O que é a metodologia

955 views
800 views

Published on

SINTESE

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
955
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O que é a metodologia

  1. 1. O QUE É A METODOLOGIA?A METODOLOGIA É A LÓGICA DOS PROCEDIMENTOS CIENTÍFICOS NASUA GÉNESE E DESENVOLVIMENTO.NÃO SE REDUZ A UMA “METROLOGIA” OU TECNOLOGIA DA MEDIDA DOSFACTOS CIENTÍFICOS.A PRÁTICA CIENTÍFICA NÃO É REDUTÍVEL A UMA SEQUÊNCIA DEOPERAÇÕES, DE PROCEDIMENTOS NECESSÁRIOS E IMUTÁVEIS, DEPROTOCOLOS CODIFICADOS.TEM DE ASSEGURAR UMA COERÊNCIA PRAGMÁTICA, ISTO É A VALIDADEINTERNA DA INVESTIGAÇÃO (Lessard-Hébert e tal., 1994, 68-79).TEM DE HAVER UMA LÓGICA DE ARGUMENTAÇÃO OU DEDEMONSTRAÇÃO NA LIGAÇÃO DAS DIVERSAS COMPONENTES DE UMAPESQUISA ENTRE SI, • DESDE A FORMULAÇÃO DA INTENÇÃO E DOS OBJECTIVOS DA INVESTIGAÇÃO, • PASSANDO PELA CONSTITUIÇÃO, ANÁLISE E TRATAMENTO DOS DADOS , E • CULMINANDO NA INTERPRETAÇÃO E VERIFICAÇÃO DOS RESULTADOS.Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  2. 2. EM QUE MEDIDA O CONTEXTO DAPESQUISA INFLUENCIA AS OPÇÕESMETODOLÓGICAS? BRUYNE,P.; HERMAN,J. & SHOUTHEETE,M. - Dynamique de la recherche en sciences sociales: les pôles de la pratique methodologique. Col. SUP, 1ªed., Paris, PUF, 1974.A PESQUISA SOCIAL INSCREVE-SE NUM AMBIENTE SOCIETAL MAISVASTO DO QUE O DAS PRÁTICAS SOCIAIS. NELA SE CRUZAM CAMPOS DEINFLUÊNCIA FACILITADORES OU LIMITADORES DAS ESCOLHASMETODOLÓGICAS DO PESQUISADOR.CAMPOS QUE EXERCEM INFLUÊNCIA SOBRE AS ESCOLHASMETODOLÓGICAS: I. CAMPO DA PROCURA SOCIAL II. CAMPO AXIOLÓGICO III. CAMPO DOXOLÓGICO IV. CAMPO EPISTÉMICOProf. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  3. 3. I. CAMPO DA PROCURA SOCIALSISTEMA SÓCIO-CULTURAL E POLÍTICO DA SOCIEDADE EM QUE OINVESTIGADOR ESTÁ INSERIDO: • A ENCOMENDA E O FINANCIAMENTO CONSTITUEM UMA AMEAÇA À SUA AUTONOMIA. • A SOCIEDADE DO DISCURSO (CONJUNTO DE PESQUISADORES, TEORIAS, RITUAIS E NORMAS, INSTITUIÇÕES ACADÉMICAS E CIENTÍFICAS). • A EXISTÊNCIA DE VÁRIAS ESCOLAS PODE SER FECUNDO PELA OPORTUNIDADE DE CONFRONTO DE PONTOS DE VISTA, MAS TAMBÉM PODE ORIGINAR INTRANSIGÊNCIA E DOGMATISMO. • TODA A PRODUÇÃO CIENTÍFICA TRAZ A MARCA DA PROCURA SOCIAL À QUAL DÁ RESPOSTA.Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  4. 4. II. CAMPO AXIOLÓGICO • É O CAMPO DOS VALORES SOCIAIS E INDIVIDUAIS QUE CONDICIONAM A PESQUISA CIENTÍFICA. • OS VALORES CULTURAIS INERENTES À SOCIEDADE IMPÕEM AO PESQUISADOR A ESCOLHA DAS SUAS PROBLEMÁTICAS, DOS TEMAS QUE ABORDA. • A ESCOLHA DA PROBLEMÁTICA DEVE SER EXPLÍCITA. OS INTERESSES PRÓPRIOS DO INVESTIGADOR SUGEREM-LHE TAMBÉM ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS.“O PESQUISADOR DEVE LEVAR EM CONTA OS SEUS JUÍZOS DE VALORPESSOAIS E ESTABELECER UMA DEMARCAÇÃO GRAÇAS Á LINGUAGEM E APROCEDIMENTOS CIENTÍFICOS” (BRUYNE, ET AL. , IBID, 33)Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  5. 5. III. CAMPO DOXOLÓGICO • É O CAMPO DO SABER NÃO SISTEMATIZADO, DA LINGUAGEM E DAS EVIDÊNCIAS DA PRÁTICA QUOTIDIANA, DE ONDE EMERGEM PROBLEMÁTICAS DE PESQUISA.“COMO NENHUMA PRÁTICA CIENTÍFICA FUNCIONA FORA DO CAMPO DASPRÁTICAS SOCIAIS, NÃO SE PODERÁ FALAR DE CORTE EPISTEMOLÓGICOENTRE O CONHECIMENTO E A PRÁTICA ESPONTÂNEA DA VIDA QUOTIDIANAE ENTRE O CONHECIMENTO E A PRÁTICA REFLECTIDA DA CIÊNCIA “(IBID.,34). • É PREFERÍVEL FALAR DE RUPTURA EPISTEMOLÓGICA A SER CONTINUAMENTE RECOMEÇADA, CONTINUADA, REFORMULADA.“ A FASE CIENTÍFICA DA PESQUISA COMEÇA QUANDO, AO DISSOCIAR OVERIFICÁVEL DAQUILO QUE É APENAS REFLEXIVO OU INTUITIVO, OPESQUISADOR ELABORA MÉTODOS ESPECIAIS, ADAPTADOS AO SEUPROBLEMA, QUE SEJAM SIMULTANEAMENTE MÉTODOS DE ABORDAGEM EDE VERIFICAÇÃO” (PIAGET, 1972, 42) Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  6. 6. IV. CAMPO EPISTÉMICO • É O CAMPO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO QUE CHEGOU A UM GRAU DE OBJECTIVIDADE RECONHECIDO: ESTADO DAS TEORIAS, DA REFLEXÃO EPISTEMOLÓGICA, DA METODOLOGIA, DAS TÉCNICAS DE INVESTIGAÇÃO. • O SUJEITO DA CIÊNCIA NÃO É NEM O INVESTIGADOR NEM O CORPO DE PESQUISADORES, MAS AS TEORIAS E OS MÉTODOS CIENTÍFICOS CUJO DESENVOLVIMENTO É INSEPARÁVEL DE CRISES E CONFLITOS.Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  7. 7. A METODOLOGIA É UMA LÓGICA E UMA HEURÍSTICA (De Bruyne,Herman e Schoutheete, 1974, 25-36). 1. INTEGRA A ANÁLISE DOS 2. PROPÕE CITÉRIOS PROCEDIMENTOS LÓGICOS EPISTEMOLÓGICOS DE DE VALIDAÇÃO MARCAÇÃO PARA AS PRÁTICAS CIENTÍFICAS (LÓGICA DA PROVA) PÓLO TÉCNICO PÓLO EPISTEMOLÓGICO 3. EXAMINA O PROCESSO DE PRODUÇÃO DOS OBJECTOS CIENTÍFICOS (LÓGICA DA DESCOBERTA) PÓLO TEÓRICO PÓLO MORFOLÓGICO Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  8. 8. …. 1 - INTEGRA A ANÁLISE DOS 2 - PROPÕE CITÉRIOS PROCEDIMENTOS LÓGICOS DE EPISTEMOLÓGICOS (explicita as VALIDAÇÃO regras de transformação do objecto científico, engloba os métodos gerais que orientam as abordagens do investigador: a fenomenologia, aPROCESSO QUE PERMITE AO quantificação, a dialética, a lógicaINVESTIGADOR CERTIFICAR-SE DE hipotético-dedutiva) DEQUE MARCAÇÃO PARA AS PRÁTICAS CIENTÍFICAS (LÓGICA DA • AQUILO QUE DESEJA PROVA) OBSERVAR, • AQUILO QUE ELE 3 - EXAMINA O PROCESSO DE REALMENTE OBSERVA E PRODUÇÃO DOS OBJECTOS CIENTÍFICOS (LÓGICA DA • O MODO COMO A DESCOBERTA) OBSERVAÇÃO É EFECTUADASE ADEQUAM AO OBJECTIVO DAINVESTIGAÇÃO, SE SÃOPERTINENTES EM FUNÇÃO DO A. - REGRAS DEOBJECTIVO PRETENDIDO (De INTERPRETAÇÃO DOSKETELE, 1988,101). FACTOS, DE ESPECIFICAÇÃO E DE DEFINIÇÃO DEISTO É: SOLUÇÕES PARA AS PROBLEMÁTICAS (quadros deCONTROLA A RECOLHA DE DADOS, referência que configuram osESFORÇA-SE POR CONSTATÁ-LOS paradigmas orientadores daPARA OS CONFRONTAR COM A pesquisa)TEORIA QUE OS SUSCITOU (Enquadraos modos de investigação e as escolhas B. - REGRAS DEpráticas do investigador). ESTRUTURAÇÃO DO OBJECTO CIENTÍFICO (quadros de análise que compõem o objecto: sistema, tipologia, tipo-ideal, modelos estruturais). A causalidade é pensada de maneira particular em cada um desses quadros de análise. Prof. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005
  9. 9. EM SÍNTESE…. POLO POLO EPISTEMILÓGICO MORFOLÓGICO Métodos Quadros de análise POLO POLO TÉCNICO TEÓRICO Modos de Quadros de investigação Referência PRÁTICA METODOLÓGICA Como conceber e fazer a pesquisaProf. Doutora Helena Neves Almeida……………Seminário de Investigação……………ISBB/2005

×