Sinconee 2009

948
-1

Published on

O Apagão das Engenharias no Brasil
Contexto, Causas e Consequências - Apresentada no IX SINCONEE, em 17.06.2009 no Centro de Convenções Ulisses Guimarães – Brasília/DF

Published in: Business, Travel
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
948
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sinconee 2009

  1. 1. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Consequências Apresentação de: Engº Fernando Goldman – Furnas Centrais Elétricas SA Em 17.06.2009 no Centro de Convenções Ulisses Guimarães – Brasília/DF Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  2. 2. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Obs. : Os pontos de vista aqui apresentados são exclusivamente do autor e não representam necessariamente os de FURNAS, da SBGC, do PPED/UFRJ ou de qualquer instituição com a qual ele esteja, ou tenha estado, ligado por qualquer laço de afiliação, prestação de serviços ou contratação. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  3. 3. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Gerschenkron e os retardatários • Economic Backwardness in Historical Perspective - Analisa os mecanismos de industrialização retardatária, com forte intervenção do Estado no quartil final do séc. 19, em especial, Alemanha e da Rússia, economias então atrasadas frente à inglesa. • Difusão da industrialização na Europa continental, teve características distintas da revolução industrial inglesa. • Necessidade de criar inovações institucionais, “substitutas” dos requisitos para o crescimento econômico sustentado, compensando a ausência ou escassez de: - capital, - empreendedorismo, - trabalho qualificado e - tecnologias. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  4. 4. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Gerschenkron e os retardatários •Industrializações tardias podem apresentar certo tipo de vantagem em relação a um processo de industrialização anterior, no caso a inglesa. • Tais vantagens se baseiam no fato de os países que buscam seu desenvolvimento, ao terem uma referência, poderem saltar etapas, incorporando, por exemplo, padrões tecnológicos e aspectos energéticos mais modernos. • Necessária, porém, a existência de outros fatores como um sistema financeiro capaz de dar suporte ao setor industrial e a presença de uma ideologia que legitime o papel do Estado em um projeto nacional de industrialização. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  5. 5. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Gerschenkron e os retardatários As razões que justificariam o papel do Estado, segundo Gerschenkron, estão ligadas ao fato de que, à medida que a Revolução Industrial mudou os limites do progresso tecnológico, os processos de produção (sobretudo industriais) foram ficando cada vez mais capital-intensivos, com técnicas de produção cada vez mais sofisticadas, tornando a possibilidade de catching-up por parte dos retardatários cada vez mais difícil e custosa. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  6. 6. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Gerschenkron e os retardatários Embora o livro foque países que se desenvolveram no fim do séc. 19, o modelo se mostra válido para entender porque as estratégias de desenvolvimento econômico de países com processos de industriali- zação no pós-guerra (por exemplo, Japão, “tigres” asiáticos e, mais recentemente, China), tiveram de implantar modelos próprios de desenvolvimento. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  7. 7. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Distribuição matrículas - Ensino Superior Apresentação: Slide cedido SINCONEE 17.06.2009 IX por Carlos Henrique de Brito Cruz em Apoio e de Divisão de março Engº Fernando Goldman 2009, agradecimentos ao Prof. Sérgio SallesControle de Qualidade
  8. 8. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Fonte: OECD SCIENCE, TECHNOLOGY AND INDUSTRY OUTLOOK 2008 Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  9. 9. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Fonte: OECD SCIENCE, TECHNOLOGY AND INDUSTRY OUTLOOK 2008 Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  10. 10. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Fonte: OECD SCIENCE, TECHNOLOGY AND INDUSTRY OUTLOOK 2008 Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  11. 11. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: • A Coréia tem procurado construir uma sólida base para a promoção sistemática e utilização de HRST. • Com base em uma lei especial sobre o apoio a C&E promulgada em 2004, está sendo implementado o primeiro plano básico de fomento e apoio a RH em C&E (2006-10). • Em 2007, foi anunciado apoio ao ciclo de vida de RHCT, abrangendo: educação; recrutamento; emprego; e aposentadoria. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  12. 12. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Educação • criação de programa da escola fundamental à graduação destinado a atrair jovens talentos para desenvolver carreiras em C&E e RHCT. • nº de centros para os talentos em ciência aumentou de 171 (2003) para 231 (2006). • nº de bolsas concedidas a estudantes na ciência também aumentou de 110 (2003) para 535(2006). • nº das empresas que receberam bolsas aumentou, passando de 5 872 (2003) para 16 213 (2006). • % de alunos graduando em C&E aumentou, passando de 74,3% (2003) para 83,3% (2006) Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  13. 13. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Recrutamento • O governo tem trabalhado para criar empregos para graduados em C & E atraindo talentos em C&T, através de várias medidas de apoio. • Por exemplo, políticas para aumentar o número de RHCT, especialmente as mulheres, recrutadas em agências governamentais ou organizações públicas. • Além disso, o prazo de obrigação de serviço público para os pesquisadores foi reduzido de cinco para três anos. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  14. 14. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Emprego • O governo está empenhado em criar um ambiente mais estável de pesquisa e incentivar o espírito C&T. • Tem aumentado a percentagem da receita bruta dos royalties oferecidos aos investigadores de 35% em 2003 para 50% em 2006. • Desde 2004, um programa de pensão de benefício mútuo foi criado para garantir benefícios de bem- estar de pós-aposentadoria para os cientistas e engenheiros. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  15. 15. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências O papel das políticas públicas: Aposentadoria • Apoio a uma pós-aposentadoria estável, utilizando a experiência dos cientistas e engºs aposentados. • Por exemplo, pesquisadores aposentados prestam apoio técnico às PME através do Projeto Tehcno Doctor, no qual o governo paga KRW 2 milhões por pesquisador enquanto a empresa oferece KRW 0,5 milhão por pessoa como contrapartida. •O programa visa colocar o conhecimento dos cientistas e engenheiros aposentados para uso prático em sua área específica, foi ampliado em 2006(236 aposentados.) Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  16. 16. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Industrialização tardia... ... não se faz com P&D&I, mas sim com E&I&P&D “...nas empresas que operam em economias emergentes, como por exemplo, na América Latina, na Ásia, na África do Sul ou alguns países do Leste Europeu, é rara a incidência de laboratórios de P&D formalmente estruturados conforme aqueles encontrados em empresas de economias industrializadas. Não obstante, atividades tecnológicas inovadoras e complexas são conduzidas através dos departamentos de engenharia, de qualidade, de manutenção. É muitas vezes nessas unidades organizacionais que estão acumuladas grande parte das capacidades tecnológicas inovadoras das empresas.” (FIGUEIREDO, 2004) Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade
  17. 17. O Apagão das Engenharias no Brasil Contexto, Causas e Conseqüências Debate www.kmgoldman.blogspot.com Engº Fernando Goldman http://www.slideshare.net/goldman Email: fernandogoldman@yahoo.com.br fgoldman@furnas.gov.br Referências FIGUEIREDO, P. N. Aprendizagem tecnológica e inovação industrial em economias emergentes: uma breve contribuição para o desenho e implementação de estudos empíricos e estratégias no Brasil. In: Revista Brasileira de Inovação, vol. 3, n. 2, p.323. Rio de Janeiro: FINEP, 2004. GERSCHENKRON, A. Economic Backwardness in Historical Perspective: A Book of Essays. Cambridge, MA: Belknap Press of Harvard University Press, 1962. 456 pp. Apresentação: IX SINCONEE 17.06.2009 Divisão de Apoio e Engº Fernando Goldman Controle de Qualidade

×