Trabalhos em altura

10,631 views
10,404 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
10,631
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
17
Actions
Shares
0
Downloads
543
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trabalhos em altura

  1. 1. TRABALHOS EM ALTURA
  2. 2.  DEFINIÇÃO  São considerados "trabalhos em altura", todos aqueles realizados a partir de 1,5 m de diferença de nível em relação à base (pavimento ou plataforma protegida), assim como aos trabalhos em profundidade.
  3. 3.  Factores de risco  Estabilidade e solidez do local;  Factores atmosféricos;  Factores pessoais.
  4. 4. o Uma plataforma devidamente protegida deve dispor: • Guarda-corpos em todo o seu perímetro; • Nas aberturas ou rampas, construídos com material rígido de resistência adequada; • Corrimãos com uma altura mínima de 90 cm; • Barra intermédia que impeça a passagem por escorregão do operário por baixo da mesma; • Rodapé que impeça a queda de objectos para níveis inferiores.
  5. 5. Andaime
  6. 6.  Os trabalhadores envolvidos neste tipo de tarefas não devem ter qualquer restrição médica para trabalhos em altura, e devem ter recebido a formação adequada para este tipo de trabalhos.
  7. 7. Um bom mestre tem sempre esta preocupação: “ensinar o aluno a desenvencilhar-se sozinho”. E. M. Forster
  8. 8.  É preciso ter sempre presente que os trabalhos em altura só podem ser executados com o auxílio de equipamentos concebidos para tal fim, ou utilizando dispositivos de protecção colectiva, tais como guarda-corpos, plataformas ou redes de segurança.
  9. 9. Rede de Segurança
  10. 10. Guarda-corpos Constituído por um travessão superior, instalado a uma altura de 1,00m referida do eixo da peça ao piso de trabalho. Um travessão intermediário, este situado entre o rodapé e o travessão superior, a uma altura de 0,45m referida do eixo da peça ao piso de trabalho. Constituído por um elemento apoiado sobre o piso de trabalho que objectiva impedir a queda de objectos e/ou materiais. É formado por uma peça plana e resistente com uma altura mínima de 0,15m.
  11. 11.  Se tal não for possível, devido à natureza do trabalho, deve-se dispor de meios de acesso seguros e utilizar arnês de segurança com amortecedor de energia.
  12. 12. Para realizar trabalhos em altura é necessário contar com um sistema de segurança ou sistema anti-quedas, conjunto de EPI´s que permitem parar a queda de um operário em condições de segurança. Exemplo: arnês anti-queda, elemento de amarração à linha de vida com amortecedor de energia.
  13. 13.  E dependendo do caso, com um sistema de posicionamento ou sujeição, conjunto de EPI´s que permitem o trabalhador ficar em posição de sujeição ao posto de trabalho e ter as mãos livres para realizar a tarefa. Exemplo: cinto de segurança com elemento de amarração regulável.
  14. 14.  Em nenhum caso se deve realizar uma manobra sem estar dotado de um sistema de segurança capaz de impedir a queda quando os restantes sistemas falharem, a sua função última é parar a queda em condições de segurança.
  15. 15. Enquadramento Legal: Decreto-Lei n.º 50/05, de 25 de Fevereiro.
  16. 16. Directiva 2001/45/CE do Parlamento Europeu e do Conselho de 27 de Junho de 2001 (6) O trabalho em altura pode expor os trabalhadores a riscos particularmente elevados para a sua saúde e segurança, nomeadamente a riscos de quedas de altura e de outros acidentes de trabalho graves, que representam uma percentagem elevada do número de acidentes, nomeadamente mortais.
  17. 17. ACIDENTES DE TRABALHO EM ALTURA 6602 5840 5257 5187 0 1000 2000 3000 4000 5000 6000 7000 2004 2005 2006 2007 Nº acidentes Retirado do GEP, MTSS

×