Reciclagem eduarda jaqueline marcieli

7,301 views
7,039 views

Published on

Published in: Education, Technology, Business
3 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
7,301
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
169
Actions
Shares
0
Downloads
133
Comments
3
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Reciclagem eduarda jaqueline marcieli

  1. 1. RECICLAGEM
  2. 2. O que é reciclagem ? <ul><li>A reciclagem é o reaproveitamento dos materiais como matéria-prima para um novo produto. Muitos materiais podem ser reciclados e os exemplos mais comuns são o papel, o vidro, o metal e o plástico. As maiores vantagens da reciclagem são a minimização da utilização de fontes naturais, muitas vezes não renováveis; e a minimização da quantidade de resíduos que necessita tratamento final, como aterramento, ou incineração. O conceito de reciclagem não deve ser confundido com o de reutilização </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A palavra reciclagem difundiu-se nos media a partir final da do década de 1980, quando foi constatado que as fontes de petróleo e de outras matérias-primas não renováveis estavam se esgotando rapidamente, e que havia falta de espaço para a disposição de lixo e de outros dejetos na natureza. A expressão vem do inglês recycle (re = repetir, e cycle = ciclo). </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Em alguns casos, não é possível reciclar indefinidamente o material. Isso acontece, por exemplo, com o papel, que tem algumas de suas propriedades físicas minimizadas a cada processo de reciclagem, devido ao inevitável encurtamento das fibras de celulose. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Em outros casos, felizmente, isso não acontece. A reciclagem do alumínio, por exemplo, não acarreta em nenhuma perda de suas propriedades físicas, e esse pode, assim, ser reciclado continuamente. </li></ul><ul><li>Materiais que podem ser reciclados </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Papel e papelão, embalagens longa vida, água proveniente de processos industriais, garrafas PET, latas de alumínio, vários tipos de metais: cobre, aço, chumbo, latão, zinco, entre outros. </li></ul><ul><li>Plásticos, pneus, tinta, restos da construção civil, restos de alimentos e partes dos mesmos que não foram aproveitadas, óleo, galhadas, garrafas de vidro (cervejas, refrigerantes, etc), tecido (sobra de confecções, roupas velhas, etc), parafusos e etc. </li></ul>
  7. 8. <ul><li>Porque reciclar é 15 vezes mais caro do que jogar o lixo em aterros. Nos países desenvolvidos como a França e Alemanha, a iniciativa privada é encarregada do lixo. Fabricantes de embalagens são considerados responsáveis pelo destino do lixo e o consumidor também tem que fazer sua parte. Por exemplo, quando uma pessoa vai comprar uma pilha nova, é preciso entregar a usada.   </li></ul>
  8. 9. <ul><li>Uma garrafa plástica ou vidro pode levar 1 milhão de anos para decompor-se. Uma lata de alumínio, de 80 a 100 anos. Porém todo esse material pode ser reaproveitado, transformando-se em novos produtos ou matéria prima, sem perder as propriedades </li></ul>
  9. 10. <ul><li>Separando todo o lixo produzido em residências, estaremos evitando a poluição e impedindo que a sucata se misture aos restos de alimentos, facilitando assim seu reaproveitamento pelas indústrias. Além disso, estaremos poupando a meio ambiente e contribuindo para o nosso bem estar no futuro, ou você quer ter sua água racionada, seus filhos com sede, com problemas respiratórios. </li></ul>
  10. 11. Algumas Vantagens <ul><li>Cada 50 quilos de papel usado, transformado em papel novo, evita que uma árvore seja cortada. Pense na quantidade de papel que você já jogou fora até hoje e imagine quantas árvores você poderia ter ajudado a preservar. </li></ul><ul><li>Cada 50 quilos de alumínio usado e reciclado, evita que sejam extraídos do solo cerca de 5.000 quilos de minério, a bauxita. </li></ul><ul><li>Quantas latinhas de refrigerantes você já jogou até hoje? </li></ul><ul><li>Com um quilo de vidro quebrado, faz-se exatamente um quilo de vidro novo. E a grande vantagem do vidro é que ele pode ser reciclado infinitas vezes. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Economia de energia e matérias-primas. Menos poluição do ar, da água e do solo. Melhora a limpeza da cidade, pois o morador que adquire o hábito de separar o lixo, dificilmente o joga nas vias públicas. Gera renda pela comercialização dos recicláveis. Diminui o desperdício. Gera empregos para os usuários dos programas sociais e de saúde da Prefeitura. Dá oportunidade aos cidadãos de preservarem a natureza de uma forma concreta, tendo mais responsabilidade com o lixo que geram. </li></ul>
  12. 13. Reciclagem do lixo industrial <ul><li>Lixo industrial é o lixo que resulta dos processos de produção das industrias, ele varia de acordo com a industria, assim industrias metalúrgicas, alimentícias, químicas tem um lixo bem diferente, requerendo assim um tratamento especial. Por exemplo, na industria alimentícia os refugos (produção que não pode ser aproveitada) é vendida para fabricas de ração animal. Industrias metalúrgicas e de plásticos vende </li></ul>
  13. 14. <ul><li>seu refugo para serem reciclado por outras empresas. As industrias químicas porem precisam tratar seu rejeitos, isso muitas vezes requer altos investimentos. O problema é quando ele não é tratado sendo jogado em rios ou queimados, o que polui o meio ambiente. Mas com investimento isso pode ser revertido, um exemplo bom é a cidade paulista de Cubatão que na década de 80 sofreu com a poluição e hoje graças ao investimento e pesquisa esta conseguindo reverter esse quadro. </li></ul>
  14. 15. Reciclagem do lixo orgânico <ul><li>Um dos problemas que vem atormentando grande número de Prefeitos em todo o Brasil é o destino do lixo produzido pela população. Logo chegará o momento em que estaremos completamente inundados pelos resíduos. </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Todas as grandes cidades e proporcionalmente as pequenas têm procurado resolver os problemas da eliminação dos resíduos urbanos, tanto de esgotos como dos efluentes das depuradoras. Os aterros sanitários apresentam-se como soluções antiecológicas. Se os resíduos são incinerados, surge o problema da poluição do ar e o descarte das cinzas. Para o lodo dos esgotos, inabordável pelo processo de incineração, ainda não se encontrou uma solução que nos proteja sob o posto de vista ecológico. </li></ul>
  16. 17. <ul><li>No caso particular do lixo orgânico doméstico, sua coleta extremamente onerosa, local para bota fora, exigências e multas dos órgãos destinados à preservação do meio ambiente, resistência dos municípios vizinhos às grandes cidades em ceder terrenos para novos aterros sanitários, procura de restos de comida entre os detritos por pessoas carentes, proliferação de ratos, insetos, enfim uma série de problemas que precisam urgentemente ser resolvido em suas administrações. </li></ul>
  17. 18. Reciclagem do papel <ul><li>O papel é um material de suporte da informação escrita que produz fortes impactos negativos sobretudo ao nível da produção.  </li></ul><ul><li>De facto, embora a matéria prima se possa considerar renovável - a madeira, proveniente das árvores - a sua produção conduz normalmente a extensas monoculturas de espécies exóticas - como o eucalipto em Portugal, e diversas resinosas na maior parte da Europa - que têm como consequência o desaparecimento da quase totalidade da fauna e da flora nativas. Este efeito está relacionado não apenas com as espácies utilizadas mas também com o regime de cultivo: plantações densas, revolução de curtas e lavagem de solos de montanha débeis.  </li></ul>
  18. 19. <ul><li>As plantações de árvores para pasta de papel são, no Distrito de Aveiro, um pouco por todo o Litoral Norte e Centro de Portugal e mais recentemente, e com consequências mais graves, também no interior, a principal causa de desaparecimento do coberto vegetal natural, e com ele, de animais de todas as espécies.  </li></ul><ul><li>Igualmente significativa é a degradação da paisagem, pela via da uniformização, e a perda do seu carácter e da sua especificidade (biodiversidade).  </li></ul>
  19. 20. <ul><li>É um drama em larga escala, que os interesses económicos encobrem, e que a falta de sensibilidade e de atenção da generalidade dos cidadãos tende a ignorar. </li></ul><ul><li>A reciclagem do papel é um procedimento que permite recuperar as fibras celulósicas do papel velho e incorporá-las na fabricação de novo papel. Não é um processo isento da produção de resíduos, mas a produção de pastas virgens também não o é, e assim sempre se minimizam os problemas relacionados com a produção de matéria prima e com a deposição do papel velho. </li></ul>
  20. 21. <ul><li>É importante realçar que os papéis não podem ser reciclados indefinidamente sem que haja perde de qualidade. Após cada utilização, eles perdem parte das suas propriedades e só podem ser reciclados para uso distinto, e um pouco menos nobre, do que o original. </li></ul><ul><li>Se se olhar com cuidado e bem de perto para uma folha de papel vai-se perceber que o papel é feito de inúmeras fibras que se cruzam. São elas que lhe dão resistência.  Dependendo do tipo de polpa que é usada para fazer o papel (pode ser pinho, eucalipto ou até outras fibras vegetais como algodão, linho, etc.) ele vai ter fibras mais longas ou curtas e vai ser mais ou menos resistente.  </li></ul>
  21. 22. Reciclagem do Vidro <ul><li>A Reciclagem do vidro é o processo pelo qual o vidro é reaproveitado para criar novos materiais, o processo se dá basicamente derretento o vidro para sua reutilização. Dependendo da finalidade do seu uso, pode ser necessário separá-lo em cores diferentes. As três cores principais são: </li></ul><ul><li>Vidro incolor </li></ul><ul><li>Vidro verde </li></ul><ul><li>Vidro marrom/ âmbar </li></ul><ul><li>Os componentes de vidro decorrentes de lixo municipal ( lixo doméstico e lixo comercial ) são geralmente: garrafas , artigos de vidro quebrados, lâmpada incandescente , potes de alimentos e outros tipos de materiais de vidro. A reciclagem de vidro implica um gasto de energia consideravelmente menor do que a sua manufatura através de areia , calcário e carbonato de sódio . O vidro pronto para ser novamente derretido é chamado de cullet . </li></ul>
  22. 23. Reciclagem do Metal <ul><li>O metal é um dos produtos mais utilizados nas tarefas do dia-a-dia. Encontramos embalagens de metais, fios e outros produtos metálicos em diversos produtos. Ao ser descartado por pessoas e empresas, pode passar por um processo de reciclagem que garante seu reaproveitamento na produção do metal reciclado.O metal reciclado tem praticamente todas as características do metal comum. Ele pode ser reciclado muitas vezes sem perder suas características e qualidade. O alumínio, por exemplo, pode ser usado sem limites. O aço após ser reciclado volta para a cadeia produtiva para ser transformado em latas e peças automotivas, por exemplo. </li></ul>
  23. 24. Reciclagem do Plástico <ul><li>Plásticos são materiais formados pela união de grandes cadeias moleculares chamadas polímeros, que, por sua vez, são formadas por moléculas menores, chamadas monômeros. Os plásticos são produzidos através de um processo químico chamado polimerização, que proporciona a união química de monômeros para formar polímeros. Os polímeros podem ser naturais ou sintéticos. Os naturais, tais como algodão, madeira, cabelos, chifre de boi, látex, entre outros, são comuns em plantas e animais. Os sintéticos, tais como os plásticos, são obtidos pelo homem através de reações químicas. O tamanho e estrutura da molécula do polímero determinam as propriedades do material plástico. </li></ul>
  24. 25. Economia feita com a reciclagem <ul><li>1000kg de papel reciclado = 20 árvores poupadas 1000kg de papel reciclado = 2000l água 1000kg de papel não reciclado = 100 000l água. </li></ul>
  25. 26. O que pode reciclar <ul><li>Caixas de papelão  Jornal  Revistas  Impressos em geral  Fotocópias  Rascunhos  Envelopes  Papéis timbrados  Cartões  Papel de fax  </li></ul>
  26. 27. O que não pode reciclar <ul><li>Papéis sanitários  Papéis plastificados  Papéis metalizados  Papéis parafinados  Copos descartáveis de papel  Papel carbono  Fotografias  Fitas adesivas  Etiquetas adesivas  Papel vegetal  </li></ul>
  27. 28. Reciclagem e seus objetivos <ul><li>A palavra reciclar, muito em voga na atualidade, tem como significado reaproveitamento de algo, dar nova função a alguma coisa que já havia perdido, aparentemente, sua utilidade. Analisando-a mais detidamente, percebe-se o radical ciclo. E ciclo significa série de fenômenos que se sucedem numa certa ordem, numa certa freqüência. Também notamos a presença do prefixo latino re que representa a idéia de repetição. Ou seja, reciclar, pode-se entender que é dar uma nova utilidade, nova função, ou mesmo repetição da utilidade, para um material que já havia vencido seu ciclo de uso. Este é o princípio da reciclagem; criar nova utilidade, nova função para algo que não tinha mais condições de uso, mas que apresenta potencialidade de um novo aproveitamento na mesma função ou em outra. Pois bem, diante do </li></ul>
  28. 29. <ul><li>quadro de futura escassez de algumas matérias-primas não renováveis, bem como ao acúmulo de lixo nos aterros, a reciclagem tem ganhado espaço nos mais variados setores, pois é a forma de se evitar a degradação do meio ambiente, o acúmulo de lixo, que podem acarretar em disseminação de doenças, desequilíbrios ecológicos, contaminação de lençóis freáticos, dentre outros fatores. Além disso, a reciclagem apresenta um aspecto importante que é a geração de empregos. Desde sua coleta, até o processamento dos materiais e posterior distribuição, quantos empregos são criados! Mas reciclar pode também ser aplicada de outra forma, com outro sentido. Por que não se empregar a palavra reciclar para mudança de idéias? No mundo de hoje vivemos um quadro de violência, gerada pelo terror... </li></ul>
  29. 30. Por que reciclar Objetivo <ul><li>Chamar atenção e despertar consciência para o problema do lixo </li></ul><ul><li>Conhecer os procedimentos atualmente adotados para o lixo e seus fundamentos teóricos </li></ul><ul><li>Criar uma estratégia para a ação do Projeto no Colégio e Comunidade </li></ul>
  30. 31. Pesquisa <ul><li>Produção de monografias, textos, painéis, gráficos, tabulações; uso de enquetes, entrevistas, visitas etc. </li></ul><ul><li>O que é lixo? </li></ul><ul><li>De onde vem, para onde vai e quais os tipos de lixo produzidos? </li></ul><ul><li>Quais as formas alternativas e ecologicamente corretas de disposição do lixo? </li></ul><ul><li>Composição do lixo do Colégio e doméstico (estudo estatístico). </li></ul>
  31. 32. Discussão de resultados <ul><li>    Mesas-redondas, palestras e reuniões elaboradas pelos alunos. </li></ul><ul><li>    Há necessidade de organização de equipes de trabalho, orientadas e organizadas por professores. O objetivo será estudar os problemas e levantar as ações mais adequadas para reduzir, reciclar, reaproveitar e repensar o lixo produzido em casa, no Colégio e na comunidade (‘4R’). Cada sala (ou tema) deverá ser representada por uma equipe de alunos, que participará das reuniões gerais. </li></ul>
  32. 33. <ul><li>Algumas reuniões poderão ser feitas fora dos horários ou dias normais de aula, para integrar as várias séries e turmas e agilizar o Projeto. </li></ul><ul><li>    Ao final da 1 a . Etapa, deverá ser definido um Título (e/ou slogan), um Roteiro e um Cronograma do Projeto. </li></ul><ul><li>    Deverá ainda ser estimado um orçamento para o material necessário ao Projeto, como será feita a captação de recursos e para onde será destinada a verba conseguida. Tudo deverá estar registrado em um livro-caixa por uma equipe de Tesoureiros, de forma a ser um Projeto auto-sustentável. Lucros deverão ser geridos pela mesma equipe, sempre revertendo para o próprio Projeto, para a Comunidade ou equipamento escolar. </li></ul>
  33. 34. Cores dos cestos de separação para a recicalgem
  34. 35. <ul><li>Azul: papel /papelão </li></ul><ul><li>Vermelho: plástico </li></ul><ul><li>Verde: vidro </li></ul><ul><li>Amarelo: metal </li></ul><ul><li>Preto : madeira </li></ul><ul><li>Laranja: resíduos perigosos </li></ul><ul><li>Branco: resíduos ambulatoriais e de serviços de saúde </li></ul><ul><li>Roxo: resíduos radioativos </li></ul><ul><li>Marrom: resíduos orgânicos </li></ul><ul><li>Cinza: resíduo geralmente não reciclável, misturado ou contaminado, não sendo possível de separação. </li></ul>
  35. 36. Tipos de reciclagem <ul><li>Reciclagem de aço </li></ul><ul><li>Reciclagem de alumínio </li></ul><ul><li>Reciclagem de baterias </li></ul><ul><li>Reciclagem de borracha </li></ul><ul><li>Reciclagem de computadores </li></ul><ul><li>Reciclagem de embalagens longa vida </li></ul><ul><li>Reciclagem de entulho </li></ul><ul><li>Reciclagem de madeira </li></ul><ul><li>Reciclagem de metal </li></ul><ul><li>Reciclagem de papel </li></ul><ul><li>Reciclagem de plástico e embalagens </li></ul><ul><li>Reciclagem de vidro </li></ul>
  36. 37. Resultados <ul><li>Ambientais </li></ul><ul><li>Os maiores beneficiados por esse sistema são o meio ambiente e a saúde da população. A reciclagem de papéis, vidros, plásticos e metais - que representam em torno de 40% do lixo doméstico - reduz a utilização dos aterros sanitários, prolongando sua vida útil. Se o programa de reciclagem contar, também, com uma usina de compostagem, os benefícios são ainda maiores. Além disso, a reciclagem implica uma redução significativa dos níveis de poluição ambiental e do desperdício de recursos naturais, através da economia de energia e matérias-primas. </li></ul>
  37. 38. Imagens de reciclagem
  38. 41. Estera aonde ocorre a separação dos lixos
  39. 42. Lixo Eletronico
  40. 43. O problema dos lixões a céu aberto

×