Your SlideShare is downloading. ×
0
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Atribuições e limites de atuação do Esteticista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Atribuições e limites de atuação do Esteticista

13,097

Published on

Published in: Education
3 Comments
1 Like
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
13,097
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
202
Comments
3
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. MÓDULOAMBIENTAÇÃOPROFISSIONALAnalisar o campo e organização do trabalhoDocente Ilen Marzocca
  • 2. Âmbito de atuação profissional CBO – Classificação Brasileira de Ocupações 3221 – Tecnólogos e técnicos em terapias alternativas e estéticas 3221-05 – Técnico em Acunpuntura 3221-10 – Podólogo 3221-15 – Técnico em quiropraxia 3221-20 – Massoterapeuta 3221-25 – Terapeuta holístico 3221-30 – Esteticista
  • 3. Esteticista Sinônimos : Esteticista corporal, Esteticista facial, Tecnólogo em cosmetologia e estética, Tecnólogo em cosmetologia estética corporal e facial, Tecnólogo em estética, Tecnólogo em estética corporal, facial e capilar, Tecnólogo em estética e cosmética, Técnico em estética
  • 4. Descrição sumária(resumo) Aplicam procedimentos estéticos e terapêuticos manipulativos. Avaliam as disfunções fisiológicas, sistêmicas, e inestéticas dos pacientes/clientes. Recomendam a seus pacientes/clientes o uso de cosméticos, cosmecêuticos e óleos essenciais visando a saúde e bem-estar.
  • 5. Formação e experiência(resumo) A formação requerida para os esteticistas é a de nível técnico de nível médio ou graduação em tecnologia. O exercício pleno das atividades para o esteticista, ocorre após um período de aproximadamente dois anos de experiência profissional.
  • 6. Condições gerais de exercício Atuam na área da saúde, serviços sociais e serviços pessoais. Os Esteticistas podem atuar de forma individual ou em equipes. Executam sua funções em ambiente fechado, sem supervisão e em horário diurno, não obstante os esteticistas podem, também, trabalhar em horários irregulares.
  • 7. Áreas de Atividade (resumo)A – Aplicar Procedimentos EstéticosA.1 – Selecionar técnica, tipo de terapia e recurso de trabalhoA.2 – Selecionar estímulosA.3 – Planejar procedimentosA.5 – Prepara pacientes/clientesA.11 – Desintoxicar organismoA.14 – Palpar estruturas musculares e tegumentarA.15 – Aplicar estímulos manipulativosA.20 – Equilibrar tônus muscular
  • 8. Áreas de atuação (cont.)A.24 – Aplicar radiações frequenciais de luzA.25 – Aplicar procedimentos em pré e pós cirúrgicosA.26 – Aplicar técnicas de eletroterapia (pré e pós cirúrgica, tratamentos facial, corporal e capilar)A.27 – Aplicar técnicas de revitalização, prevenção e manutenção facial, corporal e capilarA.28 – Aplicar técnicas de maquiagemA.29 – Aplicar técnicas de limpeza de peleA.30 – Aplicar técnicas de micropigmentaçãoA.31 – Aplicar técnicas de depilaçãoA. 32 – Aplicar técnicas de design de sobrancelha
  • 9. B – Realizar tratamento e correçãoestéticosB.1 – Aplicar emolientes, medicamentos, cosméticos e cosmecêuticosB.10 – Realizar massagem relaxanteC – Avaliar disfunçõesC.1- Realizar avaliação do paciente/clienteC.2 – Avaliar sinais e sintomasC.4 – Tomar medidas antropométricasC.15 – Encaminhar paciente a outros profissionaisC.15 – Identificar disfunções inestéticas facial, corporal e capilar
  • 10. D – Administração clínica/espaçoestéticoD.1 – Agendar consultas/atendimentosD.2 – Cadastrar cliente/pacienteD.3 – Estabelecer contrato com cliente/pacienteD.4 – Controlar estoqueD.5 – Treinar pessoalD.6 – Administrar finançasD.7 – Providenciar manutenção da clínica/espaçoD.8 – Divulgar serviçosD.9 – Arquivar cadastro cliente/pacienteD.10 – Adquirir produtos/equipamentos
  • 11. E- Trabalhar com segurançaE.1 – Higienizar local de trabalhoE.2 – Usar EPIE.4 – Trabalhar com postura ergonômicaE.5 – Armazenar produtosE.6 – Descartar material e/ou produtos com validade vencidaE.9 – Efetuar assepsia no localE.10 – Efetuar antissepsia no paciente/clienteE.11 – Paramentar cliente/paciente
  • 12. Y – Comunicar-seY.1 – Ouvir paciente/clienteY.2 – Explicar técnicas e procedimentosY.3 – Informar paciente/cliente sobre sua condiçãoY.5 – Orientar paciente/cliente sobre medidas preventivasY.6 – Recomendar exercíciosY.11- Ministrar aulas, cursos e palestrasY.12 – Registrar informações técnicasY.13 – Produzir relatóriosY.14 – Frequentar feiras e congressosY.15 – Prescrever cosméticos e cosmecêuticosY.16 – Prestar consultoria
  • 13. Z – Demonstrar competênciaspessoaisZ.1 – Demonstrar Z.8 – Demonstrar coordenação motora fina capacidade de escutaZ.2 – Demonstrar Z.9 – Demonstrar habilidade percepção sensorial manualZ.3 – Demonstrar Z.10 – Demonstrar visão percepção intuitiva holísticaZ.4 – Trabalhar em equipe Z.11 – Demonstrar multi e interdisciplinar condicionamento físicoZ.5 – Demonstrar trabalhar Z.12 – Demonstrar senso sobre pressão estéticoZ.6 – Demonstrar auto Z.13 – Demonstrar conhecimento capacidade de persuasãoZ.7 – Demonstrar empatia Z.14 – Demonstrar liderança Z. 15 – Demonstrar criatividade
  • 14. Recursos de trabalho Lavatório Lupa EPI – Equipamento de Proteção Individual Aparelho de altafrequência Avental, papel e lenços descartável Luvas de procedimento Balança Gaze, algodão Cosmético Aparelho de laser Maca Produtos Químicos Aparelhos eletroterápicos
  • 15. Glossário Cosmecêuticos – cosméticos que possuem ingredientes farmacologicamente ativos o que confere características intermediárias entre cosméticos e os medicamentos.
  • 16. CÓDIGO DE ÉTICA DOPROFISSIONALESTETICISTAASSOCEMSP
  • 17. Capítulo I Dos Princípios Gerais Art. 1º - O código de ética do Esteticista tem por objetivo estabelecer normas de conduta deste profissional. Art. 2º - Considera-se Esteticista o portador de diploma de Tecnólogo ou de Graduação na área, expedido por instituições de ensino superior ou de diploma da Habilitação Profissional de Técnico, em nível médio, expedido por instituições e cursos de nível médio, devidamente autorizado. Art. 3º - O Esteticista, no exercício de suas funções, deve comprometer-se com as seguintes disposições: I. Realizar seu trabalho/atividade com responsabilidade, promovendo seu desempenho pessoal, profissional, científico e ético. II. Agir de forma a manter a honra e a dignidade de sua classe. III. Evitar qualquer posicionamento em que seus interesses entrem em conflito com suas responsabilidades. IV. Prevenir, corrigir e atenuar alterações estéticas. V. Reconhecer alterações patológicas e restrições a esses atendimentos. Art. 4º - A Associação dos Profissionais de Cosmetologia, Estética e Maquilagem do Estado de São Paulo - Assocemsp, como entidade de classe, zelará pelo cumprimento integral deste Código de Ética.
  • 18. Capítulo II Do Exercício Profissional Art. 5º - O Esteticista, no exercício de suas funções, tem o dever de: I. Realizar apenas os procedimentos permitidos ao seu nível de competência. II. Manter-se atualizado quanto aos conhecimentos técnico-científico relacionados à profissão. III. Exercer suas funções com elevado padrão de qualidade, zelo, discrição e honestidade. IV. Sugerir a clientes, sempre que detectar necessidades, serviços de profissionais especializados. Art. 6º - É vedado ao Esteticista, no exercício de suas funções: I. Prescrever medicamentos ou aplicar/indicar tratamento relativos à saúde do indivíduo. II. Induzir pessoas a recorrerem aos seus serviços. III. Prolongar desnecessariamente as sessões de procedimento estético. IV. Aplicar qualquer procedimento invasivo. V. Divulgar resultados e métodos de pesquisas não realizadas por si. VI. Atrair clientes mediante a propaganda falsa, que ponha em risco a credibilidade da classe. VII. Utilizar ou divulgar produtos que não estejam cientificamente comprovados
  • 19. Capítulo III Do Respeito com Clientes Art. 7º - O Esteticista, com relação aos clientes, deve: I. Respeitar a individualidade, dignidade e direitos fundamentais da pessoa humana. II. Respeitar as convicções religiosas, políticas e filosóficas do cliente. III. Informar antecipadamente, ao cliente, os procedimentos a serem aplicados, definindo as possibilidades e limites profissionais do esteticista. IV. Manter comportamento ético, incluindo o sigilo profissional.
  • 20. Capítulo IV Das Relações com outros Profissionais Art. 8º - O Esteticista no exercício de suas funções se relacionará com seus pares e outros profissionais de área afins e correlatas, devendo: I. Executar os procedimentos estando nos limites permitidos. II. Reconhecer situações especiais que requeiram intervenção de especialista, encaminhando clientes a tratamentos específicos. III. Manter comportamento ético com seus pares evitando críticas ou praticando atos que prejudiquem seu trabalho ou sua reputação. IV. Enaltecer a atuação do Esteticista, no sentido de elevar o nível de respeito reconhecimento de sua categoria profissional.
  • 21. Capítulo V Das Relações com Entidades de Classe Art. 9º - O Esteticista, no exercício de suas funções, deverá: I. Filiar-se às entidades de classe representativas da profissão. II. Colaborar com a entidade de classe, objetivando fortalecer o respeito pela profissão. III. Colaborar com entidade representativa da profissão em suas atividades. IV. Comunicar às entidades competentes, situações de exercício ilegal da profissão ou da conduta profissional em desacordo com esse código. Art. 10º - O Esteticista receberá das entidades de classe a que estiver filiado, o apoio necessário para: I. Exercer com clareza e ética as atividades inerentes a sua profissão. II. Tornar a profissão reconhecida pelo mercado de trabalho. III. Manter-se em dia com os avanços e as inovações do seu setor produtivo. IV. Conseguir, dentro de sua possibilidade, excluir os profissionais que não possuam necessária formação e competência profissional.
  • 22. Capítulo VI Da Divulgação e Publicidade Art. 11 - O Esteticista, no exercício de sua profissão, não deve: I. Propagar ou promover qualquer matéria que não contenha dados reais. II. Participar apenas de eventos que sejam aprovados pela entidade de classe. III. Descumprir na divulgação de seu trabalho, as normas do código de defesa do consumidor. IV. Divulgar informações confidenciais sobre clientes ou empresa que exerça suas funções.
  • 23. Capítulo VII Das Penalidades Art. 12º - Qualquer desrespeito aos artigos desse código de ética, ou colocar qualquer atividade negativa em detrimento às entidades de classe ou à profissão, serão considerados como conduta sujeita à ação disciplinar. Art. 13º - O Esteticista ao infringir as regras desse código de ética, no exercício de suas funções sofrerá as seguintes: I. Advertência. II. Censura. III. Suspensão da inscrição ou matrícula, na entidade de classe, por prazo determinado. IV. Exclusão do quadro da entidade de classe. § 1º - Os atos de advertência e censuras são atos confidenciais e reservados. § 2º - Os atos de suspensão e exclusão se tornarão públicos aos demais associados. Art. 14º - Da aplicação de qualquer penalidade caberá recurso no prazo de 30 (trinta) dias. Art. 15º - Compete à entidade de classe, na jurisdição do esteticista infrator, a apuração das faltas cometidas contra este código de ética e aplicações de penalidades.
  • 24. Capítulo VIII Das Disposições Finais Art. 16º - O profissional participará da entidade a que esta filiado, pagando as taxas anuais estipuladas. Art. 17º - Este código de ética entrará em vigor a partir da sua data de publicação.

×