Portfólio do isc

3,475 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
3,475
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,626
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Portfólio do isc

  1. 1. INSTITUTO SANTA CATARINA Portfólio de Cursos
  2. 2. QUEM SOMOSO Instituto Santa Catarina, surgiu das experiências vividas e do conhecimentoadquirido por seus sócios, durante vários anos, atuando como professores ecoordenadores de instituições de educação regular e profissional em ambientespúblicos e privado. Partindo assim, o Instituto Santa Catarina apresenta-se comouma alternativa na busca de conhecimentos, atendendo as expectativas denossos clientes de forma que lhes dê credibilidade.Nossa Instituição iniciou com o intuito de ser uma alternativa a mais no ramo daeducação profissional, presencial e principalmente à distância. Atuamos comvisão voltada a satisfazer e adequar nossos parceiros e clientes às NormasRegulamentadoras, buscando e repassando informações atualizadas do mundooperacional, técnico e corporativo.
  3. 3. OBJETIVOS E PRINCÍPIOS DA EMPRESAAlmejamos estar no topo, quando citado educação profissional presencial e adistância. Para isso respeitando as partes envolvidas: clientes, comunidade,parceiros e colaboradores, administrando de forma objetiva e precisa, nossasatividades cotidianas, buscando retorno para futuros investimentos.
  4. 4. ATUAÇÃO distância;1. Cursos profissionalizantes à distância;Destinado às pessoas que tenham dificuldade em comparecerem em locais ehorários estabelecidos, podendo monitorar seu tempo de estudo de acordo comsua necessidade e ritmo.2. Cursos profissionalizantes presenciais e “in company”; company”;Cursos destinados às empresas que administram e monitoram o tempo e apresença de seus colaboradores e que tenham pequenos intervalos disponíveisao treinamento.3. Parceria com órgãos públicos; públicos;Executando projetos de licitações que venham a ser vencidas.
  5. 5. PRIMEIROS SOCORROSCarga Horária:• 08, 16, 24, 32 e 40 horas.Público Alvo:A todas as empresas que possuam empregados e tenham o seu PCMSO – Programa de Controle Médico de SaúdeOcupacional, segundo a NR 07 e o Capítulo V da CLT.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial .O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. O Art. 168 d CLT informa que será obrigatório exame médico, por conta doempregador, nas condições estabelecidas neste artigo e nas instruções complementares a serem expedidas peloMinistério do Trabalho§ 4º - O empregador manterá, no estabelecimento, o material necessário à prestação de primeiros socorros médicos,de acordo com o risco da atividade. A NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL -Publicação D.O.U.Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, criou o PCMSO e toda empresa deve possuir o seuPCMSO. Além disto, segundo o item 7.5.1 da NR 7, todo estabelecimento deverá estar equipado com materialnecessário à prestação dos primeiros socorros, considerando-se as características da atividade desenvolvida; manteresse material guardado em local adequado e aos cuidados de pessoa treinada para esse fim.
  6. 6. MANUSEIO DE PRODUTOS PERIGOSOSCarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:Profissionais de empresas que possuem produtos químicos diversos, manipulados.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Este curso é obrigatório, segundo a NR 01, pois as empresas devem emitir Ordens de Serviços para cada atividade aser realizada e instruções de segurança para um trabalho seguro.O curso torna-se também a base para que as empresas criem suas respectivas Ordens de Serviço e reduzam os índicesde acidentes envolvendo produtos químicos.O curso aborda as 9 classes dos produtos perigosos, demonstra a necessidade de reconhecimento de cada produtoquímico, como manusear com segurança e como proceder em caso de emergência (derramamento, intoxição, primeirossocorros).
  7. 7. EPI - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUALCarga Horária:04 a 08 horasPúblico Alvo:A todos os profissionais que estão expostos a riscos suscetíveis que ameaça a segurança e saúde nodo trabalhador.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Na SEÇÃO IV - DO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, existe o Art. 166 – A empresa é obrigada a forneceraos empregados, gratuitamente, equipamento de proteção individual adequado ao risco e em perfeito estado deconservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscosde acidentes e danos à saúde dos empregados.E toda empresa deve fornecer treinamento para seus empregados.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.
  8. 8. NR 34 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVALCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• Curso Admissional: 06 horas. • 34.3 Capacitação e Treinamento.• Curso Periódico: 04 horas. • 34.3.4 O empregador deve desenvolver e implantar• Cursos Trabalho a Quente: 08 horas. programa de capacitação, compreendendo• Curso Operações de Movimentação de Carga: 20 horas. treinamento admissional, periódico e sempre que• Curso Operador de Equipamento de Guindar. ocorrer qualquer das seguintes situações:(guindastes): 20 horas. a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho; b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;Público Alvo: c) acidente grave ou fatal.34.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece os • 34.3.4.1 O treinamento admissional deve ter cargarequisitos mínimos e as medidas de proteção à segurança, horária mínima de seis horas, constando deà saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da informações sobre:indústria de construção e reparação naval. a) os riscos inerentes à atividade;Todos os trabalhadores da indústria da construção e b) as condições e meio ambiente de trabalho;reparação naval devem possuir treinamento admissional, c) os Equipamentos de Proteção Coletiva - EPCperiódico. Além destes, todos os sinaleiros, observadores de existentes no estabelecimento;trabalhos a quente e operadores de movimentação de carga d) o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI.devem possuir curso específico. • 34.3.4.2 O treinamento periódico deve ter carga horária mínima de quatro horas e ser realizado anualmente ou quando do retorno de afastamento aoFormas de Realizações: trabalho por período superior a noventa dias.• Presencial in company. • 34.3.5 A capacitação deve ser realizada durante o horário normal de trabalho.
  9. 9. NR 31 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA, EXPLORAÇÃO FLORESTAL E AQÜICULTURACarga Horária:• CIPATR: 20 horas.• Capacitação de Prevenção de Acidentes com Agrotóxico: 20 horas• Certificação de Máquinas Florestais: 16, 24, 32 e 40 horas.Público Alvo:Empresas rurais que devam possuir CIPATR; trabalhadores rurais que trabalham com aplicação de agrotóxicos e operadoresde equipamentos em área agrícola ou florestal (motosserra, munck, trator de pneu e esteira, entre outros).Formas de Realizações:• Presencial in company.O que diz o Ministério do Trabalho:• 31.2.1 Esta Norma Regulamentadora se aplica a quaisquer atividades da agricultura, pecuária, silvicultura, exploraçãoflorestal e aqüicultura, verificadas as formas de relações de trabalho e emprego e o local das atividades.• 31.2.2 Esta Norma Regulamentadora também se aplica às atividades de exploração industrial desenvolvidas emestabelecimentos agrários.• 31.3.3 Cabe ao empregador rural ou equiparado:h) assegurar que se forneça aos trabalhadores instruções compreensíveis em matéria de segurança e saúde, bem como todaorientação e supervisão necessárias ao trabalho seguro;• 31.12.1 As máquinas e implementos devem ser utilizados segundo as especificações técnicas do fabricante e dentro doslimites operacionais e restrições por ele indicados, e operados por trabalhadores capacitados, qualificados ou habilitados paratais funções.
  10. 10. NR 10 - BÁSICO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADECarga Horária:• 40 horas formação.• 16 horas reciclagem.Público Alvo:O novo texto da NR-10 entre outras mudanças estabelece a obrigatoriedade deste treinamento para todo profissionalque trabalha em instalações elétricas de baixa tensão, energizadas ou não e em suas proximidades, para garantir a suasegurança durante a execução dos serviços.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online .• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:São requisitos e as diretrizes básicas para a implantação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma agarantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que direta ou indiretamente interagem e supervisionam equipes deprofissionais em instalações elétricas e serviços com eletricidade, especificamente no que diz respeito aos requisitos queestabelecem a necessidade de treinamentos de reciclagem que devem ocorrer periodicamente aos trabalhadores jáautorizados a intervir em instalações elétricas.
  11. 11. NR 10 - COMPLEMENTAR SEGURANÇA NO SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA (SEP)Carga Horária:• 40 horas formação.• 16 horas reciclagem.Público Alvo:O novo texto da NR-10 entre outras mudanças estabelece a obrigatoriedade deste treinamento para todo profissionalque trabalha em instalações elétricas de alta tensão, energizadas ou não e em suas proximidades, para garantir a suasegurança durante a execução dos serviços. Necessariamente já tenha que ter feito o NR 10 básico.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:Estabelecer requisitos e condições mínimas obrigatórias para garantir segurança e saúde aos trabalhadores. O artigo10.7 da Norma Regulamentadora 10 (NR 10) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) obriga a todos que atuam,direta ou indiretamente, em instalações elétricas e serviços de eletricidade de alta tensão, que complementem otreinamento de NR 10 com o treinamento de NR 10 SEP, visando a capacitação para o exercício da atividade.
  12. 12. NR 35 - TRABALHO EM ALTURACarga Horária:• 08, 16, 24, 32 e 40 horas (depende da atividade ou necessidade).Público Alvo:Todas as empresas que exponham seus colaboradores a trabalhos em altura.Considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde hajarisco de queda.Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.• Semi presencialO que diz o Ministério do Trabalho:Na SEÇÃO IV - DO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, existe o Art. 166 – A empresa é obrigada a fornecer -35.2. Responsabilidades .• 35.2.1 Cabe ao empregador:g) garantir que qualquer trabalho em altura só se inicie depois de adotadas as medidas de proteção definidas nestaNorma;• 35.3. Capacitação e Treinamento• 35.3.1 O empregador deve promover programa para capacitação dos trabalhadores à realização de trabalho emaltura.• 35.3.2 Considera-se trabalhador capacitado para trabalho em altura aquele que foi submetido e aprovado emtreinamento, teórico e prático, com carga horária mínima de oito horas.
  13. 13. NR 05 - TREINAMENTO DA CIPACarga Horária (acima de 20 funcionários): Designado• 20 horas. Carga Horária (menos de 20 funcionários): • 20 horasPúblico Alvo:Todos os componentes eleitos que formam a CIPA. Público Alvo: Trabalhadores designados para atenderem a NR 05 de empresas que possuem menos de 20 empregados.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online. Formas de Realizações:• Semi presencial. • Presencial in company ou no ISC • Online • Semi presencialO que diz o Ministério do Trabalho:A empresa deverá promover treinamento para osmembros da CIPA, titulares e suplentes, antes da O que diz o Ministério do Trabalho:posse. Segundo a NR 05, as empresas que não se enquadremA carga horária não poder ser inferior a 20 horas. no Quadro I, promoverão anualmente treinamento para o designado responsável pelo cumprimento do objetivo desta NR
  14. 14. PROTEÇÃO RESPIRATÓRIACarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:A todos os trabalhadores expostos direta ou indiretamente a agentes químicos nocivos a saúde humana.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:A NR 06 – Equipamento de proteção individual – EPI, informa em seu item 6.6.1. que cabe ao empregador orientar etreinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação do mesmo.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.Neste sentido, não basta às empresas somente fornecer os EPIs mas também ministrar treinamentos sobre o uso,guarda e conservação e normas de segurança aplicáveis.
  15. 15. PROTEÇÃO AUDITIVACarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:A todos os trabalhadores expostos direta ou indiretamente ao agente físico ruído.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:A NR 06 – Equipamento de proteção individual – EPI, informa em seu item 6.6.1. que cabe ao empregador orientar etreinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação do mesmo.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.Neste sentido, não basta às empresas somente fornecer os EPIs mas também ministrar treinamentos sobre o uso,guarda e conservação e normas de segurança aplicáveis.
  16. 16. NR 11 - TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAISCarga Horária:• 04 a 08 horas para reciclagem.• 08, 16, 20, 24, 32 e 40 horas para formação/certificação.Público Alvo:Operadores de empilhadeira, paleteira, talhas, pontes rolantes, pórticos rolantes, tratores de pneu e esteira, pácarregadeira, caminhões e tratores munck, guindastes, retroescavadeira, rolos compressores, bob cat, motoniveladoras(patrolas), elevador de carga.Pessoas que desejam ter uma formação em um determinado equipamento.Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:Segundo o item 11.1.5., nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá recebertreinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função. Além disto, o item 11.1.6 informa que osoperadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horáriode trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível.
  17. 17. NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOSCarga Horária:• 08, 16, 24 e 32 horas (a quantidade de horas/aula dependerá da quantidade colaboradores e dasmáquinas/equipamentos a serem operados).Público Alvo:Trabalhadores que operem máquinas de açougues, padarias, confeitarias, mercearias, supermercados, operadores demotosserra, máquinas de corte de pisos e asfalto, máquinas compactadoras de solos e máquinas portáteis utilizadas naconstrução civil.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Capacitação.• 12.136. Os trabalhadores envolvidos na operação, manutenção, inspeção e demais intervenções em máquinas eequipamentos devem receber capacitação providenciada pelo empregador e compatível com suas funções, que abordeos riscos a que estão expostos e as medidas de proteção existentes e necessárias, nos termos desta Norma, para aprevenção de acidentes e doenças.• 12.138. A capacitação deve:a) ocorrer antes que o trabalhador assuma a sua função;b) ser realizada pelo empregador, sem ônus para o trabalhador;c) ter carga horária mínima que garanta aos trabalhadores executarem suas atividades com segurança, sendodistribuída em no máximo oito horas diárias e realizada durante o horário normal de trabalho;d) ter conteúdo programático conforme o estabelecido no Anexo II desta Norma;
  18. 18. NR 29 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO (CIPATP - COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRABALHO PORTUÁRIO)Carga Horária:• 24 horas.Público Alvo:Componentes da CIPA das empresas portuárias obrigadas a possuírem CIPA.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Compete ao OGMO ou empregadores:a) promover para todos os membros da CPATP, titulares e suplentes, curso sobre prevenção de acidentes do trabalho,higiene e saúde ocupacional , com carga horária mínima de 24 (vinte e quatro) horas, obedecendo ao currículo básico doAnexo III desta NR, sendo este de freqüência obrigatória e realizado antes da posse dos membros de cada.
  19. 19. NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDECarga Horária:• 04, 08 e 16 horas.Público Alvo:Este curso destina-se portanto a todos os trabalhadores que exerçam suas atividades em serviços de promoção eassistência a saúde em geral.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:• 32.2.4.9 O empregador deve assegurar capacitação aos trabalhadores, antes do início das atividades e de formacontinuada, devendo ser ministrada:a) sempre que ocorra uma mudança das condições de exposição dos trabalhadores aos agentes biológicos;b) durante a jornada de trabalho;c) por profissionais de saúde familiarizados com os riscos inerentes aos agentes biológicos.• 32.2.4.9.1 A capacitação deve ser adaptada à evolução do conhecimento e à identificação de novos riscos biológicose deve incluir:a) os dados disponíveis sobre riscos potenciais para a saúde;b) medidas de controle que minimizem a exposição aos agentes;c) normas e procedimentos de higiene;d) utilização de equipamentos de proteção coletiva, individual e vestimentas de trabalho;e) medidas para a prevenção de acidentes e incidentes;f) medidas a serem adotadas pelos trabalhadores no caso de ocorrência de incidentes e acidentes.
  20. 20. NR 33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOSCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• 16 horas: Vigia e Trabalhador Autorizado. • 33.2.1 Cabe ao Empregador:• 40 horas: Supervisor de Entrada. e) garantir a capacitação continuada dos trabalhadores• 08 horas: Reciclagem do Trabalhador Autorizado e Vigia. sobre os riscos, as medidas de controle, de emergência• 08 horas: Reciclagem do Supervisor de Entrada. e salvamento em espaços confinados; l) designar as pessoas que participarão das operações de entrada, identificando os deveres de cada trabalhador e providenciando a capacitação requerida;Público Alvo: n) assegurar que o acesso ao espaço confinadoDestina-se a todas as empresas que possuam espaços somente seja iniciado com acompanhamento econfinados em suas instalações e necessitem capacitar autorização de supervisão capacitada;trabalhadores autorizados, vigias e supervisores de entrada; • 33.3.4 Medidas Pessoais • 33.3.4.2 Capacitar todos os trabalhadores envolvidos, direta ou indiretamente com os espaçosFormas de Realizações: confinados, sobre seus direitos, deveres, riscos e• Presencial in company ou no ISC. medidas de controle, conforme previsto no item 33.3.5.• Online. • 33.3.5 – Capacitação para trabalhos em espaços• Semi presencial. confinados• O ISC também fornece assessoria para a • 33.3.5.1 É vedada a designação para trabalhos emimplementação da NR 33. Consulte-nos! espaços confinados sem a prévia capacitação do trabalhador.
  21. 21. DIREÇÃO DEFENSIVA - (AULA TEÓRICA)Carga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.
  22. 22. DIREÇÃO DEFENSIVA - (AULA PRÁTICA)Carga Horária:• 08 a 12 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito, acrescentado 3 técnicas práticas de minimizar os efeitos de colisões ou mesmoevitá-las.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.Transmite conhecimentos práticos de como evitar colisões ou minimizar seus efeitos, através das práticas de slalon,frenagem com mudança de direção a 90º e frenagem com mudança de direção e desvio de obstáculos.
  23. 23. DIREÇÃO DEFENSIVA E PRIMEIRO SOCORROSCarga Horária:• 16 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito.E empregados e tenham o seu PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, segundo a NR 07 e o Capítulo Vda CLT .Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dos treinamentos:“Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentes dotrabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.O Art. 168 d CLT informa que será obrigatório exame médico, por conta do empregador, nas condições estabelecidas nesteartigo e nas instruções complementares a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho§ 4º - O empregador manterá, no estabelecimento, o material necessário à prestação de primeiros socorros médicos, deacordo com o risco da atividade. A NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PublicaçãoD.O.U.Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, criou o PCMSO e toda empresa deve possuir o seu PCMSO. Além disto,segundo o item 7.5.1 da NR 7, todo estabelecimento deverá estar equipado com material necessário à prestação dosprimeiros socorros, considerando-se as características da atividade desenvolvida; manter esse material guardado em localadequado e aos cuidados de pessoa treinada para esse fim.
  24. 24. APR – ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOSCarga Horária:• 08 horas.Público Alvo:Todas as empresas que necessitem identificar riscos de acidentes nos locais de trabalho, incluindo as doençasocupacionais.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:O treinamento capacita todos os trabalhadores da empresa ao uso correto da técnica de APR – Análise Preliminar deRiscos.APR - É o estudo feito por profissionais das diversas áreas de atuação que durante a fase de concepção,desenvolvimento de um projeto ou sistema, tem a finalidade de determinar os possíveis riscos que poderão ocorrer nafase operacional da atividade.E citada em algumas normas regulamentadoras, tais como NR 33 e, recentemente, a NR 35. Básica para os trabalhosda CIPA (NR 05) e na elaboração de PPRA (NR 09).
  25. 25. NR 23 - BRIGADISTA DE INCÊNDIOCarga Horária:• 08, 20, 32 e 40 horas.Público Alvo:De acordo com o grau de risco e o número de trabalhadores, cada empresa deve possuir uma Brigada de Incêndio,formada por profissionais de diversas áreas e setores da empresa.Formas de Realizações:• Presencial in company.O que diz o Ministério do Trabalho:O curso atende às recomendações das Normas da ABNT, no que se refere à carga horária, conteúdo programático emetodologia.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. A NR 23, publicada pela Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, prevêque “23.1.1 O empregador deve providenciar para todos os trabalhadores informações sobre: a) utilização dos equipamentos de combate ao incêndio;b) procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança;c) dispositivos de alarme existentes. Daí a necessidade do treinamento, para atender a CLT, à NR e em conformidadecom a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis.
  26. 26. NR 13 - TREINAMENTO DE SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃOCarga Horária:• 40 horas: Vaso de Pressão.• 40 horas: Operador de Caldeira.Público Alvo:Todos os trabalhadores que irão operar caldeiras e/ou vasos de pressão devem possuir este curso, obrigatório antes deiniciar os serviços e requisito básico para a função; realizar o estágio prático (também obrigatório).Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. Na NR 13 - DAS CALDEIRAS, FORNOS E RECIPIENTES SOB PRESSÃO,criada através da Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, encontramos detalhes sobre o treinamento: “13.3.4Toda caldeira a vapor deve estar obrigatoriamente sob operação e controle de operador de caldeira, sendo que o nãoatendimento a esta exigência caracteriza condição de risco grave e iminente. 13.3.5 Para efeito desta NR seráconsiderado operador de caldeira aquele que satisfizer pelo menos uma das seguintes condições: possuir certificado de"Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras", segundo o ANEXO I-A CURRÍCULO MÍNIMO PARA"TREINAMENTO DE SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE CALDEIRAS".
  27. 27. ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOSCarga Horária:• 08 horas.Público Alvo:Aos cipeiros das empresas acima de 20 funcionários e aos designados de empresas que possuem menos de 20funcionários.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:Segundo a NR 5, toda empresa deve possuir Mapa de Riscos, elaborado pela CIPA e nas desobrigadas de possuíremCIPA, a elaboração fica a cargo do trabalhador designado.Os Mapas de Riscos são confeccionados a partir de uma análise por profissional especializado e confeccionados em 2Dou 3D.
  28. 28. NR 20 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COM INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVELCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• Integração: 04horas. • 20.11.1 Toda capacitação prevista nesta NR deve• Básico: 08 horas. ser realizada a cargo e custo do empregador e durante• Intermediário: 16 horas. o expediente normal da empresa. (Vide prazo no Art.• Avançado I: 24 horas. 3ª da Portaria n.º 308/2012)• Avançado II: 32 horas.• Específico: 16 horas. • 20.2.1 Esta NR se aplica às atividades de: a) extração, produção, armazenamento, transferência, manuseio e manipulação de líquidos inflamáveis, nasPúblico Alvo: etapas de projeto, construção, montagem, operação,• Profissionais de empresas que produzem manutenção, inspeção e desativação da instalação;inflamáveis e líquidos combustíveis (inclusive oálcool comprado em mercados, farmácias, etc). • 20.2.2 Esta NR não se aplica:• Profissionais de empresas que armazenam GLP a) às plataformas e instalações de apoio empregadase postos de gasolina. com a finalidade de exploração e produção de• Profissionais de empresas que constroem e petróleo e gás do subsolo marinho, conforme definidomontam instalações para extração, produção, no Anexo II, da Norma Regulamentadora 30 (Portariaarmazenamento, transferência, manuseio e SIT n.º 183, de 11 de maio de 2010);manipulação de inflamáveis e líquidos combustíveis. b) às edificações residenciais unifamiliares.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.
  29. 29. PTA – PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREOCarga Horária: 5.2 A capacitação deve contemplar o conteúdo• 08 e 16 horas: Certificação. programático estabelecido pelo fabricante, abordando,• 04 horas: Reciclagem / Atualização. no mínimo, os princípios básicos de segurança,Público Alvo: inspeção e operação, de forma compatível com oA todos os operadores de plataforma de trabalho equipamento a ser utilizado e com o ambienteaéreo, que possuam experiência e habilidade mas esperado.não a certificação. 5.2.1 A comprovação da capacitação deve ser feita por meio de certificado. 5.3 Cabe ao usuário (dono da PTA, própria ouFormas de Realizações: alugada/locada):• Presencial in company. a) capacitar sua equipe para a inspeção e a• Online. manutenção da PTA, de acordo com as recomendaçõesO que diz o Ministério do Trabalho: do fabricante; b) conservar os registros dos operadores treinados emSegundo o Ministério do Trabalho e emprego (acessado cada modelo de PTA por um período de cinco anos;em 22/10/2012), é necessário atender a NR 18 - c) orientar os trabalhadores quanto ao uso,CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA carregamento e posicionamento dos materiais naINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - ANEXO – I (Incluído pela estação de trabalho da PTA.Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) - ANEXO IV – 5.4 O usuário deve impedir a operação da PTA porPLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado pela trabalhador não capacitado.Portaria SIT n.º 40, de 7 de março de 2008), mais Item 18.22.1, citado no item 5.1:especificamente quanto ao descrito nos seguintes itens: 18.22.1 A operação de máquinas e equipamentos5 Capacitação que exponham o operador ou terceiros a riscos só5.1 O operador deve ser capacitado de acordo com o pode ser feita por trabalhador qualificado eitem 18.22.1 da NR-18... identificado por crachá.
  30. 30. NOSSOS CLIENTES
  31. 31. ENDEREÇO E CONTATOSTelefones: (47) 3046-0045 / 9170-9152Email: isc@institutosc.com.brSite: http://www.institutosc.com.brSkype: institutoscMSN: isc@hotmail.com.br Rua Jacó Lamim, 110 - São Judas 88303-500 - Itajaí - SC

×