Your SlideShare is downloading. ×
Triste fim de policarpio quaresma
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Triste fim de policarpio quaresma

8,724

Published on

Published in: Technology, Travel
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
8,724
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
77
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Triste Fim de Policarpio Quaresma Lima Barreto
  • 2. Personagens • POLICARPO QUARESMA – o protagonista, cuja principal característica é o nacionalismo exacerbado. Nas palavras do autor, “um homem pequeno, magro, que usava pincenez, olhava sempre baixo, mas, quando fitava alguém ou alguma cousa, os seus olhos tomavam, por detrás das lentes, um forte brilho de penetração, e era como se ele quisesse ir à alma da pessoa”. Policarpo vestia-se sempre de fraque, “e era raro que não se cobrisse com uma cartola de abas curtas e muito alta, feita segundo um figurino antigo”. ADELAIDE – mulher bonita, mas de temperamento apático. Irmã de Policarpo, tem enorme apreço por ele. VICENTE COLEONI – italiano, grande amigo do protagonista, com quem tinha uma dívida de gratidão: Policarpo lhe emprestara dinheiro uma vez, tirando-o de grande dificuldade.
  • 3. PERSONAGENS • OLGA – filha de Vicente Coleoni, afilhada de Policarpo, vivia com o pai num palacete em Real Grandeza. ANASTÁCIO – empregado fiel que se muda, com Adelaide e Policarpo, para o sítio Sossego. RICARDO CORAÇÃO DOS OUTROS – violonista popular, outro grande amigo de Policarpo.
  • 4. PERSONAGENS • GENERAL ALBERNAZ – general aposentado, nunca participou de nenhuma guerra. Tem cinco filhas: Quinota, Zizi, Lalá, Vivi e Ismênia. CONTRA-ALMIRANTE CALDAS – grande amigo do general Albernaz, com quem partilha glórias inventadas. Nunca comandou navio nenhum, a única embarcação que lhe foi designada não existia. DONA MARICOTA – mulher de Albernaz, figura altiva e opulenta. ARMANDO BORGES – médico que se casa com Olga, corrupto e ambicioso, é desprezado pela esposa. FELIZARDO E CANDEEIRO – empregados do sítio Sossego.
  • 5. PERSONAGENS • TENENTE ANTONIO DUTRA – homem gordo e guloso, um escrivão cheio de ambições políticas, usa a imprensa da cidade de Curuzu para atacar Policarpo. DOUTOR CAMPOS – médico que abandonara a profissão para se tornar político. Obtém o cargo de presidente da Câmara de Curuzu. Tenta corromper Policarpo e em seguida se torna seu inimigo porque esse se recusa a tomar parte na armação.
  • 6. Espaço e Tempo • A história ocorre durante o governo de Floriano.
  • 7. Aspectos Importantes do Livro • Obra da época Pré-modernista, caracterizada pela critica ao governo e a retratação dos problemas sociais brasileiros. O LIVRO: Explora personagens populares; Valoriza a vida suburbana (RJ); Crítica as instituições (Governo e exército); Caricatura dos poderosos; Coloquialismo; Visão crítica sobre a classe média e a pequena burguesia;
  • 8. Enredo • Policarpo Quaresma era um homem extremamente nacionalista, um sonhador, sonhava e enaltecia a pátria, e ai de quem falasse alguma coisa contra a sua pátria, defendi-a com unhas e dentes tudo o que esta terra tinha de bom para oferecer, desde o primeiro capítula isto fica claro, comprava livros e livros de história e geografia para conhecer a fio cada espaço desse país. Ele era um homem muito reservado e calmo, só se enraivecia quando falavam mal do Brasil em sua frente. Vivia com a irmã Adelaide que nunca se casara e possuía poucos amigos.
  • 9. ENREDO • Foi então em um dos seus surtos de patriotismo que Policarpo mandou um requerimento à Câmara onde propunha que o língua portuguesa fosse substituída pelo tupi, segundo ele o tupi era uma língua verdadeiramente brasileira, cultura de um povo inteligente, uma identidade, ao contrário do português que era uma língua emprestada a nós. Como conseqüência disto, Quaresma virou motivo de piada de todos os jornais do Rio, foi dito como louco, afastado de seu cargo, e acabou indo para um manicômio.
  • 10. ENREDO • Em sua longa temporada que passou no manicômio, Quaresma aprendeu à controlar seus impulsos nacionalistas. Logo após sair de lá, mudou-se para um sítio, que, ao contrário de que todos esperavam, fez fortalecer seus ideais patriotas, e lá pode ver e sentir a dificuldade que os pequenos fazendeiros tinham em plantar vender, “Nossas terras são as mais férteis do mundo”, dizia ele, porém a dificuldade que se tinha de passar para deixar essas terras produtivas era muito maior.
  • 11. ENREDO • Estoura então a Revolta da Armada no Rio, sobe o governo de Floriano Peixoto, Quaresma como um bom patriota oferece seu apoio e serviços a Floriano Peixoto, e aproveitada para expor as dificuldades e suas idéias para melhor a agricultura no Brasil. Contudo após meses em meio a uma guerra urbana, Quaresma vê desfarelá-se seus sonhos quando Floriano o chama de “Visionário”.
  • 12. ENREDO • Logo após o término da Revolta da Armada, quando Quaresma é designado como carcereiro dos revoltosos na Ilha das Enxadas, e lá ele presencia um oficial recolhendo alguns presos para serem executados, Quaresma então se revolta com aquela cena e vai pedir satisfações ao palácio, ao fazer isso é tido como um dos revoltosos.
  • 13. ENREDO • Ele é preso e condenado à morte, preso pelo próprio país ao qual sempre engrandeceu e o defendeu com unhas e dentes, durante o tempo que ele passa preso ele repensa em tudo que já fez em prol do seu país, e conclui que aquilo tudo foi em vão. Ricardo tenta então salvar seu amigo, porém, ao recorrer aos amigos de Quaresma, dá com a cara na porta, pois ninguém queria ir contra o governo, até que Olga tenta ajudá-lo, mas sem efeito.

×