Desafios e oportunidades da inovação para as                 multinacionais       JORGE RAIMUNDO FILHO - INTERFARMA© 2010 ...
CONECTA 2010 “Os desafios e oportunidades deinovação para as multinacionais”                Jorge Raimundo, OBE    Preside...
INTERFARMA           EMPRESAS ASSOCIADAS   Abbott                    Ipsen   Actelion                  Janssen-Cilag ...
Indústria FarmacêuticaA grande diferença…    Invenção / Inovação                          4
Tempo para desenvolver um medicamento                            Invenção e desenvolvimento                           5.00...
Principais causas no fracasso nodesenvolvimento de medicamentos       Deficiências na absorção, distribuição, metabolismo ...
Gastos com P&D: $65 billion em                    2008 nos EUA                              % sobre as vendas     20%     ...
Uma nova realidade para a indústria farmacêutica mundial   Fonte: Kaitin, KI – Deconstructing the Drug Development Process...
Pesquisa e Desenvolvimento de medicamentos                             12-15 anos em                               desenvo...
Origem das 100 maiores drogas                           UniversidadeIndústria                      1% Privada  99%        ...
INOVAÇÕES DOS MEDICAMENTOS                                                    Farmacologia                                ...
O Futuro promete ser brilhante  Medicamentos em Desenvolvimento                          HIV / AIDS                  79   ...
MERCADOFARMACÊUTICO
MERCADO FARMACÊUTICO MUNDIAL                                                              % Crescimento                Mer...
Principais Produtos                                                      % doProdutos                                     ...
Produtos da Biotecnologia$ Bil 3.0                                                                  Eritropoietinas 2.5   ...
Mercado Global de Biotecnologia chega                  a US$ 82 billion, com 60% nos EUA                  85              ...
Gastos com medicamentos de receituário per  capita ainda é baixo nos países emergentes                                    ...
Brasil            Principais Companhias Farmacêuticas                  RK                                  US$            ...
Brasil            Principais Companhias Farmacêuticas                   RK                                  US$           ...
Brasil                               Principais Produtos                 RK                                          US$  ...
Brasil                               Principais Produtos                 RK                                            US$...
O Futuro promete ser brilhantePara o futuro ser brilhante aPropriedade Intelectual éfundamental como alavanca para odesenv...
Origem das patentes1449 – Inglaterra – Processo de fabricação de       vidro, John of Utynan, por 20 anos.       Em troca ...
Origem das patentes1859 – Abraham Lincoln          "The patent system... secured to the          inventor, for a limited t...
Código da Propriedade Industrial             1945São eliminadas as concessões de patentes de medicamentos no             B...
PROPRIEDADE INDUSTRIAL             BRASILLei nº 9.279 de 14 de maio de 1996.        “UMA NOVA ERA”PARA A INDÚSTRIA FARMACÊ...
Crescentes investimentos em P&DPela indústria farmacêutica brasileira, pós lei de patentes                                ...
Crescentes investimentos em P&DPelas indústrias farmacêuticas nacionais, pós lei de patentes                       Produt...
Crescentes investimentos em P&DPelas indústrias farmacêuticas nacionais, pós lei de patentes                      Acordo ...
Um exemplo brasileiro:FIOCRUZ pesquisa desde a década de 70 umavacina para a esquistossomose
Brasil   Somente 27% dos produtos no mercado são protegidos   por patentes                                                ...
INOVAÇÃO NO BRASIL CELULAS TRONCO ENGENHARIA GENÉTICA NOVAS ENTIDADES QUÍMICAS “FOLLOW ON”:      INOVAÇÕES INCREMENTAI...
BRASILBIODIVERSIDADE
LEI DE INOVAÇÃO     LEI Nº 10.973 DE 02/12/2004Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisacientífica e tecnológica no ...
LEI DE INOVAÇÃOEntrosamento (ou falta de) entre     Universidade e Empresa
BRASIL           TRABALHOS CIENTÍFICOS PUBLICADOS             Em 2007 foram publicados 19.428 trabalhos científicos       ...
RANKING DAS INVENÇÕES                     Países com maior número de patentes            1º EUA             45.790    13º ...
PATENTES CONCEDIDAS PELO USPTO             PARA ALGUNS PAÍSES (% sobre o total mundial)                     Coréia do Sul ...
Crescentes investimentos em P&D      Pelas universidades brasileiras, pós lei de patentes                               6...
Alguns fatores que determinam a inovaçãoPropriedade intelectual é apenas um dos determinantes   Marco regulatório propíci...
De um lado o governo apóia a inovação...    Criação de políticas públicas para fomento à inovação    Propriedade Intelect...
De um lado o governo apóia a inovação...Criação de políticas públicas para fomento à inovação     MP 495 de 19 de julho de...
... de outro dificulta a inovaçãoArtigo 229-C• Três são os requisitos para patentes aceitos  internacionalmente:   – Novid...
... de outro dificulta a inovaçãoArtigo 229-C Coordenação de Propriedade Intelectual (COOPI) da  Anvisa emite parecer téc...
... outra dificuldadeArtigo 10 da LPI Não se considera invenção nem modelo de  utilidade:  IX – O todo ou parte de seres ...
Conclusões   Desenvolvimento de novos medicamentos:      Arriscado, longo e de alto custo.   Crescente investimento em ...
Parceria para a Prosperidade...                       Universidades  P&D                                  Sistema de saúde...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Conecta 2010 - Desafios e oportunidades da inovação para as multinacionais - Interfarma

605

Published on

Published in: Business
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
605
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Conecta 2010 - Desafios e oportunidades da inovação para as multinacionais - Interfarma

  1. 1. Desafios e oportunidades da inovação para as multinacionais JORGE RAIMUNDO FILHO - INTERFARMA© 2010 Inventta – Todos os direitos reservados. 1
  2. 2. CONECTA 2010 “Os desafios e oportunidades deinovação para as multinacionais” Jorge Raimundo, OBE Presidente do Conselho Consultivo da INTERFARMA 2 25 de agosto de 2010
  3. 3. INTERFARMA EMPRESAS ASSOCIADAS Abbott  Ipsen Actelion  Janssen-Cilag Amgen  Leo Pharma Astellas  Lundbeck Brasil AstraZeneca  Merck S.A Bagó  MSD Bayer  Novartis Biogen  Novo Nordisk Biomarin  Nycomed Boehringer-Ingelheim  Pfizer Chiesi  Roche Daiichi Sankyo  Sanofi-Aventis Eli Lilly  Servier Ferring  Shire Galderma  Stiefel Genzyme  Takeda G.E. Health Care  Zambon GlaxoSmithKline
  4. 4. Indústria FarmacêuticaA grande diferença… Invenção / Inovação 4
  5. 5. Tempo para desenvolver um medicamento Invenção e desenvolvimento 5.000 a 10.000 selecionados Testes pré-clínicos (testes laboratoriais em animais) Fase I – 20 a 80 voluntários saudáveis para determinar segurança e dosagem 250 entram em Fase II – 100 a 300 voluntários teste pré-clínicopara determinar eficácia e efeitos colaterais Fase III – 1.000 a 20.000 pacientes voluntários para monitorar reações 5 entram adversas em uso de longa duração em testes Aprovação do Governo clínicos Fase IV – Teste adicional pós-comercialização Anos 0 2 4 6 8 10 12 14 15 Apenas 1 chega ao Patente Patente mercadosolicitada concedida
  6. 6. Principais causas no fracasso nodesenvolvimento de medicamentos Deficiências na absorção, distribuição, metabolismo e 39% eliminação (ADME) 10% Reações adversas em humanos 30% Baixa eficácia 11% Toxicidade animal 5% Motivos comerciais 5% Outros motivos
  7. 7. Gastos com P&D: $65 billion em 2008 nos EUA % sobre as vendas 20% 18% 16% 12% 6 8% 5 4 4 % % % % 4% 0% Telecomunicação Média das Automotiva Eletrônica P&D Indústrias Farmacêutica 7 dos EUAFonte: PhRMA (EUA)
  8. 8. Uma nova realidade para a indústria farmacêutica mundial Fonte: Kaitin, KI – Deconstructing the Drug Development Process: The New face of innovation. Clinical Pharmacology &Therapeutics. Advanced online publication – 3 february 2010. (cedido por Carlos Morel)
  9. 9. Pesquisa e Desenvolvimento de medicamentos 12-15 anos em desenvolvimento Somente 1 em cada 5,000 compostos chega até os pacientes $1.3 billion por medicamento 7 entre 10 drogas não cobrem os custos de P&D
  10. 10. Origem das 100 maiores drogas UniversidadeIndústria 1% Privada 99% 10
  11. 11. INOVAÇÕES DOS MEDICAMENTOS Farmacologia celular Biologia molecular Engenharia Células genética Tronco Drogas de Enzimas biotecnologia Receptores Redutores Produtos Doençanaturais e Química de Antagon. H2 degenerativaderivativos lipídeos NSAIDS b bloqueadores Inibidores crônica associada com a idade, da ECA Psicotropicos inflamação e Antibióticos ARVs câncer Penicilinas TRE p/ sulfanamidas doenças de Aspirina depósito1900 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2020 2030 11
  12. 12. O Futuro promete ser brilhante Medicamentos em Desenvolvimento HIV / AIDS 79 Mal de Alzheimer 19 Depressão 13 Diabetes 19 Doenças Gastrointestinais 9 Osteoartrite 8 Osteoporose 18 Mal de Parkinson 10 Doenças da Próstata 4 Problemas Respiratórios 18 Artrite Reumatóide 20 Disfunções sexuais 9 Problemas de Pele 15 12Fonte: PhRMA (EUA)
  13. 13. MERCADOFARMACÊUTICO
  14. 14. MERCADO FARMACÊUTICO MUNDIAL % Crescimento Mercado 2009 (Const US$) Vendas CAGR MAT Dez 2009 US$bn % Mkt Shr 2009 04-08 Mundial $752.0 100.0 % 6.7 6.4 América do Norte 321.8 42.8 5.5 5.1 Europa 235.0 31.3 4.9 6.7 AAA 80.3 10.7 15.7 13.7 Japão 80.0 10.6 5.9 3.2 América Latina 34.9 4.6 12.5 11.9 Brasil 15.4 2.0 14.5 11.6Source: IMS World Review Brazil 2009
  15. 15. Principais Produtos % doProdutos $ Bill total1. Lipitor (atorvastatin) 13.6 2.22. Nexium (esomeprazole) 6.7 1.13. Seretide/Advair(fluticasone/salmeterol) 6.3 1.04. Plavix (clopidogrel) 5.8 1.05. Norvasc (amlodipine) 5.0 0.86. Aranesp (darbepoetin alfa) 5.0 0.87. Zyprexa (olanzapine) 4.7 0.88. Risperdal (risperidone) 4.6 0.89. Enbrel (etanercept) 4.4 0.710. Effexor (venlafaxine) 4.0 0.7Total $ 60.0 9.9 15
  16. 16. Produtos da Biotecnologia$ Bil 3.0 Eritropoietinas 2.5 Insulina (Recomb.) 2.0 CSFs Interferons 1.5 Hormônios de 1.0 Crescimento Vacinas 0.5 Fatores de Coagulação 0.0 D-Nase 1987 1989 1991 1993 1995 1997 FSHs (Horm.Folículo Estimulante) TPA (Alteplase) 0.4 1.2 2.7 5.8 8.0 9.2 VENDAS Interleucinas 16
  17. 17. Mercado Global de Biotecnologia chega a US$ 82 billion, com 60% nos EUA 85 80 75 70 65 Vendas US$ Bi 60 55 50 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006* 2007* 2008* 2009* *Estimado 17Fonte: IMS Health MIDAS MAT Dec 2004
  18. 18. Gastos com medicamentos de receituário per capita ainda é baixo nos países emergentes Asia-Pacific and emerging Developed markets markets China markets GDP/ Rx GDP/ Rx GDP/ Rx capita Spend/ capita Spend/ capita Spend/ 000 Capita* 000 Capita* 000 Capita* USA 44 1,069 Australia 37 413 China 2 16 UK 39 440 Singapore 30 149 Japan 34 552 Hong Kong 27 132 Standard Canada 39 779 Korea 18 178 international source used for France 37 687 Taiwan 15 179 drug spend data, Germany 35 506 Brazil 5.1 72 but data varies if different sources Italy 31 498 Thailand 3.2 23 are used Spain 28 475 India 0.8 9 * Rx spend per capita data provided by Espicom for spend at patient levelSource: Global Insight; Espicom; Team analysis
  19. 19. Brasil Principais Companhias Farmacêuticas RK US$ Market 2009 Corporations Million Share Total 15.410 % 1 SANOFI-AVENTIS 1.713 11,1% 2 EMS CORP 1.249 8,1% 3 NOVARTIS 978 6,3% 4 ACHE 880 5,7% 5 HYPERMARCAS 686 4,4% 6 EUROFARMA 637 4,1% 7 PFIZER CORP 624 4,0% 8 BAYER CORP 560 3,6% 9 MSD 467 3,0% 10 JOHNSON JOHNSON 411 2,7%Source: IMS / PMB – MAT DEZ 2009
  20. 20. Brasil Principais Companhias Farmacêuticas RK US$ Market 2009 Corporations Million Share Total 15.410 % 11 ASTRAZENECA BRASIL 382 2,5% 12 GSK CORP 364 2,4% 13 BOEHRINGER ING 328 2,1% 14 NYCOMED PHARMA LTD 318 2,1% 15 BIOLAB-SANUS FARMA 299 1,9% 16 ROCHE 292 1,9% 17 MANTECORP I Q FARM 284 1,8% 18 MERCK SERONO 284 1,8% 19 ABBOTT 281 1,8% 20 LIBBS 227 1,5%Source: IMS / PMB – MAT DEZ 2009
  21. 21. Brasil Principais Produtos RK US$ 2009 Corporations Million 1 DORFLEX SANOFI-AVENTIS 133 2 CIALIS LILLY 114 3 LIPITOR PFIZER 90 4 NEOSALDINA NYCOMED 89 5 CRESTOR ASTRAZENECA BR 87 6 VIAGRA PFIZER 87 7 DIOVAN HCT NOVARTIS CORP 73 8 TYLENOL JOHNSON & JOHNSON 68 9 LEXAPRO LUNDBECK 62 10 NEXIUM ASTRAZENECA BR 61Source: IMS / PMB – MAT DEZEMBRO 2009
  22. 22. Brasil Principais Produtos RK US$ 2009 Corporations Million 11 DIOVAN NOVARTIS CORP 57 12 YASMIN BAYER CORP 57 13 PURAN T-4 SANOFI-AVENTIS 56 14 RIVOTRIL ROCHE 53 15 HIPOGLOS NF PROCTER GAMBLE 50 16 DIANE 35 BAYER CORP 50 17 BENEGRIP D M IND. FTCA 46 18 DIOVAN AMLO FIX NOVARTIS 46 19 OMEPRAZOL MG MEDLEY 45 20 SYNTHROID ABBOTT 45Source: IMS / PMB – MAT DEZEMBRO 2009
  23. 23. O Futuro promete ser brilhantePara o futuro ser brilhante aPropriedade Intelectual éfundamental como alavanca para odesenvolvimento e progresso.As patentes são os estímulos para osaltos investimentos em P&D.
  24. 24. Origem das patentes1449 – Inglaterra – Processo de fabricação de vidro, John of Utynan, por 20 anos. Em troca ele ensinou outros ingleses.1474 – Carta de Veneza.1624 – Primeira Lei Inglesa (Estatuto de James).1790 – Primeira Lei Americana.1791 – Primeira Lei Francesa.1809 – Alvará de D. João VI.
  25. 25. Origem das patentes1859 – Abraham Lincoln "The patent system... secured to the inventor, for a limited time, the exclusive use of his invention; and thereby added the fuel of interest to the fire of genius in the discovery and production of new and useful things“1882 – Primeira de Lei de Propriedade Intelectual do Brasil.1883 – Convenção de Paris (rev. Estocolmo - 1967).
  26. 26. Código da Propriedade Industrial 1945São eliminadas as concessões de patentes de medicamentos no Brasil.
  27. 27. PROPRIEDADE INDUSTRIAL BRASILLei nº 9.279 de 14 de maio de 1996. “UMA NOVA ERA”PARA A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
  28. 28. Crescentes investimentos em P&DPela indústria farmacêutica brasileira, pós lei de patentes R$ 505,3 Mi R$ 308,4 Mi R$ 302,4 MiR$ 87,7 Mi 2005 2006 2007 2008
  29. 29. Crescentes investimentos em P&DPelas indústrias farmacêuticas nacionais, pós lei de patentes  Produto para disfunção erétil: 7 anos de pesquisa. CRISTALIA  Diversos pedidos de patentes depositados no Brasil e exterior.  Participação na COINFAR, empresa que pesquisa ACHÈ novas moléculas a partir da biodiversidade brasileira.  Antiinflamatório pesquisado e desenvolvido no Brasil.  Participação na COINFAR, empresa que pesquisa BIOLAB novas moléculas a partir da biodiversidade brasileira.  Parcerias para desenvolver inovações incrementais.  Depósito de patente do anti-hipertensivo Evasin (veneno da jararaca).
  30. 30. Crescentes investimentos em P&DPelas indústrias farmacêuticas nacionais, pós lei de patentes  Acordo com a italiana MonteResearch: € 7 milhões. EMS-SIGMA  Mantém o maior centro de P&D da América Latina. PHARMA  3 produtos em pipeline em parceria com EUROFARMA universidades brasileiras (UFRJ, UNESP, UNIVALI).  Pesquisa em fitoterápicos a partir da biodiversidade brasileira.  Criação da Incrementha, empresa para desenvolvimento de novos produtos e tecnologias via inovação incremental, em parceria com o Biolab Sanus.  Vários produtos em pipeline. FIOCRUZ
  31. 31. Um exemplo brasileiro:FIOCRUZ pesquisa desde a década de 70 umavacina para a esquistossomose
  32. 32. Brasil Somente 27% dos produtos no mercado são protegidos por patentes 22% 3,0 % vendas 26% 2,6 27% 2,9 27% 3,3 (US$) 74% 73% 73% 78% 2007 2008 2009 2012E sem exclusividade com exclusividadeSource: IMS / PMB – MAT ABRIL 2009
  33. 33. INOVAÇÃO NO BRASIL CELULAS TRONCO ENGENHARIA GENÉTICA NOVAS ENTIDADES QUÍMICAS “FOLLOW ON”:  INOVAÇÕES INCREMENTAIS  SEGUNDO USO MEDICO  POLIMORFISMO DROGAS PARA DOENÇAS NEGLIGENCIADAS DROGAS DE BIOTECNOLOGIA TRABALHOS CLÍNICOS, FASES 1, 2, 3 e 4
  34. 34. BRASILBIODIVERSIDADE
  35. 35. LEI DE INOVAÇÃO LEI Nº 10.973 DE 02/12/2004Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisacientífica e tecnológica no ambiente produtivo edá outras providências.Artigo 1º - Esta lei estabelece medidas deincentivo à inovação e à pesquisa científica etecnológica no ambiente produtivo, com vistas àcapacitação e ao alcance da autonomiatecnológica e ao desenvolvimento industrial dopaís, nos termos dos artigos 218 e 219 daconstituição.
  36. 36. LEI DE INOVAÇÃOEntrosamento (ou falta de) entre Universidade e Empresa
  37. 37. BRASIL TRABALHOS CIENTÍFICOS PUBLICADOS Em 2007 foram publicados 19.428 trabalhos científicos Rank Instituição Nº trabalhos 1 USP 4.804 2 UNICAMP 1.743 3 UFRJ 1.516 4 UNESP 1.378 5 UFRGS 1.176 6 UFMG 964 7 UNIFESP 782 8 FIOCRUZ 530 9 UFPR 530 10 UFSC 508Fonte: Balanço 2007 do CAPES - Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.
  38. 38. RANKING DAS INVENÇÕES Países com maior número de patentes 1º EUA 45.790 13º Finlândia 2.173 2º Japão 29.827 14º Austrália 1.800 3º Alemanha 16.736 15º Israel 1.578 4º Coréia do Sul 8.066 16º Espanha 1.423 5º China 7.946 17º Dinamarca 1.410 6º França 7.166 18º Áustria 1.072 7º Reino Unido 5.320 19º Bélgica 1.034 8º Holanda 4.471 20º Índia 761 9º Suécia 3.667 21º Noruega 648 10º Suíça 3.688 22º Rússia 569 11º Itália 2.718 23º Singapura 594 12º Canadá 2.572 24º BRASIL 480 MUNDO – 155.900Fonte: OMPI 2009
  39. 39. PATENTES CONCEDIDAS PELO USPTO PARA ALGUNS PAÍSES (% sobre o total mundial) Coréia do Sul China Índia 0,99 5,24 0,41 6 1 0,5 5 0,8 0,4 4 2,70 0,6 0,3 0,22 2,32 3 0,25 0,4 0,2 2 0,93 0,07 0,2 0,05 0,06 0,1 0,03 1 0 0 0 1994 1999 2004 2009 1994 1999 2004 2009 1994 1999 2004 2009 Espanha Rússia Brasil 0,19 0,12 0,12 0,2 0,16 0,12 0,10 0,12 0,14 0,14 0,1 0,1 0,15 0,08 0,08 0,06 0,06 0,06 0,06 0,1 0,06 0,04 0,06 0,04 0,04 0,05 0,02 0,02 0 0 0 1994 1999 2004 2009 1994 1999 2004 2009 1994 1999 2004 2009Fonte: FAPESP, OMPI, INPI, FIOCRUZ – 2009
  40. 40. Crescentes investimentos em P&D Pelas universidades brasileiras, pós lei de patentes  68% dos pedidos de patentes no UFMG período de 1990-2006 foram UNICAMP registrados em uma ou mais áreas relacionadas a saúde, fármacos ou USP alimentação*.  Universidade brasileira com maior UNICAMP número de patentes depositadas, com mais de 400 patentes.  Fitoterápico para menopausa patenteado e lançado no mercado brasileiro em parceria com a Steviafarma.  Criação em 2003 da Agência USP de USP Inovação para dar assistência técnica de PI a comunidade interna.* Prospectiva Consultoria
  41. 41. Alguns fatores que determinam a inovaçãoPropriedade intelectual é apenas um dos determinantes Marco regulatório propício. Economia que remunere o esforço pela inovação  Mercado, compras governamentais, incentivos fiscais. Parcerias público-privadas  Compartilhamento do risco. Cultura de inovação. Políticas públicas de incentivo a inovação  PITCE  Profarma  BNDES  Lei da inovação, Lei do Bem, ... Centros acadêmicos e de pesquisa de excelência. Respeito à propriedade intelectual.
  42. 42. De um lado o governo apóia a inovação... Criação de políticas públicas para fomento à inovação Propriedade Intelectual  Lei nº 9.279 de 14 de maio de 1996. Política Industrial Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE)  Políticas de incentivo à inovação tecnológica em geral e foco na biotecnologia. Profarma (Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Farmacêutica)  Financia investimentos destinados à pesquisa, desenvolvimento e inovação, cobrindo despesas associadas a inovações incrementais e ao desenvolvimento de novos farmoquímicos e medicamentos. Programa de Inovação da Produção (IP) do BNDES  Financia projetos de inovações incrementais, formação de capacitações e ambientes inovadores. Fundos Setoriais da FINEP, como o CT-Saúde  Busca a capacitação tecnológica nas áreas de interesse do SUS e o estímulo ao aumento dos investimentos privados.
  43. 43. De um lado o governo apóia a inovação...Criação de políticas públicas para fomento à inovação MP 495 de 19 de julho de 2010 Que modifica as Leis:  8.666/93 – Lei de licitações.  8.958/94 – Lei sobre as relações entre as instituições federais de ensino superior e de pesquisa científica e tecnológica.  10.973/04 – Lei de incentivos à inovação à pesquisa cientifica e tecnológica no ambiente produtivo.
  44. 44. ... de outro dificulta a inovaçãoArtigo 229-C• Três são os requisitos para patentes aceitos internacionalmente: – Novidade – Atividade inventiva – Aplicação industrial• “Art. 229-C. A concessão de patentes para produtos e processos farmacêuticos dependerá da prévia anuência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA." O artigo 229-C viola o TRIPS de três formas independentes (Artigos 27.1 - duplamente - e artigo 62.1).
  45. 45. ... de outro dificulta a inovaçãoArtigo 229-C Coordenação de Propriedade Intelectual (COOPI) da Anvisa emite parecer técnico, além do emitido pelo INPI, sobre a patentabilidade de um composto farmacêutico. Impactos:  Aumento do tempo de revisão do pedido.  Criação de incertezas devido às divergências de entendimento entre a COOPI e o INPI. COOPI tem posicionamento contrário às inovações incrementais, às patentes de segundo uso e à patenteabilidade dos polimorfos.
  46. 46. ... outra dificuldadeArtigo 10 da LPI Não se considera invenção nem modelo de utilidade: IX – O todo ou parte de seres vivos naturais e materiais biológicos encontrados na natureza, ou ainda que dela isolados, inclusive o Genoma ou Germoplasma de qualquer ser vivo natural e os processos biológicos naturais.
  47. 47. Conclusões Desenvolvimento de novos medicamentos:  Arriscado, longo e de alto custo. Crescente investimento em P&D e depósito de pedidos de patentes (novas moléculas, inovações incrementais ou de segundo uso) por empresas e instituições brasileiras:  Centros de pesquisa: Fiocruz, Butantã, ...  Universidades: UNICAMP, USP, UFMG, ...  Empresas: Biolab, Ache, Eurofarma, ... Investimentos em inovação e as patentes são ferramentas chave para a internacionalização das empresas farmacêuticas brasileiras e aumento da competitividade. Alguns fatores determinantes para o fomento da inovação no Brasil:  Respeito à propriedade intelectual e regras claras para sua aplicação.  Bom marco regulatório.  Políticas públicas de financiamento da P&D e incentivos fiscais.  Marco legal para parcerias público/ privadas.  PATENTES COMO ALAVANCA PARA O PROGRESSO.
  48. 48. Parceria para a Prosperidade... Universidades P&D Sistema de saúde  Médicos  Hospitais  Trabalhos clínicosIndústrias e  FarmacêuticosCentros de Pesquisas MDIC INPI Prevenção, Min. Saúde Tratamento, Cura e ANVISA Qualidade de Vida GOVERNO MCT EXECUTIVO, LEGISLATIVO E JUDICIÁRIO

×