Your SlideShare is downloading. ×
Bases NeurobiolóGicas Do Autismo   2010
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Bases NeurobiolóGicas Do Autismo 2010

9,042

Published on

Autismo não é uma doença única, mas sim um distúrbio de desenvolvimento complexo, definido de um ponto de vista comportamental, com etiologias múltiplas e graus variados de severidade. As …

Autismo não é uma doença única, mas sim um distúrbio de desenvolvimento complexo, definido de um ponto de vista comportamental, com etiologias múltiplas e graus variados de severidade. As manifestações comportamentais que definem o autismo incluem déficits qualitativos na interação social e na comunicação, padrões de comportamento repetitivos e estereotipados e um repertório restrito de interesses e atividades. A grande variabilidade no grau de habilidades sociais e de comunicação e nos padrões de comportamento que ocorrem em autistas tornou mais apropriado o uso do termo transtornos invasivos do desenvolvimento. (TID).É uma alteração "cerebral" / "comportamental" que afeta a capacidade da pessoa comunicar, de estabelecer relacionamentos e de responder apropriadamente ao ambiente que a rodeia. Algumas crianças, apesar de autistas, apresentam inteligência e fala intactas, algumas apresentam também retardo mental, mutismo ou importantes atrasos no desenvolvimento da linguagem.......

Published in: Education
1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
9,042
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
397
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. BASES NEUROBIOLÓGICAS DO AUTISMO Enfoque no domínio da sociabilidade
  • 2. Universidade Presbiteriana Mackenzie
    • Psicopedagogia
    • Alunas:
    • Ana Paula
    • Camila Aline
    • Cibele Badu
    • Irenita Terezinha
    • Juliana Melo
    • São Paulo
    • 2010
    Fundamentos Neurobiológicos na Aprendizagem
  • 3. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade HISTÓRICO O termo autismo vem do grego “ autós ” que significa “de si mesmo”. Em 1906, Plouller introduziu o termo autista na literatura psiquiátrica. A palavra "autismo" foi criada por Eugênio Bleuler, em 1911, para descrever um sintoma da esquizofrenia, que definiu como sendo uma "fuga da realidade".
  • 4. Kanner e Asperger usaram a palavra para dar nome aos sintomas que observavam em seus pacientes que apresentavam características fenotípicas semelhantes, e nomeou esse grupo com crianças com autismo infantil. Com isso o termo autismo passou as ser utilizado para designar uma entidade nosográfica (descrição sistemática das doenças) e não apenas um sintoma da esquizofrenia. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 5. Foi descrito pela primeira vez em 1943, pelo médico austríaco Leo Kanner, trabalhando no Johns Hopkins Hospital, em seu artigo Autistic disturbance of affective contact, na revista Nervous Child, vol. 2, p. 217-150. No mesmo ano, o também austríaco Hans Asperger descreveu, em sua tese de doutorado, a psicopatia autista da infância. Embora ambos fossem austríacos, devido à Segunda Guerra Mundial não se conheciam. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 6. Por anos estabeleceu-se uma confusão entre os termos autismo/transtorno e autismo/sintomatologia da esquizofrenia , possivelmente por falta de informações dos profissionais. Muitas foram as descrições apresentadas por Kanner com crianças desde antes dos três anos de idade, mas o que lhe chamou mais a atenção foi o desinteresse pelo convívio social. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 7. Com a evolução das pesquisas científicas, concluiu-se que o autismo não é um distúrbio do contato afetivo, mas sim um distúrbio do desenvolvimento. Em 1976, Lorna Wing relatou que os indivíduos com autismo apresentam déficits específicos em três áreas: imaginação, socialização e comunicação, o que ficou conhecido como “Tríade de Wing”. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 8.
    • QUADRO CLÍNICO / ETIOLOGIA
    • A etiologia do autismo ainda não foi definida.
    • Não existe uma etiologia básica fundamental para todos os casos de autismo, visto que há uma grande variabilidade de sinais e sintomas.
    • A fim de investigar aspectos cognitivos envolvidos no quadro do autismo foram propostas três teorias:
    • TEORIA DA MENTE;
    • TEORIA DA COERÊNCIA CENTRAL;
    • DISFUNÇÕES EXECUTIVAS.
    Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 9.
    • Atualmente se descrevem quatro sistemas constituintes:
    • Linguagem;
    • Funções executivas;
    • Acompanhamento visual de objetos;
    • Inteligência social.
    • A exploração do modo de investigação visual nas pessoas com autismo tem permitido maior compreensão nos aspectos básicos da sociabilidade.
    Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 10. PRINCIPAIS SINTOMAS Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Segundo a ASA ( Autism Society of American ), indivíduos com
    • autismo usualmente exibem pelo menos metade das caracterís-
    • ticas listadas a seguir:
    • Dificuldade de relacionamento com outras crianças;
    • Riso inapropriado;
    • Pouco ou nenhum contato visual;
    • Aparente insensibilidade à dor;
    • Preferência pela solidão; modos arredios;
    • Rotação de objetos;
  • 11. 7. Inapropriada fixação em objetos; 8. Perceptível hiperatividade ou extrema inatividade; 9. Ausência de resposta aos métodos normais de ensino; 10. Insistência em repetição, resistência à mudança de rotina; 11. Não tem real medo do perigo (consciência de situações que envolvam perigo); 12. Procedimento com poses bizarras (fixar objeto ficando de cócoras; colocar-se de pé numa perna só; impedir a passagem por uma porta, somente liberando-a após tocar de uma determina maneira os alisares); Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 12. 13. Ecolalia (repete palavras ou frases em lugar da linguagem normal), 14. Recusa colo ou afagos, 15. Age como se estivesse surdo, 16. Dificuldade em expressar necessidades - usa gesticular e apontar no lugar de palavras, 17. Acessos de raiva - demonstra extrema aflição sem razão aparente, 18. Irregular habilidade motora - pode não querer chutar uma bola, mas pode arrumar blocos,  Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 13. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade   OBSERVAÇÃO: É relevante salientar que nem todos os indivíduos com autismo apresentam todos estes sintomas, porém a maioria dos sintomas está presente nos primeiros anos de vida da criança. Estes variam de leve a grave e em intensidade de sintoma para sintoma. Adicionalmente, as alterações dos sintomas ocorrem em diferentes situações e são inapropriadas para sua idade.
  • 14. PRINCIPAIS COMPORTAMENTOS Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 15. PESQUISAS RECENTES RECONHECIMENTO DE FACES EM PESSOAS COM AUTISMO Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 16. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Análise das habilidades sociais utilizando coeficiente de inteligência (QI) e da linguagem;
    • Varredura visual sistema Eyegaze system.
  • 17. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Eyegaze system avalia e registra imagens
    • visualmente investigadas;
    • Sistema identifica pupila
    • rastreia olhar
    Disponível em: www.eyegaze.com/content/instrument-specifications
  • 18. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Sociabilização em humanos facilitada pelo olhar;
    • Autistas olhar na boca menor informação para instrumentalizar a ação interpessoal.
    Disponível em: www.universoautista.com.br
  • 19. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade AVANÇOS NO ENTENDIMENTO DAS BASES NEUROLÓGICAS
  • 20. NOVOS ESTUDOS SOBRE HEREDITARIEDADE Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade Estudos sobre hereditariedade Aumento na taxa de autismo em parentes próximos Concordância em gêmeos monozigóticos (ambos com autismo) em 60% dos casos estudados. (BAILEY et al., 1995)
  • 21. Sugestão de inúmeros genes que estariam envolvidos neste transtorno Evidências voltadas a possíveis genes candidatos localizados nos cromossomos 2, 7 e 16 (IMGSAC, 2001) Acredita-se que se trata de uma alteração envolvendo múltiplos genes (entre 5 e 10) para a manifestação do quadro característico observado em pessoas com autismo. ( RAMOZ et al., 2001) Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 22. ESTUDOS EM OUTROS CAMPOS ( POSTMORTEM) Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Estudos de neuroimagem estrutural e funcional.
    • Estudos neuroanatômicos iniciais realizados com pessoas com autismo postmortem feitos na década de 80.
    Alteração do lobo frontal medial, temporal medial, gânglios da base e tálamo (DAMASIO e MAURER, 1978), redução no número de células de Purkinje no cerebelo (RITVO et al., 1986), alterações anatômicas no sistema límbico, região da oliva inferior do bulbo (BAUMAN e KEMPER, 1985).
  • 23. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade SISTEMA LÍMBICO
  • 24. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade ESTUDOS SOBRE ANATOMIA COM OS AVANÇOS DAS TÉCNICAS DA NEUROIMAGEM
    • Após a ressonância magnética deu-se início
    • a uma série de investigações acerca das
    • alterações anatômicas que pudesse explorar
    • a etiologia do autismo.
    • Foi possível verificar:
    • Aumento do volume total do cérebro, da massa cerebral e dos ventrículos.;
    • Hipoplasia dos lobos cerebelares;
  • 25. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Estudos de reconhecimento de faces em pessoas sem o transtorno mostram ativação de córtex fusiforme direito , enquanto que em pessoas com autismo mostram ativações em outras áreas como o giro temporal superior esquerdo e o córtex visual .
    • Porém há controvérsias nestes estudos, pois a neuroimagem possibilita o conhecimento de quais são as áreas envolvidas em determinados transtornos , ou áreas disfuncionais em algumas tarefas; mas a delimitação exata de sub regiões, ou até mesmo os núcleos envolvidos, ainda não é possível face às limitações desses métodos. (CRITCHLEY et al.,2000)
  • 26. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade A AMÍGDALA
  • 27. A amígdala tem sido apontada como importante para a compreensão das bases neurobiológicas do autismo, visto que suas funções relacionam-se à sociabilidade e padrões emocionais. O tálamo também tem mostrado sua importância ao mediar e refinar esta “circuitaria”, sendo estudado como estrutura relevante para o estabelecimento do quadro. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 28. Estudos recentes têm proposto que a integridade e o funcionamento de estruturas subcorticais ao nascimento, como a amígdala e o tálamo, têm grandes repercussões no funcionamento de estruturas corticais. ( SCHULTZ, ROMANSKI E TSATSANIS, 2000) O conjunto desses resultados sugere que o dano seria inato, e não adquirido, e que haveria estruturas alvos, chaves, que determinariam disfunções importantes no modo dos circuitos cerebrais funcionarem. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 29. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade REFERÊNCIAS CID-10. Critérios diagnósticos para pesquisa. Organização Mundial da Saúde. Tradução: Maria Lúcia Domingues. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. Original inglês. CID-10. Organização Mundial da Saúde. Tradução: Centro colaborador da OMS para a Classificação de Doenças em Português. 8ª .ed. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2000. Original inglês. INSEL, T. R. A Neurobiological basis of social attachment. Am J Psychiatry, v. 154, p. 726-735, 1997. KANNER L. Autistic disturbances of affective contact. Nervous Child. 1943;2:217-50.
  • 30. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade Minshew NJ, Payton JB. New perspectives in autism, Part I: the clinical spectrum of autism. Curr Probl Pediatr. 1988;18:561-610. Minshew NJ, Payton JB. New perspectives in autism, Part II: the differential diagnosis and neurobiology of autism. Curr Probl Pediatr. 1988;18:613-94. MELLO, A. M. S. R , Autismo: Guia prático , 3ª Edição, São Paulo: AMA; Brasília: CORDE, 2004, 93p. CAVALCANTE, A. E. C., ROCHA, P. S ; Autismo , 2ª Edição, São Paulo – Casa do Psicólogo , 2002, 150p. http://www.autismo.com.br/site.htm . Endereço eletrônico acessado em 02 de abril de 2010. http://www.universoautista.com.br/autismo/modules/articles/article.php?id=12 Endereço eletrônico acessado em 03 de abril de 2010.
  • 31. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade ANEXOS
  • 32. ALGUNS FILMES 1- Uma lição de amor; 2- Uma mente brilhante; 3- Uma certo olhar; 4- Refrigerator Mothers; 5- Testemunha do silêncio; 6- Uma janela para o céu; 7- Ray man; 8- O pequeno milagre; 9- Os segredos de Adam; 10- O gênio do vídeo-game; 11- Patch Adams; 12- O enigma de Kaspar Hauser; 13- O nome dela é Sabine; Relação de filmes disponível em: http://www.autismo-br.com.br/home/filmes.cgi Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 33. FAMOSOS COM SÍNDROME DE ASPERGER Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Thomas Jefferson - Mencionado no livro Diagnosing Jefferson, de Norm Ledgin, como tendo possivelmente Síndrome de Asperger, foi presidente dos Estados Unidos de 1800 a 1808.
    • Albert Einstein - Nasceu na Alemanha em 1879 e tinha a Síndrome de Asperger. Foi um grande cientista e desenvolveu as duas teorias da relatividade (a restrita e a geral).
    • Isaac Newton - é nitidamente um caso clássico da síndrome de Asperger. Começou a desvendar a lei da gravidade aos 23 anos, o desleixo com a aparência e a mania de reescrever até vinte vezes os seus estudos, sem fazer quase nenhuma alteração de uma cópia para outra.
    • Michelangelo   - foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto renascentista italiano.
  • 34.
    • Leonardo da Vinci - pintor, matemático, escultor, arquiteto, físico, escritor, engenheiro, poeta, cientista, botânico e músico do Renascimento italiano. É considerado um dos maiores gênios da história da Humanidade.
    • Ludwig van Beethoven - compositor erudito alemão, do período de transição entre o Classicismo e o Romantismo É considerado um dos pilares da música ocidental.
    • Wolfgang Amadeus Mozart - compositor austríaco e executante da música erudita do Período Clássico.
    • Alfred Hitchcock - cineasta britânico/norte-americano, considerado o mestre dos filmes de suspense.
    • Stanley Kubrick - um dos cineastas mais importantes do século XX, responsável por uma obra polémica, mas que gozou de uma excelente recepção crítica.     
    • Bobby Fischer - famoso xadrezista originalmente norte-americano, naturalizado islandês e ex-campeão mundial de xadrez.
    Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 35. FAMOSOS COM AUTISMO
    • Dra. Temple Grandin - Nasceu em 1947 e foi diagnosticada como autista aos dois anos. É PHD em Ciência Animal e professora da Universidade do Colorado.
    • Matthew Savage foi diagnosticado com autismo (Pervasive Developmental Disorder) quando tinha três anos de idade. Hoje, com 11anos, ele compõem música e tem um trio de jazz. " The Matt Savage Trio"
    • Ryan Wilson é um autista de bom funcionamento ("High Functioning") e estava com nove anos quando escreveu e ilustrou o livro "The legendary Blobshocker".
    Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
    • Ludwing Wittgenstein - foi sugerido por Oliver Sack que ele teria traços de um autista "high-Functioning" de bom funcionamento. Era um filosofo. Construiu uma máquina de costura com apenas 10 anos.
    • Bill Gates - (citado no livro "Thinking in pictures" de Temple Grandin como tendo características autistas) foi diretor da Microsoft e inventor do Windows.
  • 36.
    • Donna Willians - É uma australiana que antes de receber o diagnostico de autista foi taxada de louca, de ter distúrbios emocionais, fez vários testes de surdez. Hoje ela é casada, trabalha como consultora em uma escola, participa de palestras sobre autismo e também escreve música, pinta e faz esculturas.
    • Tito Rajarshi Mukhopadhyay - um adolescente do sul da Índia que foi diagnosticado com autismo clássico aos três anos. Tito é fluente em inglês e bengali (tem dificuldades para falar e ser compreendido escreve muito bem e é mais fácil para ele escrever no computador) têm dois livros publicados: Beyond the silence: My life, the world, and autism e The mind tree: A miraculous child breaks the silence of autism.
    Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade Fonte: http://omundodepeu.blogspot.com/2008/09/autistas-famosos.html http://www2.uol.com.br/vivermente/reportagens/arredios_e_geniais_imprimir.html Vincent Van Gogh - (citado por Temple Grandin no livro "Thinking in pictures" como tendo características autistas) foi um grande pintor, que em vida só conseguiu vender uma pintura.
  • 37. DESENHOS ANIMADOS Turma da Mônica e o Autismo "A turma da Mônica tem um amiguinho muito especial – o André! Com ele podemos aprender um pouco mais sobre o autismo. Uma bela iniciativa da AMA - Associação de Amigos do Autista, no Brasil. Para conhecer a sua história basta clicar nas várias imagens." Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade
  • 38. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade Fala Menino! "O Fala Menino! nos conta de diferenças físicas ou sociais, de superação de limites, de inclusão, de RESPONSABILIDADE SOCIAL com a naturalidade das lições que apenas a infância sabe dar.” Uma bela iniciativa do autor Luis Augusto C. Gouveia que recebeu Menção Honrosa no 1º Concurso Nacional de Histórias em Quadrinhos da Academia Brasileira de Artes (SP). Fez, também, ilustrações em N. York e desenho animado em São Paulo. O irmão mais novo de Lívia. Está quase sempre sorrindo, adora brincar sossegado com sua coleção de bolas. Autista, tem os olhos tão brilhantes que, às vezes, se perdem no céu, parecendo estrelas. A turma nem sempre entende o que Mateus quer, mas ele está aprendendo a apontar pras coisas e fala a palavra "xixi" toda vez que quer ir ao sanitário. No mais, vive refletindo sobre este mundão tão estranho e incom-preensível que é o mundo dos adultos... Fala Menino! Produções www.falamenino.com.br
  • 39. Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade VÍDEO: AUTISMO REVERTIDO Entrevista concedida ao Canal Fox Em 20 de Setembro de 2008. Raun Kaufman comenta sobre a experiência com a sua total recuperação do autismo. Foi a primeira criança do Programa Son-Rise e hoje é diretor executivo do Centro de Tratamento de Autismo da América.
  • 40. REFLEXÃO Bases Neurobiológicas do Autismo: enfoque no domínio da sociabilidade 1- Pensando nas dificuldades de interação social, comunicação, linguagem e comportamento, como a terapia psicopedagógica pode auxiliar esta criança? 2- Qual é a relação entre o reconhecimento de faces e as relações e comportamentos sociais entre as crianças autistas? 3- Qual a relação entre Autismo e Inteligência?

×