Your SlideShare is downloading. ×
Tomate, molho e a saúde
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tomate, molho e a saúde

1,126
views

Published on

Benefícios do tomate na alimentação.

Benefícios do tomate na alimentação.

Published in: Education

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,126
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
25
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Por se tratar de um alimento de suma importância para nossa saúde reuni neste trabalho algumas informações de diferentes fontes. Generalidades O tomate pertence à família dos “solanáceos” seu nome científico é “Solanun lycopersicum” tem sua origem no Peru. Sua variedade é grande as mais importantes são a corrente de tamanho médio 5 a 10cm. O redondo bem pequeno 2 a 3 cm. O oblongo e o monstro notável pelo tamanho podendo pesar até um quilo possui uma rodela cinzenta em torno do pedúnculo. Composição química: Segundo estudos o tomate possui a cada 100gramas de polpa fresca e seca ao ar 92,37% de água, 1,25% de elementos nitrogenados, 0,84% de lignina, 0,63% de cinzas encontram-se também solanina, saponinas, corantes e vitaminas como A,B,C, e E, possui ainda elementos vitamínicos como: rádio, ferro , cobre, boro, níquel, cobalto, licopeno, flavonóides, fósforo, magnésio e potássio. Grandes benefícios do tomate: Estimula as enzimas, previne a coagulação sanguínea, anticancerígeno porque inibe as enzimas responsáveis pela metástase das células cancerígenas. Como possui ferro previne e cura anemia, fraqueza, palidez, o fósforo contido aumenta a resistência física, age sobre os ossos, distúrbios nervosos, stress e problemas de obesidade, além de fortalecer o cérebro auxiliando no aprendizado. O magnésio protege contra doenças cardiovasculares, hipertensão, nervosismo, tensão pré-menstrual, problemas da próstata, combate depressão e tremores, enquanto que o potássio, age também contra fraqueza em geral, arritmia e também pressão alta. A vitamina B2 (riboflavina) protege contra distúrbios nos olhos, distúrbios digestivos, ferimentos na boca. Apresenta ainda outros benefícios provenientes da vitamina C que aumenta a imunidade contra resfriados e outras infecções inclusive AIDS. O tomate pode ser consumido cru, cozido ou em molhos que não perde suas propriedades, evite o consumo de tomates verdes pois é contra indicado para os rins e sempre que possível também os molhos e extratos industrializados por conterem químicas que não são saudáveis. Fontes de consulta - A cura e a saúde pelos alimentos de Ernest Schineider - Wikipédia
  • 2. Dos carotenóides existentes no tomate, o licopeno, que é justamente o que dá a coloração, é o que mais tem chamado a atenção. O licopeno não é sintetizado pelo corpo humano e tem propriedade antiradicais livres. A produção excessiva de radicais livres pode conduzir a diversas formas de dano celular. A quantidade de licopeno disponível no fruto varia conforme a variedade e também pode aumentar com o aquecimento, ou seja, os molhos de tomate têm mais licopeno do que o fruto cru, tanto pela temperatura como pelo uso de frutos mais maduros. Além disso, o azeite de oliva ainda aumenta mais a biodisponibilidade do licopeno. Um exemplo: o tomate cru tem 13% do seu licopeno biodisponível, enquanto cozido tem 70% dessa biodisponibilidade. Lembre: Quanto mais aquecemos mais licopeno estará disponível... o molho adquire uma coloração mais escura. O tomate e a saúde Não é a toa que quando pensamos em saúde logo nos vem à cabeça o reino vegetal. Sim, é do que brota da terra que vem a cura pra maioria das doenças e a prevenção para quase todas. Os vegetais possuem substâncias extremamente poderosas, capazes de realmente mudar nossa vida para melhor. Tomate e Licopeno – Molho de Tomate Falando sobre alimentos funcionais, hoje trataremos do tomate. Fruta saborosa, que permite várias preparações e, sem medo de exagerar, a base da culinária italiana! Com tudo isto, ainda faz muito bem! O tomate era cultivado pelos Astecas do México e Incas do Peru e foi introduzido na Europa, pelos espanhóis, que o trouxeram do México. Em pouco tempo o tomate se tornou popular na Itália, na África do Norte e no Ocidente médio, através de escravos espanhóis. Em meados do sec. XVI, o tomate chegou ao norte da Europa, mas o arbusto era meramente decorativo, pois achavam que era venenoso. É provável que o tomate introduzido na Europa fosse amarelo, pois os italianos o chamavam de “pomodoro” (maçã de ouro), os ingleses o chamavam de tomate alterando mais tarde para tomato, mas o termo Love apple (maçã do amor) também pegou. Permaneceu por muito tempo sendo cultivado com intuito ornamental, apenas em meados de 1500 ele começou a ser utilizado na culinária, mais fortemente na Itália no século seguinte e largamente utilizado na Europa a partir do séc.XX. Existem mais de 300 variedades de tomate, com isso, a composição também varia. De modo geral o tomate é rico em vitamina C, vitamina A, potássio e carotenóides, entre outros nutrientes. Mas é desse último que queremos comentar.
  • 3. As vantagens do licopeno O câncer de próstata é o segundo que mais atinge os homens, perdendo apenas para o de pulmão. A doença pode estar relacionada a predisposição genética e disfunções hormonais, mas também pode ser resultado de uma vida desequilibrada, com uma dieta desbalanceada, pobre em fibras e rica em gorduras saturadas. O licopeno protege contra a oxidação do colesterol, dificultando a formação de células malignas que desencadeiam o câncer. Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, comprovou que o consumo de tomate e seus derivados duas ou mais vezes por semana é capaz de reduzir em mais de 20% os riscos da doença. O poder antioxidante do licopeno também é eficaz contra as doenças coronárias, pois combate a oxidação do colesterol LDL, um dos grandes causadores da arteriosclerose. A substância ainda atua positivamente contra outros tipos de câncer, como o de esôfago, pâncreas, pulmão, mama e pele. Fonte: Carol Sessa é nutricionista; especialista em Nutrição Humana e Saúde e em Terapia Nutricional. Atua na área de nutrição clínica do "Espaço Terapêutico" em Vila Velha - ES. www.nutricarol.com.br - Que doenças o licopeno pode prevenir? O licopeno, por ser um antioxidante, pode contribuir na prevenção de doenças como o câncer, principalmente o câncer de próstata, e também doenças cardiovasculares, conforme comprovado em alguns estudos. Fonte: http://www.obagastronomia.com.br/tomate-e-licopeno-molho-de-tomate/ O teor de licopeno de alguns alimentos (em 100g do alimento): Tomate Fresco 3,1 a 7,74 mg Tomate Processado 11,21 mg Suco de Tomate Processado 7,83 mg Sopa de Tomate Enlatada 3,99 mg Pasta de Tomate Enlatada 30,07 mg Catchup 16,60 mg Melancia 4,10 mg Mamão Papaia 2,0 a 5,30 mg Nota: Apesar de tantos benefícios, por outro lado temos que verificar a origem e qualidade do fruto em função do uso indiscriminado de agrotóxicos e o tomate é uma das culturas mais contaminadas ( Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA). Recomenda-se então, comprar um produto de origem segura, lavar bem e descascar quando necessário.
  • 4. PREPARO Corte a cebola, a salsinha, cebolinha e alho (cubos pequenos). Prepare os tomates cortados em cubos pequenos. (ou o molho tradicional pronto) Aqueça uma panela grande e coloque o azeite. Adicione a cebola, o alho para dourar. Junte os tomates (ou o molho) e mexa muito bem. -Em fogo baixo, deixe o tomate soltar seu suco. Adicione os demais ingredientes temperos e cozinhe por aproximadamente 2 horas a 3 horas. Isto é “apurar” o que concentrará o licopeno. Quanto maior a concentração de tomate em uma receita, maior o teor de licopeno e os benefícios por ele proporcionados. Este possui maior aproveitamento quando combinado a uma pequena quantidade de gordura, preferencialmente do tipo monoinsaturada. Mexer de vez em quando e não deixar secar, acrescente água quando necessário aos pouquinhos. Corrija a acidez com açúcar. O resultado será um rico molho avermelhado pardo e suculento. Não salgue demasiado. Deixe para fazê-lo no preparo de algum prato. Opção: serve para macarronada e outros pratos. Se você adicionar PTV (hidrate antes) ou carne durante o cozimento porém frite primeiro. Dá trabalho fazer este molho, por isto sempre pode fazer em uma quantidade grande. Para guardá-lo, deixe esfriar e coloque uma pequena camada de azeite de oliva por cima. Deixe em refrigerador. Antes Depois Material adaptado por Prof. Ramón Zazatt Molho de tomate versátil Para ilustrar a matéria sobre tomate e licopeno, o Molho de tomate não obedece fórmulas e quantidades estabelecidas. Existem várias formas de produzi-lo. Quando cozido apresenta uma coloração vermelha intensa e um leve brilho. O sabor de tomate deve ser forte, mas a acidez não deve ser excessiva. Quando é “pedaçudo” e acrescido de outros ingredientes, como carne. Após processá-lo passa a Sugo. Sendo assim, apresento a “minha maneira” de fazer molho de tomate, que considero muito boa e assim também quem o saboreou. Você provavelmente conhecerá outra ou outras, mas é assim mesmo… Receita do Prof. Ramón Zazatt INGREDIENTES - (para 3 litros) – Você pode fazer ½ da receita ou 1/3 etc. 2 Kg de tomates bem maduros (Opção quantidade equivalente de “Molho tradicional enlatado”) 3 cebolas grandes 3 dentes de alho 6 folhas de louro Alguns raminhos de cheiros: (cebolinha, com salsinha, manjericão, orégano) (Opção: tomilho e um galhinho de alecrim) ½ colher de sopa de páprica picante. 3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra-virgem. Açúcar se necessário para tirar a acidez.
  • 5. PREPARO Corte a cebola, a salsinha, cebolinha e alho (cubos pequenos). Prepare os tomates cortados em cubos pequenos. (ou o molho tradicional pronto) Aqueça uma panela grande e coloque o azeite. Adicione a cebola, o alho para dourar. Junte os tomates (ou o molho) e mexa muito bem. -Em fogo baixo, deixe o tomate soltar seu suco. Adicione os demais ingredientes temperos e cozinhe por aproximadamente 2 horas a 3 horas. Isto é “apurar” o que concentrará o licopeno. Quanto maior a concentração de tomate em uma receita, maior o teor de licopeno e os benefícios por ele proporcionados. Este possui maior aproveitamento quando combinado a uma pequena quantidade de gordura, preferencialmente do tipo monoinsaturada. Mexer de vez em quando e não deixar secar, acrescente água quando necessário aos pouquinhos. Corrija a acidez com açúcar. O resultado será um rico molho avermelhado pardo e suculento. Não salgue demasiado. Deixe para fazê-lo no preparo de algum prato. Opção: serve para macarronada e outros pratos. Se você adicionar PTV (hidrate antes) ou carne durante o cozimento porém frite primeiro. Dá trabalho fazer este molho, por isto sempre pode fazer em uma quantidade grande. Para guardá-lo, deixe esfriar e coloque uma pequena camada de azeite de oliva por cima. Deixe em refrigerador. Antes Depois Material adaptado por Prof. Ramón Zazatt Molho de tomate versátil Para ilustrar a matéria sobre tomate e licopeno, o Molho de tomate não obedece fórmulas e quantidades estabelecidas. Existem várias formas de produzi-lo. Quando cozido apresenta uma coloração vermelha intensa e um leve brilho. O sabor de tomate deve ser forte, mas a acidez não deve ser excessiva. Quando é “pedaçudo” e acrescido de outros ingredientes, como carne. Após processá-lo passa a Sugo. Sendo assim, apresento a “minha maneira” de fazer molho de tomate, que considero muito boa e assim também quem o saboreou. Você provavelmente conhecerá outra ou outras, mas é assim mesmo… Receita do Prof. Ramón Zazatt INGREDIENTES - (para 3 litros) – Você pode fazer ½ da receita ou 1/3 etc. 2 Kg de tomates bem maduros (Opção quantidade equivalente de “Molho tradicional enlatado”) 3 cebolas grandes 3 dentes de alho 6 folhas de louro Alguns raminhos de cheiros: (cebolinha, com salsinha, manjericão, orégano) (Opção: tomilho e um galhinho de alecrim) ½ colher de sopa de páprica picante. 3 colheres (sopa) de azeite de oliva extra-virgem. Açúcar se necessário para tirar a acidez.