Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
2   Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do ProfissionalFarmacêutic...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoTR...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoEF...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoSí...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico A...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoAv...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoO ...
Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico  ...
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Resumos expandidos apresentados i confar   ufsj
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Resumos expandidos apresentados i confar ufsj

1,525

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
1,525
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Resumos expandidos apresentados i confar ufsj

  1. 1. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Avaliação da Atividade Antioxidante de Mentha sp.Sthéfane G. Araújo (IC)*, Marcela I. Morais (IC), Maria Eduarda A. Pinto (IC), Fernanda Viera Coelho (IC),Rodrigo Resende Ribeiro (PQ), Carlos Alan Cândido Dias Júnior (PQ), Luciana A. R. Santos Lima (PQ).*sthefanearaujo@hotmail.comCampus Centro-Oeste Dona Lindu - UFSJ, Rua Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis, MG, CEP:. 35501-296.Palavras chave: Mentha sp., atividade antioxidante, extratos. Introdução Et Hex DCM Ac But HE A família Lamiaceae possui distribuição 100cosmopolitana, incluindo cerca de 300 gêneros e 7500 90 % de inibição de DPPHespécies. No Brasil ocorrem 26 gêneros, com 80 1aproximadamente 350 espécies. 70 60 Os antioxidantes têm se tornado um tópico de 50progressivo interesse nos últimos anos e as 40publicações relativas a esse assunto quadruplicaram na 30 20última década. Vários dos compostos isolados na 10espécie estudada possuem enorme potencial para a 0atividade antioxidante, principalmente compostos 1 10 100 250 500fenólicos como os flavonóides. Desta maneira, a Concentrações (µg/mL) µespécie escolhida, além das atividades já conhecidas,será estudada quanto à atividade antioxidante, já que Gráfico 1: Atividade antioxidante do extrato eexistem poucos relatos na literatura sobre essa frações da espécie Mentha sp. 2atividade para esta planta. As plantas são uma fonte promissora de O extrato etanólico e as frações testadasantioxidantes naturais, pelo fato de apresentarem uma apresentaram atividade antioxidante em todas asgrande variedade de compostos. Dentre os diversos concentrações testadas. A fração butanólica (But) foi agêneros da família citada acima, considerou-se a que apresentou maior inibição de DPPH nahortelã (Mentha sp.) que é popularmente usada como concentração de 10 µg/mL.vermífugo, sendo utilizada também na culinária. Nas concentrações de 250 e 500 µg/mL, todas as amostras testadas apresentaram inibição maior que Metodologia 90%. A fração hexânica (Hex) foi a menos ativa, mas a atividade aumentou com o aumento da concentração. A planta foi coletada e macerada em etanol por Na concentração de 100 µg/mL, o extratodez dias. O solvente foi retirado em rotavapor, obtendo- etanólico (Et) e as frações acetato de etila (Ac) ese o extato etanólico (Et). Realizou-se então a partição butanólica (But) apresentaram atividade semelhante.do extrato etanólico, utilizando hexano, diclorometano, O gráfico mostra que em maioresacetato de etila e butanol, originando as frações concentrações, há maior inibição de DPPH, mas quehexânica (Hex), diclorometano (DCM), acetato de etila não há grande aumento desta, nas concentrações de(Ac), butanólica (But) e hidroetanólica (HE). Após a 100, 250, e 500 µg/mL.partição, o extrato e as frações foram submetidas aoensaio de atividade antioxidante de acordo com a 3 Conclusãometodologia proposta por Burda & Oleszek. As amostras foram solubilizadas com o A partir dos resultados obtidos, foi possívelsolvente padrão e diluições seriadas foram realizadas notar o significativo aumento da percentagem depara se obter as concentrações de 1, 10, 100, 250 e inibição do DPPH a partir do aumento das500 µg/mL. As amostras foram preparadas em triplicata concentrações das amostras testadas. A Mentha sp.e as leituras foram realizadas no comprimento de onda obteve bons resultados na atividade antioxidantede 517 nm, no intervalo de tempo de 30 minutos. comprovando o potencial que a família Lamiaceae pode O percentual de inibição do DPPH (ou a % da possuir neste aspecto.atividade antioxidante) foi calculado pela seguinte Existe a necessidade de um estudo maisfórmula: % de inibição do DPPH = 1 – Aa / Ab x 100, profundo para busca de mais detalhes desta atividade.onde Aa = absorbância da amostra e Ab = absorbânciada solução de DPPH. Agradecimentos Resultados e discussão Bolsista da Fapemig. Os resultados para o ensaio de atividade 1 Sousa V.C., Lorenzi, H. Botânica sistemática. Nova Odessa: Instituto Plantarum deantioxidante utilizando DPPH estão apresentados no Estudos da Flora Ltda., 2005, 640p.gráfico 1. 2Huang D., Ou B., Pnor R.L., Journal Agricultural Food Chemistry 2005, 53, 184. 3Burda S., Oleszek W. Journal Agricultural Food Chemistry 2001, 49, 2774.1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  2. 2. 2 Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do ProfissionalFarmacêutico Síntese e avaliação alelopática de nitroestirenos substituídos. 1 1 1Aline Salgado Reis (IC) , Marina Goulart da Silva (PG), João Máximo Siqueira (PQ) , Gustavo H. R. 1 1Viana(PQ) , José Augusto F. P. Villar (PQ) *.*zevillar@ufsj.edu.br.1 Universidade Federal de São João Del Rei, Av. Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis/ MG, 35501-296, Brasil.Palavras chave: Alelopatia, nitroestireno. hormônio de crescimento das plantas AIA (Ácido-3- Introdução indolacético), herbicida sintético 2,4-D (ácido 2,4 Alelopatia é comumente definido como um diclorofenóxiacético) e herbicida comercial (Glifosato). Os compostos que apresentaram maior inibiçãoefeito direto ou indireto, sendo de inibição ou estímulo foram: NE (2), PCl NE (3), PO NE (5) e 3OH NE (8).por uma planta, ou um microrganismo (alga, bactéria, Pode-se perceber que as diferentes porcentagens defungos, etc) produzido no meio ambiente ou em outro inibição se devem à variação dos substituintes no anelagente e por liberação de substâncias químicas aromático (Tabela 1).(geralmente metabólitos secundários)¹. Um dos alvos Tabela 1. Resultado de inibição dos principaismais importante dos estudos alelopáticos é a compostos.descoberta de herbicidas, que são ambientalmente etoxicologicamente mais seguros que os herbicidas Hipocótilo Cebola Radícula Cebolasintéticos usados atualmente na agricultura². % inibição % inibição -5 -4 -3 [10 ] [10 ] [10 ] [10-5] [10-4] [10-3] Resultados e discussão NE (2) 24 49,8 100 24,8 69,2 100 Neste trabalho foram sintetizados uma série de PCl NE (3) -7,1 23,3 100 28,6 51,5 100nitroestirenos com diferentes substituições no anel PO NE (5) 23,8 48,7 100 25,3 77,1 100aromático. Para síntese dos compostos foram utilizadasduas metodologias, a primeira, hidróxido de sódio em 3OH NE (8) 41,8 27,2 100 23,8 64,2 100MeOH/H2O e a segunda o AcNH4/MeNO2 (Esquema 1). Glifosato 4,3 48,1 49,9 10,4 51,8 86Os compostos sintetizados (Figura 1) foram obtidos em 2,4-D 4,6 24,8 100 100 100 100bons rendimentos, purificados e caracterizados por AIA -12 27,1 33,4 -14 26,9 32,5 1 13análises de RMN de H e C. O Hipocótilo Alface Radícula Alface NaOH, MeNO2, MeOH/H2O NO2 % inibição % inibição H ou AcNH4, MeNO2 [10-5] [10-4] [10-3] [10-5] [10-4] [10-3]R R NE (2) 21,7 100 100 22 100 100Esquema 1. Métodos de preparo dos nitroestirenos. PCl NE (3) -32,8 100 100 2,3 100 100 NO2 PO NE (5) 11,8 100 100 34,6 100 100 NO2 NO2 3OH NE (8) 23,5 8,7 100 30,8 34,7 100 Cl N Glifosato 13,6 23,3 57,3 25,5 69,8 84,1 PN NE (1) NE (2) PCl NE (3) 2,4-D 100 100 100 100 100 100 NO2 NO2 AIA 14,6 35,2 100 -2,3 -5,2 100 NO2 HO OO2N O Conclusão PNO2 NE (4) PO NE (5) POH NE (6) Os compostos sintetizados apresentaram bons níveis NO2 NO2 de inibição do crescimento das duas espécies O utilizadas. A comparação com os herbicidas comerciais O OH mostrou uma boa correlação. Cálculos de densidade O eletrônica estão sendo feitos para fazer uma análise MONO NE (7) 3OH NE(8) mais apurada da estrutura/atividade.Figura 1. Compostos sintetizados. Agradecimentos Os ensaios de avaliação da atividade FAPEMIG, CNPQ, UFSJ, UFPR.alelopática foram realizados com sementes de 1 Taiz, L.; Zeiger, E. Fisiologia Vegetal. 3 ed. Porto Alegre: Editora Artmed, (2002).dicotiledônea (Lactuva sativa) e monocotiledôneas 2 Macias, F. A., Castellano, D., Molinillo, J. M. G. J. Agric. Food Chem. 2000, 48,(Allium cepa), sendo avaliado o crescimento da radícula 3 2512.e do hipocótilo . Diferentes concentrações e condições 3 Rodrigues, P. R. Dissertação de Mestrado. UFMS (2009)pré-estabelecidas foram utilizadas, além doacompanhamento com branco e controle positivo,1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 22010.
  3. 3. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Síntese e atividade antimalárica de chalconas e flavonas. 1 1 2Amanda T. Ouchida (IC) , Ludmila O. Andrade (IC) , Renata C. de Paula (PG) , Alaíde Braga de Oliveira 2 1 1(PQ) , Fernando P. Varotti (PQ) , José Augusto F. P. Villar (PQ) *. *zevillar@ufsj.edu.br1 Laboratório de Síntese Orgânica – Universidade Federal de São João del-Rei – Campus Centro Oeste Dona Lindu / Av.Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Chanadour, Divinópolis/MG – CEP: 35501-296 .2 Departamento de Produtos Farmacêuticos – Faculdade de Farmácia - Universidade Federal de Minas Gerais, Av. AntônioCarlos, 6627, Belo Horizonte/MG, 31270-901, Brasil.Palavras chave: Chalconas, síntese, antimaláricos. Introdução O O PTSA, MeOH/H2O A malária é a principal doença parasitária de 76% O OH Cl HO OH Clgrande crescimento no mundo, e uma das mais O (4a) (5)preocupantes para a saúde pública em regiões tropicais [1]e subtropicais . Além disso, a evolução contínua daresistência do parasita à drogas é um sério dilema e, Figura 2- Desproteção de 4a.assim, a pesquisa de novos avanços na quimioterapiaantimalárica é um problema vital. Com exceção da As chalconas (4a-e) e (5) tiveram a suaartemisina e seus derivados para o tratamento da atividade antimalárica in vitro avaliadas pelo teste demalária, há medicamentos efetivamente utilizados incorporação de hipoxantina-[H3] contra uma cepacontra malária, porém estes têm uma toxicidade cloroquina-resistente de P. falciparum (clone W2) esignificativa e apresentam vários efeitos secundários. apresentaram uma redução significativa da parasitemiaRecentemente, uma série de chalconas e derivados em duas concentrações 25 e 50 µg/mL variando de 47têm sido previamente sintetizados e identificados como a 100%. [2,3]potenciais antimaláricos . O objetivo deste trabalho é Como perspectiva futura desse trabalho,a síntese de hidroxi-chalconas e a realização de pretendemos realizar a hidrólise das demais chalconasensaios antimaláricos. e realizar modificações estruturais para potencializar a atividade antimalárica. A estratégia sintética é utilizar Resultados e discussão essas chalconas como intermediário chave na síntese de flavonóides (Figura 1). A partir do resorcinol (1) foi sintetizado aresacetofenona (2) através da reação de acilação O R1 O R4utilizando o sistema ZnCl2/AcOH em 63%. Na etapa R2seguinte, (2) foi protegido com 3,4-dihidro-2H-pirano HO O O OH R3(DHP), utilizando PPTS/CH2Cl2, obtendo (3) em 77%. R1 R3 OEm seguida (3) foi submetido à reação de condensação R2aldólica com diferentes aldeídos aromáticos (Esquema1). Os compostos (4a-e) foram purificados por Figura 1.cromatografia em coluna ou recristalização e 1 13analisados por RMN de H e C. O rendimento destes Conclusãocompostos variou entre 75 e 80%. A síntese das chalconas (4a-e) e (5) foi realizada O com sucesso e outras moléculas com substituição no O anel B estão sendo preparadas. Pretendemos agora AcOH, ZnCl2 DHP, PPTS O OH realizar a síntese de novos compostos e avaliar aHO OH 63% HO OH CH2Cl2, 77% O estrutura/atividade. (1) (2) (3) O R1 Agradecimentos R2 4a - R1 = R2 = H, R3 = Cl NaOH, MeOH 4b - R1 = R2 = H, R3 = F FAPEMIG, CNPq, UFSJ e UFPR. O OH R3 4c - R1 = R2 = H, R3 = H 1 Valla, A.; Valla, B.; Cartier, D.; Le Guillou, R.; Labia,R.; Potier, P. European 70 - 80% 4d - R1 = R2 = H, R3 = OH O 4e - R1 = Cl, R2 = Cl, R3 = H Journal of Medicinal Chemistry. 2006, 46, 142–146. 2 Domı´ngueza,J., Charrisa, J., Loboa, L., Gamboa, N., Rosenthale, P. European Journal of Medicinal Chemistry. 2001, 36, 555-560.Esquema 1. Rota de síntese das chalconas. 3 Zdzis1awa Nowakowska. European Journal of Medicinal Chemistry. 2007, 42, 125- 137. A chalcona (4a) foi desprotegida utilizandosistema PTSA/MeOH, obtendo-se (5) em 75%, umsólido amarelo (Esquema 2)..
  4. 4. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoTRANSPORTE GASOSO EM ERITRÓCITOS IRRADIADOS: O EFEITO DAESTOCAGEM DE HEMOCONCENTRADOS IRRADIADOSDaniele C. d’ Ávila (IC), Hérica L. Santos (PQ), Leandro A. Barbosa (PQ)*Email: leaugust@yahoo.com.brLaboratório de Bioquímica Celular, Universidade Federal de São João del Rei, Campus Centro-Oeste Dona Lindú, Divinópolis.Palavras chave: radiação gama, Na,K-ATPase, membrana eritrocitária mantendo-se praticamente constante com o tempo de Introdução estocagem.O uso da irradiação de produtos derivados do sangue A concentração de oxi-hemoglobina não sofreuutilizando radiação-γ, inativa linfócitos T, que são as alteração pelo processo de irradiação e nem decélulas responsáveis pela doença enxerto versus estocagem.hospedeiro, prevenindo assim o desenvolvimento dapatologia. Apesar da importância da irradiação comomeio preventivo, trabalhos prévios na literatura Uma forma de geração de meta-hemoglobina é odemonstraram que a irradiação de concentrados de processo de peroxidação causada por radicais livres.hemácias induz um aumento da concentração Para verificarmos se a irradiação causa esse processo +plasmática de K com o tempo de estocagem. nós realizamos ensaios de TBARS na membranaA validade de hemoconcentrados irradiados prevista eritrocitária. Ocorreu um aumento significativo deem portaria da ANVISA é de 28 dias após a irradiação. formação de TBARS na amostra irradiada,É necessário estudos para verificar se o tempo de demonstrando que o processo de irradiação provocouestocagem interfere diretamente na dinâmica do peroxidação lipídica na membrana plasmática dostransporte gasoso o que pode levar a produção de eritrócitos irradiados. O grau de desnaturação da hemoglobina pelo processoprotocolos específicos para utilização de de irradiação não apresentou mudanças significativas.hemoconcentrados irradiados. Foi verificado um grau de hemólise acentuado nos eritrócitos irradiados, ocorrendo um efeito acumulativo Metodologia com o tempo de estocagem, passando de 20% a mais o oBolsas de sangue irradiadas com 25Gy de radiação-γ no 3 de estocagem para 40% a mais no 11 dia deforam utilizadas para os experimentos de dosagem de estocagem.hemoglobina, oxi-hemoglobina, meta-hemoglobina,grau de hemólise, desnaturação da hemoglobina edosagem de TBARS. As bolsas de sangue foram Conclusãoseparadas em 2 unidades: controle, irradiada e foram Nossos resultados preliminares apontam para um oestocadas por 14 dias em 4 C. As alíquotas para os aumento discreto da meta-hemoglobina em eritrócitosexperimentos foram retiradas sob condição estéreis. irradiados em combinação com o período deA dosagem de hemoglobina, oxi-hemoglobina e met- estocagem. Entretanto, não houve modificação dahemoglobina foram realizadas a partir da metodologia desnaturação da hemoglobina e nos níveis de oxi-de complexação com ferrocianeto de potássio e cianeto hemoglobina.de potássio, com leitura em espectrofotômetro a 540- A irradiação causou um aumento considerável na630nm. hemólise dos eritrócitos. Tanto a hemólise quanto oO grau de hemólise foi realizado através da dosagem processo de formação de meta-hemoglobina podemde hemoglobina livre no plasma comparada a dosagem estar relacionados com o aumento da peroxidação porde hemoglobina total dos eritrócitos lisados em tampão radicais livres, visualizados pelos níveis aumentando defosfato, com leitura em espectrofotômetro a 522nm. TBARS.Para a desnaturação da hemoglobina foi realizado umalise eritrocitária com água destilada e complexação com Agradecimentosferrocianeto, com leitura em espectrofotômetro a 500- FAPEMIG, CAPES, HEMOMINAS563nm. Resultados e discussãoA dosagem de meta-hemoglobina mostrou uma maiorconcentração nas hemácias irradiadas nos dias inicais1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  5. 5. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Projeto multidisciplinar sobre a prevalência da esquistossomose mansônica em escolares de Divinópolis: fatores de risco e alvos vacinaisAutores: Karina Santana* (IC), Bianca Cardoso (IC), Camila Rossignoli (IC), Flávia Mendonça (IC), FrancielliAraújo (IC), Igor Brito (IC), Ihan Rabelo (IC), Thiago Oliveira (IC), Kayo Pêgo (IC), Larissa Rodrigues (IC),Karla Oliveira (PQ), Karla Sbampato (PQ), Gisele Rebelato (PQ), Débora Lopes (PQ)karinasantanamg@gmail.comPalavras chave: Schistossoma mansoni, kato-katz, vacina. Introdução • Mapeamento das áreas de risco A esquistossomose faz parte da lista das • Identificação dos Grupos de Saúde localizados nasprincipais doenças negligenciadas em todo o mundo. áreas de risco e implementação de um programaNo Brasil estima-se que existam aproximadamente 7 de educação e prevenção contra amilhões de pessoas infectadas. A doença é esquistossomosedisseminada em todo o território nacional e em • Identificação de escolares infectadosespecial na região centro-oeste de Minas Gerais, • Encaminhamento para a equipe de saúde 1onde está situada a microrregião de Divinópolis . A responsávelquimioterapia é hoje considerada a principal forma de • Busca de alvos vacinais contra ocontrole da doença, entretanto, as altas taxas de parasitoreinfecção sugerem a necessidade da implantação Resultados e discussãode novos métodos de intervenção, como porexemplo, os programas de monitoramento e O estudo encontra-se em andamento. Até ovigilância juntamente com a pesquisa básica, momento foram visitadas a Escola Municipal Donadesenvolvimento de novas tecnologias (vacinas) e Maria Rosa e a Escola Municipal José Quintinoparticipação ativa da sociedade. Lopes. Não foram identificados casos de infecção por O estudo está inserido no Programa de Schistosoma mansoni através dos examesEducação pelo Trabalho em Saúde – Vigilância em parasitológicos realizados via método kato-katz.Saúde (PET-Saúde/VS) e visa determinar a Porém, foi identificado via inquérito sócio-econômicoprevalência e o levantamento dos fatores de risco que alguns escolares vivem em situação de riscoassociados à esquistossomose em escolares de para esquistossomose. Além disso, foramDivinópolis, implementar ações de vigilância e identificadas outras parasitoses nos escolares.educação através da articulação ensino e extensão e necessária a implementação de umavaliar a reatividade do soro de pacientes programa de educação quanto aos fatores de riscocontaminados com potenciais alvos vacinais já para esquistossomose e hábitos higiênicos. É deidentificados. fundamental importância também o desenvolvimento de políticas públicas e melhorias no saneamento Metodologia básico. Levantamento sócio-econômico e Conclusão identificação de comportamentos de risco em escolas do município de Divinópolis - MG O estudo tem impacto potencial para o sistema de vigilância da microrregião e à comunidade pois além de informar os casos encontrados, traça os Coleta de material para exame parasitológico principais pontos de risco dos municípios estudados, evitando assim, novas contaminações. Além disso, contribui no processo de conscientização levando mudanças no comportamento dos indivíduos, Pesquisa de ovos de Schistosoma facilitando ações de controle dos parasitos em mansoni pelo método kato-katz populações de maior risco. Agradecimentos Identificação da espécie de caramujo presente nas coleções hídricas Avaliação da presença de cercárias 1IBGE. (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Censo 2009. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/censo/>. Acesso em: 09.04.2007.1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  6. 6. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoEFEITO DA RADIAÇÃO GAMA NA MEMBRANA ERITROCITÁRIA E NA Na,K-ATPase *Grazielle AS Maia (PG), Camila Zambalde (IC), Leandro A Barbosa (PQ), Hérica L Santos (PQ)Email: hlima@ufsj.edu.brLaboratório de Bioquímica Celular, Universidade Federal de São João del Rei, Campus Centro-Oeste Dona Lindú, Divinópolis.Palavras chave: radiação gama, Na,K-ATPase, membrana eritrocitária ferro, entretanto, no ghost houve um aumento de Introdução o 20% a partir do 7 dia de estocagem que se manteve oO uso da irradiação de produtos derivados do sangue constante até o 14 dia. No plasma ocorreu um efeitoutilizando radiação-γ, inativa linfócitos T, que são as semelhante, mas em uma magnitude maior, com um o océlulas responsáveis pela doença enxerto versus aumento de 26% no 3 dia, 59,6% no 7 dia e 400% ohospedeiro, prevenindo assim o desenvolvimento da no 14 dia, mostrando claramente um efeito aditivopatologia. Apesar da importância da irradiação como com o tempo de estocagem.meio preventivo, trabalhos prévios na literatura Um dos efeitos da peroxidação por radicais livres é odemonstraram que a irradiação de concentrados de processo de peroxidação lipídica. Esse processohemácias induz um aumento da concentração pode levar a uma diferença do conteúdo lipídico da +plasmática de K . Por essa razão é interessante membrana plasmática. Apenas foi visualizadascompreender os danos gerados pela irradiação na o mudanças no colesterol a partir do 14 , ocorrendomembrana eritrocitária em relação a estocagem dos aumento do colesterol plasmático em 24% e nahemoconcentrados, possibilitando um melhor membrana eritrocitária uma diminuição de 18%,controle de qualidade. demonstrando um efeito de depleção lipídica da membrana eritrocitária pela irradiação. Metodologia O microambiente de membrana pode alterar a atividade da Na,K-ATPase. Uma vez que foiBolsas de sangue irradiadas com 25Gy de radiação-γ visualizado mudanças no perfil lipídico, experimentosforam utilizadas para os experimentos de dosagem foram realizados para verificar a atividade da bomba. +3de ferro oxidado (Fe ), colesterol, e atividade da Foi verificado uma diminuição progressiva daNa,K-ATPase. As bolsas de sangue foram separadas atividade da Na,K-ATPase com o tempo deem 2 unidades: controle, irradiada e foram estocadas estocagem, diminuindo sua atividade em 12% no 7 o opor 14 dias em 4 C. As alíquotas para os o dia e 40% no 14 dia.experimentos foram retiradas sob condição estéreis.A dosagem de ferro oxidado foi realizada por Conclusãocomplexação com KSCN e medido em Os efeitos da radiação gama nos eritrócitosespectrofotômetro a 480nm. A dosagem de demonstraram um maior nível de peroxidação comcolesterol foi realizada a partir da metodologia do uma reorganização do conteúdo lipídico dacolesterol oxidase e medido em espectrofotômetro a membrana eritrocitária, demonstrado pelo menor500nm. conteúdo de colesterol.Para a dosagem da Na,K-ATPase foi realizada Provavelmente esse efeito no perfil lipídico estápreparação de membrana de eritrócitos (ghosts). A influenciando a atividade da Na,K-ATPase emesma quantidade de proteína foi utilizada para os modulando o controle iônico dos eritrócitosexperimentos e para obtenção da atividade irradiados.especifica da Na,K-ATPase foi realizada a dosagemda liberação de fosfato inorgânico total e tratada com Agradecimentosouabaína (inibidor específico da bomba),representando a diferença a atividade total da Na,K- FAPEMIG, CAPES, HEMOMINASATPase. A medição do fosfato inorgânico foi feita apartir da complexação com molibdato de amônia elida em espectrofotômetro a 355nm. Resultados e discussãoOs níveis de ferro oxidado são uma medição indiretado processo de peroxidação causada por radicaislivres. Foram realizadas medições em 3 condições:no sangue total, plasma e no ghost. No sangue totalnão houve mudanças significativas dos níveis de1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  7. 7. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoSíntese e avaliação alelopática de nitroestirenos substituídos. 1 1 1Aline Salgado Reis (IC) , João Máximo Siqueira (PQ) , Gustavo H. R. Viana(PQ) , José Augusto F. P. Villar 1(PQ) *.*zevillar@ufsj.edu.br.1 Universidade Federal de São João Del Rei, Av. Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis/ MG, 35501-296, Brasil. Hipocótilo Cebola Radícula Cebola Resultados e % inibição % inibição -5 -4 -3 -5 -4 -3 discussão [10 ] [10 ] [10 ] [10 ] [10 ] [10 ] NE (2) 24 49,8 100 24,8 69,2 100 Os compostos que PCl NE (3) - 23,3 100 28,6 51,5 100 apresentaram maior PO NE (5) 23,8 48,7 100 25,3 77,1 100 inibição foram: NE (2), 3OH NE (8) 41,8 27,2 100 23,8 64,2 100 PCl NE (3), PO NE (5) Hipocótilo Alface Radícula Alface e 3OH NE (8). Pode- % inibição % inibição se perceber que as [10-5] [10-4] [10-3] [10-5] [10-4] [10-3] diferentes NE (2) 21,7 100 100 22 100 100 porcentagens de PCl NE (3) - 100 100 2,3 100 100 inibição se devem à variação dos PO NE (5) 11,8 100 100 34,6 100 100 substituintes no anel 3OH NE (8) 23,5 8,7 100 30,8 34,7 100 aromático. Tabela 1. Resultado de inibição dos principais Introdução compostos. Alelopatia é comumente definidocomo um efeito direto ou indireto, sendo de inibiçãoou estímulo por uma planta, ou um microrganismo(alga, bactéria, fungos, etc) produzido no meioambiente ou em outro agente e por liberação desubstâncias químicas (geralmente metabólitossecundários)¹. Um dos alvos mais importante dosestudos alelopáticos é a descoberta de herbicidas,que são ambientalmente e toxicologicamente maisseguros que os herbicidas sintéticos usadosatualmente na agricultura². Metodologia Neste trabalho foram sintetizados uma sériede nitroestirenos com diferentes substituições no Conclusãoanel aromático. Para síntese dos compostos foramutilizadas duas metodologias, a primeira, hidróxido de Os compostos sintetizados apresentaram bons níveissódio em MeOH/H2O e a segunda o AcNH4/MeNO2. de inibição do crescimento das duas espéciesOs compostos sintetizados foram obtidos em bons utilizadas. A comparação com os herbicidasrendimentos e analisados por análises de RMN de H 1 comerciais mostrou uma boa correlação. Cálculos de 13e C. densidade eletrônica estão sendo feitos para fazer Os ensaios de avaliação da atividade uma análise mais apurada da estrutura/atividade.alelopática foram realizados com sementes dedicotiledônea (Lactuva sativa) e monocotiledôneas Agradecimentos(Allium cepa), sendo avaliado o crescimento da FAPEMIG, CNPQ, UFSJ, UFPR.radícula e do hipocótilo. Diferentes ¹ Taiz, L.; Zeiger, E. Fisiologia Vegetal. 3 ed. Porto Alegre: Editora Artmed,concentrações e condições pré-estabelecidas foram (2002).² Macias, F. A., Castellano, D., Molinillo, J. M. G. J. Agric. Food Chem.utilizadas, além do acompanhamento com branco e 2000, 48, 2512.controle positivo, hormônio de crescimento dasplantas AIA (Ácido-3-indolacético), herbicida sintético2,4-D (2,4 diclorofenóxiacético) e herbicida comercial(Glifosato).1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  8. 8. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico EDUCAÇÃO EM SAÚDE: AÇÕES INTEGRADAS PARA PROMOÇÃO DA SAÚDE DA CRIANÇA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE DIVINÓPOLIS-MG*Prisciana Mayumi Dias Koga (IC), Valeriana Valadares Pereira (PG), Letícia Gonçalves R. Ferreira (TC), LeandroH. S. Maximiano (IC), Soraya M. F. de Oliveira (IC), Marina L. S. Leite (IC), Diego A. G. Sousa (IC), MarceloDonizete Lopes, Bruno Tonelli Elisei (IC), Jacqueline Domingues Tibúrcio, (PQ), Eduardo Sergio da Silva (PQ).mayumidkoga@hotmail.comPalavras-chave: Enteroparasitoses, Diagnóstico parasitológico. pelo complexo Entamoeba histolytica/Entamoeba dispar Introdução com 4,39% (28/637). No caso dos helmintos:A implementação do Programa de Educação pelo Enterobius vermicularis 0,47% (3/637), AscarisTrabalho para a Saúde - PET: “Educação Em Saúde e lumbricoides 0,16% (1/637), Stongyloides stercoralisMeio Ambiente: Ações Integradas para Promoção da 0,16% (1/637), Trichuris trichiura 0,16% (1/637),Saúde da Criança nas Escolas Municipais de Ensino Ancylostomidae 0,16% (1/637), Hymenolepis nanaFundamental da Rede Municipal Urbana de Divinópolis” 0,16%(1/637).busca o estabelecimento de uma relação entre aUniversidade e outros setores da sociedade. O objetivodo projeto é a prevenção e identificação da prevalênciadas enteroparasitoses. MetodologiaOs responsáveis pelas crianças que concordam emparticipar do projeto assinam um termo deconsentimento e preenchem um questionário, conformeaprovação pelo Comitê de Ética: parecer número56/2009. Todas as amostras são transportadas, para o ConclusãoLaboratório de Parasitologia do CCO/UFSJ, onde são A participação dos pais ou responsáveis das criançasprocessadas pelo método de sedimentação no estudo tem apresentado pouca adesão. É nítidoespontânea, para pesquisa de parasitos em também a dificuldade para a coleta das amostras demicroscópio óptico, com quatro leituras para cada fezes, justificada muitas das vezes por esquecimento,amostra. Aqueles alunos que apresentam exame perda do pote, vergonha. Os parasitos intestinaispositivo, é encaminhado para avaliação e tratamento. patogênicos mais freqüentes são Giardia lamblia e oTrabalha-se a educação em saúde através de palestras complexo Entamoeba histolytica/Entamoeba dispar. Noe teatros. caso dos helmintos o Enterobius vermicularis é o mais freqüente 0,47%(3/637).As próximas etapas do estudo Resultados e Discussão serão a diferenciação entre a E. histolytica e E. disparO projeto teve início em junho de 2009 e até o por métodos imunológicos e de biologia molecular quemomento foram estudadas cinco escolas com um total é fundamental para o manejo clínico de pacientes ede 1800 crianças matriculadas. No entanto a adesão adoção de medidas de prevenção.para participação do projeto ocorreu em apenas 800alunos. Destes apenas 637 entregaram o pote com as Agradecimentosfezes. A freqüência dos protozoários encontradas namicroscopia foram Entamoeba coli 15,54% (99/637),Giardia lamblia com 11,46% (73/637) de casos, seguido1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  9. 9. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Análise molecular do vírus do Dengue em pacientes suspeitos do Hospital São Judas Tadeu, Divinópolis (MG)Autores: Laíse Sofia de Macedo Rodrigues (IC), Karine Evangelista Lima (IC), Leandro César da Silva (IC),Debora de Oliveira Lopes (PQ), Rosângela Franco Guedes (PQ), Álvaro Cantini Nunes (PQ), Jaqueline MariaSiqueira Ferreira (PQ), Luciana Lara dos Santos (PQ)*.*llaramg@hotmail.comPalavras chave: Dengue, diagnóstico molecular. PCR foram, Centro (34%), Bom Pastor (18%) e São Introdução José (18%).Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), adengue é considerada a arbovirose de maiorrelevância em todo o mundo. O vírus causador da Entre os casos confirmados 02 (9%) apresentavam 1doença pertence à família Flaviviridae, que tem o dia de sintomas, 08 (35%) 2 dias, 07 (30%) 3 dias, 05RNA como seu material genético, sendo transmitido (22%) 4 dias e 01 (4%) 6 dias de sintomas. Osao homem pelo mosquito-vetor Aedes aegypti. No sintomas mais prevalentes nos casos confirmadosBrasil, atualmente, circulam quatro sorotipos do foram febre, cefaléia, mialgias, artralgia, dorvírus, DEN-1, DEN-2, DEN-3 e DEN-4. Devido ao retroocular, prostração, sonolência e extremidadesaumento significativo de casos nestes últimos anos, frias. As ocorrências de dor abdominal, vômitos,especialmente em Minas Gerais, medidas profiláticas hipotermia e pequenas hemorragias (petéqueas)e a busca de um melhor diagnóstico clínico e foram também associadas, embora com uma menorlaboratorial vêm sendo alvo de pesquisas. Portanto, o prevalência. Coletas do soro de pacientes suspeitosobjetivo desse estudo consiste na detecção viral,baseando-se nas técnicas de biologia molecular em serão retomadas no primeiro trimestre do próximoamostras de sangue de pacientes suspeitos de ano e os estudos de tipagem do vírus dos soro-dengue no município de Divinópolis, MG. positivos já foram iniciados. Metodologia ConclusãoForam coletadas amostras de sangue de 80 Observa-se um grande número de casospacientes com suspeita de dengue no Hospital São confirmados na região central (34%) da cidade deJudas Tadeu, na cidade de Divinópolis no primeiro Divinópolis, em concordância com os dados detrimestre de 2010. Informações como idade, sexo, notificação de dengue da Vigilância epidemiológica.bairro de residência, sintomas presentes e dias de Os sintomas mais freqüentes entre os pacientessintomas, foram obtidas dos pacientes. As amostras confirmados são febre, cefaléia, mialgia, artralgia, dorbiológicas foram processadas da seguinte forma: retroocular e prostração. Dentre as amostrasseparação do soro, extração de RNA viral com o negativas, não se pode afirmar a ausência do vírus,QIAGEN - QIAamp RNA viral KIT, transformação do já que foram coletadas com até oito dias deRNA em cDNA pela técnica de RT-PCR seguida de sintomas, levando a redução significativa da viremiaPCR para amplificação do produto de 511 pb do e a não detecção viral em alguns casos. Foivírus. Os primers utilizados foram descritos por observado que entre os positivos os dias de sintomasLanciotti e cols., 1992. A visualização do produto mais prevalentes são inferiores a seis, confirmando aamplificado foi feita através da técnica de eficiência da técnica na detecção precoce da viremiaeletroforese, com gel de poliacrilamida 8% corado em comparação ao diagnóstico sorológico. Acom nitrato de prata. sorotipagem, a ser realizada posteriormente, será necessária para indicar o perfil dos sorotipos circulantes na cidade de Divinópolis e gerar dados Resultados e discussão para futuras intervenções.Das 80 amostras coletadas, 75 já foram testadaspelas técnicas de biologia molecular, sendo Agradecimentosposteriormente classificadas como negativas epositivas. Dentre as amostras analisadas, 23 (31%) Ao Hospital São Judas Tadeu e ao Laboratórioforam positivas e 52 (69%) negativas. Entre os ClinLab em Divinópolis que nos permitiu a coleta depacientes que tiveram a confirmação do vírus, 07 amostras e dados de seus pacientes.eram do sexo masculino (31%) enquanto, 16 eramdo sexo feminino (69%). Em relação à faixa etária, 12 LANCIOTTI, R.S et al. Rapid Detection and Typing ofdo total de positivos (52%) tinham de 12 a 30 anos Dengue Viruses from Clinical Samples by Using Reversede idade, 07 (31%) tinham de 31 a 60 anos e 04 Transcriptase-Polymerase Chain Reaction . Journal of(17%) acima de 60 anos. Os bairros do município em Clinical Microbiology, v. 30, n. 3, Mar. 1992, p. 545-551.que um maior número de casos confirmados por RT-1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  10. 10. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Avaliação da Atividade Antioxidante de Smilax cissoidesFernanda Vieira Coelho (IC) *, Sthéfane G. Araújo (IC), Maria Eduarda A. Pinto (IC), Marcela I. Morais (IC),Carlos Alan Cândido Dias Júnior (PQ), Luciana A. R. Santos Lima (PQ). *fernandavcoelho@hotmail.com.1 Campus Centro-Oeste Dona Lindu - UFSJ, Rua Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis, MG, CEP:. 35501-296.Palavras chave: Smilax, atividade antioxidante, extratos. Introdução µg/mL e de 100 para 250 µg/mL, sendo que de 1 para 10 µg/mL e de 250 para 500 µg/mL, este aumento não A família Smilacaceae possui distribuição foi tão significativo.predominante nos climas tropical e subtropical,incluindo dois gêneros e cerca de 300 espécies, quase Et Hex DCM Ac But HEtodas pertencentes à Smilax. No Brasil, apenas ogênero Smilax é encontrado, com aproximadamente 30 100 90espécies, conhecidas popularmente como salsaparrilha % de inibição de DPPH 80ou japecanga, encontradas em bordas de florestas 70menos úmidas, particularmente em cerradões e 60 50 1florestas estacionais . 40 Acredita-se que os antioxidantes absorvidos a 30 20partir dos alimentos vegetais, incluindo substâncias 10polifenólicas, vitaminas E e C e carotenóides são 0efetivos na prevenção dessas doenças relacionadas 1 10 100 250 500com o estresse oxidativo. Assim, é de grande interesse, Concentrações (µg/mL) µa nível medicinal e nutricional, o conhecimento da Gráfico 1: Atividade antioxidante do extrato ecapacidade antioxidante dos constituintes dos frações da espécie Smilax cissoides.alimentos e chás que consumimos. Neste contexto, osantioxidantes têm se tornado um tópico de progressivo As frações diclorometano (DCM) e butanólicainteresse nos últimos anos e as publicações relativas a 2 (But) apresentaram atividade semelhante ao extratoesse assunto quadruplicaram na última década. etanólico (Et). Metodologia As frações acetato de etila (Ac) e hidroetanólica (HE) apresentaram atividade semelhante nas A planta foi coletada e macerada em etanol por concentrações de 100, 250 e 500 µg/mL, merecendodez dias. O solvente foi retirado em rotavapor, obtendo- destaque as duas últimas com porcentagem de inibiçãose o extato etanólico (Et). Realizou-se então a partição maior que 90%.do extrato etanólico, utilizando hexano, diclorometano, A fração hexânica (Hex) foi a que teve menoracetato de etila e butanol, originando as frações atividade entre as amostras testadas, mas atividadehexânica (Hex), diclorometano (DCM), acetato de etila aumentou com o aumento da concentração.(Ac), butanólica (But) e hidroetanólica (HE). Após a Todas as amostras testadas apresentarampartição, o extrato e as frações foram submetidas ao atividade antioxidante, merecendo destaque as fraçõesensaio de atividade antioxidante de acordo com a acetato de etila (Ac) e hidroetanólica (HE) quemetodologia proposta por Burda & Oleszek . 3 apresentaram porcentagem de inibição maior que 80% As amostras foram solubilizadas com o na concentração de 100 µg/mL.solvente padrão e diluições seriadas foram realizadaspara se obter as concentrações de 1, 10, 100, 250 e Conclusão500 µg/mL. As amostras foram preparadas em triplicata A partir dos resultados obtidos, foi possívele as leituras foram realizadas no comprimento de onda notar o significativo aumento da percentagem dede 517 nm, no intervalo de tempo de 30 minutos. O percentual de inibição do DPPH (ou a % da inibição em DPPH a partir do aumento dasatividade antioxidante) foi calculado pela seguinte concentrações das amostras testadas.Entretanto, valefórmula: % de inibição do DPPH = 1 – Aa / Ab x 100, ressaltar que na fração hexânica, o aumento não foi tãoonde Aa = absorbância da amostra e Ab = absorbância expressivo quanto nas outras frações. Assim, o extratoda solução de DPPH. e as frações de Smilax cissoides mostraram potencial atividade antioxidante a partir do ensaio com DPPH. Resultados e discussão Agradecimentos Os resultados para o ensaio de atividadeantioxidante utilizando DPPH estão apresentados no UFSJ, FAPEMIG, CNPq.gráfico 1. 1Sousa, V. C; Lorenzi, H. Botânica sistemática. Nova Odessa: Instituto Plantarum O extrato etanólico (Et) apresentou umaumento da inibição de DPPH com o aumento da de Estudos da Flora Ltda., 2005, 640p. 2Huang D., Ou B., Pnor R.L., Journal Agricultural Food Chemistry 2005, 53, 184.concentração. É importante salientar, que houve um 3Burda S., Oleszek W. Journal Agricultural Food Chemistry 2001, 49, 2774.aumento significativo da concentração de 10 para 1001° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  11. 11. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoAvaliação da Atividade Antioxidante de Óleos Comerciais e de Seus Ésteres Metílicos (FAMEs)Maria Eduarda Amaral Pinto (IC) *, Marcela Ísis Morais (IC), Fernanda Vieira Coelho (IC), SthéfaneGuimarães Araújo (IC), Carlos Alan Cândido Dias Júnior (PQ), Luciana Alves Rodrigues dos Santos Lima(PQ). *mariaeduardamaral@hotmail.comCampus Centro-Oeste Dona Lindu - UFSJ, Rua Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis, MG, CEP:. 35501-296.Palavras chave: Atividade antioxidante, ésteres metílicos e óleos comerciais. 500 µg/mL. As amostras foram preparadas Introdução em triplicata e as leituras foram realizadas no comprimento de onda de 517 nm, no intervalo de Ácidos graxos são os componentes mais tempo de 30 minutos.abundantes dos óleos, sendo constituídos O percentual de inibição do DPPH (ou a %principalmente de triglicerídeos (90 a 98%), que são da atividade antioxidante) foi calculado pela seguinteésteres formados por três ácidos graxos e glicerol. O fórmula: % de inibição do DPPH = 1 – Aa / Ab xconsumo de uma dieta enriquecida de ácidos graxos 100, onde Aa = absorbância da amostra e Ab =essenciais confere muitos efeitos benéficos para a 1 absorbância da solução de DPPH.saúde. Os ésteres de ácidos graxos são obtidoscomumente através de reações de Resultados e discussãotransesterificação, principalmente ésteres metílicos, Os resultados do ensaio de atividadeconhecidos pela sigla em inglês como FAME. Na antioxidante estão apresentados no gráfico a seguir:transesterificação de óleos vegetais, um triglicerídeoreage com um álcool (metanol ou etanol) produzindo Oleo Soja Oleo Milho Oleo Girassol FAME Soja FAME Milho FAME Girassoluma mistura de ésteres de ácidos graxoscorrespondentes e liberando a glicerina como 100 2 90subproduto (Figura 1). % de inibição de DPPH 80 70 60 O O 50 40H2C O R1 H2C OH R O R1 30 O O 20 catalisador 10HC O R2 + 3 ROH HC OH + R O R2 0 O O 1 10 100 250 500H2C O R3 H2C OH R O R3 Concentração (g/mL)  Figura 1: Transesterificação de triglicerídeos. Gráfico 1: Resultado da atividade antioxidante Assim, como os antimicrobianos, outra área para os óleos comerciais e seus ésteresque tem despertado interesse nos últimos anos é a metílicos.de antioxidantes. A oxidação é a geração de Todas as amostras testadas apresentaramespécies reativas de oxigênio (radicais livres) que atividade antioxidante. A melhor atividadepode ocorrer, por exemplo, pela decomposição dos antioxidante foi apresentada pelo FAME de Girassolácidos graxos, sendo prejudiciais para os organismos na concentração de 500 µg/mL, com inibição do 3vivos. DPPH de aproximadamente 90%. Os outros óleos e Acredita-se que os antioxidantes absorvidos FAMEs em diferentes concentrações apresentarama partir dos alimentos vegetais, incluindo substâncias resultados aproximados com inibição em torno de 25polifenólicas, vitaminas E e C e carotenóides são a 40%.efetivos na prevenção dessas doenças relacionadascom o estresse oxidativo. Assim, é de grande Conclusãointeresse, a nível medicinal e nutricional, oconhecimento da capacidade antioxidante dos O melhor resultado da atividade antioxidante 4constituintes dos alimentos que consumimos. foi a do FAME de Girassol, enquanto que os outros óleos e FAMEs apresentaram inibições com Metodologia porcentagens aproximadamente semelhantes. Neste trabalho foi avaliada a atividadeantioxidante dos óleos comerciais e de seus ésteres Agradecimentosmetílicos. O teste foi realizado pelo método Bolsista UFSJ.quantitativo espectrofotométrico: atividade 1 Korul’kina, L. M.; Zhusupova, G. E.; Shul’ts, E.E.; Erzhanov K. B., Chem. Nat.capturadora de radicais livres com o 2,2-difenil-1- Comp. 2004, 40, 417. 5picril-hidrazila, DPPH. 2 Carioca, J.O.B. et al., Impact of Sciences on Society 1988, 148, 315. 3 Marinova E.M., Yanishilieva N.V. Food Chem. 2003, 81, 189. As amostras foram solubilizadas com o 4 Huang D., Ou B., Pnor R.L. Journal Agricultural Food Chemistry 2005, 53, 184.solvente padrão e diluições seriadas foram realizadas 5 Burda S., Oleszek W. Journal Agricultural Food Chemistry 2001, 49, 2774.para se obter as concentrações de 1, 10, 100, 250 e1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  12. 12. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Avaliação da Atividade Antioxidante de Smilax campestrisMarcela I. Morais (IC)*, Sthéfane G. Araújo (IC), Maria Eduarda A. Pinto (IC), Fernanda Vieira Coelho (IC),Rodrigo Resende Ribeiro (PQ), Carlos Alan Cândido Dias Júnior (PQ), Luciana A. R. Santos Lima (PQ).*marcelaisis1@hotmail.com1 Campus Centro-Oeste Dona Lindu - UFSJ, Rua Sebastião Gonçalves Coelho, 400, Divinópolis, MG, CEP:. 35501-296.Palavras chave: Smilax, atividade antioxidante, frações. Introdução Resultados e discussão A família Smilacaceae possui distribuição Os resultados para o ensaio de atividadepredominante nos climas tropical e subtropical, antioxidante utilizando DPPH estão apresentados noincluindo dois gêneros e cerca de 300 espécies, quase gráfico 1.todas pertencentes a Smilax. No Brasil, apenas ogênero Smilax é encontrado, com aproximadamente 30 Et Hex DCM Ac But HEespécies, conhecidas popularmente como salsaparrilhaou japecanga, encontradas em bordas de florestas 100menos úmidas, particularmente em cerradões e 90 % de inibição de DPPH 1 80florestas estacionais . 70 Uma definição biológica de antioxidante é 60 50substância natural ou sintética que é adicionada a 40produtos para prevenir ou retardar sua deterioração 30pela ação do oxigênio do ar. Em bioquímica e medicina, 20 10antioxidantes são enzimas ou outras moléculas 0orgânicas como vitamina A, β-caroteno, vitamina C e os 1 10 100 250 500compostos fenólicos, que são capazes de contra-atacar Concentrações (µg/mL) µ 2os efeitos danosos da oxidação em tecidos animais . Gráfico 1: Atividade antioxidante do extrato e Acredita-se que os antioxidantes absorvidos a frações da espécie Smilax campestris.partir dos alimentos vegetais, incluindo substânciaspolifenólicas, vitaminas E e C e carotenóides são Entre as frações testadas, a butanólica (But) foiefetivos na prevenção dessas doenças relacionadas a que apresentou maior porcentagem de inibição decom o estresse oxidativo. Assim, é de grande interesse, DPPH em todas as concentrações testadas. Destaa nível medicinal e nutricional, o conhecimento da forma, infere-se que esta fração é a que apresentacapacidade antioxidante dos constituintes dos maior atividade antioxidante.alimentos e chás que consumimos. Neste contexto, os Nas concentrações de 250 e 500 µg/mL aantioxidantes têm se tornado um tópico de progressivo fração hidroetanólica (HE) também apresentouinteresse nos últimos anos e as publicações relativas a atividade significativa. A fração hexânica (Hex) e a 2esse assunto quadruplicaram na última década . diclorometano (DCM) foram as que mostraram menor atividade. Metodologia O extrato etanólico apresentou inibição dose- A planta foi coletada e macerada em etanol por dependente, ou seja, quanto maior a concentração, maior a % de inibição de DPPH. A fração acetato dedez dias. O solvente foi retirado em rotavapor, obtendo- etila (Ac) apresentou boa atividade na concentração dese o extato etanólico (Et). Realizou-se então a partição 500 µg/mL.do extrato etanólico, utilizando hexano, diclorometano,acetato de etila e butanol, originando as frações Conclusãohexânica (Hex), diclorometano (DCM), acetato de etila(Ac), butanólica (But) e hidroetanólica (HE). Após a Todas as frações apresentaram inibição dopartição, o extrato e as frações foram submetidas ao DPPH, ou seja, atividade antioxidante, merecendoensaio de atividade antioxidante de acordo com a destaque o extrato etanólico (HE) e a fração butanólicametodologia proposta por Burda & Oleszek . 3 (But) na concentração de 100 µg/mL, com inibição de As amostras foram solubilizadas com o DPPH maior que 90%.solvente padrão e diluições seriadas foram realizadaspara se obter as concentrações de 1, 10, 100, 250 e Agradecimentos500 µg/mL. As amostras foram preparadas em UFSJ, FAPEMIG, CNPq.triplicatas e as leituras foram realizadas numcomprimento de onda de 517 nm, no intervalo de tempo 1Sousa, V. C; Lorenzi, H. Botânica sistemática. Nova Odessa: Institudo Plantarumde 30 minutos. de Estudos da Flora Ltda., 2005, 640p. O percentual de inibição do DPPH (ou a % da 2Huang D., Ou B., Pnor R.L., Journal Agricultural Food Chemistry 2005, 53, 184.atividade antioxidante) foi calculado pela seguinte 3Burda S., Oleszek W. Journal Agricultural Food Chemistry 2001, 49, 2774.fórmula: % de inibição do DPPH = 1 – Aa / Ab x 100,onde Aa = absorbância da amostra e Ab = absorbânciada solução de DPPH.1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  13. 13. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico Estudos de Modelagem Molecular Aplicados às Asaronas Ana Paula Carregal (IC)*, Alex G. Taranto (PQ), Moacyr Comar Jr (PQ), Stênio Nune Alves (PQ), João Máximo de Siqueira (PQ)Endereço para correspondência: anapaulacarregal@gmail.comPalavras chave: asarona, Triagem Virtual Inversa, ancoragem molecular. Introdução Resultados e discussãoMuitos extratos vegetais e óleos essenciais podem ser Como resultado da busca pelos receptores das asaronas, foram encontrados dois alvos molecularesfontes alternativas para o controle de insetos de com código PDB 2A4Z e 1EH4.produtos armazenados, pois constituem uma rica fonte A seguir, as asaronas e os ligantes complexados nosde substâncias bioativas e muitas delas são em grande respectivos alvos foram encaixados pela metodologia de ancoragem molecular, conforme mostrado na tabelaparte livre de efeitos adversos. O rizoma de gramineus abaixo.Acorus Solander, pertencente à família Araceae,posssui vários compostos, dentre eles a (E)-asarona e Tabela: Resultado da energia de ligação (Kcal/mol) da ancoragem molecular entre os ligantes com os(Z)-asarona. Estudos anteriores mostram que a alvos molecularesatividade furmicida é mais pronunciada na (Z)-asaronado que na (E)-azarona. Estes resultados indicam que a Proteína 1EH4 2A4Ztoxicidade das asaronas pode ser devida à Ligante 1EH4 -8,0 -6,5configuração espacial dos substituintes (1). No entanto,o receptor para estes compostos não está descrito até Ligante 2A4Z -8,7 -10,0o presente momento. A Bioinformática possuimetodologias que podem auxiliar nesta questão, dentre Z - asarona -6,4 -6,2elas destaca-se a Triagem Virtual Inversa (TVI). A TVI E - asarona -6,5 -6,5consiste em encontrar receptores farmacológicos deatuação para um determinado ligante de interesse embanco de dados de proteínas in silico (2). A seguir, a Como pode ser observado na tabela, as asaronasmetodologia de ancoragem molecular (docking) é foram capazes de se complexar com os receptores obtidos pela metodologia TVI de forma similar entre si.utilizada para encaixar ligantes no sítio ativo da enzima,com base que os grupamentos do ligante e do receptor Conclusãosão complementares entre si. Dispondo dasferramentas mencionadas acima o objetivo deste A metodologia TVI foi capaz de encontrar alvos moleculares para as asaronas, e a ancoragemtrabalho é encontrar receptores farmacológicos para as molecular estimou a interação destes. Estes achadosasaronas. fornecem informações da interação ligante-receptor, as quais podem ser empregadas para o aperfeiçoamento Metodologia de novos compostos derivados das asaronas AgradecimentosAs estruturas dos compostos (E)-asarona e (Z)-asarona Ana Paula Carregal agradece a bolsa PIBIC/CNPq.foram submetidas ao programa sc-PDB (3), que 1 Park, C.;, Kim, S. e Ahn Y.J. , J. of Stored Products Researchencontrou potencias alvos moleculares para estes 2002, 441,744. 2ligantes. De posse da estrutura molecular dos possíveis Rognan, D., J. Physiol 2006, 232-244. 3 Kellenberger, E., Muller P., Schalon C., Bret G., Foata N., e Rognanreceptores, os trabalhos de investigação seguiram para D. J. Chem. Inf. Model 2006, 717,727.os estudos de ancoragem molecular usando o 4 Trott, O. e Olson, A. J. , Journal of Computational Chemistry 2010,Autodock Vina (4). 455–461.1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  14. 14. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional FarmacêuticoO uso da Bioinformática na caracterização de alvos vacinais utilizandocomo modelo proteínas do tegumento do Schistosoma mansoni. *Flávia Costa Mendonça (IC) , Karina Talita de Oliveira Santana (IC), Flávio Martins Oliveira (PG/TC), ArnaldoBasso Rebelato (PG), Débora de Oliveira Lopes (PQ).Laboratório de Biologia Molecular – Divisão de BioinformáticaUniversidade Federal de São João Del Rei – Campus Dona Lindu, Divinópolis- MGflavia.bioquimica@hotmail.comPalavras chave: bioinformática, alvos vacinais, Schistosoma mansoni alvos vacinais uma vez que apresentam uma região Introdução exposta ao meio extracelular presa a uma ou mais O avanço do conhecimento do genoma do hélices transmembrânicas, epítopos e padrões deSchistosoma mansoni, das técnicas de Biologia glicosilação característicos , o que lhes confeririaMolecular e da Bioinformática permite que várias potencialidade imunogênica. Essas análises consistemproteínas ligadas a superfície do parasita sejam em uma avaliação preliminar para posteriores análisesisoladas e caracterizadas para avaliação do seu in vitro e in vivo que devem ser realizadas parapotencial imunogênico. A esquistossomose continua avaliação do potencial imunogênco através desendo um problema de saúde pública e causa cerca de expressão e purificação dessas proteínas utiizando 1250.000 mortes por ano em todo mundo . A estratégia técnicas de Biologia Molecular, imunização dede controle da doença baseia-se na quimioterapia camundongos e avaliação da proteção induzida apósporém, devido a constante reinfecção é necessário uma infecção com cercárias.estratégia de controle a longo prazo como o uso de Agradecimentosvacinas contra esse parasito. Utilizando como modelo as proteínas do FAPEMIG – UFSJtegumento do Schistosoma mansoni SM1290, SM6340 1e SM8710, foi realizado isolamento e caracterização Lopes, DO; et al. Sm21.6 a novel EF-hand familydessas proteínas através de análises de Bioinformática. protein member located on the surface of Schistosoma mansoni adult worm that failed to induce protection Metodologia against challenge infection but reduced liverObtenção da sequência gênica do banco de dados pathology.Vaccine 2009; 27 (4127-4135).público do Schistosoma mansoni Genedb(http//www.genedb.org/genedb/smansoni). Uso dasferramentas computacionais: BLAST – NCBI, Translatetools, ProtParam, ProtScale, SOSUI, TMHMM, SignalP,YinOYang e SYFPEITH do Expasy Proteomic Server. Resultados e discussão Análise de bioinformática da SM6340 Conclusões e PerspectivasAs análises in silico indicam que as proteínas demembrana SM1290, SM6340 e SM8710 são possíveis1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.
  15. 15. Doenças Negligenciadas: Epidemiologia, Diagnóstico e Tratamento - Perspectivas para atuação do Profissional Farmacêutico AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE FITOTERÁPICOS OBTIDOS EM FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO DE DIVINÓPOLIS-MGAutores:, Diego Pinto de Oliveira* (Graduado em Farmácia), Tatiane Rodrigues de Mendonça (Graduada emFarmácia), Patrícia Oliveira Pereira (Graduado em Farmácia).diegodivi2006@hotmail.comPalavras chave: avaliação microbiológica, fitoterápicos, farmácias de manipulação. CONTAGEM TOTAL DE BACTÉRIAS MESÓFILAS AEROBIAS Introdução Origem FARMÁCIA A Cáscara Sagrada M.P. Cáscara Sagrada P.F. Carqueja M.P. Carqueja P.F. 1,4X10 1,9X10⁴ 8,5X10³ 1,4X10 FARMÁCIA B 1,5X10³ 2X10³ <5X10² 2X10³ O uso de fitoterápicos como recurso FARMÁCIA C <5X10² 5X10² 1X10³ <5X10²terapêutico remota desde os primórdios com as FARMÁCIA D 1X10³ 5X10² <5X10² <5X10²primeiras civilizações, hoje em dia seu uso continua Nota: M.P. = Matéria ; P.F. = Produto finalexpressivo devido a fatores sociais, econômicos e TABELA 2 1culturais . Os fitoterápicos englobam-se no grupo dos Contagem total de fungos, bolores e leveduras,produtos farmacêuticos não estéreis, sendo passíveis expressas em UFC/g de amostra.de contaminação devido ao alto teor de água presente CONTAGEM TOTAL DE FUNGOS, BOLORES E LEVEDURAS Origem Cáscara Sagrada M.P. Cáscara Sagrada P.F. Carqueja M.P. Carqueja P.F.em sua composição, por se tratar de uma droga de FARMÁCIA A 3X10 2,5X10³ 4,5X10³ 2X10³origem vegetal, o que torna necessário a realização de FARMÁCIA B 1X10³ 5X10² 5X10² 2X10³ FARMÁCIA C 1X10³ 2,5X10³ 5X10² <5X10²analises quantitativas de microrganismos mesófilos FARMÁCIA D <5X10² <5X10² 5X10² <5X10²aeróbios ou viáveis, bem como de microrganismos Nota: M.P. = Matéria ; P.F. = Produto final 2patogênicos . Os limites estabelecidos pela WHO (1998), Por se tratarem de produtos manipulados, para medicamentos não estéreis de uso oral, éestes entram mais em contato com pessoas, sendo que 5 aceitável a presença de até 5X10 UFC/g ou mL deestas são portadoras de microrganismos de forma 3 produto para bactérias heterotróficas e de 5X10 /g outransitória ou residente, sendo portanto outro fator de mL de produto para fungos e ausência decontaminação. Perante esses fatores a legislação microrganismos patógênicos. Os resultados dasvigente estabelece limites para a carga microbiana análises de contagem total de microrganismosnesses produtos a fim de assegurar que pessoas mesófilos aeróbios e da pesquisa de patógenosdebilitadas quando ingerirem o medicamento não sejam revelaram que das quatro farmácias analisadas apenasacometidas por uma infecção oportunista, e que essa a Farmácia A estava fora dos padrões para fungos ecarga microbiana não interfira na estabilidade do apresentou positividade na pesquisa para E.coli nasproduto alterando características organolépticas, físico- amostras de matéria-prima e produto final de Cáscara 3químicas, dentre outras . Sagrada, estando, portanto imprópria para o consumo. O que denota uma correlação entre a contaminação de Metodologia microrganismos mesófilos aeróbios e patógenos, uma A metodologia utilizada na revisão bibliográfica vez que a Farmácia A apresentou resultados elevadosfoi analítica, descritiva a partir de dados obtidos em de contaminação por mesófilos aeróbios. A Farmácialivros, textos e artigos científicos. D, também apresentou resultados positivos para E.coli, Foram analisadas amostras de carqueja e somente para a amostra de Cáscara Sagrada produtocascara sagrada oriundas de quatro farmácias de final, sugere-se que esta contaminação tenha ocorridomanipulação, no período de setembro a novembro de no processo de manipulação do produto, sendo que tais2009, sendo que a seleção destas farmácias foi resultados já foram observados em outros estudos.realizada de forma aleatória. A contagem total de microrganismos mesófilos- Conclusãoaeróbios foi realizada pelo método semeadura em Tendo em vista tais resultados torna-seprofundidade em placas ou “pour plate” e para pesquisa necessário o estabelecimento de práticas que sejamde microrganismos patógenos foi realizado um pré- capazes de reduzir a contaminação fúngica, bem comoenriquecimento das amostras e semeadura por a de enterobactérias, em todas as etapas de produçãoesgotamento primário em placa contendo o meio dos medicamentos, a fim de não comprometer aseletivo ao microrganismo patogênico de interesse de qualidade microbiológica do produto antes mesmo doacordo com o que é preconizado pela Word Health seu uso pelo consumidor final.Organization (WHO). Agradecimentos Resultados e discussão Agradeçemos a todos colaboradores deste projeto. Os resultados das análises quantitativas de 1 SIMÕES, C. M. O.; SCHENKEL, E. P.; GOSMANN, G.; MELLO, J. C. P.; MENTZ, L. A.;microrganismos mesófilos aeróbios estão descritos nas PETROVICK, P. R.. Farmacognosia da planta ao medicamento. 5° ed.Editora da UFRGS. Riotabelas a seguir. Grande do Sul. 1999. 1102p. 2 PINTO, T. J. A.; KANEKO. T. M.; OHARA, M. T.. Controle Biológico de Qualidade de Produtos Farmacêuticos, Correlatos e Cosméticos. 2° Ed.. Atheneu Editora. São Paulo. 2003. 326p. TABELA 1 3 BUGNO, A.; BUZZO, A. A.; NAKAMURA, C. T.; PEREIRA, T. C.; MATOS, D.; PINTO, T. J. A.. Avaliação da contaminação microbiana em drogas vegetais. Revista Brasileira de Ciências Contagem total de bactérias mesófilas aeróbias Farmacêuticas. vol. 41, n. 4, out./dez., 2005. expressas em UFC/g de amostra.1° Congresso de Farmácia da UFSJ Divinópolis-MG, 20, 21 e 22 de outubro de 2010.

×