Mudanças e novos cenários contábeis

8,918 views

Published on

Mudanças, desafios e pespectivas para profissionais da área contábil.

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,918
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
144
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Mudanças e novos cenários contábeis

  1. 1. Mudanças e Novos Cenários<br />Desafios e Perspectivas<br />para a Profissão Contábil<br />José Carlos Fortes<br />Rio de Janeiro - Maio - 2010<br />
  2. 2. Nossos objetivos<br /><ul><li>Provocar uma grande reflexão junto aos contabilistas, estudantes e empresários, sobre os novos momentos que estamos vivendo, sobretudo no Brasil, com as mudanças que estão em curso.
  3. 3. Propor algumas alternativas para a profissão contábil, de modo que os contabilistas possam conviver com essa nova realidade e as que, certamente estão por vir.
  4. 4. Alertar os profissionais menos atentos com o atual cenário, de modo que possam se prevenir contra eventuais insucessos e, sobretudo, crescer profissionalmente, se inserindo como um dos principais atores desse novo cenário da economia e do mercado.</li></li></ul><li>
  5. 5. Ordem da apresentação<br />PARTE I – Breve histórico do SPED<br />PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />
  6. 6. PARTE I<br />Breve histórico do SPED<br />
  7. 7. PARTE I – Breve histórico do SPED<br />Retrospectiva SPED<br />Dezembro de 2003<br />Aprovada a Emenda constitucional nº 42/2003<br />Determina às administrações tributárias da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios atuarem de forma integrada, inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais.<br />Julho de 2004<br />I ENAT - Encontro Nacional de Administradores Tributários<br />Objetivando atender a exigência constitucional<br />Agosto de 2005<br />II ENAT - Encontro Nacional de Administradores Tributários<br />O Secretário da Receita Federal, os Secretários de Fazenda dos Estados e Distrito Federal, e os representantes das Secretarias de Finanças dos municípios das Capitais, assinaram os Protocolos de Cooperação nº 02 e nº 03, com o objetivo de desenvolver e implantar o Sistema Público de Escrituração Digital e a Nota Fiscal Eletrônica. <br />Janeiro de 2007<br />Governo Federal - PAC (207-2010)<br />Aperfeiçoamento do Sistema Tributário, com a implantação do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) no prazo de dois anos. <br />
  8. 8. PARTE I – Breve histórico do SPED<br />Retrospectiva SPED<br />Universo de Atuação<br /><ul><li>SPED – Contábil
  9. 9. SPED – Fiscal
  10. 10. NF-e – Ambiente Nacional
  11. 11. NFS-e
  12. 12. CT-e
  13. 13. e-Lalur
  14. 14. Central de Balanços</li></li></ul><li>PARTE I – Breve histórico do SPED<br />Retrospectiva SPED<br />Principais entidades envolvidas no SPED<br /> <br /><ul><li>Secretaria da Receita Federal do Brasil - RFB
  15. 15. Secretarias de Fazenda, Finanças, Receita ou Tributação dos Estados e do Distrito Federal
  16. 16. Associação Brasileira das Secretarias de Finanças das Capitais – ABRASF
  17. 17. Banco Central do Brasil - BACEN
  18. 18. Comissão de Valores Mobiliários - CVM
  19. 19. Departamento Nacional de Registro de Comércio – DNRC
  20. 20. Conselho Federal de Contabilidade – CFC
  21. 21. Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das FENACON
  22. 22. Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN
  23. 23. Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviço – ABECS
  24. 24. Federação Nacional das Empresas de Serviços Técnicos de Informática e Similares – FENAINFO</li></li></ul><li>PARTE I – Breve histórico do SPED<br />Retrospectiva SPED<br />Principais entidades envolvidas no SPED<br />SEFAZ<br />
  25. 25. PARTE II<br />O SPED como agente de mudanças<br />
  26. 26. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenários e perspectivas<br />...digitalização crescente da informação e a evolução dramática da tecnologia para lidar com a informação digitalizada.<br />...evolução tecnológica impacta cada vez mais os aspectos econômicos, sociais e culturais da nossa civilização.<br />...uso da tecnologia para integração e compartilhamento de informações objetivando a racionalização e modernização da administração: processos.<br />
  27. 27. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Preparação para um novo momento...<br />Só conseguimos reduzir <br />impactos, antecipando cenários...<br />... só antecipamos cenários participando ativamente das discussões dos processos!<br />CONTÁBIL<br />FISCAL<br />
  28. 28. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário antes...<br />Livro Diário: <br />- Escrituração em papel<br />- Lançamentos em ordem cronológica<br />- Termos de abertura e encerramento<br />- Transcrição das demonstrações contábeis <br />Livro Razão:<br />- Escrituração em papel<br />- Lançamentos em ordem de conta e data<br />
  29. 29. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual...<br />CONTÁBIL<br />FISCAL<br />CONTÁBIL<br />
  30. 30. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />Entregar SPED deixou de ser um obstáculo!<br /><ul><li> O que o fisco vai fazer com essas informações que as empresas estão enviando?
  31. 31. Qual a qualidade da informação que as empresas transmitiram ao Fisco?
  32. 32. Dificuldade ou Impossibilidade de “ajustes”: exposição e aumento da responsabilidade do profissional e do contribuinte.</li></li></ul><li>PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />Entregar SPED deixou de ser um obstáculo!<br /><ul><li>LEI 8.137 DE 27/12/1990</li></ul>ART.1 - Constitui crime contra a ordem tributária suprimir ou reduzir tributo, ou contribuição social e qualquer acessório, mediante as seguintes condutas:<br />...<br />III - falsificar ou alterar nota fiscal, fatura, duplicata, nota de venda, ou qualquer outro documento relativo à operação tributável;<br />IV - elaborar, distribuir, fornecer, emitir ou utilizar documento que saiba ou deva saber falso ou inexato;<br />...<br />Pena - reclusão, de 2 (dois) a 5 (cinco) anos, e multa.<br />
  33. 33. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />ESTUDO SOBRE SONEGAÇÃO FISCAL (IBPT - Março de 2009)<br /><ul><li>Sonegação das empresas brasileiras vem diminuindo, mas ainda corresponde a 25% do seu faturamento;</li></ul>- Em 2000 o índice de sonegação era de 32% e em 2004 era de 39%;<br /><ul><li>Faturamento não declarado é de R$ 1,32 trilhão;
  34. 34. Tributos sonegados pelas empresas somam R$ 200 bilhões por ano;
  35. 35. Somados aos tributos sonegados pelas pessoas físicas, sonegação fiscal no Brasil atinge 9% do PIB;
  36. 36. Cruzamento de informações, retenção de tributos e fiscalização mais efetiva são os principais responsáveis pela queda da sonegação;
  37. 37. Contribuição Previdenciária (INSS) é o tributo mais sonegado, seguida do ICMS e do Imposto de Renda;
  38. 38. Indícios de sonegação estão presentes em 65% das empresas de pequeno porte, 49% das empresas de médio porte e 27% das grandes empresas;</li></ul>- Em valores, a sonegação é maior no setor industrial, seguido das empresas do comércio e das prestadoras de serviços.<br />
  39. 39. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />“Com os novos sistemas de controles fiscais, em 5 anos o Brasil terá o menor índice de sonegação empresarial da América Latina e em 10 anos índice comparado ao dos países desenvolvidos.”<br />IBPT – Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário<br />
  40. 40. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />Como fica a profissão contábil<br />diante desse cenário?<br />
  41. 41. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Cenário atual e o Pós SPED<br />Sua empresa contábil,<br />você, seus colaboradores, clientes,<br />estão preparados para o<br />Pós SPED?<br />
  42. 42. PARTE II - O SPED como agente de mudanças<br />Pesquisa realizada pelo Portal da Classe Contábil<br />Período: Fevereiro-Abril de 2010<br />Sua empresa contábil e seus clientes estão preparados para o Pós SPED?<br />(17 %) Sim, somente minha empresa está preparada, meus clientes não.<br />(5 %) Sim, minha empresa e meus clientes estão preparados.<br />(3 %) Não, somente meus clientes estão preparados.<br />(75 %) Não, nem minha empresa e nem meus clientes estão preparados.<br />Total de participantes: 317 contabilistas (escritórios)<br />www.classecontabil.com.br<br />
  43. 43. PARTE III<br />Desafios e Perspectivas para a<br />Profissão Contábil<br />
  44. 44. O segredo...<br />
  45. 45. Um médico saiu a caminhar e viu essa velhinha da foto, sentada no banco de uma praça fumando um cigarrinho.<br />Aproximou-se e perguntou:<br />Nota-se que está bem. Qual é seu segredo?? <br />Ela então respondeu:<br />Sou Contadora, durmo às 4 da manhã fechando balanços e me levanto às 6.<br />Trabalho fazendo Auditoria de Balanço, Declaração Imposto de Renda, Escrita Fiscal e Contábil, Constituição e Baixa de Empresas na Junta Comercial, Rotinas de Departamento de Pessoal e Legislação Trabalhistas ou visitando clientes todo final de semana, sábados, domingos e feriados também. <br />Não tomo café da manhã, não almoço e nem janto porque não dá tempo.<br />O doutor então exclamou:<br />Mas isso é extraordinário! A senhora tem quantos anos? <br />
  46. 46. Tenho apenas 37 anos.<br />
  47. 47. PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Novos horizontes<br />Convergência da Contabilidade Brasileira aos Padrões Internacionais<br />CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis<br />Objetivo: <br />O estudo, o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de Contabilidade e a divulgação de informações dessa natureza, para permitir a emissão de normas pela entidade reguladora brasileira, visando à centralização e uniformização do seu processo de produção, levando sempre em conta a convergência da Contabilidade Brasileira aos padrões internacionais.<br />www.cpc.org.br<br />
  48. 48. PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Novos horizontes<br />Convergência da Contabilidade Brasileira aos Padrões Internacionais<br />CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis<br /><ul><li>CPC perspectiva de importantes avanços no caminho da atualização e da modernização de normas e preceitos contábeis.
  49. 49. CPC é resultado da abertura da economia brasileira para o exterior, incluindo títulos negociados nas bolsas de maior movimento do mundo.
  50. 50. CPC busca a harmonização das normas e práticas contábeis entre as diversas economias do mundo de modo na facilitar troca de informações.</li></li></ul><li>PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Novos horizontes<br />Convergência da Contabilidade Brasileira aos Padrões Internacionais<br />Composição do CPC<br /><ul><li>CFC - Conselho Federal de Contabilidade
  51. 51. IBRACON - Instituto dos Auditores Independentes do Brasil
  52. 52. FIPECAFI - Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras
  53. 53. BM&FBOVESPA - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros
  54. 54. APIMEC - Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais
  55. 55. ABRASCA - Associação Brasileira das Companhias Abertas</li></ul>Fontes: http://www.cpc.org.br/index.php e Resolução CFC nº 1.055/05<br />
  56. 56. PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Novos horizontes<br />Convergência da Contabilidade Brasileira aos Padrões Internacionais<br />Composição do CPC<br />Fontes: http://www.cpc.org.br/index.php e Resolução CFC nº 1.055/05<br />
  57. 57. A profissão do terceiro milênio<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />São excelentes as perspectivas para a profissão contábil, considerando que “a sociedade concentra sua atenção no novo recurso – a informação, e a Contabilidade, por excelência, é a ciência da informação”.<br />Prof. Dr. José Carlos Marion<br />
  58. 58. Atuação do Contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Contador Empregado<br /><ul><li>Planejamento Tributário
  59. 59. Analista Financeiro
  60. 60. Contador Geral
  61. 61. Auditor Interno
  62. 62. Contador de Custos
  63. 63. Contador Gerencial
  64. 64. Cargos Administrativos</li></ul>Contador Empresário ou Independente<br /><ul><li>Auditor Independente
  65. 65. Consultor
  66. 66. Empresário Contábil
  67. 67. Perito Contábil</li></li></ul><li>Atuação do Contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Contador no Ensino<br /><ul><li>Professor
  68. 68. Pesquisador
  69. 69. Escritor
  70. 70. Parecerista
  71. 71. Conferencista</li></ul>Contador nos Órgãos Públicos<br /><ul><li>Contador Público
  72. 72. Auditor Fiscal
  73. 73. Tribunais de Contas
  74. 74. Outras Cargos (Concurso Público)</li></li></ul><li>O contador diante da nova realidade do mercado<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br /><ul><li>Tecnologia em alta
  75. 75. Telefonia
  76. 76. Softwares
  77. 77. Internet
  78. 78. Atualidades e informações afins
  79. 79. Planejamento estratégico
  80. 80. Planejamento tributário
  81. 81. Matemática financeira
  82. 82. Formação de preço e análise de custo
  83. 83. Orçamento empresarial
  84. 84. Administração financeira
  85. 85. Direito empresarial
  86. 86. Contabilidade internacional
  87. 87. ...</li></li></ul><li>O contador diante da nova realidade do mercado<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br /><ul><li>Novos Paradigmas
  88. 88. Transformação: Dados  Informação  Poder
  89. 89. Formação e reciclagem profissional para os novos cenários
  90. 90. Mudança na cultura empresarial: imposição x percepção
  91. 91. SPED: perdas e ganhos
  92. 92. Atuação profissional focada em segmentos
  93. 93. SPED: Informações tempestivas – responsabilidade e comprometimento
  94. 94. Os pequenos negócios diante da nova realidade
  95. 95. Reposicionamento da profissão da empresa contábil</li></li></ul><li>Marketing do Escritório Contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Autores:<br /><ul><li>José Antônio Rosa</li></ul>Graduado em Jornalismo<br />Mestre em Administração (PUC/SP)<br /><ul><li>José Carlos Marion</li></ul>Mestre e Doutor em Contabilidade (USP)<br />Pós-Doutorado em Kansas-EUA<br />Publicação IOB, 2009.<br />
  96. 96. Reposicionamento do profissional e da empresa contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br /><ul><li>O que é contabilidade?
  97. 97. O que faz um contador?
  98. 98. Qual o seu papel?
  99. 99. Que função justifica a existência desse profissional?
  100. 100. Que atividades contábeis tornaram-se indispensáveis com o advento da informática e internet?
  101. 101. Qual o papel do contador nesse novo contexto?</li></li></ul><li>Reposicionamento do profissional e da empresa contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Com as mudanças tecnológicas ainda é necessário o trabalho do contador?<br />Teria ele um lugar no mundo informatizado, ou vai desaparecer junto com as tarefas que podem ser executadas por máquinas ou simplesmente podem ser abandonadas, por não serem mais necessárias?<br />As intensas e rápidas mudanças em curso e que ainda virão tirarão o emprego de muitos. Por outro lado, abrirão excelentes oportunidades para aqueles que souberem evoluir e se reposicionar no mercado.<br />
  102. 102. Reposicionamento do profissional e da empresa contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />A ótica dos que só conseguem ver na Contabilidade um recurso para produzir escriturações, demonstrações e fluxos gráficos é resultante de uma visão míope, sem competência, limitada a “formas”, alheia à “essência do conhecimento.” (LOPES DE SÁ).<br />Mudanças e redefinição de papéis são indispensáveis para o contador, devendo abandonar determinados comportamentos e adotar outros.<br />
  103. 103. Reposicionamento do profissional e da empresa contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />O contador precisa fazer uma reflexão, mudando a auto-imagem e inserindo-se como profissional do conhecimento no contexto da nova economia.<br />Empresas e profissionais que não perceberem qual é a verdadeira razão de ser dos seus produtos e serviços costuram pagar caro por essa miopia, quando os tempos mudam (THEODORE LEVITT, 2003).<br />
  104. 104. Mudanças no mundo dos serviços contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Ambiente de grandes mudanças no mundo empresarial<br />As forças ambientais e o mundo das organizações ditam regras e sobrevivem aqueles organismos mais capazes de adaptar-se com maior eficiência, o que implica na capacidade de fazer, no tempo certo, as necessárias mudanças quando o ambiente muda. <br />
  105. 105. Fatores e impactos das mudanças nas empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Economia: <br />Concorrência em escala global<br />Maiores padrões de avaliação<br />Exigência dos clientes, gerando<br />ameaças e oportunidades<br />
  106. 106. Fatores e impactos das mudanças nas empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Tecnologia: <br />Informática e internet na distribuição da informação<br />Quebra das barreiras geográficas das proximidades do cliente, gerando ameaças e oportunidades.<br />
  107. 107. Fatores e impactos das mudanças nas empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Política:<br />Ação do governo na redução da burocracia e simplificação de procedimentos com o uso da tecnologia, alterando o tipo de serviço que o cliente estará disposto a comprar, com reflexos na remuneração a pagar. <br />
  108. 108. Impactos das mudanças nas empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Demandas sociais:<br />Novas necessidades em decorrência da dinâmica da sociedade. <br />Ação de agentes de mercado:<br />Concorrentes, fornecedores, distribuidores, clientes, colaboradores, etc. <br />
  109. 109. Impactos das mudanças nas empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Reflexos das mudanças:<br />Positivos<br />Negativos<br />
  110. 110. A necessidade de adaptação das empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Tempestividade: antecipação às mudanças que o ambiente está impondo de forma dinâmica.<br />Manter a base e ampliar o leque de serviços a ser oferecido ao mercado.<br />
  111. 111. A necessidade de adaptação das empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Buscar um novo patamar de produtividade e eficiência.<br />Adotar uma nova forma de interagir com o mercado.<br />
  112. 112. A necessidade de adaptação das empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Pesquisa sobre Honorários Contábeis<br />Na fixação dos honorários contábeis você calcula os custos, as despesas, os tributos e margem de lucro em relação a cada cliente?<br />3% Sim, através de software especializado de cálculos de formação de preço de serviços<br />51% Não, estabeleço o valor dos honorários com base na minha experiência de mercado<br />23% Sim, utilizo planilha no cálculo do preço dos serviços<br />23% Não, defino os honorários com base na concorrência<br />
  113. 113. A necessidade de adaptação das empresas contábeis<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Pesquisa sobre Honorários Contábeis<br />No seu escritório contábil você mantém algum controle que lhe permita saber qual é a previsão da margem de contribuição (“lucro bruto”), individualizado por cliente, para os próximos três meses?<br />17% Sim, plenamente <br />62% Não tenho controle de margem de contribuição por cliente<br />9% Sei que está dando certo quanto consigo pagar as contas no final do mês.<br />13% Não tenho tempo para esse tipo de gerenciamento do escritório<br />
  114. 114. Reposicionamento do profissional e da empresa contábil<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />O escritório contábil, diante das novas circunstâncias, terá que se antecipar e procurar identificar para si um novo espaço em que possa operar de forma produtiva, eficiente e lucrativa no novo contexto do mercado.<br />
  115. 115. A nova realidade e os novos concorrentes<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Grandes empresas de consultoria<br />Poderão atender a grandes clientes, na área contábil, como complemento de suas atividades de consultoria.<br />Escritório de contabilidade tradicionais – grande porte<br />Poderão buscar clientela crescente e tentar uma melhora da eficiência para reduzir preços.<br />Escritórios contábeis tradicionais – médio e pequeno porte<br />Poderão buscar a diferenciação ou a regionalização, para fixar-se em nichos mais protegidos.<br />
  116. 116. A nova realidade e os novos concorrentes<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Organizações semi-públicas<br />SENAC, SENAI, SEBRAE deverão ou poderão intensificar esforços para oferecer serviços gratuitos ou muito baratos.<br />Entrantes no segmento de TI<br />Empresas de Internet aliadas a empresas contábeis, poderão mudar as regras do jogo no atendimento a pequenos clientes, em massa.<br />
  117. 117. A nova realidade e os novos concorrentes<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />A pergunta para o novo posicionamento da empresa contábil é:<br />Qual é a melhor posição para a nossa organização, especificamente, dentro da nova realidade de mercado e diante do quadro de concorrência em que estamos?<br />
  118. 118. Decisões estratégicas da empresa contábil para novos produtos e serviços<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Em que novos ramos ou segmentos vai atuar<br />Que novos produtos ou serviços vai oferecer<br />A que clientes vai servir<br />Em que investirá<br />Que tecnologia escolherá<br />Que fórmulas adotará (em marketing, RH, finanças, etc)<br />
  119. 119. PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Estratégia<br />A informação é o ponto de partida de qualquer ação inteligente, em qualquer área.<br />Análise: Quais são os objetivos e qual é a situação?<br />Decisão: O que vamos fazer para atingir tais objetivos, nessa situação?<br />
  120. 120. O medo da mudança<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />A mudança nem sempre é agradável, nos tira da zona de conforto e nos coloca diante do desconhecido, criando incertezas nas conquistas dos nossos objetivos.<br />Nos obriga a aprender coisas novas, a encarar desafios e a realizar trabalhos para os quais muitas vezes ainda não estamos plenamente preparados.<br />Quando a mudança é inevitável, a organização pode mudar ou ser mudada, e isto faz toda a diferença.<br />
  121. 121. De Contador a Consultor<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Estratégias para aplicação do portfólio de serviços contábeis<br />Autores:<br /><ul><li>José Antônio Rosa</li></ul>Graduado em Jornalismo<br />Mestre em Administração (PUC/SP)<br /><ul><li>José Leônidas Olinquevitch</li></ul>Mestre e Doutor em Contabilidade (USP)<br />Publicação IOB, 2008.<br />
  122. 122. De Contador a Consultor<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Estratégias para aplicação do portfólio de serviços contábeis<br />O trabalho do contador além da regulamentação<br />O que o contador pode e deve fazer<br />Como o contador vê as suas atividades?<br />O que é um consultor?<br />Quem pode ser consultor?<br />
  123. 123. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Adaptação (IBCO - Instituto Brasileiro de Consultores de Organizações)<br />I – Atividades e prerrogativas inerentes<br />à profissão contábil<br />Atividades previstas no Dec. Lei 9295/46<br />Atividades previstas na Resolução CFC n.560/83<br />
  124. 124. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />1. Consultoria de Gestão Empresarial<br />Implementação de Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (ERP)<br />Diagnóstico e melhoria de processos;<br />Integração de setores e processos;<br />Adaptação organizacional aos Sistemas Integrados de Gestão Empresarial (ERP).<br />Gestão de Desempenho<br />Identificação do modelo de gestão de desempenho;<br />Identificação de indicadores de desempenho;<br />Implementação de modelos e ferramentas de gestão de desempenho.<br />
  125. 125. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />2. Consultoria Financeira<br />Organização e reestruturação<br />Necessidades de organização nos processos e práticas financeiras;<br />Gestão de Caixa;<br />Mudança de atividade ou linhas de negócios;<br />Identificação de novas fontes para captação de recursos financeiros;<br />Reestruturação de passivos financeiros existentes;<br />Elaboração e implantação de orçamentos empresariais.<br />Avaliação econômico-financeira<br />Avaliação de empresas/negócios;<br />Avaliação de ativos intangíveis;<br />Estudo de viabilidade econômico-financeira;<br />Elaboração de planos de negócio;<br />Análise e acompanhamento de resultados e<br />desempenho econômico-financeiro. <br />
  126. 126. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />2. Consultoria Financeira<br />Reestruturação financeira para fins de reorganização societária<br />Processos de Incorporações, cisões, fusões e aquisições de empresas;<br />Definição das estratégias de negociação;<br />Análise de viabilidade para expansão empresarial.<br />Análise e gestão de Custos<br />Custo para fins contábeis e fiscais;<br />Custo para fins gerenciais;<br />Margem de contribuição e ponto de equilíbrio;<br />Formação de preço.<br />
  127. 127. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />3. Consultoria em Gestão de Risco<br />Análise de processos e riscos de fraude;<br />Avaliação da estrutura de controles internos;<br />Gerenciamento de riscos de controles internos;<br />Revisão de processos específicos;<br />Diagnóstico, revisão e implantação de Auditoria Interna;<br />Elaboração e implementação de processos para a redução de riscos.<br />
  128. 128. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />4. Terceirização de gestão financeira<br />Faturamento;<br />Contas a pagar;<br />Contas a receber;<br />Gerenciamento de cadastro de clientes e fornecedores;<br />Análise de crédito;<br />Gestão de capital de giro;<br />Gestão de caixa;<br />Operações bancárias;<br />Análise de captação e aplicação de recursos. <br />
  129. 129. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />Controle patrimonial <br />Levantamento Analítico Contábil e Fiscal dos Bens do Ativo Permanente – tangíveis e intangíveis<br />Levantamento Analítico Contábil e Fiscal das Depreciações, Amortizações e Exaustões Acumuladas<br />Revisão dos critérios de cálculos das depreciações, amortizações e exaustões<br />Inventários Físicos, Chapeamento e etiquetagem com identificaçõo numérica e com código de barras para os bens do ativo imobilizado<br />Conciliações e Cotejamentos dos registros contábeis e fiscais com a existência real dos bens<br />Atualizaçõo do Cadastro de Bens<br />Gestão Patrimonial e Manutenção Periódica do Ativo Imobilizado<br />Avaliação de Bens do ativo permanente<br />Cálculos e implantaçáo de Modelos de Depreciação, Amortização e Exaustão<br />Reavaliação de Bens<br />
  130. 130. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Estudos de Viabilidade<br />Técnica <br />Econômica<br />Análise de investimentos<br />Elaboração de projetos de investimentos <br />Administrativa <br />
  131. 131. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Materiais <br />Sistemas de gestão de materiais <br />Planejamento e controle de materiais e produção <br />Administração de estoques e materiais <br />Sistemas e controles de compras <br />Desenvolvimento de fornecedores <br />Técnicas de negociação <br />Desenvolvimento e implantação de sistemas informatizados<br />Terceirização da gestão de materiais e produtos <br />
  132. 132. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Recursos Humanos <br />Políticas e programas de RH <br />Pesquisa salarial e de benefícios <br />Sistemas de avaliação de desempenho <br />Pesquisa e análise de clima e cultura organizacional <br />Relações com sindicatos, negociações <br />Programas motivacionais <br />Recrutamento e seleção de executivos <br />Programas de Integração de Funcionários<br />
  133. 133. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Sistemas e Informática <br />Desenvolvimento de plano diretor de informática <br />Informatização de processos burocráticos e produtivos <br />Assessoria na seleção de equipamentos e de software <br />Engenharia de informação <br />Planos de gestão de TI <br />Implantação de ERP<br />Assessoria no desenvolvimento de software <br />Programas de treinamento e capacitação em informática <br />Concepção de Sistemas de Gestão <br />
  134. 134. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Sucessão familiar<br />Planejamento de sucessão <br />Criação de estruturas organizacionais e societárias visando a sucessão <br />Processo de profissionalização de empresa familiar <br />Assessoria pessoal a fundadores e sucessores <br />Treinamento e desenvolvimento de herdeiros <br />
  135. 135. Atividades de consultoria para o contador<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />II – Atividades compartilhadas<br />Treinamento e desenvolvimento<br />Implantação de planos de treinamento e desenvolvimento <br />Cursos abertos e "in-company" para as áreas de: <br /><ul><li> Estratégia e Marketing
  136. 136. Contábil , Fiscal e Pessoal
  137. 137. Financeira
  138. 138. Custos, Controles e Orçamentos
  139. 139. Produtividade e qualidade
  140. 140. Informática </li></li></ul><li>De Contador a Consultor<br />PARTE III - Desafios e Perspectivas para a Profissão Contábil<br />Mudanças e Novos Cenários<br />NOVAS VISÕES NA PROFISSÃO CONTABIL (Prof. Dr. Antônio Lopes de Sá)<br />Cada vez mais competitivo, o mundo dos negócios exige que os empresários estejam bem orientados. <br />A função do profissional da Contabilidade é, pois, a de consultor sobre assuntos da riqueza das empresas.<br />Um consultor deve ter cultura científica, tecnológica, ética e geral, mas, precisa do apoio de instituições específicas que zelem por tudo isto, pela imagem da classe, pela valorização constante do conhecimento.<br />O valor de uma classe depende do valor dos elementos que a constituem.<br />
  141. 141. Um forte abraço a todos!<br />José Carlos Fortes<br />jcfortes@grupofortes.com.br<br />(85) 4005.1111<br />(85) 8802.1111<br />

×