(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

(13) apresentação aula 13 a imagem e semelhança de deus.

  • 4,224 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
4,224
On Slideshare
4,219
From Embeds
5
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
45
Comments
0
Likes
2

Embeds 5

http://glaucia-barros.blogspot.com.br 4
http://glaucia-barros.blogspot.com 1

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Gn 1.27O homem, a imagem e semelhança de Deus
  • 2. Edições A Doutrina do Homem
  • 3. Edições Perguntas Normativas Por que Deus Para a glória de Deus. Jo 17.5, 24; Is 43.7; criou o homem? Ef 1.11-12; 1Co 10.31 Qual o Cumprir com o objetivo propósito da de nossa criação. existência Jo 10.10; Sl 16.11; Rm 5.2-3; Fp 4.4; humana? 1Ts 5.16-18; Tg 1.2; 1Pe 1.6, 8
  • 4. Edições Perguntas Normativas O que significa Significa que o homem tem ser a imagem e traços do criador e o semelhança de representa. Gn 1.26 Deus? O que ocorreu Vários elementos de sua na queda do semelhança com Deus se homem? perderam. Ec 7.29
  • 5. Edições Perguntas Normativas Qual o plano de Nossa gradual recuperação da Deus para nós, em semelhança com Deus. Cristo? Cl 3.10; 2Co 3.18; Rm 8.29 Quando isso se Na volta de nosso Senhor, dará Jesus Cristo. completamente? 1Co 15.49; Cl 1.15; Rm 8.29; 1Jo 3.2
  • 6. Edições As Semelhanças do Homem em Relação a Deus Moralidade Espiritualidade Sensibilidade Inteligência Capacidade de Relacionamento
  • 7. 1. O significado de “imagem de Deus”. De todas as criaturas que Deus fez, só de uma delas, o homem, diz-se ter sidofeita “à imagem de Deus”. O que isso significa? Podemos usar a seguintedefinição: o fato de ser o homem à imagem de Deus significa que ele é semelhantea Deus e o representa. 2. A queda: a imagem de Deus se distorce, mas não se perde. Podemos nos perguntar se é possível conceber que o homem, mesmo depois de pecar,ainda é como Deus. Essa pergunta é respondida ainda no início de Gênesis, onde Deusdá a Noé a autoridade de estabelecer a pena de morte para o homicídio logo depois daenchente; Deus diz: “Se alguém derramar o sangue do homem, pelo homem sederramará o seu; porque Deus fez o homem segundo a sua imagem” (Gn 9.6). Mesmosendo os homens pecadores, ainda resta neles bastante semelhança a Deus, tanto queassassinar outra pessoa (“derramar o sangue” é uma expressão do Antigo Testamentoque significa tirar a vida humana) é atacar a parte da criação que mais se parece comDeus, e revela uma tentativa ou desejo (se isso fosse possível ao homem) de atacar opróprio Deus.
  • 8. 3. A redenção em Cristo: a recuperação gradual da imagem de Deus. No entanto, é animador abrir o Novo Testamento e ver que nossa redenção em Cristo significa que podemos, mesmo nesta vida, gradualmente crescer cada vez mais na semelhança de Deus. Por exemplo, Paulo diz que como cristãos temos uma nova natureza, que “se refaz para o pleno conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou” (Cl 3.10). À medida que vamos crescendo no verdadeiro conhecimento de Deus, da sua Palavra e do seu mundo, começamos a pensar cada vez mais os pensamentos que o próprio Deus tem. 4. Na volta de Cristo: a completa restauração da imagem de Deus. A admirável promessa do Novo Testamento é que, assim como somos hoje comoAdão (sujeitos à morte e ao pecado), também seremos como Cristo no futuro(moralmente puros, jamais sujeitos à morte de novo): “Assim como trouxemos aimagem do que é terreno, devemos trazer também a imagem do celestial” (1Co15.49). A plena medida da nossa criação à imagem de Deus não se vê na vida deAdão, que pecou, nem na nossa própria vida hoje, pois somos imperfeitos.
  • 9. 5. Aspectos específicos da nossa semelhança a Deus. Embora tenhamos argumentado acima que seria difícil definir todos os aspectos emque somos semelhantes a Deus, podemos assim mesmo mencionar vários aspectos quenos revelam mais parecidos com Deus do que todo o restante da criação. ASPECTOS MORAIS a.Somos criaturas moralmente responsáveis pelos nossos atos perante Deus. Correspondente a essa responsabilidade, temos b.um senso íntimo de certo e errado que nos separa dos animais (que têm pouco ou nenhum senso inato de moralidade ou justiça, mas simplesmente reagem ao medo do castigo ou à esperança da recompensa). Quando agimos segundo os parâmetros morais divinos, nossa semelhança a Deus se espelha numa c.conduta santa e justa perante ele, mas, por outro lado, nossa dessemelhança a Deus se revela sempre que pecamos.
  • 10. ASPECTOS ESPIRITUAIS (4) Não temos somente corpos físicos, mas também espíritos imateriais, e podemosportanto agir de modos significativos no plano de existência imaterial, espiritual. Issosignifica que temos (5) uma vida espiritual que possibilita que nos relacionemos pessoalmente comDeus, que oremos a ele e o louvemos, e ouçamos as palavras que ele nos diz. Animalnenhum jamais passou uma hora absorto em oração intercessória pela salvação de umparente ou de um amigo! Vinculado a essa vida espiritual está o fato de possuirmos (6) imortalidade; não cessaremos de existir, mas viveremos para sempre. ASPECTOS MENTAIS. (7) Temos a capacidade de raciocinar e pensar logicamente e de conhecer o que nosdistingue do mundo animal. Os animais às vezes exibem conduta admirável nasolução de complicações e problemas no mundo físico, mas certamente não se ocupamdo raciocínio abstrato — não há algo como a “história da filosofia canina”, porexemplo, nem nenhum animal desde a criação evoluiu na compreensão de problemaséticos ou no uso de conceitos filosóficos, etc. (8) O uso que fazemos da linguagem complexa, abstrata, nos distingue dos animais.Pude pedir ao meu filho de quatro anos de idade que fosse pegar a chave de fendagrande e vermelha lá na caixa de ferramentas no porão. Mesmo que jamais a tivessevisto antes, poderia facilmente executar a tarefa, pois já conhecia os significados de“ir”, “pegar”, “grande”, “vermelha”, “chave de fenda”, “caixa de ferramentas” e“porão”.
  • 11. (9) Outra diferença intelectual entre seres humanos e animais é que temos umanoção de futuro distante, até um senso íntimo de que sobreviveremos à nossa mortefísica, senso que a muitos proporciona o desejo de tentar mostrar-se retos diante deDeus antes de morrer (Deus “pôs a eternidade no coração do homem”, Ec 3.11). (10) Nossa semelhança a Deus também se percebe na criatividade humana emáreas como a arte, a música e a literatura, e na engenhosidade científica e tecnológica.Não devemos pensar que essa criatividade se restringe aos músicos ou artistasmundialmente famosos; também se reflete de maneira muito bela nas peças oubrincadeiras inventadas pelas crianças, na destreza que há no preparo de umarefeição, na decoração de um lar ou no cultivo de um jardim, e na criatividade exibidapor todo ser humano que conserta algo que simplesmente não funcionava bem. (11) No aspecto das emoções, nossa semelhança a Deus se percebe numa grandediferença de grau e complexidade. É claro que os animais também exibem algumasemoções (qualquer pessoa que já tenha tido um cachorro certamente se lembra deevidentes expressões de alegria, tristeza, medo de castigo diante do erro, raiva seoutro animal invade seu “território”, contentamento e afeto, por exemplo). Mas nacomplexidade das emoções que vivenciamos, novamente somos bem diferentes doresto da criação.
  • 12. ASPECTOS RELACIONAIS Além da capacidade única de nos relacionarmos com Deus, há outros aspectosrelacionais ligados à imagem de Deus. (12) Embora os animais sem sombra de dúvida tenham alguma noção decomunidade, a profundeza de harmonia interpessoal que se vivencia no casamentohumano, numa família humana que funcione segundo os princípios divinos, e numaigreja em que a comunidade de crentes ande em comunhão com o Senhor e uns comos outros, é muito maior do que a harmonia interpessoal vivenciada pelos animais.Na nossas relações familiares e na igreja também somos superiores aos anjos, quenão se casam nem geram filhos nem vivem na companhia dos filhos e filhas remidosde Deus. (13) No próprio casamento, espelhamos a natureza de Deus no fato de os homens eas mulheres gozarem de igualdade de importância mas diversidade de papéis, desdeque Deus nos criou. (14) O homem é como Deus no seu relacionamento com o restante da criação.Especificamente, o homem recebeu o direito de reger a criação, e quando Cristovoltar receberá até autoridade para julgar os anjos (1Co 6.3; Gn 1.26, 28; Sl 8.6-8).