• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Literatura portuguesa quadro sinóptico
 

Literatura portuguesa quadro sinóptico

on

  • 5,886 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,886
Views on SlideShare
5,886
Embed Views
0

Actions

Likes
2
Downloads
145
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Literatura portuguesa quadro sinóptico Literatura portuguesa quadro sinóptico Presentation Transcript

    •  
    • Século XII (Fundação de Portugal) ao Século XVI (Descobrimentos)
    • 1º. Período: Dos Trovadores e dos Tradutores Alcobacenses (1196-1385) Poesia Medieval Cantigas de Amigo D. Sancho I, D. Dinis, Martim Codax, Meendinho, Airas Paes, Pêro Meogo, etc. Cantigas de Amor D. Dinis, Pêro da Ponte, Martin Soares, Pai Soares de Taveirós, D. Afonso X, etc. Cantigas de Escárnio e Maldizer D. Dinis, Pêro Garcia Burgalês, Joan Garcia de Guilhade, Airas Perez Vuituron, etc. Prosa dos Alcobacenses Prosa Doutrinal (Traduções) Tradutores do Mosteiro de Alcobaça
    • 2º. Período: Dos Poetas Palacianos e Cronistas (1385-1527) Poesia Palaciana Cancioneiro Geral de Garcia de Resende Garcia de Resende, João Roiz de Castel Branco, Duarte de Brito, Bernardim Ribeiro, Anrique da Mota: Farsa do Alfaiate, etc. Prosa Medieval Capitulários, Cronicões, Nobiliários; Novelas de Cavalaria: Cantar de Mio Cid, Ciclo clássico ou greco-latino, Ciclo carolíngio, Ciclo bretão, Amadis de Gaula. Testamento de Lorvão, Livro de Mumadona, Livro Preto, Liber Fidei, Censual, Crónica Geral de Espanha de 1344, Nobiliário do Conde D. Pedro I ; Ciclo clássico: Roman de Thèbes; Ciclo carolíngio: Chanson de Roland; Ciclo bretão (Rei Artur e os Cavaleiros da Távola Redonda): Demanda do Santo Graal, Merlin, José de Arimateia , etc. Prosa Doutrinal Prosa moralista • desportiva • educativa D. João l: Livro da Montaria D. Duarte: Livro da Ensinança de Bem Cavalgar Toda a Sela D. Pedro: Livro da Virtuosa Benfeitoria D. Afonso V: Constelação de Cão, Cartas Historiografia Crónicas Fernão Lopes , Gomes Eanes de Zurara, Rui de Pina, outros cronistas
    • Século XVI (Descobrimentos) ao Século XIX (Revolução Francesa e Invasões) De cerca de 1527 até 1825 (data da publicação do poema Camões de Almeida Garrett)
    • 1º. Período: Renascimento - de 1527 a 1580 (data da morte de Camões) Renascimento Humanismo Classicismo Lírica Camões, Sá de Miranda, António Ferreira, Bernardim Ribeiro, Diogo Bernardes, etc. Teatro Gil Vicente , António Ferreira, Jorge Ferreira de Vasconcelos, Chiado, Camões, Sá de Miranda, etc. Épica Camões Prosa Quinhentista Historiografia Damião de Góis, João de Barros, Pêro Vaz de Caminha, Diogo de Couto, Gaspar Correia, etc. Literatura de Viagens História Trágico-Marítima ; Fernão Mendes Pinto: Peregrinação Novelas Bernardim Ribeiro: Menina e Moça ; Francisco de Morais: O Palmeirim ; Jorge de Montemor: Diana Prosa Mística Frei Heitor Pinto, Frei Tomás de Jesus, Frei Amador Arrais, Samuel Usque
    • 2º. Período: Barroco (Seiscentismo ou Escola Espanhola) De 1580 a 1756 (data da fundação da Arcádia Lusitana ou Ulissiponense) Barroco Cultismo Conceptismo Academias Literárias As colectâneas poéticas: A Fénix Renascida e Postilhão de Apolo Historiadores de Alcobaça Prosa religiosa oratória Rodrigues Lobo, Jerónimo Baía, Soror Violante do Céu, Francisco de Vasconcelos, etc. Frei Bernardo de Brito, Frei Luís de Sousa, D. Francisco Manuel de Melo, Frei António Brandão Padre António Vieira
    • 3º. período: Neoclassicismo (Século das Luzes ou Escola Francesa) De 1756 a 1825 (data da publicação do poema Camões) Arcadismo As Arcádias: Arcádia Lusitana, Nova Arcádia Doutrinários das Luzes Teatro Setecentista Pré-Romantismo Cruz e Silva, Correia Garção, Tomás António Gonzaga, Marquesa de Alorna, Nicolau Tolentino de Almeida, Bocage, etc. Luís António Verney António José da Silva Bocage
    • Século XIX e Século XX (de cerca de 1825 até à 2ª. Grande Guerra)
    • 1º. Período: Romantismo De 1825 a 1865 (data da Questão Coimbrã) ou 1871 (data das Conferências do Casino) Romantismo Romantismo Almeida Garrett, Alexandre Herculano Ultra-Romantismo António Feliciano de Castilho, João de Lemos, Tomás Ribeiro, Soares de Passos, etc. Entre o Romantismo e o Realismo Júlio Dinis, Camilo Castelo Branco
    • 2º. Período: Do Realismo ao Simbolismo De 1865 ou 1871 a 1900 (data da morte de Eça de Queirós) Realismo e Naturalismo Geração de 70 Realismo Naturalismo Antero de Quental, Teófilo Braga, Gomes Leal, Oliveira Martins, Guilherme de Azevedo, etc. Eça de Queirós , João de Deus, Guerra Junqueiro, Fialho de Almeida, Abel Botelho, Ramalho Ortigão, Trindade Coelho, etc. Parnasianismo Realismo e Concretismo Cesário Verde , João Penha Simbolismo Imagens, símbolos, alegorias Camilo Pessanha , Eugénio de Castro, António Patrício, Teixeira Gomes, Mário de Sá-Carneiro, António Nobre , Almada Negreiros, etc. Saudosismo Nacionalismo Teixeira de Pascoaes Tendências novi-Românticas Renovação da ficção de fundo histórico, tradicionalismo António Nobre, Florbela Espanca
    • 3º. Período: Modernismo (1900-1945: 2ª. Grande Guerra) Modernismo, grupo do Orpheu Decadentismo, Futurismo, Esteticismo, Impressionismo Mário de Sá-Carneiro, Fernando Pessoa, Almada Negreiros Grupo da Presença Valorização da inovação poética, originalidade, autenticidade José Régio, Casais Monteiro, Miguel Torga, Branquinho da Fonseca, João Gaspar Simões, etc. A poesia e a prosa do início do Século XX Decadentismo-simbolista Neogarretismo Poesia pós-simbolista Prosa pós-naturalista Regionalismo Augusto Gil, Afonso Lopes Vieira, António Correia de Oliveira, Raul Brandão, António Botto, Alberto Pimentel, Júlio Dantas, Aquilino Ribeiro, etc.
    • Século XX (da 2ª. Grande Guerra aos nossos dias) Do Neo-Realismo à Actualidade
    • Neo-Realismo Consciência das classes mais desfavorecidas, preocupação com as injustiças sociais, luta pela liberdade, defesa dos oprimidos, arte ao serviço do homem contra a opressão Alves Redol, Soeiro Pereira Gomes, Manuel da Fonseca, Fernando Namora, Carlos de Oliveira, Ferreira de Castro, José Cardoso Pires, Urbano Tavares Rodrigues, António Gedeão, José Abelaira, Herberto Hélder, Manuel Alegre, Ary dos Santos, etc. Surrealismo Expressão do pensamento puro, gosto do insólito Mário Cesariny, António Maria Lisboa, Alexandre O'Neil, etc. Realismo Relação do homem com o meio rural Vitorino Nemésio, Agustina Bessa-Luís
    • Experimentalismo e Poesia 61 Experimentalismo Poesia 61 Almeida Faria, Nuno Bragança, Álvaro Guerra, Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa, etc. Luísa Neto Jorge, Fiama Hasse Pais Brandão, Teresa Horta, Casimiro de Brito, etc. Concretismo Utilização dos aspectos concretos do significante, poesia visual, abolição da sintaxe e do verbo E. M. de Melo e Castro, António Aragão, Alexandre O'Neil, Ramos Rosa, Herberto Hélder, etc. Existencialismo A existência precede a essência; livre escolha Vergílio Ferreira, António Quadros, Urbano Tavares Rodrigues…
    • Psicologismo Realidade interior da psique António Lobo Antunes Novo Romance Contra as normas do romance Portela Filho, Alfredo Margarido Realismo histórico (anos 80) A história e a sua discussão; a realidade e a fantasia; o poético; o empenho social e interventor; as preocupações regionais; Lídia Jorge, João de Melo, Mário de Carvalho, José Saramago, Bernardo Santareno, Romeu Correia, Olga Gonçalves, Agustina Bessa-Luís, Sebastião da Gama, Natália Correia, Sttau Monteiro, Fernanda Botelho, etc.
    •