Your SlideShare is downloading. ×
Apresentação power point projeto mais viver semiárido
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Apresentação power point projeto mais viver semiárido

463
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
463
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
10
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. República Federativa do Brasil - Estado do Piauí Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola Projeto de Desenvolvimento Sustentável “MAIS VIVER SEMIÁRIDO” Por: Alejo Lerzundi Silvera SEPLAN/SDR/EMATER/SEDUC/SETRE Teresina, outubro 2013
  • 2. Antecedentes  Acordo de Empréstimo entre FIDA e o Governo do Estado do Piauí nº I-788/BR de 09/04/2013, no montante de 39.141 milhões de dólares com vigência de 07 anos;  Por decisão governamental, a Secretaria de Desenvolvimento Rural – SDR foi efetivada como órgão executor e a Diretoria de Combate à Pobreza Rural – DCPR na função de Unidade Gestora do Projeto- UGP, conforme estabelecido no Decreto Governamental Nº 15.204, de 10/06/2013  Ajuda Memória de julho de 2013, entre Equipe FIDA e a Unidade Gestora do Projeto para cumprimento das condições de efetividade visando implementação do projeto.  O Projeto Mais Viver Semiárido – PMVS, tendo como o seu primeiro ano de execução no Estado, é embasado nas indicações emanadas no contexto de suas Diretrizes, registradas no Acordo de Empréstimo e detalhadas no Manual de Operações,
  • 3. Justificativa • Alta incidência de pobreza rural no Semiárido do Piauí: Taxa de Pobreza Rural = 77% das famílias. Taxa de Extrema Pobreza Rural = 46%. 75. 000 domicílios rurais. 100 mil estabelecimentos rurais: 65%<10 ha, 91%<100 há • Degradação dos recursos naturais (Caatinga) • Avanços na dotação de infra-estrutura social • Emprego não agrícola associado aos arranjos produtivos e a outras atividades economicas • Grande Potencial produtivos dos agricultores familiares nas cadeias produtivas de : cajucultura, ovino/caprinocultura, apicultura, mandiocultura, hortas irrigadas, atividades não agrícolas, extrativismo.
  • 4. População-Alvo.     A população-alvo do Projeto esta constituída por aproximadamente 75000 lares rurais que vivem em condições de pobreza no Estado do Piauí: Dentro desta população-alvo, os beneficiários diretos são estimados em 22.000 famílias rurais carentes. Agricultores familiares, trabalhadores rurais sem terra, jovens , mulheres, pequenos produtores rurais 4 Territórios – 89 municípios.
  • 5. Área de Atuação do Projeto 1. Território Vale do Sambito 2. Territorios Vale do Canindé 3. Território Vale do Rio Guaribas (Regiões: Picos e Paulistana) 4. Território da Serra da Capivara
  • 6. Estratégia de Focalização – Enfoque baseado na demanda para selecionar as prioridades de investimentos e assistência técnica – Critérios de elegibilidade para o financiamento – Mecanismos competitivos para destinação de recursos escassos – Prioridade aos jovens, principalmente no Componente de Desenvolvimento Humano e Social – Cotas de 50% de mulheres em atividades de educação técnica e artesanato
  • 7. Objetivos do Projeto Finalidade: Contribuir para desenvolver a economia rural e reduzir os níveis de pobreza rural da Região Semiárida do Piauí Objetivo Principal: Melhorar de maneira sustentável a renda agrícola e não agrícola, os ativos produtivos, as capacidades organizacionais e as práticas ambientais nas áreas pobres da Região Semiárida do Piauí
  • 8. Objetivos Específicos    Melhorar a produção agrícola e não-agrícola dos produtores rurais pobres e o acesso aos mercados, provendo assistência técnica adequada, recursos financeiros e fortalecendo suas organizações sociais e produtivas (Componente 1) Fortalecer as capacidades da população alvo, em particular dos jovens, para gerar renda e acessar os mercados de trabalho, por meio da promoção da educação técnica e profissional e da disseminação de conhecimento específico ao ambiente semi-árido (Componente 2) Fortalecer as capacidades institucionais para desenvolver sistemas de assistência técnica e implementar políticas de desenvolvimento rural na Região Semiárida do Piauí (Componente 3)
  • 9. Componente 1: Desenvolvimento Produtivo (1) 1- Apoiar a participação dos agricultores familiares em cadeias produtivas incluindo produção, transformação e comercialização: 2- Fortalecer os serviços de extensão e assistência técnica 3- Promover e disseminar tecnologias produtivas sustentáveis adaptadas ao Semiárido 4- Apoiar os negócios associativos e individuais, agrícolas e não agrícolas 5- Construção de pequenos sistemas de irrigação, melhorando a conservação da água 6- Promover e fortalecer as organizações associativas e cooperativas dos agricultores familiares
  • 10. Componente 1: Desenvolvimento Produtivo (2) 1) Assistência Técnica e Serviços de Extensão   21 extensionistas em tempo integral e 326 agentes de desenvolvimento local Acordos com entidades públicas e privadas segundo as atividades e arranjos produtivos apoiados 2) Conta de Investimentos Produtivos  US$ 17,8 milhões para investimentos individuais e coletivos para 17,500 agricultores e 1,000 artesãs(ãos):
  • 11. Componente 1: Desenvolvimento Produtivo (3) 3) Crédito de Curto Prazo   PRONAF: US$ 2,8 milhões Pequeno Fundo Rotativo para Artesões(ãs)
  • 12. Componente 2: Desenvolvimento Social e Humano   Fortalecer as capacidades dos jovens rurais para gerar renda e acessar aos mercados de trabalho. Formação técnica em atividades agrícolas e não agrícolas 157 cursos para cerca de 5.010 jovens (50% mulheres) com certificados  Bolsas de estágios de 6 meses para 590 estudantes
  • 13. Componente 2: Desenvolvimento Social e Humano (2)    Introduzir e disseminar nas escolas rurais atividades agroecológicas com embasamento científico e de conhecimento do contexto ambiental 12.000 crianças beneficiadas 1.500 professores de escolas primárias treinados 100 pomares integrados e sistemas de produção alimentar implantados produziriam cultivos alimentares em cada escola
  • 14. Componente 2: Desenvolvimento Social e Humano (3)  Divulgação de informações diretamente relacionadas às atividades do projeto: produção e exibição de documentários, publicações e outras atividades  Promoção de várias atividades de comunicação e divulgação de conhecimentos sobre a temática do semiárido, incluindo temas e atividades técnicas, produtivas, econômicas e questões culturais.
  • 15. Componente 3: Fortalecimento Institucional  Assistência técnica e capacitação às Instâncias de Gestão do Projeto, Fóruns, associações comunitárias, cooperativas e instituições governamentais envolvidas no processo de implementação;  Contratação de consultorias e estudos específicos para promover intercâmbios entre os Projetos do FIDA e outras experiências;  Contratação de pessoal, aquisição de material e equipamentos
  • 16. Componente 4: UGP e M&A 1- Pessoal, material e equipamento para a UGP 2- Sistema de M&A baseado em resultados 3- Gestão do conhecimento
  • 17. Financiamento Componente por Financiador (Milhões de US$) 1. Desenvovimento Social e Humano 2. Desenvolvimento Produtivo 4. Fortalecimento Institucional 5. PMU e M&E TOTAL % Estado BenefiFIDA PRONAF Total do Piauí ciários 2,307 % 2,067 - - 4,373 11% 3,768 15,939 2,800 6,670 29,177 75% 0,169 0,794 3,428 1,200 9,671* 20,000 25% 51% - - 0,963 2% 4,628 12% 2,800 7% 6,670 39,141 100% 17% 100% * O aporte Estadual em dinheiro novo é de US$ 7,10 milhões, os US$ 2,57 milhões restantes são aportes já internalizados pelo Estado (materiais e salários). Além disso, pode se reduzir 0,40 milhões sem diminuir as metas do projeto. O aporte médio do Estado seria de 0,96 milhões/ano em sete anos.
  • 18. ORGANOGRAMA DO PROJETO SEPLAN Agência Líder UNIDADE GESTORA DO PROJETO/SDR Executora SEDUC Co-executora EMATER Co-executora Conselho Gestor SDR, SEPLAN, SEDUC, SETRE, EMATER, PROGRAMA MAIS VIVER CIP Conta de Investimentos Produtivos SETRE Co-executora Agências Parceiras: SE BRAE Coopea tivas (Casa Apis) EMBRAPA PRONAF 05 Coordenações Regionais Beneficiários SENAR, SENAI, ONG´s, IFPI, Univers. Escolas Técn.
  • 19. Resultados e Impactos Esperados  Produção e Produtividade agrícola e não agrícola, incrementados;  Emprego, Renda e Ativos, incrementados:  Agrícola e não agrícola;  Individuais e coletivas;  Acesso aos mercados por parte dos pequenos produtores, melhorados;,  Acesso sustentável a serviços de extensão e assistência técnica, melhorados;  Organizações de produtores e participação na governança local, fortalecidas;  capacidades técnicas dos jovens rurais, melhorados;  Práticas ambientais, melhorados.
  • 20. Resultados Sustentabilidade  O Projeto se insere em instituições estatais permanentes, o que dar sustentabilidade institucional ao Projeto  O Projeto, articulado com as políticas nacionais e estaduais de redução da pobreza  O Projeto representa uma ferramenta complementar as políticas e programas governamentais  Apóia o desenvolvimento de organizações de bases autônomas