particularmente, os candidatos passam a usar com mais freqüência a rede parafazer comunicação política. Na eleição de 2006 a regra eleitoral mudou. Restringiu tradicionais técnicas demarketing político como: showmício, outdoor, camiseta, chaveiro, boné, canetas e outrosbrindes. Ainda, proibiu fixação de placas, estandartes, faixas e assemelhados em postes deiluminação pública e sinalização de tráfego, viadutos, passarelas, pontes, paradas de ônibuse outros equipamentos urbanos. Dessa forma, como os candidatos a Deputado Federal e Estadual conviveram com anova realidade?. Qual foi a saída encontrada?. Por conta disso, os nomes menos conhecidosou com pouca influencia dentro dos partidos encontram dificuldades ainda maiores. A pesquisa abordou a realidade de dois candidatos na eleição de 2006, no Estado deMinas Gerais. Particularmente, o estudo focou a cidade de Guaxupé. O município é umadas primeiras cidades após a divisa com o Estado de São Paulo. Foi analisada a comunicação política na internet de dois jovens candidatos. Oscritérios para a seleção foram: utilizar a www como estratégia de propaganda política e2 Este paper foi escrito em outubro de 2006.
  • 3. fazer campanha na cidade de Guaxupé. São eles: Jorge Batista Bento (Jorginho), do PartidoReedificação Nacional (Prona)3 e Gustavo Correa, do Partido da Frente Liberal (PFL)4. No aspecto metodológico foram duas abordagens. A primeira, uma pesquisaexploratória no site dos dois candidatos. Dentro da pesquisa social, o estudo exploratório,segundo GIL (1987), tem a finalidade de desenvolver, esclarecer e modificar conceitos eidéias. Num segundo momento foram realizadas entrevistas com os candidatos. Para ocandidato Gustavo Correa foi remetido, por e-mail, um questionário estruturado com seisperguntas. Já, com o candidato Jorginho foi realizada uma entrevista não-estruturada. Oencontro ocorreu na Câmara Municipal de Guaxupé, onde ele respondeu algumasperguntas. A entrevista estruturada na visão de BARROS (1990), são aquelas que trazem asquestões previamente formuladas. O entrevistado estabelece um roteiro prévio deperguntas; não há liberdade de alteração dos tópicos e nem se faz a inclusão de questões asituações.Já a entrevista não-estruturada, segundo BARROS (1990), o pesquisador através de umaconversa amigável com o entrevistado, busca da disponibilidade e do perfil dos cidadãos.Depois da crise política de 2005, partidos e políticos entraram em xeque de estrutura,funções e ações. 3. A cidade A cidade de Guaxupé está localizada no Sudoeste de Minas Gerais. Sua população éde aproximadamente 47 mil habitantes. São cerca de 36 mil eleitores. A economia ébaseada na atividade agrícola, principalmente, a produção de café. Em 1814, surge o "Caminho das Abelhas", significado indígena da palavraGuaxupé é a versão popular e mais aceita no município. Em 1837, foi celebrada a primeira3 O Prona não existe mais. Hoje, chama-se Partido Republicano (PR).4 O PFL não existe mais. Hoje, chama-se Partido Democrático (DEM).
  • 4. missa – ato que pode corresponder ou remeter a fundação de Guaxupé, na Fazenda NovaFloresta. Paulo Carneiro Bastos, Francisco Ribeiro do Valle, José Joaquim da Silva e otenente Antônio Querubim de Rezende são os nomes que os anais registram comofundadores de Guaxupé. A capela foi construída em 1839 e ao redor dela construíram-se asprimeiras casas. Inaugurada em 1904, a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, foi fatorprimordial para o desenvolvimento da cidade e toda a região. A produção agrícola podia serescoada pelos trilhos, além disso, o trem trazia o progresso. São mais 200 propriedades rurais que fez surgir a Cooperativa de Cafeicultores(Cooxupé), uma das maiores do mundo devido a estrutura que possui para atender o setor.Além da Cooxupé destaca-se a Exportadora de Café Guaxupé, que exporta o produto paravários países. Por tradição geográfica, Guaxupé possui na área de criação de gado bovino leiteiro,entretanto, no município se desenvolve também a criação de rebanhos suínos, eqüinos egalináceos. Guaxupé conta com industrias de médio e grande porte. Encontram-se instaladastambém cerca de mais de 150 pequenas indústrias que atendem a vários setores, tais como:laticínios, doces, pré-moldados de cimento, calçados (este lidera o setor, com cerca de 80estabelecimentos), munição, fios cirúrgicos, confecções, artesanatos diversos, cerâmica,móveis, torrefação de café, etc 4. Da bicicleta à realidade virtual O candidato a Deputado Estadual Jorge Batista Bento, Jorginho tem 25 anos, éestudante do curso de Direito. Jorginho foi engraxate, vendedor de jornais, balconista e aos19 anos quando ocupava a função de office-boy, candidatou-se para vereador. Com umacampanha sofrida, sem recursos e estrutura, pedindo votos de porta em porta conquistou aúltima vaga para a Câmara Municipal de Guaxupé, em 2000, tornando-se o vereador maisjovem do Brasil.
  • 5. A falta de dinheiro não o impediu de inovar. Candidato jovem ousou no marketingpolítico: saiu pelas ruas da cidade pedalando em cima de uma bicicleta personalizada. Alémdisso, distribuiu rosas para o eleitorado feminino. Em 2002, candidatou-se pela primeira vez a Deputado Estadual, não se elegeu. Em2004, tentou a reeleição como vereador e foi o candidato mais votado da cidade. Em 2006,tentou, novamente, uma vaga para Deputado Estadual, perdeu. Outra vez teve que driblar a falta de estrutura e pensar num caminho alternativo naeleição. Apoiado pela coligação Reconstruindo formado pelo Prona/PTC/PSDC, com oslogan: “Um político totalmente diferente. Um político da nova geração” apostou nainternet. Na Rede ficou conhecido como o “Jorginho d Orkut”, pois foi nas páginas dacomunidade Orkut – comunidade virtual surgida em 2004, que tem como objetivo de ajudarpessoas a criar novas amizades e manter relacionamento, que ficou conhecido e ganhoudestaque midiatico. São internautas que compartilham das mesmas idéias e opiniões. Na disputa de 2006, pela inovação e irreverência consegui pautar a chamada grandemídia: O Estado de S. Paulo e Revista Época e os jornais da cidade de Guaxupé e decidades vizinhas. Com a mensagem abaixo agradecia a visita a sua página na rede(www.jorginho56000.can.br) A força jovem Primeiramente gostaria de agradecer imensamente a todos os internautas que visitaram meu site para conhecer um pouco do meu trabalho político, minha vida e principalmente as propostas ao qual eu pretendo defender como Deputado Estadual pelo Estado de Minas Gerais. Gostaria de ressaltar que não se trata de promessas, pois não sou leviano de prometer algo que não depende apenas de mim para tornar-se realidade. A única coisa que posso prometer é empenho e dedicação de minha parte na luta pela concretização de meus projetos. Gostaria ainda de manifestar através deste depoimento que assim como muitos de vocês eu me sinto enojado e até envergonhado com a situação que se encontra a política brasileira. O
  • 6. grande problema não é a política, mas sim os “políticos”, ou melhor, grande parte deles que agem em benefício próprio e de forma corrompida e acabam manchando a imagem de toda classe, inclusive duma minoria que realmente luta e trabalha em prol dos direitos e interesses do cidadão. A política assim como a mentalidade dos brasileiros está mudando e o povo exige renovação. Para se ter uma idéia, a média de idade dos Deputados está entre 50/60 anos. Com um mundo globalizado, informatizado, o conceito de sua população também muda e na política não é diferente. Precisamos sim de novas lideranças, políticos com uma visão atualizada, precisamos de “sangue novo”. Este é o momento mais propício para a renovação da classe política. AGORA É A HORA DE DARMOS UMA OPORTUNIDADE PARA A NOVA GERAÇÃO POLÍTICA FORMADA EM SUA MAIORIA POR JOVENS. Gostaria de enfatizar que meu mandato será o mais transparente e participativo possível, onde principalmente através da Internet você terá contato direto comigo para pode cobrar, fiscalizar, sugerir idéias e projetos no momento que quiser. Até a vitória. !!! 56.000 é o Jorginho 4.1. (Re)pensar a estrutura Na internet a página do Prona (Partido da Reedificação da Ordem Nacional) ascores são verde e amarela. Na pagina do candidato5 as cores são totalmente diferentes: azule lilás. Dessa forma, fica evidente, mais uma vez, que não existe uniformidade dentro dopartido e nem a preocupação dos candidatos em respeitar as diretrizes básicas como seguirum padrão nacional. Embora de partido diferente e sem coligação, o candidato recebeu uma carta deapoio do governador Aécio Neves, candidato a reeleição – com enormes chances de ganhar,mas que não estava disponível na página na internet.5 www.jorginho56000.can.br
  • 7. Além disso, a estrutura do candidato é inexistente. Abaixo, a entrevista6 concedidapelo candidato onde comenta os pontos positivos e negativos de uma campanha virtual.1) A internet é uma boa mídia complementar à campanha? Sim, pois é necessário criatividade para compensar a falta de estrutura, a falta deapoio, a falta de dinheiro. Pelo lado positivo ela amplia sua presença e permite mantercontato rápido ou duradouro com pessoas. No aspecto negativo o programa que eu comprei – o candidato comprou umsoftware que manda e-mail automático, que não selecionava as pessoas, isto é, a pessoapodia fazer parte de mais de uma comunidade, dessa forma, ela iria receber mais de umavez minha propaganda eleitoral, o que para alguns torna-se inconveniente. É necessáriomuito cuidado na campanha virtual. Após a divulgação do resultado pelo TSE, cruzei alguns dados e descobri que ainternet agregou quase 1.400 votos. No total eu tive 16.400 votos. Em Guaxupé, quase10.000 votos.2) O senhor tem marqueteiro ou assessor de comunicação? Não. Sou eu mesmo que faço minhas campanhas. Por exemplo, eu escrevo a letrados meus jingles, depois peço para um estúdio gravar. Meu irmão ajuda na campanha ecuida do site. Minha aceitação nas comunidades era de 40% a 45%, ou seja, ampliei muitominha base de contato.3 ) É a primeira vez que utiliza a internet na propaganda política? Sim. Na internet a vantagens é expor suas idéias, apresentar suas propostas emostrar sua bandeira, divulgar seu ideal.4) Quem é o responsável pela página? Eu e meu irmão.6 Entrevista concedida ao autor na Câmara Municipal de Guaxupé, em 18/10/2006.
  • 8. 5) Como a pagina foi pensada? Era para divulgar minhas propostas e estreitar meu relacionamento com o eleitor emostrar a minha história.6 ) Quantas pessoas já visitaram a pagina? Minha comunidade no Orkut era maior que a do José Serra, do Aécio Neves sóperdia para a do Geraldo Alckmim, do Lula e da Heloisa Helena. Era a maior comunidadepara Deputado Estadual do Brasil, com 13 mil pessoas. Na última semana de campanha metade das minhas comunidades foram deletadaspelos gerenciadores do Orkut – algo semelhante aconteceu com a do José Serra. Acho quefoi porque estávamos fazendo propaganda política. Só a minha página recebeu mais de 42 mil acessos.5. O candidato bom de voto O Deputado Estadual Gustavo de Faria Dias Correa, 31 anos, concorre a reeleiçãopelo Partido da Frente Liberal (PFL). É bacharel em Direito. Foi assessor especial doGovernador Aécio Neves. O Slogan da campanha foi: “Realmente um mineiro que resolve! Novas idéias para minas continuar na frente” Eleito, em 2002, com 43.291, em sua primeira incursão na vida pública, agora, em2006, foi reeleito com 86.862. Sua candidatura fez parte da coligação PP/PTB/PFL/PSDB.No Sul de Minas obteve 13.878, isto é, 1,17% dos votos nominais da macroregião. O totaldo eleitorado da região é de 1.842.830. Em Guaxupé obteve 1.165 (5,40%) dos votos válidos. Em Guaranésia somou 618(7,48%), em Monte Santo de Minas teve 1.503 (16%) dos votos válidos.
  • 9. Segue, abaixo, a entrevista7 de Gustavo Correa, que fala da importância dos novosmeios de comunicação, explica sua estrutura de campanha e da adoção da internet comopropaganda política.1) A internet é uma boa mídia complementar à campanha? Acreditamos que sim. Funciona como um canal de apresentação das idéias docandidato. Ajuda, também na divulgação de sua rotina de campanha, com agenda deviagens e apoios conquistados. Além do site mantemos um Blog e uma página pessoal noOrkut, onde é possível trocar idéias com as pessoas e receber apoio de quem está maislonge.2) O senhor tem marqueteiro ou assessor de comunicação? Tenho uma agência de propaganda e um assessor de comunicação. A equipe ajudano desenvolvimento de toda a comunicação com eleitores e na criação e desenvolvimentodas peças gráficas, site, textos, anúncios, jornais, produção de fotos etc.. Tenho também um coordenador no comitê central, em Belo Horizonte, que tem umavisão ampla de toda a campanha e das relações estabelecidas em todo o Estado. Estecoordenador cuida, ainda, de despachos de material, grupos de rua, contratos com gráficas edemais fornecedores, além de sugerir ações e eventos que possam ser implantadas noandamento da campanha.3 ) É a primeira vez que utiliza a internet na propaganda política? Sim. Nosso site será aperfeiçoado depois da eleição. O trabalho pela internet não serestringe ao site, tem os contatos por e-mail , respostas aos eleitores e, como já disse, oBlog e o Orkut.4) Quem é o responsável pela página? Um jornalista que trabalha como Assessor de Comunicação.7 Entrevista concedida ao autor por e-mail, em 18/9/2006.
  • 10. 5) Como a pagina foi pensada? O site foi planejado para ser simples e levar as mensagens de forma rápida a quemse interessar. Damos destaque ao nome do candidato e número numa página de entrada Anavegação é feita de forma direta e com barra de rolagem. Fotos e textos são inseridosregularmente.6 ) Quantas pessoas já visitaram a pagina? Cerca de 1.500 acessos. Uma média de 50 por dia. 5.1. A Crítica Um aspecto passível de crítica na página do candidato8 foi a não colação de umacarta de apoio - recebida e amplamente divulgada nas propagandas eleitorais em jornais,pelo governador Aécio Neves candidato a reeleição – com enormes chances de ganhar narede. Pelo aspecto positivo destacou-se o ícone: Leia e assine meu livro de visitas. Noqual eleitores e admiradores do candidato podiam deixar recados de apoio, agradecimentos,comentar a campanha e sugerir temas etc.6. Conclusão A internet ou as novas tecnologias de comunicação, como o Orkut são viáveis comomídia alternativa de campanha, pois soma valor à disputa, mas deve ser pensada junto comtoda a estratégia de campanha. É necessário profissionalizar o gerenciamento da campanha contratandoprofissionais especializados para cada mídia, pois cada uma tem suas particularidades enecessidades.
  • 11. Nos dois casos analisados, por exemplo, ambos esqueceram de colocar na página acarta de apoio recebida pelo Governador Aécio Neves, ou seja, foi um erro grande. Éinteressante também manter uma identidade visual na página. A estrutura e o site do candidato Gustavo Correa é melhor, mais planejada e maisprofissional do que a página do Jorginho, que joga com criatividade, mas padece deprofissionalismo.7. Referência BibliográficaCASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Tad. Roneide Venancio Majer. São Paulo:Paz e Terra, 1999.BARROS, Aidil de Jesus de. Projetos de Pesquisa: propostas metodológicas. Petrópolis,RJ: Vozes, 1990.DIZARD, Wilson. A nova mídia: a comunicação de massa na era da informação.Tradução Antonio Queiroga e Edmond Jorge. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2000.DOMENACH. Jean-Marie. A Propaganda Política. São Paulo: Difel, 1963.LAZARSFELD, P. F.; BERELSON, B. e GAUDET, H. The peopless choice: how thevoter makes up his mind in a presidential campaign. 3ª ed. New York: ColumbiaUniversity Press, 1969 [1944].LÉVY, Pierre. O que é virtual. Tradução Paulo Neves. São Paulo: Editora 34, 1995.POSTMAN, Neil. Tecnopólio: a rendição da cultura à tecnologia. TraduçãoReinaldoGuarany. São Paulo: Nobel, 1994. 223 pQUEIROZ, Adolpho. A propaganda eleitoral via internet. In: INTERCOM - SociedadeBrasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. Manaus, 2000, p. 1 - 10.ROMANINI, Mauricio Guindani. A propaganda política no Brasil: um avanço na suaprodução. Anais do VII Simpósio Muldisciplinar: O que é ciência afinal?. São Paulo,Universidade São Judas Tadeu: Centro de Pesquisa, 2001, p. 96._________________________ A propaganda política na internet: os partidos emanharam-se na Rede. INTERCOM. Salvador/BA, 2002, p. 1-14.8 www.gustavocorrea25789.can.br
  • 12. _________________________ Internet: da propaganda política ao marketing eleitoral.Celacom. São Bernardo do Campo/SP, 2004, p. 1- 14._________________________ Marketing Político: a contra-hegeminia pela internet.INTERCOM. Porto Alegre/RS, 2004, p. 1-14_________________________ Marketing Político: o uso da internet em Ribeirão Preto. IVPoliticom: Rio Claro, 2005._________________________ O e-mail marketing como comunicação política. CongressoMultidisciplinar de Comunicação para o Desenvolvimento Regional. São Bernardo doCampo, 2006.RUBIM, Antonio Albino Canelas. Comunicação & Política. São Paulo: Hacker Editores,2000.SEPULVEDA, Ana João. Marketing Político na Internet. Centro Atlântico: Lisboa/PT,2000.