21/05/2014
1
Sistema de Estimativa de Emissão de Gases
de Efeito Estuda
Arranjo de Implementação
• SEEG é promovido pelo O...
21/05/2014
2
SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 3
SBDIMA –
Sociedade Brasileira
de Direito
Internacional do
Meio Ambiente
SEEG >...
21/05/2014
3
SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 51990
1991
1992
1993
1994
1995
1996
1997
1998
1999
2000
2001
2002
2003
2004
2005...
21/05/2014
4
SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 7
SEEG >> METODOLOGIA >> Etapas 9
Revisão da
Metodologia
IPCC e do 2º
Inventário...
21/05/2014
5
SEEG >> METODOLOGIA >> caracteristicas 10
• Escopo de Gases
• Emissões Brutas e Líquidas
• CO2e GWP e GTP
SEE...
21/05/2014
6
SEEG >> METODOLOGIA >> caracteristicas 12
• Escopo de Gases
• Emissões Brutas e Líquidas
• CO2e GWP e GTP
SEE...
21/05/2014
7
SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 15
2º inventário SEEG
Existência do
Dado
Disponibilida
de do Dado
ENERGIA 29% 436...
21/05/2014
8
SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 17
61 % 32 % 7 %
93% confiável para estimativa
1990 1995 2000 2005 2010
Agropecua...
21/05/2014
9
SEEG 2.0
• Completar a série história com dados desde 1972
• Produzir estimativas para todos os 27 estados
19...
21/05/2014
10
SEEG >> METODOLOGIA >> estrutura dos dados 21
1,49 Gt CO2e
1,39 Gt CO2e
SEEG >> RESULTADOS 22
21/05/2014
11
SEEG >> RESULTADOS 23
SEEG >> RESULTADOS 24
21/05/2014
12
SEEG >> RESULTADOS 25
Setores 1.990 1.995 2.000 2.005 2.009 2.010 20.122 2.012
Agropecuaria 303.729 335.801 ...
21/05/2014
13
AGROPECUÁRIA >> RESULTADOS 27
84%
13%
3% Fermentação Entérica
bovino de corte
vaca leiteira
outros animais
1...
21/05/2014
14
Emissões de CO2e nos principais setores de consumo29
0
20
40
60
80
100
120
140
160
180
200
220
1990 1992 199...
21/05/2014
15
0
2
4
6
8
10
12
14
16
18
20
22
1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012
MtCO2e
Emissões d...
21/05/2014
16
Emissões de CO2e pela queima de combustíveis na indústria, 2012
Cimento
16,9 Mt (18,6%)
Química
14,7 Mt (16,...
21/05/2014
17
INDÚSTRIA >> RESULTADOS 35
Emissões históricas por subsetor
-
5.000.000
10.000.000
15.000.000
20.000.000
25....
21/05/2014
18
Mudanças de Uso da Terra
e Florestas
Estimativas Emissões GEE 1990-2012
MUT>> CARACTERÍSTICAS DO SETOR 40
Fo...
21/05/2014
19
MUT>> ESCOPO DAS ESTIMATIVAS DO SETOR 41
Atmosfera
Emissões
instantâneas
por queima
Emissões graduais por de...
21/05/2014
20
MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 43
1994 2002
Escala de mapeamento 1:250.000
Área mínima mapeável 6 hecta...
21/05/2014
21
MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 45
MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 47
As médias de estoques de carbo...
21/05/2014
22
MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 48
Dados de biomassa para o bioma Amazônia
Dados de estoques de carbono ...
21/05/2014
23
MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 50
Relatório
MCT
Imazon
Estratégia 1.
Desenvolvemos uma
ferramenta para
...
21/05/2014
24
MUT>> MÉTODO BASEADO EM MCTI (2013) 52
Bioma 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 201...
21/05/2014
25
MUT>> MÉTODO BASEADO EM MCTI (2013) 56
Calagem (aplicação de calcário nos solos)
Emissões de CO2 por calagem...
21/05/2014
26
MUT>> RESULTADOS 58
1990-2012
26,55 bilhões tGWP (MUT)
1,30 bilhões tGWP (Queima)
0,20 bilhão tGWP (Calagem)...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Perfil das emissões de GEE no Brasil por Tasso Azevedo- Treinamento GCF/Amapá

173

Published on

Apresentação do consultor Tasso Azevedo sobre o perfil das emissões de GEE no Brasil: plataforma
SEEG (Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa)
• Apresentação geral do SEEG – objetivos,
metodologia e setores analisados
• Emissões e reduções de emissões no setor de uso
da terra, em particular na Amazônia, e implicações e
oportunidades para os estados amazônicos
• Próximos passos para a plataforma SEEG:
estimativas de emissões em nível estadual e
possibilidades de parceria com os estados do GCF

Published in: Environment
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
173
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Perfil das emissões de GEE no Brasil por Tasso Azevedo- Treinamento GCF/Amapá

  1. 1. 21/05/2014 1 Sistema de Estimativa de Emissão de Gases de Efeito Estuda Arranjo de Implementação • SEEG é promovido pelo Observatório do Clima (OC) • Três instituições selecionadas pelo OC coordenaram o processo técnico de geração das estimativas. – Imazon (mudança de uso da terra) – Imaflora (agricutura e resíduos) – IEMA (energia e processos industrias) • Fundação Avina e FGV oferecem o suporte organizacional • Financiamento: SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 2
  2. 2. 21/05/2014 2 SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 3 SBDIMA – Sociedade Brasileira de Direito Internacional do Meio Ambiente SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 4 Objetivos do SEEG • Disponibilizar estimativas de emissões de gases de efeito estufa para o Brasil de forma consistente e acessível. – Inicialmente em escala nacional e periodicidade anual • Ampliar a capacidade da sociedade civil compreender e antecipar as tendencias relacionadas as emissões de GEE e suas implicações para políticas públicas. Produtos do SEEG • Estimativas Anuais para os principais GEE e todos os setores da economia. • Relatórios Analíticos setoriais e temáticos. • Plataforma pública on-line para disponibilização dos dados, metodologia e fontes. • Seminário técnico anual para debater os dados e o modo de fazer.
  3. 3. 21/05/2014 3 SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 51990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 1º Inventário SEEG 2013 Cerri Estimativas TRA 11 anos 2º Inventário 6 anos Estimativas 3 anos MMA SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 6 seeg.observatoriodoclima.eco.br
  4. 4. 21/05/2014 4 SEEG >> OBJETIVOS e PRODUTOS 7 SEEG >> METODOLOGIA >> Etapas 9 Revisão da Metodologia IPCC e do 2º Inventário Recomposição das tabelas de cálculo do 2º Inventário Levantamento de dados de atividade e de componentes de atualização para os fatores de emissão Identificação de lacunas de dados e definição de formulas auxiliares de cálculo Validação da metodologia e dos dados Análise da qualidade dos dados Julho Outubro
  5. 5. 21/05/2014 5 SEEG >> METODOLOGIA >> caracteristicas 10 • Escopo de Gases • Emissões Brutas e Líquidas • CO2e GWP e GTP SEEG >> METODOLOGIA >> caracteristicas 11 • Escopo de Gases Agropecuária Energia Processos Industriais Residuos Mudança de Uso da Terrao Gases de Efeito Estufa Direto CO2 CH4 N2O C2F6 CF4 HFC 125 HFC 143a HFC 152a HFC 23 HFC 134a Gases precursores CO NMVOC Nox 99%
  6. 6. 21/05/2014 6 SEEG >> METODOLOGIA >> caracteristicas 12 • Escopo de Gases • Emissões Brutas e Líquidas • CO2e GWP e GTP SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 14
  7. 7. 21/05/2014 7 SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 15 2º inventário SEEG Existência do Dado Disponibilida de do Dado ENERGIA 29% 436.743.372 28,4% 28,5% Fugitivas 1,0% 15.094.665 Carvão Mineral 1 1 1 2 2 2 2 0,09% 1.336.784 0,00% 0,09% Petróleo e Gás 2 n.a. 1 3 2 3 3 0,93% 13.757.881 0,00% 0,00% Queima de Combustíveis 28,4% 421.648.707 Agropecuário 2 2 1 1 1 1 1 1,21% 17.930.465 1,21% 1,21% Comercial 2 2 1 1 1 1 1 0,16% 2.374.760 0,16% 0,16% Carvoarias 2 2 1 1 1 1 1 0,12% 1.733.935 0,12% 0,12% Consumo Final Não Energético 2 2 1 1 1 1 1 0,59% 8.766.093 0,59% 0,59% Geração de Eletricidade 3,27% 48.495.791 Centrais Elétricas Autoprodutoras 2 2 1 1 1 1 1 0,95% 14.095.754 0,95% 0,95% Centrais Elétricas de Serviço Público 2 2 1 1 1 1 1 2,32% 34.400.036 2,32% 2,32% Industrial 6,15% 91.237.312 Alimentos e Bebidas 2 2 1 1 1 1 1 0,39% 5.736.154 0,39% 0,39% Cerâmica 2 2 1 1 1 1 1 0,37% 5.425.125 0,37% 0,37% Cimento 2 2 1 1 1 1 1 1,14% 16.966.831 1,14% 1,14% Ferro Gusa e Aço 2 2 1 1 1 1 1 0,90% 13.362.157 0,90% 0,90% Ferro Ligas 2 2 1 1 1 1 1 0,09% 1.393.326 0,09% 0,09% Mineração e Pelotização 2 2 1 1 1 1 1 0,49% 7.277.576 0,49% 0,49% Não Ferrosos e Outros da Metalurgia 2 2 1 1 1 1 1 0,86% 12.719.463 0,86% 0,86% Outras Indústrias 2 2 1 1 1 1 1 0,58% 8.667.596 0,58% 0,58% Papel e Celulose 2 2 1 1 1 1 1 0,27% 3.956.547 0,27% 0,27% Química 2 2 1 1 1 1 1 0,99% 14.736.963 0,99% 0,99% Têxtil 2 2 1 1 1 1 1 0,07% 995.574 0,07% 0,07% Público 2 2 1 1 1 1 1 0,06% 824.577 0,06% 0,06% Residencial 2 2 1 1 1 1 1 1,28% 19.052.454 1,28% 1,28% Setor Energético 2 2 1 1 1 1 1 1,81% 26.905.878 1,81% 1,81% Transportes 13,76% 204.327.443 Aéreo 3 3 1 1 1 1 1 0,77% 11.421.441 0,77% 0,77% Ferroviário 3 3 1 1 1 1 1 0,20% 3.018.493 0,20% 0,20% Hidroviário 3 3 1 1 1 1 1 0,34% 5.044.415 0,34% 0,34% Rodoviário 3 3 1 1 1 1 1 12,45% 184.843.094 12,45% 12,45% Necessidade de Aprimorament o Qualidade Geral do Dado % do total das Emissões Emissões (ton GWP) Tier Proporção com Boa Qualidade (1) Proporção com Boa Qualidade (1 e 2) Nível de Atividade Fator de Emissão SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 16 2º inventário SEEG Existência do Dado Disponibilida de do Dado Resíduos 3% 46.862.792 0,1% 1,1% Disposição de Resíduos 1 3 2 1 2 2 3 1,76% 26.089.693 0,00% 0,00% Incineração de Resíduos 0 0 2 2 2 2 3 0,01% 144.658 0,00% 0,00% Tratamento de Efluentes Domésticos 0 0 2 1 2 2 2 0,99% 14.727.457 0,00% 0,99% Tratamento de Efluentes Industriais 0,40% 5.900.984 Algodão 0 0 1 1 2 1 1 0,03% 489.831 0,03% 0,03% Aves 0 0 1 1 2 1 1 0,01% 197.627 0,01% 0,01% Bovinos 0 0 1 1 2 1 1 0,01% 127.137 0,01% 0,01% Cervejas 0 0 1 3 2 2 3 0,26% 3.796.935 0,00% 0,00% Leite cru 0 0 1 1 2 1 1 0,05% 695.669 0,05% 0,05% Leite pasteurizado 0 0 1 2 2 2 2 0,01% 139.144 0,00% 0,01% Papel 0 0 1 2 2 2 2 0,01% 201.320 0,00% 0,01% Suínos 0 0 2 2 2 2 2 0,02% 253.321 0,00% 0,02% Necessidade de Aprimorament o Qualidade Geral do Dado % do total das Emissões Emissões (ton GWP) Tier Proporção com Boa Qualidade (1) Proporção com Boa Qualidade (1 e 2) Nível de Atividade Fator de Emissão
  8. 8. 21/05/2014 8 SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 17 61 % 32 % 7 % 93% confiável para estimativa 1990 1995 2000 2005 2010 Agropecuaria 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% -0,6% Energia 1,9% 1,9% 1,6% 1,9% -2,5% Mudança de Uso da Terra 0,0% 0,0% 0,0% 0,0% -1,2% Processos Industriais -3,1% -3,9% -1,2% -4,1% -6,4% Resíduos -1,2% 0,6% 0,5% -2,0% -6,1% Total Geral 0,1% 0,1% 0,2% 0,1% -1,9% SEEG x MCT SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 18
  9. 9. 21/05/2014 9 SEEG 2.0 • Completar a série história com dados desde 1972 • Produzir estimativas para todos os 27 estados 1972 - 1989 1990 - 2013 SEEG >> FASE 2 19 SEEG >> METODOLOGIA >> estrutura dos dados 20
  10. 10. 21/05/2014 10 SEEG >> METODOLOGIA >> estrutura dos dados 21 1,49 Gt CO2e 1,39 Gt CO2e SEEG >> RESULTADOS 22
  11. 11. 21/05/2014 11 SEEG >> RESULTADOS 23 SEEG >> RESULTADOS 24
  12. 12. 21/05/2014 12 SEEG >> RESULTADOS 25 Setores 1.990 1.995 2.000 2.005 2.009 2.010 20.122 2.012 Agropecuaria 303.729 335.801 347.877 415.613 423.458 434.576 445.920 440.524 30% Energia 195.122 236.910 305.871 335.000 352.324 389.283 411.708 440.379 30% Mudança de Uso da Terra 815.815 2.191.060 1.565.390 1.484.920 647.063 593.006 577.473 476.547 32% Processos Industriais 50.899 60.577 70.831 74.712 65.222 76.785 82.550 84.013 6% Resíduos 28.586 34.019 38.740 41.044 44.693 45.752 46.676 46.863 3% Total Geral 1.394.150 2.858.367 2.328.709 2.351.289 1.532.761 1.539.401 1.564.328 1.488.326 105% -19% 1% -35% 0% 2% -5% Evolução das Emissões por Setor SEEG >> RESULTADOS 26
  13. 13. 21/05/2014 13 AGROPECUÁRIA >> RESULTADOS 27 84% 13% 3% Fermentação Entérica bovino de corte vaca leiteira outros animais 18% 71% 3% 8% Solos Agrícolas Fertilizantes Adubo Animal Solos Orgânicos Restos de Cultura - 50 100 150 200 250 300 350 400 450 500 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 MtCO2e Agropecuária - emissões CO2e por subsetor Solos Agrícolas Queima de Resíduos Cultivo do Arroz Manejo de Dejetos Animais Fermentação Entérica 2012 Fermentação entérica 55,9% Solos agrícolas 36,4% Manejo de dejetos animais 4,9% Cultivo do arroz 1,9% Queima de resíduos agrícolas 0,8% AGROPECUÁRIA >> RESULTADOS 28 Bovinos 78% Outros animais 8% Culturas agrícolas 5% Fertilizantes sintéticos 7% Solos orgânicos 1% TOTAL 100% 2012 - 50 100 150 200 250 300 350 400 450 500 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 MtCO2e tempo Emissões por atividades Cana Outras culturas Fertilizantes Sintéticos Cultivo de Organossolos Outros Animais Suinos Bovinos de Leite Bovinos de Corte
  14. 14. 21/05/2014 14 Emissões de CO2e nos principais setores de consumo29 0 20 40 60 80 100 120 140 160 180 200 220 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 MtCO2e TRANSPORTE 204,3 Mt (47%) INDÚSTRIA 91,2 Mt (21%) GERAÇÃO DE E.E. 48,5 Mt (11%) SETOR ENERGÉTICO 44,4 Mt (10%) 0 5 10 15 20 25 30 35 40 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Mtep Evolução do consumo de combustíveis no transporte30 Óleo diesel Gasolina Álcool QAV Gás Nat. Biodiesel Óleo diesel 48% Gasolina 31% QAV 5% Gás natural 2% Álcool 12% Biodiesel 2% 2012
  15. 15. 21/05/2014 15 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 MtCO2e Emissões de CO2e na geração de eletricidade, por fonte Carvão mineral 9,6 Mt (20%) Petróleo 14,0 Mt (29%) Gás natural 21,2 Mt (44%) Outras fontes* 3,3 Mt (7%) Biomassa 0,4 Mt (1%) Total: 48,5 Mt (2012) * Gases industriais (89% das emissões) e resíduos industriais (11% das emissões) Evolução da geração de eletricidade por combustíveis fósseis 0 10 20 30 40 50 60 70 80 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 GWh Gás natural Petróleo Carvão Fonte: Elaborado a partir do BEN
  16. 16. 21/05/2014 16 Emissões de CO2e pela queima de combustíveis na indústria, 2012 Cimento 16,9 Mt (18,6%) Química 14,7 Mt (16,2%) Ferro Gusa e Aço 13,4 Mt (14,6%) Não Ferrosos e Outros da Meta. 12,7 Mt (13,9%) CARVÃO MINERAL 19,0 Mt (20,8%) Outras: 0,3 MtCO2e (0,3%) BIOMASSA 3,2 MtCO2e (3,5%) GÁS NATURAL 23,0 Mt (25,3%) PETRÓLEO 45,7 Mt (50,1%) Mineração e Pelotização 7,3 Mt (8%) Alimentos e Bebidas 5,7 Mt (6,3%) Cerâmica: 5,4 Mt (5,9%) Papel e Celulose: 4,0 Mt (4,3%) Ferro Ligas: 1,4 Mt (1,5%) Têxtil: 1,0 Mt (1,1%) Outras Indústrias: 8,7 Mt (9,6%) INDÚSTRIA >> RESULTADOS 34 - 10.000 20.000 30.000 40.000 50.000 60.000 70.000 80.000 90.000 Ferro e Aço Química Cimento Aluminio Refrigeração, Aerosóis e Extintores Cal, Calcario e Dolomita Emissões históricas por subsetor
  17. 17. 21/05/2014 17 INDÚSTRIA >> RESULTADOS 35 Emissões históricas por subsetor - 5.000.000 10.000.000 15.000.000 20.000.000 25.000.000 30.000.000 35.000.000 40.000.000 45.000.000 Aluminío Cal, Calcário, Dolomita e Barrilha Cimento Ferro e Aço HFC Química SEEG >> QUALIDADE DOS DADOS 38 seeg.observatoriodoclima.eco.br seeg.eco.br
  18. 18. 21/05/2014 18 Mudanças de Uso da Terra e Florestas Estimativas Emissões GEE 1990-2012 MUT>> CARACTERÍSTICAS DO SETOR 40 Fonte: MCTI (2013) Setor de Mudança de Uso da Terra e Florestas (MUT) Emissões e remoções associadas à variação na quantidade de carbono (biomassa aérea, solo, calcário na agricultura) e emissões de CH4 e N20 (queima de biomassa nos solos). As remoções estão associadas ao crescimento da vegetação e a presença de florestas em áreas protegidas.
  19. 19. 21/05/2014 19 MUT>> ESCOPO DAS ESTIMATIVAS DO SETOR 41 Atmosfera Emissões instantâneas por queima Emissões graduais por decomposição (5-10 anos) Absorções fixa por formação de pasto (1-2 anos) Absorsões graduais por formação de floresta (5-20 anos) Tempo Floresta Pecuária/Agricultura Plantação Uso do solo Gases envolvidos CO2 – dióxido de carbono CH4 – Metano N2O – Óxido nitroso 42 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 42 E = A (ha) * Carbono (tC/ha) solo fision t2 t2-t1 t1 Passo 01 – Cálculo da transição Passo 02 – Sobreposição com fisionomia e solo sobreposição Passo 03 – Cálculo da emissão Exemplo Floresta Não Manejada (FNM) para Pastagem Plantada (Ap) A = FNM - Ap Exemplo FNM – Ap em *Floresta Ombrófila Aberta Montana (Am) – Grupo fisio (V1) *Solo latossolo (S1) Ci = Estoque médio de carbono na fisionomia (tCha-1) Csolo = Estoque médio de carbono no solo (tCha-1) A[Área (ha)] Exemplo Emissão acima do solo Ei = A x (Ci – Pec) Emissão do estoque de carbono do solo Esi = A x Csolo x (fc(t0)-fc(t1))x(t/2)/20 fc = fator de alteração do carbono Emissão total E = Ei + Esi Área calculada na Transição Resultado da sobreposição entre fisionomia e solo t2-t1 Floresta Pasto
  20. 20. 21/05/2014 20 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 43 1994 2002 Escala de mapeamento 1:250.000 Área mínima mapeável 6 hectares MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 44 Células escuras são transições não-permissíveis ou desprezíveis para efeito de calculo de emissões. Abreviatura Categoria FNM Floresta não manejada FM Floresta manejada FSec Floresta secundária CS Floresta com extração seletiva Ref Reflorestamento GNM Campo não manejado GM Campo manejado GSec Campo com vegetação secundária Ap Pastagem plantada Ac Área agrícola S Área urbana A Rios e lagos (área não manejada) Res Reservatórios (área manejada) O Outros usos NO Área não observada
  21. 21. 21/05/2014 21 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 45 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 47 As médias de estoques de carbono por hectare para os demais biomas foram obtidos através da literatura científica para cada fisionomia. RADAM
  22. 22. 21/05/2014 22 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 48 Dados de biomassa para o bioma Amazônia Dados de estoques de carbono por hectare derivados dos inventários florestais do RADAMBRASIL Locais dos inventários do projeto RADAMBRASIL (1971 – 1986) Mapa de classes de vegetação sobre o bioma Amazônia MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 49 Fórmulas utilizadas por cada tipo de transição Transições A Ac Ap CS FM FNM FSec GM GNM GSec NO O Ref Res S A 0 A*(S-O) 0 Ac 0.0 A*(AvAgr-Pec) A*(AvAgr- Rebf*(T/2)) A*(AvAgr- RebG*(T/2)) A*(avAgr-O) A*(AvAgr- (IncrRef*(T/2))) A*(avAgr-Res) A*(avAgr-S) Ap A*(Pec- avAgr) 0.0 A*(pec-Rebf*(T/2)) A*(Pec- RebG*(T/2)) A*(Pec-O) A*(Pec-IncrRef(T/2)) A*(Pec-Res) A*(Pec-S) CS A*(C-S) FM A*(C-Pec) A*(C- (C*pCS)) A*Remf*T A*(C-(Rebf*(T/2))) A*(C-O) A*(C-(IncrRef*(T/2))) A*(C-Res) A*(C-S) FNM A*(C- avAgr) A*(C-Pec) A*(C- (C*pCS)) A*Re mf*(T /2) 0.0 A*(C-(Rebf*(T/2))) A*(C-O) A*(C-(IncrRef*(T/2))) A*(C-Res) A*(C-S) FSec A*(C*av Fsec- avAgr) A*(C*avFsec- Pec) A*Refb*T A*(C-avFsec- O) A*(C*avFsec- (IncrRef*(T/2))) A*(C*avFsec- Res) A*(C*avFsec -S) GM A*(C- avAgr) A*(C-Pec) 0.0 A*(C-RebG*(T/2)) A*(C-O) A*(C-IncrRef*(T/2)) A*(C-Res) A*(C-S) GNM A*(C- avAgr) A*(C-Pec) 0 0 A*(C-RebG*(T/2)) A*(C-O) A*(C-IncrRef*(T/2)) A*(C-Res) GSec A*(C*av Gsec- avAgr) A*(C*avGsec- Pec) A*RebG*T A*(C- avGsec-O) A*(C*avGsec- incrRef*(T/2)) A*(C-avGsec- Res) A*(C*avGse c-S) NO O A*(O- avAgr) A*(O-Pec) A*(O-Rebf*(T/2)) A*(O-RebG*(T/2)) 0.0 A*(O-IncrRef*(T/2)) A*(O-Res) A*(O-S) Ref A*(avRe f-avAgr) A*(avRef-Pec) A*(AvRef- (Rebf*(T/2))) A*(AvRef- RebG*(T/2)) A*(avRef-O) 0.0 A*(avRef-Res) A*(avRef-S) As formulas são consistentes com as equações gerais propostas pelo IPCC.
  23. 23. 21/05/2014 23 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 50 Relatório MCT Imazon Estratégia 1. Desenvolvemos uma ferramenta para replicar o método do 2º inventário. MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 51 Resultados: Emissões de GEE do Brasil
  24. 24. 21/05/2014 24 MUT>> MÉTODO BASEADO EM MCTI (2013) 52 Bioma 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Fonte Amazônia PRODES Caatinga PMDBBS Cerrado PMDBBS Mata Atlântica PMDBBS SOS Mata Atlântica Pampa PMDBBS Pantanal PMDBBS http://siscom.ibama.gov.br/monitorabiomas/ Somente transição Floresta- Desmatamento Dados disponíveis para estimar emissões de GEE para os anos 2006- 2012 Desmatamento médio (km²/n anos) Desmatamento anual (km²/ano) Estratégia 2. Replicamos o método do MCTI (2013) para os anos 2006-2012 MUT>> MÉTODO 2o INVENTÁRIO NACIONAL 53 Resultados: Emissões de GEE do Brasil
  25. 25. 21/05/2014 25 MUT>> MÉTODO BASEADO EM MCTI (2013) 56 Calagem (aplicação de calcário nos solos) Emissões de CO2 por calagem calculada a partir da quantidade de calcário consumida na agricultura do país. Fator de conversão 0.44 tCO2/t CaCO3 Queima de resíduos florestais (Emissões de gases Não-CO2) tCO2 - carbono calculado a partir da quantidade de lenha informada pelo Balanço Energético Nacional (BEN) / 2 Aplicação dos fatores de conversão para CH4 e N2O do IPCC MUT>> RESULTADOS 57 1990-2012 28,05 bilhões de tCO2e 2010-2012 1,65 bilhões de tCO2e 2012 0,48 bilhão de tCO2e 0,82 2,19 2,00 1,13 0,48 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Bilhões Emissões Brutas de GEE no setor MUT 1990-2012 (tCO2 GWP)
  26. 26. 21/05/2014 26 MUT>> RESULTADOS 58 1990-2012 26,55 bilhões tGWP (MUT) 1,30 bilhões tGWP (Queima) 0,20 bilhão tGWP (Calagem) 2010-2012 1,55 bilhões tGWP (MUT) 0,06 bilhão tGWP (Queima) 0,04 bilhão tGWP (Calagem) 2012 0,44 bilhão tGWP (MUT) 0,03 bilhão tGWP (Queima) 0,01 bilhão tGWP (Calagem) 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Bilhões Emissões Brutas de GEE no setor MUT 1990 a 2012 (tCO2 GWP) Mudança de Uso da Terra Queima de Resíduos Florestais Calagem MUT>> RESULTADOS 59 1990-2012 26,55 bilhões de tCO2 69% - Amazônia 23% - Cerrado 2010-2012 1,55 bilhões de tCO2 64% - Amazônia 26% - Cerrado 2012 0,44 bilhão de tCO2 57% - Amazônia 30% - Cerrado 0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 1990 1992 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010 2012 Bilhões Emissões Brutas por bioma (tCO2) Amazônia Cerrado Caatinga Mata Atlantica Pampa Pantanal

×