Propriedades ópticas e restaurações anteriores em resinas compostas 2012 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Propriedades ópticas e restaurações anteriores em resinas compostas 2012 1

on

  • 3,992 views

Propriedades ópticas e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas

Propriedades ópticas e Restaurações Anteriores em Resinas Compostas

Statistics

Views

Total Views
3,992
Views on SlideShare
3,992
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
55
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Propriedades ópticas e restaurações anteriores em resinas compostas 2012 1 Presentation Transcript

  • 1. Prof. Ms. Guilherme TerraDentística Operatória Aplicada
  • 2.  Se refere ao comportamento de um corpo frente a incidência da luz. Sem a luz não existem cores, sendo ela a fonte de todas as cores. (ISAAC NEWTON apud HEGENBARTH, 1992)
  • 3.  As cores são classificadas com base em três dimensões. ◦ Matiz. ◦ Croma. ◦ Valor. Terra, G.
  • 4.  Antigamente se utilizava uma disposição de escala, a qual era baseada nas iniciais das palavras em inglês. U ( U n i v e r s a l ); Y ( Ye l l o w ); B ( B r o w n ); G ( G r a y ). ◦ A tendência foi a de não mais se utilizar esta forma de classificação.  Resultava em menos possibilidades estéticas.
  • 5.  Distingue uma A B C D família de cor de outra. Vermelho de amarelo ou verde de azul, por exemplo. Matiz é a primeira idéia, ou a mais genérica, ao se escolher uma cor qualquer. Terra, G.
  • 6.  ESCALA VITA ◦ Matiz A  Corresponde ao amarelo–amarronzado  Representa a maioria dos casos ◦ Matiz B  Corresponde ao amarelo com um pouco de marrom ◦ Matiz C  Corresponde ao cinza com pequena quantidade de marrom ◦ Matiz D  Corresponde ao rosa avermelhado com um pouco de marrom.
  • 7.  Característica que descreve a saturação ou intensidade de um determinado matiz. Simplificando, seria o quão forte ou fraca é uma determinada cor. Na escala de cores Vita Classical, o Identificado em pela croma é o número que segue a letra do numeração gradual matiz. da escala VITA. Terra, G.
  • 8.  Nos dentes naturais o croma é uma característica relacionada essencialmente à dentina. O esmalte age como um filtro, atenuando a percepção da cor dentinária. O croma aumenta de forma progressiva à medida em que a espessura de esmalte diminui. Terra, G.
  • 9.  Representa a luminosidade da cor. É a qualidade pela qual distinguimos uma cor clara de uma cor escura. O valor está relacionado à quantidade de pigmento branco existente. ◦ Se refere à quantidade de opacidade e/ou translucidez. Quanto mais branco o objeto, maior será o valor, pois uma maior quantidade de luz será refletida. Não está discriminado na escala Vita. ◦ Nos obriga a conhecer o comportamento dinâmico de cada marca e tipo de resina. Terra, G.
  • 10.  Translucidez Opacidade Fluorescência Opalescência Terra, G.
  • 11.  Translucidez e Opacidade ◦ Efeito que mede a quantidade de luz que passa pelo objeto. Terra, G.
  • 12.  Fluorescência: ◦ Capacidade de uma superfície emitir luz quando exposta a radiações do tipo raios ultravioleta (UV), raios catódicos ou raiosX. ◦ As radiações absorvidas (invisíveis ao olho Humano) transformam-se em luz visível. ◦ Característica natural da dentina. ◦ Sob luz de baixo comprimento de onda, o dente reflete cor azul-claro ou branco intenso. Terra, G.
  • 13.  Opalescência: ◦ Característica específica do Esmalte. ◦ Sob luz de alto comprimento de onda o esmalte reflete luz cinza azulado. Terra, G.
  • 14.  Profilaxia; Escala seca; Dentes úmidos; Não isolar dentes; Luz ◦ Sem luz do refletor. ◦ Ideal – luz natural.  MATIZ  SATURAÇÃO  LUMINOSIDADE
  • 15.  ESCALA VITA ◦ MATIZ  A, B, C e D. ◦ SATURAÇÃO  1 – 2 – 3 - 3,5 – 4 ◦ LUMINOSIDADE  CLAROS-B1, A1, B2, D2, A2  MÉDIOS-C1, C2, D4, A3, D3  ESCUROS-B3, A3.5, B4, C3, A4, C4
  • 16.  Espectrofômetro digital. ◦ Vita Easyshade
  • 17.  Cavidades menores que os dentes posteriores. Fator C mais favorável. ◦ Maior influência dos iluminantes. ◦ Maior exigência estética. Terra, G.
  • 18.  Aumento da área de esmalte no ângulo cavo- superficial. Proporciona uma melhor estética. A extensão deve ser de cerca de 0,5mm do limite de esmalte sadio. Apenas na vestibular. Terra, G.
  • 19.  Profilaxia. Seleção da cor. Isolamento da campo operatório. Remoção da cárie e preparo cavitário. Limpeza da cavidade. Terra, G.
  • 20.  Proteção do complexo dentino-pulpar. Aplicação de ácido fosfórico 37% por 15 seg. Lavagem e secagem. Aplicação do sistema de matriz ou fita de teflon. Aplicação do sistema adesivo e fotopolimerização. Terra, G.
  • 21.  Confecção da porção palatina com resina composta. Confecção dos lóbulos de desenvolvimento. Confecção da porção vestibular. Acabamento e polimento. ◦ Idealmente após 48 horas. Terra, G.
  • 22. Terra, G.
  • 23. Terra, G.
  • 24. Terra, G.
  • 25. Terra, G.
  • 26. Terra, G.
  • 27. Terra, G.
  • 28. Terra, G.
  • 29. Terra, G.
  • 30. Ácidofosfórico 37% Terra, G.
  • 31. Aplicar duascamadas deadesivo.Nãofotopolimerizarentre ascamadas.Leves jatos dear entre ascamadas. Terra, G.
  • 32. Terra, G.
  • 33. Terra, G.
  • 34. Terra, G.
  • 35. Terra, G.
  • 36. Terra, G.
  • 37. Prof. Ms. Guilherme Teixeira Coelho Terra  Especialista em Implantodontia e Dentística Mestre em Odontologia – Universidade Ibirapuera drguilhermeterra@yahoo.com.br