• Like
Mwm international sistema de injeção
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Mwm international sistema de injeção

  • 3,227 views
Published

 

Published in Automotive
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,227
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
8

Actions

Shares
Downloads
325
Comments
0
Likes
4

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico 1
  • 2. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Componentes sistema de injeção PCR Diesel • ECU; • Bomba de Alta pressão; • Tubos de Alta pressão; • Rail e Sensor de alta pressão; • Injetores; • Sensor de temperatura do combustível e do fluido de arrefecimento; • Sensor de temperatura e pressão do ar; • Sensor de rotação; • Sensor de posição. 2
  • 3. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Componentes 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. 13. 14. 15. 16. 17. 18. 19. Filtro de ar Turbo compressor Pedal do acelerador Sensor do pedal do acelerador Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento Sensor de rotação Sensor de pressão do rail / pressão do combustível Sensor de temperatura do combustível Relé da vela aquecedora - opcional (Veículo) Unidade de controle do motor (ECU) Sensor do tanque, para o medidor de combustível Tanque de combustível Bomba elétrica de transferência de combustível Filtro de combustíve Bomba de Combustível (DCP) Rail Injetor Sensor de posição do comando ou sensor de fase Sensor de temperatura e pressão do ar de admissão T-Map 20. Intercooler 3
  • 4. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU 4
  • 5. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU A ECU controla todos os parâmetros do processo de funcionamento do motor, em função das necessidades do veículo e do motorista. 5
  • 6. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU Identificação: Identificação a) Número Siemens VDO; b) Código de barras para número Ford; c) Tipo da ECU; d) Código Ford; e) Data; f) Código Vender da Ford; g) Logo Ford; h) Número Ford 6
  • 7. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU A1 RX_PATS E1 Não Conectado A2 Reservado E2 Não Conectado A3 CAN em nível baixo E3 Sensor do pedal de embreagem A4 CAN em nível alto E4 Sensor do pedal de freio (redundante) B1 Não Conectado F1 Não Conectado B2 Não Conectado F2 Sensor de posição do pedal do acelerador (Alimentação Sinal 1) B3 Ar Condicionado F3 Não Conectado B4 Não Conectado F4 Sensor do pedal do acelerador (Terra) C1 Não Conectado G1 Não Conectado C2 Sensor de posição do pedal do acelerador (Sinal 2) G2 Sensor de posição do pedal do acelerador (Alimentação Sinal 2) C3 Positivo da bateria para Chave de ignição G3 Sensor de posição do pedal do acelerador (Sinal 1) C4 Reservado G4 Terra D1 Reservado H1 Não Conectado D2 TX_PATS H2 Não Conectado D3 Reservado H3 Sensor do pedal do acelerador (Terra) D4 Não Conectado H4 Terra 7
  • 8. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU A1 Ar Condicionado (Sinal ligado / desligado) E1 Não Conectado J1 Não Conectado A2 Sensor T-MAP (Sinal) E2 Sensor do Comando de válvula - Posição (Terra) J2 Sensor de temperatura do combustível (Terra) A3 Reservado E3 Sensor de rotação do Virabrequim - Rotação (Sinal) J3 Não Conectado A4 Reservado E4 Sensor de rotação do Virabrequim - Rotação (Terra) J4 Sensor T-MAP (Terra) B1 Sensor de água no combustível F1 Não Conectado K1 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento (Terra) B2 Reservado F2 Sensor de água no combustível (Terra) K2 Terra B3 Reservado F3 Reservado K3 Não Conectado B4 Reservado F4 Reservado K4 Não Conectado C1 Reservado G1 Não Conectado L1 Não Conectado C2 Reservado G2 Reservado L2 Não Conectado C3 Sensor T_MAP (Alimentação) G3 Não Conectado L3 Não Conectado C4 Reservado G4 Positivo da bateria L4 Válvula reguladora de pressão (PCV) D1 Sensor de alta pressão (Alimentação) H1 Não Conectado M1 Não Conectado D2 Interruptor da luz do freio H2 Reservado M2 Reservado D3 Reservado H3 Não Conectado M3 Reservado D4 Reservado H4 Reservado M4 Válvula reguladora de vazão (VCV) 8
  • 9. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU A1 Reservado E1 Reservado A2 Sensor de temperatura do líquido de arrefecimento (Sinal) E2 Sensor de velocidade do veículo (Saída) A3 Sensor de temperatura do combustível (Sinal) E3 Tensão positiva chaveada, do relé de potência A4 Bomba de Combustível (Alimentação do sinal) E4 Reservado B1 Sensor T-MAP (Terra) F1 Reservado B2 Sensor de alta pressão (Sinal) F2 Tensão positiva chaveada, do relé de potência B3 Sensor de alta pressão (Terra) F3 Tensão positiva chaveada, do relé de potência B4 Reservado F4 Relé da embreagem do Ar Condicionado C1 Sensor do Comando de válvula - Posição (Sinal) G1 Injetor Cilindro 2 (+) C2 Sensor de velocidade do veículo (Sinal) G2 Injetor Cilindro 3 (+) C3 Imobilizador (Sinal) G3 Injetor Cilindro 4 (+) C4 Terra G4 Injetor Cilindro 1 (+) D1 Reservado H1 Injetor Cilindro 1 (-) D2 Relé PCM (Sinal) H2 Injetor Cilindro 2 (-) D3 Reservado H3 Injetor Cilindro 4 (-) D4 Bomba de Combustível (Sinal) H4 Injetor Cilindro 3 (-) 9
  • 10. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico ECU Cuidados: • Alta Voltagem; • Nunca desconectar a ECU com o motor em funcionamento; • Não molhar a ECU; • Não furar a membrana reguladora de pressão. • A ECU deverá ser montada em uma posição onde haja troca de calor para fins de arrefecimento 10
  • 11. ECU (Entradas e Saídas)de Assistência ao Cliente Departamento Diagnóstico eletrônico PCV – Válvula de controle de Bateria pressão VCV – Válvula de controle de volume Relé principal Sensor de alta pressão Turbo VTG Sensor do liquido de arrefecimento Injetor 1 Sensor de temperatura do combustível Injetor 2 Sensor MAP – Temp. Sensor de posição do pedal do acelerador Sensor de acionamento da embreagem ECU SID 901 Injetor 3 Injetor 4 Sensor de velocidade Sensor de rotação do virabrequim Sensor de rotação do eixo de comando de válvulas Sensor do pedal de freio Ar condicionado Bomba de combustível Immobilizer Sensor do combustível CAN – Diagnóstico / Comunicação 11
  • 12. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico 12
  • 13. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Tecnologia Piezo 1600 bar = É como uma carro de 1600 kg na ponta de um dedo Nossa Pressão! 1 mm³ = Volume de injeção ! Difícil de achar! 1cm³ H2O 1 mm³ 1 µm = Difícil medição! Nossa tolerância ! 100 µs = Nosso tempo de acionamento ! Fio de cabelo µm 1/1000 mm = 1µm Simplesmente Inimaginável! 1000 km/h =28 mm/100 µs 13
  • 14. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível 14
  • 15. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível A Bomba de alta pressão (DCP) é responsável pelo fornecimento de fluxo e volume de combustível sob alta pressão transferido ao Rail, alimentando desta forma, os injetores com a quantidade necessária de combustível para todas condições de operação do motor. 15
  • 16. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível 1. 2. 3. 4. Bomba de transferência interna Válvula Reguladora de Vazão (VCV) Bomba de alta pressão Válvula reguladora de Pressão (PCV) a. Alimentação de combustível b. Conexão de alta pressão c. Conexão de retorno 16
  • 17. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível (Bomba de Transferência Interna) A bomba de transferência interna é do tipo rotativo de aletas e tem a função de conduzir o óleo diesel do tanque, através do filtro de combustível, até a bomba de alta pressão. Adicionalmente, a bomba de alta pressão também é alimentada com a finalidade de lubrificação interna. 17
  • 18. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico 18
  • 19. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível (Bomba de alta pressão) A bomba de alta pressão é construída em forma de bomba radial de 3 cilindros com pistões e tem como função alimentar o controlador central com a pressão necessária requerida pelo sistema. 19
  • 20. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico 20
  • 21. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico 21
  • 22. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível (PCV) P Pressure C Control V Valve A válvula reguladora de pressão tem a finalidade de controlar a pressão de saída da bomba de alta pressão. 22
  • 23. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico PCV – Válvula Reguladora de Pressão 1. 2. 3. 4. 5. 6. a) b) Assentamento da válvula Esfera da válvula Pino Solenóide Âncora Mola Pressão de combustível na conexão DCP de alta pressão (= pressão de combustível no Rail) Para a linha de retorno de combustível 23
  • 24. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível (VCV) V Volumetric C Control V Valve A válvula reguladora de vazão tem a função de controlar o fluxo de combustível para a bomba de alta pressão, permitindo desta forma a alimentação exata da bomba de alta pressão, de acordo com a necessidade do sistema. 24
  • 25. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico VCV – Válvula Reguladora de Vazão 1) 2) 3) 4) 5) a) b) Mola de compressão Bucha Pistão Solenoide Âncora Combustível da bomba de transferência interna Combustível para a bomba de alta pressão 25
  • 26. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível Cuidados: • Evitar impactos mecânicos; • Quando desmontado, manter as conexões tamponadas para evitar contaminação no seu interior; • Não desmontar conexões, PCV e VCV; • Não desconectar os tubos de alta pressão com a bomba em funcionamento. 26
  • 27. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Bomba de Combustível Possíveis Falhas nos Componentes: • • • • • Vazamento nas conexões Conectores com mal contato Sem alimentação correta Válvulas sem sinal ou com sinal falho Eixo da bomba travado por danos internos na bomba devido a contaminação (água ou impurezas) Sintomas: • • • • • • • • Motor não liga ou liga com dificuldade; Motor para de funcionar Marcha lenta muito baixa ou irregular Veículo sem aceleração ou com baixa performance Veículo engasgando; Veículo acelera sem o acionamento do acelerador Veículo emite fumaça Alto consumo de combustível 27
  • 28. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Testes da PCV 1) INSTALAÇÃO DO CHICOTE E CONECTORES Verificar se conector está em ordem, chicote correto (+/- 10cm de comprimento e cabo de 1,0mm2) 2) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e a PCV desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 2 Pino Chicote B_L4 3) CONTINUIDADE DA PCV (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser próxima a 3 Ω. Pino Chicote (1) C_E3 Pino Chicote (2) B_L4 28
  • 29. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Testes da VCV 1) INSTALAÇÃO DO CHICOTE E CONECTORES Verificar se conector está em ordem, chicote correto (+/- 10cm de comprimento e cabo de 1,0mm2) 2) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e a PCV desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 2 Pino Chicote B_M4 3) CONTINUIDADE DA PCV (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser próxima a 3 Ω. Pino Chicote (1) C_E3 Pino Chicote (2) B_M4 29
  • 30. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Tubos de Alta Pressão 30
  • 31. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Tubos de Alta Pressão Os tubos de alta pressão tem a função de levar o combustível da bomba ao Rail e do Rail aos Injetores 31
  • 32. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Tubos de Alta Pressão Atenção: Toda a vez que houver a necessidade de reparo, onde seja necessário desmontar o tubo de alta pressão, obrigatoriamente este deverá ser substituído. 32
  • 33. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Tubos de Alta Pressão Cuidados: • Evitar impactos mecânicos; • Quando desmontado, manter as conexões tamponadas para evitar contaminação no seu interior; • Não desconectar os tubos de alta pressão com a bomba em funcionamento; • Não dobrar / entortar os tubos de alta pressão. 33
  • 34. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail O Rail opera como um armazenador de alta pressão para o combustível que será transferido através da bomba de combustível (DCP) para alimentar os injetores com a quantidade e pressão necessária de Diesel para qualquer condição de operação. Devido à função de armazenamento, são amortecidas todas oscilações que poderiam ocorrer durante o processo de injeção. 34
  • 35. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail Identificação do Rail 1. Conexão dos tubos de alta pressão para os injetores 2. Conexão do tubo de alta pressão vindo da bomba de combustível 3. Sensor de alta pressão a. Número de série Siemens VDO b. Número de Série International c. Período de fabricação 35
  • 36. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Alta Pressão O sensor de alta pressão tem a função de medir a pressão do combustível no rail, enviando um sinal elétrico para a ECU. Este sinal é utilizado para calcular o tempo de acionamento dos injetores e regular a PCV da bomba. 36
  • 37. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Alta Pressão Identificações do Sensor de Alta Pressão a) Tipo de Produto b) Código e número de Série: 1º e 2º dígitos: 11 = Conector SICMA 2 3º e 4º dígitos: Ano (ex.: 03) 5º ao 7º dígitos: Dia da produção: 8º e 12º dígitos: Número de série c) Logo do fabricante; d) Número Siemens VDO; e) País de Produção (MY=Malásia, A, B e C = turnos de produção) f) Data da fabricação da carcaça plástica (Mês / Ano). 37
  • 38. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Alta Pressão 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. Membrana Elemento sensor Placa de circuito impresso com eletrônica de processamento Tampa protetora Conector Corpo do conector Mola de contato Carcaça metálica Flange Metálico Conexão de pressão 38
  • 39. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail e Sensor de Alta Pressão Cuidados: • Nunca desmontar o sensor de alta pressão do rail; • Evitar impactos mecânicos na conexão elétrica. 39
  • 40. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail e Sensor de Alta Pressão Testes do Sensor de Alta Pressão 1) INSTALAÇÃO DO CHICOTE E CONECTOR Verificar se conector está em ordem, chicote correto (+/- 16cm de comprimento e cabo de 0,6mm2) 2) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o sensor desconectadas, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 1 2 3 Pino Chicote C_B2 C_B3 B_D1 40
  • 41. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail e Sensor de Alta Pressão (testes cont.) 3) VOLTAGEM (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria conectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Considerando-se que a voltagem da bateria, medido entre, B_G4 e C_C4, A_C3 e C_C4 e C_E3 e C_C4, é maior do que 11,6V OK se voltagem estiver de 4,9V à 5,1V Pino Chicote (1) C_B3 Pino Chicote (2) B_D1 41
  • 42. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Rail e Sensor de Alta Pressão Possíveis Falhas nos Componentes: • Vazamento nas conexões • Conector do sensor com mal contato Sintomas: • Motor não liga ou liga com dificuldade; • Motor para de funcionar • Marcha lenta muito baixa ou irregular • Veículo sem aceleração ou com baixa performance • Veículo engasgando; • Veículo acelera sem o acionamento do acelerador • Veículo emite fumaça • Alto consumo de combustível 42
  • 43. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetor Injetar o combustível na câmara de combustão, na quantidade correta, no período determinado pela ECU e com a pressão programada, tudo isso com a maior precisão possível. 43
  • 44. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetor 1. Atuador piezo-elétrico 2. Conector elétrico 3. Conexão de alta pressão 4. Retorno de combustível 5. Cabeça do injetor 6. Porta injetor 7. Elemento injetor 44
  • 45. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetor 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. Conexão de alta pressão Retorno Conexão elétrica com a ECU Atuador piezo-elétrico Válvula de pistão Válvula cogumelo Pistão de controle Agulha do injetor Câmera de alta pressão Furos de injeção 45
  • 46. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Funcionamento dos Injetores A - Injetor não ativado: 1. 2. 3. 4. 5. 6. Entrada de combustível Câmera de controle Câmera de pressão Válvula cogumelo Retorno Agulha do injetor F1 – Força exercida pela pressão do combustível F2 – Força exercida na agulha F1 > F2 46
  • 47. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Funcionamento dos Injetores B - Injetor ativado: 7. 8. 9. 10. 11. 12. Atuador piezo-elétrico Alavanca Válvula de pistão Válvula cogumelo Câmera de controle Agulha do injetor F1x – Força exercida pela pressão do combustível F2x – Força exercida na agulha F2x > F1x 47
  • 48. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Funcionamento dos Injetores 350 cristais de 80µm de espessura Quamdo energizado, os cristais se expandem em 40µm Tempo de acionamento de 0,15ms Volume de injeção de 1 a 80mm3 1. 2. 3. 4. Folha cerâmica não processada Folha cerâmica folhada a prata Sobreposição das folhas cerâmicas Folhas cerâmicas sinterizadas 48
  • 49. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Funcionamento dos Injetores 1) 2) 3) 4) 5) Cristais Piezo elétrico com contato elétrico; Cristais Piezo montado Cristais Piezo montado – Camada de silicone Cristais Piezo montado – Placa superior Cristais Piezomontado – Placa inferior 1) 2) 3) 4) 5) 6) 7) Unidade atuadora Carcaça Contato elétrico Conector Porca de união Anel O-ring Membrana 49
  • 50. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Funcionamento dos Injetores 50
  • 51. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetores Testes dos Injetores 1) INSTALAÇÃO DO CHICOTE E CONECTORES Verificar se conector está em ordem, chicote correto (+/- 5cm de comprimento e cabo de 1,5mm2) O chicote não deve apresentar cantos com ângulos superiores a 180º 2) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o injetor desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 1 2 Pino Chicote Pino Chicote Pino Chicote Pino Chicote (Inj. 1) (Inj. 2) (Inj. 3) (Inj. 4) C_G4 C_G1 C_G2 C_G3 C_H1 C_H2 C_H4 C_H3 51
  • 52. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetores (Testes cont.) 3) CONTINUIDADE DO INJETOR (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser entre 180 kΩ e 220kΩ. Injetor 1 C_G4 / C_H1 Injetor 2 C_G1 / C_H2 Injetor 3 C_G2 / C_H4 Injetor 4 C_G3 / C_H3 52
  • 53. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetores Possíveis Falhas nos Componentes: Sem alimentação Travamento interno dos injetores devido a presença de contaminantes Mal contato nas conexões elétricas Vazamento nas conexões de alta pressão Sintomas: Dificuldade para ligar o motor; Motor apaga Vibração em marcha lenta Veículo sem aceleração; Veículo apresenta trancos em velocidades constantes Veículo acelera sem pisar no acelerador Baixa performance do veículo Veículo produzindo fumaça Alto consumo de combustível Motor batendo 53
  • 54. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Injetores Identificação dos injetores a. Número IESA b. Ano de fabricação C. 2003 D. 2004 E. 2005 c. Mês A. Janeiro B. Fevereiro C. ---L. Dezembro d. Dia 1 - 31 e. Número de Série 00001 - 99999 54
  • 55. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Temperatura Identificações do Sensor de Temperatura a) Número Siemens VDO; b) Código de Datas: 1º ao 3º dígitos: Dia de Produção; 4º e 5º dígitos: Ano (ex.: 03) c) País de Produção CZECH (República Tcheca) d) Marca Siemens 55
  • 56. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Temperatura Possíveis Falhas nos Componentes: Sintomas: Dificuldade para ligar o motor quando frio; Baixa performance do veículo Veículo produzindo fumaça ao ligar Alto consumo de combustível Motor esquentando muito 56
  • 57. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Temperatura Testes do Sensor de Temperatura 1) INSTALAÇÃO DO CHICOTE E CONECTORES Verificar se conector está em ordem, chicote correto (+/- 10cm de comprimento e cabo de 0,5mm2. 2) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o sensor desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector Pino Chicote (Temperatura combustível) 1 2 C_A3 B_J2 Pino Chicote (Temperatura fluido de arrefecimento) C_A2 B_K1 57
  • 58. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Temperatura (testes cont.) 3) CONTINUIDADE DO SENSOR (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser entre 580 Ω e 900kΩ (Condicionado a temperatura). Temperatura combustível C_A3 / B_J2 Temperatura fluido de arrefecimento C_A2 / B_K1 58
  • 59. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de temperatura e pressão de admissão (T-Map) Identificações a) b) c) d) e) f) g) Logo International Número International; Logo Siemens VDO Número Siemens VDO País de Produção (Germany = Alemanha) Identificação do material da carcaça plástica Código de Datas: 1º e 2º dígitos: 17 = Tipo; 3º e 4º dígitos: Identificador 3º dígito: Ano de produção 6º e 7º dígitos: Semana de produção 8º dígito: Dia de produção h) Número de série i) Número do molde k) Ano / Semana de fabricação da carcaça plástica l) Semana de fabricação da carcaça plástica m) Identificação do ano de produção da carcaça plástica 59
  • 60. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor T-Map 1) Conexão de pressão 2) Anel O-ring 3) Placa guia 4) Sensor de pressão 5) Placa EMC 6) Carcaça do conector 7) Sensor de temperatura (Termistor NTC) 60
  • 61. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de T-Map Testes do Sensor T-Map 1) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o sensor desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 1 2 3 4 Pino Chicote B_J4 B_A2 B_C3 C_B1 Descrição GND TBA VCC Sinal 61
  • 62. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Rotação Identificações do Sensor de Rotação a) Número International; b) Código de Datas: 1º ao 3º dígitos: Dia de Produção; 4º e 5º dígitos: Ano (ex.: 03) 6º e 7º dígitos: Identificação c) Logo Siemens d) Número do corpo da cavidade e) Marcação do material do corpo plástico 62
  • 63. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Rotação Testes do Sensor de Rotação 1) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o sensor desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 1 2 3 Pino Chicote B_E4 B_E3 C_E3 Nome GND Sinal Alimentação 2) CONTINUIDADE DO SENSOR (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 1 MΩ. (+) da bateria / B_E4 63
  • 64. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Posição do Comando (Fase) Identificações do Sensor de Posição a) Código de Datas: 1º ao 3º dígitos: Dia de Produção; 4º e 5º dígitos: Ano (ex.: 03) 6º e 7º dígitos: Identificação b) c) d) e) f) Número de Série Logo Siemens Número do corpo da cavidade Número International Marcação do material do corpo plástico g) Código do conector conforme especificação. 64
  • 65. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Sensor de Fase Testes do Sensor de Fase 1) CONTINUIDADE DO CHICOTE (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU, a bateria e o sensor desconectados, ligar entre pinos do conector e pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 0,5Ω. Pino Conector 1 2 3 Pino Chicote C_C1 B_E2 C_E3 Nome Sinal GND Alimentação 2) CONTINUIDADE DO SENSOR (Utilizar Multímetro e caixa de passagem): Com a ECU e a bateria desconectadas, ligar entre pinos do chicote elétrico: Resistência deve ser menor que 1 MΩ. (+) da bateria / C_C14 65
  • 66. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Cuidados com manuseio do Sistema 1) CUIDADOS ESPECIAIS: 1) Não remover proteções das conexões até o momento da montagem; 2) Evitar montar e desmontar tubulações e chicotes elétricos; 3) Peças que encontram-se sem proteções especiais não deverão ser montadas; 4) Jamais desmontar os seguintes componentes (Perda automática da garantia): 1) VCV e PCV da bomba 2) Qualquer outro componente da bomba; 3) Qualquer componente do injetor; 4) Sensor do Rail. 2. PORQUE CUIDADOS ESPECIAIS COM O MANUSEIO: 1) Tolerâncias dimensionais de fabricação extremamente apertadas; 2) Impurezas no sistema podem causar falha no injetor, proporcionando injeção continuada, podendo danificar o motor. 3) Chicotes e conexões com mal contato causarão falhas no sistema, por este motivo não deverão ser removidos constantemente após a montagem; 66
  • 67. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Cuidados com manuseio do Sistema 3) RECOMENDAÇÕES: 1) Nunca remontar tubos desmontados, devendo estes ser sempre substituídos para evitar vazamentos; 2) Sempre que desmontar qualquer componente do sistema, tampar as conexões para evitar contaminação por impurezas; 3) Jamais substituir ou desmontar componentes Standard do sistema como sensor do Rail, Piezo, VCV e PCV. 4) Segregar componentes que sofreram impactos mecânicos, quebra de componentes ou qualquer outra característica que possa influenciar o desempenho do componente; 67
  • 68. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Substituição de peças para análise de Garantia • Sempre acondicionar as peças usadas na mesma embalagem da peça nova a ser instalada; • Peças mal acondicionadas poderão sofrer danos no transporte até a Alemanha, causando perda da Garantia. 68
  • 69. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Dúvidas 69
  • 70. Departamento de Assistência ao Cliente Diagnóstico eletrônico Muito Obrigado! 70