Your SlideShare is downloading. ×
Aula cagastrico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Aula cagastrico

1,211
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,211
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
51
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • N1 – gânglios perigástricos ao longo da grande e pequena curvatura N2 – gânglios adjacentes ao tronco celíaco e aos seus ramos: (gástrica esquerda, hepática comum e esplénica) N3 – gânglios no ligamento hepatoduodenal, na região retropancreática, no plexo celíaco e na artéria mesentérica superior N4 – gânglios na região para-aórtica
  • Transcript

    • 1. + NÚCLEO REGIONAL DO NORTE CANCRO GÁSTRICO Hugo Sousa BScH Microbiology| MSc Oncology | PhD Biomedical Sciences MD Student @ FMUP hugomls@gmail.com_________________________________________Serviço Virologia – Lab Biologia MolecularGrupo Oncologia Molecular
    • 2. + Outline…
    • 3. + Cancro Gástrico Epidemiologia
    • 4. + Cancro Gástrico Epidemiologia  Principal morte por cancro em todo o mundo  Incidência e mortalidade diminuiu drasticamente nos últimos 75 anos  Risco mais elevado em classes socioeconómicas mais baixas  Exposição ambiental nos primeiros anos de vida parece ter um papel significativo
    • 5. + Cancro Gástrico Epidemiologia Mundial  Maior incidência: Ásia (26.9/100.000); América latina; Europa de Leste (inversamente proporcional ao estatuto socioeconómico)  Menor incidência: América do Norte (3.4 /100.000); África
    • 6. + Cancro Gástrico Epidemiologia Europa
    • 7. + Cancro Gástrico Epidemiologia em Portugal
    • 8. + Cancro Gástrico Epidemiologia em Portugal  Incidência:  Homem: 27.6/100 000 pessoas/ano  Mulher: 13.6/100 000 pessoas/ano  Mortalidade:  Homem: 20.3/100 000 pessoas/ano  Mulher: 10.1/100 000 pessoas/ano
    • 9. + Cancro Gástrico Epidemiologia  Doença Multifactorial  Baixo nível sócio-económico  Raça negra (ratio 2:1)  Homens (ratio 2:1)  Idade >40 (pico 7ª década)
    • 10. + Cancro Gástrico Etiologia
    • 11. + Cancro Gástrico Etiologia
    • 12. + Cancro Gástrico Helicobacter pylori  Agente Carcinogénico Grupo I (IARC)  Mais de 80% dos infectados com H. pylori nunca terá sintomas  ~20% desenvolvem sintomatologia gástrica  10-15% progridem para doença ulcerosa 60-70% das úlceras gástricas 90% das úlceras duodenais  2% desenvolvem cancro gástrico x% dos adenocarcinomas gástricos 90% dos Linfomas (MALT)
    • 13. + Cancro Gástrico Helicobacter pylori
    • 14. + Cancro Gástrico Helicobacter pylori  Mecanismo de Carcinogénese  Inflamação crónica  Produção de Radicais Livres  Lesões celulares/moleculares;  Alterações celulares/teciduais http://h.pylori.info/
    • 15. + Cancro Gástrico Carcinogénese
    • 16. + Cancro Gástrico Carcinogénese
    • 17. + Cancro Gástrico Carcinogénese  Modelo Bem caracterizada histopatologiamente  Cada fase engloba mudanças continuas, resultado de múltiplos eventos
    • 18. + Cancro Gástrico Carcinogénese
    • 19. + Cancro Gástrico Carcinogénese Wilson KT and Crabtree JE. GASTROENTEROLOGY 2007;133:288–308
    • 20. + Cancro Gástrico Carcinogénese
    • 21. + Cancro Gástrico Carcinogénese Epitélio Gástrico Normal Mucosa:  Criptas/Fossetas  Glândulas  Lâmina Própria Muscular da Mucosa Submucosa http://www.siumed.edu http://www.colorado.edu/
    • 22. + Cancro Gástrico Carcinogénese Gastrite Crónica Não Atrófica sem perda de Glândulas Inflamação Crónica Infiltrados Leucocitários Inflamação Aguda/Activa Neutrófilos Poliformonucleares Características  Localizada no atrium  Tratamento antiácido forma protuberâncias na mucosa Correa P and Houghton J. GASTROENTEROLOGY 2007;133:659–672
    • 23. + Cancro Gástrico Carcinogénese Gastrite Atrófica Multifocal com perda de Glândulas Inflamação  Libertação de produtos bacterianos e citocinas  Substituição das glândulas por tecido fibroso  Recrutamento de células estaminais Mais violenta Transição entre o corpo e atrium Correa P and Houghton J. GASTROENTEROLOGY 2007;133:659–672
    • 24. + Cancro Gástrico Carcinogénese Metaplasia Intestinal Completa/Incompleta Transformação de tecido especializado noutro tecido…. Correa P and Houghton J. GASTROENTEROLOGY 2007;133:659–672
    • 25. + Cancro Gástrico Carcinogénese Metaplasia Intestinal Completa/Incompleta Transformação de tecido especializado noutro tecido…. - Expressão CDX2 - Expressão Muc2 - Epitelização glandular
    • 26. + Cancro Gástrico Carcinogénese Displasia Cancro Correa P and Houghton J. GASTROENTEROLOGY 2007;133:659–672 http://www.indmedica.com/
    • 27. + Cancro Gástrico Modelo de Carcinogénese
    • 28. + Cancro Gástrico Modelo de Carcinogénese  C57BL/6 Mouse Model  Ligeiras diferenças histológicas  Resposta imunológica diferencial  Th1 – inflamação crónica  Th2 – protecção celular  Progressão histológica Rogers AB and Fox JG. Am J Physiol Gastrointest Liver Physiol 2004;286: G361–G366
    • 29. + Cancro Gástrico Modelo de Carcinogénese  C57BL/6 Mouse Model  Erradicação H. pylori possibilita a regressão das lesões.  Regressão lesões pode ocorrer apenas por redução da taxa de proliferação e aumento da apoptose celular.  A regressão de lesões avançadas não é frequente e persiste o risco de progressão. Cai X et al.. GASTROENTEROLOGY 2005;128:1937–1952
    • 30. + Cancro Gástrico Modelo de Carcinogénese
    • 31. + Cancro Gástrico Modelo de Carcinogénese Em suma... 1. Infecção crónica por H. Pylori; 2. Danos celulares; 3. Activação mecanismos de reparação tecidular (células estaminais); 4. Proliferação celular e alteração do padrão celular do epitélio; 5. Progressão
    • 32. + Cancro Gástrico Patologia
    • 33. + Cancro Gástrico Histologia  Adenocarcinoma 90%  Limfoma 5%  Estromal 2%  Carcinóide <1%  Metastático <1%  Adenosquamous/squamous <1%  Misto <1%
    • 34. + Cancro Gástrico Localização 25% - cárdia 5% - todo o estômago 40% - antro, curvatura menor 30% - corpo e fundo
    • 35. + Cancro Gástrico Adenocarcinoma Intestinal  Mais comum nos idosos  Estômago distal  antro e pequena curvatura do estômago  Lesões precursoras  Grande componente ambiental  zonas geográficas de maior risco  Células neoplásicas coesas  padrão glandular  Massas elevadas, por vezes ulceradas
    • 36. CICLIPA 2006
    • 37. + Cancro Gástrico Adenocarcinoma Difuso  DIFUSO...  Doentes jovens  Grande componente genético  Sem lesões precursoras conhecidas  Células neoplásicas sem coesão  Células em Anel  Espessamento da parede  Pior prognóstico
    • 38. CICLIPA 2006
    • 39. + Cancro Gástrico Linfoepitelioma gástrico  4% das neoplasias malignas do estômago  linfomas de células B (95% são não-Hodgkin)  surgem em zonas MALT  Maioria tem infecção por H. Pylori  Quando erradicada a infecção, o linfoma regride  Diagnóstico por endoscopia com biópsia, TAC e biópsia de medula óssea  Pode originar linfoma de alto grau  Tratamento oncológico agressivo e cirurgia
    • 40. + Cancro Gástrico Tumor Estromal Gastrointestinal (GIST)  1% das neoplasias malignas do estômago  Tumores surgem no tecido mesenquimatoso  Tipo músculo liso (leiomiossarcoma)  Tipo epitelióide  Maioria têm alteração no protooncogene c-kit (tratamento com inibidores da proteína cínase Gleevec®, Sutent®)  Diagnóstico por endoscopia com biópsia, eco- endoscopia, TAC  Ressecção adequada– sobrevida 80% aos 5 anos  Resecção inadequanda – sobrevida 30% aos 5 anos
    • 41. CICLIPA 2006GIST
    • 42. + Cancro Gástrico Tumor carcinóide  3% dos tumores carcinóide GI  Factores de risco  anemia perniciosa  gastrite atrófica  Tumores pequenos, na submucosa  Diagnóstico por eco-endoscopia  Sobrevida  Sem metástases ganglionares: 90% aos 5 anos  Com metástases ganglionares: 50% aos 5 anos
    • 43. + Cancro Gástrico Sinais & Sintomas
    • 44. + Cancro Gástrico Sinais e Sintomas
    • 45. + Cancro Gástrico Sinais e Sintomas Fase Inicial Ø Queixas Dor epigástrica Anorexia Emagrecimento (≈6kg)
    • 46. + Cancro Gástrico Sinais e Sintomas Massa abdominal Obstrução da cárdia Disfagia Ascite Saciedade precoce Icterícia Estadio Avançado Vómitos Náuseas Hematemeses Sangramento GI  oculto / Melenas Anemia Obstrução pilórica Astenia
    • 47. + Cancro Gástrico Sinais e Sintomas Nódulo de Virchow N. Sister Mary Joseph Metastização ao longo Metástase umbilical do ducto torácico Metastização – fígado + peritoneu + pulmões + cérebro + osso
    • 48. + Cancro Gástrico Diagnóstico & Estadiamento
    • 49. + Cancro Gástrico Diagnóstico
    • 50. + Cancro Gástrico Diagnóstico  Endoscopia  Biópsia para Dx histológico Nota: critérios para execção de endoscopia baseiam-se na sintomatologia e factores de risco
    • 51. + Cancro Gástrico Diagnóstico  Radiologia  Rx contraste  TAC abdominal
    • 52. + Cancro Gástrico Diagnóstico Diferencial Gastric Cancer Gastric Ulcer
    • 53. + Cancro Gástrico Complicações...  Hemorragias/hematoquésias  Obstrução Intestinal  Perforação
    • 54. + Cancro Gástrico Estadiamento Sistema TNM Progressão na parede gástrica Progressão linfática Progressão hematogénea Sementeira peritoneal
    • 55. + Cancro Gástrico Estadiamento  T... Progressão na parede gástrica  Tx - cannot assess  T0 indicates no evidence of primary tumor  Tis is carcinoma in situ  T1, T2, T3 and T4
    • 56. + Cancro Gástrico Estadiamento  N... Disseminação ganglionar  Nx - cannot assess  N0 - no regional node metastases  N1, N2, N3 indicate increasing involvement of regional lymph nodes
    • 57. + Cancro Gástrico Estadiamento  M... Metastização  Mx - cannot assess  M0 is no distant metastases  M1 indicates distant metastases Metastização hepática Carcinomatose Peritoneal
    • 58. + Cancro Gástrico Estadiamento
    • 59. + Cancro Gástrico Estadiamento
    • 60. + Cancro Gástrico Tratamento & Prognóstico
    • 61. + Cancro Gástrico Tratamento  Endoscopia  Cirurgia  Quimioterapia
    • 62. + Cancro Gástrico Tratamento Ressecção Endoscópica
    • 63. + Cancro Gástrico Tratamento Ressecção Endoscópica
    • 64. + Cancro Gástrico Tratamento Cirurgia
    • 65. + Cancro Gástrico Tratamento Cirurgia
    • 66. + Cancro Gástrico Prognóstico
    • 67. + Cancro Gástrico Prognóstico  Depende do tamanho do tumor… p<0.00 1,0 1 T1 ,8 ,6 T2 ,4 T3 ,2 T4 0,0 0 12 24 36 48 60
    • 68. + Cancro Gástrico Prognóstico  Depende do nº gânglios… Breslow : p<0.0001 Log Rank : p<0.0001 1,0 ,8 N0 ,6 ,4 N1 ,2 N2 N3 0,0 0 10 20 30 40 50 60
    • 69. + Cancro Gástrico Prognóstico  Depende do estadio Breslow : p<0.0001 Log Rank : p<0.0001 1,0 IA ,8 IB ,6 II ,4 IIIA ,2 IV III B 0,0 0 10 20 30 40 50 60
    • 70. + Cancro Gástrico Prevenção...
    • 71. + Cancro Gástrico Prevenção  Erradicação infecção H. Pylori  Consumo de frutas, vegetais e fibras
    • 72. + NÚCLEO REGIONAL DO NORTE CANCRO GÁSTRICO Hugo Sousa BScH Microbiology| MSc Oncology | PhD Biomedical Sciences MD Student @ FMUP hugomls@gmail.com_________________________________________Serviço Virologia – Lab Biologia MolecularGrupo Oncologia Molecular

    ×