0
Romantismo em Portugal Victor Hugo da Silva Número 30 2ºB
Definição <ul><li>Romantismo foi um movimento artístico, político e filosófico surgido nas últimas décadas do século XVIII...
<ul><li>Inicialmente apenas uma atitude, um estado de espírito, o Romantismo toma mais tarde a forma de um movimento e o e...
<ul><li>O termo romântico refere-se, assim, ao movimento estético ou, em um sentido mais lato, à tendência idealista ou po...
<ul><li>O Romantismo surgiu na Europa numa época em que o ambiente intelectual era de grande rebeldia. Na política, caíam ...
<ul><li>No Brasil, o romantismo coincidiu com a independência política em 1822, com o Primeiro reinado, com a guerra do Pa...
<ul><li>Alguns autores neoclássicos já nutriam um sentimento mais tarde dito romântico antes de seu surgimento de fato, se...
<ul><li>O Romantismo viria a se manifestar de formas bastante variadas nas diferentes artes e marcaria, sobretudo, a liter...
<ul><li>Teve como marco inicial a publicação do poema &quot;Camões&quot;, de Almeida Garrett, em 1825, e durou cerca de 40...
Primeira Geração <ul><li>As características centrais do romantismo viriam a ser o lirismo, o subjetivismo, o sonho de um l...
Segunda Geração <ul><li>Eventualmente também serão notados o pessimismo e um certo gosto pela morte, religiosidade e natur...
Terceira Geração <ul><li>Seria a fase de transição para outra corrente literária, o realismo, onde denuncia os vícios e ma...
Individualismo <ul><li>Os românticos libertam-se da necessidade de seguir formas e padrões já consagrados, abrindo espaço ...
Subjetivismo <ul><li>O romancista trata dos assuntos de forma pessoal, de acordo com sua opinião sobre o mundo. O subjetiv...
Idealização <ul><li>Empolgado pela imaginação, o autor idealiza temas, exagerando em algumas de suas características. Dess...
Sentimentalismo Exarcebado <ul><li>Praticamente todos os poemas românticos apresentam sentimentalismo já que essa escola l...
Egocentrismo <ul><li>Como o nome já diz, é a colocação do ego no centro de tudo. Vários artistas românticos colocam, em se...
Natureza Interagindo Com o Eu Lírico <ul><li>A natureza, no Romantismo, expressa aquilo que o eu-lírico está sentindo no m...
Grotesco e Sublime <ul><li>Há a fusão do belo e do feio, diferentemente do arcadismo que visa a idealização do personagem ...
Medievalismo <ul><li>Alguns românticos se interessavam pela origem de seu povo, de sua língua e de seu próprio país. Na Eu...
Indianismo <ul><li>É o medievalismo &quot;adaptado&quot; ao Brasil. Como os brasileiros não tinham um cavaleiro para ideal...
Byronismo <ul><li>Inspirado na vida e na obra de Lord Byron, poeta inglês. Estilo de vida boêmio, voltado para vícios, beb...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Romantismo

9,526

Published on

Escola Literária

Published in: Education
1 Comment
8 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
9,526
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
274
Comments
1
Likes
8
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Romantismo"

  1. 1. Romantismo em Portugal Victor Hugo da Silva Número 30 2ºB
  2. 2. Definição <ul><li>Romantismo foi um movimento artístico, político e filosófico surgido nas últimas décadas do século XVIII na Europa que perdurou por grande parte do século XIX. Caracterizou-se como uma visão de mundo contrária ao racionalismo que marcou o período neoclássico e buscou um nacionalismo que viria a consolidar os estados nacionais na Europa. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Inicialmente apenas uma atitude, um estado de espírito, o Romantismo toma mais tarde a forma de um movimento e o espírito romântico passa a designar toda uma visão de mundo centrada no indivíduo. Os autores românticos voltaram-se cada vez mais para si mesmos, retratando o drama humano, amores trágicos, ideais utópicos e desejos de escapismo. Se o século XVIII foi marcado pela objetividade, pelo Iluminismo e pela razão, o início do século XIX seria marcado pelo lirismo, pela subjetividade, pela emoção e pelo eu. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>O termo romântico refere-se, assim, ao movimento estético ou, em um sentido mais lato, à tendência idealista ou poética de alguém que carece de sentido objetivo. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>O Romantismo surgiu na Europa numa época em que o ambiente intelectual era de grande rebeldia. Na política, caíam os sistemas de governo despóticos e surgia o liberalismo político (não confundir com o liberalismo econômico do Século XX). No campo social imperava o inconformismo. No campo artístico, o repúdio às regras. A Revolução Francesa é o clímax desse século de oposição. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>No Brasil, o romantismo coincidiu com a independência política em 1822, com o Primeiro reinado, com a guerra do Paraguai e com a campanha abolicionista. </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Alguns autores neoclássicos já nutriam um sentimento mais tarde dito romântico antes de seu surgimento de fato, sendo assim chamados pré-românticos. Nesta classificação encaixam-se Francisco Goya e Bocage. </li></ul><ul><li>O Romantismo surge inicialmente naquela que futuramente seria a Alemanha e na Inglaterra. Na Alemanha, o Romantismo, teria, inclusive, fundamental importância na unificação germânica com o movimento Sturm und Drang. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>O Romantismo viria a se manifestar de formas bastante variadas nas diferentes artes e marcaria, sobretudo, a literatura e a música (embora ele só venha a se manifestar realmente aqui mais tarde do que em outras artes). À medida que a escola foi sendo explorada, foram surgindo críticos à sua demasiada idealização da realidade. Destes críticos surgiu o movimento que daria forma ao Realismo. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Teve como marco inicial a publicação do poema &quot;Camões&quot;, de Almeida Garrett, em 1825, e durou cerca de 40 anos terminando por volta de 1865 com a Questão Coimbrã. </li></ul><ul><li>A Primeira Geração do Romantismo em Portugal vai de 1825 a 1840. Seus principais autores são Almeida Garrett, Alexandre Herculano, Antônio Feliciano de Castilho. A Segunda Geração, ultra-Romântica, de 1840 a 1860 e tem com principais autores, Camilo Castelo Branco e Soares de Passos. A Terceira Geração, pré-Realista, de 1860 a 1870, aproximadamente, teve como principais autores Júlio Dinis e João de Deus. </li></ul>
  10. 10. Primeira Geração <ul><li>As características centrais do romantismo viriam a ser o lirismo, o subjetivismo, o sonho de um lado, o exagero, a busca pelo exótico e pelo inóspito de outro. Também destacam-se o nacionalismo, presente da colectânea de textos e documentos de caráter fundacional e que remetam para o nascimento de uma nação, facto atribuído à época medieval, a idealização do mundo e da mulher e a depressão por essa mesma idealização não se materializar, assim como a fuga da realidade e o escapismo. </li></ul>
  11. 11. Segunda Geração <ul><li>Eventualmente também serão notados o pessimismo e um certo gosto pela morte, religiosidade e naturalismo. </li></ul>
  12. 12. Terceira Geração <ul><li>Seria a fase de transição para outra corrente literária, o realismo, onde denuncia os vícios e males da sociedade, mesmo que o faça de forma enfatizada e irónica (vide Eça de Queiróz), com o intuito de pôr a descoberto realidades desconhecidas que revelam fragilidades </li></ul>
  13. 13. Individualismo <ul><li>Os românticos libertam-se da necessidade de seguir formas e padrões já consagrados, abrindo espaço para a manifestação da individualidade, muitas vezes definida por emoções e sentimentos </li></ul>
  14. 14. Subjetivismo <ul><li>O romancista trata dos assuntos de forma pessoal, de acordo com sua opinião sobre o mundo. O subjetivismo pode ser notado através do uso de verbos na primeira pessoa. Trata-se sempre de uma opinião parcelar, dada por um individuo que baseia sua perspectiva naquilo que as suas sensações captam. </li></ul><ul><li>Com plena liberdade de criar, o artista romântico não se acanha em expor suas emoções pessoais, em fazer delas a temática sempre retomada em sua obra. O eu é o foco principal do subjetivismo, o eu é egoísta, forma de expressar seus sentimentos. </li></ul>
  15. 15. Idealização <ul><li>Empolgado pela imaginação, o autor idealiza temas, exagerando em algumas de suas características. Dessa forma, a mulher é uma virgem frágil, o índio é um herói nacional, e a pátria sempre perfeita. Essa característica é marcada por descrições minuciosas e muitos adjetivos. </li></ul>
  16. 16. Sentimentalismo Exarcebado <ul><li>Praticamente todos os poemas românticos apresentam sentimentalismo já que essa escola literária é movida através da emoção, sendo as mais comuns a saudade, a tristeza e a desilusão. Os poemas expressam o sentimento do poeta, suas emoções e são como o relato sobre uma vida. </li></ul><ul><li>O romântico analisa e expressa a realidade por meio dos sentimentos. E acredita que só sentimentalmente se consegue traduzir aquilo que ocorre no interior do indivíduo relatado. Emoção acima de tudo. </li></ul>
  17. 17. Egocentrismo <ul><li>Como o nome já diz, é a colocação do ego no centro de tudo. Vários artistas românticos colocam, em seus poemas e textos, os seus sentimentos acima de tudo, destacando-os no texto. Pode-se dizer, talvez, que o egocentrismo é um subjetivismo exagerado. </li></ul>
  18. 18. Natureza Interagindo Com o Eu Lírico <ul><li>A natureza, no Romantismo, expressa aquilo que o eu-lírico está sentindo no momento narrado. A natureza pode estar presente desde as estações do ano, como formas de passagens, à tempestades, ou dias de muito sol. Diferentemente do Arcadismo, por exemplo, que a natureza é mera paisagem. No Romantismo, a natureza interage com o eu-lírico.A natureza funciona quase como a expressão mais pura do estado de espírito do poeta. </li></ul>
  19. 19. Grotesco e Sublime <ul><li>Há a fusão do belo e do feio, diferentemente do arcadismo que visa a idealização do personagem principal, tornando-o a imagem da perfeição. Como exemplo, temos o conto de A Bela e a Fera, no qual uma jovem idealizada, se apaixona por uma criatura horrenda. </li></ul>
  20. 20. Medievalismo <ul><li>Alguns românticos se interessavam pela origem de seu povo, de sua língua e de seu próprio país. Na Europa, eles acharam no cavaleiro fiel à pátria um ótimo modo de retratar as culturas de seu país. Esses poemas se passam em eras medievais e retratavam grandes guerras e batalhas. </li></ul>
  21. 21. Indianismo <ul><li>É o medievalismo &quot;adaptado&quot; ao Brasil. Como os brasileiros não tinham um cavaleiro para idealizar, os escritores adotaram o índio como o ícone para a origem nacional e o colocam como um herói. O indianismo resgatava o ideal do &quot;bom selvagem&quot; (Jean-Jacques Rousseau), segundo o qual a sociedade corrompe o homem e o homem perfeito seria o índio, que não tinha nenhum contato com a sociedade européia. </li></ul>
  22. 22. Byronismo <ul><li>Inspirado na vida e na obra de Lord Byron, poeta inglês. Estilo de vida boêmio, voltado para vícios, bebida, fumo e sexo, podendo estar representado no personagem ou na própria vida do autor romântico. O byronismo é caracterizado pelo narcisismo, pelo egocentrismo, pelo pessimismo, pela angústia. </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×