Boas práticas da gestão na saúde - Dr. Renato Sabatinni

  • 564 views
Uploaded on

Médico e especialista em gestão da informação, Renato Sabbatini, professor aposentado da Unicamp e presidente do Instituto Edumed, compartilhou entre os presentes a relevância de um bem estruturado …

Médico e especialista em gestão da informação, Renato Sabbatini, professor aposentado da Unicamp e presidente do Instituto Edumed, compartilhou entre os presentes a relevância de um bem estruturado sistema de informações na produção de riquezas nos processos hospitalares. Com o tema “A informação e as Boas Praticas da Gestão na Saúde” o professor Sabbatini iniciou sua apresentação valorizando os “grandes eixos” da gestão, como Eficiência, Qualidade, Segurança, Padrões, devem estar inseridos num “driver especial” que será o condutor do negocio/processo, sobretudo nestes tempos de grandes mudanças que estamos vivenciando.

More in: Business
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
564
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
29
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A Informação e as Boas Práticas da Gestão na Saúde Prof. Renato M.E. Sabbatini UNICAMP e Instituto Edumed
  • 2. Boas práticas em gestão da saúde  Eficiência  Qualidade  Segurança  Ética  Humanização  Sustentabilidade  Gestão do conhecimento  Padrões, Diretrizes e Protocolos
  • 3. Qual é o segredo da boa gestão?  Fixar um destino ou meta  Localizar-se  Dirigir  Controlar  Coordenar  Comunicar-se  Integrar-se  Manter a estabilidade  Prevenir  Perceber o ambiente continuamente (sensoreamento) e ajustar as ações conforme a situação mudar (feedback) A metáfora de um carro
  • 4. Comando e Controle Dashboard = painel de instrumentos
  • 5. E quando aumenta muito a complexidade?
  • 6. C3 : Comando, Controle e Comunicação Ônibus Espacial
  • 7. Centros C3: Comando, Controle e Comunicação
  • 8. Não existe saúde sem gestão Não existe gestão sem informação Não existe informação sem informatização
  • 9. C3 no Hospital
  • 10. Um mundo em mudança  As instituições de saúde demandam hoje o uso intensivo de novas tecnologias de informação  Para reduzir erros  Para aumentar a qualidade  Para aumentar a cobertura  Para aumentar a agilidade e eficiência…  E, ao mesmo tempo, diminuir os custos  Integração entre sistemas de atenção em vários níveis da comunidade  Mudanças no relacionamento com os consumidores Edward Hammond
  • 11. Equipamentos laboratoriais Equipamentos de imagens Servidores Médicos Pacientes Hospitais, Clinicas, Laboratorios , etc Multimedia Integração Global de Informações em Saúde Fonte: WDS Technologies SA Profissionais
  • 12. “40% da atividade da área de saúde consiste na captura e processamento da informação” Edward H. Shortliffe 1994
  • 13. Algumas tendências em TI nas boas práticas de gestão em saúde  Business Intelligence  Big Data Analytics  Knowledge Management  Electronic Document Management  eHealth  mHealth  Connected Health  Telehealth  Patient-Centered Healthcare  Health Information Interchange
  • 14. Comando e Controle Dashboard do BI: Business Intelligence
  • 15. O Hospital: Antigamente e Hoje 1910 2010 Prédio Centro cirúrgico Radiologia
  • 16. O Hospital: Antigamente e Hoje 1910 2010 Registros médicos
  • 17.  Mais de 90% da documentação médica ainda é escrita manualmente!
  • 18. A Documentação Tradicional na Medicina e Saúde  Informação é geralmente ilegível, mal organizada, incompleta e não sistemática;  É possível somente recuperar informações sobre um individuo  É impossível analizar grandes conjuntos;  Grande gerador de erros de todo tipo;  Torna-se muito difícil as boas práticas da gestão neste cenário catastrófico e tão típico das instituições de saúde no Brasil.
  • 19. Solução: informática em saúde Informática = Informação + Automática
  • 20. Informatização dos pontos de assistência
  • 21. Digitalização das fontes  Substituição dos meios físicos por cópias digitais armazenadas em computadores  Facilita o manuseio e acesso integrado
  • 22. Fontes documentais em Saúde: tipos Tipos de documentos:  Em meios físicos  Papel  Filme  Em meios digitais  Magnéticos  Óticos  Originalmente digitais  Textos  Sons  Imagens estáticas  Vídeos
  • 23. Registros Eletrônicos de Saúde
  • 24. Softwares para SGED Papel  imagem Filme  imagem Imagem  papel Imagem  filme
  • 25. Utilização do GED em Saúde  Utilização na área administrativa  Utilização na área operacional não clínica  Utilização na área clínica:  Documentos do prontuário em papel  Microfilmes e microfichas contendo legado  Imagens, gráficos, filmes  Vinculação ao PEP, permitindo a gestão e visualização integrada
  • 26. Exemplos de uso do GED na área administrativa e operacional  Ordens de serviço, recibos de entrega, guias de recolhimento, cobrança e pagamento;  Documentos de faturamento, formulários de TISS, etc.  Prontuários funcionais de RH;  Relatórios técnicos e administrativos, registros de manutenção e de inspeção;  Contratos de prestação de serviços, atestados e certidões;  Notas fiscais e outros documentos financeiros, fiscais e contábeis;  Correspondências, ofícios, emails, etc.
  • 27. Contas a Pagar
  • 28. Funções analíticas do SGED
  • 29. Prontuário e GED: Integração
  • 30. Certificado Digital na Documentação  Necessário seu uso no PEP e no GED para poder dispensar o papel e o filme no hospital;  Autenticação, encriptação e assinatura  Regulamentado pelo CFM e pela SBIS  CRM Digital para médicos  Certificação dos softwares (SRES e SGED) pela SBIS
  • 31. Exemplo de um hospital real Ambulatório Oncologia Internação (novas) Internação (antigas) Pronto-Socorro DVD-RW Todos os documentos do mesmo paciente Endoscopia Servidor 7,5 milhões de documentos Classificados por nome
  • 32. Resultados  Digitalização de prontuários unificados de ~45.000 pacientes nos últimos 5 anos  Arquivamento de ~75.000 pacientes mais antigos  Redução de espaço: 85m2 para 25 m2  Substituição de ~150 gavetas de aço por 3 estantes de rolamento (para temporários)  Redução de pessoal: 18 funcionários em 3 turnos para 4 funcionários em 2 turnos  Acesso instantâneo através do PEP em todos os pontos do hospital  Trabalho completado em 8 meses
  • 33. Análise de custo/benefício Redução de custos  Salários e benefícios de 14 funcionários  Papel, envelopes, pastas, gaveteiros, etc.  Fotocópias  Custos operacionais de transporte  Custos gerados por erros  Custos gerados por perda de dados Benefícios  Renda gerada pelo espaço liberado  Renda gerada pelo tempo liberado dos profissionais de saúde  Agilidade na recuperação de informações  Melhorias na qualidade da informação e da atenção  Melhorias na gestão  Imagem do hospital
  • 34. Exemplos de benefícios Tempo médio gasto na revisão de prontuários médicos Tempo médio gasto no processamento de exames de laboratório
  • 35. Projeto de Profissionalização e Certificação em TICs em Saúde
  • 36. Capacitação: Cursos em TI em Saúde
  • 37. Para saber mais  SBIS: www.sbis.org.br  proTICS/cpTICS: www.sbis.org.br/protics  Certificação:  www.educert.com.br  www.sbis.org.br/certificacao  Capacitação:  www.informaticamedica.org.br  www.sbis.virtual.org.br  www.HL7.virtual.org.br  www.education.edumed.net
  • 38. Contato Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini Presidente, Instituto Edumed (19) 3287-5958 sabbatini@edumed.org.br www.renato.sabbatini.com
  • 39. Copyright desta apresentação Copyright © 2012 Renato Marcos Endrizzi Sabbatini Para todo o conteúdo de autoria própria. Proibida a reprodução, distribuição e comercialização por quaisquer meios, eletrônicos ou impressos, sem a autorização por escrito do autor.