Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais

on

  • 232 views

Palestra realizada pela Sra. Renate Landshoff no E-DOC 2012 Curitiba.

Palestra realizada pela Sra. Renate Landshoff no E-DOC 2012 Curitiba.

Statistics

Views

Total Views
232
Views on SlideShare
232
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais Presentation Transcript

  • Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais Renate Landshoff eDoc – Curitiba – PR - 2012
  • Tópicos Findability Perfis cognitivos de usuários Findability: elementos essenciais para a recuperação da informação em ambientes digitais Perfis cognitivos de usuários Metadados e a representação descritiva Taxonomia, Tesauro e Folksonomia Busca Tendências
  • DA WEB 1.0 PARA A WEB 2.0 Web 1.0 leva as pessoas à informação Na Web 2.0 pessoas interagem entre si com e a partir de informação
  • AAAA explosão da informação Dadosfera Rio de Janeiro – junho de 2012
  • AAAA explosão da informação Big Data! (dilúvio de dados) Rio de Janeiro – junho de 2012
  • A explosão da informação “Big Data “é o principal tema na agenda dos“Big Data “é o principal tema na agenda dos“Big Data “é o principal tema na agenda dos“Big Data “é o principal tema na agenda dos CIOsCIOsCIOsCIOs ... a explosão dos dados e informações, fenômeno mais conhecido como "Big Data", é o tema mais importante em 2012 e 2013, conforme o estudo do IDC Financial Insights:IDC Financial Insights:IDC Financial Insights:IDC Financial Insights: BrazilBrazilBrazilBrazil ITITITIT InvestmentInvestmentInvestmentInvestment TrendsTrendsTrendsTrends 2012/20132012/20132012/20132012/2013, recém-elaborado a partir de entrevistas com 472012/20132012/20132012/20132012/2013, recém-elaborado a partir de entrevistas com 47 instituições financeiras no País, entre bancos e seguradoras. Bigdata no Google em 11 ago = 244.000.000 resultados (0,30 segundos) Fonte: http://www.idclatin.com acessado em 22 de junho de 2012
  • A explosão da informação Segundo o Gartner, os bancos de dados relacionais não têm tratamento/ performance adequada para as estruturas gigantesca de dados que estão sendo criadas/produzidas. Até 2015, mais de 85% das organizações da Fortune 500 não vãoAté 2015, mais de 85% das organizações da Fortune 500 não vão conseguir administrar “Big Data” efetivamente para tomada de decisões estratégicas. A informação desestruturada aumenta exponencialmente. Temos de rever o ciclo da informação nos bancos de dados.
  • A explosão da informação Apagão de profissionais da informação e de TI! Serão necessárias outras competências! A explosão da informação exige mais cuidado com os filtros, com as tecnologias, com o motor de busca e com o tratamento da informação! Estamos diante de novas tecnologias cognitivas, pois elas alteram nossa forma de pensar e se comunicar.
  • O Brasil passou o Japão e se tornou o segundo país com o maior número de usuários doTwitter, de acordo com uma pesquisa da empresa Rio de Janeiro – junho de 2011 pesquisa da empresa Semiocast. O país tem 33,3 milhões de usuários contra 29,9 milhões do Japão.
  • A explosão da informação O momento é de inovação Inovação aberta- Henry Chesbrough, 2003 – de dentro para fora das empresas; Co-criação - Prahalad&Ramaswamy, 2004 - consumidor ativista; Crowdsourcing – Jeff Howe, 2006 - é um modelo de criação e/ou produção, que conta com a mão-de-obra e conhecimento coletivos, para desenvolver soluções e criar produtos.
  • A explosão da informação O momento é de inovação Inovação aberta- Henry Chesbrough, 2003 – de dentro para fora das empresas; Co-criação - Prahalad&Ramaswamy, 2004 - consumidor ativista; Crowdsourcing – Jeff Howe, 2006 - é um modelo de criação e/ou produção, que conta com a mão-de-obra e conhecimento coletivos, para desenvolver soluções e criar produtos.
  • CENÁRIO Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability MORVILLE, Peter. Ambient Findability: what we find changes who we become. Sebastopol: O'Reilly, 2005. O que encontramos nos transforma!
  • Findability É a capacidade de encontrar determinada informação, otimizando a experiência que os usuários terão em um ambiente digital. Quando pensamos em Findability? Quando queremos posicionar nosso site para que ele sejaQuando queremos posicionar nosso site para que ele seja encontrado por um motor de busca (SEO) Quando desenvolvemos um site e aplicamos os conceitos de Usabilidade e Arquitetura da Informação Quando queremos recuperar uma informação/conteúdo digital
  • Findability Lev Manovich - http://manovich.net/ Foco: Dar sentido à informação, trabalhar com ela e produzir conhecimento a partir da informação.
  • “Uma vez diante de milhares de registros, nós não podemos vê-los de uma vez com nossos olhos. Temos de usar técnicas de computação de busca, de combinação e de seleção. Nós colocamos alguns termos num campo de busca e esperamos que o Findability Nós colocamos alguns termos num campo de busca e esperamos que o computador encontre os registros adequados. Um banco de dados é tão amplo que ele não pode ser disponibilizado de uma vez, ele existe além da escala da percepção e cognição humana. Para mim, essa nova escala “não-humana” representa uma qualidade essencial” de um banco de dados e algo que eu gostaria de ver como fonte de exploração pelos artistas.” Lev Manovich.
  • Findability Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Lúcia Santaella Navegando no Ciberespaço: perfil cognitivo do internauta/usuário Perfil cognitivo do usuário “Não há separação entre corpo e mente”
  • Perfil de três tipos de leitores tradicionais da hipermídia (conjunto de signos do ciberespaço e suas linguagens) o contemplativo: é aquele da idade pré-industrial, da era do livro impresso e da imagem expositiva, fixa Perfil cognitivo do usuário o movente: é o leitor do mundo em movimento, dinâmico, filho da Revolução Industrial e do aparecimento dos grandes centros urbanos o imersivo: é o leitor que surgiu a partir dos novos espaços virtuais – os ciberespaços.
  • Abordagem tradicional Considera a informação como externa, objetiva, alguma coisa que existe fora do indivíduo. Informação, nesse contexto tradicional, existe em um mundo ordenado e é capaz de ser descoberta, definida e medida. Abordagem cognitiva se insere no paradigma centrado no usuário, que Perfil cognitivo do usuário Abordagem cognitiva se insere no paradigma centrado no usuário, que leva em consideração os sentimentos, a percepção, o modo como as pessoas aprendem, e também os aspectos do comportamento de busca e de uso de informação. Hoje, ainda organizamos a informação em uma abordagem tradicional!Hoje, ainda organizamos a informação em uma abordagem tradicional!Hoje, ainda organizamos a informação em uma abordagem tradicional!Hoje, ainda organizamos a informação em uma abordagem tradicional!
  • O que o usuário deseja? serviços interativosserviços interativosserviços interativosserviços interativos que potencializem todos os recursos tecnológicos Perfil cognitivo do usuário personalizados e contextualizadospersonalizados e contextualizadospersonalizados e contextualizadospersonalizados e contextualizados, o que significa: serviços comprometidos com grupos específicos de comunidades, tratando de identificar suas necessidades intrínsecas. Promovendo o “Sense Making” relevantes com valor agregadorelevantes com valor agregadorelevantes com valor agregadorelevantes com valor agregado, isto é, que venham ao encontro de suas expectativas e conveniências
  • Criando significado O modelo de uso de informação proposto por Choo (2003) identifica e relaciona os principais elementos que influenciam o comportamento do indivíduo quando busca e usa a informação. O modelo apresenta três estágios: Perfil cognitivo do usuário a necessidade de informação a busca de informação o uso da informação. As bases conceituais do modelo apresentado por Choo estão na abordagem cognitiva de criação do significado, desenvolvida e aplicada por Brenda Dervin (sensemaking).
  • “Informação estruturada que descreve, explica, localiza, ou ainda possibilita que um recurso informacional seja fácil de recuperar, usar ou gerenciar. O termo metadados freqüentemente designa dados sobre dados, ou informação sobre informação.” NISO – National Information Standards Organization Temos de pensar em novos formatos de produção e distribuição do conhecimento em uma cultura de rede orientada para a inteligência distribuída. Metadados distribuída. Estrutura a informação Qualifica a informação criando significado! Fundamental para a preservação de acervos digitais e governança sobre o ciclo da informação.
  • Biblioteca digital da Unicamp Metadados: qualifica a informação 21 de março de 201
  • Taxonomia – estrutura hierárquica e lógica que possibilita a representação da informação e navegação em um ambiente digital. Aplicações Taxonomia de navegação – menu de um site Findability: Taxonomia Taxonomia de busca – opção no processo de busca Sistema de navegação combinado com o sistema de busca! “Cerca de 1/3 das pessoas que nós testamos normalmente tentam a busca como suas estratégias iniciais e as outras recorrem a ela quando não conseguem uma resposta seguindo os links (navegando).” Rosenfeld, L & Morville, Peter.
  • http://florabrasiliensis.cria.org.br Contém tratamentos taxonômicos de 22.767 espécies reunidos em 15 volumes divididos em 40 partes, com um total de 10.367 páginas. 21 de março de 201
  • http://florabrasiliensis.cria.org.br Contém tratamentos taxonômicos de 22.767 espécies reunidos em 15 volumes, divididos em 40 partes, com um total de 10.367 páginas. 21 de março de 201
  • 21 de março de 201
  • 21 de março de 201
  • www.aadl.org 21 de março de 201
  • FolksonomiaFolksonomia –– Indexação colaborativaIndexação colaborativa Folksonomia (Folk + Taxonomia) para designar essa evolução, representando a técnica no qual as pessoas utilizam termos para categorizar, organizar ou atribuir significado aos recursos disponíveis na Web de forma compartilhada e livre A partir de meados de 2002, muitos sites passaram a permitir o usos Findability: Folksonomia A partir de meados de 2002, muitos sites passaram a permitir o usos de palavras simples (tags) para criarem significado ao conteúdo encontrado Essa prática consolidou-se com a Web 2.0, quando o Flickr e o Delicious passaram a adotar esse recurso. Mas ainda não chegou nas nossas bibliotecas digitais!
  • Ann Arbor Digital Library - http://www.aadl.org 21 de março de 201 Campo para inserir tag
  • Findability: Folksonomia Rio de Janeiro – junho de 2012
  • FolksonomiaFolksonomia –– Indexação colaborativaIndexação colaborativa A folksonomia, utilizada por si só, não representa uma solução para encontrar a informação, mas serve de recurso para os ambientes que necessitam controlar seus vocabulários e, ao mesmo tempo, lidar com a diversidade de usuários. Delicious - http://www.delicious.com Findability: Folksonomia Delicious - http://www.delicious.com Last FM - http://www.lastfm.com.br AADL - http://www.aadl.org
  • Findability: Tesauro http://regional.bvsalud.org/php/decsws.php?tree_id=C03&lang=pt Rio de Janeiro – junho de 2012
  • A abordagem Sense-Making, desenvolvida por Brenda Dervin (1986) Para descrever padrões de busca de informação, deve-se admitir o indivíduo como o centro do fenômeno e considerar a visão, as necessidades, as opiniões e as dificuldades desse indivíduo como elementos significantes e influentes que merecem investigação. Para o desenvolvimento do modelo Sense Making, cada momento deve ser Findability: sensemaking Para o desenvolvimento do modelo Sense Making, cada momento deve ser considerado um novo momento, mesmo que seja a repetição de comportamentos passados. Neste sentido, é importante observar como o indivíduo interpreta e transpõe este momento. Qual a estratégia usada para solucionar a situação que gerou resultado zero. Como o usuário reinicia uma nova fase de busca da informação.?
  • Um Sistema de Busca se desdobra em 4 partes Interface simples/avançada Página com resultado Ajuda Página sem resultado
  • Design de interaçãoDesign de interaçãoDesign de interaçãoDesign de interação ---- trabalha com os elementos interativos da interface, utilizando padrões e técnicas comuns entre os usuários Design de interfaceDesign de interfaceDesign de interfaceDesign de interface ---- envolve os projetistas de sites, aplicativos, jogos e outras tecnologias que dependem de uma interação humano computador. Os projetistas são responsáveis por criar interfaces amigáveis e com elementos de interação já projetados pelo design de Findability: Busca amigáveis e com elementos de interação já projetados pelo design de interação. Design de informaçãoDesign de informaçãoDesign de informaçãoDesign de informação - deve estar presente em todas as etapas. Através do design de informação são criadas adequações visuais para toda a informação que será disponibilizada.
  • Findability: Busca www.ibict.br Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca www.portacurtas.com.br Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca http://www.scielo.br/cgi-bin/wxis.exe/iah/ Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca www.webmotors.com.br Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Busca http://www4.ensp.fiocruz.br/biblioteca/home/ Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Resultado de busca Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Resultado de busca http://www.sapientia.pucsp.br/tde_busca/index.php?tipoPesquisa=1 Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Resultado de busca http://www.sapientia.pucsp.br/tde_busca/index.php?tipoPesquisa=1 Mestrado ou Doutorado? Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Findability: Resultado de busca http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=CMUHE014909&opt=1 Rio de Janeiro – junho de 2012
  • Recomendações Permitir opções de ordenação por alguns campos Disponibilizar filtros para refinar a busca Definir a relevância a partir dos algoritmos do motor de busca Findability: Resultado de busca Definir a relevância a partir dos algoritmos do motor de busca Acompanhar os logs de busca (IP, termo, data da pesquisa, resultado Obtido) Perfil de informação a ser buscada é determinante para definir o resultado de busca!
  • Se o site tiver uma grande variedade de conteúdo e for muito dinâmico, melhor investir mais na interface que na navegação. Foco no usuário, conteúdo e contexto: há muita subjetividade, diversos perfis cognitivos e modelos mentais, sem contar o regionalismo e jargões de cada área. Ofereça o máximo de elementos de ajuda. Pop up, exemplos, Findability: Busca Ofereça o máximo de elementos de ajuda. Pop up, exemplos, explicações simples e básicas e navegação por índices. Evite busca cega!
  • Curador de informação – é o profissional capaz de filtrar informações relevantes e compartilhar promovendo a inteligência coletiva Exemplo de filtro: GoogleReader “O curador como filtrador / O curador como agenciador A plataforma como dispositivo curatorial” – Gisele Beiguelman Web Semântica: um processo de construção da opinião coletiva pautado por plataformas baseadas em algoritmos. Tendências pautado por plataformas baseadas em algoritmos. Será a busca perseguindo a criação de significado. A sociedade vive na era da pós-ideia, ou seja, os indivíduos se tornaram grandes acumuladores de fatos e informações, mas já não conseguem desenvolver um pensamento crítico e profundo. Caminhamos em direção a um mundo em que a web está nos mostrando o que queremos ver, mas não necessariamente o que nós precisamos ver. Neal Gabler, especialista em mídia (2011)
  • As ciências devem se aproximar! Ciência da Informação - Computação - Comunicação e Semiótica Áreas de estudo: Nuvem de Tags Representação descritiva Vocabulário controlado Sensemaking Arquitetura da Informação UsabilidadeUsabilidadeUsabilidadeUsabilidade Interação Humano-Computador (IHC) Design centrado no usuário Busca Web 2.0.... Curadoria de informação
  • BEIGUELMAN, Giselle - http://www.desvirtual.com CHOO, W. C. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado. São Paulo: Senac, 2003. MANOVICH, LEV - http://manovich.net/ MORVILLE, P. Ambient Findability. 1 ed. Cambridge: O’Reilly, 2005a. 188p ROSENBAUM, Steve autor do livro “Curation Nation” e CEO da Magnify.net - http://bit.ly/LpuS90 “ a habilidade humana de organizar a tsunami de informações da web é cada vez mais importante.”
  • Obrigada!Obrigada!Obrigada!Obrigada! Renate landshoff renaland@gmail.comrenaland@gmail.com Facebook: http://on.fb.me/IttWer Linkedin: http://linkd.in/cCSnYJ