Your SlideShare is downloading. ×
0
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Apresentação da Direct Edge para a CVM em 29 de junho de 2012

1,359

Published on

Interessada em operar no Brasil, a Direct Edge mostra a sua opinião sobre um ambiente com mais de uma bolsa no Brasil.

Interessada em operar no Brasil, a Direct Edge mostra a sua opinião sobre um ambiente com mais de uma bolsa no Brasil.

Published in: Economy & Finance
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,359
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Concorrência nos Serviços de Negociação e Pós-negociaçãoBenefícios, desafios e oportunidadesApresentação para CVM – 29 de Junho de 2012
  • 2. Introdução & Overview O Relatório Oxera é profundo, abrangente e exato – O Brasil está claramente pronto para aceitar e se beneficiar da concorrência – A melhor abordagem tem início com concorrência nos serviços de negociação de ações – A introdução da concorrência deve refletir as condições únicas do Brasil As próximas etapas para reguladores e legisladores são claras – Estruturar, obrigatoriamente, o acesso à CBLC para as novas bolsas – Exigir uma supervisão contínua da empresa de corretagem por um único regulador – Promover o diálogo e a comunicação para facilitar a transição Com a abordagem certa, o custo da concorrência pode ser administrado – Fornecer diretrizes claras aos participantes do mercado o mais cedo possível – Exigir consolidação constante das funções do mercado de “utilidades” – Facilitar o trabalho da bolsa para ajudar na transição dos corretores e investidores 2
  • 3. Conclusões do Relatório Oxera O Brasil está claramente pronto para a concorrência das bolsas – Escala suficiente para várias bolsas concorrerem com eficiência – As regras de negociação na bolsa não representam um empecilho – As características peculiares do mercado ainda podem ser sustentadas A economia é um dos diversos benefícios da concorrência – Ajuda a atender as necessidades de uma maior gama de investidores – Grandes incentivos para inovar – Aumento potencial da liquidez, especialmente onde os mercados estão ligados O plano de transição deverá condicionar a análise de custo/benefício – No momento, poucos benefícios da concorrência CCP/CSD em relação aos custos – Evitar a duplicação de outras instalações onde existe economia de escala 3
  • 4. Recomendações chave da Oxera Introduzir imediatamente um monitoramento de preços e benchmarking – Fornece visibilidade de curto prazo nos atuais custos maiores – A Oxera afirma que isto “deverá ser, provavelmente, mais eficaz se as precondições necessárias para concorrência forem implementadas simultaneamente.” Preparar-se para um modelo de compensação de “acesso aberto” – Abrir a CBLC CCP/CSD aos concorrentes em bases justas – Modelo vertical de concorrência considerado caro e arriscado demais Abordar questões para respaldar o ambiente de várias bolsas – Função de regulação de mercado da BSM – Outras regulações “necessárias para garantir o bom funcionamento do mercado” • Dados de Mercado • Melhor Execução Relatório afirma que o status quo - “não fazer nada”- não é uma alternativa 4
  • 5. Perspectiva da Direct Edge O Relatório Oxera é profundo, abrangente e exato – A complexidade da análise não prejudica as conclusões – Os benefícios são claros, os custos dependem da implementação Recomendações compatíveis com a nossa abordagem pretendida – Operar como bolsa registrada de acordo com a Instrução nº 461 – Compensar e realizar todas as transações através da CBLC – Coordenar e sincronizar com a BVMF para facilitar a transição O espírito do relatório é compatível com nossos princípios de negócios – Introduz a concorrência, porém, incorpora o que faz o Brasil peculiar – Atuar como membro positivo, responsável e respeitoso do mercado – Evitar aumento de risco sistêmico ou operacional, sempre que possível 5
  • 6. O Caminho à Frente – Overview Os reguladores e os legisladores devem fornecer diretrizes claras – Isto permitirá que todos os participantes do mercado se preparem adequadamente – Pode estabelecer esquemas que evitem duplicações desnecessárias – Não há necessidade de clareza de detalhes, mas o caminho à frente deve estar claro A abordagem deve permitir a introdução da concorrência – Evitar condições desnecessárias num processo em evolução – O acesso ao atual CCP/CSD é a principal questão operacional – Deve se envolver onde houver falta de cooperação de mercado Os princípios devem levar em conta o custo/benefício – Consolidação constante das funções de utilidade e dos princípios estruturais – Manutenção dos níveis adequados de supervisão e regulação. A abordagem correta irá preservar a integridade 6 do mercado e controle dos custos
  • 7. O Papel da Regulação para Facilitar a Concorrência A concorrência não floresce sem apoio regulatório – Novos investimentos seriam desencorajados devido a riscos inaceitáveis – Aqueles que chegarem provavelmente não enxergarão os benefícios da coordenação voluntária – Os participantes do mercado seriam cautelosos não havendo certeza Garantir o acesso à CBLC é a primeira demonstração desta necessidade – “a entrada... De uma plataforma de negociação seria difícil, senão impossível, sem a colaboração da CBLC” [Oxera – grifo nosso] – Nosso trabalho para negociar o acesso numa base voluntária não teria sucesso Envolvimento pode equilibrar adequadamente as prioridades competitivas – Introduzir um cronograma claro para abrir o acesso à CBLC – Minimizar os problemas da BVMF na integração das câmaras de compensação – Coordenar esforços paralelos para preparar o mercado Sem a ação de reguladores, a concorrência não virá ao Brasil 7
  • 8. Concorrência e Compensação – Precedentes de Acesso Justo Canadá – Aquisição pela Maple do Grupo TMX e CDS – A presença de um CCP/CSD neutro foi um fator chave para impulsionar a concorrência – Um acesso justo e não discriminatório à compensação foi uma condição para que a Ontario Securities Commission e a CCB aprovassem a fusão Europa – NYX/DB1 Fusão e Compensação de Derivativos – A falta de oferta de acesso aos atuais contratos bastante negociados representou o principal fator de rejeição formal da fusão Austrália – Chi-X e acesso à Compensação ASX – O governo respaldou um acesso aberto à compensação sistemicamente importante e escritórios de liquidação de propriedade de uma bolsa monopolista – Concorrência introduzida com sucesso no fim de 2011 No mundo todo, um acesso justo à compensação é considerado essencial 8
  • 9. Perspectiva da Direct Edge É essencial um apoio da área regulatória para a concorrência – Os participantes do mercado podem gerir melhor seus planos estratégicos e táticos – O trabalho de coordenação e novas estruturas exigem tempo para serem desenvolvidos – Reduz custos de implementação e traz, mais cedo, benefícios para o mercado Exigir acesso aberto à CBLC o mais tardar em janeiro 2014 – Permite aos recém chegados concluir a integração da câmara de compensação – Concede um prazo amplo à CVM para preparação do participante do mercado – A cooperação precoce entre futuros concorrentes ajuda a evitar riscos Iniciar outros trabalhos de implementação em paralelo – Iniciar com princípios que podem ser sistematicamente aplicados – Promover diálogo ativo e contribuições dos participantes do mercado 9
  • 10. Princípios de Implementação Evitar abordagens “padrão” – Da mesma forma que o Brasil é único, também o é cada participante do mercado – Opções de baixo custo para aproveitar a concorrência estarão disponíveis – Os corretores poderão desenvolver suas soluções exclusivas à sua melhor conveniência Preservar as funções de “utilidade” da estrutura de mercado – MRP constantemente consolidado e outros mecanismos em todo o mercado – Variações Mínima de Apregoações (Tick Sizes) comuns, horários de mercado e funcionalidade dos leilões Permitir que as bolsas e os fornecedores facilitem a transição – Permitir a funcionalidade do encaminhamento bolsa para bolsa – Reconhecer que os fornecedores introduzirão produtos que ajudarão os corretores – Manter uniformes certos aspectos da estrutura do mercado Bons princípios de implementação diminuirão as 10 preocupações na transição
  • 11. Gestão dos Custos de Implementação Modelo de negócios de uma corretora determinará qualquer investimento – Permitir às corretoras se diferenciarem representa um benefício da concorrência – A concorrência entre bolsas permitirá que os corretores se diferenciem melhor – Os participantes do mercado não precisam de proteção, precisam de clareza Concorrência entre bolsas desencadeará concorrência entre fornecedores – As corretoras e os investidores encontrarão novas características nas atuais plataformas – Fornecedores de redes gerenciadas facilitarão a conectividade de baixo custo Exemplo: Direct Edge e Smart-Order Routing – As corretoras conseguirão o melhor preço em todas as circunstâncias – Serviços a serem oferecidos sem custo incremental – A Direct Edge assumirá os custos diretos da conexão e funcionalidade Custos relacionados com a concorrência podem ser 11 minimizados se a corretora assim o desejar
  • 12. Considerações sobre a Estrutura de Mercado Sincronizar os novos mercados às regras e práticas existentes – Horários do mercado, tamanhos mínimos, circuit breakers – O mercado de listing retém a função de leilão para garantir a formação de preço Estabelecer padrões do tamanho do mercado para uma melhor execução – Regras claras ou diretrizes com base em princípios para orientar as corretoras – Adequação durante a fase de entrada para facilitar a transição Desenvolver logo mecanismos para transparência dos preços/cotações – Opções para garantir ampla disponibilidade de dados • Utilidades da Indústria (Consolidated Tape Association – EUA) • Bolsa (TMX Group – Canadá) • Fornecedor Múltiplo (Austrália, Japão) Os aspectos básicos da estrutura de mercado não 12 devem ser incluídos na concorrência
  • 13. Considerações sobre a Integridade de Mercado A BSM deve continuar em seu papel principal de supervisão – Poderia continuar como subsidiária da BVMF ou como entidade independente – Vários modelos similares de alocação de custos poderiam ser explorados • Direct Edge Brasil BSM • BVMF • Outras bolsas registradas Manter a supervisão firme, reduzindo conflitos potenciais – As bolsas ainda mantém as funções essenciais de adequação – Autoridade única para coordenar as bolsas e auditar as corretoras Um único regulador é benéfico economicamente e 13 para a proteção do investidor
  • 14. Conclusão Os benefícios da concorrência são claros e alcançáveis – O Relatório Oxera fornece uma validação da concorrência entre bolsas – A concorrência pode ser introduzida preservando-se ao mesmo tempo as particularidades – A Direct Edge está pronta para contribuir de forma responsável É essencial um posicionamento definitivo sobre o acesso à compensação – Os participantes do mercado podem gerir melhor seus planos estratégicos e táticos – O tempo certo pode ainda permitir que todas as partes alcancem outros objetivos – A colaboração entre concorrentes futuros ajuda a evitar o risco na transição A abordagem correta deverá garantir um resultado ideal – Tornar as intenções conhecidas cedo e com clareza – Anunciar princípios básicos que controlam os custos e protegem os mercados – Fornecer flexibilidade que deverá amenizar qualquer preocupação sobre a transição A correta concorrência entre bolsas melhorará o mercado no Brasil 14
  • 15. Concorrência nos Serviços de Negociação e Pós-negociaçãoBenefícios, desafios e oportunidadesApresentação para CVM – 29 de Junho de 2012

×