Your SlideShare is downloading. ×
  • Like
  • Save
Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Now you can save presentations on your phone or tablet

Available for both IPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Equipamentos e Acessórios em radioimaginologia

  • 52,501 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
52,501
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
2
Likes
35

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Radiologia e Diagnóstico por Imagem EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS EM RADIOLOGIA Profº Heraldo Júnior
  • 2. EQUIPAMENTOS EM RADIOLOGIA
    • A radiologia dispõe hoje de um arsenal amplo de métodos para formação da imagem diagnóstica:
    • Aparelho (convencional), Telecomandado e Digital
    • Tomografia Axial Computadorizada
    • Arco em “C”
    • PET – CT
    • Ressonância Magnética
    • Densitometria
    • Cintilografia
    • Ultrassonografia
  • 3. EQUIPAMENTOS EM RADIOLOGIA
    • Rx – método baseado na emissão de radiação a partir de uma fonte que utiliza o efeito fotoelétrico em um campo de força para produzi-la.
    • Os raios x são “atenuados” pelas diferentes densidades do objeto a ser estudado.
    • Conforme a intensidade com que os raios chegam ao filme a imagem começa a ser impressa.
  • 4. BUCKY MURAL
  • 5. Mesa BUCKY
  • 6. Grades Antidifusoras
    • Grupo: Grades Antidifusoras
    • Descrição: Grade antidifusora 103 linhas por polegada, relação 10:1, distância focal 40`-72`.  
  • 7. Biombo radiológico
    • Com blindagem de 1,0 mm Pb, medindo 180 x 80 ou 08 2,10cm.
    • Visor plumbífero de 15 x 20 cm (2,1 mmPb).
    • Peso liquido: 90 kg
  • 8. Avental
    • padrão 110 x 60 cm.
    • com proteção na frente de 0,50 mm pb .
    • com proteção nas costas de 0,25 mm pb.
  • 9. Negatoscópio
  • 10. CHASSIS
    • Chassi radiográfico fabricado em alumínio, com cantos em nylon alto impacto, travas plásticas com sistema push, espuma flexível especial garantido perfeito contato entre filme e écrans e acabamento em pintura eletrostática.  
    • Sem janela ou com janela de identificação.
    • Disponível nos tamanhos em cm :  13x18 / 15x40/ 18x24/ 24x30 /30x40 /35x35 /35x43 / 35x91 cm
  • 11. CHASSIS
    • Chassi radiográfico com écran regular base verde, fabricado em alumínio, com cantos em nylon alto impacto, montado com grade antidifusora (distância focal 100 cm), travas plásticas com sistema push, espuma flexível especial garantido perfeito contato entre filme e écrans e acabamento em pintura eletrostática.  
  • 12. ÉCRANS
    • Écran base verde elaborado com compostos de terras raras, lavável, com base em poliester anti-estático, tamanho diversos.
  • 13. DIVISORES DE CHASSIS
    • Divisor radiográfico construído com quadro de aço inoxidável, filtro de chumbo de 1,5 mm revestido com alumínio polido, em diversos tamanho, longitudinal, divide o filme em duas 2 partes. O divisor radiográfico possibilita melhor aproveitamento do filme.   
  • 14. Cilindros de Extensão
    • Cilindro de extensão para seios da face .
    • adaptável à qualquer equipamento de Raio-X.
    • Diâmetro: 9 cm e 5,50, Comprimento: 45,50 cm.
    • Comprimento: 21 a 37 cm.
    • fabricado em latão cromado e base em aço inoxidável revestido com chumbo.
    • Mastóide _ Tamanho: Diâmetro: 5,50, Comprimento: 45,50 cm
  • 15. Régua Escanográfica em Acrílico 100 cm
    • Fabricado em acrílico, permite nítida observação de medidas até 100 cm.
    • Escala / Divisão: 100 cm / 0,2 cm
  • 16. Goniômetro em Alumínio
    • O goniômetro consiste num aparelho para a medição de ângulos.
    • Fabricado em alumínio com dupla angulação, escala 0º a 180º e 180º a 360º e haste alongada com 30 cm.
    • Dimensões Base: 17 X 8,5 cm.
  • 17. ESPESSÔMETRO
    • Grupo: Acessórios Radiológicos
    • Altura: 460mm
    • Largura: 250m
    • Comprimento: 25mm
    • Peso bruto: 0.25kg Peso
    • liquido: 0.25kg
    • Descrição: espessômetro fabricado em alumínio polido, com escala em centímetros e polegadas, medida máxima 40cm ou 16 polegadas..
  • 18. Colgadura tipo americana
    • Odontólogo
    • Aparelho convencional
  • 19. DOSÍMETRO TLD TERMOLUMINISCENTE
  • 20. EQUIPAMENTOS EM RADIOLOGIA
    • Conforme a necessidade do exame , o que se quer demonstrar, as condições clínicas do paciente, vai ser utilizada um tipo ou outro de mesa radiológica.
    • O posicionamento do paciente também vai depender do que se quer demonstrar.
  • 21. PLANOS DO CORPO http://www.corpohumano.hpg.ig.com.br
  • 22.  
  • 23. APARELHO CONVENCIONAL
  • 24. TELECOMANDADO
  • 25.  
  • 26. APARELHO MOVÉL
  • 27. PROCESSADORA AUTOMÁTICA
  • 28. PROCESSADORA MANUAL
  • 29. REVELADOR E FIXADOR
    • Revelação: a imagem latente é convertida em imagem visível pela ação química do revelador através de uma reação de oxiredução. A redução dos cristais expostos consiste na formação de aglomerados de prata metálica. Os cristais não expostos estão menos sujeitos a esta reação química.
    • Fixação: o fixador tem as seguintes propriedades: neutralizar, clarear, preservar e endurecer.
    • No entanto, sua principal função é a de remover os cristais de haleto de prata não expostos. O agente fixador mais usado é o tiosulfato = tem aspecto sólido cristalino, de cor branca e é utilizado na indústria fotográfica, na formulação de banhos fixadores (hypo).
  • 30. O ARCO CIRÚRGICO E RAIO X
    • Característica do equipamento é permitir o acesso às chamadas cirurgias mais invasivas, como as de crânio, neurológicas, arteriais, cardíacas, enfim, cirurgias que necessitam de resultados imediatos, requerem a visualização do que se está fazendo. "O profissional tem que ter noção do trajeto das áreas comprometidas, necessitando de contrastes radiológicos, esse equipamento possibilita isso em tempo real".
  • 31. Posicionador Transcraniano para radiografias da ATM
    • O exame radiográfico convencional da ATM, sem superposições, interferências de estruturas anatômicas, que permite a movimentação normal de abertura e fechamento da boca. O único posicionador para ATM com ângulo vertical fixo (25º) que permite o ajuste do ângulo horizontal de acordo com o tipo físico do paciente, a inclinação do côndilo mandibular, e o tamanho do localizador do aparelho de raio-X. A dupla colimação proporciona uma maior segurança para o paciente pela pequena dose de exposição ao raio-X. Equipamento de raio-X necessário: mínimo 65KVp
  • 32. APARELHO ODONTOLÓGICO
    • Aparelho Móvel para Raio X Equipamento Radiológico de 100 mA/100KV Transportável, completo com tubo de ânodo fixo com 02 focos, Colimador Luminoso e transformador e comando com disparador a distância.
    • Colimador Luminoso Caixa com revestimento em chumbo Lâminas em vários estágios. Lâmpada halógena de 12 volts.
    • Temporizador eletrônico para centralização. Coluna/Base Coluna contrabalanceada, com freios mecânicos.
    • Braço telescópio recolhivel com movimento longitudinal de no mínimo 18 cm.
    • Cabeçote giratório de 360 graus.
    • Filtro total permanente do feixo útil de radiação equivalente a 2,5 mm de alumínio.
    • Sistema Unitanque: Unitanque, reúne Ampola, Disparador de Calor com cabo de 2,5 mt, Transformador de Alta Tensão, Ponte de silício retificadora de onda completa, imersa em óleo isolante. Ampola de Raio-X, com anodo fixo de 2 focos.
    • Potencia de 2/9 KW. Tratamento a Vácuo. Cúpula com restimente de chumbo.
    • Ampola Produtora de Raios X Anodo Fixo.
    • Filamento foco fino de 1,8 mm Foco grosso de 4,3 mm.
    • Potência de foco fino de 2 KW Foco grosso de 9 KW.
    • Alimentação de Rede Fio Bifásico, 220 volt/60 Hz terra.
  • 33. EXAMES ODONTOLÓGICO
    • Radiografias periapicais;
    • Radiografias interproximais;
    • Radiografias oclusais ;
    • Panorâmica;
  • 34. EQUIPAMENTOS EM RADIOLOGIA
    • Tomografia Computadorizada – o método básico de obtenção de imagem é o mesmo do Rx, ou seja , radiação ionizante sendo atenuada.
    • Ao invés de formar as imagens por sombras sobrepostas, forma imagens de “fatias” do objeto a ser estudado.
    • Estas fatias podem ser em diferentes planos.
  • 35. TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA
  • 36. BOMBA DE INFUSÃO
  • 37. CARRO DE PARADA
    • Além das medicações de emergência, o carro de parada deverá conter equipamentos de reanimação cardiopulmonar, oxigênio portátil, aparelhos de sucção (vácuo) e de pressão e, possivelmente, um desfibrilador e um monitor.
    • O técnico é responsável por garantir que o carro de parada esteja completo e disponível na sala de exames. Máscaras de 2° e cânulas, cateteres de sucção, agulhas e seringas devem estar prontamente disponíveis. Esse equipamento deve ser verificado periodicamente antes de um exame contrastado.
    • Uma medicação básica, a epinefrina (adrenalina), deve estar disponível em uma seringa com agulha, pronta para uso.
  • 38. TIPOS DE REAÇÕES
    • REAÇÕES LEVES
    • REAÇÕES MODERADAS
    • A maioria das reações ao contraste é leve, não exigindo tratamento, apenas orientação ao paciente. Reações leves, como náuseas e vômitos, são muito comuns. Deve-se alertar o paciente para a sua possível ocorrência.
    • Às vezes o poder da sugestão é suficiente para abortar esse tipo de reação. Uma bacia deve estar à mão em caso de vômitos e uma toalha gelada pode ser levada à testa em caso de náuseas.
    • O paciente não deve vomitar deitado; ele deve ser virado de lado o sentado.
    • Outras reações leves incluem urticária, prurido e espirros.
    • As reações moderada incluem urticária excessiva, taquicardia, eritema disseminado e vômitos excessivos. Deve-se convocar assistência médica em quaisquer sinais, que, em geral requerem a administração de algum tipo de medicação, enquanto o paciente ainda se encontra no centro radiológico. Esses sintomas em geral respondem pronta e completamente à medicação apropriada.
    • Alguém deverá sempre monitorar o paciente, até para o seu conforto, e todas as reações e drogas utilizadas durante o tratamento devem ser registradas no prontuário.
    REAÇÕES GRAVES As reações graves geram risco de vida e exigem tratamento intensivo imediato. Pressão arterial muito baixa, parada cardíaca ou respira­tória, perda da consciência, convulsões, edema laríngeo, cianose, dificuldade respiratória e choque profundo são exemplos de reações graves. O retardo ou o tratamento inapropriado para qualquer um desses sintomas ou condições poderá resultar na morte do paciente. Se uma reação grave é suspeitada, o médico deve ser chamado imediatamente. Se necessário, deve-se acionar o setor de emergência da instituição onde o paciente se encontra.
  • 39. OUTROS EQUIPAMENTOS QUE EMITEM RAIOS-X
    • MAMOGRÁFICA
    • DENSITOMETRIA ÓSSEA
    • HEMODINAMICA
    • PET - CT
  • 40. MAMOGRÓGRAFO
  • 41.  
  • 42. DENSITÔMETRO
  • 43.
    • A densitometria óssea tem a finalidade de avaliar a quantidade de calcio mineral que existe em uma área do corpo humano e comparar com grupos de pessoas normais para detectar o risco de osteoporose.
  • 44. Hemodinâmica
    • Equipamento de última geração realizando diagnóstico e  tratamento nas especialidades cardiológica, vascular, neurológica, oncológica, aparelho digestivo e ginecológica.
    • Na especialidade da cardiologia, o serviço de hemodinâmica utiliza as técnicas mais modernas do mundo, realizando além do cateterismo das artérias coronárias e colocação de “stentes”, 
  • 45. SALA E APARELHO DE HEMODINÂMICA
  • 46. APARELHOS QUE NÃO EMITEM RADIAÇÃO IONIZANTE. MAS, DETECTA.
    • CINTILOGRAFIA
    • A cintilografia , também conhecida pelos nomes de cintigrafia e gamagrafia (também cintilograma ou cintigrama ), é um procedimento que permite assinalar num tecido ou órgão interno a presença de um radiomârmaco e acompanhar seu percurso graças à emissão de radiações gama que fazem aparecer na tela uma série de pontos brilhantes (cintilação).
    • Dentre os radioisótopos mais utilizados, destaca-se o Tc99m (tecnécio 99 meta-estável) devido às suas propriedades físicas vantajosas, como tempo de meia de vida de 6,01 horas, decaimento por emissão gama pura com fótons de 140 keV , facilidade de sua obtenção a partir do Mo 99 (Mobildenio 99), além de estados 1-6 de oxidação e vários modos de coordenação.
  • 47. Cintilografia (medicina nuclear)
    • O aparelho e o material utilizado (radiofármacos) permitem verificar praticamente todos os sistemas do corpo humano como fígado, coração rins, ossos, sistema nervoso, entre outros, permitindo um diagnóstico de altíssima precisão. O procedimento além de indolor e não invasivo, é extremamente seguro e não causa reação adversas.
  • 48.  
  • 49. Radiofármacos
    • São substâncias emissoras de radiação utilizadas na medicina para radioterapia e para exames de diagnóstico por imagem. A produção de radiofármacos pelo IEN reflete a preocupação do Instituto em atender às demandas da sociedade. Essa atividade teve origem com a aquisição, em 1974, do acelerador de partículas Cíclotron CV-28 de energia variável, o que deu início ao desenvolvimento de métodos de produção de radionuclídeos para diferentes aplicações e a produção experimental para uso médico.
  • 50. EPI’s PLUMBÍFEROS Anteparo L 20 mm c/ Vidro 20 x 30 cm de 04 mm Pb
  • 51. PET - CT
  • 52. PET – CT IMAGENS
  • 53.  
  • 54. PET – CT IMAGENS
  • 55. APARELHOS QUE NÃO EMITEM RADIAÇÃO IONIZANTE
    • RESSONÂNCIA MAGNÉTICA
    • ULTRA-SOM
  • 56. RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA
  • 57. RM
  • 58. RESSONÂNCIA NUCLEAR MAGNÉTICA
    • As máquinas de ressonância nuclear magnética (RNM), com sua capacidade de explorar os tecidos moles profundos do corpo humano, tornaram-se ferramentas diagnósticas vantajosa.
    • A RNM, entretanto, não é perfeita: ela funciona direcionando pulsos de rádio-frequência para o paciente e registrando como essa radiação afeta o comportamento magnético dos tecidos. Esses pulsos devem ser cuidadosamente controlados para evitar aquecimento dos tecidos do paciente, que poderia provocar lesões.
  • 59.  
  • 60.  
  • 61. ECÓGRAFO
  • 62.  
  • 63.