Nanotecnologia Bens de Capital
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Nanotecnologia Bens de Capital

on

  • 635 views

Apresentação efetuada em 03/out/11, por João Alfredo Saraiva, Pres do IPDMAQ, na oportunidade do evento de Nanotecnologia realizado pela ABDI no Senai Mário Amato - SBC

Apresentação efetuada em 03/out/11, por João Alfredo Saraiva, Pres do IPDMAQ, na oportunidade do evento de Nanotecnologia realizado pela ABDI no Senai Mário Amato - SBC

Statistics

Views

Total Views
635
Views on SlideShare
635
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Nanotecnologia Bens de Capital Nanotecnologia Bens de Capital Presentation Transcript

  • 1
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    03 de outubro de 2011
    João Alfredo Saraiva Delgado
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
  • A ABIMAQ
    ABIMAQ – uma das mais importantes entidades no setor industrial brasileiro. Tem como missão a promoção do desenvolvimento sustentável do setor de bens de capital, em termos de produtos, serviços e ações político-institucionais .
    A indústria brasileira de bens de capital mecânicos (BKM) é constituída por cerca de 4.500 empresas, responsáveis por mais de 250.000 empregos diretos e, segundo dados do IPEA, por 1,6 milhões de postos de trabalho em sua cadeia produtiva. O setor alcançou, em 2010, um faturamento da ordem de R$ 80 bilhões, com exportações superiores a US$ 9 bilhões.
  • A ABIMAQ E A INDÚSTRIA
    DE BENS DE CAPITAL
    A ABIMAQ representa 4,500 empresas com os seguintes perfis:
    PORTE
    LOCALIZAÇÃO
    69% São Paulo
    11% Rio Grande do Sul
    6% Rio de Janeiro
    5% Santa Catarina
    4% Paraná
    3% Minas Gerais
    2% Demais regiões
  • ESCRITÓRIOS REGIONAIS
    SRMG - BELO HORIZONTE
    SRNN - NORTE-NORDESTE
    SRPI - PIRACICABA
    SRPR - CURITIBA
    SRRJ - RIO DE JANEIRO
    SRRP- RIBEIRÃO PRETO
    SRRS - PORTO ALEGRE
    SRSC- JOINVILLE
    SRVP - VALE DO PARAÍBA
    SRDF -BRASÍLIA
  • SERVIÇOS E BENEFÍCIOS PRESTADOS PELA ABIMAQ
    Câmaras Setoriais;
    Indicadores Econômicos e Dados Estatísticos;
    IPDMAQ (Orientação Empresarial em Tecnologia e Inovação);
    - DATAMAQ;
    - Oportunidades de Negócios
    - Treinamentos;
    - Atestados de Produção nacional
    - Defesa Comercial
    Comércio Exterior,
    - Promoção Comercial;
    - Inteligência de Mercado;
    - Negociações Internacionais
    - Defesa Comercial
    Financiamentos
    Consultoria Jurídica, Trabalhista, Civil, Comercial e Tributária;
    Feiras no Brasil;
    Centro de Convenções;
    Portal B2B;
  • CÂMARAS SETORIAIS
    15. Máquinas e Equipamentos para Madeira. 16. Máquinas-Ferramenta e Sistemas Integrados da Manufatura. 17. Máquinas. e Implementos Agrícolas.18. Máquinas. para a Indústria Alimentícia, Farmacêutica e Refrigeração.19. Máquinas. Rodoviárias. 20. Projetos e Equipamentos. Pesados. 21. Máquinas. Equipamentos. Instrumentos para Controle da Qualidade, Ensaio e Medição. 22. Transmissão Mecânica. 23. Válvulas Industriais. 24. Motores.25. Vedações.26. Sindicato nacional das Indústrias de Equipamentos para Saneamento Básico e Ambiental.
    01. Ar Comprimido e Gases.
    02. Bombas e Motobombas.
    03. Máquinas e Equipamentos para
    Cimento e Mineração.
    04. Equipamentos de Irrigação.
    05. Equipamentos Navais e de Offshore.
    06. Fornos e Estufas Industriais.
    07. Fabricantes de Ferramentas.
    08. Ferramentaria e Modelação.
    09. Equipamentos para Ginástica.
    10. Equipamentos Hidráulicos, Pneumáticos
    e Automação Industrial.
    11. Máquinas e Acessórios para Indústria do
    Plástico.
    12. Equipamentos. para Movimentação e
    Armazenagem.
    13. Máquinas e Acessórios Têxteis.
    14. Máquinas e Equipamentos Gráficos.
  • 8
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
  • 9
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    Relacionado
    Espera-se que os conhecimentos gerados pela Nanociência e Nanotecnologia originem mudanças em quase todas as áreas. Tirando partido dos comportamentos peculiares da matéria e da energia, à escala atómica e molecular, espera-se poder implementar materiais e estruturas nanoscópicas com propriedades e funcionalidades específicas.
    As descobertas da nanotecnologia, permitirão reduções significativas no consumo de matérias-primas e de energia, devido ao emprego de processos de produção e ao uso de equipamentos mais eficientes, diminuindo assim os resíduos nos vários ciclos da vida dos produtos.
    • Tecnologia de fronteira
    • Mudanças de paradigma
    • Oportunidade para aprimoramento de máquinas
  • 10
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    ABDI
  • 11
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    No âmbito da Estratégia Nacional de Nanotecnologia é necessário a Construção de uma Agenda Tecnológica Setorial específica para Bens de Capital que tenha como vetor principal o “Estudo Prospectivo da Nanotecnologia” de forma a completá-lo com a identificação daquelas que podem ser transbordadas de forma viável para o setor de Máquinas e Equipamentos.
    Entendemos que a metodologia adotada para o estudo “Perspectivas de Desenvolvimento Tecnológico para a Indústria de Bens de Capital para Energia Renovável (IBKER), possa ser adotada de forma rápida para, a partir de um painel de especialistas, identificar os principais recortes para a construção dessa Agenda.
  • Objetivo
    O objetivo do estudo deve ser avaliar as perspectivas de desenvolvimento tecnológico para a Indústria de Bens de Capital com foco em Nanotecnologia (IBKNano), esperadas para o horizonte dos próximos 20 anos, visando subsidiar iniciativas posteriores no sentido de construir uma agenda tecnológica para essa indústria e subsidiar ações de Política Industrial.
    Devem ser selecionados os setores com maior impacto no desenvolvimento tecnológico em nanotecnologia
    Energias Renováveis
    • Petróleo e Gás
    • Meio Ambiênte
    • Outras Máquinas
    Para esses setores serão analisados o conjunto de equipamentos relacionados à ütilização de Nanotecnologia
    12
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
  • 13
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
  • 14
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    Segmentação Industrial-Tecnológica
    Estruturais: Matéria-prima, fundidos, forjados, laminados, caldeiraria
    Subsistemas mecânicos: Redutores, rolamentos, eixos, geradores, motores
    Subsistemas hidráulicos e pneumáticos: HP + conexões, tubulações, vedações, lubrificação
    Subsistemas elétricos: Motores, controles, componentes, painéis
    Subsistemas eletrônicos: Servo motores, CLP´s, CNC, sensores
    Materiais auxiliares: Energia, lubrificantes, ferramentas
    Sub-sistemas de TIC (Tecnologias de Informação e Comunicação): Software, automação de projetos, automação de manufatura
    Eficiência e sustentabilidade: Conservação, mecanismos limpos
  • 15
    Metodologia
    Objeto
  • 16
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    ABDI
  • 17
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    Desenvolvimento do Trabalho:
    Mapeamento e Análise de Estudos Prospectivos  Perspectivas Viáveis
    Consulta/Oficina para Definição da Rota Tecnológica  Rota e Macroações
    Consulta de Priorização de Macroações
    Detalhamento das Macroações priorizadas
    Oficina para seleção de n projetos
    Elaboração de n Projetos Tecnológicos
  • 18
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA
    Metodologia
    A complexidade do setor acarreta que o recorte analítico vá além da atividade produtiva propriamente dita, enfocando a cadeia produtiva comandada pela produção dos equipamentos e também os setores usuários. Neste sentido, tanto os fornecedores de materiais, peças e componentes, quanto os demandantes destes bens farão parte do escopo da pesquisa. Na medida do necessário, também as atividades de serviços prestados aos fabricantes serão contempladas.
    A complexidade tecnológica em termos de funções, especificações e produção deste conjunto de equipamentos também requer a construção de uma segmentação tecnológica adequada para a IBKNano, que viabilize o mapeamento e a organização das trajetórias de inovação esperadas.
  • OBRIGADO!
    João Alfredo Saraiva Delgado
    joao.delgado@abimaq.org.br
    (11) 5582-6320
    19
    DEMANDAS DO SETOR DE BENS DE CAPITAL EM NANOTECNOLOGIA