Your SlideShare is downloading. ×
Evolução do .NET Framework e do Visual Basic
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Evolução do .NET Framework e do Visual Basic

1,896
views

Published on

Published in: Technology

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,896
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • Aonde podemos utilizar o .NET Framework 4?Aplicações para o Windows 7 e Windows Server são provavelmente os alvos mais comuns, mas ainda existem outras opções de plataforma aonde você pode utilizar o framework. Windows Azure é obviamente um grande com muitas opções para a computação em nuvem. Além disso existe uma forte tendência da nuvem ser cada vez mais utilizada para o desenvolvimento e hospedagem de nossas aplicações. O Windows Azure expõe suas funcionalidades através do .NET Framework 4.Existe ainda compatibilidade com versões anteriores. Você ainda pode instalar o .NET Framework 4 em plataformas mais antigas como Windows XP SP3, Windows Vista SP1, Windows Server 2003 SP2. Obviamente algumas funcionalidades não são disponíveis quando você utiliza essas plataformas. Por exemplo as novas funcionalidades do Windows 7.Plataforma Office é onde a Microsoft continua investindo e vem adicionando cada vez mais capacidades com relação a expor o office para nós através do .NET Framework.Existem outras duas que são um pouco diferentes na maneira como são expostas para você. Não é necessariamente a versão completa do .NET Framework 4 que você está utilizando como alvo, mas é a mesma onde de funcionalidades. Portanto existe uma grande compatibilidade entre o que você constrói para Silverlight 4 e o que você no .NET 4, mas em um conjunto reduzido de funcionalidades. E a mesma situação acontece para o Windows Phone, que é construído com Silverlight. Então agora como desenvolvedor .NET você automaticamente já pode utilizar o Windows Phone como alvo de seu desenvolvimento.
  • 2002 – Lançamento do .NET Framework, versão 1.0. A Microsoft introduziu o Common LanguageRuntime – CLR. Foi um importante passo pois o CLR é o ambiente gerenciado onde nossas aplicações rodam.As versões do CLR ficam em baixo para indicar que quando temos uma mudança ali, é quando temos realmente uma significante mudança nas nossas aplicações.2003 – Um ano depois nós tivemos o lançamento da versão 1.1 do .Net Framework, assim como uma nova versão do CLR, versão 1.1 – Esse movimento indicou o quanto a Microsoft estava investindo nessa plataforma e foi quando grande número de desenvolvedores começaram a adotar . NET2005 – Alguns anos depois houve uma grande atualização e o lançamento da versão 2.0 do CLR. Foi ai que começou um versionamento que do .NET Framework que acabou causando um pouco de desconforto, pois varias versões do Framework foram lançadas durante esses 5 anos porém sem mudança na versão do CLR. Ou seja, foram atualizações incrementais.Um grande passo e que vale ressaltar foi no lançamento da versão 3.0 que introduziu 4 novas tecnologias. WPF, WCF, WF, Cardspace.2010 – E agora em 2010, abril, nós tivemos o lançamento do .Net framework 4 e dessa vez com um novo CLR, versão 4.
  • O .Net Framework 4 é estruturado dessa maneira:Na parte inferior nos continuamos tendo o CLR – Common LanguageRuntime – suportando todo o nosso desenvolvimento.Aonde no próprio CLR foram feitas diversas melhorias no próprio núcleo com o intuído de aprimorar o desempenho e segurança.As bibliotecas de base continuam suportando diversos pilares de desenvolvimento aonde foram feitas melhorias nos já existentes e tivemos também a adição de novos pilares.O WPF por exemplo temos diversas melhorias como novos controles e suporte para desenvolvimento no Windows 7.Um continuo suporte para templates em WinForms.Temos a introdução do DLR – DinamicLanguageruntime – com a possibilidade agora de integrarmos desenvolvimento dinamico em nossa aplicações através de novos assemblies e a utilização de IronPython e IronRuby.Tremendas melhorias foram feitas para desenvolvimento Web, desde uma integração de projetos MVC, integração de script Jquery até melhorias no desempenho e comunicação das aplicações Web.Ainda temos também melhorias nos templates para desenvolvimento de serviços utilizando WCF e WF, com a introdução e consolidação de novos padrões de desenvolvimento como o Odata – Open Data Protocol - que utiliza o poder do WCF Data Services, chamado antigamente de ADO.NET Data Services.Além de claro melhorias nas comunicações com dados dentro do LINQ e um suporte nativo para paralelismo.E muito mais
  • O .Net Framework 4 é estruturado dessa maneira:Na parte inferior nos continuamos tendo o CLR – Common LanguageRuntime – suportando todo o nosso desenvolvimento.Aonde no próprio CLR foram feitas diversas melhorias no próprio núcleo com o intuído de aprimorar o desempenho e segurança.As bibliotecas de base continuam suportando diversos pilares de desenvolvimento aonde foram feitas melhorias nos já existentes e tivemos também a adição de novos pilares.O WPF por exemplo temos diversas melhorias como novos controles e suporte para desenvolvimento no Windows 7.Um continuo suporte para templates em WinForms.Temos a introdução do DLR – DinamicLanguageruntime – com a possibilidade agora de integrarmos desenvolvimento dinamico em nossa aplicações através de novos assemblies e a utilização de IronPython e IronRuby.Tremendas melhorias foram feitas para desenvolvimento Web, desde uma integração de projetos MVC, integração de script Jquery até melhorias no desempenho e comunicação das aplicações Web.Ainda temos também melhorias nos templates para desenvolvimento de serviços utilizando WCF e WF, com a introdução e consolidação de novos padrões de desenvolvimento como o Odata – Open Data Protocol - que utiliza o poder do WCF Data Services, chamado antigamente de ADO.NET Data Services.Além de claro melhorias nas comunicações com dados dentro do LINQ e um suporte nativo para paralelismo.E muito mais
  • O .Net Framework 4 é estruturado dessa maneira:Na parte inferior nos continuamos tendo o CLR – Common LanguageRuntime – suportando todo o nosso desenvolvimento.Aonde no próprio CLR foram feitas diversas melhorias no próprio núcleo com o intuído de aprimorar o desempenho e segurança.As bibliotecas de base continuam suportando diversos pilares de desenvolvimento aonde foram feitas melhorias nos já existentes e tivemos também a adição de novos pilares.O WPF por exemplo temos diversas melhorias como novos controles e suporte para desenvolvimento no Windows 7.Um continuo suporte para templates em WinForms.Temos a introdução do DLR – DinamicLanguageruntime – com a possibilidade agora de integrarmos desenvolvimento dinamico em nossa aplicações através de novos assemblies e a utilização de IronPython e IronRuby.Tremendas melhorias foram feitas para desenvolvimento Web, desde uma integração de projetos MVC, integração de script Jquery até melhorias no desempenho e comunicação das aplicações Web.Ainda temos também melhorias nos templates para desenvolvimento de serviços utilizando WCF e WF, com a introdução e consolidação de novos padrões de desenvolvimento como o Odata – Open Data Protocol - que utiliza o poder do WCF Data Services, chamado antigamente de ADO.NET Data Services.Além de claro melhorias nas comunicações com dados dentro do LINQ e um suporte nativo para paralelismo.E muito mais
  • O .Net Framework 4 é estruturado dessa maneira:Na parte inferior nos continuamos tendo o CLR – Common LanguageRuntime – suportando todo o nosso desenvolvimento.Aonde no próprio CLR foram feitas diversas melhorias no próprio núcleo com o intuído de aprimorar o desempenho e segurança.As bibliotecas de base continuam suportando diversos pilares de desenvolvimento aonde foram feitas melhorias nos já existentes e tivemos também a adição de novos pilares.O WPF por exemplo temos diversas melhorias como novos controles e suporte para desenvolvimento no Windows 7.Um continuo suporte para templates em WinForms.Temos a introdução do DLR – DinamicLanguageruntime – com a possibilidade agora de integrarmos desenvolvimento dinamico em nossa aplicações através de novos assemblies e a utilização de IronPython e IronRuby.Tremendas melhorias foram feitas para desenvolvimento Web, desde uma integração de projetos MVC, integração de script Jquery até melhorias no desempenho e comunicação das aplicações Web.Ainda temos também melhorias nos templates para desenvolvimento de serviços utilizando WCF e WF, com a introdução e consolidação de novos padrões de desenvolvimento como o Odata – Open Data Protocol - que utiliza o poder do WCF Data Services, chamado antigamente de ADO.NET Data Services.Além de claro melhorias nas comunicações com dados dentro do LINQ e um suporte nativo para paralelismo.E muito mais
  • O .Net Framework 4 é estruturado dessa maneira:Na parte inferior nos continuamos tendo o CLR – Common LanguageRuntime – suportando todo o nosso desenvolvimento.Aonde no próprio CLR foram feitas diversas melhorias no próprio núcleo com o intuído de aprimorar o desempenho e segurança.As bibliotecas de base continuam suportando diversos pilares de desenvolvimento aonde foram feitas melhorias nos já existentes e tivemos também a adição de novos pilares.O WPF por exemplo temos diversas melhorias como novos controles e suporte para desenvolvimento no Windows 7.Um continuo suporte para templates em WinForms.Temos a introdução do DLR – DinamicLanguageruntime – com a possibilidade agora de integrarmos desenvolvimento dinamico em nossa aplicações através de novos assemblies e a utilização de IronPython e IronRuby.Tremendas melhorias foram feitas para desenvolvimento Web, desde uma integração de projetos MVC, integração de script Jquery até melhorias no desempenho e comunicação das aplicações Web.Ainda temos também melhorias nos templates para desenvolvimento de serviços utilizando WCF e WF, com a introdução e consolidação de novos padrões de desenvolvimento como o Odata – Open Data Protocol - que utiliza o poder do WCF Data Services, chamado antigamente de ADO.NET Data Services.Além de claro melhorias nas comunicações com dados dentro do LINQ e um suporte nativo para paralelismo.E muito mais
  • MESSAGING:There are many different audiences that the various SKUs of Visual Studio targets: from the hobbyist all the way up to large enterprises.
  • MESSAGING:This breaks down into a lot of individual features that are coming to Visual Studio 2010Targets a diverse set of audiencesFrom TDD developers (Generate from Usage / Consume-First-Declare-Later friendliness)To Sharepointdevs (new Sharepoint tooling)To web devs (Jquery support, integrated web deploy)Parallelism/Concurrency features (like Parallel Stacks/Parallel Tasks as well as Concurrency Profiling)Just the tip of the iceberg
  • MESSAGING:The primary way developers use Visual Studio is, of course, as an editor. There are many improvements coming to developers that use Visual Studio as a code editor (as we’ll see). However, there’s another use of Visual Studio that people don’t usually think of, and that is using Visual Studio as a platform itself. With the new extensibility points in the editor itself, there are many ways developers can extend their editing experience itself as well the existing VSIP capabilities of Visual Studio. There are several features coming that will help developers manage the Visual Studio Platform as well.
  • MESSAGING:Writing Code - Smart Intellisense (new substring matching in Intellisense) - Extensible code editor Understanding Code - Call Hierarchy - Highlight ReferencesNavigating Code - Quick searchPublishing Code - MSDeploy Integration - One-Click Publish - Web.config transformations
  • Transcript

    • 1. Ricardo Guerra Freitas
      http://about.me/ricardoguerra
      @ricardoguerra
      .NET Framework e a evolução do Visual Basic
    • 2. Quem sou eu?
      Meunome é Ricardo Guerra Freitas, maspode me chamar de “Guerra”
      Ex-Curioso de .NET
      Ex-Lider de Célula Acadêmica
      Ex-Primeiro Estudante Embaixador Microsoft do RJ
      Ex-MicrosoftStudentPartnerLead
      Ex-CoordenadorRegional da INETA Brasil
      Ex-MicrosoftStudentPartnerMentor
      Ex-Colaborador do Channel 8
      Ex-Responsável pelo SDK do Projeto Hoshimi em Português
      Ex-Sei lá mais o que... 
    • 3. Quem sou eu?
      Analista de Processosna ME DIGITAL
      MVP Visual Basic
      Microsoft Certified Professional
      Líder de Grupo de Usuários.NetCode4All
      Colaborador de diversasCélulasAcadêmicas e Grupos de Usuários, tanto no Rio de Janeiro comoemtodoBrasil
      Microsoft Windows Vista Official Speaker
      Microsoft Windows 7 Official Beta Tester
      Desde 1994 no Mercado de Informática
      Moderador do MSDN Wiki Brasil
      PalestranteOficial Microsoft
    • 4. Agenda
      Missão da Microsoft
      Introdução a plataforma .NET
      Histórico do Visual Basic
      Novidades do VB e VS 2010
      DEMO
      Conclusão
      Webgrafia
    • 5.
    • 6. Missão da Microsoft
      “Ajudar pessoas a realizar seu potencial máximo, através do uso de software de alta qualidade, em qualquer lugar, a qualquer momento e em qualquer dispositivo”
    • 7. Introdução a plataforma .NET
    • 8. EvoluçãoTecnológica
      Aumento do Poder de Processamento
      Dobra a cada 18 meses
      Diminuição dos Custos de Hardware
      Escala
      Distribuição
      Créditofacilitado
    • 9. Evolução Tecnológica
      Internet e Conectividade
      Internet Rápida
      Redução de Custos
      Conexões Wireless
      Novos Dispositivos
    • 10. Evolução Tecnológica
      Proliferação de novosdispositivos
      Smart Devices
      SPOT (Smart Personal Objects Technology )
      Handhelds
      PDAs
      Video Games
      Smartphones
      TV Digital
    • 11. Evolução Tecnológica
      Padrões
      Padrões abertos para troca de informações
      Conectividade
      Segurança
      Transações
      Apresentação
    • 12. Evolução Tecnológica
      ?
      ?
      ?
      ?
    • 13. Plataforma .net
    • 14. Plataforma .NET
      Developer Tools
      Clients
      ASP.NET Web Applications
      Databases
      XML Web Services
      User Experiences
      .NET Framework
    • 15. Onde posso usar o .NET Framework 4?
    • 16. Um pouco de história
      SP 1
      .Net 3.5
      .Net 3.0
      .Net 1.0
      .Net 1.1
      .Net 2.0
      .Net 4
      2002
      2003
      2005-08
      2010
      CLR 1.0
      CLR 1.1
      CLR 2.0
      CLR 4
    • 17. Versões do framework
      .NET Framework 3.5 SP1
      .NET Framework 4
      231 MB
      48.1 MB
    • 18. Como funciona uma maquina virtual
    • 19. Como Funciona uma Máquina Virtual
      Programa
      Programa
      Programa
      Máquina Virtual
      Programa
      Sistema Operacional
      Hardware (Processador, Memória, Placa de Vídeo, etc...)
    • 20. Entendendo o .net framework
    • 21. Caracteristicas
    • 22. Caracteristicas
    • 23. Caracteristicas
    • 24. O .NET Framework
      Common LanguageSpecification (CLS)
      Common Type System (CTS)
      Base ClassLibraries (BCL)
      Common LanguageRuntime (CLR)
      JIT & NGEN
      Garbage Collector
      Security Model
      Exception Handling
      Loader & Binder
    • 25. O .NET Framework
      Common LanguageSpecification (CLS)
      Common Type System (CTS)
      Base ClassLibraries (BCL)
      Common LanguageRuntime (CLR)
      JIT & NGEN
      Garbage Collector
      Security Model
      Exception Handling
      Loader & Binder
    • 26. .NET Framework - CLR
      Common LanguageRuntime:
      É a fundação do .Net Framework, é o gerenciador do código em tempo de execução.
      Fornece serviços básicos de gerenciamento de memória, remoting etc.
      Código gerado é denomiado código gerenciado (managedcode).
    • 27. O .NET Framework
      Common LanguageSpecification (CLS)
      Common Type System (CTS)
      Base ClassLibraries (BCL)
      Common LanguageRuntime (CLR)
      JIT & NGEN
      Garbage Collector
      Security Model
      Exception Handling
      Loader & Binder
    • 28. .NET Framework - BCL
      Base Class Library (BCL)
      A Biblioteca de classes do .NET Framework é uma coleção de tipos reutilizáveis que se integram rigidamente com o Common LanguageRuntime.
      A biblioteca de classes é orientada a objetos, fornecendo tipos que seu próprio código gerenciado pode derivar. Isso não só torna os tipos do .NET Framework fáceis de usar, como também reduz o tempo associado ao aprendizado de novos recursos do .NET Framework.
      Além disso, componentes de terceiros podem se integrar totalmente com classes do .NET Framework.
    • 29. O .NET Framework
      Common LanguageSpecification (CLS)
      Common Type System (CTS)
      Base ClassLibraries (BCL)
      Common LanguageRuntime (CLR)
      JIT & NGEN
      Garbage Collector
      Security Model
      Exception Handling
      Loader & Binder
    • 30. .NET Framework - CTS
      Um dos fatores de independência de linguagem:
      O.NET Framework introduz um sistema de tipos comuns (Common TypeSystem).
    • 31. .NET Framework - CTS
      O CTS define como os tipos são declarados, usados e gerenciados no CLR e também é uma parte importante do suporte do runtimepara a integração entre as linguagens.
      O CTS executa as seguintes funções:
      Estabelece uma estrutura que ajuda a habilitar integração de entre linguagens, segurança de tipos e execução de código de alto desempenho.
      Fornece um modelo orientado a objetos que oferece suporte à implementação completa de muitas linguagens de programação.
    • 32. .NET Framework - CTS
      Define regras que as linguagens devem seguir, que ajudam a assegurar que objetos escritos em linguagens diferentes podem interagir entre si.
      Fornece uma biblioteca de tipos de dados primitivos (sistema autônomo, por exemplo, Boolean, Byte, Char, Int32, e Int64) usado no desenvolvimento de aplicativo
    • 33. O .NET Framework
      Common LanguageSpecification (CLS)
      Common Type System (CTS)
      Base ClassLibraries (BCL)
      Common LanguageRuntime (CLR)
      JIT & NGEN
      Garbage Collector
      Security Model
      Exception Handling
      Loader & Binder
    • 34. .NET Framework - CLS
      O CLS (Common LanguageSpecification) é um conjunto de recursos básicos de linguagens necessários para muitos aplicativos.
      O CLS ajuda a aperfeiçoar e a garantir a interoperabilidade de linguagem definindo um conjunto de recursos nos quais os desenvolvedores podem confiar por estarem disponíveis em uma variedade de linguagens.
      É aberto, você pode criar sua propria linguagem
      http://en.wikipedia.org/wiki/Common_Language_Infrastructure
    • 35. Plataformas além do windows
    • 36. Projeto Mono
      http://www.mono-project.com/Supported_Platforms
    • 37. Outras linguagens
      http://www.dotnetpowered.com/languages.aspx
    • 38. Modelo de execução
    • 39. Código Fonte
      ComponenteNão-Gerenciado
      VB
      C++
      C#
      Compilador
      Compilador
      Compilador
      Código Gerenciado
      Executável (.EXE), Página (.ASPX),
      LocalService (.DLL) ou WebService (.ASMX)
      Common Language Runtime
      Compilador JIT
      Código Nativo
      Serviços do Sistema Operacional
      Modelo de Execução
    • 40. Histórico do Visual Basic
    • 41. Timeline
    • 42. Histórico
    • 43. demo
    • 44.
    • 45.
    • 46. Co-evolução
      Time do C# e VB agora são 1 só
      Novas funcionalidades presente nas 2 linguagens
      Funcionalidades de uma linguagem migrada para outra
      Permanência das características de cada linguagem
    • 47. Novidades do Visual Basic e visual studio 2010
    • 48. Experiência de Usuário de Última Geração
      Ciclo de Vida da Aplicação
      Web Services
      Aplicações Distribuídas
      Windows Cliente/Servidor
    • 49. Os alvos do Visual Studio…
      Completo
      Ultimate
      Premium
      Funcionalidades
      Professional
      Express
      Mínimo
      Hobby
      Empresarial
      Audiência
    • 50. Visual Studio
      Desenvolvimento Office
      Desenvolvimento Windows
      ISV
      Desenvolvimento Web
      Desenvolvimentoemequipe
      Hobistas
    • 51. Funcionalidades Básicas
      Visual Studio 2010
      Professional
      Desenvolvimento
      Web
      Ferramentaspara
      Silverlight
      Desenvolvimento
      Windows
      IDE Customizável
      Desenvolvimento
      Office
      Novo Editor WPF
      Desenvolvimento
      SharePoint
      Desenvolvimento
      para a Nuvem
      Desenvolvimento
      Multi-Core
    • 52. Novas funcionalidades, a ponta do iceberg…
      Agrupamento de breakpoints
      Janela Parallel Tasks
      Web Deploy
      Novo Look & Feel
      Test Runner Extensível
      Dynamic Data Tooling
      Highlight de Referências
      Editor WPF
      Nomes para Breakpoints
      Melhorias no Click-Once para o Office
      Call Hierarchy
      Ferramentas para Sharepoint
      Melhorias nas ferramentas de WPF
      Ferramentas para ASP.NET MVC
      Minidump Debugging
      Inline Call Tree
      Multi-Monitor Melhorado
      Concurrency Profiler
      Intellisense para JQuery
      Import / Export de Breakpoints
      Quick Search
      64-bit Mixed-Mode
      Document Map Margin
      web.config Transformation
      Janela Parallel Stacks
      HTML Snippets
      Debugging Histórico
      http://brad_abrams.members.winisp.net/Projects/PDC2008/DotNet4Poster/DotNetFramework4PosterDeepZoom.htm
    • 53. As duas faces do Visual Studio 2010
      Visual Studio como Editor
      Visual Studio comoPlataforma
    • 54. … Como Editor
      Melhorias focadas em…
      Escrever código,
      Entender código,
      Navegar pelo código,
      Publicar código
    • 55. … Como Editor
      O novo editor é extensível e permite
      fácil customização para uma
      experiência rica e robusta na edição
      de seus códigos
      Online Visual Studio Gallery
      Integrada diretamente no Visual Studio
    • 56. Continuação implicita da linha
      Sem a necessidade de colocar underline sempre para quebrar uma linha
      Divirta-se  http://unemployedunderscores.com/
    • 57. Continuação implicita da linha
    • 58.
    • 59. Auto Implementação de properties
      Sem a necessidade de declarar GET/SET na classe
      Menos código, mais produtividade
    • 60. CollectionInitializers
      Incialização na declaração sem a necessidade de usar método ADD
    • 61. CollectionInitializers
      Incialização na declaração sem a necessidade de usar método ADD
    • 62. ArrayLiterals
      Criação de arrays sem a necessidade de declaração do tipo de dados
    • 63. Interface em português
      Baixe o pacote da atualização para pt-br e tenha um ambiente totalmente em português!
    • 64. demo
    • 65. conclusão
    • 66. Conclusão
      Faça mais com menos código
      Tenha mais produtividade
      Desenvolva para diversas plataformas reutilizando o conhecimento adquirido
      Maior interação com equipes
    • 67. Webgrafia
    • 68. Webgrafia
      http://about.me/ricardoguerra
      http://www.slideshare.net/GuerraRJ
      http://code4all.ning.com
      http://unemployedunderscores.com/
      http://msdn.microsoft.com/vbasic
      http://channel9.msdn.com/tags/Visual+Basic/
      www.macoratti.net
    • 69. Ricardo Guerra Freitas
      http://about.me/ricardoguerra
      Obrigado
      Seu potencial. Nossa inspiração.MR