Fisioterapia é saúde funcional   longe da reabilitação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Fisioterapia é saúde funcional longe da reabilitação

on

  • 577 views

Fisioterapia é Saúde Funcional, longe de ser reabilitação

Fisioterapia é Saúde Funcional, longe de ser reabilitação

Statistics

Views

Total Views
577
Views on SlideShare
577
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Fisioterapia é saúde funcional longe da reabilitação Document Transcript

  • 1. Mas como surgiu a expressão Saúde Funcional? Este foi um dos debates para compor o históriconecessário a toda proposição.Antes da internet, a comunicação com o Coffito era presencial. Em 1993, apresentei uma proposta depolítica pública na 9.ª Conferência Nacional de Saúde a convite do então presidente do Coffito, RuyGallart de Menezes, cujo tema era FISIOTERAPIA DOMICILIAR NO MUNICÍPIO DE SANTOS. Opresidente a conhecia porque foi tema-livre no 10.º Congresso Brasileiro de Fisioterapia da antiga ABF,em 1991, em Fortaleza, CE, trabalho produzido e inscrito por 10 fisioterapeutas do Serviço de FisioterapiaDomiciliar do SUS em Santos.Por ironia do destino, Philippe Souchard não compareceu ao evento por questões de disputa política peladireção da associação nacional e para preencher a lacuna, fui convidado, junto com os colegas LuizPaulo Silva e o saudoso Sidney Alcântara, a apresentar o tema na forma de conferência. Lotou o espaçoe teve repercussão.Dois anos depois, dr. Ruy faz o convite para a nona conferência de 1993 e me viu chegando com jornaisespecialmente confeccionados pela prefeitura para a apresentação. No título constava REABILITAÇÃO.Pois o presidente do Coffito fez comigo uma profunda discussão de pelo menos umas QUATRO HORAS,antes da apresentação, mostrando detalhadamente a política das profissões de saúde no CongressoNacional e o devido espaço de cada assistência profissional e do contexto de reabilitação manipuladopela fisiatria (dr. Ruy já se posicionava contrário ao ato médico antes dele existir). Fiz a apresentação eme vi em concordância com a linguagem adotada pelo órgão de controle social da Fisioterapia e TerapiaOcupacional. Ruy Gallart foi convincente.De volta para casa, procurei uma forma de vislumbrar uma alternativa ao equivocado viés fisiátrico-reabilitacional. Coincidentemente, participava de um grupo de estudos que traduzia a "Kinésithérapie"francesa, da Éditions Técniques. O curioso é que a parte da enciclopédia em que a Fisioterapia estavacontida chamava-se RÉÉDUCATION FONCTIONELLE, enquanto na linguagem anglo-saxã eraREHABILITATION. Pensava: o uso inadequado teria vindo de lá, transcrição literal e mecanicista?Também participava ativamente do conselho municipal de saúde e via SAÚDE MENTAL, SAÚDE BUCALe... REABILITAÇÃO!! Dava um tilt na minha cabeça! Por que a Fisioterapia não seria enquadrado numa"Saúde" mais voltada ao seu perfil específico, ficando preso a um dos níveis de assistência à saúde?Na 5.ª conferência municipal de saúde de Santos, em 1998, fiz parte da comissão organizadora e propusque fosse substituída a denominação REABILITAÇÃO pelo nome usado pelos franceses, substituindo aREEDUCAÇÃO pela usual SAÚDE, e foi aprovada a SAÚDE FUNCIONAL, utilizada até os dias de hoje.Ontem, quando da aprovação em Brasília, mandei e-mail para o CMS Santos para que resgatassem essadocumentação histórica.Com ela nas mãos, pretendo enviar a você, Eduardo, e aos demais membros do GT, para que possamcomprovar o que apenas citaram lá em Brasília junto aos técnicos da SAÚDE DO IDOSO.Parabéns a todos nós! O povo brasileiro, a partir da publicação no diário oficial da união, será o grandebeneficiado pela qualidade de vida que a política pública proporcionará!Abraços do Rivaldo NovaesFisioterapeuta, docente e idealista persistente15/12/10