Portfólio do isc
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Portfólio do isc

on

  • 3,209 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,209
Views on SlideShare
696
Embed Views
2,513

Actions

Likes
0
Downloads
22
Comments
0

5 Embeds 2,513

http://institutosc.com.br 2232
http://www.institutosc.com.br 210
http://dtkhost.com 51
http://localhost 15
http://marketingautomatizado.com.br 5

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Portfólio do isc Portfólio do isc Presentation Transcript

  • INSTITUTO SANTA CATARINA Portfólio de Cursos
  • QUEM SOMOSO Instituto Santa Catarina, surgiu das experiências vividas e do conhecimentoadquirido por seus sócios, durante vários anos, atuando como professores ecoordenadores de instituições de educação regular e profissional em ambientespúblicos e privado. Partindo assim, o Instituto Santa Catarina apresenta-se comouma alternativa na busca de conhecimentos, atendendo as expectativas denossos clientes de forma que lhes dê credibilidade.Nossa Instituição iniciou com o intuito de ser uma alternativa a mais no ramo daeducação profissional, presencial e principalmente à distância. Atuamos comvisão voltada a satisfazer e adequar nossos parceiros e clientes às NormasRegulamentadoras, buscando e repassando informações atualizadas do mundooperacional, técnico e corporativo.
  • OBJETIVOS E PRINCÍPIOS DA EMPRESAAlmejamos estar no topo, quando citado educação profissional presencial e adistância. Para isso respeitando as partes envolvidas: clientes, comunidade,parceiros e colaboradores, administrando de forma objetiva e precisa, nossasatividades cotidianas, buscando retorno para futuros investimentos. View slide
  • ATUAÇÃO distância;1. Cursos profissionalizantes à distância;Destinado às pessoas que tenham dificuldade em comparecerem em locais ehorários estabelecidos, podendo monitorar seu tempo de estudo de acordo comsua necessidade e ritmo.2. Cursos profissionalizantes presenciais e “in company”; company”;Cursos destinados às empresas que administram e monitoram o tempo e apresença de seus colaboradores e que tenham pequenos intervalos disponíveisao treinamento.3. Parceria com órgãos públicos; públicos;Executando projetos de licitações que venham a ser vencidas. View slide
  • PRIMEIROS SOCORROSCarga Horária:• 08, 16, 24, 32 e 40 horas.Público Alvo:A todas as empresas que possuam empregados e tenham o seu PCMSO – Programa de Controle Médico de SaúdeOcupacional, segundo a NR 07 e o Capítulo V da CLT.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial .O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. O Art. 168 d CLT informa que será obrigatório exame médico, por conta doempregador, nas condições estabelecidas neste artigo e nas instruções complementares a serem expedidas peloMinistério do Trabalho§ 4º - O empregador manterá, no estabelecimento, o material necessário à prestação de primeiros socorros médicos,de acordo com o risco da atividade. A NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL -Publicação D.O.U.Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, criou o PCMSO e toda empresa deve possuir o seuPCMSO. Além disto, segundo o item 7.5.1 da NR 7, todo estabelecimento deverá estar equipado com materialnecessário à prestação dos primeiros socorros, considerando-se as características da atividade desenvolvida; manteresse material guardado em local adequado e aos cuidados de pessoa treinada para esse fim.
  • MANUSEIO DE PRODUTOS PERIGOSOSCarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:Profissionais de empresas que possuem produtos químicos diversos, manipulados.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Este curso é obrigatório, segundo a NR 01, pois as empresas devem emitir Ordens de Serviços para cada atividade aser realizada e instruções de segurança para um trabalho seguro.O curso torna-se também a base para que as empresas criem suas respectivas Ordens de Serviço e reduzam os índicesde acidentes envolvendo produtos químicos.O curso aborda as 9 classes dos produtos perigosos, demonstra a necessidade de reconhecimento de cada produtoquímico, como manusear com segurança e como proceder em caso de emergência (derramamento, intoxição, primeirossocorros).
  • EPI - EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUALCarga Horária:04 a 08 horasPúblico Alvo:A todos os profissionais que estão expostos a riscos suscetíveis que ameaça a segurança e saúde nodo trabalhador.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Na SEÇÃO IV - DO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, existe o Art. 166 – A empresa é obrigada a forneceraos empregados, gratuitamente, equipamento de proteção individual adequado ao risco e em perfeito estado deconservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscosde acidentes e danos à saúde dos empregados.E toda empresa deve fornecer treinamento para seus empregados.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.
  • NR 34 - CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVALCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• Curso Admissional: 06 horas. • 34.3 Capacitação e Treinamento.• Curso Periódico: 04 horas. • 34.3.4 O empregador deve desenvolver e implantar• Cursos Trabalho a Quente: 08 horas. programa de capacitação, compreendendo• Curso Operações de Movimentação de Carga: 20 horas. treinamento admissional, periódico e sempre que• Curso Operador de Equipamento de Guindar. ocorrer qualquer das seguintes situações:(guindastes): 20 horas. a) mudança nos procedimentos, condições ou operações de trabalho; b) evento que indique a necessidade de novo treinamento;Público Alvo: c) acidente grave ou fatal.34.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece os • 34.3.4.1 O treinamento admissional deve ter cargarequisitos mínimos e as medidas de proteção à segurança, horária mínima de seis horas, constando deà saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades da informações sobre:indústria de construção e reparação naval. a) os riscos inerentes à atividade;Todos os trabalhadores da indústria da construção e b) as condições e meio ambiente de trabalho;reparação naval devem possuir treinamento admissional, c) os Equipamentos de Proteção Coletiva - EPCperiódico. Além destes, todos os sinaleiros, observadores de existentes no estabelecimento;trabalhos a quente e operadores de movimentação de carga d) o uso adequado dos Equipamentos de Proteção Individual - EPI.devem possuir curso específico. • 34.3.4.2 O treinamento periódico deve ter carga horária mínima de quatro horas e ser realizado anualmente ou quando do retorno de afastamento aoFormas de Realizações: trabalho por período superior a noventa dias.• Presencial in company. • 34.3.5 A capacitação deve ser realizada durante o horário normal de trabalho.
  • NR 31 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO NA AGRICULTURA, PECUÁRIA, SILVICULTURA, EXPLORAÇÃO FLORESTAL E AQÜICULTURACarga Horária:• CIPATR: 20 horas.• Capacitação de Prevenção de Acidentes com Agrotóxico: 20 horas• Certificação de Máquinas Florestais: 16, 24, 32 e 40 horas.Público Alvo:Empresas rurais que devam possuir CIPATR; trabalhadores rurais que trabalham com aplicação de agrotóxicos e operadoresde equipamentos em área agrícola ou florestal (motosserra, munck, trator de pneu e esteira, entre outros).Formas de Realizações:• Presencial in company.O que diz o Ministério do Trabalho:• 31.2.1 Esta Norma Regulamentadora se aplica a quaisquer atividades da agricultura, pecuária, silvicultura, exploraçãoflorestal e aqüicultura, verificadas as formas de relações de trabalho e emprego e o local das atividades.• 31.2.2 Esta Norma Regulamentadora também se aplica às atividades de exploração industrial desenvolvidas emestabelecimentos agrários.• 31.3.3 Cabe ao empregador rural ou equiparado:h) assegurar que se forneça aos trabalhadores instruções compreensíveis em matéria de segurança e saúde, bem como todaorientação e supervisão necessárias ao trabalho seguro;• 31.12.1 As máquinas e implementos devem ser utilizados segundo as especificações técnicas do fabricante e dentro doslimites operacionais e restrições por ele indicados, e operados por trabalhadores capacitados, qualificados ou habilitados paratais funções.
  • NR 10 - BÁSICO SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES E SERVIÇOS COM ELETRICIDADECarga Horária:• 40 horas formação.• 16 horas reciclagem.Público Alvo:O novo texto da NR-10 entre outras mudanças estabelece a obrigatoriedade deste treinamento para todo profissionalque trabalha em instalações elétricas de baixa tensão, energizadas ou não e em suas proximidades, para garantir a suasegurança durante a execução dos serviços.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online .• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:São requisitos e as diretrizes básicas para a implantação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma agarantir a segurança e a saúde dos trabalhadores que direta ou indiretamente interagem e supervisionam equipes deprofissionais em instalações elétricas e serviços com eletricidade, especificamente no que diz respeito aos requisitos queestabelecem a necessidade de treinamentos de reciclagem que devem ocorrer periodicamente aos trabalhadores jáautorizados a intervir em instalações elétricas.
  • NR 10 - COMPLEMENTAR SEGURANÇA NO SISTEMA ELÉTRICO DE POTÊNCIA (SEP)Carga Horária:• 40 horas formação.• 16 horas reciclagem.Público Alvo:O novo texto da NR-10 entre outras mudanças estabelece a obrigatoriedade deste treinamento para todo profissionalque trabalha em instalações elétricas de alta tensão, energizadas ou não e em suas proximidades, para garantir a suasegurança durante a execução dos serviços. Necessariamente já tenha que ter feito o NR 10 básico.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:Estabelecer requisitos e condições mínimas obrigatórias para garantir segurança e saúde aos trabalhadores. O artigo10.7 da Norma Regulamentadora 10 (NR 10) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) obriga a todos que atuam,direta ou indiretamente, em instalações elétricas e serviços de eletricidade de alta tensão, que complementem otreinamento de NR 10 com o treinamento de NR 10 SEP, visando a capacitação para o exercício da atividade.
  • NR 35 - TRABALHO EM ALTURACarga Horária:• 08, 16, 24, 32 e 40 horas (depende da atividade ou necessidade).Público Alvo:Todas as empresas que exponham seus colaboradores a trabalhos em altura.Considera-se trabalho em altura toda atividade executada acima de 2,00 m (dois metros) do nível inferior, onde hajarisco de queda.Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.• Semi presencialO que diz o Ministério do Trabalho:Na SEÇÃO IV - DO EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, existe o Art. 166 – A empresa é obrigada a fornecer -35.2. Responsabilidades .• 35.2.1 Cabe ao empregador:g) garantir que qualquer trabalho em altura só se inicie depois de adotadas as medidas de proteção definidas nestaNorma;• 35.3. Capacitação e Treinamento• 35.3.1 O empregador deve promover programa para capacitação dos trabalhadores à realização de trabalho emaltura.• 35.3.2 Considera-se trabalhador capacitado para trabalho em altura aquele que foi submetido e aprovado emtreinamento, teórico e prático, com carga horária mínima de oito horas.
  • NR 05 - TREINAMENTO DA CIPACarga Horária (acima de 20 funcionários): Designado• 20 horas. Carga Horária (menos de 20 funcionários): • 20 horasPúblico Alvo:Todos os componentes eleitos que formam a CIPA. Público Alvo: Trabalhadores designados para atenderem a NR 05 de empresas que possuem menos de 20 empregados.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online. Formas de Realizações:• Semi presencial. • Presencial in company ou no ISC • Online • Semi presencialO que diz o Ministério do Trabalho:A empresa deverá promover treinamento para osmembros da CIPA, titulares e suplentes, antes da O que diz o Ministério do Trabalho:posse. Segundo a NR 05, as empresas que não se enquadremA carga horária não poder ser inferior a 20 horas. no Quadro I, promoverão anualmente treinamento para o designado responsável pelo cumprimento do objetivo desta NR
  • PROTEÇÃO RESPIRATÓRIACarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:A todos os trabalhadores expostos direta ou indiretamente a agentes químicos nocivos a saúde humana.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:A NR 06 – Equipamento de proteção individual – EPI, informa em seu item 6.6.1. que cabe ao empregador orientar etreinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação do mesmo.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.Neste sentido, não basta às empresas somente fornecer os EPIs mas também ministrar treinamentos sobre o uso,guarda e conservação e normas de segurança aplicáveis.
  • PROTEÇÃO AUDITIVACarga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:A todos os trabalhadores expostos direta ou indiretamente ao agente físico ruído.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:A NR 06 – Equipamento de proteção individual – EPI, informa em seu item 6.6.1. que cabe ao empregador orientar etreinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação do mesmo.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.Neste sentido, não basta às empresas somente fornecer os EPIs mas também ministrar treinamentos sobre o uso,guarda e conservação e normas de segurança aplicáveis.
  • NR 11 - TRANSPORTE, MOVIMENTAÇÃO, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE MATERIAISCarga Horária:• 04 a 08 horas para reciclagem.• 08, 16, 20, 24, 32 e 40 horas para formação/certificação.Público Alvo:Operadores de empilhadeira, paleteira, talhas, pontes rolantes, pórticos rolantes, tratores de pneu e esteira, pácarregadeira, caminhões e tratores munck, guindastes, retroescavadeira, rolos compressores, bob cat, motoniveladoras(patrolas), elevador de carga.Pessoas que desejam ter uma formação em um determinado equipamento.Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:Segundo o item 11.1.5., nos equipamentos de transporte, com força motriz própria, o operador deverá recebertreinamento específico, dado pela empresa, que o habilitará nessa função. Além disto, o item 11.1.6 informa que osoperadores de equipamentos de transporte motorizado deverão ser habilitados e só poderão dirigir se durante o horáriode trabalho portarem um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível.
  • NR 12 SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOSCarga Horária:• 08, 16, 24 e 32 horas (a quantidade de horas/aula dependerá da quantidade colaboradores e dasmáquinas/equipamentos a serem operados).Público Alvo:Trabalhadores que operem máquinas de açougues, padarias, confeitarias, mercearias, supermercados, operadores demotosserra, máquinas de corte de pisos e asfalto, máquinas compactadoras de solos e máquinas portáteis utilizadas naconstrução civil.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Capacitação.• 12.136. Os trabalhadores envolvidos na operação, manutenção, inspeção e demais intervenções em máquinas eequipamentos devem receber capacitação providenciada pelo empregador e compatível com suas funções, que abordeos riscos a que estão expostos e as medidas de proteção existentes e necessárias, nos termos desta Norma, para aprevenção de acidentes e doenças.• 12.138. A capacitação deve:a) ocorrer antes que o trabalhador assuma a sua função;b) ser realizada pelo empregador, sem ônus para o trabalhador;c) ter carga horária mínima que garanta aos trabalhadores executarem suas atividades com segurança, sendodistribuída em no máximo oito horas diárias e realizada durante o horário normal de trabalho;d) ter conteúdo programático conforme o estabelecido no Anexo II desta Norma;
  • NR 29 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO PORTUÁRIO (CIPATP - COMISSÃO DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES NO TRABALHO PORTUÁRIO)Carga Horária:• 24 horas.Público Alvo:Componentes da CIPA das empresas portuárias obrigadas a possuírem CIPA.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:Compete ao OGMO ou empregadores:a) promover para todos os membros da CPATP, titulares e suplentes, curso sobre prevenção de acidentes do trabalho,higiene e saúde ocupacional , com carga horária mínima de 24 (vinte e quatro) horas, obedecendo ao currículo básico doAnexo III desta NR, sendo este de freqüência obrigatória e realizado antes da posse dos membros de cada.
  • NR 32 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO EM SERVIÇOS DE SAÚDECarga Horária:• 04, 08 e 16 horas.Público Alvo:Este curso destina-se portanto a todos os trabalhadores que exerçam suas atividades em serviços de promoção eassistência a saúde em geral.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.O que diz o Ministério do Trabalho:• 32.2.4.9 O empregador deve assegurar capacitação aos trabalhadores, antes do início das atividades e de formacontinuada, devendo ser ministrada:a) sempre que ocorra uma mudança das condições de exposição dos trabalhadores aos agentes biológicos;b) durante a jornada de trabalho;c) por profissionais de saúde familiarizados com os riscos inerentes aos agentes biológicos.• 32.2.4.9.1 A capacitação deve ser adaptada à evolução do conhecimento e à identificação de novos riscos biológicose deve incluir:a) os dados disponíveis sobre riscos potenciais para a saúde;b) medidas de controle que minimizem a exposição aos agentes;c) normas e procedimentos de higiene;d) utilização de equipamentos de proteção coletiva, individual e vestimentas de trabalho;e) medidas para a prevenção de acidentes e incidentes;f) medidas a serem adotadas pelos trabalhadores no caso de ocorrência de incidentes e acidentes.
  • NR 33 - SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOSCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• 16 horas: Vigia e Trabalhador Autorizado. • 33.2.1 Cabe ao Empregador:• 40 horas: Supervisor de Entrada. e) garantir a capacitação continuada dos trabalhadores• 08 horas: Reciclagem do Trabalhador Autorizado e Vigia. sobre os riscos, as medidas de controle, de emergência• 08 horas: Reciclagem do Supervisor de Entrada. e salvamento em espaços confinados; l) designar as pessoas que participarão das operações de entrada, identificando os deveres de cada trabalhador e providenciando a capacitação requerida;Público Alvo: n) assegurar que o acesso ao espaço confinadoDestina-se a todas as empresas que possuam espaços somente seja iniciado com acompanhamento econfinados em suas instalações e necessitem capacitar autorização de supervisão capacitada;trabalhadores autorizados, vigias e supervisores de entrada; • 33.3.4 Medidas Pessoais • 33.3.4.2 Capacitar todos os trabalhadores envolvidos, direta ou indiretamente com os espaçosFormas de Realizações: confinados, sobre seus direitos, deveres, riscos e• Presencial in company ou no ISC. medidas de controle, conforme previsto no item 33.3.5.• Online. • 33.3.5 – Capacitação para trabalhos em espaços• Semi presencial. confinados• O ISC também fornece assessoria para a • 33.3.5.1 É vedada a designação para trabalhos emimplementação da NR 33. Consulte-nos! espaços confinados sem a prévia capacitação do trabalhador.
  • DIREÇÃO DEFENSIVA - (AULA TEÓRICA)Carga Horária:• 04 a 08 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.
  • DIREÇÃO DEFENSIVA - (AULA PRÁTICA)Carga Horária:• 08 a 12 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito, acrescentado 3 técnicas práticas de minimizar os efeitos de colisões ou mesmoevitá-las.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.Transmite conhecimentos práticos de como evitar colisões ou minimizar seus efeitos, através das práticas de slalon,frenagem com mudança de direção a 90º e frenagem com mudança de direção e desvio de obstáculos.
  • DIREÇÃO DEFENSIVA E PRIMEIRO SOCORROSCarga Horária:• 16 horas.Público Alvo:Todas as empresas que possuam o risco de acidente de trajeto e queiram transmitir a seus trabalhadores noções deprevenção de acidentes de trânsito.E empregados e tenham o seu PCMSO – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, segundo a NR 07 e o Capítulo Vda CLT .Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dos treinamentos:“Cabe às empresas:I - cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentes dotrabalho ou doenças ocupacionais”.O curso possui uma abordagem dinâmica, levando aos participantes à reflexão sobre a necessidade de adotarcomportamentos preventivos no trânsito, colaborando com a redução do índice de acidentes de trabalho.O Art. 168 d CLT informa que será obrigatório exame médico, por conta do empregador, nas condições estabelecidas nesteartigo e nas instruções complementares a serem expedidas pelo Ministério do Trabalho§ 4º - O empregador manterá, no estabelecimento, o material necessário à prestação de primeiros socorros médicos, deacordo com o risco da atividade. A NR 7 - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PublicaçãoD.O.U.Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, criou o PCMSO e toda empresa deve possuir o seu PCMSO. Além disto,segundo o item 7.5.1 da NR 7, todo estabelecimento deverá estar equipado com material necessário à prestação dosprimeiros socorros, considerando-se as características da atividade desenvolvida; manter esse material guardado em localadequado e aos cuidados de pessoa treinada para esse fim.
  • APR – ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOSCarga Horária:• 08 horas.Público Alvo:Todas as empresas que necessitem identificar riscos de acidentes nos locais de trabalho, incluindo as doençasocupacionais.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.O que diz o Ministério do Trabalho:O treinamento capacita todos os trabalhadores da empresa ao uso correto da técnica de APR – Análise Preliminar deRiscos.APR - É o estudo feito por profissionais das diversas áreas de atuação que durante a fase de concepção,desenvolvimento de um projeto ou sistema, tem a finalidade de determinar os possíveis riscos que poderão ocorrer nafase operacional da atividade.E citada em algumas normas regulamentadoras, tais como NR 33 e, recentemente, a NR 35. Básica para os trabalhosda CIPA (NR 05) e na elaboração de PPRA (NR 09).
  • NR 23 - BRIGADISTA DE INCÊNDIOCarga Horária:• 08, 20, 32 e 40 horas.Público Alvo:De acordo com o grau de risco e o número de trabalhadores, cada empresa deve possuir uma Brigada de Incêndio,formada por profissionais de diversas áreas e setores da empresa.Formas de Realizações:• Presencial in company.O que diz o Ministério do Trabalho:O curso atende às recomendações das Normas da ABNT, no que se refere à carga horária, conteúdo programático emetodologia.O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho; II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. A NR 23, publicada pela Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, prevêque “23.1.1 O empregador deve providenciar para todos os trabalhadores informações sobre: a) utilização dos equipamentos de combate ao incêndio;b) procedimentos para evacuação dos locais de trabalho com segurança;c) dispositivos de alarme existentes. Daí a necessidade do treinamento, para atender a CLT, à NR e em conformidadecom a legislação estadual e as normas técnicas aplicáveis.
  • NR 13 - TREINAMENTO DE SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE CALDEIRAS E VASOS DE PRESSÃOCarga Horária:• 40 horas: Vaso de Pressão.• 40 horas: Operador de Caldeira.Público Alvo:Todos os trabalhadores que irão operar caldeiras e/ou vasos de pressão devem possuir este curso, obrigatório antes deiniciar os serviços e requisito básico para a função; realizar o estágio prático (também obrigatório).Formas de Realizações:• Presencial in company.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:O Decreto Lei 5452, de 01/05/1943 aprovou a Consolidação das Leis do Trabalho – Capítulo V do Título II da CLT –Segurança e Medicina do Trabalho; em seu artigo 157 encontramos a existência jurídica da necessidade dostreinamentos: “Cabe às empresas:I - Cumprir e fazer cumprir as normas de segurança e medicina do trabalho;II - Instruir os empregados, através de ordens de serviço, quanto às precauções a tomar no sentido de evitar acidentesdo trabalho ou doenças ocupacionais”. Na NR 13 - DAS CALDEIRAS, FORNOS E RECIPIENTES SOB PRESSÃO,criada através da Portaria GM n.º 3.214, de 08 de junho de 1978, encontramos detalhes sobre o treinamento: “13.3.4Toda caldeira a vapor deve estar obrigatoriamente sob operação e controle de operador de caldeira, sendo que o nãoatendimento a esta exigência caracteriza condição de risco grave e iminente. 13.3.5 Para efeito desta NR seráconsiderado operador de caldeira aquele que satisfizer pelo menos uma das seguintes condições: possuir certificado de"Treinamento de Segurança na Operação de Caldeiras", segundo o ANEXO I-A CURRÍCULO MÍNIMO PARA"TREINAMENTO DE SEGURANÇA NA OPERAÇÃO DE CALDEIRAS".
  • ELABORAÇÃO DE MAPA DE RISCOSCarga Horária:• 08 horas.Público Alvo:Aos cipeiros das empresas acima de 20 funcionários e aos designados de empresas que possuem menos de 20funcionários.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.• Semi presencial.O que diz o Ministério do Trabalho:Segundo a NR 5, toda empresa deve possuir Mapa de Riscos, elaborado pela CIPA e nas desobrigadas de possuíremCIPA, a elaboração fica a cargo do trabalhador designado.Os Mapas de Riscos são confeccionados a partir de uma análise por profissional especializado e confeccionados em 2Dou 3D.
  • NR 20 - SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO COM INFLAMÁVEIS E COMBUSTÍVELCarga Horária: O que diz o Ministério do Trabalho:• Integração: 04horas. • 20.11.1 Toda capacitação prevista nesta NR deve• Básico: 08 horas. ser realizada a cargo e custo do empregador e durante• Intermediário: 16 horas. o expediente normal da empresa. (Vide prazo no Art.• Avançado I: 24 horas. 3ª da Portaria n.º 308/2012)• Avançado II: 32 horas.• Específico: 16 horas. • 20.2.1 Esta NR se aplica às atividades de: a) extração, produção, armazenamento, transferência, manuseio e manipulação de líquidos inflamáveis, nasPúblico Alvo: etapas de projeto, construção, montagem, operação,• Profissionais de empresas que produzem manutenção, inspeção e desativação da instalação;inflamáveis e líquidos combustíveis (inclusive oálcool comprado em mercados, farmácias, etc). • 20.2.2 Esta NR não se aplica:• Profissionais de empresas que armazenam GLP a) às plataformas e instalações de apoio empregadase postos de gasolina. com a finalidade de exploração e produção de• Profissionais de empresas que constroem e petróleo e gás do subsolo marinho, conforme definidomontam instalações para extração, produção, no Anexo II, da Norma Regulamentadora 30 (Portariaarmazenamento, transferência, manuseio e SIT n.º 183, de 11 de maio de 2010);manipulação de inflamáveis e líquidos combustíveis. b) às edificações residenciais unifamiliares.Formas de Realizações:• Presencial in company ou no ISC.• Online.
  • PTA – PLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREOCarga Horária: 5.2 A capacitação deve contemplar o conteúdo• 08 e 16 horas: Certificação. programático estabelecido pelo fabricante, abordando,• 04 horas: Reciclagem / Atualização. no mínimo, os princípios básicos de segurança,Público Alvo: inspeção e operação, de forma compatível com oA todos os operadores de plataforma de trabalho equipamento a ser utilizado e com o ambienteaéreo, que possuam experiência e habilidade mas esperado.não a certificação. 5.2.1 A comprovação da capacitação deve ser feita por meio de certificado. 5.3 Cabe ao usuário (dono da PTA, própria ouFormas de Realizações: alugada/locada):• Presencial in company. a) capacitar sua equipe para a inspeção e a• Online. manutenção da PTA, de acordo com as recomendaçõesO que diz o Ministério do Trabalho: do fabricante; b) conservar os registros dos operadores treinados emSegundo o Ministério do Trabalho e emprego (acessado cada modelo de PTA por um período de cinco anos;em 22/10/2012), é necessário atender a NR 18 - c) orientar os trabalhadores quanto ao uso,CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NA carregamento e posicionamento dos materiais naINDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO - ANEXO – I (Incluído pela estação de trabalho da PTA.Portaria SIT n.º 15, de 03 de julho de 2007) - ANEXO IV – 5.4 O usuário deve impedir a operação da PTA porPLATAFORMAS DE TRABALHO AÉREO (Alterado pela trabalhador não capacitado.Portaria SIT n.º 40, de 7 de março de 2008), mais Item 18.22.1, citado no item 5.1:especificamente quanto ao descrito nos seguintes itens: 18.22.1 A operação de máquinas e equipamentos5 Capacitação que exponham o operador ou terceiros a riscos só5.1 O operador deve ser capacitado de acordo com o pode ser feita por trabalhador qualificado eitem 18.22.1 da NR-18... identificado por crachá.
  • NOSSOS CLIENTES
  • ENDEREÇO E CONTATOSTelefones: (47) 3046-0045 / 9170-9152Email: isc@institutosc.com.brSite: http://www.institutosc.com.brSkype: institutoscMSN: isc@hotmail.com.br Rua Jacó Lamim, 110 - São Judas 88303-500 - Itajaí - SC