Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento

  • 12,564 views
Uploaded on

Apresentação de Hebert Bruno Campos sobre Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento.

Apresentação de Hebert Bruno Campos sobre Síndrome de Asperger e Austismo de Alto Funcionamento.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
12,564
On Slideshare
12,343
From Embeds
221
Number of Embeds
7

Actions

Shares
Downloads
1,369
Comments
2
Likes
9

Embeds 221

http://meninapddnos.blogspot.com 101
http://cidadaosaude.focusnetworks.com.br 101
http://meninapddnos.blogspot.com.br 8
http://meninapddnos.blogspot.pt 8
url_unknown 1
http://formacion.campusvirtual.uva.es 1
http://carmenescobedovasco.blogspot.com 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Hebert Bruno N. Campos
  • 2.
    • Biólogo, professor e pesquisador
    • E-mail: [email_address]
  • 3. DISCUTINDO O AUTISMO DE ALTO FUNCIONAMENTO E A SÍNDROME DE ASPERGER: ENTENDENDO AS DUAS CONDIÇÕES
  • 4. Conjunto de condições comportamentais típicas das desordens invasivas do desenvolvimento aplicáveis a diferentes níveis de gravidade.
    • ESPECTRO AUTISTA:
  • 5. Transtornos do Espectro autista (TEA)
    • Síndrome de Rett
    • Transtorno desintegrativo da infância
    • Transtornos autísticos
    • Síndrome de Asperger
    • Transtornos Invasivos de desenvolvimento sem outras especificações
  • 6. Síndrome de Asperger Transtornos autísticos Síndrome de Rett Transtorno Desintegrativo da Infância Transtornos não especificados
  • 7. O espectro autístico Severo Moderado Leve Kanner TID-SOE AAF/SA
  • 8.
    • Social e Emocional
    • Isolamento social
    • Baixa inteligência social
    • Expressão das emoções deficientes
    • Linguagem e Comunicação
    • Atraso de linguagem ou linguagem inapropriada
    • Contato visual pobre
    • Interesses
    • Intensos e restritos
    • Repetitivos
  • 9. Síndrome de Rett
    • Relativamente rara
    • Afeta quase exclusivamente mulheres
    • 1 entre 10 mil ou 15000
  • 10. Transtorno Desintegrativo da Infância
    • Raríssimo
    • 2 em cada 100 mil diagnosticadas no espectro autista
    • Inclui: Demência infantil Psicose: · desintegrativa · simbiótica Síndrome de Heller
  • 11. Transtornos autísticos
    • Autismo de Alto Funcionamento
    • Autismo de Baixo Funcionamento
  • 12. QI Alto Baixo Médio Aspies Autistas de Alto Funcionamento Autistas de Baixo Funcionamento Superdotados
  • 13. Autismo de Baixo Funcionamento
    • Presença de retardo mental severo
    • Baixa inteligência social
    • Maior comprometimento geral
  • 14. Autismo de Alto Funcionamento
    • Presença de retardo mental leve
    • Baixa inteligência social
    • Menor comprometimento geral
  • 15. O que é deficiência mental ?
    • Segundo a AAMR (Associação Americana de Deficiência Mental) e DSM-IV (Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais), pode-se definir deficiência mental como o estado de redução notável do funcionamento intelectual inferior à média, associado a limitações pelo menos em dois aspectos do funcionamento adaptativo: comunicação, cuidados pessoais, competência domésticas, habilidades sociais, utilização dos recursos comunitários, autonomia, saúde e segurança, aptidões escolares, lazer e trabalho.
  • 16. Intensidade dos apoios
    • Intermitente : Apoio quando necessário'. Se caracteriza por sua natureza de episódios. Assim, a pessoa não precisa sempre de apoio ou requer apoio de curta duração durante momentos de transição em determinados ciclos da vida (por exemplo, perda do emprego ou fase aguda de uma doença). Este apoio pode ser de alta ou de baixa intensidade. Limitado : Apoios intensivos caracterizados por sua duração, por tempo limitado, mas não intermitente. Podem requerer um menor número de profissionais e menor custo que outros níveis de apoio mais intensivos (por exemplo, treinamento para o trabalho por tempo limitado ou apoios transitórios durante o período entre a escola e a vida adulta).   Extenso : Apoios caracterizados por sua regularidade (por exemplo, diária) em pelo menos em algumas áreas (tais como na vida familiar ou na profissional) e sem limitação temporal (por exemplo, apoio a longo prazo e apoio familiar a longo prazo) Generalizado : Apoios caracterizados por sua constância e elevada intensidade, proporcionados em diferentes áreas, para proporcionar a vida. Estes apoios generalizados exigem mais pessoal e maior intromissão que os apoios extensivos ou os de tempo limitado. "
  • 17. Síndrome de Asperger
    • Não há presença de retardo mental. Inteligência preservada.
    • Baixa inteligência social
    • QI igual ou acima da média (podem haver superdotados).
    • A maioria é diagnosticada entre os 5 e 9 anos de idade.
  • 18. Transtornos Invasivos de Desenvolvimento sem Outras Especificações
    • Transtorno invasivo do desenvolvimento sem outra especificação, ou PDD-NOS (sigla em inglês para Pervasive Developmental Disorder - Not Otherwise Specified) é um transtorno invasivo do desenvolvimento e uma desordem do espectro autista.
  • 19. Transtornos Invasivos de Desenvolvimento sem Outras Especificações
    • É um diagnóstico para pessoas bem encaixadas no quadro de transtorno invasivo do desenvolvimento, mas que não podem ser categorizadas por nenhuma outra desordem. Geralmente é mais brando que o autismo e tem sintomas similares aos do autismo, com alguns sintomas presentes e outros ausentes. Não há consenso sobre os limites que separam o PDD-NOS e as condições não-autistas.
  • 20. Transtornos Invasivos de Desenvolvimento sem Outras Especificações
    • Esta categoria inclui, por ex., "Autismo Atípico" — apresentações que não satisfazem os critérios para Transtorno Autista em vista da idade tardia de seu início, apresentações com sintomatologia atípica, sintomatologia subliminar ou todas acima.
  • 21. Partes do cérebro afetadas pelo autismo Córtex cerebral Glâ nglia basal Corpo caloso Cerebelo Hip ocampo A mídala Tronco cerebral
  • 22.  
  • 23. Paul Eugen Bleuler
    • O psiquiatra suíço Eugen Bleuler (1857 -1939), em 1908, propôs o nome esquizofrenia, e descreveu os sintomas que considerou fundamental na identificação da doença. Depois disso, Bleuler também criou o termo autismo em uma edição de 1912 do American Journal of Insanity.
  • 24.  
  • 25. AUTISMO
    • Da palavra grega autos ( αὐτός, que significa auto ).
  • 26. AUTISMO
    • É uma condição neuropsiquiátrica que disrupts o desenvolvimento da inteligência social.
  • 27. Leo Kanner
    • O psiquiatra austríaco Leo Kanner (1894- 1981), em 1943 publicou a obra que associou seu nome ao autismo: "Autistic disturbances of affective contact" , na revista Nervous Children , número 2, páginas 217-250 . Nela, descreveu os casos de onze crianças que tinham em comum "um isolamento extremo desde o início da vida e um desejo obsessivo pela preservação da mesmice" , denominando-as de "autistas" .
  • 28.  
  • 29.  
  • 30. Hans Asperger
    • Hans Asperger, neuropediatra autríaco (1906-1980). Submeteu em 1943, o artigo Die 'Autistischen Psychopathen' im Kindesalter ( A psicopatia autista na infância ), à revista científica Archiv fur psychiatrie und Nervenkrankheiten , que o publicou no ano seguinte, no seu número 117, páginas 76-136. Seu trabalho baseou-se em estudos que envolveram mais de 400 crianças.
  • 31.  
  • 32.  
  • 33. Dr. Asperger...
    • Observou que o padrão de comportamento e habilidades que descreveu ocorria preferencialmente em meninos; denominou-o de psicopatia autista , uma desordem da personalidade que incluía: falta de empatia, baixa capacidade de formar amizades, conversação unilateral, intenso foco em um assunto de interesse especial e movimentos descoordenados. Asperger chamava as crianças que estudou de pequenos professores , devido a sua habilidade de discorrer sobre um tema detalhadamente.
  • 34. Lorna Wing
    • Dra. Lorna Wing (1928-) é um médica psiquiátrica britânica, fundou a National Autistic Society (NAS) no Reino Unido, em 1962.
    • Elaborou a “Tríade de Wing” (Slide 8), o “espectro autista” como também foi a primeira a usar a nomenclatura “Síndrome de Asperger”.
  • 35.  
  • 36. Lars Christopher Gillberg
    • Dr. Gillberg (1950-), sueco, professor e psiquiatra. Elaborou critérios de avaliação diagnóstica para aspies e estabeleceu importantes pesquisas na Suécia.
  • 37.  
  • 38. Simon Baron-Cohen
    • Dr. Simon Baron-Cohen (1958-), é Professor de Psicopatologia Desenvolvimental Psychopathology nos Departamentos de Psychiatria e Psicologia Experimental Experimental da Universidade de Cambridge, Reino Unido. Elaborou o Autism Spectrum Quotient (AQ) e teorias para explicar as origens do autismo.
  • 39.  
  • 40. Origem e Causas
  • 41. Prevalência
    • TEA: Estimativa entre 2 a 6 por 1000 crianças.
    • Síndrome de Asperger: aproximadamente 1 a cada 1000 crianças.
    • Atualmente, nos Estados Unidos cerca de 1 em cada 100 crianças já são diagnosticadas com alguma forma de autismo.
  • 42. Incidência
    • Incidência da SA: 3 a 6 homens para 1 mulher
    • Incidência do Autismo: 2-4/1 (homem/mulher)
  • 43. Tratamentos
    • Farmacológico
    • Antidepressivos (ex. Fluoxetina)
    • Ansiolíticos (ex. Rivotril)
    • Psicoterapia
    • Psicologia Cognitiva Comportamental (TCC)
    • Terapia fonoaudiológica
    • Terapias diversas
  • 44.  
  • 45. Diferenças
    • Síndrome de Asperger
    • X
    • Autismo de Alto Funcionamento
  • 46. SÍNDROME DE ASPERGER AUTISMO DE ALTO FUNCIONAMENTO Coeficiente intelectual geralmente acima do normal Coeficiente intelectual geralmente abaixo do normal Normalmente o diagnóstico se realiza depois dos 3 anos Normalmente o diagnóstico se realiza antes dos 3 anos Aparecimento da linguagem em tempo normal Atraso no aparecimento da linguagem Todos são verbais Cerca de 75% falam. Outros 25% são totalmente não verbais Gramática e vocabulário acima da média Gramática e vocabulário limitados Interesse geral nas reações sociais. Desejam ter amigos e se sentem frustrados pelas suas dificuldades sociais. Empáticos. Desinteresse geral nas reações sociais. Pouco empáticos. Incidência de convulsões igual que o resto da população Um terço apresenta convulsões Desenvolvimento físico normal sem associações. Desenvolvimento físico normal mas podem associar-se a síndromes Interesses obsessivos de “alto nível” Nenhum interesse obsessivo de “alto nível” Os pais detectam problemas por volta dos dois anos e meio Os pais detectam problemas por volta dos 18 meses de idade As queixas dos pais são os problemas de linguagem, ou em socialização e conduta. As queixas dos pais são os retardos da linguagem e problemas de comportamento Quase não apresentam estereotipias. Quando aparecem são transitórias. Apresentam mais “manias” que maneirismos com o corpo. Estereotipias são freqüentes em mais de 90% dos casos, bem como maneirismos corporais. Não tem ecolalia Tem ecolalia Apresentam pensamentos obsessivos Apresentam pensamentos repetitivos Alfabetizados e letrados Podem ser alfabetizados Memória superior á média da população Podem ter memória superior à média da população Freqüentam escola regular sem necessidade de adaptações rígidas Podem ser alfabetizados
  • 47. Diagnóstico
    • Existem diferentes diagnósticos para a Síndrome de Asperger. Os mais adotados atualmente são:
    • Gillberg (1988)
    • CID 10 (1993)
    • DSM-IV (1994)
  • 48. Gillberg
    • I. Comprometimento social (egocentrismo extremo)
    • II. Padrões restritos de interesse
    • III. Rotinas e rituais
    • IV. Peculiaridades de discurso e linguagem
    • V. Problemas na comunicação não-verbal
    • VI. Desajeitamento motor (incoordenação motora)
  • 49. CID-10
    • F84.5 SÍNDROME DE ASPERGER Transtorno de validade nosológica incerta, caracterizado por uma alteração qualitativa das interações sociais recíprocas, semelhante à observada no autismo, com um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. Ele se diferencia do autismo essencialmente pelo fato de que não se acompanha de um retardo ou de uma deficiência de linguagem ou do desenvolvimento cognitivo. Os sujeitos que apresentam este transtorno são em geral muito desajeitados. As anomalias persistem freqüentemente na adolescência e idade adulta. O transtorno se acompanha por vezes de episódios psicóticos no início da idade adulta.
  • 50. CID-10
    • F84.5 SÍNDROME DE ASPERGER Transtorno de validade nosológica incerta, caracterizado por uma alteração qualitativa das interações sociais recíprocas, semelhante à observada no autismo, com um repertório de interesses e atividades restrito, estereotipado e repetitivo. Ele se diferencia do autismo essencialmente pelo fato de que não se acompanha de um retardo ou de uma deficiência de linguagem ou do desenvolvimento cognitivo. Os sujeitos que apresentam este transtorno são em geral muito desajeitados. As anomalias persistem freqüentemente na adolescência e idade adulta. O transtorno se acompanha por vezes de episódios psicóticos no início da idade adulta.
  • 51. DSM-IV
    • F84.0 - 299.00 TRANSTORNO AUTISTA - DSM.IV
    • Critérios Diagnósticos para F84.0 - 299.00 Transtorno Autista: A. Um total de seis (ou mais) itens de (1), (2) e (3), com pelo menos dois de (1), um de (2) e um de (3): (1) prejuízo qualitativo na interação social, manifestado por pelo menos dois dos seguintes aspectos: (a) prejuízo acentuado no uso de múltiplos comportamentos não-verbais, tais como contato visual direto, expressão facial, posturas corporais e gestos para regular a interação social
  • 52. DSM-IV
    • (b) fracasso em desenvolver relacionamentos com seus pares apropriados ao nível de desenvolvimento (c) falta de tentativa espontânea de compartilhar prazer, interesses ou realizações com outras pessoas (por ex., não mostrar, trazer ou apontar objetos de interesse) (d) falta de reciprocidade social ou emocional (2) prejuízos qualitativos na comunicação, manifestados por pelo menos um dos seguintes aspectos:
    • (a) atraso ou ausência total de desenvolvimento da linguagem falada (não acompanhado por uma tentativa de compensar através de modos alternativos de comunicação, tais como gestos ou mímica)
  • 53. DSM-IV
    • (b) em indivíduos com fala adequada, acentuado prejuízo na capacidade de iniciar ou manter uma conversação (c) uso estereotipado e repetitivo da linguagem ou linguagem idiossincrática (d) falta de jogos ou brincadeiras de imitação social variados e espontâneos apropriados ao nível de desenvolvimento (3) padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades, manifestados por pelo menos um dos seguintes aspectos: (a) preocupação insistente com um ou mais padrões estereotipados e restritos de interesse, anormais em intensidade ou foco
    • (b) adesão aparentemente inflexível a rotinas ou rituais específicos e não-funcionais
  • 54. DSM-IV
    • (c) maneirismos motores estereotipados e repetitivos (por ex., agitar ou torcer mãos ou dedos, ou movimentos complexos de todo o corpo) (d) preocupação persistente com partes de objetos B. Atrasos ou funcionamento anormal em pelo menos uma das seguintes áreas, com início antes dos 3 anos de idade: (1) interação social, (2) linguagem para fins de comunicação social, ou (3) jogos imaginativos ou simbólicos. C. A perturbação não é melhor explicada por Transtorno de Rett ou Transtorno Desintegrativo da Infância
  • 55. DSM-IV
    • F84.5 - 299.80 TRANSTORNO DE ASPERGER - DSM.IV - DSM.IV
    • Características Diagnósticas As características essenciais do Transtorno de Asperger são um prejuízo severo e persistente na interação social (Critério A) e o desenvolvimento de padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades (Critério B). A perturbação deve causar prejuízo clinicamente significativo nas áreas social, ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento (Critério C).
  • 56. DSM-IV
    • Contrastando com o Transtorno Autista, não existem atrasos clinicamente significativos na linguagem (isto é, palavras isoladas são usadas aos 2 anos, frases comunicativas são usadas aos 3 anos) (Critério D). Além disso, não existem atrasos clinicamente significativos no desenvolvimento cognitivo ou no desenvolvimento de habilidades de auto-ajuda apropriadas à idade, comportamento adaptativo (outro que não na interação social) e curiosidade acerca do ambiente na infância (Critério E). O diagnóstico não é dado se são satisfeitos critérios para qualquer outro Transtorno Invasivo do Desenvolvimento específico ou para Esquizofrenia (Critério F).
  • 57. DSM-IV
    • Características e Transtornos Associados: O Transtorno de Asperger é observado, ocasionalmente, em associação com condições médicas gerais que devem ser codificadas no Eixo III. Vários sintomas ou sinais neurológicos inespecíficos podem ser observados. Os marcos motores podem apresentar atraso e uma falta de destreza motora em geral está presente.
    • Prevalência: As informações sobre a prevalência do Transtorno de Asperger são limitadas, mas ele parece ser mais comum no sexo masculino.
  • 58. DSM-IV
    • Curso: O Transtorno de Asperger parece ter um início mais tardio do que o Transtorno Autista, ou pelo menos parece ser identificado apenas mais tarde. Atrasos motores ou falta de destreza motora podem ser notados no período pré-escolar. As dificuldades na interação social podem tornar-se mais manifestas no contexto escolar. É durante este período que determinados interesses idiossincráticos ou circunscritos (por ex., fascinação com horários de trens) podem aparecer e ser reconhecidos como tais. Quando adultos, os indivíduos com a condição podem ter problemas com a empatia e modulação da interação social. Este transtorno aparentemente segue um curso contínuo e, na ampla maioria dos casos, a duração é vitalícia.
  • 59. DSM-IV
    • Padrão Familial Embora os dados disponíveis sejam limitados, parece existir uma freqüência aumentada de Transtorno de Asperger entre os membros das famílias de indivíduos com o transtorno.
    • Diagnóstico Diferencial O Transtorno de Asperger não é diagnosticado se são satisfeitos os critérios para Transtorno Invasivo do Desenvolvimento ou Esquizofrenia. Para o diagnóstico diferencial com Transtorno Autista. Para o diagnóstico diferencial com Transtorno de Rett, ver pp. 71-72. Para o diagnóstico diferencial com Transtorno Desintegrativo da Infância, ver pp. 73-74.
  • 60. DSM-IV
    • O Transtorno de Asperger também deve ser diferenciado do Transtorno Obsessivo-Compulsivo e do Transtorno da Personalidade Esquizóide. O Transtorno de Asperger e o Transtorno Obsessivo-Compulsivo compartilham padrões repetitivos e estereotipados de comportamento. Contrastando com o Transtorno Obsessivo-Compulsivo, o Transtorno de Asperger caracteriza-se por um prejuízo qualitativo na interação social e um padrão mais restrito de interesses e atividades. Em comparação com o Transtorno da Personalidade Esquizóide, o Transtorno de Asperger é caracterizado por comportamentos e interesses estereotipados e interação social mais gravemente comprometida.
  • 61. DSM-IV
    • Critérios Diagnósticos para F84.5 - 299.80 Transtorno de Asperger :
    • A. Prejuízo qualitativo na interação social, manifestado por pelo menos dois dos seguintes quesitos: (1) prejuízo acentuado no uso de múltiplos comportamentos não-verbais, tais como contato visual direto, expressão facial, posturas corporais e gestos para regular a interação social (2) fracasso para desenvolver relacionamentos apropriados ao nível de desenvolvimento com seus pares (3) ausência de tentativa espontânea de compartilhar prazer, interesses ou realizações com outras pessoas (por ex., deixar de mostrar, trazer ou apontar objetos de interesse a outras pessoas)
  • 62. DSM-IV
    • (4) falta de reciprocidade social ou emocional B. Padrões restritos, repetitivos e estereotipados de comportamento, interesses e atividades, manifestados por pelo menos um dos seguintes quesitos: (1) insistente preocupação com um ou mais padrões estereotipados e restritos de interesses, anormal em intensidade ou foco (2) adesão aparentemente inflexível a rotinas e rituais específicos e não funcionais (3) maneirismos motores estereotipados e repetitivos (por ex., dar pancadinhas ou torcer as mãos ou os dedos, ou movimentos complexos de todo o corpo)
  • 63. DSM-IV
    • (4) insistente preocupação com partes de objetos C. A perturbação causa prejuízo clinicamente significativo nas áreas social e ocupacional ou outras áreas importantes de funcionamento. D. Não existe um atraso geral clinicamente significativo na linguagem (por ex., palavras isoladas são usadas aos 2 anos, frases comunicativas são usadas aos 3 anos). E. Não existe um atraso clinicamente significativo no desenvolvimento cognitivo ou no desenvolvimento de habilidades de auto-ajuda apropriadas à idade, comportamento adaptativo (outro que não na interação social) e curiosidade acerca do ambiente na infância. F. Não são satisfeitos os critérios para um outro Transtorno Invasivo do Desenvolvimento ou Esquizofrenia.
  • 64. DSM-V
    • Autismo de alto desempenho = Síndrome de Asperger.
    • Síndrome de Asperger
    • ‘ AUTISMO’
  • 65. Empatia
    • Empatia é a capacidade para reconhecer ou compreender o estado de espírito ou a emoção do outro. Muitas vezes, é caracterizada como a capacidade de “colocar-se nos sapatos da outra pessoa”, ou, de algum modo, a experiência das perspectivas ou emoções de um outro ser dentro de si próprio.
  • 66.
    • A palavra empatia é derivado do grego “físico, carinho, paixão, parcialidade” e “sensação”. O termo foi adaptado por Teodoro Lipps para criar a palavra alemã Einfühlung ( “feeling em”).
  • 67. Prosopagnosia
    • Dificuldade para reconhecer expressões faciais.
  • 68. Medo
  • 69. Memória eidética
    • “ Memória fotográfica”
    • Acontece em cerca de 1/3 dos aspies. Que inclui memória auditiva e informação espacial.
  • 70. Coordenação Motora
    • Em aspies:
    • Excelente ou normal coordenação motora fina (movimentos). Ex: desenhar.
    • Discoordenação motora grossa (postura). Ex: forma de andar.
    • Em autistas:
    • Discoordenação motora geral.
  • 71. Coordenação Motora
    • Andar desajeitado
    • Andar desengonçado
    • Andar “robotizado”
    • “ Andar de pinguim ou cowboy”
    • Marcha
  • 72. Aspectos psiquiátricos
    • Comorbidades: ansiedade, depressão, distimia, transtorno obsessivo-compulsivo, déficit de atenção.
  • 73. Aspectos neurofisiológicos
    • Menor atividade da amídala
    • Hemisfério direito do cérebro mais ativo que o esquerdo
    • Neurônios-espelho deficientes
    • Menor quantidade de oxitocina
  • 74. Teorias
    • Neurônios-espelho
    • Teoria da mente
    • Teoria da empatização-sistematização
    • Teoria da amídala
    • Teoria do mundo intenso
  • 75. Neurônios-espelho
    • É um neurônio que dispara tanto quando um animal realiza um determinado ato, como quando observa outro animal (normalmente da mesma espécie) a fazer o mesmo ato. Desta forma, o neurônio imita o comportamento de outro animal como se estivesse ele próprio a realizar essa acção. Estes neurônios já foram observados de forma direta em primatas, acreditando-se que também existam em humanos e alguns pássaros.
  • 76. Teoria da mente
    • Elaborada por Simon Cohen:
      • Prejuízos sociais mais abrangentes: sócio-afetivos, falta de empatia e de engajamento social com os outros
      • Comportamentos repetitivos e estereotipados, desejo obsessivo pela mesmice, distúrbios da linguagem e prejuízos nas funções executivas
  • 77. Neurônios-espelho
    • Os neurônios espelho parecem estar envolvidos na interação social, disfunções deste sistema neural poderiam explicar alguns dos sintomas observados no Autismo:
      • Isolamento social
      • Ausência de empatia
  • 78. Teoria da empatização-sistematização
    • Teoria do Dr. Simon Baron-Cohen. Estudou a influência da testosterona fetal sobre os cérebros de autistas e aspies (cérebros hiper-masculinizados).
  • 79. Teoria da amídala
    • É associadade com a função socioemocional. Há menor atividade do complexo amidalar (amídala) nos autistas e aspies.
  • 80. Amídala
  • 81. Teoria do mundo intenso
      • Elaborada em 2009, a pesquisa pode ser simplificada na tríade:
      • Hiper-percepção
      • Hiper-atenção
      • Hiper-memória
  • 82. Filmes
    • Mozart and Whale (2004)
    • Adam (2009)
    • Max and Mary (2009)
    • My name is Khan (2010)
  • 83. Mozart and Whale
    • “ Loucos de amor” ou “Mozart e baleia”.
    • Um filme que retrata o romance entre um casal de jovens aspies (masculino e feminino).
  • 84.  
  • 85. Adam
    • Adam é um rapaz solitário e brilhante, portador da síndrome de Asperger. Ele desenvolve uma estranha relação com sua vizinha, a escritora Beth.
  • 86.  
  • 87.  
  • 88. Mary and Max
    • Na animação "Mary e Max - Uma Amizade Diferente", os protagonistas são duas pessoas um pouco diferentes, mas com algumas coisas em comum. E isso não tem nada a ver com o fato de serem de massinha! Mary é uma menina australiana, de 8, que não tem o amor ou a atenção dos pais. Ela é muito solitária, por isso, seu único amigo é um galo.
  • 89. Mary and Max
    • Já Max é adulto, mora do outro lado do planeta, em Nova York, e "gostaria de morar na Lua, para não ter contato com as pessoas". Apesar da distância e das peculiaridades de cada um, Mary e Max tornam-se amigos por correspondência. A troca de cartas começa meio a contragosto por parte do americano, que não quer de forma alguma relacionar-se com outras pessoas. Mas a menina é insistente e surpreendente. Em uma de suas primeiras cartas, pergunta de onde vêm os bebês.
  • 90.  
  • 91. My name is Khan
    • A primeira parte do filme é baseado na vida de um casamento entre o os indianos Khan, que é aspie, e sua esposa Mandiry Khan. O outro é uma ficção que mostra o que poderia acontecer em seguida.
  • 92.  
  • 93. Personalidades
    • Foram estabelecidas observações e análise das biografias de personalidades excêntricas ou importantes de várias áreas.
    • Dr. Michael Fitzgerald, da Trinity College Dublin, por exemplo, promoveu algumas dessas observações.
  • 94. Sócrates
    • Sócrates foi um filósofo ateniense, um dos mais importantes ícones da tradição filosófica ocidental, e um dos fundadores da atual Filosofia Ocidental. Foi conhecido por ter sido um excelente professor. Se algo pode ser dito sobre as idéias de Sócrates, é que ele foi moralmente, intelectualmente e filosoficamente diferente de seus contemporâneos atenienses.
  • 95.  
  • 96. Michelangelo Buonarroti
    • Michelangelo (1475-1564), foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente.
    • Era uma pessoa isolada
    • Tinha fixação em retratar o nu masculino
  • 97.  
  • 98. Leonardo da Vinci
    • Leonardo di ser Piero da Vinci (1452-1519) foi um polímata italiano, uma das figuras mais importantes do Alto Renascimento, que se destacou como cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. É ainda conhecido como o precursor da aviação e da balística.
  • 99.  
  • 100. Isaac Newton
    • Newton (1643-1727), foi um cientista inglês, mais reconhecido como físico e matemático, embora tenha sido também astrônomo, alquimista, filósofo natural e teólogo. Sua obra, Philosophiae Naturalis Principia Mathematica , é considerada uma das mais influentes em História da ciência. Publicada em 1687, esta obra descreve a lei da gravitação universal e as três leis de Newton, que fundamentaram a mecânica clássica. Nunca se casou.
  • 101.  
  • 102. Wolfgang Amadeus Mozart
    • Johann Chrysostom Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), foi um compositor prolífico e influente do período clássico, autor de mais de 600 obras - muitas tidas como referências da música sinfônica, concertante, operática, coral, pianística e de câmara - e um dos compositores de música clássica mais populares de todos os tempos.
  • 103.  
  • 104. Ludwig van Beethoven
    • Foi um compositor alemão, do período de transição entre o Classicismo (século XVIII) e o Romantismo (século XIX). É considerado um dos pilares da música ocidental, pelo incontestável desenvolvimento, tanto da linguagem, como do conteúdo musical demonstrado nas suas obras, permanecendo como um dos compositores mais respeitados e mais influentes de todos os tempos.
  • 105.  
  • 106. Thomas Jefferson
    • Thomas Jefferson (1743-1826) foi um advogado e político dos Estados Unidos, terceiro presidente deste país (de 1801 a 1809). Além de estadista, Jefferson foi também filósofo político, revolucionário, proprietário agrícola, arquiteto, arqueólogo, autor e um espírito elucidativo do Iluminismo.
  • 107.  
  • 108. Charles Darwin
    • Charles Robert Darwin (1809-1882) foi um naturalista britânico que alcançou fama ao convencer a comunidade científica da ocorrência da evolução e propor uma teoria para explicar como ela se dá por meio da seleção natural e sexual.
  • 109.  
  • 110. Albert Einstein
    • Einstein (1879-1955), foi um físico teórico alemão radicado nos Estados Unidos. É conhecido por desenvolver a teoria da relatividade. Recebeu o Nobel de Física de 1921, pela correta explicação do efeito fotoeléctrico; no entanto, o prémio só foi anunciado em 1922. O seu trabalho teórico possibilitou o desenvolvimento da energia atômica, apesar de não prever tal possibilidade.
  • 111.  
  • 112. Adolf Hitler
    • Hitler (1889-1945), se tornou chanceler e, posteriormente, ditador alemão. Era canhoto (ou ambidestro segundo algumas fontes), [ sofria de fotofobia, era abstêmio e falava alemão com sotaque típico dos subúrbios de Viena. Casou-se apenas dias antes do seu suicídio.
  • 113.  
  • 114. Ludwig Wittgenstein
    • Ludwig Joseph Johann Wittgenstein (1889-1951), filósofo austríaco, naturalizado britânico, foi um dos principais atores da "virada linguística" na filosofia do século XX. Suas principais contribuições foram feitas nos campos da lógica, filosofia da linguagem, filosofia da matemática e filosofia da mente.
  • 115.  
  • 116. Hans Asperger
    • Hans Asperger, neuropediatra autríaco (1906-1980). Ele mesmo seria um aspie e examinou cerca de 400 crianças acometidas com a síndrome que foi batizada com seu nome.
  • 117.  
  • 118. Edward Teller
    • Edward Teller (1908-2003), foi um físico nuclear norte-americano de origem húngara, popularmente conhecido como "O pai da Bomba H". Foi apelidado pelos soviéticos como “Doutor Morte”. Tinha graves problemas de relacionamento social.
  • 119.  
  • 120. Andy Warhol
    • Warhol (1928-1987) foi um pintor e cineasta norte-americano, bem como uma figura maior do movimento de pop art .
  • 121.  
  • 122. Bill Gates
    • William Henry "Bill" Gates (1955), é um magnata, filantropo, autor e, em parceria com o sócio Paul Allen, fundador da Microsoft, a maior e mais conhecida empresa de software do mundo. É um dos pioneiros na revolução do Computador pessoal. E figura há anos entre os homens mais rico do mundo.
  • 123.  
  • 124. Caso 1: Hacker aspie
    • Nome: Garry McKinnon
    • Pseudônimo: SOLO
    • Nacionalidade: Escocês (Britânico)
    • Atividade: Hacker
    • Diagnóstico: Síndrome de Asperger (Pelo Dr. Cohen)
    • Descrição: responsável pelo “maior ataque de todos os tempos a um computador militar”. Invadiu os computadores na NASA e Pentágono. McKinnon é acusado de ter cometido o maior ato de pirataria em informática de todos os tempos", disse o promotor do Estado da Virgínia, Paul McNulty.
    • Interesse obsessivo: comprovar a existência dos OVNI
    • Site: freegary.org.uk
  • 125. O caso 2: Cracker “aspie”
    • Nome: Albert Gonzalez
    • Pseudônimo: SOLO
    • Nacionalidade: Americano
    • Atividade: Hacker
    • Diagnóstico: “Geek”
    • Descrição: teria liderado um grupo de hackers que invadiu sistemas de computador e roubou mais de 170 milhões de números de cartões de crédito e débito da processadora de dados Heartland Payment Systems, além das varejistas
    • Interesse obsessivo: Informática e roubo financeiro
  • 126. Estratégias
    • Para pais, professores e psicólogos...
    • Prevenção de intimidações e bullying
    • Criar um mapa do mundo da criança para identificar refúgios
    • Entender as emoções
    • Entender o estado de informação
    • Entender a pretensão
    • Estabelecer uma rotina previsível
  • 127. Diferenças comportamentais entre Altas Habilidades e Asperger Altas Habilidades/Superdotação Síndrome de Asperger Isolado socialmente Inábil socialmente Independente dos pares de idade Inábil com os pares deidade Interesses altamente focados Interesses altamente focados Vocabulário avançado e sofisticado Hiperlexia Cognição complexa Cognição simples Compreenção avançada Memorização avançada Fonte: Gallagher e Gallagher (2002)
  • 128. Comparação entre características das Altas Habilidades e da SA Altas Habilidades/Superdotação Síndrome de Asperger Memória Memória e compreensão excelentes Excelente rotina; compreensão relativamente pobre Interesse Altamente focado,pode comprometer as interações sociais. Se não for desafiado pode ficar entediado Altamente focado, mas nãonecessariamente relevamente do ponto de vista acadêmico Vocabulário Geralmente amplo Geralmente amplo, mas pode ser específico para a área de interesse Organização Interesses variados podem comprometer a organização Déficits no processamento podem comprometer a organização Social Pode ter menor necessidade de muitos amigos Isolamento social deviso à falta de talento social Flexibilidade Perfeccionismo, justiça social, honestidade Rotinas e regras podem interferir Coordenação Normal Dificuldades motoras Fonte: Assouline e Bramer (2003)
  • 129. Livros
    • A grande maioria dos livros publicados, incluindo os científicos e de auto-ajuda, sobre Austismo e Síndrome de Asperger são em língua inglesa. Há poucas ou nenhuma publicação em português.
  • 130.  
  • 131.  
  • 132.  
  • 133.  
  • 134.  
  • 135.  
  • 136.  
  • 137.  
  • 138.  
  • 139.  
  • 140.  
  • 141.  
  • 142.  
  • 143.  
  • 144.  
  • 145.  
  • 146.  
  • 147.  
  • 148.  
  • 149.  
  • 150.  
  • 151.  
  • 152.  
  • 153.  
  • 154. Referências
    • Este é um material exclusivamente para finalidade de uso educativo. Para esta apresentação foram utilizadas inúmeras fontes de refeências, entre livros, artigos científicose informações pessoais. Porém, por decisão de configuração estética e facidade de compreenção as citações não foram mencionadas.
  • 155. Contatos
    • E-mail: [email_address]
    • Msn: [email_address]
  • 156.