01 04 12

209 views
141 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
209
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

01 04 12

  1. 1. Nº 1.907 (Ano B/Vermelho) 1 de abril de 2012 Domingos de Ramos e da Paixão do Senhor COLETA DA SOLIDARIEDADE JESUS, NOSSO COMPANHEIRO NO SOFRIMENTO 01. MOTIVAÇÃO C.1 No Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor, a Igreja entra no mistério do Senhor crucificado, sepultado e ressusci- tado que, ao entrar em Jerusalém, prenun- ciou a sua majestade. Os cristãos levam ramos em sinal do real triunfo que na cruz, Cristo alcançou. De acordo com a palavra do Apóstolo: "Se com Ele padecemos, com Ele também seremos glorificados". 02. CANTO Tu és Rei dos Reis... nº 798 03. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO D. Meus irmãos e minhas irmãs, durante as cinco semanas da Quaresma prepara- mos os nossos corações pela oração, pela penitência e pela caridade. Hoje aqui nosPreparar uma vasilha com água e ramos para reunimos e vamos iniciar, com toda a Igre-aspersão.- Preparar uma mesinha em um lugar fora da Igre- ja a celebração da Páscoa de Nosso Se-ja. nhor. Para realizar o mistério de sua Morte- Ver mais leitores para ajudar na proclamação e Ressurreição, Cristo entrou em Jerusa-do Evangelho. Isso deve ser feito com bastante lém, sua cidade. Celebrando com fé e pie-antecedência para possibilitar o treinamento da dade a memória desta entrada, sigamos osleitura do texto e não ler palavras erradas.- Hoje é o dia da Coleta da Campanha da Solida- passos de nosso Salvador para que, asso-riedade. Os que não trouxeram o envelope com ciados pela graça à sua cruz, participemossua oferta, poderão trazer durante a semana. também de sua Ressurreição e de sua Vida.
  2. 2. (O Dirigente ou alguém do grupo de cantos can- dar a todos um exemplo de humildade,ta e o povo repete) quisestes que o nosso Salvador se fi-- Vinde, meu Senhor, vinde me valer (bis) zesse homem e morresse na cruz.Vinde e não demoreis em nos socorrer (bis) Concedei-nos aprender o ensinamento- Glória ao Pai e ao Filho e ao Santo Espí- da sua paixão e ressuscitar com Ele emrito (bis) sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cris-Glória à Trindade Santa, glória ao Deus to, Vosso Filho, na unidade do Espíritobendito (bis) Santo.- Vinde à oração, vinde com fervor (bis)Povo de sacerdotes, a Deus o louvor (bis) PRIMEIRA LEITURA: Is 50, 4-7- Para mim viver é Cristo Jesus (bis)Morrer pra mim é lucro, minha glória, a cruz L.1 Leitura do Livro do Profeta Isaías.(bis) SALMO RESPONSORIAL – 21(22)04. BÊNÇÃO DOS RAMOS E ASPER- Refrão: Meu Deus, meu Deus, por queSÃO me abandonastes?(O povo levanta os ramos e canta):Esses ramos serão abençoados porque SEGUNDA LEITURA: Fl 2, 6-11o Senhor derramou o seu amor. (2x)(Alguém segura a vasilha com água enquanto o L.2 Leitura da Carta de São Paulo aosdirigente reza:) Filipenses.D. Ó Deus de bondade, aumentai a fédos que esperam em Vós e ouvi as nos- CANTO DE ACLAMAÇÃOsas preces. Apresentando hoje ao Cris- Jesus Cristo, sendo Deus...nº 799to vencedor os nossos ramos, possamosfrutificar em boas obras, por Cristo, EVANGELHO: Mc 14, 1-15, 47nosso Senhor. (O dirigente asperge o povo eos ramos). Paixão de Jesus Cristo segundo São Marcos. (Ver folha anexa)EVANGELHO: Mc 11, 1-10 07. PARTILHANDO A PALAVRAEvangelho de Jesus Cristo segundo Na primeira leitura aparece a figura do "Ser-Marcos. vo do Senhor". A ele foi confiada uma mis- são: transmitir uma mensagem a quem per-05. PROCISSÃO ATÉ A IGREJA deu toda a confiança. É também aquele que,D. Meus irmãos e minhas irmãs imitando o numa atitude de discípulo, vive em perma-povo que aclamou Jesus, comecemos com nente escuta da Palavra de Deus. Com oalegria a nossa procissão. coração e os ouvidos sempre abertos estáCantos: escolher os que estão entre os núme- atento para não perder nada que Deus lheros 801 ao 807 do livro de cantos da diocese. transmite. O "Servo do Senhor" sabe das responsabilidades por ter ouvido a Palavra06. ORAÇÃO (na igreja) de Deus. Por vocação, não pode fugir daD. Deus eterno e todo-poderoso, para missão para a qual foi convocado. É aquele
  3. 3. que denuncia as injustiças e sabe das soldado representa todos os que chegam àconsequências. A história desse "Servo" faz fé em Cristo; que não se convertem por te-lembrar a história de todos que queiram pra- rem assistido a algum milagre, mas por te-ticar e proclamar a justiça; faz lembrar, in- rem percebido o sentido de uma vida doa-clusive, a vida de Jesus. da aos irmãos por amor. É dessa desco-Na segunda leitura Paulo exorta aos berta que nasce a verdadeira fé e a autênti-filipenses a respeito da vida de Jesus. Ele ca adesão a Cristo. Importante lembrar queexistia antes de fazer-se homem (na condi- na narrativa de Marcos aparece a expres-ção divina). Encarnado, assume a humani- são "Abba, Pai" (14,36) em aramaico, sig-dade decaída pelas fraquezas, humilhações nifica "papai". O evangelista utiliza a expres-e desprezos. No entanto, esse caminho que são para mostrar o abandono e a confiançaJesus percorre não termina com a sua mor- do Filho em relação ao Pai em um momen-te na cruz. Ele foi ressuscitado pelo Pai e to tão difícil. A nós, cristãos, basta-nos as-elevado como modelo para todos. Jesus sumir, a exemplo de Jesus, nossa condiçãonão teve medo do sofrimento. É o verda- de filhos e servos do Senhor, respondendodeiro "Servo Sofredor" que viveu a experi- fielmente ao chamado de Deus; chamadoência humana até a morte e foi recompen- este que requer enfrentamento de dificul-sado pela sua fidelidade quando Deus o glo- dades, que nos leva a verdade maior querificou e o fez Senhor. podemos seguir: que é a vontade de Deus.No Evangelho, Marcos apresenta o lado Em síntese, podemos dizer que, com Cris-humano de Jesus; um Jesus que aceita tudoo que está acontecendo e ainda conclui: to, nosso companheiro no sofrimento, che-"isso acontece para que se cumpram as garemos ao Pai.Escrituras" (14,49). Jesus é abandonadopelos discípulos, traído pela multidão, 08. PROFISSÃO DE FÉesbofeteado, zombado, humilhado e insul- D. Professemos nossa fé no Deus que setado. Ele se angustia, se vê derrotado a pon- doou inteiramente por nós. Creio em Deusto de gritar "Meu Deus, meu Deus porque Pai...me abandonastes" (15,44), mas está cer-to de ter lutado pela causa justa. Marcos, 09. PRECES DA COMUNIDADEquer mostrar que Jesus não é nenhum super- D. Irmãos e irmãs, caminhemos com o Deushomem ou um herói, mas sim, um fraco justo e bondoso. A Ele apresentemos oscomo nós, que passou pela difícil experiên- nossos pedidos certos de que nos ouvirá. Acia da obediência ao Pai e é "um dos nos- cada pedido respondamos:sos", se levarmos em conta os sofrimentos Senhor da vida, ouvi-nos e atendei-nos.da vida. Jesus também manifesta um silên- 1- Senhor, subistes a Jerusalém para sofrercio, que não é sinal de falta de coragem, e assim entrar na glória: conduzi o vossomas sinal de fortaleza de espírito; se mostra povo à Páscoa da Ressurreição! Rezemos...superior diante da arrogância, do insulto e 2- Fizestes da Cruz a árvore da vida. A to-da calúnia. dos nós renascidos pelo batismo, dai-nosAparece ainda, em Marcos, a profissão de caminhar como filhos e filhas da luz! Reze-fé do centurião: "Verdadeiramente este mos...homem era Filho de Deus" (15,39). Este 3- Viestes para salvar os pecadores, ajudai-
  4. 4. nos a ser misericordiosos com nossos ir- a força para seguirmos os seus passos até amãos e a dedicar-nos com amor no servi- vossa casa.ço do vosso Reino! Rezemos... Todos: Amém!(Concluir com a Oração da CF/2012) D. Que o Deus de toda a graça nos firme e nos fortaleça no meio dos nossos sofrimen-10. APRESENTAÇÃO DOS DONS tos. A Ele a glória e o poder para sempre.D. O Pai nos ama gratuitamente. Com este Todos: Amém!sentimento de gratuidade apresentemos D. Que o Deus Salvador nos dê a sua bên-diante Dele os nossos dons. Hoje, de modo ção e sua justiça neste dia e para sempre.especial, coloquemos no altar do Senhor a Todos: Amém!nossa oferta da Campanha da Solidarie- D. Abençoe-vos o Deus todo poderoso: Paidade. Sejamos generosos. e Filho e Espírito Santo. Amém!Bendito és tu... nº 490 D. Ide em paz e que o Senhor vos acompa- nhe.11. PAI NOSSO Todos: Graças a Deus!D. Jesus confiou no Pai até às últimasconsequências. Na oração do Pai Nosso 15. CANTOexpressemos também nossa confiança e Um certo dia, à beira mar...nº 812fidelidade a Ele que tanto nos ama.Rezemos juntos: Pai Nosso...12. ORAÇÃOD. Saciados pela vossa Palavra, nósvos pedimos ó Deus, que pela mortedo Vosso Filho nos destes esperar o quecremos, dai-nos pela sua Ressurreiçãoalcançar o que buscamos. Por Cristo,Nosso Senhor. Amém.13. AVISOSD. Avisar os horários das celebrações daSemana Santa. Leituras para a Semana14. BÊNÇÃO E DESPEDIDAD. Deus nosso Pai, enviastes Vosso Filho 2ª Is 42, 1-7 / Sl 26(27) / Jo 12, 1-11Jesus para morar entre nós e ser exemplo 3ª Is 49, 1-6 / Sl 70(71) / Jo 13, 21-33.36-38de humildade e doação. Dai-nos também 4ª Is 50, 4-9a / Sl 68(69) / Mt 26, 14-25 Secretariado Diocesano de Pastoral Av. João XXIII, 410-Centro 29930-420-S. Mateus/ES - Tel: (27) 3763.1177 Fax 3763.3104 - E-mail: secretariado@diocesedesaomateus.org.br / Site: www.diocesedesaomateus.org.br Rádio Católica da nossa região, é a Kairós FM 94,7. www.radiokairos.com.br Associe-se ao Clube do Ouvinte e ajude a manter a rádio. Informações pelo telefone 3767-2000.
  5. 5. DOMINGO DE RAMOS – Folha Anexa nº 1.907 – ANO "B" – 01/04/2012 Paixão de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo Marcos - 14,1 - 15,47N - Faltavam dois dias para a Páscoa e L3 - "Onde queres que façamos os prepara-para a festa dos Ázimos. Os sumos sacer- tivos para comeres a Páscoa?"dotes e os mestres da Lei procuravam um N - Jesus enviou então dois dos seus dis-meio de prender Jesus à traição, para cípulos e lhes disse:matá-lo. Eles diziam: J - "Ide à cidade. Um homem carregandoL1 - "Não durante a festa, para que não haja um jarro de água virá ao vosso encontro.um tumulto no meio do povo". Segui-o e dizei ao dono da casa em que eleN - Jesus estava em Betânia, na casa de entrar: O Mestre manda dizer: onde está aSimão, o leproso. Quando estava à mesa, sala em que vou comer a Páscoa com osveio uma mulher com um vaso de alabastro meus discípulos? Então ele vos mostrará, nocheio de perfume de nardo puro, muito andar de cima, uma grande sala, arrumadacaro. Ela quebrou o vaso e derramou o com almofadas. Ali fareis os preparativos paraperfume na cabeça de Jesus. Alguns que nós!"estavam ali ficaram indignados e comen- N - Os discípulos saíram e foram à cida-tavam: de. Encontraram tudo como Jesus haviaL2 - "Por que este desperdício de perfume? dito, e prepararam a Páscoa.Ele poderia ser vendido por mais de trezen- Ao cair da tarde, Jesus foi com os doze.tas moedas de prata, que seriam dadas aos Enquanto estavam à mesa comendo, Je-pobres". sus disse:N - E criticavam asperamente a mulher. J - "Em verdade vos digo, um de vós, queMas Jesus lhes disse: come comigo, vai me trair".J - "Deixai-a em paz! Por que aborrecê-la? N - Os discípulos começaram a ficar tris-Ela praticou uma boa ação para comigo. tes e perguntaram a Jesus, um após ou-Pobres, sempre os tereis convosco e quando tro:quiserdes podeis fazer-lhes o bem. Quanto a L3 - "Acaso serei eu?"mim não me tereis para sempre. Ela fez o N - Jesus lhes disse:que podia: derramou perfume em meu cor- J - "É um dos doze, que se serve comigo dopo, preparando-o para a sepultura. Em ver- mesmo prato. O Filho do Homem segue seudade vos digo, em qualquer parte que o Evan- caminho, conforme está escrito sobre ele. Ai,gelho for pregado, em todo o mundo, será porém daquele que trair o Filho do Homem!contado o que ela fez, como lembrança do Melhor seria que nunca tivesse nascido!"seu gesto". N - Enquanto comiam, Jesus tomou o pãoN - Judas Iscariotes, um dos doze, foi ter e, tendo pronunciado a bênção, partiu-ocom os sumos sacerdotes para entregar- e entregou-lhes, dizendo:lhes Jesus. Eles ficaram muito contentes J - "Tomai, isto é o meu corpo".quando ouviram isso, e prometeram dar- N - Em seguida, tomou o cálice, deu gra-lhe dinheiro. Então, Judas começou a pro- ças, entregou-lhes e todos beberam dele.curar uma boa oportunidade para entre- Jesus lhes disse:gar Jesus. J - "Isto é o meu sangue, o sangue da alian-No primeiro dia dos Ázimos, quando se ça, que é derramado em favor de muitos. Emimolava o cordeiro pascal, os discípulos verdade vos digo, não beberei mais do frutodisseram a Jesus: da videira, até o dia em que beberei o vinho
  6. 6. novo no Reino de Deus". ta! Chegou a hora! Eis que o Filho do Ho-N - Depois de terem cantado hino, foram mem é entregue nas mãos dos pecadores.para o Monte das Oliveiras. Então Jesus Levantai-vos! Vamos! Aquele que vai me trairdisse aos discípulos: já está chegando".J - "Todos vós ficareis desorientados, pois N - E logo, enquanto Jesus ainda falava,está escrito: Ferirei o pastor e as ovelhas se chegou Judas, um dos doze, com uma mul-dispersarão. Mas, depois de ressuscitar, eu tidão armada de espadas e paus. Vinhavos precederei na Galiléia". da parte dos sumos sacerdotes, dos mes-N - Pedro, porém, lhe disse: tres da Lei e dos anciãos do povo. O trai-L4 - "Mesmo que todos fiquem desorienta- dor tinha combinado com eles um sinal,dos, eu não ficarei". dizendo:N - Respondeu-lhe Jesus: L2 - "É aquele que eu beijar. Prendei-o eJ - "Em verdade te digo, ainda hoje, esta noi- levai-o com segurança!"te, antes que o galo cante duas vezes, três N - Judas logo se aproximou de Jesus, di-vezes me negarás". zendo:N - Mas Pedro repetiu com veemência: L2 - "Mestre!",L4 - "Ainda que tenha de morrer contigo, eu N - e o beijou. Então lançaram as mãosnão te negarei". sobre ele e o prenderam. Mas um dos pre-N - E todos diziam o mesmo. Chegados a sentes puxou a espada e feriu o emprega-um lugar chamado Getsêmani, disse Je- do do sumo sacerdote, cortando-lhe a ore-sus aos discípulos: lha. Jesus tomou a palavra e disse:J - "Sentai-vos aqui, enquanto eu vou rezar!" J - "Vós saístes com espadas e paus paraN - Levou consigo Pedro, Tiago e João, e me prender, como se eu fosse um assaltan-começou a sentir pavor e angústia. Então te. Todos os dias eu estava convosco, noJesus lhes disse: Templo, ensinando, e não me prendestes.J - "Minha alma está triste até a morte. Ficai Mas isto acontece para que se cumpram asaqui e vigiai". Escrituras".N - Jesus foi um pouco mais adiante e, N - Então todos o abandonaram e fugi-prostrando-se por terra, rezava que, se ram. Um jovem, vestido apenas com umfosse possível, aquela hora se afastasse lençol, estava seguindo a Jesus, e eles odele. Dizia: prenderam. Mas o jovem largou o lençolJ - "Abbá! Pai! Tudo é possível: afasta de e fugiu nu. Então levaram Jesus ao Sumomim este cálice! Contudo, não seja feito o Sacerdote, e todos os sumos sacerdotes,que eu quero, mas sim o que tu queres!" os anciãos e os mestres da Lei se reuni-N - Voltando, encontrou os discípulos dor- ram. Pedro seguiu Jesus de longe, até omindo. Então disse a Pedro: interior do pátio do Sumo Sacerdote. Sen-J - "Simão, tu estás dormindo? Não pudeste tado com os guardas, aquecia-se junto aovigiar nem uma hora? Vigiai e orai, para não fogo. Ora, os sumos sacerdotes e todo ocairdes em tentação! Pois o espírito está Sinédrio procuravam um testemunho con-pronto, mas a carne é fraca". tra Jesus, para condená-lo à morte, masN - Jesus afastou-se de novo e rezou, re- não encontravam. Muitos testemunhavampetindo as mesmas palavras. Voltou outra falsamente contra ele, mas seus testemu-vez e os encontrou dormindo, porque seus nhos não concordavam. Alguns se levan-olhos estavam pesados de sono e eles não taram e testemunharam falsamente con-sabiam o que responder. Ao voltar pela tra ele, dizendo:terceira vez, Jesus lhes disse: T - "Nós o ouvimos dizer: Vou destruir esteJ - "Agora podeis dormir e descansar. Bas- templo feito pelas mãos dos homens, e em
  7. 7. três dias construirei um outro, que não será N - Aí Pedro começou a maldizer e a ju-feito por mãos humanas!" rar, dizendo:N - Mas nem assim o testemunho deles con- L4 - "Nem conheço esse homem de quemcordava. Então, o Sumo Sacerdote levan- estás falando".tou-se no meio deles e interrogou a Je- N - E nesse instante um galo cantou pelasus: segunda vez. Lembrou-se Pedro da pala-L2 - "Nada tens a responder ao que estes vra que Jesus lhe havia dito: "Antes quetestemunham contra ti?" um galo cante duas vezes, três vezes meN - Jesus continuou calado, e nada res- negarás". Caindo em si, ele começou apondeu. O Sumo Sacerdote interrogou-o chorar. Logo pela manhã, os sumos sa-de novo: cerdotes, com os anciãos, os mestres daL2 - "Tu és o Messias, o Filho de Deus Ben- Lei e todo o Sinédrio, reuniram-se e to-dito?" maram uma decisão.N - Jesus respondeu: Levaram Jesus amarrado e o entregaramJ - "Eu sou. E vereis o Filho do Homem sen- a Pilatos. E Pilatos o interrogou:tado à direita do Todo-Poderoso, vindo com L2 - "Tu és o rei dos judeus?"as nuvens do céu". N - Jesus respondeu:N - O Sumo Sacerdote rasgou suas vestes J - "Tu o dizes".e disse: N - E os sumos sacerdotes faziam muitasL2 - "Que necessidade temos ainda de tes- acusações contra Jesus. Pilatos o inter-temunhas? Vós ouvistes a blasfêmia! Que rogou novamente:vos parece?" L2 - "Nada tens a responder? Vê de quantaN - Então todos o julgaram réu de morte. coisa te acusam!"Alguns começaram a cuspir em Jesus. Co- N - Mas Jesus não respondeu mais nada,brindo-lhe o rosto, o esbofeteavam e dizi- de modo que Pilatos ficou admirado. Poram: ocasião da Páscoa, Pilatos soltava o pri-T - "Profetiza!" sioneiro que eles pedissem. Havia entãoN - Os guardas também davam-lhe bofe- um preso, chamado Barrabás, entre ostadas. Pedro estava embaixo, no pátio. bandidos, que, numa revolta, tinha come-Veio uma criada do Sumo Sacerdote, e, tido um assassinato. A multidão subiu aquando viu Pedro que se aquecia, olhou Pilatos e começou a pedir que ele fizessebem para ele e disse: como era costume. Pilatos perguntou:M - "Tu também estavas com Jesus, o L2 - "Vós quereis que eu solte o rei dos ju-Nazareno!" deus?"N - Mas Pedro negou, dizendo: N - Ele bem sabia que os sumos sacerdo-L4 - "Não sei e nem compreendo o que es- tes haviam entregado Jesus por inveja. Po-tás dizendo!" rém, os sumos sacerdotes instigaram a mul-N - E foi para fora, para a entrada do tidão para que Pilatos lhes soltassepátio. E o galo cantou. A criada viu Pedro, Barrabás. Pilatos perguntou de novo:e de novo começou a dizer aos que esta- L2 - "Que quereis que eu faça com o rei dosvam perto: judeus?"M - "Este é um deles". N - Mas eles tornaram a gritar:N - Mas Pedro negou outra vez. Pouco T - "Crucifica-o!"depois, os que estavam junto diziam no- N - Pilatos, querendo satisfazer a multi-vamente a Pedro: dão, soltou Barrabás, mandou flagelarT - "É claro que tu és um deles, pois és da Jesus e o entregou para ser crucificado.Galiléia". Então os soldados o levaram para dentro
  8. 8. do palácio, isto é, o pretório, e convoca- N - que quer dizer: "Meu Deus, meu Deus,ram toda a tropa. Vestiram Jesus com um porque me abandonaste?" Alguns dos quemanto vermelho, teceram uma coroa de es- estavam ali perto, ouvindo-o, disseram:pinhos e a puseram em sua cabeça. E co- T - "Vejam, ele está chamando Elias!"meçaram a saudá-lo: N - Alguém correu e embebeu uma espon-T - "Salve, rei dos judeus!" ja em vinagre, afixou-a na ponta de umaN - Batiam-lhe na cabeça com uma vara. vara e lhe deu de beber, dizendo:Cuspiam nele e, dobrando os joelhos, L3 - Deixai! Vamos ver se Elias vem tirá-loprostravam-se diante dele. Depois de zom- da cruz".barem de Jesus, tiraram-lhe o manto ver- N - Então Jesus deu um forte grito e expi-melho, vestiram-no de novo com suas pró- rou.prias roupas e o levaram para fora, a fim (Aqui se faz uma pausa e todos se ajoelham)de crucificá-lo. N - Neste momento a cortina do santuárioOs soldados obrigaram um certo Simão rasgou-se de alto a baixo, em duas par-de Cirene, pai de Alexandre e de Rufo, tes. Quando o oficial do exército, que es-que voltava do campo, a carregar a cruz. tava bem em frente dele, viu como JesusLevaram Jesus para o lugar chamado havia expirado, disse:Gólgota, que quer dizer "Calvário". L3 - "Na verdade, este homem era Filho deDeram-lhe vinho misturado com mirra, Deus!"mas ele não o tomou. Então o crucifica- N - Estavam ali também algumas mulhe-ram e repartiram as suas roupas, tirando res, que olhavam de longe; entre elas,a sorte, para ver que parte caberia a cada Maria Madalena, Maria, mãe de Tiagoum. Menor e de Joset, e Salomé. Elas haviamEram nove horas da manhã quando o cru- acompanhado e servido a Jesus quandocificaram. E ali estava uma inscrição com ele estava na Galiléia. Também muitaso motivo de sua condenação: "O Rei dos outras que tinham ido com Jesus a Jeru-Judeus". Com Jesus foram crucificados salém estavam ali.dois ladrões, um à direita e outro à es- Era o dia da preparação, isto é, vésperaquerda. do sábado, e já caíra a tarde.Os que por ali passavam o insultavam, ba-lançando a cabeça e dizendo: Então, José de Arimatéia, membro respei-T - "Ah! Tu que destróis o Templo e o re- tável do Conselho, que também esperavaconstróis em três dias, salva-te a ti mesmo, o Reino de Deus, cheio de coragem, veiodescendo da cruz!" a Pilatos e pediu o corpo de Jesus. PilatosN - Do mesmo modo, os sumos sacerdo- ficou admirado, quando soube que Jesustes, com os mestre da Lei, zombavam entre estava morto. Chamou o oficial do exér-si, dizendo: cito e perguntou se Jesus tinha morridoT - "A outros salvou, a si mesmo não pode há muito tempo. Informado pelo oficial,salvar! O Messias, o rei de Israel... que des- Pilatos entregou o corpo a José.ça agora da cruz, para que vejamos e acre- José comprou um lençol de linho, desceuditemos!" o corpo da cruz e o envolveu no lençol.N - Os que foram crucificados com ele Depois colocou-o num túmulo, escavadotambém o insultavam. Quando chegou o na rocha, e rolou uma pedra à entradameio-dia, houve uma escuridão sobre toda do sepulcro.a terra, até as três horas da tarde. Pelas Maria Madalena, e Maria, mãe de Joset,três da tarde, Jesus gritou com voz forte: observavam onde Jesus foi posto.J - "Eloi, Eloi, lamá sabactâni?" – Palavra da Salvação.

×