Plano abc  jaguariuna sp
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Plano abc jaguariuna sp

on

  • 362 views

 

Statistics

Views

Total Views
362
Views on SlideShare
362
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
7
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Plano abc  jaguariuna sp Plano abc jaguariuna sp Presentation Transcript

    • SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO AGROPECUÁRIO E COOPERATIVISMO – SDC DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE PRODUÇÃO E SUSTENTABILIDADE – DEPROS COORDENAÇÃO DE MANEJO SUSTENTÁVEL DOS SISTEMAS PRODUTIVOS - CMSP Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono -Plano ABC- JAGUARIÚNA/SP – _05/06/2012Marcelo Augusto de FreitasFiscal Federal Agropecuário/Engenheiro AgrônomoCoordenação de Manejo Sustentável do Sistemas Produtivos – CMSP/DEPROS/SDC
    • Missão do MAPA: “PROMOVER O DESENVOLVIMENTOSUSTENTÁVEL E A COMPETITIVIDADE DO AGRONEGÓCIO EM BENEFÍCIO DA SOCIEDADE BRASILEIRA”
    • Brasil – Evolução da produção e da área plantada safra 1993/94 a 2011/12 162,8 144,1 157,1 149,3 122,5 Produção 119,1 (milhões de t) PRODUÇÃO: 96,8 + 106,7% = 5,6% aa 83,0 76,6 76,0 73,6 51,5 49,8 47,9 47,7 47,4 39,1 47,4 37,8 40,2 37,0 35,093/94 94/95 95/96 96/97 97/98 98/99 99/00 00/01 01/02 02/03 03/04 04/05 05/06 06/07 07/08 08/09 09/10 10/11 11/12 Fonte: CONAB. Elab.: SPA. Posição: fevereiro/2012
    • Grãos Se o Brasil mantivesse a mesma tecnologia de 1960, Produção +847% teria de ocupar mais 145 milhões X de hectares de terra =195 milhões + 127% ha Desmatamento evitado 1960 2011Habitantes(Milhões) 70 190,7Produção de Grãos( milhões de tonelada) 17,2 163 + 847%Área(milhões de hectare) 22 50 + 127%Produtividade 783 3,3 + 321,5%(quilos por hectare) 1 = 10 milhões de habitantes 1 = 10 milhões de toneladas 1 = 300 quilos por hectare
    • Se o Brasil mantivesse a mesmaPecuáriaGado +251% tecnologia de produção de 1960, teria que destinar mais 474 milhões Rebanho de hectares de terra para pastagem logo, hoje = 642 milhões ha +41% Área Desmatamento evitado 1960 2011Rebanho(milhões de cabeças de gado) 58 208Área de pastagem(milhões de hectare) 122,3 172Produtividade 0,47 1,2(cabeça por hectare) 1 = 10 milhões de habitantes 1 = 10 milhões de toneladas 1 = 300 quilos por hectare
    • Comércio Exterior US$94,5 bilhões Exportador para 215 DESTINOS 1960 BRASIL Importador de ALIMENTOS 2012 BRASIL Fonte: SECEX/MDIC
    • DESAFIOS PARA AGRICULTURA Mundo: Crescimento demográfico; Brasil: Aumento das exportações agrícolas; Padrão de consumo X Padrão de produção; Recuperação de áreas de produção degradadas; Eliminação do desmatamento ilegal; Uso racional e eficiente dos recursos hídricos;
    • Cont. DESAFIOS PARA AGRICULTURA Remuneração por serviços ambientais; Créditos C ; Demanda por alimentos seguro e certificado; Agropecuária mais sustentável; Gases de Efeito Estufa (GEE); e Mudanças Climáticas.
    • Outros Desafios:Plantio morro abaixo,solo compactado,escoamento superficial eerosão.
    • Emissões de GEE pela Agropecuária CO2 CH4 CO2 N2O N2O CO2 CH4 N2O CO2 CH4 CO2 CH4 N2O CH4CH4 CH4 CH4
    • Degradação de PastagensProcesso evolutivo da perda do vigor, de produtividade, dacapacidade de recuperação natural das pastagens para sustentar osníveis de produção e a qualidade exigida pelos animais, bem como ode superar os efeitos nocivos de pragas, doenças e invasoras,culminando com a degradação avançada dos recursos naturais emrazão de manejos inadequados Fonte: Macedo e Zimmer (1993) Foto de Karina Miranda (Emater, DF), apresentada por Lourival Vilela (Embrapa Cerrados)
    • Agricultura & Mudanças Climáticas
    • Modalidades de sistemas sustentáveis: SAF’s Lavoura-Floresta Lavoura-Pecuária Rec. Pastagem
    • Solo mais estruturadoBalbino, 2003 J.E. Denardin-2011
    • Com braquiária Sem braquiáriaBalbino, 2003
    • Elvison (MS), 2012 CO2 CH4 Biomassa Florestal Fermentação Entérica CO2 “A pastagem é a fonte de nutrientes mais econômica ... ” (Holmes,1995 – citado por Moraes-2008)Pastagem Recuperada
    • ILPF – Adaptação ampla Fotos APDC
    • SISTEMA PLANTIO DIRETO
    • Origem do Plano ABCNa COP-15, realizada pela Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança doClima - UNFCCC, o governo brasileiro divulgou o compromisso voluntário deredução das emissões até 2020, entre 36,1% e 38,9%, onde deixará de emitir emtorno de 1 bilhão de ton CO2 equivalente. Para tanto, está sendo implementado umPlano de Agricultura visando:1) Reduzir em 80% a taxa de desmatamento na Amazônia e em 40% no Cerrado(redução de emissões de 669 milhões de t CO2 eq).2) Adotar intensivamente na agricultura a recuperação de pastagens e áreasprodutivas degradadas; promover integração lavoura-pecuária-floresta; ampliar plantiodireto com qualidade e a fixação biológica de nitrogênio (corte de emissões 133 a 166milhões t CO2 eq).3) Ampliar a eficiência energética, uso de bicombustíveis, oferta de hidrelétricasentre outros (redução em emissões entre 174 a 217 milhões toneladas de CO2 eq).
    • Política Nacional sobre Mudança do ClimaLei n.º 12.187, de 29 de dezembro de 2009• Estabelece os princípios, objetivos, diretrizes e instrumentos para direcionar as ações para mitigação e adaptação aos efeitos das mudanças climáticas.• Poder Executivo estabelecerá os Planos Setoriais.• Formas de Monitoramento, Reporte e Verificação (MRV) e Adaptação.Decreto n.º 7.390/2010Art. 3 o Para efeito da presente regulamentação, são considerados os seguintesplanos de ação ........:I - Plano de Ação para .......... - PPCDAm ;II - Plano de Ação para ......... - PPCERRADO;III - Plano Decenal de Expansão de Energia - PDE;IV - Plano para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissãode Carbono na Agricultura; eV - Plano de Redução de Emissões da Siderurgia.
    • PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Casa Civil1. Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento naAmazônia Legal2. Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento noCerrado 2010-20113. Energia4. AGRICULTURA5. Substituição do Carvão de Desmatamento por Florestas Plantadasna Siderurgia6. Transportes7. Indústria de Transformação e de Bens de Consumo Duráveis8. Indústria Química Fina e de Base9. Indústria de Papel e Celulose 2011 em diante10. Mineração11. Indústria da Construção Civil12. Serviços de Saúde
    • Plano ABCCoordenação: Presidência da República/Casa Civil,MAPA e MDA.Grupo de Trabalho do Plano: Casa Civil, MAPA,MDA, Ministério da Fazenda – MF, Ministério doMeio Ambiente – MMA, Secretária de AssuntosEstratégicos da Presidência da República – SAE,Embrapa, representantes do Fórum Brasileiro deMudanças Climáticas (FBMC) e Setor Produtivo.
    • Soluções / Alternativas Plano ABC Mitigação Adaptação• Fixação de Carbono (vegetação, • Geração de novas cultivaresbiomassa e solos) (melhoramento/biotecnologia) e tecnologias• Reduzir emissões de GEE • Adaptar sistemas produtivos e• Adoção de Sistemas Sustentáveis comunidades • Prever e reduzir vulnerabilidades
    • Plano da ABCObjetivo Geral: Garantir o aperfeiçoamento contínuo dos sistemas e práticas de uso e manejo sustentável dos recursos naturais, que promovam a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE), e, adicionalmente, também aumentem a fixação de CO2 atmosférico na vegetação e no solo dos setores da agricultura brasileira.Objetivos Específicos: Cumprir os compromissos assumidos, voluntariamente, na COP 15; Promover esforços para se obter o desmatamento ilegal zero; Incentivar arranjos produtivos favoráveis que assegurem a redução de emissões de gases de efeito estufa, enquanto elevem, simultaneamente, a renda dos produtores; Incentivar os estudos de adaptação de plantas no Brasil aos novos cenários de aquecimento com sustentabilidade na produção de alimentos nos próximos 10 anos.
    • Interlocução com outras Políticas Públicas • PPCDAm; • PPCerrado; • Política Nacional de Recurso Hídricos • Operação Arco Verde; • Programa Mais Ambiente (CAR); • Programa Terra Legal; • Prevfogo; e • Plano de Erradicação da Pobreza Extrema.
    • Plano ABC prevê: Priorização√ Divulgação;√ Capacitação de Técnicos e Produtores Rurais;√ Crédito Rural;√ Transferência de Tecnologia;√ Regularização Ambiental;√ Regularização Fundiária;√ Assistência Técnica e Extensão Rural;√ Realização de Estudos;√ Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação;√ Disponibilização de Insumos;√ Produção de Sementes e Mudas
    • Estratégia de Implementação do Plano ABC CIM / GEx Comissão Executiva Grupo Gestor Seminário de Estadual Sensibilização Reuniões EstaduaisOficina de Trabalho Plano Estadual do ABC
    • Estratégia de Construção do Plano COP 15 - PNMC Plano Nacional Plano ABC Plano Estadual Os principais atores sesentem parte do processo GGE
    • PLANO ABC Programa ABC Linha de Financiamento – MAPA (Crédito Rural)O Programa ABC é uma linha de crédito aprovadamediante a Resolução BACEN nº 3.896 de 17/08/10.
    • Fonte: SPA/MAPA
    • PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CASA CIVIL Plano Setorial da Agricultura Compromissos da Agricultura 2010 - 2020 Processo Tecnológico Compromisso Potencial de Mitigação (aumento de área/uso) (milhões t CO2 eq)Recuperação de Pastagens Degradadas1 15,0 milhões ha 83 a 104Integração Lavoura-Pecuária-Floresta2 4,0 milhões ha 18 a 22Sistema Plantio Direto 8,0 milhões ha 16 a 20Fixação Biológica de Nitrogênio 5,5 milhões ha 10Florestas Plantadas3 3,0 milhões ha -Tratamento de Dejetos Animais 4,4 milhões m3 6,9Total 133,9 a 162,9 1 Por meio do manejo adequado e adubação. 2 Incluindo Sistemas Agroflorestais (SAFs). 3 Não está computado o compromisso brasileiro relativo ao setor da siderurgia; e, não foi contabilizado o potencial de mitigação de emissão de GEE.
    • O que foi feito em 2011-2012a) Em 2011, foram priorizados 13 Estados da Federação. Destes, 11 estados formaram os Grupos Gestores Estaduais (GEE), quais sejam: BA, DF, ES, GO, MT, MS, MG, PR, RS, SP e TO - responsáveis pela construção do Plano ABC nos Estados;b) Em 2012, foram formados os GGE nos estados da PB, PI, PA, RR e SC, totalizando até o presente momento 16 estados da federação participantes do Plano ABC;c) Foram realizados 9 Seminários de Sensibilização do Plano ABC, nos estados de BA, GO, DF, MT, MS, MG, PR, RS e TO;d) Foram realizados 4 Oficinas de Trabalho - construção do Plano ABC nos Estados. Quais foram: GO, DF, MT e PR;e) Foi realizado um evento para Formação de Cursos e Nivelamento Técnico de Instrutores para Capacitação de Multiplicadores do Plano ABC, em Brasília/DF - EMBRAPA Sede;f) Foram realizados 4 Cursos Introdutórios de Capacitação sobre as tecnologias do Plano ABC em ILPF, SPD e Recuperação de Pastagens Degradadas, nos estados de GO, MT, MS, e TO.
    • Benefícios da Integração de Sistemas e Práticas Conservacionistas Maior sequestro de carbono e redução da emissão deGEE;Redução da necessidade de novos desmatamentos;Recuperação da qualidade e da capacidade produtivado solo;Redução do escoamento superficial d’água da chuvae da erosão do solo;Maior infiltração da água da chuva;Menor evaporação da água do solo;Diminuição dos custos de produção & aumento darenda;
    • (Cont.) Benefícios Baixa incidência de pragas – menor uso de água e deagrotóxicos;Diversificação da produção e minimização dos riscosclimáticos e de mercado;Bem estar animal devido ao microclima gerado pelocomponente arbóreo;Aumento da fixação de “C”, maior concentração dematéria orgânica no solo e enriquecimento damicrofauna do soloTecnologia adaptada ao pequeno, médio e grandeprodutor rural.
    • Preservação X ProduçãoVilela, 2005 Elvison (MS), 2012 Contribuição Integração de Sistemas e Práticas Sustentáveis de Produção ContribuiçãoPreservação Produção Sustentável
    • Obrigado!Marcelo Augusto de FreitasFiscal Federal Agropecuário/Engenheiro AgrônomoCoordenadoção de Manejo Sustentável dos Sistemas Produtivos (CMSP)Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade (DEPROS)Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo (SDC)Tel.: 61-3218.2448Email: marcelo.freitas@agricultura.gov.br