• Like
  • Save
A mentira
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

A mentira

  • 5,224 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
5,224
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. JakexNesse - A MentiraAutor(es): GLAUCIA, GLAUCIABLACK2Sinopse100% ORIGINAL - RECUSE PLÁGIO!!! ... ... ... Uma mentira foi contada e um grande amor está terrivelmente ameaçadopelo ódio e desejo de vingança. Será que um grande amor é capaz de perdoarum crime tão terrível e a mentira para ocultar esse crime?Será que o desejo devingança será maior que o pedão?**************************************************************Eu quis matá-la e depois quis morrer de tanto desgosto e sofrimento. Masdecidi que acabaria com ela lentamente, usando aquele velho ditado: “Vingança é um prato que se come frio!” e no meu caso, comeria bem gelado.Tracei algumas metas para cumprir o meu plano de vingança e as seguiria apartir desse momento:SeduzirFazer sofrerHumilharEnlouquecerDestruirMatarEssas seriam as metas para a minha nova vida e depois que conseguisse o quequeria, poderiam em fim acabar com a minha vida.Então decidi que me vingaria dela da pior forma possível e começaria aplanejar como a destruiria. E depois que estivesse totalmente arrasada, semdefesa, sem forças para lutar ou reagir, nós morreríamos juntos. Jacob e Renesmee - Realidade alternativaNotas da históriaEssa fic poderá apresentar passagens impróprias para menores de 16 anos.
  • 2. Índice(Cap. 1) PRÓLOGO(Cap. 2) JAKEXNESSE(Cap. 3) VIAGEM(Cap. 4) CRIME(Cap. 5) PLANO(Cap. 6) JOGO DE SEDUÇÃO(Cap. 7) JOGO DE SEDUÇÃO - PARTE 2(Cap. 8) NOIVOS(Cap. 9) CASAMENTO - PVO NESSE(Cap. 10) CASAMENTO - PVO JAKE(Cap. 11) LUA DE MEL - PVO NESSE(Cap. 12) LUA DE MEL - PVO JAKE(Cap. 13) SOFRIMENTO - PVO NESSE(Cap. 14) SOFRIMENTO - PVO JAKE(Cap. 15) HUMILHAR - PVO NESSE(Cap. 16) HUMILHAR - PVO JAKE(Cap. 17) ENLOUQUECER - PVO NESSE(Cap. 18) ENLOUQUECER - PVO JAKE(Cap. 19) FUGA - PVO NESSE(Cap. 20) FUGA - PVO JAKE(Cap. 21) BÔNUS - ESCONDENDO SEGREDOS DE EDWARD(Cap. 22) BÔNUS – MENTINDO PARA EDWARD - PVO BELLA(Cap. 23) AMANDA - PVO NESSE(Cap. 24) PROCURA - PVO JAKE(Cap. 25) AMOR A PRIMEIRA VISTA – PVO NESSE(Cap. 26) ATRAÇÃO FATAL – PVO NESSE(Cap. 27) AMOR A PRIMEIRA VISTA – PVO JAKE (nova postagem)(Cap. 28) ATRAÇÃO FATAL – PVO JAKE(Cap. 29) BÔNUS - PENSAMENTOS – PVO EDWARD(Cap. 30) BÔNUS - REVELAÇÃO PVO EDWARD(Cap. 31) BÔNUS – A MENTIRA(Cap. 32) BÔNUS – CONFISSÃO(Cap. 33) REVELAÇÃO PVO NESSE(Cap. 34) O QUE EU FIZ? PVO NESSE(Cap. 35) REVELAÇÃO PVO JAKE(Cap. 36) BÔNUS – INVEJA – PVO ASSASSINA(Cap. 37) OH! MINHA FILHA NÃO – PVO NESSE
  • 3. (Cap. 38) OH! MINHA FILHA NÃO – PVO JAKE(Cap. 39) LONGA ESPERA – PVO JAKE(Cap. 40) A CARTA – PVO NESSE(Cap. 41) A última vez – PVO JAKE(Cap. 42) A última vez – PVO NESSE(Cap. 43) O CONFRONTO – PVO JAKE(Cap. 44) BÔNUS - ANALISANDO OS PENSAMENTOS – PVOEDWARD(Cap. 45) O CONFRONTO – PVO NESSE - PARTE 1(Cap. 46) O CONFRONTO – PVO NESSE – PARTE 2(Cap. 47) ESPERANÇA - PVO NESSE(Cap. 48) BÔNUS -MISSÃO IMPOSSIVEL – O RESGATE – PVO ALICE(Cap. 49) REENCONTRO – PVO NESSE(Cap. 50) PENÚLTIMO CAPÍTULO – MAL ENTENDIDO – PVO JAKE(Cap. 51) PENÚLTIMO CAPÍTULO – MAL ENTENDIDO – PVO JAKE(Cap. 52) CAP FINAL – EU SEMPRE VOU TE AMAR – PVO NESSE(Cap. 53) CAP FINAL – EU SEMPRE VOU TE AMAR – PVO JAKE(Cap. 54) BÔNUS – CASAMENTO(Cap. 55) EPÍLOGO(Cap. 1) PRÓLOGONotas do capítuloPessoal, como todos que acompanharam minhas duas fics perceberam, nãogosto de dejavu. Então entraremos em uma trama onde nossos personagensirão se amar apaixonadamente, mas terão muitos conflitos e viverão noslimites do amor e do ódio.A trama começará com uma tragédia, seguida de uma mentira que mudará orumo da vida de dois jovens que se amam demais.Espero que realmente gostem dessa nova trama. PRÓLOGO Pvo Jake O que você faria se a pessoa que você mais ama no mundo fosse a suapior inimiga? Se ela cometesse o único crime que você não perdoaria?
  • 4. Eu quis matá-la e depois quis morrer de tanto desgosto e sofrimento. Masdecidi que acabaria com ela lentamente, usando aquele velho ditado: “Vingança é um prato que se come frio!” e no meu caso, comeria bem gelado. Tracei algumas metas para cumprir o meu plano de vingança e as seguiriaa partir desse momento: – Seduzir – Fazer sofrer – Humilhar – Enlouquecer – Destruir – Matar Essas seriam as metas para a minha nova vida e depois que conseguisse oque queria, poderiam em fim acabar com a minha vida. PVO Nesse O que você faria se tivesse um segredo tão terrível, que não poderiacontar nem para sua melhor amiga? Se esse segredo destruísse todos os seussonhos? Se você pudesse perder o amor da sua vida? Vivo apavorada e com medo que descubram o que fiz. E para esconder omeu segredo, estou disposta a mentir, enganar e manipular.. Não posso perder o meu único e verdadeiro amor!! Meu Jake!!! Meu amor!! Uma mentira pode se tornar uma verdade e uma verdade uma mentira, dependendo da forma que é contada e por quem é contada!!(Cap. 2) JAKEXNESSE
  • 5. Notas do capítuloPessoal, essa cap é para mostrar como era a relação de Jake e Nesse antes tudoacontecer. JANEXNESS PVO NESSE Meu nome é Renesmee Cullen e era uma garota um pouco diferente dasgarotas da minha idade. Tinha 8 anos, mas minha aparência era de uma garotade 18.Era uma meta vampira, estava cursando o terceiro ano do ensino médioem Clallam Bay High School. Meus pais e eu vivíamos com nossos parentes, avós, tios e Megan, emuma imensa mansão em Clallam Bay, que fica ao norte de Washington eficava aproximadamente 1 hora de La Push. Megan havia sido adotava por Rosali e Emmett há alguns anos antes,quando Tanya pediu que tomássemos conta dela, porque Carmen teve ciúmesde Eleazar. Então ela passou a ser a filha adotiva dos meus tios, minha melhoramiga e quase irmã. Além de uma família de vampiros, pouco convencional, namorava umlindo rapaz chamado Jacob Black que se transformava um lobo marromavermelhado constantemente. E a maioria nos nossos amigos também eramlobos. Então não me considerava uma adolescente normal, levando-se emconsideração a minha estranha família, meu namorado e meus amigos. Cresci cercada de mimos e amor da minha família e de Jake, que até doisanos antes, era só meu melhor amigo. Mas depois que comecei a metransformar em uma mulher, as coisas estão ficando um pouco estranhas entrenós e começou a rolar um clima. E quando percebemos, estávamosnamorando para o desespero do meu pai, que fez de tudo para impedir noinício.
  • 6. Amava Jake loucamente e cada célula do meu corpo gritava por ele, masmeu amado namorado era muito respeitoso e estava pretendendo esperar pornosso casamento para termos um pouco mais de intimidade. E isso medeixava completamente alucinada e algumas vezes quase subia pelas paredes. Ele tinha um corpo maravilhoso e quando estávamos juntos tinha vontadede mordê-lo todinho. Contudo ele impôs alguns limites para a nossa relação eisso estava me enlouquecendo. Às vezes achava que ira pegar fogo e tanto calor que sentia, mas até aindaestávamos no zero a zero. Ele pretendia preservar a minha pureza até o nosso casamento e eu achavaaquilo ridículo. – Como se eu quisesse ficar pura!! – Já sou sua!! – Toda sua!! – Para que esperar mais¿ – Que saco!! – Jake!! Meu Jake!! Lindo!! Maravilhoso!! Gostoso!! Como te quero!!Como te desejo!! – Por que precisamos esperar tanto se já sou toda sua¿ Pensei Jake iria viajar para o Havaí em dois dias, pois a sua irmã Rebecca estavamuito doente e internada. Então pela primeira vez em tantos anos ficaríamoslonge um do outro. Pedi meu pai para ir com ele, mas apesar de todas as minhas tentativas,não consegui permissão. E isso está me deixando maluca!!
  • 7. Como vou ficar um dia sem beijar aquela boca maravilhosa¿ Sem sentir o seu gosto e seu cheiro¿ Como queria ir com meu Jake!!! Eu o amo tanto!! Faria tudo por ele!! Tudo! Aquela manhã, estava deitada na cama do meu quarto, após faltar aulas acontra gosto dos meus pais, e esperava Jake para passarmos o dia inteirojuntos. Enquanto esperava, refletia sobre a nossa relação, sobre as implicânciasdo meu pai e sua insistência de ir para universidade antes de me casar. Entãoouvi a porta abrir baixinho e a imagem do meu Apólo entrando lentamentecom um sorriso imenso no rosto. – Jake, amor!! Já estava ansiosa! Disse enquanto ficava de pé e analisavaaquele corpo maravilhoso pela milésima vez. Lindo!! Tão gostoso!!! Todinho meu!! Ai!! Acho que vou ter umahipertermia!! Ui!! – Oi princesa! Como se sente hoje¿ Ele perguntou com um sorriso nocanto dos lábios. – Com saudade!! Morrendo a cada segundo. Disse me agarrando a elefortemente, enquanto meu nariz procurava pelo seu cheiro maravilhoso deamêndoa. – Eu nem partir ainda. Já está assim¿ Ele disse, levantando o meu rosto epuxando meu queixo para próximo de sua boca.
  • 8. – Muita!! Morrendo!! Respondei e depois deu um beijo ansioso em seuslábios. E pude sentir o gosto maravilhoso de sua boca, se movendo lentamentena linha, enquanto abriu a procura da minha língua. Aquele beijo foi calmo emuito suava, e sentia a sua língua se movendo sem pressa e urgência.Enquanto aproveitava cada movimento circular. Céus!! Esse beijo foi muito bom!! Muito gostoso!! Ai, Jake!! Continua ame beijar desse jeito... por favor, não para!! Quero te beijar assimsempre.Pensei – O que minha branquinha quer fazer hoje¿ Ele sussurrou em meu ouvido,depois que parou de me beijar. – Quero nadar! Vamos para o Lago Ozzette¿ Perguntei, já planejando onosso dia sozinhos no lago, quase sem roupas. Ai!! Isso vai ser muito bom!! Um dia inteiro navegando nesse corpoperfeitamente esculpido em forma de homem. Ai!! Vou acabar explodindoqualquer hora dessas!! – Tem certeza¿ Não quer fazer outra coisa. Ele perguntou franzindo assobrancelhas, enquanto eu o puxava para minha cama. Acho que podemos aproveitar aqui na minha cama mais um pouquinho!!Meu Jake!! Lindo!! Maravilhoso!! – Nesse, por favor! Não faz isso!! Tira a mão daí! Ele ordenou e seafastou de mim. – Não estamos fazendo nada demais. Disse, fingindo-me de inocente. Ainda não estamos fazendo nada, mas se quiser... podemos fazer tudo.
  • 9. – Nesse, seu pai já tem motivos para tentar nos separar e ficar implicandocomigo. Se ele nos pega na sua cama, mesmo que não façamos nada... vai seruma “M”. E sabe que quero evitar problemas e fazer tudo certinho paracasarmos logo. – Jake! Você sabe qual a única forma de obrigar meu pai a nos deixarcasar¿ Então acho que poderia colaborar um pouco comigo! Respondi paraele. Se nós dormirmos juntos, ele não terá outra alternativa. Seu bobinho!!Pensei. – Nesse, você sabe que quero fazer as coisas certinhas. Se fosse qualqueroutra garota, a levaria para cama sem me importar. Mas você é a mulher queescolhi para mim e vou respeitá-la até chegar o momento certo. Então nãovamos começar essa discussão novamente. – OK!! Vamos parar por aqui!Vou me arrumar, para irmos logo. Realmente não vou discutir a minha castidade com você!! Já estoucansada disso!! Agora vou agir!! – Coloque uma roupa fresca, não deixe levar roupas e toalhas. Ah!! Ofiltro solar!! Não quero a minha branquinha vermelha e descascando. – Espera só um pouco que já volto. Disse para ele. Fui para o meu banheiro enorme, tomei um banho frio, depois passeihidratante pelo corpo (o que Jake mais gostava), coloquei uma bermuda jeans,uma camiseta branca da Marie, o meu adidas branco, penteei os meus cabelos,escovei os dentes e já estava pronta.
  • 10. Antes de sairmos, coloquei toalhas e roupas em uma mochila e fomospara o nosso passeio de despedida. Durante o caminho, ele começou com aquela conversa sobre auniversidade e isso começava a me irritar profundamente, porque não tinha aintenção de cursar nada e ele e meu pai insistiam no assunto. – Nesse, já começou a enviar os formulários para as universidades¿ Eleperguntou, enquanto dirigia. – Não! Mais meu adorável pais está fazendo isso por mim. Disse fazendouma careta e demonstrando o meu descontentamento. Ai, Jake! Não vai estragar o nosso dia com essa lenga lenga novamente!Que chato. Pensei. – Você tem que pensar nisso. E sabe que seu pai só vai permitir casarmosdepois da universidade. Ele disse. – Não!! Sabe que não vou para a universidade! E não vou discutir issocom você. Não hoje!! Respondi passando a mão sem seus cabelos. – Chegamos!! Ele disse estacionando o carro. – Finalmente!! Um dia inteiro só nosso!! Todo nosso!! Sozinhos!! Ai, Jake!! Hoje quero tudo!! Simplesmente tudo e você não vai meescapar.
  • 11. Nós descemos do carro e fomos pela trilha até o enorme lado. Entãotiramos nossas roupas e caímos na aguar, e ficamos brincando como duascrianças. Mas apesar do clima perfeito, Jake conseguiu se conter mais umavez e não consegui o que queria. E mesmo assim, estava feliz por ter meuamor todo para mim um dia inteiro. Quando começou anoitecer, ele me levou para casa e ainda namoramosmais um pouco. Pois sabíamos que teríamos apenas algumas horas juntos, atéa sua viagem para o Havai. PVO Jake Sou Jacob Black, mas as pessoas me chamavam de Jake, tinham 24 anos,morava em uma alteia Quileut chamada La Push, vivia como lobo nas minhashoras vagas, trabalhava em uma grade oficina em Forks e namorava a garotamais linda e mais incrível do mundo. E se não fosse pelo fato dela ser umameta vampira e ter uma família de vampiros, com um pai muito ciumentoseria perfeita. Nesse era a criatura mais linda, maia maravilhosa, encantadora, sedutora,inteligente, amável e doce do mundo. E não sabia o que seria da minha vidasem minha doce princesa. Tive uma impressão com ela, quando ainda era uma recém nascida edesde então não pude me afastar mais dela. Durante oito anos de sua vida, fui seu irmão, seu companheiro de caças,seu melhor amigo. Mas o tempo passou e passei a vê-a com outros olhos,apaixonando-me perdidamente por ela a cada dia. Se alguém me perguntasse o que era minha vida sem Nesse, diria que nãoexiste vida pois vivia para amá-la e fazê-la feliz. Ela era extremamente sedutora e fazia tudo para que perdesse a cabeça,pois estava doida para fazer amor comigo. Só que queria em algo mágico eespecial, e não achava que estava pronta para esse tipo de envolvimento.
  • 12. Então tentava adiar um pouco, até o nosso casamento, que esperava que serbreve. Estava juntando todo dinheiro que ganhava para comprar uma casinhamodesta para nós dois, e quem sabe em um ou dois anos finalmente pediria asua mão, apesar de saber o chilique que seu pai daria. Aquela semana estava muito triste, pois viajaria para o Havaí e ficarialonge da minha Nesse pela primeira vez. Então estava com o coração apertadode tanta saudade, que já sentia. Ela bem que insistiu para ir e eu adoraria. Mas seu pai não permitiu,temendo que acontecesse algo entre nós. – Minha Nessa!! Linda !! Maravilhosa!! Deliciosa!! – Eu também quero muito você, mas você é tão criança! – Não quero te machucar!! Se puder esperar só mais um tempo... te fareia mulher mais feliz do mundo!! – Te amarei por toda a minha vida!! – Minha Nesse!! – Meu amor!! –Minha princesa!! – Minha branquinha!! Havia combinado com ela de passarmos o dia juntos antes da minhaviagem. Então pedi folga em meu emprego e fui cedo para casa da minhabranquinha. E estava ansioso para ficar agarradinho com ela, sentindo seucheiro, seu gosto e tocar a sua pela aveludada.
  • 13. Estava dirigindo para a casa da minha branquinha, lembrando do seulindo rosto e da forma como fazia beicinho quando negava o que ela queria.Então cheguei na casa dos Cullens e percebi que a casa estava vazia. Corri para o quarto da minha Nesse, abri a porta bem de vagar e meusorriso se abriu quando a vi deitada na cama, linda e maravilhosa comosempre. – Jake, amor!! Já estava ansiosa! Ela disse ficando de pé e analisandomeu corpo para me tentar. – Oi princesa! Como se sente hoje¿ Perguntei com um sorrindo para ela,mas com uma imensa vontade de agarrá-la e beijá-la todinha. Linda!! Maravilhosa!! Ai como queria ter você por completo e te fazerminha mulher. Quando tempo mais vou esperar para isso¿ Te quero tanto!!Pensei – Com saudade!! Morrendo a cada segundo. Disse e depois me agarrou,abraçando-me e cheirando o meu peito. – Eu nem partir ainda. Já está assim¿ Eu disse, puxando seu queixo parapróximo da minha boca. Quero beijar muito essa boca deliciosa!! Quero te beijar o dia inteiro!!Ter todos os beijos que perderei nesses dias. Pensei – Muita!! Morrendo!! Ela disse e depois me beijou delicadamente. Nossos lábios se moviam sem pressa, sem ansiedade, de forma bemtranqüila aproveitavam cada movimento e nossas línguas se movialentamente, sentindo cada toque como se fosse o último de nossas vidas. Sentimeu corpo inteiro arrepias com aquele beijo foi tão mágico, que fazia cada
  • 14. célula do meu corpo gritar desesperadamente pelo dela e as borboletas voaremcom ferocidade em meu estômago. – O que minha branquinha quer fazer hoje¿ Sussurrei em seu ouvido,depois do nosso beijo. Minha Nesse!! Se você soubesse como me deixa louco e a força que façopara não te tomar aqui mesmo! – Quero nadar! Vamos para o Lago Ozzette¿ Ela perguntou. – Tem certeza¿ Não quer fazer outra coisa. Perguntei franzindo assobrancelhas, enquanto ela me puxava para a sua cama. Céus!! Não, Nesse!! Não faça isso!! Por favor, não me torture dessejeito!! Não vou conseguir agüentar essa tortura! Você é tão linda! Tãomaravilhosa!! – Nesse, por favor! Não faz isso!! Tira a mão daí! Ordenei e me afasteidela. Não faz isso, Nesse!! Se você avançar mais um pouquinho... vou perderminha cabeça!! Por favor, não!! – Não estamos fazendo nada demais. Disse, fazendo-se de inocente. – Nesse, seu pai já tem motivos para tentar nos separar e ficar implicandocomigo. Se ele nos pega na sua cama, mesmo que não façamos nada... vai seruma “M”. E sabe que quero evitar problemas e fazer tudo certinho paracasarmos logo. Não quero que seja desse jeito tão vulgar!! Quero algo especial e mágicopara nós dois. Por que me tenta tanto, minha princesa¿
  • 15. – Jake! Você sabe qual a única forma de obrigar meu pai a nos deixarcasar¿ Então acho que poderia colaborar um pouco comigo! Disse para mim. – Nesse, você sabe que quero fazer as coisas certinhas. Se fosse qualqueroutra garota a levaria para cama sem me importar. Mas você é a mulher queescolhi para mim e vou respeitá-la até chegar o momento certo. Então nãovamos começar essa discussão novamente. Realmente não quero voltar a discutir isso com você, princesa. Se vocêpelo menos entendesse o meu ponto de vista! – OK!! Vamos parar por aqui!Vou me arrumar, para irmos logo. Eladisse. – Coloque uma roupa fresca, não deixe levar roupas e toalhas. Ah!! Ofiltro solar!! Não quero a minha branquinha vermelha e descascando. Dissepara ela. – Espera só um pouco que já volto. Ela respondeu. Fiquei sentado na cama da minha princesa, cheirando o seu travesseiropor aproximadamente uma hora até ela voltar pronta para sairmos. E pensavaseriamente em ceder as vontades de Nesse e precipitar as coisas entre nós. Durante o caminho, puxei o assunto sobre a universidade. Pois estavamuito interessado sobre onde ela estaria no próximo ano. E ao mesmo tempopreocupado com a distância que ficaríamos nesse período. Contudo o seufuturo era importante demais e não deixaria que abandonar tudo para ficarcomigo em uma vida medíocre.
  • 16. – Nesse, já começou a enviar os formulários para as universidades¿Perguntei, enquanto dirigia e tentava parecer casual. – Não! Mais meu adorável pai está fazendo isso por mim. Respondeufazendo uma careta. – Você tem que pensar nisso. E sabe que seu pai só vai permitir casarmosdepois da universidade. Disse. – Não!! Sabe que não vou para a universidade! E não vou discutir issocom você. Não hoje!! Ela Respondeu passando a mão meus cabelos. – Chegamos!! Disse estacionando o carro. – Finalmente!! Um dia inteiro só nosso!! Todo nosso!! Sozinhos!! Elagritava, radiante de felicidade. Abri a porta do carro, peguei sua pequena mão e a conduzi pela trilha atéo lago. Quando chegamos, tiramos as nossas roupas e ficamos com trajes debanho. Então pulamos na água e ficamos o dia inteiro juntinhos, namorandosem nenhuma pressa e com muito carinho tentava confortá-la pelo abandonaque a deixaria. O dia foi passando lentamente e conversamos sobre diversas coisas. Entãoquando percebi, já estava anoitecendo e tinha que levar minha branquinhapara casa.
  • 17. Quando chegamos na casa dos Cullens, ficamos namorando mais umpouco e depois fui para casa. Pois tinha que fazer os últimos preparativos paraa viagem do dia seguinte.(Cap. 3) VIAGEM VIAGEM PVO NESSE Ele estava nú, vindo em minha direção calmamente e eu estava com meu corpo em brasas, ansiosa pelo seu toque. Ele se aproximou mais, depois me pegou pela cintura, puxando o meu corpo contra o seu. Então me beijou ferozmente, tirando todo fôlego que ainda tinha. Depois daquele beijo arrebatador, empurrou-me para trás ainda olhando em meus olhos e disse: Nunca mais serei seu!! Então virou de costas e começou a andar rapidamente pela floresta, enquanto o seguia desesperada. – Nesse!! Nesse!! Acorda, querida!! Acorda!
  • 18. – Ai mãe! O que foi? Onde é o incêndio? Disse, passando as mãos pelosmeus cabelos para tirá-los do meu rosto. – Já são seis horas e se continuar dormindo, vai fazer Jake perder o avião.Minha mãe disse para mim, enquanto alisava a minha bochecha. – Céus!! Tenho que correr!! Estou muito atrasada e ainda tenho queesperar Meg. Ai! Se ele perder o avião vai achar que fiz de propósito. Corre, Nesse!!Corre! – Mãe, avisa para Meg que desço em dez minutos. Peça-a para se arrumarrápido. Disse, pulando da cama rapidamente em direção ao banheiro. – Vê se não demora! Ela disse, saindo do meu quarto. Corri para banheiro, tirei a roupa rapidamente e me enfiei embaixo daágua fria do chuveiro. E não demorei muito na água, pois só queria despertardo meu sono e relaxar após o sonho estranho que tivera com Jake. Será que esse sonho é resultado da saudade que já estou sentindo dele? Será que estou ficando neurótica,mesmo antes de ele ir? Relaxa, Renesmee!! Ele vai voltar logo e vocês nunca mais ficarão longe um do outro. Corri para o meu closet e peguei a primeira roupa apresentável queencontrei, uma calça jeans desbotada e uma camiseta amarelo bebê. Depoisprendi os meus cabelos, pois não teria tempo para ficar arrumando meuscachos e aquela seria a melhor solução. Então escovei os dentes e passei umbatom, disfarçar a palidez do meu rosto e sai correndo como uma desesperada. – Jake, amor! Estou um pouco atrasada, mas em uma hora chego ai.Prometo que vou voar pelas estradas, mas não vou deixar você perder seu vôo.Disse para ele. – Relaxa, Nesse! Vai dá tempo, então não precisar correr tanto. –Já me despedi dos meus amigos e de Billy, e assim que chegar nóssairemos. – OK!! Vou chegar a tempo. Prometo!! TE AMO!! MILHOES DEBEIJOS!! Disse já no primeiro degrau das escadas.
  • 19. – Meg!! Vamos embora!! Não podemos nos atrasar mais!! Estavahistérica gritando para que ela viesse logo. – Nesse, você sabe que Jake não gosta de mim!. – Meg, você só vai me fazer companhia e de lá vamos para a escola. Sabemuito bem que já faltei a aula ontem e se não for hoje, meu pais ficará furiosoe vai arrumar mais um motivo para implicar com Jake. – Tudo bem!! Você venceu!! Vamos!! Ela disse saltitando, enquantodescia as escadas. Entramos no meu Mercedes preto e corri o máximo que pude pelasestradas até chegar em La Push. E normalmente teria demorado uma hora devinte, mas naquele dia chegamos em cinqüenta e cinco minutos. Estava preocupada em atrasar Jake, mas também sabia que teria que dátempo de chegarmos para assistir o primeiro tempo de aula, então nãopoderíamos perder muito tempo com despedidas. – Jake, amor! Está pronto? Perguntei assim que estacionei o carro emfrente a sua casa. – Sim! Podemos ir! Ele disse, andando na direção do carro. – Não vai se despedir de Billy? Perguntei, enquanto ele abria a porta domotorista para eu descer. – Já fiz isso!! Agora deixa eu te beijar muito, para compensar o tempoque ficarei sem você. Ele disse e depois me puxou pela cintura, apertandofortemente meu corpo contra o seu e me beijando desesperadamente. Nosso beijo foi desesperado, ansioso, saudoso e com muito desejonaquele maravilhoso e doce beijo de despedida. E a pesar de saber que não erao último, pois ainda teríamos outros no aeroporto, aproveitei cada movimentode sua língua, cada toque de suas mãos desesperadas, cada centímetro do seucorpo divinamente esculpido em forma que não mais existia. Depois que nos beijamos, pediu para deixá-lo dirigir e entrou pela portado motorista. – Bom dia Megan! Ele disse secamente sem olhar para ela e sinceramentenão entendia de onde vinha tanta antipatia, mas não toquei no assunto. – Bom dia, Jake! Ela disse, tentando parecer casual.
  • 20. – Jake, promete que vai me ligar assim que chegar? Que vai pensar emmim todos os dias? Que não vai arrumar nenhuma havaiana por lá? Que voltalogo para mim? Promete? Pedi ansiosa. Ai Jake, como vou suportar ficar sem você ? Não ver o seu sorriso lindo?Sentir o seu cheiro maravilhoso? Beijar essa boca tão gostosa? Deslizar meusdedos pelo seu corpo tão perfeito? Olhar em seus olhos negros e ver o amorque tem por mim? Como? Por favor, volta logo! Não sei quanto tempo vouagüentar ficar sem você! Meu amor!! Meu Jake!! Pensei – Nesse! Deixa de ser bobo! Você acha que um cara como eu, que namoraa garota mais linda e perfeita do mundo... que a ama com todas as forças deseu corpo... que deseja mais do que tudo nessa vida... Que é um bobo,apaixonado, totalmente frenético... vai se interessar por outra pessoa empoucos dias? Só você para pensar isso!! Você não tem noção do quanto te amo!! Eledisse, passando a mão em meus cabelos, fazendo um cafuné. – Por favor, volta logo!! Suplico que não demore tanto tempo lá. – Só vou ver o que posso fazer pela minha irmã e volto para os seusbraços. Ele disse, estacionando o carro no aeroporto. Não descemos do carro, seguidos por Meg, depois começamos a nosbeijar desesperadamente novamente, então fomos para o saguão fazer o checkin Aguardando mais 10 minutos antes de embarcar e aproveitamos para ficarabraçados , e nos beijando mais um pouco. Ele embarcou para o Havaí e Meg e eu voltamos correndo para ClallamBay, pois ainda tínhamos que pegar o primeiro tempo da aula de história. Chegamos uns vinte minutos atrasadas e o professor Steven implicou umpouco, por interrompermos a sua aula. Contudo permitiu que entrássemos eassistíssemos a sua chata explicação sobre a segunda guerra mundial. PVO JAKE Não dormi bem aquela noite, pois estava muito ansioso pela viagem epelo que veria quando chegasse ao hospital. Então fiquei revirando de um ladopara o outro, pensando em minha irmã Rebecca e em minha amada Nesse, elogo o dia começou a amanhecer.
  • 21. Fui para o banheiro e fiquei quase uma hora embaixo do chuveiro,tentando relaxar um pouco. Mas sabia que apesar do meu desanimo, nãohaveria como evitar aquela viagem e apesar se saber que Rebecca estavamuito mal, a possibilidade de ficar longe de Nesse estava me deixando muitofrenético. Depois do banho, coloquei uma calça Jeans e uma blusa preta, que Nessehavia me dado de presente, calcei os meus tênis e fui para a sala tomar café.Então comi bastante, pois não sabia quanto tempo demoraria até chegar noHavia e como a minha fome reagiria a isso. Billy estava acordado e aproveitei para me despedir dele, pois também jásentia saudade do meu velho pai. – Pai! Promete que vai se cuidar? Não vai fazer nada imprudenteenquanto estiver fora! Disse para ele, dando um tapinha em seu ombro. – Você é tão absurdo quanto sua mãe era! Ele reclamou. – Pai! Não sei quanto tempo irei ficar fora, mas saiba que vou sentirmuito a sua falta e vou ficar preocupado de você ficar aqui sozinho. Disse,encarando-o nos olhos. – Rachel vai ficar aqui comigo e sabe que Paul praticamente se mudarápara cá com ela. Então não deveria ficar sofrendo por antecedência. Eleresmungou, como fazia ultimamente. – Pai!! Quero que saiba que apesar de todas as nossas brigas e nossasdiferenças... eu o amo muito. Então não fica achando que vou viajar e ficartranqüilo por deixá-lo só. Disse. – Ok!! Vamos parar com esse sentimentalismo! Mande um beijo para suairmão e para o meu neto!! Diga para Rebecca que a amo e ainda sinto muitasaudade dela... que ela é uma ingrata e não vem visitar o seu velho pai! – Vou dizer sim! Respondi levantando do sofá e me dirigindo para aporta. – Onde você vai? Ele perguntou. – Os outros estão lá fora! Não está ouvindo os uivos? Disse, rindo paraele. – Ok! Pode ir falar com seus irmãos.
  • 22. Quando cheguei do lado de fora, todos os lobos estavam a minha esperapara fazer uma festinha. Mas não poderia me desarrumar e sujar a roupa queestava vestindo. Então ficaram na forma humana e começaram a se despedirde mim, como se nunca mais fosse voltar para casa. Depois que foram embora, fiquei sentada na porta da minha casaesperando Nesse, que já estava atrasada, mas não estava nem um poucoaborrecido. E só queria ter a oportunidade de abraçá-la, beijá-la muito e dizero quanto a amava. Então ela chegou em seu carro nada discreto e estacionou. – Jake, amor! Está pronto? Ela perguntou ao estacionar, mesmo antes deabria a porta do carro. – Sim! Podemos ir! Eu disse me levantando e dirigindo-me em direção aoseu carro. – Não vai se despedir de Billy? Ela Perguntou, enquanto eu abria a portado motorista para ela descer. – Já fiz isso!! Agora deixa eu te beijar muito, para compensar o tempoque ficarei sem você. Disse e depois a puxei pela sua cintura, apertandofortemente seu corpo contra o meu e a beijei freneticamente. Ai Nesse, quero você!! Quero muito!! Não sabe o quanto já estou nervososó pelo fato de precisar ficar longe de ti. Te amo tanto!! Se você tivesse noçãoda intensidade dos meus sentimentos! Se imaginasse o quanto me seguro paranão agir como um canalha idiota!! Vou morrer de saudade a cada minuto queficar longe e não puder sentir o seu cheiro, beijar seus lábios tão doces,percorrer minhas mãos em seus cabelos, beijar esse pescoço tãobranquinho... como queria ficar o tempo inteiro ao seu lado... te amorloucamente sem pudor... te fazer a mulher mais feliz e completa domundo...Pensei. Nos beijamos desesperadamente e não queria que aquele momentoacabasse,pois estava tão nervoso e angustiado que tinha medo de me despedirda minha princesa branquinha. Então aproveitamos cada momento daquelebeijo tão inesquecível, mas tivemos que encerrá-lo devido a hora que seadiantava. Depois que nos beijamos pedi para dirigir seu carro super veloz e entreipela porta do motorista. Então vi aquela garota sonsa e insuportável sentada no banco traseiro. – Bom dia Megan! Disse secamente para ela secamente, sem mesmoolhar na sua cara de pau.
  • 23. Por que Nesse tinha que trazer essa garota insuportável para estragarmeu dia? Pensei – Bom dia, Jake! Ela me respondeu sem dá muita importância para minhapresença. – Jake, promete que vai me ligar assim que chegar? Que vai pensar emmim todos os dias? Que não vai arrumar nenhuma havaiana por lá? Que voltalogo para mim? Promete? Nesse pedi, olhando para mim ansiosa e ao mesmotempo desesperada. Minha Nesse!! Se soubesse o quanto me angustia vê-la assim? não vouporque quer!! Tenho que ir!! Mas a minha única vontade é ficar o tempo inteiro ao seu lado, ouvindovocê contar as coisas absurdas do seu dia, você cantar essas musiquinhaschatas que me tiram do sério, você demorar horas para pentear esses cabelostão lindos, ver você caçar graciosamente e enquanto brinca com suas presas,você sorrir das coisas chatas que conto sobre o meu dia, você ficardesesperada para eu te pegar e te beijar... Como queria ficar perto de você efazer coisas ridículos, que são maravilhosas só pela sua presença!! Sabia queme dói no coração vê-la assim tão desesperada? Minha pequena é tãobobinha!! Se soubesse a intensidade dos meus sentimentos, não ficariasofrendo por coisas pequenas! – Nesse! Deixa de ser boba! Você acha que um cara como eu, que namoraa garota mais linda e perfeita do mundo... que a ama com todas as forças deseu corpo... que deseja mais do que tudo nessa vida... Que é um bobo,apaixonado, totalmente frenético... vai se interessar por outra pessoa empoucos dias? Só você para pensar isso!! Você não tem noção do quanto te amo!! Disse,passando a mão em seus cabelos. – Por favor, volta logo!! Suplico que não demore tanto tempo lá. Elaimplorava com os olhos cheios de água. – Só vou ver o que posso fazer pela minha irmã e volto para os seusbraços. Respondi enquanto estacionava o carro no aeroporto. Nós descemos do carro e fomos para o saguão, onde fiz o check in edepois ficamos agarrados nos beijando no meio do aeroporto, sem nosimportar com nada e ninguém. O tempo passou muito rápido e quando percebi, estavam anunciando omeu vôo e tive que ir embora e deixar a minha Nesse para trás.
  • 24. Estava tão cansado, que adormeci logo após a decolagem do avião. Equando acordei já estava quase na hora de desembarcar. CONTINUA CRIME. Pessoal, como ainda está muito cedo, vou tentar escrever mais um cape postar ainda hoje. Caso não poste hoje, amanhã pela manhã o capestará disponível. Não deixem de comentar!! bjn(Cap. 4) CRIMENotas do capítuloPessoal, esse cap só tem a visão de Nesse, pois Jake não teve nenhumainteração com o caso.O próximo cap será somente da visão dele e depois voltaremos a fazer com osdois PVOs.Desculpem os erros, mas terminei o cap 00:00 e já estava cansada de escrever. CRIME PVO – NESSE Aquela noite dormiu super mal e apesar de já ter ligado quatro vezes parao meu Jake, estava muito ansiosa e tive alguns pesadelos. Então acordei váriasvezes assustada e voltava a dormi,mas não conseguia muita tranqüilidade emmeus sonhos. Como era sábado e não teria aulas, preferi ficar deitada na minha camaescutando música em meu MP4 e não sair da cama, mesmo em um dia umpouco ensolarado e Meg com fazendo vários planos para nos divertirmos, semJake para atrapalhá-la.
  • 25. Fiquei deitada na minha cama, abraçada ao meu travesseiro cheirandouma camisa de Jake, quando meu celular tocou e para meu espanto era da casadele. Então fiquei um pouco nervosa, com medo que algo houvesseacontecido, mas do outro lado da linha tio Billy falava tranquilamente comigo. – Nesse! Como está¿ Ele perguntou. – Bem! E o senhor, tio Billy¿ Sentindo muita falta do filho¿ Perguntei,tentando mudar o rumo da conversa, pois logicamente ele não me ligousábado de manhã para perguntar sobre meu estado de espírito. – Querida, gostaria de ter uma conversa meio urgente com você. Poderiame encontrar no lago hoje pela manhã¿ Ele perguntou. – É claro! Mas que horas o senhor quer me ver¿ Estou um poucoindisposta hoje e se puder ser um pouquinho mais tarde. – Vou ficar no lago o período da manhã e da tarde. Se puder aparecer!Ele disse. – OK! Vou pouco antes da 12 horas. Pode me esperar. –Um beijo, Nesse! Ele disse se despedindo de mim. – Outro, tio Billy. O que será que o pai dele quer comigo¿ Muito estranho me ligar sábado tão cedo para pedir um encontro! Sempre vou para casa dele e nunca tivermos uma conversa muito longa... E agora quer conversar urgente¿ O que será que aconteceu¿ Será que houve alguma coisa com Rebecca e Jake não quis me conta¿ Ai!! Vou morrer de curiosidade se não souber logo!! Levantei da minha cama ainda com preguiça, fui para o banheiro e fiqueiembaixo do água gelada que caia do chuveiro, pensando em meu Jake tãolindo e solto pelo Havaí. E comecei a ficar frenética de tanto ciúme,mas tinhaque confiar nele e parar de ser tão boba.
  • 26. Fui para o meu closet e escolhi um vestido azul, um pouco curto, mas quedava perfeitamente para colocar sobre o biquíni que usaria para nadar, semficar aparecendo as alças. Então penteei os meus cabelos cacheados, coloqueiroupas e uma toalha na mochila e desci para tomar café da manhã. – Bom dia, Nesse! Meg disse sorrindo para mim, quando me viu entrar nacozinha. – Bom dia Meg! Respondi ainda meio desligada pela preocupação sobre aconversa com tio Billy. – Todos saíram cedo e estamos só nós duas em casa. Ela disse. – Vou sair também! Tenho que fazer uma coisa. Disse enquanto comiaum pedaço de maçã. – Onde vai¿ Ela perguntou. – Vou te contar, mas não quero que fale com ninguém. Não é segredo,mas sabe como meus pais são curiosos. – Ai! Fala logo!! – Tio Billy ligou e pediu para eu ir falar com ele no lago. E depois voucaçar,mas meus pais não podem saber que fui caçar sozinha, pois vão ficarreclamando o tempo inteiro. Disse para ela. – Ok!! Não vou conta nada a ninguém! Ela disse. – Então nos vemos mais tarde e ai podemos fazer um programa degarotas. Eu disse para animá-la. Quando sai aquela manhã de casa, não imaginava que meu destino seriairremediavelmente mudado pelos fatos que aconteceram aquele dia. Fui encontrar Billy no lago e nossa conversa foi um imenso desastre. Esai de lá correndo, apavorada e chorando pelo que havia acontecido e pelo queeu havia feito. Então sabia que as coisas mudariam quando Jake descobrissetudo e talvez me odiasse pela monstruosidade que fiz, mas fiquei tãodescontrolada que perdi totalmente a minha razão e não pensei nasconseqüências dos meus atos. Tinha que arrumar uma forma de esconder o que havia feito,mas tambémnão sabia o que fazer e como fazer. E a solução mais óbvia para mim, foi omeu silencio e contava que não descobrisse o que havia realmente acontecido.Contudo tinha certeza que alguém poderia sentir o meu cheiro e concluir que
  • 27. estive naquele local, mas se me perguntassem diria que estive lá e fui emboralogo depois, negando saber sobre qualquer coisa. Corri pela floresta desesperada, molhada e suja até chegar ao meu carro,onde finalmente troquei de roupa e parti para o mais longe possível,totalmente fora de mim e amedrontada. E a única coisa que tinha certeza eraque precisaria guardar segredo, mesmo de Meg. Resolvi caçar para me acalmar e dá um tempo para meu estado voltar aomais normal possível, se é que poderia voltar a ser normal depois daquilo, masprecisava encontrar uma distração para passar o meu tempo e evitar de ir paracasa, onde certamente meu pai leria os meus pensamentos e veria o que fiz. Então passei o dia inteiro andando sem rumo e cacei alguns animais. Equando anoiteceu, voltei para casa tentando disfarçar os meus pensamentoscom coisas banais. Mas minha mãe percebeu que estava nervosa e tentouconversar. Disse para ela que não estava bem, pelas saudades de Jake e queria ficarsozinha. Mas o meu sossego acabou logo quando Meg veio ao meu quarto ecomeçou a me perguntar o que tinha. Então lembrei que ela sabia que meencontraria com tio Billy e pedi para ela nunca contar aquilo para ninguém. Apesar de ter ficado desconfiada, jurou para mim que não contaria nempara minha mãe que fui encontrá-la aquela manhã, então fiquei mais tranqüilaapesar de saber que estava muito curiosa. Para minha grande sorte, meu pai e meus tios haviam viajado para caçar eficaria aquela noite fora. Então poderia pelo menos ficar com meuspensamentos e aturar a minha consciência, sem me preocupar com ele emminha cabeça. Queria falar com meu Jake, mas tinha medo que meu nervosismo meentregasse. Então preferi ficar quietinha com meus pensamentos, sofrendocalada pelo que havia acontecido aquela manhã. Nesse, sua burra!! O que você fez¿ Como vai olhar para Jake agora¿ Como vai conviver com isso¿ Se ele descobrir o que aconteceu vai te odiar!! Tudo estará acabado!!
  • 28. Como vai viver sem ele¿ Como você pode ser tão descontrolada¿ Por que não para de chorar!! O que adianta chorar agora¿ Você já fez a burrada!! Agora mantenha cabeça fria!! Não vai fazer besteira e nem falar besteiras!! Se precisar, vai mentir, enganar e dissimular todos os fatos!! Mas ninguém pode saber o que aconteceu!! Não queria!! Não queria mesmo ter feito o que fiz!! Por que as coisas tinham que acontecer assim¿ Por que não fiquei em casa¿ Droga!! Draga!! Jake! Por favor me perdoa!! Eu não queria!! Juro que não!!! Perdão meu amor!! Adormeci logo, mas tive pesadelos horríveis e acordei diversas vezesdurante aquela noite. Então resolvi não dormi mais e fiquei olhando para oteto do meu quarto escuro, imaginando as reações de Jake se soubesse o quefiz. E isso me deixava totalmente apavorada. Quando o dia amanheceu, minha mãe veio ao meu quarto e pediu paraconversar comigo. E reparei que sua voz era triste e de pesar. – Nesse, querida! – Oi, mãe! O que foi¿ Perguntei
  • 29. – Aconteceu algo chato... Billy teve um infarto e morreu. Eladisse,passando a mão em meu rosto. – OH! NÃO!! NÃO!! NÃO!! JAKE!! PRECISO FALAR COM MEUJAKE AGORA!! Gritei histérica. – Não, Nesse! Eles vão ligar para Jake e contar com jeitinho. Se ligaragora vai estragar tudo. – Mãe!! Preciso falar com ele!! Ele deve está sofrendo muito!! Tenho quefalar com ele. Dizia enquanto as lágrimas caiam em meu rosto e meu coraçãodoía de tanta dor e culpa que sentia. – Nesse, espera seu pai chegar. Ele foi com Charlie ver se Sam precisa dealguma ajuda. Então quando chegar, saberemos se Jake foi avisado e poderáligar para ele. Mas por enquanto fique calma e espere um pouco. Minha mãe saiu do quarto e o desespero aumentou ainda mais em meucorpo, fazendo-me ter vontade de me matar aquela altura do campeonato. Masque poderia fazer¿ Não havia mais nada que pudesse fazer naquele momentoem diante. Vampira estúpida!! Burra!! E agora¿ O que vai fazer¿ Vai perder o amor da sua vida!! Por que não pode se controlar¿ Agora pare de chorar!! Seja forte!! Você não fez por mal!! A culpa não foi sua!! Ele não podia ter dito aquelas coisa!! Agora se acalme e não deixe seu pai ler seus pensamentos!! Pare com esse choro!!
  • 30. Pare agora, Renesmee Carlie Cullen!! Pense no seu Jake!! Como vai reagir quando souber que o pai morreu¿ E como vai reagir se souber que você teve uma participação nisso¿ Droga!! Droga!! Por que isso foi acontecer justamente comigo¿ Fiquei deitava em minha cama o dia inteiro chorando, com minha amiga eirmã me consolando. Mas ela não me perguntou nada sobre o que haviaacontecido no meu encontro com tio Billy. A tarde, quando meu pai chegou, pediu para me arrumar pois o enterroseria em uma hora devido ao estado que o corpo se encontrava. Então tive quetomar ânimo para ir ao enterro do meu sogro e disfarçar a minha cara de culpae arrependimento. Meu pai contou que Jake havia recebido a noticia, pouco tempo depois deencontrarem o corpo. Mas que não conseguiu passagem para voltar paraWashington antes do enterro. Contudo chegaria no dia seguinte bem cedo. Quis ligar para ele, mas o medo de falar com meu amor sem saber o quehavia contato, estava me matando. Então decidi não ligar por enquanto eesperá-lo chegar para ver sua reação pessoalmente. Pois seria mais fácil convencê-lo da minha inocência, se descobrisse averdade, pessoalmente. O enterro foi muito triste e havia muita gente que não conhecia. E todosnos olhavam, para meus pais e eu, de forma estranha e dava a impressão quesabiam o que nós éramos. Mas estava tão triste e preocupada, e ainda tinhaque disfarçar os pensamentos, que não iria esquentar a cabeça com a cara feiade toda aquela gente. O enterro acabou muito rápido e logo voltamos para casa, sem parar paraconversar com ninguém, exceto Charlie. Então chegamos em casa duas horasdepois de sairmos para o enterro e eu só queria tomar um banho e meesconder em meu quarto, como se aquela atitude pudesse apagar o que fiz. Passei a noite inteira em claros e quando amanheceu, só pensava emcomo meu Jake estava e tinha vontade colocá-lo em meu colo para consolá-lo.Mas também não tinha certeza que já havia chegado em casa. Então comecei a
  • 31. ligar freneticamente para a sua casa, até que por volta das duas horas da tardeele atendeu o telefone. – Jake! Sou eu. Como você está¿ Posso ir para ai ficar com você¿ OK!Depois nos falamos então. Ele estava com a voz rouca e parecia que havia chorado muito. Masquando pedi para ir ficar com ele, disse que gostaria de ficar sozinho. E issoacabou comigo mais uma vez. Fiquei andando de um lado para o outro, então decidi que iria para lámesmo contra a sua vontade. Então pequei o carro e corri o máximo que pudeaté chegar à sua casa. – Jake, amor! Como você está¿ Fiz a pior pergunta para se fazer naquelemomento, mas o que diria. – Estou péssimo! E sinceramente gostaria de ficar sozinho. Ele disse seafastando de mim, com os olhos cheios de lágrimas como se estivesse prestesa chorar novamente. – Por favor! Deixe-me ficar ao seu lado. Só um pouco! Implorei para ele. – Não! Estou arrasado e prefiro ficar só. Não quero ser estúpido comvocê, mas por favor vá embora. Ele disse toda segurança. Eu cheguei mais perto dele e dei um beijo em seus lábios, depois passei amão em seus cabelos e fui embora decepcionada pela atitude dele. Mas aomesmo tempo aliviada por ele parecer não saber o que fiz. Nesse! Você vai ser forte e vai esconder esse segredo a tudo custo!! Se ele te perguntar... vai negar até o fim!! Não vai começar a chorar ou fazer qualquer coisa que coloque tudo em risco. Você está sofrendo, mas ele está pior ainda. Então tente entender o seu lado e pare de ficar choramingando o tempo inteiro. Seja forte e corajosa!!
  • 32. Faça tudo o que puder para preservar o seu amor!! Minta! Finja! Engane!! Mas não deixe ele saber o que fez!! Sua felicidade depende de você. Então seja forte e lembre-se que você não teve culpa!!(Cap. 5) PLANONotas do capítuloPessoal, assim como o cap anterior, esse só terá um PVO, pois a Nesse nãosabe nada e não participa dessa parte da trama.Pesquisei para saber o tempo de avião de Port Angeles para Honolulu, masnão consegui encontrar. Então vou chutar 3 horas e espero que me perdoem seestiver errada.Desculpem os erros, mas terminei o cap 00:00 e já estava cansada de escrever. PLANO! PVO JAKE Eu havia dormido as três horas da viagem, mas ainda estava me sentindocansado. Desembarquei no Aeroporto de Honolulu International (HNL) e fuide taxi direto para Kapiolani Medical Center (HOSPITAL) para ver a minhairmã Rebecca. Fiquei impressionado como o seu estado de saúde havia agravado, desdea última vez que nos falamos pelo telefone, mas o médico me garantiu que emalguns dias ela já estaria em casa e quase boa da Tuberculose que haviacontraído. Depois de algumas horas no hospital, conversando com minha irmã,decidi ir para sua casa e me instalar. Mas definitivamente não foi uma boaidéia, pois fiquei bastante decepcionado ao ver a casa tão pobre e a vida queminha irmã estava levando com o surfista vagabundo com quem havia secasado.
  • 33. A casa era de madeira, com dois quartos, uma pequena cozinha que malcabia duas pessoas, uma sala também apertada demais, e um banheiro. E noquarto do meu sobrinho Jimi mal dava para eu me movimentar e já estavapreocupado com a hora de dormir. – Como Rebecca foi acabar assim¿ Poderia ter voltado para La Pushcomo filho¿ Mas preferiu ficar aqui nessa vida triste! Se meu pai visse isso,morreria de desgosto! Pensei. Naquele dia Nesse ligou para mim várias vezes, e estava ficando umpouco aborrecido com tantas ligações. E apesar de está com saudade, nãofaziam nem 5 horas que havia parti. Pois contando com o tempo de viagem e otempo que estava lá, davam quatro horas e cinqüenta minutos. E mesmo assimela insistia em ligar. Preparei alguma coisa para comer quando meu sobrinho chegou da escolae fiquei tentando puxar conversa. Mas o garoto era muito calado e tímido, enão consegui muita coisa com ele. Meu cunhado chegou a noite, bêbado e falando um monte de besteiras eeu já estava ficando muito aborrecido com aquilo e tive medo de perdertotalmente o meu controle com ele. Então decido ir dormir cedo e pensar noque faria no dia seguinte. Quando amanheceu me ofereci para levar Jimi para a escola, mas apesarde só ter oito anos ele parecia bem seguro de si e não aceitou a minhaproposta. Então me lembrei de como fui criado pelo meu pai, para ser umgaroto independente e responsável pelos meus atos. E nunca tive muita colherde chá com ele, pelo contrário. Jimi não se parecia nada nossa família, pois tinha a pele muito branca,cabelos claros e olhos esverdeado. Mas alguma coisa em sua personalidademe lembrava de quando ainda uma criança, apesar de não ser muito tímido. Fui para o hospital e fiquei algumas horas com Rebecca, e estranhei omeu telefone não ter tocado nenhuma vez aquela manhã. Mas ao mesmotempo estava feliz por saber que minha Nesse já estava se acostumando comminha ausência, e isso era menos doloroso do que saber que ela estavasofrendo desesperadamente. Por volta das treze horas recebi uma ligação de Sam e quase entrei emdesespero quando me contou o que havia aconteceido. – Jake! Aconteceu algo muito chato. Ele disse.
  • 34. – O que foi¿ Foi algo com a Nesse¿ Fala logo!! Estava frenético deansiedade. – Seu pai! Aconteceu algo com ele e... – O que aconteceu com me pai¿ Não me esconda nada! Disse nervoso,andando de um lado para o outro, sem me importar com as pessoas meolhando de forma estranha. – Ele morreu! Ele disse secamente. – Morreuuuuu!!! Comooo¿ Quandoooo¿ OH!! NÃOOOOO!! NÃOOO!!Dizia chorando muito, com a dor que sufocava meu peito. – Quando você chegar contaremos o que aconteceu! Mas precisamosenterrá-lo hoje ainda, pois o corpo está fedendo muito! Sam disse. – Podem fazer o enterro!! Vou pegar o primeiro avião para casa e talvezdê tempo. Disse ainda chorando. Voltei para o quarto de Rebecca e disse-lhe que precisava voltarurgentemente para LaPush, mas que voltaria para visitá-la em outra ocasião.Então sai do hospital, peguei um taxi para a sua casa e depois parti para oaeroporto. Minha cabeça estava rodando e tentava raciocinar sobre tudo o que estavaacontecendo. Mas não tinha condições de ficar elaborando hipóteses, poistinha que encontrar uma forma de voltar para casa. Contudo para a minhadecepção, só haveria vôo para Washington depois das 19 horas e eu perderia oenterro do meu pai. Fiquei no aeroporto vagando de um lado para o outro e até pensei emligar para Nesse. Mas sabia que ela estaria mal e não havia me ligado para mepoupar da choradeira. Então preferi esperar até chegar em casa para pedir coloe ficar em seus braços como uma criança abandonada. Depois de várias horas, finalmente embarquei para casa, e pude dormi umpouco durante o vôo. Mas quando acordei, o choque de realidade bateu emcheio em meu peito e a dor era algo que sufocava a minha alma. Sam foi me buscar no aeroporto e Port Angeles e fomos para a minhacasa em silencio. E estranhei aquele comportamento tão estranho, mas o quemais me incomodou foi a ausência dos meus irmãos e amigos naquelemomento tão difícil. Então quando chegamos, finalmente ele cortou o silenciopara me contar o que havia acontecido e tudo fui pior do que esperada.
  • 35. O MEU PIOR PESADELO!!! – Jake! Tenho que te contar algo, mas peço que fique calmo. Ele começoude uma forma que me preocupou. – O que aconteceu com meu pai¿ Como ele morreu¿ Perguntei andandode uma lado para o outro nervoso. – Ele foi pescar e o ficou sozinho no rio. Mas quando foram buscá-lo,estava morto. – Tá!! E qual o mistério disso¿ Já estava quase arrancando os cabelos. – Nós dissemos, oficialmente, que ele teve um infarto. E até conseguimosque no Dr Morgan nos desse um atestado de óbito com essa causa. Mas averdade que ele foi vítima de um vampiro!! Foi atacado um vampiro!! – QUEM¿ QUEM¿ DEM QUAL VAMPIRO ERA O CHEIRO¿ Griteihistérico. Não pode ser!! Não!! Não imagino os Cullens atacando ninguém!! Elesnão fariam isso!! Não fariam com meu pai!! Não! Tem que ser mentira!!Céus!! Vou enlouquecer!! – Não atacamos os Cullens, pois queríamos esperar você chegar paratomar a decisão. E isso é um segredo que apenas Seth, Quil,Embry, Leah, DrMorgan e eu sabemos. Ninguém mais sabe a verdade! – QUEM¿ DIZ LOGO!! DE QUEM ERA O CHEIRO¿ Continuavagritando. – Jake! Se acalme! – FALA LOGO!! – Nesse! Ele só disse essa palavra e abaixou a cabeça. – NÃOOOOOOOOOOOOOOOO!!! NÃOOOOOOOOOO!!!HAHHHHHHHHHHHHH!! DROGAAAAAAAAAA!! NÃOOOOOOOOO!! NESSEEEEEEEE NÃOOOOOOO!! DIGA QUEPE MENTIRA!!! POR FAVOR!! DIGA QUE É UM ENGANDO!!!NÃOOOOOOO. Perdi totalmente o controle e comecei a quebrar tudo queestava a minha frente.
  • 36. Depois de alguns minutos de histeria e desespero, finalmente consegui meacalmar e falar calmamente. – Quero te pedir uma coisa!! Ninguém mais deve saber o que acontecer!!Peça para os outros guardarem segredo e não tocarem nesse assunto comigo!! – Não pense que isso ficará assim!! Prometo pela alma do meu pai que elavai pagar pelo que fez, mas vou fazer isso da minha forma!! Vou me vingar domeu jeito!! Não adianta nada matá-la agora!!! Ela tem que sofrer muito primeiro!! Então mantenha tudo o queconversamos em sigilo total. – Você quem sabe! Vai ficar bem sozinho¿ – Vou!! Preciso pensar no que vou fazer com aquela vampira maldita!!Deixe-me só. Sam foi embora e fui para o meu quarto, totalmente arrasado, e fiqueideitado olhando para o teto por horas. Mas não consegui dormi nada naquelanoite e tudo o que vinha a minha mente era imagem de Nesse mordendo meupai. Eu quis matá-la e depois quis morrer de tanto desgosto e sofrimento. Masdecidi que acabaria com ela lentamente, usando aquele velho ditado: “Vingança é um prato que se come frio!” e no meu caso, comeria bem gelado. Tracei algumas metas para cumprir o meu plano de vingança e as seguiriaa partir desse momento: Seduzir Fazer sofrer Humilhar Enlouquecer Destruir Matar Essas seriam as metas para a minha nova vida e depois que conseguisse oque queria, poderiam em fim acabar com a minha vida.
  • 37. Então decidi que me vingaria dela da pior forma possível e começaria aplanejar como a destruiria. E depois que estivesse totalmente arrasada, semdefesa, sem forças para lutar ou reagir, nós morreríamos juntos. Por que fez isso comigo¿ Por que¿ Perdoaria qualquer coisa, menos isso!! Você poderia cometer qualquer crime, menos esse!! Queria tanto que me dissesse que foi um erro... que não teve culpa.. que não queria. Preciso de uma razão para te perdoar!! Apesar de ser um monstro...uma assassina... Ainda te amo!! O que vai ser de nós agora¿ Não resta mais nada para nós dois, se não a morte! Por que fez isso!! Quis te dá tudo e fazê-la a mulher mais feliz do mundo e... Mata meu pai!! Não!!!!!! Não suporto essa dor...esse desespero... essa decepção. Como vou deixar você impune depois do que fez¿ Agora terei que ser o seu carrasco mais cruel, quando a minha vontade é de te amar e proteger. Por que me obriga a te maltratar¿ Por que estragou todos o sonhos para uma vida plena e feliz¿ Você poderia ter me traído!!
  • 38. Ter se entregado à outro homem e me doeria menos. Mas você matou meu pai!! Por que fez isso comigo¿ Por que meu amor¿ Como posso te entregar meus beijos, meu corpo, meu carinho, meu amor... sabendo que você tirou a vida do meu pai¿ Como¿ Não dá para entender o que te levou a fazer isso, mas também não dá para te perdoar! A partir de agora você é minha inimiga e farei tudo para te destruir, mesmo que isso custe a minha vida! Por que ainda te amo tanto se te odeio¿(Cap. 6) JOGO DE SEDUÇÃONotas do capítuloPessoal, façam suas apostas e preparem-se!!! O jogo já vai começar!!Quem pegará quem primeiro¿ O gato ou o rato¿Deliciem-se!!!PS: Sofi, nesse cap não tem o tal de lemo.
  • 39. JOGO DE SEDUÇÃO PARTE 1 PVO JAKE Já passava da meia noite e apesar de está cansado da viagem, nãoconsegui dormir aquela noite. E Fiquei em claros, chorando desesperadamentepela noticia que acabara de receber. Mas algo dentro de mim dizia que tinhaque ser forte e seguir em frente, pois a memória do meu pai merecia quefizesse algo para vingar a sua morte tão estúpida. Então tive muito tempo durante a madrugada para pensar e tentarimaginar como começaria o meu plano de vingança. Mas apesar de saber queestava disposto a continuar em frente, não estava preparado para enfrentarNesse naquele momento. Então decidi ir embora por um tempo, até queconseguisse lidar com redemoinho de emoções que estava o meu coração.
  • 40. Mais o meu pior pesadelo ainda estava por vir, apesar de está bemacordado e ciente de tudo o que acontecia, não estava preparado para encará-la naquele momento. Contudo ela me ligou logo cedo, e apesar de pedir paranão vir, apareceu de re pene na minha casa, com a desculpa de me consolar equase perdi a minha cabeça por um momento. E não sei como consegui meconter para não matá-la de tanto ódio que sentia. –Alô! – Jake! Sou eu. – Fala! Disse para ela, tentando manter a voz calma.
  • 41. – Como você está¿ Posso ir para ai ficar com você¿ Ela disse,demonstrando preocupação. – Bem, na medida do possível. Preciso ficar sozinho, então não venhapara cá! Ordenei para ela. – OK! Depois nos falamos então. Ela disse, parecendo decepcionada. – Tchau! Falei secamente e desliguei o telefone.
  • 42. Estava deitado no meu sofá, lembrando daquela conversa com Nesse epedindo aos céus para me dá forças para me controlar. Mas para minhasurpresa a porta abriu lentamente e ela entrou de surpresa em minha casa; – Jake, amor! Como você está¿ Ela disse olhando ansiosa para mim,enquanto fiquei gelado e mal conseguia me mover de tanto desespero quesenti naquele momento. – Estou péssimo! E sinceramente gostaria de ficar sozinho. Respondi meafastando, andando de costa, em direção ao quarto. Meus olhos encheram delágrimas e contive-me para não chorar naquele momento. O desespero que senti foi tão grande, que cheguei a ter vontade deperdoá-la. Mas sabia que não poderia fazer isso com a memória do meu pai. Nesse, minha princesa!! Fala que é mentira!! Inventa alguma coisa!! Dêqualquer desculpa esfarrapada para eu poder te perdoar!! Por favor!!Preciso de um motivo idiota para te perdoar e esquecer tudo isso!! Conte-metudo o que aconteceu ou invente algo! Eu te amo tanto... Como posso suportaressa dor¿
  • 43. – Por favor! Deixe-me ficar ao seu lado. Só um pouco! Ela imploravaansiosamente e cheguei a ter vontade se ceder ao seu pedido, deitar-me em seucolo e chorar toda a dor que sentia. – Não! Estou arrasado e prefiro ficar só. Não quero ser estúpido comvocê, mas por favor vá embora. Consegui dizer mesmo com o desespero queestava sentindo. Meu amor!! Por que fez isso¿ Por que matou meu pai¿ Logo meu paiComo poderei te perdoar¿ Preciso encontrar uma razão para não acabarcom nossas vidas. E se você ao menos dissesse que foi um engano... que foisem querer...um acidente! Por favor, diga algo que acalme meu coração!!Não me esconda nada e nem minta para mim!! Quero tanto te perdoar, maspreciso que seja sincera!! Nesse, meu amor!! Faça algo para salvar nossasvidas!! Algo para impedir de destruir a nós dois!! Por favor!!!! Penseidesesperado.
  • 44. Ela chegou perto de mim, então deu um beijo em meus lábios petrificadose depois passou a mão em meus cabelos, afagando-o carinhosamente. E tivepena do que pretendia fazer com ela, mas não poderia desistir naquelemomento. Ela foi embora e fiquei mais atordoado do que já estava, então resolvi queprecisava me afastar por uns dias. Até que fosse capaz de controlar as minhasações,para fazer o que fosse preciso em meu plano de vingança. E mesmosabendo que sofreria muito mais do que ela,não desistiria de acabar com suavida. Tirei a roupa e coloquei uma bermuda velha, depois corri para a florestaonde me transformei no grande lobo, correndo o mais rápido que podia. Corri por dias pela floresta e fui para o Canadá, para tentar me acalmar eesfriar a minha cabeça. Então passei 4 dias vagando sem destino, até que meucorpo e minha mente estavam prontos para o desafio que impusera para aminha vida: VINGANÇA.
  • 45. Voltei para casa no final do quarto dia e havia um bilhete para mim, presona minha geladeira. Jake! Onde você foi¿ Estou enlouquecendo de tanta angustia. Assim que chegar em casa, liga para mim! Te amo. Nesse.
  • 46. Estava mais calmo e seguro das minhas ações, então agora precisavaplanejar as estratégias para o jogo que iria iniciar. E tinha que ser forte paralevá-lo adiante. Tomei um banho bem demorado, deitei em minha cama e fiquei olhandopara o teto do quarto, enquanto pensava em como iniciaria a minha vingança. Primeiro passo: SEDUZIR! Vou seduzi-la até ficar totalmente louca e desesperada. Vai chegar a um ponto, que não saberá viver sem mim.
  • 47. Vou provocá-la, fazê-la experimentar os sentimentos mais profundos de desejo..Mas não vou fazer nada até está totalmente certo que não vai conseguir fugir da minha teia. Depois que não conseguir mais viver sem mim,vou obrigá-la a casar comigo e levá-la para bem longe de sua família. Vai ficar tão frenética com a possibilidade de me perder, que vai fazer de tudo para seus pais permitirem nosso casamento. Depois que estiver alucinada, vou fazê-la experimentar todo o prazer o sexo pode proporcionar. Vou matá-la de tanto prazer e viciá-la em meu corpo.
  • 48. E quando estiver totalmente dependente, vou tirar o prazer que gosta e começar a matá-la lentamente, humilhar ao extremo, fazer acreditar que está louca, fazer sofrer tanto que não vai agüentar mais viver!! E isso será só o começo!! Depois que coloquei o inicio do meu plano em ordem, liguei para ela epedi que fosse até a minha casa para conversarmos. E pretendia começar aminha pequena brincadeira de sedução, então as cartas estavam na mesa e osjogadores a postos. E eu tinha o Rei em minhas mãos e ganharia a partidamesmo tendo que trapacear. Coloquei uma bermuda bem justa em meu corpo, uma camiseta queficava colada e desenhada cada músculo do meu abdômen bem definido,
  • 49. penteei os meus cabelos e passei o perfume que havia me dado. Então estavapronto para receber a assassina do meu pai. Liguei a TV e fiquei sentado no sofá, tentando parecer bem casual quandochegasse. Mas no fundo estava muito ansioso para vê-la e não era só pelodesejo de me vingar, mas também pela saudade que ainda sentia. A porta abriu lentamente e ela entrou na sala da minha casa, e sem dizernada sentou ao meu lado no sofá. Então segurou meu rosto com as duas mãos,puxando-o em direção ao seu e me beijou ansiosamente. Nosso beijo foi ansioso e feroz, e apesar do ódio que sentia, nãoconseguia deixar de aproveitar aquele beijo tão maravilhoso e me perdi emseus braços. Quando percebi, estávamos deitados no sofá e seu corpo estava sobre omeu, alisando o meu peito e arranhando as minhas costas. Então aproveiteipara por em prática a primeira parte do plano, permitindo-me a fazer coisasque seriam imperdoáveis com minha Nesse, pois considerava uma falta derespeito e queria preservar a sua pureza até nosso casamento.
  • 50. Uma das minhas mãos percorreu a sua barriga, acariciando-a lentamentee foi subindo até os seus seios. Então comecei a acariciar os seus seios edepois apertá-los calmamente, fazendo-a gemer de prazer. Continuávamos com um beijo desesperado, apalpando os corpos um dooutro e depois desci meus lábios pelo seu queixo, fui até o seu pescoço ecomecei da beijá-lo e depois lambê-lo lentamente, enquanto Nesse gemia deprazer. Minhas mãos percorreram as suas coxas com certa violência e senti queestava a ponto de pegar fogo. Mas apesar de não está mais me agüentando, equerer possuí-la ali mesmo afastei-a de mim. Então me levantei do sofá e pudecontemplar com prazer o desespero e angustia em seus olhos pela minharecusa. – Não!! Já disse que temos que esperar. Disse para ela com a cara maisinocente do mundo, para deixá-la confusa. – Jake! Não!! Por favor!! Te quero agora!! Não faz assim!! Elachoramingava.
  • 51. – Vou ao banheiro. Vista-se! Ordenei, já saindo da sala. Calma Cara!! Se controla!! Respira fundo, toma um banho frio e se controla!! Você tem uma meta, então não estrague tudo com essa... Fica calmo!! Foco!! Foco!! Ela é muito linda... gostosa... não agüento essa tortura!
  • 52. Mas tenho que levar meu plano a diante e não vou perder a cabeça com essa... Banho frio!!! É isso que precisa!! Foco!! Fiquei um tempo embaixo da água fria e depois que me vesti voltei para asala, onde encontraria a minha vitima. Então não a encontrei e fui para acozinha, onde estava de costa preparando algo para eu comer. Aproximei dela e a abracei por trás, depois comecei a beijar o seupescoço lentamente e percebi que seu corpo estremeceu. Mas não era só o seucorpo que reagia aquela situação, pois senti as minhas partes íntimasenriquecerem e o volume em minha calça aumentar. Então fiz algo que nuncaem meus sonhas faria com a minha futura esposa.
  • 53. Virei-a para mim e puxei seu corpo contra o meu, pressionando-a contra apia da cozinha para fazê-la sentir o volume em minhas calças. Então percebi asua cara de desejo e desespero, agarrando-se no meu pescoço e me beijandoloucamente, mas quando senti que estava fora do controle me afasteinovamente, para o seu total desespero. – Jake!! Por favor!! Não faz assim!! Você vai me matar desse jeito!! Elafalava tudo ao mesmo tempo, enquanto tentava me beijar novamente, mas nãocederia. Pois já estava quase perdendo o meu controle e não estragaria osmeus planos por um desejo bobo. – Não!! Não!! E não!! Disse tentando parecer muito seguro para ela, masno fundo queria agarrá-la ali mesmo. Voltamos para a sala e fiquei a uma distancia segura para não perder meucontrole. Droga!! Isso vai ser mais difícil do que pensava!! Foco!! Respira fundo enão deixa essa assassina te seduzir!! Fica calmo!! Conta até dez e respira.
  • 54. – Nesse, preciso conversar um coisa com você. Disse para ela, sentandona outra ponta do sofá. – Fala! Ela disse de cabeça baixa e percebi que pareceu nervosa. – Billy está morto... Fiz uma pausa para ver a sua reação e percebi queestava tremendo. – Então não pretendo ficar muito tempo em La Push. Quero mudar devida e ir embora, então gostaria de saber se iria comigo. Disse paraela,jogando a minha pequena isca.
  • 55. – Jake! Você não pode ir sem mim!! Não pode me deixar!! Por favor, meleva com você!! Ela disse ansiosa, com os olhos cheios de água. Eu a abracei e comecei a afagar os seus cabelos, enquanto estava perdidoem meus pensamentos. É claro que vou te levar!! Para bem longe!! Só nós dois!! Você terá grandes surpresas!!
  • 56. Pode esperar!! Sua... Por que não consigo deixar de te amar¿ Sua... Droga!! Por que te quero tanto¿ Que saco!! Depois da minha curta conversa com Nesse, levei-a para o seu carro e nosdespedimos com mais um beijo ansioso. Então voltei para a casa e tomei outrobanho frio para conseguir controlar meu corpo. E tive a certeza que não serianada fácil colocar esse plano maluco em pratica, mas estava disposto atentar e seguir com o meu JOGO DE SEDUÇÃO.
  • 57. PVO NESSE Jake passou quatro dias sumido e estava ficando louca deansiedade,medo,desespero e saudade. Não sabia o que se passava em sua cabeça, então tinha medo quesoubesse de algo ou que desconfiasse do que havia feito. Meg ficou me dando todo apoio possível e meus pais foram totalmentecompreensivos comigo, permitindo que faltasse aula naqueles dias. E meustios e avós pareciam preocupados com a minha tristeza, que já estava medeixando doente a cada dia que ficava longe do meu Jake. Depois de muitas noites em claro, de várias ligações não atendidas evárias visitas sem encontrá-lo, finalmente o meu celular tocou e pude respirarcom mais calma ao ver o seu número.
  • 58. Ele parecia muito ansioso para falar comigo e cheguei a ficar com medosobre o que seria a nossa conversa. E mesmo assim tomei um banho correndo,coloquei um vestido curto, me arrumando o mais rápido possível e corri para asua casa, sem mesmo me despedir da minha família. Enquanto dirigia o meu carro, pensava sobre a conversa que teríamos efiquei com muito medo de está ao seu lado e ouvir o que me diria. Céus!! Ele sabe!! É claro que sabe!! Vai acabar tudo comigo!!
  • 59. Não posso da a chance de falar nada!! Tenho que ser rápida!! Tenho que mentir!! Nesse!! Fica calam!!Se faz de vítima e se precisar até chora!! Chora muito e faz ele ficar com pena!! Calma, garota!! Calma!! Vai dá tudo certo!! Ele não tem como saber de nada!!
  • 60. Não vai se entregar agora!! Calma!! Quando cheguei próxima a sua casa, diminui a velocidade para não alertá-lo da minha chegada. Então estacionei o carro e desci bem de vagar,dirigindo-me para a casa. Abri a porta lentamente e entrei e o vi sentado no sofá, assistindo a TV deforma bem interessada. Então resolvi não dá chances para ele começar adiscussão e o ataquei. Sentei ao seu lado no sofá, segurei o seu rosto com as duas mãos e opuxei em direção beijando-o desesperadamente, desejando cada centímetro doseu corpo. Então me coloquei sobre ele, fazendo-o deitar o sofá e encaixandoas minhas pernas em sua cintura.
  • 61. Sal mão percorreu a minha barriga, acariciando,traçando um caminho atéos meus seios. E comecei a gemer com tanto prazer que sentia aos seus toquese tinha certeza de que daquela vez nada nos pararia. Ele continuou a me beijar ansiosamente, enquanto as suas mãospercorriam o meu corpo e de repente parou, trancado uma linha pelo meuqueixo até o pescoço com seus beijos e sua língua começou a percorrer aminha pele calmamente. Então sua boca estava em meus seios, chupando-oslentamente e depois foi ficando mais forte a cada momento. E achei quemorreria de tanto prazer, fazendo-me gemer baixinho. Quase fui ao céu quando suas mãos começaram a apertar as minha coxas,percorrendo cada centímetro com seus dedos fortes. Mas quando achei quefinalmente chegaria a nossa hora, ele se afastou de mim e levantou do sofá,deixando-me totalmente desconsertada e desesperada. – Não!! Já disse que temos que esperar. Ele disse para mim, com o rostotranqüilo e não parecia ter acontecido nada. – Jake! Não!! Por favor!! Te quero agora!! Não faz assim!! Dissedesesperada, quase chorando de tanta angustia e decepção.
  • 62. – Vou ao banheiro. Vista-se! Ele me ordenou e saiu da sala. Estava zonza, totalmente desnorteada pelo que havia acabado deacontecer. Mas tinha que arrumar uma forma de convencê-lo, tinha que tiraresse pensamento de bom moço da cabeça dele. E não iria agüentar muitotempo naquela situação. Jake! O que quer de mim¿ Quer me enlouquecer¿ Vou hiperventilar a qualquer momento!! Vai começar a sair fogo de cada célula da minha pele!
  • 63. Por que me tortura desse jeito¿ Não suporto mais isso!! Céus!!Você não pode me pegar desse jeito e depois dizer que não me quer!! Isso não é justo!! Não é certo!! Vou subir pela paredes e não vai demorar muito!! Que droga!! Droga!!
  • 64. Fui para a cozinha preparar um sanduíche para ele e enquanto fazia o seulanche, senti seus braços me pegando por trás e começou a beijar o meupescoço, fazendo o meu corpo estremecer por completo e aquela sensaçãoestranha que quase me fazia subir pelas paredes voltar. Então me virou para ele e me pressionou contra a pia. E naquele momentosenti o volume que havia se formado em suas pernas e quase arranquei as suasroupas, de tanta ansiedade e desespero que meu corpo ficou. Mas o meudesespero só fez aumentar quando começou aquele beijo frenético edesesperado, fazendo-me perder totalmente os sentidos em seus braços. Entãose afastou de mim novamente, deixando-me totalmente sem graça e ao mesmotempo desesperada com a situação. – Jake!! Por favor!! Não faz assim!! Você vai me matar desse jeito!! Eufalava uma coisa atrás da outra, sem um tempo para pausar e tentava beijá-lonovamente, enquanto tentava me afastar do seu corpo.
  • 65. – Não!! Não!! E não!! Respondeu friamente, ainda segurando os meusbraços para evitar que o agarrasse. Voltamos para a sala e ele ficou distante de mim, deixando-me totalmentedecepcionada e sem jeito para começar tudo novamente. Que Droga!! Por que faz assim¿ O que quer¿ Vou morrer desse jeito!! Meu coração não agüenta isso!! Por que não me toma em seus braços e me faz sua mulher¿ Quanto tempo mais terei que esperar por você¿ Não percebe o quanto me tortura desse jeito¿
  • 66. Droga! – Nesse, preciso conversar um coisa com você. Ele disse. – Fala! Respondi de cabeça baixa, com medo de encará-lo nos olhos eouvir o que me diria. – Billy está morto... Ele pausou, tentando pensar no que falar. Então meucorpo inteiro congelou. Minta!! Minta!! Faça tudo mas não o deixe sabe o que fez!! Calma,Nesse!! Não se descontrole agora!! Pensei.
  • 67. – Então não pretendo ficar muito tempo em La Push. Quero mudar devida e ir embora, então gostaria de saber se iria comigo. Disse para mim efiquei com muito medo de perdê-lo. Então tive a certeza que o acompanhariapara onde quer que fosse, mesmo contra a vontade dos meus pais. – Jake! Você não pode ir sem mim!! Não pode me deixar!! Por favor, meleva com você!! Respondi com meus olhos cheios de água, quase chorando dedesespero com a possibilidade de perdê-lo. Ele me abraçou e ficou fazendo carinho em meus cabelos, enquanto aslágrimas rolavam pelo meu rosto. Não posso te perder!! Não sei viver sem você!! Será que pode entender que é tudo para mim¿
  • 68. Que minha vida não tem sentido sem a sua¿ Que morrerei se me abandonar¿ Entende isso logo!! Vou com você para qualquer lugar!! Mas não posso pensar em ficar longe de você!! Fica comigo sempre!!Não me abandone,não importa que o que acontecer!! Não importa que fiz!!Tudo foi por você e agora não pode me abandonar!!
  • 69. Te amo tanto que chega a doer na alma!! Meu amor! Meu Jake! Depois de alguns momentos abraçados, ele me pediu para ficar sozinho epensar no que faria da sua vida. E mesmo inconformada em deixá-lonovamente, aceitei ir embora e dá um tempo para digerir tudo que haviaacontecido e tomar as suas decisões. Dirigi para a minha casa bem de vagar, pensando em tudo o que haviaacontecido entre nós. Então decidi que o seduziria até conseguir o que queria.E a partir daquele dia, começaria o meuJOGO DE SEDUÇÃO. CONTINUA
  • 70. JOGO DE SEDUÇÃO PARTE 2 Sei que normalmente posto mais de um cap por dia, mas hoje digiteimuito no trabalho e meus dedos e braços doem bastante. Além disso nãoestou com muita criatividade hoje. Então o próximo cap sai a amanhã anoite. bjn(Cap. 7) JOGO DE SEDUÇÃO - PARTE 2 JOGO DE SEDUÇÃO PARTE 2 PVO NESSE
  • 71. Aquele foi o primeiro dia de tortura que foi submetida pelo homem queamava mais do que tudo na vida. Mas até então não sabia os seus verdadeirospropósitos e achava que ele só estava tentando proteger a minha virtude. Foi para casa totalmente decepcionada com o que não havia acontecido efiquei conversando com minha amiga Meg, que me deu vários conselhossobre sedução e conquista. E pensei que conseguiria seduzir Jake em poucotempo, contudo os meses se passaram e as coisas foram ficando maiscomplicadas. Eu estava irritada ao extremo, era grossas com as pessoas, não conseguiamanter uma conversa razoável com a minha família e minhas notas na escolascomeçaram a cair gradativamente. No primeiro mês ele ficou muito distante e quase não nos falávamos, oque já era motivo suficiente para me irritar com tudo e com todos. E nos finsde semana, quando aparecia, ficava totalmente aéreo como se a cabeçaestivesse em outro lugar. Apesar disso, tentei ser compreensiva porque sabiaque ainda estava de luto pela morte de seu pai. O segundo mês, parecia um pouco mais alegre e aparecia com maisconstância em minha casa. Contudo parecia querer dizer algo ou perguntaralguma coisa importante, mas sempre hesitava na hora H. E apesar dissocomeçamos a passear mais juntos, mas nossa relação continuou sem muitaconversa e ele preferia me beijar mais do que falar. Então quando pensei que estivesse desgostando de mim e não tinhacoragem para dá um ponto final em nosso namoro, ele começou a ficar maissedutor e nossa relação começou a esquentar novamente. O que me fazia subirpelas paredes, todas as vezes que estávamos na hora H e ele dizia “Não”.
  • 72. Um dia, estava saindo do colégio com Meg e ele estava noestacionamento me esperando. E percebi o alvoroçou que se formou no pátio,pois todas as garotas queria saber quem era aquele “Apolo”. Então me dirigipara ele, que me pegou pela cintura assim que cheguei e me deu um daquelesbeijos que me deixava hiperventilando. Meg para casa sozinha no meu carro e fui com meu amor para um lugarque teríamos um pouco de privacidade, e talvez que fosse a oportunidade queestava esperando para mais uma tentativa desesperada de seduzi-lo. Mas paraminha surpresa, ele me levou para o Lago Ozette e apesar de não ser o mesmolocal onde tempo atrás tive aquela briga fatídica com Billy, fiquei muitonervosa com as lembranças que sugiram acusadoramente em minha cabeça. Tiramos nossas roupas e ficamos só com os trajes íntimos e nadamos porum tempo. Mas algo em Jake me deixava assustada, pois sentia que iria falaralgo que não tinha coragem. Eu ainda estava na água, quando ele saiu e ficou deitado na grama, semsilencio, olhando para o céu de forma muito estranha. E mesmo tendo medoque tocasse em algum assunto sobre o seu pai, que me deixasse nervosa e medenunciasse, fui e sua direção e deitei o seu corpo. Encaixei minhas pernas em sua cintura e fiquei olhando para o seu rostoperdido no tempo. Então passei meus dedos suavemente pelo seu abdômen,percorrendo cada músculo definido do seu corpo e comecei a subir lentamenteaté os seus peitos, e percebi seu corpo estremecer por inteiro e sua respiraçãoficar mais forte. Inclinei meu corpo em direção ao seu e comecei a beijar lentamente osseus peitos, enquanto suas mãos percorriam meus cabelos. E depois comecei abrincar com minha língua, percorrendo o seu corpo até chegar em sua boca. Percebi que estava bem nervoso e seu olhar era de desejo desesperado,assim como o meu. Então comecei a beijá-lo lentamente, aumentando o ritmoaos poucos e minha língua começou a procurar pela sua, até que seencontraram e começaram a se mover rapidamente de forma ansiosa edesesperada. Suas mãos estavam percorrendo as minhas costas, depois seguroufortemente meus cabelos e quando percebi, ele me virou e estava por cima de
  • 73. mim. Então encaixou seu corpo por entre as minhas pernas e começou amovimentar-se rapidamente, quase me enlouquecendo de tanto prazer. Suas mãos desabotoaram o meu sutiã, deixando-me com meus seiosexpostos e ele os chupou com toda ferocidade. E quando pensei quefinalmente chegaríamos ao êxtase do prazer, ele se afastou de mim e mais umavez disse: “Não”!! Ele se levantou, deixando-me quase nua (só de calcinha) deitada na gramae correu para o lago, onde mergulhou. E fiquei chorando desesperada,desapontada e inconformada pelo que não havia acontecido e me sentindo apessoa mais rejeitada do mundo. Mas tinha que fazer alguma coisa e nãopoderia deixar as coisas ficarem como estavam. Então corri para o lago emergulhei em busca do meu amor, mas ele fugiu de mim da forma maiscovarde e quando percebi estava correndo pela floresta, deixando-me para trásdesesperada. Por quê¿ Por que me maltrata desse jeito¿ Por que me rejeita dessa forma¿ Só quero ser sua e te fazer feliz!! Não suporto mais essa angustia... esse desespero que consome minha alma! Não agüento mais isso!! Vou enlouquecer a qualquer momento... vou perder meu controle... comer desatinos!! Jake!! Te amo tanto!! Te quero tanto!! Por que me deixa desse jeito¿ Por que me tira do sério e depois foge de mim!! Vou explodir a qualquer hora e a culpa será sua!! O que faço para ter você¿
  • 74. O que faço!! Depois de um tempo, voltou e ficou ao meu lado. Mas suas explicaçõesforam as mesmas de sempre e me deixaram mais revoltada do que já estava. – Nesse! Perdoe-me por te desrespeitar!! Não queria passar dos limitescom você. Mas foi mais forte do que eu! Então peço que me perdoe. – Prometo que a respeitarei e não abusarei mais da sua inocência. Falavabaixinho, de cabeça baixa e com expressões de arrependimento. – Não quero que se preocupe com minha inocência!! Quero que me façasua mulher!! Vou explodir!! Enlouquecer!! Será que me entende¿ Gritei comele, enquanto estava sentado ao meu lado de cabeça baixa, parecendo muitoculpado pelo que havia acontecido. – Não vou fazer nada que vá me arrepender!! Você á uma menina... quaseuma criança. Tenho que me controlar e te respeitar! Só vou fazer você minhamulher depois que nos casarmos e não vou mais discutir isso com você. – Você não pode me tirar do sério desse jeito e depois dizer que vaiesperar até o casamento!! Isso não é justo. Continuei gritando histérica. – Essa é minha ultima palavra! Ele disse e depois se levantou para irmosembora. Ele dirigiu em alta velocidade, como sempre fazia, e não disse mais nadadurante o caminho. E eu fiquei chorando baixinho durante toda a viagem devolta para minha casa. Quando chegamos, deu um beijo em minha testa e se despediu de mimcomo se nada houvesse acontecido. Então sai do carro e entrei em casa furiosae totalmente descontrolada, e para minha sorte meu pai não estava em casapara ver o que havia acontecido em meus pensamentos.
  • 75. Subi as escadas correndo e entrei em meu quarto batendo a porta, e depoiscai em minha cama e comecei chorar descontroladamente de tanta raiva,despeito, rejeição e angustia que sentia. Meg e minha mãe entraram em meuquarto, assustadas, para ver o que havia acontecido e pude desabafar umpouco da minha frustração. – Nesse, querida. O que aconteceu¿ Por que está assim¿ Minha mãepergunto, passando a mão em meus cabelos, que estavam desarrumados naalmoçada que havia deitado. – Mãe!! Vou enlouquecer!! Explodir!! Não suporto mais isso!!Choraminguei. – O que houve¿ Você estava tão feliz! Era Meg falando. – Mais uma vez estávamos na maior empolgação e na hora “H” ele dissenão novamente. Ele sempre faz isso!! Não quero que proteja a minha pureza!!Quero ser dele por completo!! Vou ficar louca!! – Nesse, Jake te vê como a sua garotinha e tem medo de te machucar! Elenão vai fazer nada para te ferir ou te desrespeitar. Minha mães disse. – Não quero que me respeite!! Quero que possua por inteiro!! Não possomais esperar!! – Nesse, quando namorava seu pai... também era complicado para mim.Tinha muito desejo e queria transar com ele, contudo tive que esperar aténosso casamento. Minha mãe disse.
  • 76. – Isso é ridículo!! Ele vai me fazer casar para fazer amor comigo!! Isso étotalmente idiota!! Não vou suportar isso por muito tempo!! – Seu pai era um vampiro e tinha bons motivos para não transar com suamãe. Mas Jake não tem a mesma dificuldade, então por que fica prolongandoisso¿ Meg perguntou. – Não sei!! Mas vou fazer algo urgentemente! Respondi me derramandoem lágrimas. – Você tem que seduzi-lo! Meg disse. – O que mais posso fazer¿ A única coisa que falta é algemar seus braços epernas, para fazer o que quero!! Disse irritada. – Nesse! Vai de vagar com Jake! Seja paciente!! Minha mãe disse. – Mãe, nós namoramos há um ano e meio. Quanto mais de paciência tereique ter¿ Ficamos naquela conversa estranha por algum tempo e não meconformava com as atitudes estranhas do meu namorado. Mas precisava fazeralgo para melhorar aquela situação. Continuei usando truques de sedução que aprendi com Meg e com minhamãe. E com o passar dos meses, até Rosali e Alice estavam me dando aulaspara conseguir pegar Jake de jeito, mas cinco meses se passaram econtinuávamos da mesma forma.
  • 77. Em dezembro Meg teve uma idéia para viajar com Jake e ter mais umachance e seduzi-lo. O U2 iria fazer um show em New York, depois de anos que haviamparado de tocar. Então Jasper conseguiu 3 ingressos para um camarim vip eteria que convencer meu pai a me deixar viajar sozinha com Jake e Meg. No inicio foi complicado, mas depois de tanta insistência e de umaajudinha de minha mãe e meus tios, finalmente Edward Cullen permitiu quefosse com Jake. Então só teria que convencê-lo a passar dois dias fora comigoe com Meg, que estava disposta a deixar o caminho aberto para nós dois. O nosso plano foi perfeito e viajamos para o Show dois dias antes. Entãoteríamos que ficar hospedados em um hotel e seria a oportunidade ideal parafazer uma nova investida. Nós pedimos um quarto para ele e outro para Meg e eu, mas fizemosquestão que ficasse um ao lado do outro. Pois seria mais facial sair durante anoite e fazer uma pequena visita para o meu lindo namorado. Quando a noite começou a cair e Jake já estava recolhido, coloquei umalageri bem sedutora, com uma camisola preta totalmente curta e transparente,meia calça e uma liga preta, salto alto. Depois prendi meus cabelos, coloqueium vestido preto por cima e fui para o quarto do meu Jake. Mas para a minhadecepção, ele não estava no quarto e havia um bilhete informando que estavaem outro hotel. Quase morri de tanta irritação e decepção que senti naquele momento, etive a certeza que fez de propósito para fugir das minhas investidas. No dia seguinte, discutimos feio pela sua fuga durante a noite. Mas logofizemos as pazes e as minhas esperanças voltaram novamente. Passamos o dia inteiro andando pela cidade visitando alguns lugares equando começou a anoitecer, fomos para a casa de Show.
  • 78. Durante todo o evento, fiquei sentada no colo de Jake beijandodesesperadamente. E não nos preocupamos nem um pouco com a presença deMeg no camarim. E se não estivesse presente naquele momento, talvezacontecesse o que queria ali mesmo. Mas sabia que ele estava seguro de si,pois não faria nada naquele local e com minha amiga por perto, então ficoumais confortável para me beijar sem medo de ser atacado. PVO JAKE As coisas entre Nesse ficaram um pouco estranhas nos primeiros doismeses. E eu não conseguia ficar perto dela sem esconder o desconforto pelalembrança do assassinato do meu pai. Procurei fazer o máximo para me ocupar com o trabalho e não encontravatempo para está com ela. Mas nos poucos momentos que passávamos juntos,geralmente nos fins de semana, evitava o máximo as nossas conversar paranão entregar o ódio que sentia. Normalmente passávamos os fins de semanas e sua casa, namorando napresença de seus pais. E tinha que manter minha mente ocupada para o leitorde mentes não ver os meus planos. Então procurava pensar em dinheiro e nasminhas dívidas, e talvez meu futuro sogro desse um presente bem generoso eme ajudasse em meus planos de vingança. Nessa época, ainda tinha esperanças dela contar o que havia acontecido eme desse um motivo para perdoá-la, mas isso não aconteceu. E mesmo comtodas as oportunidades que dei, não foi Honesta o suficiente para contar o que havia feito ao meu pai e isso medava mais ódio e vontade de continuar a minha vingança. O tempo foi passando e comecei a ficar mais a vontade na presença dela,então comecei a procurar lugares para termos mais privacidade e colocar meuplano de vingança em pratica. Então todas as vezes que tinha a oportunidade de ficar a sós com ela, faziatudo para deixá-la louca de tanto desejo. E meu plano estava dando mais certodo que esperava.
  • 79. Só que nesse plano havia um pequeno problema, pois ao mesmo tempoem que a deixava louca, estava nos limites das minhas forças e tinha que mecontrolar para não possuí-la e estragar tudo que havia planejado. Então ficava muito mal depois que a deixava e a maioria das noites tinhasonhos enlouquecedores com a minha Nesse. E a cada dia que se passava, setornava um vício para minha vida. Contudo sabia que meu pai merecia quelevasse meus planos a diante e não deixaria que o vicio que tinha pelo seucorpo me dominasse. Ela havia aprendido alguns truques de sedução e sempre partia com tudopara cima de mim, com intuito de me fazer perder o controle. Então viviasempre entre a cruz e a espada sempre que estávamos juntos, e isso tambémcomeçava a enlouquecer. Meu humor começou a mudar e estava muito irritado, impaciente, comraiva de tudo e não conseguia me relacionar direito com as outras pessoas,pelo meu extremo mal humor. E mesmo assim estava disposto a continuarcom meu absurdo plano de vingança. Um dia fiquei de saco cheio do meu trabalho e resolvi sair cedo parabuscá-la na escola. Então fiquei no estacionamento a sua espera e quando meviu, seus olhos brilharam de contentamento e satisfação. Ela se dirigiu para mim e quando chegou bem perto, puxei-a para os meusbraços e a beijei com toda vontade do mundo. Pois estava tão angustiado edeprimido que tinha a necessidade daquele beijo para me acalmar. Depois a levei para o Lago Ozette, então nadamos um pouco e depoisfiquei deitado na grama pensando em como gostaria que as coisas fossemdiferentes e pudéssemos ser felizes juntos. Queria que nada daquilo houvesse acontecido e que fosse possível amá-lae torná-la feliz e realizada.
  • 80. Minha Nesse!! Diz para mim que você não matou meu pai!! Inventa qualquer mentira!! Fala qualquer coisa para eu ter um motivo para perdoá-la!! Por favor, Nesse! Minta para mim!! Diga que não foi você!! Por favor!! Diga que foi sem querer... que foi um engano... que é mentira! Quero tanto te perdoar!! Preciso te perdoar!! Você é um vicio para mim e não posso viver sem você!! Como vou viver desse jeito¿ Como posso te matar se quero te amar¿ Como posso ser feliz te fazendo sofrer¿ Ela subiu em meu corpo e começou a passar os dedos em meus músculos.Depois começou a beijar meus peito e percorrer meu corpo com sua línguaquente e selvagem. Depois sua língua traçou o contorno dos meus lábios e melançou um beijo feroz e selvagem. Nossas línguas se moviam desesperadamente e comecei a percorrer assuas costas. Então a virei, colocando-me sobre seu corpo e comecei a memover para fazê-la enlouquecer de prazer. Tirei o seu sutiã e comecei a beijar lentamente os seus seios, mas avontade que sentia de possuí-la era tão grande que comecei a chupá-losviolentamente. E foi então que percebi que estava machucando-a e perdendo ocontrole sobre as minhas ações.
  • 81. Fui tomado por um desespero tão grande que a deixei ali no chãtotalmente desesperada, e mergulhei no lago para me acalmar e colocar ospensamentos em ordem. Você é um canalha!! Safado!! Cretino filho da “P”!! Como pode fazer isso com ela¿ Como pode machucá-la desse jeito¿ Desista dessa vingança idiota e vá embora para não feri-la mais!! Desista de tudo!! Se não puder desistir...perdoe o que ela fez e a ame como deseja!! Jake!!! Não destrua a vida de vocês dessa forma!! Droga!! Para de chorar como um mariquinha!! Para com esse choro!! Ela não merece isso!! Ela é a assassina do seu pai!! Fuja!! Vá para longe!! Fuja!! Ela mergulho no lago e nadou em minha direção, mas estava tãodesnorteado que a única reação que tive foi fugir e correr.
  • 82. Corri pela floresta, em minha forma humana, e tentei deixar o cheiro e ossons da natureza acalmarem o desespero que consumia o meu coração. Entãoquando retomei o controle sobre minha mente, voltei para o lago onde aencontrei destruída. – Nesse! Perdoe-me por te desrespeitar!! Não queria passar dos limitescom você. Mas foi mais forte do que eu! Então peço que me perdoe. Prometoque a respeitarei e não abusarei mais da sua inocência. Disse de cabeça baixae falando baixinho, sentindo o peso do arrependimento consumindo o meu ser. – Não quero que se preocupe com minha inocência!! Quero que me façasua mulher!! Vou explodir!! Enlouquecer!! Será que me entende¿ Ela gritavadescontrolada, com lágrimas escorrendo pelo seu rosto e tive vontade deabraçá-la e dizer que a amava e perdoava o que havia feito. Mas o ladoracional foi mais forte e consegui me conter. – Não vou fazer nada que vá me arrepender!! Você á uma menina... quaseuma criança. Tenho que me controlar e te respeitar! Só vou fazer você minhamulher depois que nos casarmos e não vou mais discutir isso com você. Dissedecidido para ela. – Você não pode me tirar do sério desse jeito e depois dizer que vaiesperar até o casamento!! Isso não é justo. Continuava gritandodescontroladamente. – Essa é minha ultima palavra! Finalizei e me levantei para irmos embora. Dirigi em alta velocidade para a sua casa e quase morri de desgostoquando percebi que estava chorando baixinho, enquanto olhava pela janela docarro. E novamente tive vontade de colocá-la em meu colo e dizer que aamava muito, apesar do que havia feito.
  • 83. Quando chegamos, dei um beijo em sua testa e me despedi delarapidamente, pois não agüentava mais aquela situação. Fui para casa totalmente arrasado e tive uma das piores noites da minhavida,lutando contra os pensamentos de bem e de mal que consumiam minhaalam. Passaram mais alguns meses e as coisas continuavam de mal a pior. Equanto mais a torturava, mais sofria e tinha vontade de acabar com tudo. Maso meu lado racional me chamava e apontava para a memória do meu paimorto, fazendo-me retomar o desejo de vingança. A cada dia triste ficava mais insuportável e não agüentava nem mesmocumprir com meus deveres de alfa, distanciando-me ainda mais da matilha edos meus amigos. Pois estava tão cego e louco com a vida que levava, que nãodava para conviver tranquilamente com eles. No fim do ano, Nesse inventou de ir para um Show e New York. Entãotive a certeza que aprontaria para mim naqueles dias que ficássemos sozinhos.E comecei a procurar hospedarias baratas, para ter para onde fugir quandocolocasse seus planos em prática. Então na noite que ficamos hospedados no hotel, escolhido a dedos porAlice, fugi no meio da noite e me refugiei em uma hospedaria bem simples.Pois tinha certeza que não agüentaria rejeitá-la aquela noite. Sentia cada célula do meu corpo gritando pelo dela e se ficasse muitopróximo, em um local impossível de fugir, perderia totalmente o meu controlee tudo estaria perdido. No dia seguinte, ela estava decepcionada e triste. E apesar disso tentounão fazer uma cena e fingiu que nada havia acontecido. Mas quandochegamos ao camarim da casa de Show, ela ficou sentada em meu colo e mebeijou o tempo inteiro. E naquele momento esqueci de todo o ódio que sentia,beijando-a com vontade e todo amor que poderia dá.
  • 84. Quando voltei para La Push, estava totalmente desnorteado e não sabiamais o que pensar e o que fazer da minha miserável vida. Então Seth, Quil eEmbry me convidaram para ir a uma boate em Ozette. Fomos para a boate e comecei a encher a cara. Depois encontramos umgrupo de lindas garotas e resolvi sair com uma loira gostosona que ficou medando mole um bom tempo. Então paguei uma cerveja para ela e saímos dali,indo para um motel vagabundo. Já não transava com ninguém há muito tempo e estava em ponto de balapara desafogar todo aquele desespero. Então quando chegamos ao motel, nãoconversamos muito e fomos direto ao ponto. Nós estávamos na cama, nos beijando desesperadamente, naspreliminares e todas as vezes que abria os olhos via minha Nesse. E tenteiignorar o fato, mas era ela que via quando olhava para o rosto lindo da loira deolhos azuis. Então quando íamos finalmente transar, a imagem de Nesse veio a minhamente novamente e não consegui. Ficando totalmente envergonhado edesnorteado com aquela situação tão ridícula e ilógica. E apesar de saber que não fazia sentido negar fogo quando estava emponto de bala, estava acontecendo realmente e isso me deixou maisdesesperado que antes. Pois constatei que só conseguiria fazer aquilo com aúnica pessoa que tinha que negar. A loira ficou furiosa e saímos dali rapidamente. Então a deixei na porta daboate e dirigi rapidamente para La Push, em direção a praia. Como era inverno e normalmente fazia frio, senti que aquela noite estavamuito mais frio do que costumava ser. E mesmo assim tirei minhas roupas eentrei completamente nu no mar, para acalmar meus nervos que estavam a florda pele. Aquela noite, tive a certeza que teria que adiantar meus planos e obrigá-laa casar comigo logo, pois estava vivendo além do que o meu corpo poderia
  • 85. suportar. E que precisava da droga para curar esse vício doentio que haviaadquirido. CONTINUA GAME OVER CASAMENTO(Cap. 8) NOIVOSNotas do capítuloPessoal, peço perdão se a trama ainda não está agradando.É muito difícil transpor a emoção que apresentei em SIMPLESMENTE JAKEe SOL DA MINHA VIDA, quando tenho que entrar na pele de doispersonagens ao mesmo tempo.Sei que esse foi o desafio que assumi quando comecei a escrever essa trama,mas confesso que não consegui entrar no personagem de Jake e sentirverdadeiramente as suas emoções.Contudo esse personagem não foi criado para ser essencialmente romântico.Mas apaixonado, passional com um lado um pouco canalha.Sei que estão acostumados com o Love do casalzinho, mas essa trama não éromântica e melosa como as outras. E sim uma trama de paixão e ódio!!Espero que até o fim, consiga penetrar nas emoções dele e transcrever melhoro seu amor, ódio e paixão.Por favor não fiquem aborrecidas em um primeiro momento, mas a intençãoinicial é de fazer vocês tomar partido dos personagem e amarem e odiaremjunto com eles. E apesar de acharem que esse Jake é um canalha, dê umafolguinha para ele.Ainda não consegui encontrar um tema musical para os dois e talvez seja porisso que esteja com tanta dificuldade de escrever e de fazê-las chorar. E sealguém tiver uma sugestão, pode me enviar. E isso me ajudará bastante aentrar no universo desse novo Jake.Agora vou dá uma folguinha para vocês e colocar um pouquinho mel nessecap. Mas não se enganem, pois ele não será bonzinho para sempre. rsrsEspero que gostem!!
  • 86. NOIVOS PVO NESSE O mês de dezembro estava terminando e havia terminado o colegial.Então sabia que começaria uma longa batalha com meu pai, para não ir para afaculdade e abandonar meu Jake. Não havia me saído bem nas matérias nos últimos meses e minhas notasnão eram as mais apresentáveis para uma futura a universitária. Contudo meupai subornou algumas pessoas e conseguiu uma passagem direta para Harvade Dartmouth, então teria que escolher para onde iria em meu próximosemestre.
  • 87. Nós discutimos sobre isso diversas vezes nos últimos meses, mas eleparecia irredutível com o lance da universidade. E depois de todo dinheiro quegastou com meu passe direto, não iria desistir tão fácil de me obrigar a ir. As coisas já não estavam fáceis para mim nos últimos meses e com tudoque havia passado nesse louco e diferente relacionamento que estava vivendo.Só que não conseguia me imaginar vivendo longe do dele, com umrelacionamento que arrastaria pela distância e frieza da tecnologia. Sinceramente, vejo esses casos de namoros pela internet e bate-papo enão consigo imaginar como essas pessoas agüentam. Então não conseguia meimaginar namorando pelo telefone, passando semanas ou meses sem ver omeu amor e batendo papo pelo MSN (mesmo porque Jake odeia esse lance decomputador). Então para piorar ainda mais as coisas, ele resolveu que iria embora de LaPush e começaria a vida em outro lugar. E para isso teríamos que dá um passomaior, o que certamente deixaria meu pai louco e o faria impedir a qualquercusto. Aquela tarde, ele me ligou e disse que gostaria de ter uma conversa sériacomigo. Então comecei a ficar preocupada com o que iria me falar. Masestava decidida a não sofrer por antecedência e deixar ele falar tudo antes deme desesperar.
  • 88. – Nesse, amor! Ele disse do outro lado da linha. – Oi! Como você está¿ Perguntei. – Bem! Mas gostaria de ter uma conversa séria com você. Ele disse. – Tudo bem! Você quer conversar aqui na minha casa ou quer que vá paraa sua¿ Perguntei, andando ansiosa de um lado para o outro, bastante nervosa. – Prefiro que seja na minha casa, pois precisamos de um pouco deprivacidade para dizer tudo o que preciso. Ele disse friamente.
  • 89. – Ok! Vou para ai! Chego em aproximadamente duas horas. Tudo bem¿Perguntei. – Ok! Ficarei aguardando você! Um beijo. – Outro! Disse e desliguei o telefone, sentando com as pernas cruzadasem minha cama e tentando imaginar o que ele poderia dizer. Então um frio percorreu meu corpo e tive medo que falasse sobre a mortede seu pai. De repente a porta abriu e Meg entrou no quarto.
  • 90. – Nesse! Ela me chamou. – O que foi¿ Perguntei, erguendo as sobrancelhas. – Vamos ao shopping comigo¿ Ela chamou, ainda de pé em frente a portado quarto. – Não posso, pois vou encontrar Jake na casa dele. Ele quer ter umaconversa séria comigo. Disse passando as mãos pelos meus cabelos.
  • 91. – Por que você sempre fica nervosa quando ele quer conversar¿ Vocêsempre parece tão tensa e com medo. O que aconteceu no dia que Billymorreu¿ Ela perguntou, erguendo as sobrancelhas. – Não aconteceu nadaaa... Gaguejei. – Você sabe que pode confiar em mim. Ela disse. – Não quero falar sobre isso! Nunca mais!! Por favor não toque maisnesse assunto. Pedi, levantando-me. – Tudo bem! Estou indo fazer compras em Port Angeles. Quer algumacoisa¿ Ela perguntou.
  • 92. – Não. Disse fazendo uma careta e ela saiu do quarto. Fui ao meu banheiro, tomei banho, escovei os dentes, penteei os meuscabelos, coloquei uma calça preta, um suéter branco, uma jaqueta preta porcima e botas pretas. Fiz uma leve maquiagem e depois sai para encontrar Jake. – Vai sair¿ Meu pai perguntou, quando me viu descendo as escadas todaarrumada. – Vou encontrar com Jake. Ele quer conversar comigo. Disse para ele.
  • 93. – Vê se não chega muito tarde! Disse enquanto passava as mãos noscabelos da minha mãe, beijando-a docemente no pescoço. – Tá! Voltarei cedo. Assenti e depois sai. Enquanto dirigia, pensava sobre o que ele gostaria de conversar e sobre adecisão que teria que tomar em ralação a universidade. E comecei a ficarseriamente preocupada. Quando cheguei a sua casa, entrei silenciosamente e vi que estava deitadono sofá assistindo TV. Então me dirigi até ele, sentando-me no chão ao seulado e vi os olhos negros que tanto amava me encarando de uma formaestranha.
  • 94. – Amor!! Como você está¿ Disse, depois de dei um selinho em seuslábios. Ai céus!! O que será que vai dizer¿ Será que é algo sobre Billy¿ Ai!! Voumorrer de tanta ansiedade e medo!! Relaxa, Nesse!! Conta até dez e respirafundo!! Um, dois, três... dez. – Bem, na medida do possível. Ele disse com uma voz rouca e que dava aimpressão que havia chorado. – O que quer conversar comigo¿ Perguntei franzindo a testa. Por favor, fala logo!! Não me mata de tanta ansiedade!! Fala!! Fala!! Aique medo!!
  • 95. – Nesse, tenho uma coisa muito importante para te falar. Ele disse,levantando-se do sofá e ficando de pé. Então me levantei do chão e ficamosfrente a frente nos encarando. – Pode falar!! Disse segurando as suas mãos. Para de enrolar e fala logo!! Está me matando desse jeito!! Anda!Desembucha!! – Lembra quando te falei que não estava feliz aqui e que gostaria derecomeçar a vida em outro lugar¿ Lembra que te perguntei se iria comigo¿Então gostaria de saber se realmente está disposta a isso¿ Não pretendo ficarmuito tempo aqui e só estava esperando que terminasse o colegial. E apesar desaber que seus pais tem planos para você ir para universidade, sempre tive aesperança de ir embora comigo. Então gostaria de tomar um passo mais sério com você e... Ele fez umapausa e depois se ajoelhou diante de mim, segurando a minha mão direitaenquanto o encarava sem conseguir falar nada, mas tremia de tanto nervoso.
  • 96. – Nesse! Gostaria de saber se aceita se casar comigo¿ Se que ser minhamulher¿ Perguntou, enquanto olhava para cima de forma que nossos olhospudessem se encontrar. – É claro!! Isso sempre foi tudo que quis na vida!! Te amo mais do quetudo nesse mundo e sempre quis ser sua mulher!! Respondi com as lágrimasrolando em meu rosto. Ai, Jake!! Te amo tanto e sempre esperei por esse momento. Se vocêsoubesse quantas vezes fantasiei isso!! Se soubesse quantas vezes sonhei comesse dia!! Você é tudo o que quero e preciso para ser feliz. Você conseguiu fazer desse momento o mais lindo, perfeito e inesquecívelpara mim. Obrigada meu amor!! Te amo demais!! Sempre seria sua, toda sua, só sua, eternamente sua. Ele tirou uma pequena caixinha do bolso, abriu e tirou um lindo anel compedra azul. Depois pegou minha mão e colocou o anel em meu dedo. Então
  • 97. começou a beijar meus dedos lentamente, com lágrimas rolando em seu rosto.E disse: – Renesmee Carlie Cullen eu te amo!! Sempre te amei e sempre irei teamar... apesar de tudo. E realmente estou muito feliz por aceitar a ser minhaadorada esposa. – Também te amo muito!! Sempre te amarei!! Eu aceito ser sua esposa equero isso mais do que tudo nessa vida! Jake!! Jake!! Vou morrer desse jeito!! Não posso acreditar quefinalmente iremos casar!! Ai!! Estou tão feliz que vou explodir de tantafelicidade!! Meu Jake!!! Meu amor!! Você é tudo que preciso para ser feliz!! Ele se levantou e depois me puxou pela cintura, fazendo nossos corpos seunirem perfeitamente. Então segurou meu rosto com as duas mãos,suavemente, e com nossos olhos cheios de lágrimas ficaram se encarando porum momento, ansiando aquele beijo que estava por vir.
  • 98. Inclinamos nossos rostos e lentamente aproximamos nossos lábios, quecomeçaram a se mover suavemente, sem ansiedade ou desespero. E nossaslínguas começaram a se mover lentamente, aproveitando cada toque,cadamovimento,cada sensação que causava em nossos corpos. Então me lembreide um tempo em que costumava me beijar daquela forma tão doce e voltei emtempo bom e saudoso. Depois daquele beijo tão perfeito, ficamos nos olhando apaixonadamentepor alguns instantes e ele abriu aquele sorriso lindo que eu amava, e que hámuito tempo não via em seu rosto. E sentia como se algo houvesse o libertadode uma profunda dor e estivesse em um momento de redenção. Ficamos deitados no sofá, vendo filme tranquilamente, e não houveaquele desespero que sentíamos quando nossos corpos se tocavam. E eleparecia o mesmo rapaz que me amava, protegia, cuidava de mim há algumtempo atrás. Estava tão leve e tranqüila, deitada com meu Jake passando as mãos emmeus cabelos, fazendo cafuné, que adormeci profundamente e tive um lindo
  • 99. sonho com nós dois. E quando acorcdei, estava deitada em sua cama, comuma blusa enorme, sem minhas calças e suéter. O vi sentado na cama me olhando tranquilamente e o seu sorriso se abriuquando abri meus olhos e comecei a me espreguiçar. – Bom dia dorminhoca! Ele disse sorrindo e depois deu um selinho emeus lábio. – O quê¿ O quê¿ Tentei perguntar, mas não consegui. Céus!! Será que dormi com ele e nem me lembro!! Isso só pode sercastigo!! Droga!! – Não aconteceu nada! Só coloquei uma roupa mais confortável emvocê! Ele disse, deitando o seu corpo sobre o meu e me encarando nos olhosenquanto sorria malicioso.
  • 100. – Nada¿ Perguntei ainda desnorteada. Ufa!! Que sorte não ter acontecido nada agora!! Ficaria muitodecepcionada se não me lembrasse de nada. – Você acha que faria algo com você dormindo¿ Quando for minha queroque esteja bem acordada! Disse, beijando meu pescoço. – Ufa! Menos mal! Seria horrível não me lembrar da nossa primeira noite.Disse virando o meu rosto. Espero está bem acordada quando for sua mulher!! Não quero perdernada!! Nada mesmo!!
  • 101. – O que foi¿ Perguntou curioso, puxando meu rosto para encará-lo. – Jake! Eu fico horrível quando acordo... e não é a visão que gostaria quetivesse. Disse sem graça. Céus!! Devo parecer um monstro, com esses cabelos todos desarrumadose parecendo um Sol!! Ai! Que “M” Tinha que me ver assim agora¿ Droga!!Sai daqui e deixa me arrumar!! – Você nunca vai conseguir ficar horrível! Você é simplesmente linda!!Maravilhosa!! Encantadora!! Fica tranqüila. – Você só quer me tranqüilizar, mas não gostaria que me visse desse jeito.Respondi, tentando tirar os meus olhos da visão dos seus.
  • 102. Você é muito fofo, mas isso não me convence!! Estou horrível e devo estácom bafo de onça, ainda por cima. Ninguém merece!! Deixa eu olhar para ooutro lado!! – Você vai passar o resto da sua vida comigo e inevitavelmente a vereiacordar todos os dias. E posso me acostumar com isso. Aliás, vou adorar isso! – Céus!! Meus pais!! Vão nos matar!! Tenho que ir!! Estava ficandohistérica. OH! Não!! Droga!! Meu pai vai me matar!! Como vou explicar quedormi na casa de Jake¿ Ele não vai acreditar que não aconteceu nada!!Droga!! Tenho que ir!! Ai!! – Já falei com ele! Temos mais um tempo, então não se preocupe. Espereum pouco que vou trazer o café da minha donzela na cama.
  • 103. – Hummm!! Café na cama¿ Assim vai me acostumar mal! Disse fazendobeicinho. Ai que fofo!! Seria maravilhoso acordar com café na cama todos osdias!! Não faz assim que vou gamar ainda mais!! Você é tão lindo!! Tãomaravilhoso!! Gostoso!! Te amo tanto!! Ufa! – Isso vai ser bem interessante! Respondeu pulando da cama, indo emdireção a porta do quarto. Depois de um tempo, voltou com uma bandeja de frutas e um copo desuco para mim.
  • 104. – Bem! Acho que minha branquinha vai gostar dessas frutas e do suco, jáque não gosta de leite, café, pão... – Vou adorar! Disse e comecei a comer o meu lindo café da manhã. Realmente essa frutas estão boas!! Adorei sua ideai de café da manhã!Você é tão maravilhoso!! – Essa flor é para comer também¿ Perguntei tentando fazer uma graça. Adorei essa flor!! Você é tão lindo!! Que romântico!! Por que não ésempre assim¿ Amaria que fosse sempre desse jeito!! – Não! É só para decorar! Respondeu fazendo beicinho.
  • 105. – Jake! Temos um pequeno problema! Como vamos convencer meu pai¿ Droga!! Meu pai vai morrer e querer nos matar quando contarmos donosso casamento!! Ele vai querer me obrigar a ir para a universidade e emafastar de Jake. O que vamos fazer agora¿ Droga!! Como iremos convencê-lo!! Eu fujo se preciso, mas caso com meu Jake. – Depois que tomar seu café a levarei para casa e conversaremos comseus pais. Ele respondeu. – O senhor é quem manda. Disse. Tomara que consiga convencê-los,mas não estou muito otimista quantoisso. Mas se quiser eu fujo com você.
  • 106. Depois que tomei banho e me arrumei, fomos para a minha casa contar anovidade para minha família. PVO JAKE Depois daquela noite fatídica, tive a certeza que a única forma de meacalmar seria me perder nos braços da minha Nesse. Contudo precisaria dá umpróximo passo para isso: CASAMENTO. Então teria que arrumar uma forma de convencer seus pais a nosdeixarem nos casar, pois tinha certeza absoluta que ela aceitaria. O problema disso tudo, era a bendita universidade que seu pai queria quecursasse. E sabia que seria uma batalha para convencê-lo que ela seria maisfeliz vivendo uma vida modesta comigo.
  • 107. Passei dois dias ansioso para fazer o pedido para ela e por mais que tudofosse um plano de vingança. Sentia uma sensação estranha, uma emoçãodiferente que me deixou mais feliz. Então finalmente tomei coragem para fazer o bendito pedido, pois nãopoderia adiar essa situação por mais tempo. Liguei para ela e pedi que posse para a minha casa, pois precisava ter umaconversa séria com ela. E depois que desliguei o telefone, fiqueiextremamente tenso, nervoso e emocionado. Pois aquele era o momento peloqual havia esperado toda a minha vida e me esqueci completamente do ódio edos meus planos de vingança e permiti-me curti cada instante intensamente. – Nesse, amor! Falei com ela pelo telefone. – Oi! Como você está¿ Ela perguntou.
  • 108. – Bem! Mas gostaria de ter uma conversa séria com você. Disse com avoz tensa e meu corpo tremendo por completo, enquanto andava de um ladopara o outro. – Tudo bem! Você quer conversar aqui na minha casa ou quer que vá paraa sua¿ Ela perguntei. – Prefiro que seja na minha casa, pois precisamos de um pouco deprivacidade para dizer tudo o que preciso. Disse para ela e estava quaseenfartando de tanta ansiedade. – Ok! Vou para ai! Chego em aproximadamente duas horas. Tudo bem¿Ela perguntou.
  • 109. – Ok! Ficarei aguardando você! Um beijo. Disse para ela. – Outro! Ela desligou o telefone. Fiquei andando de um lado para o outro, suando frio, quase arrancandotodos os fios dos meus cabelos e com a respiração pesada de tanto nervosoque sentia. Depois de algum tempo, consegui me acalmar e deitei no sofá para verTV. Mas não consegui prestar atenção em nada que passava e fiquei com aminha mente perdida, pensando no que falaria para ela. Estava tão nervoso, que tinha vontade de me esconder dentro de umburaco. Mas apesar disso, tinha que ter coragem e dizer para ela tudo o queestava sentindo naquele momento.
  • 110. Senti uma vontade irresistível de tomá-la em meus braços e dizer oquanto a amava e o quanto queria fazê-la feliz. De repente a porta se abriu lentamente e percebi que estava entrando nasala. E em poucos segundos estava sentada no chão ao meu lado. Então meusolhos fitaram os seus e estava emocionado demais com aquele momento. Queria dizer tantas coisas para ela... Queria perdoá-la pelo que havia feitoao meu pai... Queria esquecer de tudo o que se passou e viver feliz com oamor da minha vida.. – Amor!! Como você está¿ Ela disse e depois beijou meus lábios. – Bem, na medida do possível. Respondi para ela, ainda olhando seu rostocom extrema reverencia.
  • 111. Como você está linda!! Assim eu morro!! Como te amo!! Como quero tefazer feliz, apesar de tudo o que fez. Por favor minta para mim e me dê ummotivo para te perdoar. Ajude-me a esquecer tudo o que aconteceu! Me façao homem mais feliz do mundo!! Seja minha esposa amada!! – O que quer conversar comigo¿ Ela perguntou franzindo a testa. – Nesse, tenho uma coisa muito importante para te falar. Disse e depoisme levantei do sofá e ela acompanhou meu movimento, e ficou de pé a minhafrente. Seja minha mulher!! Minha esposa amada!! Quero você para sempre!!Te amo tanto... apesar de tudo o que fez!! – Pode falar!! Ela disse segurando as minhas mãos, enquanto a olhavaprofundamente.
  • 112. – Lembra quando te falei que não estava feliz aqui e que gostaria derecomeçar a vida em outro lugar¿ Lembra que te perguntei se iria comigo¿Então gostaria de saber se realmente está disposta a isso¿ Não pretendo ficarmuito tempo aqui e só estava esperando que terminasse o colegial. E apesar desaber que seus pais tem planos para você ir para universidade, sempre tive aesperança de ir embora comigo. Então gostaria de tomar um passo mais sério com você e... Fiz uma pausae depois me ajoelhei diante dela, segurando a sua mão direita enquanto aencarava sem conseguir falar nada, tremendo completamente pelo desesperoque consumia meu corpo. Diga que me ama!! Que aceita ser minha esposa!! Que vai passar o restoda vida ao meu lado e me fará feliz!! Te amo tanto... sempre te amei... esempre a amarei. – Nesse! Gostaria de saber se aceita se casar comigo¿ Se que ser minhamulher¿ Perguntei finalmente. Diga que sim!! Que aceita!! Que também me quer!!
  • 113. – É claro!! Isso sempre foi tudo que quis na vida!! Te amo mais do quetudo nesse mundo e sempre quis ser sua mulher!! Ela respondeu chorando detanta emoção. Tirei uma pequena caixinha do meu bolso e peguei o anel que fora daminha mãe. Então coloquei o anel em seu dedo e comecei a beijar seus dedossuavemente, enquanto as lágrimas percorriam o meu rosto. – Renesmee Carlie Cullen, eu te amo!! Sempre te amei e sempre irei teamar... apesar de tudo. E realmente estou muito feliz por aceitar a ser minhaadorada esposa. Te amo demais garota!! Você não sabe o quanto me custa te fazersofrer!! Se soubesse como fico angustiado quando a vejo chorar e sei que souo culpado!! Como morro a cada dia, por essa vingança estúpida. A únicacoisa que queria era te fazer feliz!! Você é a razão da minha existência e nãosei viver longe de você, mesmo a odiando pelo que fez ao meu pai.
  • 114. Não suportarei ficar mais tempo sem você!! Te quero muito, garota! – Também te amo muito!! Sempre te amarei!! Eu aceito ser sua esposa equero isso mais do que tudo nessa vida! Eu me levantei e a puxei pela cintura, e o seu corpo estava colado no meu.Segurei o seu rosto com as duas mãos e olhei profundamente em seus olhoslagrimosos por um momento, desejando muito aquele beijo que estava prestesa acontecer. Aproximamos os nosso rostos e lábios ansiosos finalmente começaram ase mover lentamente, sem ansiedade ou desespero. Nossas línguas se movia de forma sincronizada, curtindo cada momentodaqueles toques maravilhosos. E senti meu corpo estremecer por completo eas borboletas revoares em meus estomago, como se estivessem dançando umbalé. E mesmo contudo o que estávamos passando naqueles últimos meses,senti um alivio, uma libertação em minha alma como há muito tempo nãotinha e me entreguei completamente naquele beijo doce e redentor.
  • 115. Quando terminamos o nosso inesquecível beijo, ficamos nos olhando poralguns instantes e desejei nunca ter pensado em fazer mal a minha doce Nesse,e cheguei a sentir remorso por toda a crueldade que desejava impor a ela. Deitamos no sofá e acabamos dormindo. Então o telefone começou atocar e tive que levantar para atender. E não a minha decepção, era o seu paiexigindo que fosse para casa. Então vi no relógio que já passavam de meianoite e insisti para que continuasse a dormir e prometi que a levaria no diaseguinte. Peguei-a no colo e a levei para minha cama, mas como estava cheia deroupas, tirei sua jaqueta, calça e suéter e coloquei uma camisa minha para quese sentisse mais confortável Depois deitei ao seu lado, mas não consegui dormir e passei a maior parteda noite olhando aquele lindo rosto de anjo que possuía. Cochilei um pouco, mas logo perdi o sono novamente e fiquei deitadoabraçado a minha linda noive. Então quando o dia começou a clarear, levanteie sai para comprar umas frutas para o seu café da manhã.
  • 116. Preparei a bandeja com as frutas, fiz um suco e coloquei uma rosa (quehavia roubado da roseira do visinho) e deixei tudo preparado na cozinha, paraquando acordasse. Voltei para o quarto e sente na cama para olhá-la dormir mais um pouco enunca me senti com aquele simples momento. Então ela abriu os olhos ecomeçou a se espreguiçar. – Bom dia dorminhoca! Disse sorrindo para ela e depois beijei levementeos seus lábios. Você fica tão linda acordando desse jeito!! Adoraria vê-la acordar assimtodos os dias. – O quê¿ O quê¿ Ela pareceu amedrontada e tentava entender o que haviaacontecido.
  • 117. – Não aconteceu nada! Só coloquei uma roupa mais confortável emvocê! Respondi, deitando sobre ela e a encarando nos olhos. – Nada¿ Ela perguntou ainda espantada. – Você acha que faria algo com você dormindo¿ Quando for minha queroque esteja bem acordada! Disse, beijei seu pescoço para provocá-la. – Ufa! Menos mal! Seria horrível não me lembrar da nossa primeira noite.Respondeu virando o rosto.
  • 118. – O que foi¿ Perguntei e puxei seu rosto para encará-la. Do que você tem medo¿ Não vou te fazer mal!! Fica tranqüila!! – Jake! Eu fico horrível quando acordo... e não é a visão que gostaria quetivesse. Respondeu envergonhada. – Você nunca vai conseguir ficar horrível! Você é simplesmente linda!!Maravilhosa!! Encantadora!! Fica tranqüila. Sempre vou achar você linda!! Muito linda!! A mais linda de todomundo!! Nunca terei olhos para outra que não seja você!!
  • 119. – Você só quer me tranqüilizar, mas não gostaria que me visse desse jeito.Ela respondeu, revirando os olhos para não me encarar. – Você vai passar o resto da sua vida comigo e inevitavelmente a vereiacordar todos os dias. E posso me acostumar com isso. Aliás, vou adorar isso! Você nem imagina como estou ansioso por isso!! – Céus!! Meus pais!! Vão nos matar!! Tenho que ir!! Ela gritou assustada. – Já falei com ele! Temos mais um tempo, então não se preocupe. Espereum pouco que vou trazer o café da minha donzela na cama. Quero te mimar mais um pouco.
  • 120. – Hummm!! Café na cama¿ Assim vai me acostumar mal! Disse fazendobeicinho. – Isso vai ser bem interessante! Respondi e fui para a cozinha pegar abandeja que já havia preparado. Vai ser bem interessante de deixar mal acostumada. rsrsrs – Bem! Acho que minha branquinha vai gostar dessas frutas e do suco, jáque não gosta de leite, café, pão... Disse para ela
  • 121. – Vou adorar! Ela respondeu e começou a comer com bastante vontade. – Essa flor é para comer também¿ Ela perguntou sarcasticamente. – Não! É só para decorar! Respondi fazendo uma careta para ela. – Jake! Temos um pequeno problema! Como vamos convencer meu pai¿Ela perguntou – Depois que tomar seu café a levarei para casa e conversaremos comseus pais. Respondi despreocupado.
  • 122. – O senhor é quem manda. Ela disse sorrindo para mim. Depois que tomou seu banho e se arrumou, fomos para a casa os Cullenspara contar para seus pais que iríamos nos casar e partir de La Push. CONTINUA CASAMENTO Não deixem de comentar!!
  • 123. bjn(Cap. 9) CASAMENTO - PVO NESSENotas do capítuloPessoal, passei a manhã e a tarde ocupada e não consegui escrever a visão deJake sobre o casamento, a casa na Guatemala e seus conflitos sobre a vingançaque pretende fazer.Vou portar o primeiro PVO agora e até mais tarde posto a visão dele e a Luade Mel.Não deixem de comentar.bj CASAMENTO PVO NESSE Estava radiante de tanta felicidade, pois finalmente ficaria ao lado do meuJake sem impedimentos. Seria apenas nós dois começando uma vida nova semvampiros e lobos por perto. Nos completaríamos de todas as formas eseríamos o casal mais feliz e invejado do mundo. Então nada mais meimportava mesmo à negativa do meu adorável pai seria um problema paramim aquela altura do campeonato, pois sabia o que queria e lutaria por isso.
  • 124. Depois que me arrumei, fui para o meu carro e ele para o dele. Entãosaímos em disparada, apostando corrida até Clallam Bay. E foi bastantedivertida essa pequena brincadeira, que me lembrou do tempo que ainda erauma adolescente, no inicio da maturidade, e fazíamos pequenas competiçõesde caça, onde sempre ganhava do meu Jake. Confesso que senti saudade daquele tempo e gostaria de voltar apenas porum dia, ser criança novamente ao lado da pessoa mais amável e protetora domundo. Jake sempre foi muito cuidadoso comigo, pois tinha medo que memachucasse ou estivesse em perigo. Então sempre foi muito presente nesseperíodo da minha vida. Mas conforme o tempo passava e eu desenvolviacomo mulher, ele começou a ficar diferente e se afastar de mim aos poucos.Então percebi que o amava não como amigo e irmão, mas como homem e medeclarei para ele. Foi a coisa mais difícil que tive que fazer, pois tinha medo de ser rejeitadae que nossa amizade acabasse. Mas para minha surpresa, ele me recebeu debraços abertos e disse que me amava muito. E desde aquela época (há quasetrês anos) que não nos separamos mais. Hoje estou extremamente feliz, não só pelo pedido de casamento, mas porlembrar de um tempo bom onde não me sentia tão culpada e podia amá-lointensamente e despreocupada. Essa pequena corrida que fizemos, trouxe todas as lembranças dosprimeiros dias no nosso namoro à tona. Fazendo me lembrar das surpresas,todos primeiros toques, dos primeiros beijos, dos nossos passeios de aventura,dos mergulhos do penhasco, de como ficava envergonhado quando o agarravana frente dos seus irmãos e amigos, dos ciúmes que tinha dos garotos daescola e de todos os momentos bons que tivemos até aquele ano fatídico. Agora chegamos a um ponto onde não é possível voltar. Tive que fazer aescolha entre casar com ele e ir embora para uma vida pacata e tranqüila,longe da minha família e amigos, e ir para universidade e ficar longe dohomem da minha vida. E certamente a minha escolha já foi tomada há muitotempo e não o abandonaria de forma alguma.
  • 125. Estávamos que na porta da minha casa, então me enchi de coragem paraencarar Edward Cullen e dizer tudo o que precisava para convencê-lo que aúnica forma de ser feliz, seria partir com meu Jake. Desci do carro e vi que ele há estava fora do seu me esperando, e haviaganhado nossa corrida devido a minha distração. E percebi que ficou muitoorgulhoso por ganhar da minha Mercedes com um carro tão simples. Andei em sua direção e quando chegou bem próximo, ele me apertou emum abraço de urso tão forte, que se fosse humana teria me partido ao meio.Então me deu um beijo calmo e delicado e perguntou se estava pronta paraenfrentar meu pai. Nós entramos abraçados com a cara e a coragem para o nosso últimomartírio até o matrimonio. – Nesse!! Por que me desobedeceu e dormiu na casa de Jake! Meu paidisse furioso, andando de um lado para o outro, enquanto meus tios, avós emãe o olhavam apreensivo. Pareciam está preparados para uma luta. – Pai, se acalme! Apenas peguei no sono e dormi. E não aconteceu nada,como pode ler na minha mente. Então não começa com esse drama. Dissepara ela ainda abraçada ao meu Jake e tive medo que ele o atacasse. – O que tem a me dizer, Sr Jacob Black? Ele perguntou ainda furioso.
  • 126. – Realmente não aconteceu nada. Apenas pegamos no sono e quandovocê ligou já era muito tarde para sair com Nesse por essas estradas. Elerespondeu despreocupado, beijando a minha cabeça. – E o que você tem de tão importante para me dizer? OH!! Não!! Nãomesmo!! Ela é muito nova!! Praticamente uma criança e não vou permitir!!Meu pai dizia desnorteado, depois de ler os nossos pensamentos. – O que foi Edward? Carlisle perguntou parecendo preocupado, franzindoa testa. – Querem se casar e ir embora! Ele respondeu desgostoso. – É compreensível e já esperávamos que isso acontecesse algum dia.Disse Esme para ele. – Ela vai para a universidade! Vai estudar e se formar! Não vou permitirque minha filha vire uma simples dona de casa, cuidando de marido e semperspectivas de vida. Meu pai rebateu, andando de um lado para o outro maisrápido. – Edward, espero que me entenda. Não suporto mais viver em La Push equero começar uma nova vida em outro lugar. Esquecer as lembranças delobos, vampiros, lutas, lendas e principalmente do meu pai. Só esperei tantotempo para partir por Nesse, pois queria que terminasse o colegial, masagora... – Você que levar Nesse de nós? Minha mãe perguntou irritada.
  • 127. – Sim!! Vou embora e ela vem comigo! Já aceitou e pretendemos fazerisso da forma mais correta do mundo. – Isso é ridículo, seu cachorro abusado. A Barbei entrou na conversa. – Não espero que entendam, mas que aceitem a nossa decisão! Podemossair daqui casados, dá a Bella a oportunidade de ser a mãe e sogra mais jovemdo mundo, a baixinha de fazer uma linda festa e a família de ter umadespedida a altura. Ou podemos ir embora de uma hora para outra e noscasarmos em Las Vegas, em uma cerimônia bem simples. A escolha é de vocês!! Jake disse seguro se si e estava totalmente ao seulado, não me importava o sofrimento da minha família. – Não vou permitir isso!! Meu pai gritou furioso para ele. – Não tem que permitir! Não estou pedindo! Ela já aceitou!! Entãoestamos comunicando a nossa decisão e perguntando como vai ser. – E como pretende sustentá-la? Com que dinheiro? De que forma?Carlisle perguntou. – Venderei a casa, o carro e a moto. Também tenho uma poupança queusarei para comprar uma nova casa para nós dois. E depois de nosestabelecermos, arrumarei um emprego. Ele respondeu. – Isso é ridículo!! Só o carro dela vale mais do que tudo o que tenha!!Não tem a menor condição de lhe dá uma vida confortável. Meu pai rebateu.
  • 128. – Vamos ter uma vida simples e modesta. Plantar os nossos alimentos,cuidar de animais, ter nossos filhos. – Você só pode está brincando? Ter filhos? Como? Ele rebateu. – Você quer que te explique como se faz um filho realmente? E se não forpossível para nós, poderemos adotar uns dois! Nada nos impede disso. – Não tente se engraçadinho comigo!! Você sabe muito bem que sãoincompatíveis! – Eu sei? Realmente não!! Nunca houve esse tipo de mistura, então nãopodemos saber. Mas o que me importa é que vamos nos casar e começar umanova vida juntos e longe daqui. A discussão durou por umas duas horas, mas a família chegou a umconsenso que não poderiam nos impedir de casar e deixar viver as nossasvidas. Então meu pai teve que se reder a inevitável situação e concordou comnosso casamento, mas impôs uma condição. Jake teria que aceitar uma grande quantia em dinheiro, que ele não haviaestabelecido quanto naquele dia, para comprar uma imensa casa e manter oconforto que eu precisaria. E mesmo irritado com a situação, ele teve queaceitar e se render a única condição estabelecida pelo mai pai. Marcamos o casamento para um mês, contando daquele dia para frente,para dá tempo a Alice de preparar tudo para a cerimônia. Então finalmenteestava pronta para casar e começaria uma vida nova com meu Jake. Ele passou as primeiras semanas procurando pela internet uma fazenda ouum sitio para comprarmos. Então depois de alguns dias, encontramos uma
  • 129. pequena fazenda de café na Guatemala, que estava a um preço acessível e elepartiu para visitá-la. Quando voltou, trouxe algumas fotos do lugar e me apaixonei a primeiravista. E ele fechou negócio, comprando finalmente a nossa nova morada. Eu estava louca para conhecer e cheguei a pedir para ir visitá-la antes danossa mudança. Contudo ele quis me fazer uma surpresa e não me deixaria verminha nova casa antes do casamento. Então viajou novamente e ficou duassemanas fora, acertando todos os detalhes para a nossa mudança e voltou já nasemana do nosso casamento, tão entusiasmado e feliz que contagiava a todosque estavam a nossa volta. Mesmo com a nossa partida, decidiu manter a velha casa de seu pai,carros e moto guardados para uma eventual visita que fizéssemos. E isso medeu um certo desconforto, mas não reclamei e permiti que mantivesse o localfechado, apesar de não ter a menor pretensão de voltar lá. A cerimônia foi realizada no fim de janeiro e o tempo não foi muitofavorável. Mas apesar disso a celebração foi simples, bem organizada edecorada pela minha linda tia (maluquinha). Ela conseguiu me deixar muito mais bonita do que já era e quando Jakeme viu entrando vestida de noiva, chorou como uma criança. E isso medeixaou ainda mais emocionada. Não consigo descrever o turbilhão de emoções que senti naquele dia, masposso afirmar que apesar do nervoso, medo e felicidade vi tudo maravilhoso aminha volta e se pudesse congelaria cada momento. Tudo foi rápido e bem tranqüilo, e nós estávamos radiantes de tantafelicidade, sabendo que daquele dia em diante seria a mulher mais amada efeliz de todo o mundo. E não me importaria com as lembranças tristes ouminha consciência me atormentando, pois o amaria de todas as formas paracompensá-lo pelo meu crime. Haviam poucos convidados de ambas as partes, pois só o clã dos Denali,Charlie com Su, Paul com Rachael, Embry, Quil e Seth. Então fiquei bem
  • 130. intrigada pelo não comparecimento dos seus outros irmãos e amigos, contudoestava tão feliz que não ficaria me importando pela desfeita que nos fizeram. Minha família estava feliz, mas percebia a decepção e a dor que sentiampela minha partida. Mas nem isso conseguiu estragar o brilho da minha nova efeliz vida. E apesar de saber que estaríamos vivendo em outro país(GUATEMALA) e que só nos falaríamos pelo telefone, estava bem tranqüilae feliz. Depois de algum tempo cumprimentando nossos familiares e convidados,partimos para o aeroporto. Viajamos para o Caribe, local escolhido por ele para a nossa lua de mel eestava ansiosa pela nossa primeira noite. Contudo faltava muito pouco para arealização de um sonho e esperaria mais algumas horas. Fomos abraçados no avião, totalmente felizes e ansiosos para a chegadaao hotel e apesar do cansaço, esperava aproveitar cada momento ao lado domeu marido. CONTINUA CASAMENTO PVO JAKE . . . Lua de mel
  • 131. (Cap. 10) CASAMENTO - PVO JAKENotas do capítuloEsse cap é um pouco longo, devido à descrição do novo endereço do nossocasal.Depois da lua de mel, o bicho vai pegar!!! rsrsrsEspero que gostem!!CASAMENTO PVO JAKE Depois que Nesse se arrumou, fomos para os nossos carros e saímos emdisparada pelas estradas, apostando corrida e fiquei feliz pela aquelabrincadeira de criança. E enquanto nossos carros corriam, tinha aoportunidade de ver a alegria no rosto da minha Nesse. Então me lembrei doquanto ela gostava de competições e de como costumávamos a fazer isso atéum tempo atrás. Deixei-me levar por aquele momento tão agradável e esvazie minhamente de qualquer pensamento ruim ou que pudesse me fazer sentir ódio. Poisde alguma forma me sentia feliz e realizado por finalmente poder casar comminha branquinha. Esperei por esse momento por mais de 8 anos e agora ela estavafinalmente preparada para ser a minha esposa. E não estragaria o momento tão
  • 132. bom, a felicidade que invadia minha alma, e a leveza que sentia compensamentos de vingança e ódio. Contudo sabia quais eram os meus objetivos,mas não deixaria que eles estragassem o que estava sentindo. Enquanto corria, lembrei de Nesse ainda menina caçando comgraciosidade, enquanto quase enfartava com medo de quase machucasse. Ela sempre foi tão linda...tão encantadora e graciosa. Como ainda te amo!! Como gostaria de não te amar... seria tão mais fácil para mim se te esquecesse. Mas infelizmente você está enraizada em minha alma e para o bem ou para o mal ficarei ao seu lado. Como gostaria que me confessasse o seu crime e me pedisse perdão! Mesmo culpada eu a perdoaria!!
  • 133. Só queria que fosse sincera comigo e me dissesse o que fez! Dissesse que não teve culpa ou que se arrepende. Mas você continua a esconder a verdade de mim!! Continua me obrigar a te odiar. E mesmo assim te amo mais do que a minha própria vida!!Como queria te fazer a mulher mais feliz do mundo, ao invés de te fazer sofrer!! Como quero te amar sem nenhuma restrição!! Te esperei por tanto tempo e agora terei que destruir a criatura que mais amo nesse mundo.
  • 134. Você cresceu tão rápido, que chegou a me assustar... um dia era umamenina graciosa e no outro uma mulher fogosa e super atraente. Como foi difícil para eu conviver com suas mudanças diárias!! Você era uma menininha tão linda!! A mais linda que já vi! Agora é essa mulher maravilhosa e encantadora!Como quero te amar sem restrições... te fazer feliz... realizar os seus sonhos...cuidar de você. Mas sou obrigado a me tornar o seu algoz! Isso não é justo com nós dois. Só queria uma oportunidade para te perdoar... mas não posso.
  • 135. Basta uma palavra sua para isso! Uma única palavra pode acabar com toda essa dor!! Te amo tanto!! Te quero tanto! Não entendi exatamente o porquê, mas cheguei primeiro em sua casa. Efiquei muito satisfeito por ter ganhado a nossa pequena corrida. Então descido carro e fiquei de braços cruzados, esperando que ela chegasse. Ela desceu do carro e andou em minha direção, então tive uma vontadeenorme de abraçá-la de deixar toda dor ser dissipada em seus braços. E queriasentir o seu cheiro e me perder por um momento naquele corpo tão delicado edesprotegido, que eu pretendia sordidamente destruir. Então a beijeisuavemente e me perdi em seus lábios doces, sentindo todas as vibrações domeu corpo responderem ao seu toque.
  • 136. Deslizei minha língua lentamente em seus lábios, traçando todo ocontorno de seus lábios e depois procurei sua língua para saciar a minhavontade. Então nossas línguas se moveram juntamente, em um movimentesincronizado e ansioso por cada toque, cada movimento, pelo sabor agradável,o prazer sobrenatural que isso nos causava. Amei aquele beijo e queria passar o dia inteiro me perdendo nele. Mastínhamos que entrar em sua casa e enfrentar o meu chato sogro EdwardCullen, e só por isso paramos aquele momento tão maravilhoso e entramos emsua casa abraçados. – Nesse!! Por que me desobedeceu e dormiu na casa de Jake! Edwardgritava furioso andando de um lado para o outro. E percebi que os outrosmembros da família estavam bem ansiosos e preocupados com aquelasituação.
  • 137. – Pai, se acalme! Apenas peguei no sono e dormi. E não aconteceu nada,como pode ler na minha mente. Então não começa com esse drama. Nessedisse para ele, abraçando-me muito forte e percebi que estava com muitomedo, pois sua pele era fria e estava tremendo. – O que tem a me dizer, Sr Jacob Black? Ele perguntou para mim, comódios em seus olhos,enquanto continuava andando feito uma barata tonta. – Realmente não aconteceu nada. Apenas pegamos no sono e quandovocê ligou já era muito tarde para sair com Nesse por essas estradas. Respondipara ele e beijei o topo da cabeça da minha branquinha, para acalmá-la umpouco. Depois comecei a lembrar de tudo o que tinha acontecido, para que elevisse que estava falando a verdade. Depois pensei no que gostaria de falarpara ele e a sua fúria aumentou. Preciso ter uma conversa séria com você sobre Nesse e eu. Sobre o nossofuturo... sobre casamento! Pensei.
  • 138. – E o que você tem de tão importante para me dizer? OH!! Não!! Nãomesmo!! Ela é muito nova!! Praticamente uma criança e não voupermitir!! Ele ficou totalmente louco com o que havia lido em meuspensamentos. Então colocou as duas mãos no piano, como se estivesse sesegurando para não voar no meu pescoço. – O que foi Edward? Carlisle perguntou para ele, franzindo a testa. – Querem se casar e ir embora! Ele respondeu. – É compreensível e já esperávamos que isso acontecesse algum dia.Disse Esme.
  • 139. – Ela vai para a universidade! Vai estudar e se formar! Não vou permitirque minha filha vire uma simples dona de casa, cuidando de marido e semperspectivas de vida. Ele voltou a andar de um lado para o outro, só que dessavez bem mais rápido e achei que realmente fosse ter um piripaque. – Edward, espero que me entenda. Não suporto mais viver em La Push equero começar uma nova vida em outro lugar. Esquecer as lembranças delobos, vampiros, lutas, lendas e principalmente do meu pai. Só esperei tantotempo para partir por Nesse, pois queria que terminasse o colegial, masagora... Disse para ele, de forma bem segura, para deixar claro que nãomudaria de posição. De uma forma ou de outra ela vai comigo!! Seja por bem ou por mal...e aescolha não é sua. Então vamos fazer isso de forma civilizada!! – Você que levar Nesse de nós? Bella perguntou irritada, fuzilando-mecom seus olhos. – Sim!! Vou embora e ela vem comigo! Já aceitou e pretendemos fazerisso da forma mais correta do mundo.
  • 140. Droga, Bella!! Agora você vai começar também¿ Será que não vê que omelhor para nós dois¿ Que saco! Pensei – Isso é ridículo, seu cachorro abusado. A Barbei entrou na conversa. Ai! Ai!! Vou perder a paciência que esse povo!! Que saco!! Todo mundovai começar a dá opinião¿ – Não espero que entendam, mas que aceitem a nossa decisão! Podemossair daqui casados, dá a Bella a oportunidade de ser a mãe e sogra mais jovemdo mundo, a baixinha de fazer uma linda festa e a família de ter umadespedida a altura. Ou podemos ir embora de uma hora para outra e noscasarmos em Las Vegas, em uma cerimônia bem simples. A escolha é de vocês!! Essa é a minha última palavra!! Se Nesse estiver disposta a ir comigo,não me importo com nada. E fugiremos juntos.
  • 141. – Não vou permitir isso!! Edward gritou furioso novamente ao ler meuspensamentos. – Não tem que permitir! Não estou pedindo! Ela já aceitou!! Entãoestamos comunicando a nossa decisão e perguntando como vai ser. Vamos casar aqui,com consentimento de vocês, ou fugir para casarmosem Las Vegar¿ A decisão é sua,Edward. – E como pretende sustentá-la? Com que dinheiro? De que forma?Carlisle perguntou. – Venderei a casa, o carro e a moto. Também tenho uma poupança queusarei para comprar uma nova casa para nós dois. E depois de nosestabelecermos, arrumarei um emprego. Respondi.
  • 142. Agora vão jogar sujo¿ Jogar na minha cara que não tenho dinheiro¿ Nãotenho medo de trabalhar e não vou deixá-la passar necessidades! Podeapostar nisso!! – Isso é ridículo!! Só o carro dela vale mais do que tudo o que tenha!!Não tem a menor condição de lhe dá uma vida confortável. Edward jogoucruelmente na minha cara. – Vamos ter uma vida simples e modesta. Plantar os nossos alimentos,cuidar de animais, ter nossos filhos. Ai! Já estou perdendo a paciência com essa conversa. – Você só pode está brincando? Ter filhos? Como? Ele disse rindo.
  • 143. – Você quer que te explique como se faz um filho, realmente? E se nãofor possível para nós, poderemos adotar uns dois! Nada nos impede disso. Isso é ridículo!! Acham que não podemos formar uma família¿ Se vocêque é um vampiro fez isso... eu não conseguirei. – Não tente se engraçadinho comigo!! Você sabe muito bem que sãoincompatíveis! O engraçadinho disse rindo. – Eu sei? Realmente não!! Nunca houve esse tipo de mistura, então nãopodemos saber. Mas o que me importa é que vamos nos casar e começar umanova vida juntos e longe daqui. Se vamos ter filhos ou não é problema nosso!! Não vai querer se meternisso também!!
  • 144. Ficamos discutindo por um bom tempo, com ofensas e humilhações, deambas as partes. Mas depois de um tempo, sem conseguir impor a sua vontadepara sua filha, decidiu aceitar o nosso casamento com uma condição. Então teria que aceitar uma grande quantia em dinheiro, como se fosseum dote, para garantir a vida boa que sua filha merecia. E apesar de não gostarda situação acabei aceitando, pois sabia que não teria muito dinheiro paracomeçar uma vida nova. Ficou estabelecido que casaríamos e um mês, exatamente no final dejaneiro, e depois iríamos embora direto da nossa lua de mel. E os Cullens nãose meteriam em nossa vida, ficando afastados e só manteriam contato viatelefone. Começamos a fazer algumas pesquisas pela internet em busca de umafazendo ou um sítio. Mas estava bastante difícil para encontrar um local bom.E depois de alguns dias, encontrando uma pequena fazenda na Guatemala.Então resolvi viajar sozinho,enquanto Nesse, Bella, Esme e Alice preparavamtudo para o nosso casamento.
  • 145. A impressão que tinha da Guatemala não era muito boa, mas assim quecheguei ao Aeroporto Internacional Aurora fiquei maravilhado e comecei adesvendar as maravilhas daquele lugar. Ele é um país situado na América central, que possui um idioma oficial oespanhol. Tem uma natureza completamente arrebatadora, com seus rios,lagos, praias, montanhas e floresta tropical. Além disso, ainda possui vulcõesativos e um deserto. E pelo que li em minhas pesquisas, possui 19ecossistemas diferentes. Isso não incrivelmente maravilhoso¿ A população é de origem indígena, descendente dos povos Maias e ostraços dessa civilização são bem evidentes na sua arquitetura colonial dascidades históricas. Possui um clima temperado e as pessoas costumam dizer que vivem emuma eterna primavera. Entre os meses de novembro e maio, a estação é muito seca e o clima nãoé muito agradável. No entanto, de julho a setembro entra em uma época demuitas chuvas e o clima tornasse mais agradável.
  • 146. Para viver naquele lugar, recomendaram-me levar roupas leves dealgodão, chapéus e calçado cômodo. Pois na época das secas era preciso estácom vestimenta confortável. Mas também recomendaram casacos leves para aépoca em que o clima ficava mais fresco pelas chuvas. A moeda oficial daquele país é o Quetzal guatemalteco, apesar deaceitarem o dólar. Então tinha que ir em uma casa de cambio para trocardinheiro para nos mantermos um certo tempo. A economia do país é baseada na agricultura, que possui como principaisprodutos o café, o açúcar e a banana. E precisava ter algum conhecimentosobre isso, já que viveríamos basicamente do que plantássemos evendêssemos. E apesar de ainda não saber como era a pequena fazenda quecompraria, tinha certeza que precisaria me inteirar nesses assuntos.
  • 147. Também descobri que um dos traços importantes daquele povo é a suareligiosidade, que é evidenciada em sua arquitetura e modo de vida daspessoas. Que se dividem entre o catolicismo e o protestantismo, com amaioria, 65% são de católicos fervorosos. Mas que também havia umaminoria muçulmanos, budistas e de povos que conservavam uma estranhareligião Maia. A comida do local era a coisa mais estranha do mundo, a base de cozidosde carnes, molhos a base de tomates e peixes. E quando fui a um restaurante aprimeira vez tive dificuldade de escolher e de comer a comida. Então soubeque seria bem difícil me acostumar com esse pequeno detalhe. Como o país é pequeno, a distância entre as cidades e a capital GuatemalaCity é de aproximadamente 20 minutos (ou mais dependendo do transito). Depois de pesquisar sobre o lugar, parti para a cidade onde moraria comminha Nesse: PANAJACHEL, localizada há 34km de Chichicastenango, àsmargens norte do lago Atitlán, tendo ao fundo a vista de três imponentesvulcões, Atitlán, Tolina e San Pedro.
  • 148. É o ponto de saída para os diversos povoados em volta do lago: Santiago,Santa Catarina, San Marcos, San Lucas, Santa Cruz... Cada um destes "povos"tem uma cultura e línguas diferentes, e até mesmo as roupas e as cores usadassão distintas. Por volta de uma hora de viagem de lancha, fica Santiago deAtitlán, um reduto da tradicional cultura Tzutuhil, com indígenas vestidos emtrajes típicos, de cores fortes. No centro da vila, a igreja de Santiago oferece amais evidente mostra do sincretismo religioso que há no país: entalhada nopúlpito de madeira, uma divindade Tzutuhil Nossa casa não era bem uma fazenda e nem poderia chamar aquilo desítio, mas pelo preço barato que estavam cobrando, dava para o gasto. Era uma casa razoavelmente grande, com uma enorme cozinha, sala dejantar, uma grande sala de visita um banheiro no primeiro andar, um porão,um sótão e haviam três quartos. No terreno da casa, tínhamos um celeiro, um armazém, havia uma grandecocheira (com três cavalos), um grande galinheiro, um curral, um chiqueiro. O vendedor propôs que comprasse os animais da “pequena” fazenda e fezum pacote bem favorável para mim. Então fiquei com os três cavalos, trêsporcos, duas vagas, uma 15 galinhas e dois galos, dois patos e um cachorro. Eachei de bom tamanho para quem estava começando. Fiz uma corrida de reconhecimento pela área e encontrei no terrenobananeiras, macieiras, mangueira, goiabeira e um monte de árvores que não
  • 149. sabia para que era, mas fiquei bem satisfeito por ter frutas bem perto paraminha Nesse. A pequena fazendo tinha a maior parte do terreno uma plantação de café.E o dono me indicou possíveis compradores para as minhas safras, mas nãome animei muito por ter que cuidar de café. Contudo era o que tinha em mãose não iria voltar atrás nos negócios. Depois que fechei negócio, comecei a retirar os móveis velhos da casa econtratei uma decoradora para preparar um novo ambiente para nós dois. Etive duas semanas com ela, para escolher os móveis e os detalhes da casa. Pedi que fizesse ambientes claros e bem alegres,com detalhes dedecoração bem alegres. E também pedi que preparasse um quarto de casale ooutro de solteiro, contudo o de solteiro precisaria de um ambiente maisnebuloso e soturno, com cores escuras, móveis de aparência velha (quepoderiam ser comprados em antiquários), com pouca iluminação e poucoconforto. E exigi que trocasse as portas desse quarto, colocando material deaço e várias tranças (para evitar fugas e invasões). Quando solicitei esse quarto, pensei como Nesse passaria as suas noitesde solidão presa!! Então pedi o ambiente mais soturno e sombrio possível. E adecoradora não entendeu nada, mas acatou as minhas ordens.
  • 150. No porão da casa fiz um compartimento secreto, com paredes falsas emecanismo contra intrusos. Depois preparei o pequeno ambiente com algunsaparelhos como câmeras, televisão de monitoração, rádio, gravador,computador, telefone e mais alguns brinquedinhos que usaria brevementecom a minha adorável esposa. Também comprei uma roupas mais adequadas para a minha esposa, queseriam ideais para usar na minha vingança. Depois que a casa ficou pronta e estava sozinho, pude finalmente espalharas câmeras e os alto falantes estrategicamente para que ela não percebesse. Antes de voltar para La Push, contratei um caseiro para cuidar da casa atéa nossa chegada e uma senhora para manter tudo limpo e preparar a casa paranós, depois da nossa lua de mel.
  • 151. Tive bastante tempo durante aquelas semanas para pensar no que iriafazer, e em como enlouqueceria minha esposa, com a ajuda dos brinquedinhosque havia comprado. Então voltei para Washington pronto para o meucasamento e propenso a aproveitar os últimos dias de felicidade que teríamos,antes de começar a por em prática o meu plano de vingança. Cheguei La Push na semana do casamento e de cara tive uma briga feiacom Seth e Quil, que não concordavam em levar meu plano estúpido a diante.Mas não me atrapalharia e até iriam ao meu casamento, apesar dos outrosdesaprovarem a minha atitude e rejeitarem o meu convite. Sam também estava muito chateado e disse que não compactuariacom loucura que iria fazer, pois isso significava o meu suicídio, pois uma vezque os vampiros descobrissem o que estava fazendo me matariam. Mas nãoaceitei os seus conselhos e resolvi levar tudo como havia planejadooriginalmente. Liguei para Nesse, para saber como estavam os preparativos, e ela estavaradiante de felicidade com a proximidade da cerimônia. Mas apesar de estáfeliz por finalmente casar com a minha branquinha, sabia que teria que deixar
  • 152. o meu sentimentalismo de lado a qualquer hora e seguir a diante. Contudotinha a certeza que deveria aproveitar o máximo o casamento e a lua de mel,pois tudo mudaria quando chegássemos à pequena fazendinha em Panajachel. O grande dia havia chegado e estava mais ansioso do que nunca. E sentiuma grande felicidade irradiando o meu corpo, que chegava a me dá remorsopelo que pretendia fazer. Mas decidi esquecer do ódio e da vingança eaproveitar aquele momento tão maravilhoso e esperado. Fomos para a casa dos Cullens, com Rachael, Embry, Quil e Seth e eu, equando chegamos encontramos uma sala totalmente decorada, como se fosseuma pequena capela, com flores, laços, um caminha se formava até umpequeno altar, as cadeiras brancas, um altar singelo feito com arco de flores. Tudo estava lindo e perfeito e dessa vez a baixinha havia se superado,fazendo um casamento bem melhor do que havia preparado para Edward eBella. Haviam poucos convidados, além dos que vieram comigo, mas todospareciam muito felizes pelo acontecimento e ansiosos para ver Nesse vestida
  • 153. de noiva. E eu estava extremamente nervoso e emocionando com aquele climade celebração e mal podia esperar para ver a minha pequena. Se pudesse encontrar uma palavra para descrever aquele momento, diria apalavra REALIZADO! Mas não estava realizado por conseguir os meusobjetivos, pelo contrário. Estava realizado por finalmente ter em meus braçosa mulher que amava, que desejava mais do que tudo, por vê-la entrar vestidade noiva(como se fosse uma santa), por finalmente realizar o sonho da minhavida: Casar com Nesse!! Quando Nesse desceu as escadas e se dirigiu lentamente para o altar,levada pelo seu pai, comecei a chorar como uma criança e não consegui contera emoção e o turbilhão de sentimentos que invadiam o meu ser naquelemomento. E a única coisa que desejava, era tê-la ao meu lado para sempre,independentemente do que havia feito. Eu a amava e tinha plena certeza que nada mudaria o sentimento quetinha por ela. Então fui o homem mais feliz e realizado do mundo, vendominha pequena vindo para se tornar, finalmente, a minha esposa. A cerimônia foi bem rápida e quando acabou, estávamos chorando comoduas crianças e a única coisa que queríamos era ficar a sós para declarar todoamor que sentíamos um pelo outro, mas tivemos que cumprimentar os nossosconvidados e não tivemos muita privacidade.
  • 154. Depois que cumprimentamos a todos e recebemos nossas felicitações,chegou o momento de dançarmos e fazermos as poses para o álbum defotografia. E cheguei a pensar que aquilo não acabaria nunca, e estavaextremamente ansioso para irmos embora para a nossa tão esperada lua demel. Depois de um tempo, Bella e Alce levaram Nesse para se trocar e tambémfui trocar a minha roupa para viajarmos. Foi então que tive um tempo sóscom Seth, em um dois quartos e ele me disse uma coisa que deveria realmentelevar em consideração: O AMOR PERDOA TUDO! É SINCERO EZELOSO! É VALENTE E CORAJOSO! É FIEL, É CEGO, MUDO, SURDOE BURRO! Aquela palavra sobre perdão me deixou muito preocupado com o queplanejava fazer com minha Nesse. E fiquei com muito remorso e tentado aesquecer tudo, mas antes precisava dá a ela a oportunidade de me dizer averdade. E só assim conseguiria libertar a minha alma da angustia que sentia. Será que precisarei me fingir de cego ou ser burro para ser feliz¿ Perdoa o que fez, mesmo que não peça perdão¿
  • 155. Ser corajoso o suficiente para olhar seu rosto todos os dia e não matá-la¿ Serei um burro feliz¿ Eu a amo mais do que tudo nessa vida, mas preciso me libertar desse ódio e desejo de vingança! Será que terei coragem para castigá-la, quando só quero lhe dá amor¿ Conseguirei passar por cima de tudo e viver feliz ao seu lado¿ Como será a nossa vida a partir de agora¿ O que faço¿ Mantenho meu plano de vingança¿
  • 156. Esqueço tudo o que aconteceu e vivo feliz ao seu lado¿ Nós partimos para o aeroporto e ficamos agarradinhos no saguão,esperando o nosso vôo. Então comecei a pensar em uma forma de fazê-laconfessar o que havia feito, pois só assim seria capaz de perdoá-la. Também ficamos abraçados no avião, fazendo carinho um no outro esenti tanta ansiedade para chegar logo,que se pudesse pilotaria o avião eumesmo. Então finalmente chegamos ao Caribe para o começo de uma novavida. CONTINUA
  • 157. LUA DE MEL(Cap. 11) LUA DE MEL - PVO NESSENotas do capítuloPessoal, finalmente a Nesse conseguiu o que queria!!Espero que gostem da lua de mel, pois a sua tranqüilidade começará a acabarquando for para casa.O próximo cap será da visão de Jake!Não deixem de comentar!!!bjn LUA DE MEL
  • 158. PVO NESSE O vôo para Barbados foi razoavelmente demorado e só chegamos aoaeroporto duas horas depois da nossa partida de Port Angeles. E estava supercansada depois de um dia bem longo. Mas aproveitaria o máximo daquelanoite e estava ansiosa para chegar logo ao Resort. Jake havia escolhido Barbado por ser uma das melhores ilhas do Caribe equeria aproveitar o máximo do nosso tempo na ilha. Contudo não estava nemum pouco interessada em praia, na beleza do Resort, nos passeios de barco oumergulhos. Pois o que queria mesmo era ficar juntinha com ele o tempointeiro no quarto e faria o possível para conseguir o que queria. Ele estava bem ansioso para passear e conhecer tudo o mais rápidopossível, mas a minha única ansiedade era de ficar com ele. Então quandochegamos ao Resort, estava super elétrica apesar do cansaço da viagem.
  • 159. Deixei-o na janela do quarto, olhando para a vista linda que tínhamos paraa praia, e fui tomar um banho e me preparar para a nossa noite de núpcias. Eenquanto tomava banho, imaginava o que faria e como seria agora quefinalmente poderíamos ficar juntos e fazermos amor a noite inteira. Senti um frio percorrer a minha espinha e um embrulho engraçado emmeu estômago. E cheguei a pensar que estava entrando em pânico, mas nãopoderia ter medo agora que estava tão perto do que queria. Coloquei uma camisola branca, que minha mãe havia escolhido paramim, passei perfume pelo corpo, depois penteei os meus cabelos, escovei osdentes e finalmente voltei para o quarto. Jake estava na varanda do quarto, olhando encantado para a deslumbrantevisão que tínhamos da praia e para a lua maravilhosa que iluminava o céunaquela noite. Então me aproximei lentamente dele e o abracei por trás,passando meus braços pela sua cintura e senti seu corpo estremecer na mesmahora.
  • 160. Ele se virou para mim, com um sorriso enorme no rosto que amava, edepois de ficar me olhando por um tempo, beijou meus lábios lentamente.Então interrompeu o beijo e disse que também precisava de um banho. Fiquei deitada na cama, com uma sensação de medo e ao mesmo tempoansiosa. Então ele surgiu na porta do quarto, ainda molhado e com uma toalhaenrolada na cintura, e ficou me olhando sem dizer nada. Depois se dirigiu para cama onde estava deitada e se deitou ao meu lado,passando a mão lentamente em meus lábios. – Renesmee! Amo você! Sempre te amei!! – Quero fazer você feliz... te dá todo prazer que desejar... morrer de amorem seus braços. – Prometo que vou ser muito gentil com você!
  • 161. Eu estava tão maravilhada e ansiosa que não consegui falar nada. Eapenas fechei os meus olhos e deixei as coisas acontecerem naturalmente. Senti quando ele pegou um dos meus pés e começou a acaricia lentamentecom suas mãos. Então começou a beijá-lo suavemente e quando abri meusolhos vi que estava olhando para mim com paixão e luxuria. Depois subiu mais um pouco e estava beijando e acariciando os meustornozelos, e fechei os meus olhos para aproveitar a emoção que sentia e osarrepios que tomavam conta de todo o me corpo. Ele subiu mais um pouco e começou a beijar meus joelhos, depoiscomeçou e beijar minha coxa. E estava passando a sua língua em minhabarriga e meu corpo inteiro congelou naquele momento, fazendo-me gemercom o prazer que senti. Então passei as minhas mãos pelos seus cabelos e pedique beijasse mais, muito mais.
  • 162. Ele percebendo a minha excitação, começou a dar leves mordidas emminha barriga e quase pulei de tanta excitação que aquilo me proporcionou. Sua língua começou a subir lentamente pelo meu abdômen e em poucosinstantes estava em meus seios. Então coloquei a mão em seu rosto e comeceia mostrar para ele todo o prazer que estava sentindo naquele momento tãomaravilhoso. E ele ficou tão excitado que começou a chupar os meus seioscom mais força, fazendo-me gritar baixinho com tanto prazer. Nesse momento começarmos a sentir prazer juntos, apesar de só estarmosnos tocando, vi a sua excitação e o prazer de seu corpo aumentar com asensação que dava para ele. E tinha certeza que o seu prazer era duas vezesmaior do que o meu, pois ele sentia por nós dois, e isso me deixavaextremamente feliz. Suas mãos começaram a se mover em meus seios, enquanto beijava echupava o meu pescoço. Então começou a subir lentamente e em um instanteseus lábios estavam sobre os meus, se movendo ansiosamente e me deixandosem fôlego. Seu beijo agora era selvagem e seus lábios pressionavam os seus maisbruscamente, enquanto sua língua se movia junto a minha em ritmodesesperado.
  • 163. Minhas mãos arranhavam as suas costas e enquanto me beijava,continuava a passar para ele todo prazer que estava sentindo, fazendo-o gemercomo um gato selvagem. De repente, senti tocar em minha parte mais intima edesconhecida do meu corpo e a sensação do movimento foi surreal e me fezgritar... gritar bem alto...mais alto com aquela sensação que nunca tinhasentido e não imaginava que pudesse existir. E quanto mais ele movia seusdedos, mais gritava. Então comecei a morder lentamente os seus lábios comuma fome insaciável. Ele abriu levemente as minhas pernas e se colocou por entre elas,enquanto me beijava. Então comecei a sentir penetrar o meu corpolentamente, fazendo-me sentir uma leve dor ao seu toque. Contudo a dor eratão prazerosa e reconfortante, que deseja mais... muito mais. Então comecei ame mover, forçando o seu movimento e a dor fez as lágrimas correrem pelomeu rosto e gritar de felicidade e contentamento. Nós começamos a nos mover juntos, como se estivéssemos em uma dançasincronizada, e nossos olhos estavam fixos uns nos outros, enquantogemíamos e gritávamos de êxtase e prazer. A velocidade dos seus movimentos começaram a aumentargradativamente, enquanto me movia junto com ele, mostrava todo o prazerque sentia. Então ele começou a uivar como um lobo ensandecido e pareceuter perdido totalmente a noção do que estava acontecendo.
  • 164. Ele deitou na cama e me colocou por cima dele, então agora era a minhavez de pular como uma gata selvagem, louca, ensandecida em busca de todo oprazer que poderia me proporcionar. E enquanto dançava sobre ele, suas mãosapertavam meus seios violentamente. Depois me puxou para mais perto e começou a me beijar ferozmente,então começou a dá pequenas mordidas em meu ombro. As coisas aconteciam rapidamente e não dava nem tempo parapensarmos, apenas estávamos entregues ao mais perfeito e puro prazerdaquele momento. Ele me tirou de cima dela, me pegou no colo e me levou para a mesa queestava no canto do quarto. Então me colocou sobre a mesa, abriu minhaspernas e começou a penetrar novamente com mais força e violência, fazendogritar mais, mais e mais... Eu não queria que aquilo terminasse nunca!! Não queria que parasse!!Queria morrer fazendo amor como o meu Jake!! Foi a coisa mais maravilhosa,intensa e perfeita que já experimentei em toda a minha vida e poderia passaranos naquela cama com ele e nunca enjoaria.
  • 165. Depois de um tempo, estávamos exaustos e deitamos um pouco paradescansar. Mas meia hora depois recomeçamos a fazer amor novamente edessa fez fomos para a banheira de espumas. E fiquei sobre ele, dançando eme movendo como uma contorcionista, enquanto o fazia uivar freneticamentee me levar a loucura total de tanto prazer. Depois que fizermos amor 5 vezes, Jake estava totalmente acabado epediu que tivesse pena dele, pelo menos por aquela noite. Como já previa, os quinze dias que ficamos em Barbados só saímos doquarto umas três vezes. E o resto do tempo passamos trancados, fazendo amordias e noites sem nos preocuparmos com as reclamações da gerencia, que devez em quando ligava para pedir que fizéssemos menos barulho. No ultimo dia que ficamos no Resort, depois de fazermos amor, elecomeçou a falar umas coisas que começaram a me assustar e lembraram doque havia feito. Mas o meu instinto de proteção me dizia para mentir.
  • 166. – Nesse, há alguma coisa...algum segredo que queira me contar¿ Eleperguntou,beijando os meus lábios e olhando em meus olhos. – Como assim¿ Droga!!O que quer dizer¿ O que ele sabe¿ Fica calma!! Finja que nãoestá entendendo nada!! – Algum segredo¿ Algo que não contaria nem para sua mãe¿ Agora quesomos casados, acho que não podemos esconder nada um do outro. Ele diziaolhando de uma forma estranha para mim. – É claro que não! Nunca escondi nada de você. Sabe disso!
  • 167. Minta!! Minta!! Não o deixe perceber nada!! Droga!! Por que tinha queperguntar isso agora¿ Droga!! Minta, Nesse!! Ele não pode saber!! Nunca!!Céus! – Você quem sabe! Mas se algum dia quiser me contar algo... mesmo queseja algo terrível. Estarei pronto para te ouvir. Só não quero que haja segredosou mentiras entre nós. Ele disse com olhar decepcionado. – Não existe mentiras entre nós! Respondi de forma bem segura. Ai amor!! Não posso te contar o que aconteceu!! Você me odiaria sesoubesse!! Por favor me perdoa¿ – Queria te perguntar outra coisa. Ele disse com ar misterioso.
  • 168. – O que¿ Perguntei ainda preocupada. O que será agora¿ Vai me matar com esse mistério! – Quando viajei... Billy te ligou para conversar com você. O que elequeria¿ Ele perguntou e eu estremeci. – Ah! Nada de mais! Ele só estava preocupado com você longe e ligoupara saber como eu estava. Ai!! Ai!! Céus!! Não dá bandeira agora, Nesse!! Respira!! Pensa rápido!!Droga!! Agora não!! – Vocês não chegaram a se ver¿
  • 169. – Não! Fiquei de fazer uma visita para ele, mas ele morreu no mesmo diae não houve tempo. Ai!! Ele sabe de tudo!! Só pode saber!! Não!! Não!! – Só fiquei curioso, quando Quil contou que ele havia ligado para você eque queria ter uma conversar contigo. Mas deixa para lá. Ele disse, depois selevantou e foi para o banheiro, ficando por lá por um bom tempo. Eu fiquei deitada na cama, totalmente desnorteada e sem entender omotivo das perguntas de Jake. Mas de uma coisa tinha absolutacerteza: mentir era a minha única saída e faria isso até o fim.
  • 170. CONTINUA LUA DE MEL PVO JAKE(Cap. 12) LUA DE MEL - PVO JAKENotas do capítuloPessoal, esse é o ponto de vista de Jake!!Aproveitem que está bonzinho, pois daqui a pouco vai começar a suavingança.Não deixem de comentar!!LUA DE MEL PVO JAKE
  • 171. A viagem para Barbados demorou mais do que esperava, mas estava tãoansioso e preocupado que não conseguia dormir. Fiquei abraçado a minha Nesse, acariciando seus cabelos para ver sedormia. Contudo ela também estava ansiosa demais e permaneceu acordada. Durante o vôo tive tempo para pensar no que faria a partir daquelemomento. Então tomei uma decisão que poderia mudar toda nossa vida,dependendo da atitude que Nesse tomasse. Daria a ela a chance de se defender e de me contar o que havia acontecidoentre ela e meu pai. Mas sabia que o rumo da nossa vida dependeria da suasinceridade. Nesse, minha branquinha! Quero muito mais para nós dois!
  • 172. Quero ter uma chance de te fazer feliz, mas isso só dependerá de você! Por favor seja sincera comigo! Diga a verdade para que eu possa te perdoar! O que mais desejo nessa vida é te perdoar, para que tenhamos uma chance de sermos felizes. Te amo tanto que chega a doer!! Estou tão feliz por finalmente ser minha esposa, mas ao mesmo tempo estou morrendo de medo pelas coisas que terei que fazer!
  • 173. Realmente não quero te torturar, mas preciso de uma razão para te perdoar! Por favor diga qualquer coisa... que foi um engano... que não teve a intenção... que perdeu o controle... minta para mim!! Mas me dê uma razão para esquecer essa vingança idiota! Fomos para o Resort e depois que entramos em nossa suíte, fui para avaranda ficar vendo a paisagem e tentar colocar os meus pensamentos emordem. Pois estava preocupado em como as coisas aconteceriam e não estavaagüentando de tanta angustia que sentia. Sabia que meus planos haviam dado certo até aquele momento. E paracontinuar esse plano estúpido, teria que deixá-la totalmente viciada edependente de sexo. Contudo não queria realmente levar esse plano estúpido a
  • 174. diante, mas a minha consciência me acusava todo tempo e me obrigava alembrar da promessa que havia feito quando meu pai foi assassinado. Estava distraído pensando em tudo o que havia acontecido e na decisãoque teria que tomar no momento que fossemos para a nossa casa. E sabia quesó haveriam duas possibilidades para mim: Acabar com as nossas vidas,através desse louco plano de vingança, ou fazê-la a mulher mais amada efeliz do mundo. E confesso que estava mais propenso a segunda escolha, poismagoar minha pequena me causava uma dor física que não conseguiasuportar. E sofreria mais do que ela mesma, com o que teria que fazer. Tinha que arrumar uma forma de fazê-la confessar o seu crime e pedirperdão, pois só assim poderíamos ser felizes e viver em paz. Senti seus braços percorrerem a minha cintura, abraçando-me fortementee um frio percorreu a minha espinha naquele momento, fazendo todas ascélulas do meu corpo gritarem por ela. Depois que paramos de nos beijar, ficamos nos olhando por um momentoe fiquei completamente louco com a visão da minha esposa tão linda,encantadora e desejável ali esperando por mim, com tanto desejo e ansiedadeem seus olhos. E apesar de querer tomá-la em meus braços naquele mesmomomento, lembrei-me que precisava de um banho antes de tocar aquele corpoimaculado.
  • 175. Então disse para ela que precisava tomar um banho e fui para o banheirome preparar para minha note de núpcias. Fiquei algum tempo embaixo do chuveiro, tentando acalmar meusânimos. Pois havia tanto tempo que não transava com ninguém, que estavacom medo de perder o controle e machucar a minha branquinha. Entãoquando senti que estava preparado voltei para o quarto e fiquei algunsinstantes na porta contemplando aquele corpo tão maravilhoso. Te amo demais, garota!! Quero te fazer muito feliz!! Sei que esperou por esse momento por tanto tempo... e está super ansiosa.
  • 176. Mas quero que seja perfeito para nós dois. Vou dá tudo o que você precisa... te amar de forma que nunca ninguém amou e nem vai amar. Fazer você esquecer todo estresse e sofrimento que te causei nos últimos meses. Sua pele é tão branca e macia... tão perfeita que tenho até medo de machucá-la! Mas prometo que vou ser muito cuidadoso com você!!Quando terminar não vai nem lembrar de qualquer sinal de dor! Vou ter amar muito....
  • 177. Minha Nesse!! Você é toda minha vida... a razão do meu viver! Se soubesse quantos anos esperei por você! Como me deixou louco por todos esses meses... Como fiquei assustado quando percebi que havia crescido e se tornado uma mulher... e que estava apaixonada por mim!! Tudo acaba aqui!!Somos só nós dois agora e nada mais me importa!!
  • 178. Vivo por você que me dá tudo que é necessário!!Vivo por você que me faz sentir vivo... me faz sentir forte e corajoso. Vivo para amar você!! Cada dia ao seu lado é uma conquista... uma nova perspectiva... um novo sonho... Você me salvou de todas as formas que uma pessoa poderia salvar, pelo simples fato de ter nascido e de existi. Lembro-me que quando a vi pela primeira vez, ainda bebezinho, soube que era você que amaria para todo o sempre.
  • 179. E naquele momento você me resgatou do limbo em que vivia. Vou amar você para sempre!! Não importa se também a odeie pelo que fez ao meu pai, pois o meu amor sempre existirá. – Renesmee! Amo você! Sempre te amei!! – Quero fazer você feliz... te dá todo prazer que desejar... morrer de amorem seus braços. – Prometo que vou ser muito gentil com você!
  • 180. Ela não disse nada, mas seu sorriso e expressão de contentamentodemonstravam que estava radiante de felicidade. Então fechou os olhos eficou esperando para o que iria acontecer Fui para a beira da cama, peguei um de seus pés e comecei a beijá-losuavemente, enquanto o acariciava e olhava para minha pequena branquinhasorrindo de contentamento, com olhar vitorioso ao abrir os olhos e ver o queestava fazendo. Vou te fazer muito feliz!!! Você vai ser a mulher mais realizada dessemundo!! Eu te quero muito, mas não vou ter pressa...
  • 181. Comecei a beijar seus tornozelos, depois subi até os joelhos e cheguei emsua coxa, onde passei a língua lentamente para sentir o gosto doce de sua pelemacia, quase enlouquecendo de tanto prazer que sentia. Depois comecei a beijar e passar a língua sobre a sua barriga perfeita. Epercebi os gemidos fortes dela, que se contorcia na cama a cada movimento daminha língua. Então ela passou as mãos em meus cabelos e começou aimplorar que fizesse mais, mais e mais. E fiquei tão feliz pelo seu prazer, quecomecei a morder levemente a sua barriga enquanto gritava e se contorcia nacama. Isso amor!! Aproveita bastante... você merece isso e muito mais! Vou dátudo o que você precisa!! Fico tão feliz por vê-la assim tão contente!! Te amo tanto!! Vou fazê-la amulher mais realizada desse mundo! Comecei a passar a minha língua sobre todas as extremidades do seuabdômen, até chegar aos seu seios perfeitos, que mais pareciam duaspequenos maças. Então ela colocou a mão em meu rosto e começou a memostrar todo prazer sentiu desde o primeiro toque em seu pequeno pé. E me
  • 182. senti tão glorioso e excitado, sentindo um prazer dobrado, de forma que nuncahavia me sentido na vida. Comecei a chupar os seios mais forte e ela gritava baixinho, enquanto memostrava o seu prazer e me levava ao céu de tanto êxtase que sentia. Eu nem a penetrei ainda e já estou gozando junto com você. E asensação é tão surreal, que não quero que acabe nunca. Nunca senti isso em toda a minha vida!! Isso é tão fantástico!!Maravilhoso!! Comecei a beijar e chupar o seu pescoço, enquandto acariciava os seusseios. De repente meus lábios ansiosos estavam nos seus, traçando todocontorno de sua boca. E começamos a nos beijar ferozmente, e movendonossas línguas em um ritmo acelerado e sincronizado. Enquanto nos beijávamos, suas unhas arranhavam as minhas costas ecausava uma dor que gostava de sentir. Então me permiti ousar mais umpouco e deslizei minha mão até a sua parte mais íntima e comecei a estimularo seu sexo cada vez mais rápido, fazendo-a se contorcer e gritar de prazer,revirando os olhos enquanto e arranhava inteiro.
  • 183. Isso amor!! Esse é todo prazer que você sempre quis!! Goza!! Geme maispara mim!! Leva-me para o céu!! Aproveita tudo o que quero te dá! Te amo tanto!! Quando senti que ela estava no ponto e pronta para me receber, abri assuas pernas e me coloquei entre elas lentamente, tentando não machucá-la.Então comecei a penetrá-la lentamente, tomando o máximo cuidado para quenão sofresse. Contudo ela começou a se mover um pouco mais rápido, e nosolhávamos intensamente quando nos movíamos, e vi as lágrimas rolando emseu rosto.Mas o seu sorriso dizia que estava gostando e se sentia feliz comaquilo. Continuávamos nos olhando fixamente, enquanto nossos corpos semoviam com mais velocidade. E sentia um extremo prazer com o movimento
  • 184. que fazia entrando e saindo de seu corpo.Fazendo nos dois gemermos egritarmos de prazer e êxtase. AI!!! Isso é muito bom!!! UUUUUUUUUUUUUU!!! ASSIMMMMORRROOOO!!! VOU PARA O CEU DESSE JEITOOO!! VOCE ÉMUIIITOOOOO GOSTOOOSAA Pensei. Nossos corpos se moviam em alta velocidade, em um ritmo totalmentefrenético, então comecei a gritar e a uivar de tão louco que estava, perdido nosbraços da minha Nesse e tive plena convicção que valei a pena esperar tantotempo sem sexo, só para viver aquele momento tão maravilhoso e intenso. Nós mudamos de posição e a coloquei por cima de mim e enquantodançava e se movia como uma contorcionista, eu apertava os seus seios cadavez mais forte. Depois puxei o seu rosto para mim e comecei a beijá-lanovamente . E ela me mostrava todo o prazer que havia sentido naquelesmomentos, enlouquecendo-me ainda mais e comecei a morder levemente oseu ombro, fazendo a gemer ainda mais.
  • 185. LINDA! MARAVILHOSA!!! GOSTOSA DEMAIS!!! VOU ME PERDERNESSE CORPO PARA SEMPRE!!! NÃO VIVO MAIS SEM ISSO!! TE QUERO SEMPRE!!! Tirei-a de cima de mim e levei-a no colo até a mesa que estava no cantodo quarto. Coloquei-a sobre a mesa e abri suas pernas, encaixando-me nelas epenetrando seu corpo novamente com mais força e violência. E ela gritava, secontorcia e implorava por mais... implorava para que não parasse. VOCÊ SEMPRE ME TERÁ!! SEMPRE!! NUCA MAIS PODEREI VIVERSEM VOCÊ!! ESTOU TOTALMENTE LOUCO E ALUCINADO POR VOCÊ!!TE QUERO SEMPRE!!! APROVEITA TUDO O QUE POSSO TE DÁ!! VOCEÉ MUITO GOSTOSAAAAA!! MUITO!!
  • 186. Realmente estava irremediavelmente perdido nos braços daquela que eraa assassina do meu pai. E por mais que tentasse, não conseguiria mais viversem ela. Essa era a única certeza que tinha naquele momento. Fizemos amor por muito tempo e depois de algumas vezes estava exausto.Mas ela só me dava um pouco de tempo para recobrar as forças e começava ame seduzir. Então fizemos amor por diversas vezes, diversas formas eposições diferentes até não ter forças para me mover na cama, totalmentearrasado e destruído. Então finalmente pedi que tivesse pena de mim e medeixasse descansar pelo menos algumas horas. Ficamos em Barbados por quinze dias, mas só saímos do quarto por umastrês vezes. Pois o restante do tempo só fazíamos amor como dois alucinados,chamando a atenção dos outros hospedes. E o gerente precisou ligar algumasvezes, pendido para fazermos menos barulho. Contudo não conseguíamosparar quando estávamos juntos e parecíamos dois selvagens. No último dia no Resort, comecei a me preocupar em como seria a nossavida quando fossemos para a nossa casa. Então fiquei pensando em comoconvencê-la a me falar a verdade. E estava quase enlouquecendo de tantodesespero que sentia, pois daquele momento em diante seria muito mais difícilcontinuar com o meu plano de vingança.
  • 187. Então resolvi conversar com Nesse e jogar verde para ver se falava averdade. Mas as minhas tentativas foram em vão para o meu desespero e elamentiu pra mim. – Nesse, há alguma coisa...algum segredo que queira me contar¿Perguntei,beijando os seus lábios e olhando em seus olhos. Por favor!! Fala a verdade!! Diz que foi um acidente... que não teveculpa.. que perdeu o controle.. que se arrepende. – Como assim¿ Ela perguntou, tentando aparentar inocência.
  • 188. – Algum segredo¿ Algo que não contaria nem para sua mãe¿ Agora quesomos casados, acho que não podemos esconder nada um do outro. Disseolhando fixamente em seus olhos, para tentar entender o que se passava emsua cabeça. – É claro que não! Nunca escondi nada de você. Sabe disso! Elarespondeu. – Você quem sabe! Mas se algum dia quiser me contar algo... mesmo queseja algo terrível. Estarei pronto para te ouvir. Só não quero que haja segredosou mentiras entre nós. Disse decepcionado, com a recusa em contar o quehavia acontecido. Por que mente para mim desse jeito¿ Por que não conta logo a verdade¿Por favor, Nesse!! Estou tão desesperado!! Por favor!! Fala a verdade!!Verdade!! Preciso saber o que tinha acontecido!! Por favor!!
  • 189. – Não existe mentiras entre nós! Ela respondeu. – Queria te perguntar outra coisa. Disse para ela, tentando inventaralgo...uma armadilha para fazê-la cair e ter certeza que estava mentindo. Vamos ver se está realmente mentindo!! – O que¿ Ela perguntou preocupada.
  • 190. – Quando viajei... Billy te ligou para conversar com você. O que elequeria¿ Fiz uma pergunta de algo que não tinha a certeza, mas quedependendo da resposta, teria certeza da sua mentira. Billy não ligaria para ela!! Se quisesse conversar pediria pra o levarematé ela!! – Ah! Nada de mais! Ele só estava preocupado com você longe e ligoupara saber como eu estava. – Vocês não chegaram a se ver¿ Perguntei.
  • 191. Mentirosa!! Cretina!! Safada!! Como pode mentir tanto!! – Não! Fiquei de fazer uma visita para ele, mas ele morreu no mesmo diae não houve tempo. – Só fiquei curioso, quando Quil contou que ele havia ligado para você eque queria ter uma conversar contigo. Mas deixa para lá. Disse para ela,levantei-me e fui para o banheiro. Por quê¿ Por quê mente tanto¿ Por que não me conta a verdade¿
  • 192. Como posso te perdoar se continua a mentir descaradamente¿ Não!! Para de chorar seu mariquinha!! Ela não merece isso!! Ela não merece suas lágrimas e sua compaixão!! É uma vadia,safada,mentirosa!! Droga!! Droga!! Como pode acreditar que seria sincera¿ Ela nunca vai confessar a verdade! Nunca vai se arrepender do que fez!!
  • 193. Nunca vai pedir perdão!!E por mais que o doa... vai acabar com ela!! Vai transformar sua vida em um inferno!!Não tenha compaixão dessa vadia mentirosa!! Para de chorar!! Para agora!!! Seu choro não vai ajudar em nada!! Você tem que agir!! E ela vai pagar por tudo o que fez!!
  • 194. Vadia safada!!(Cap. 13) SOFRIMENTO - PVO NESSENotas do capítuloPessoal, vamos entrar em uma fase bem complicada e Jake vai fazer algumascoisas bem feias. Mas por favor, não odeiem o meu Jake. Isso tudo faz partedo plano e seu eu pular o pedaço das torturas, terei que ficar explicando ascoisas depois.Prometo que depois vou dá a revanche para Nesse, mas não odeiem o Jake SOFRIMENTO PVO NESSE Estava super feliz com o meu marido e viajando para a minha casa, semsaber o pesadelo que me esperava. Mas aparentemente tudo parecia perfeito enão desconfiei de nada até chegarmos finalmente em nossa casa emPanajachel.
  • 195. A primeira impressão que tive do local foi muito boa, e fiquei bastanteimpressionada com a beleza da natureza, com as praias,vulcões, florestas erios. E quanto chegamos a nossa casa, a achei linda e tive a certeza que seriamuito feliz naquele local. Contudo as coisas começaram a mudar quandoentramos na casa. Primeiro aborrecimento, foi de perceber que uma das minhas malas haviasumido. E quase tive um chilique, mas Jake prometeu ir até o aeroporto paratentar encontrá-la. Depois que entramos na casa, fiquei encantada na beleza do seu interior ebom gosto em sua decoração. E fiquei saltitando de alegria pelos cantos dacasa, maravilhada com o bom trabalho que meu Jake havia feito. Depois que vi o primeiro andar, ele me levou para conhecer os quartos e obanheiro. E foi ai que o choque, pavor e medo começaram a perturbar o meuser. Pois haviam três quartos, e um não tinha nenhum tipo de decoração, masos outros dois estavam preparados para duas pessoas se estabelecerem. No início achei que fosse piada, mas Jake me levou para um dos quartos,que era escuro e muito soturno. Ele tinha paredes cinza, a luz era bem fraca,uma velha cama bem estranha, um pequeno guarda roupa e um espelho velho.Mas tirando a parte de ser horrível, o que mais me assustou foi a porta de açocom vária trancas e a janela totalmente fechada com toras de madeira.
  • 196. – Que brincadeira é essa¿ Perguntei para ele, olhando espantada para oquarto. – Esse é o seu quarto! Ele respondeu casualmente, sentando na cama. – Meu quarto¿ Você só pode está brincando¿ Choraminguei para ele sementender nada. – Nesse, amor! Preciso de espaço e de privacidade. E sinceramente achoque você se move muito quando dorme. Então fiz quarto separados para nós,mas quando quisermos fazer amor poderemos ir para o quarto um do outro.Mas o que realmente preciso é de privacidade e não sei se vou me acostumar adividir um quarto com você. Por isso preparei quartos diferente e só deixeivocê ficar com esse, por causa da porta. Pois será melhor ficar trancadadurante a noite, para evitar que ataque os nossos animais e os dos vizinhos. Eu não poderei vigiá-la a noite inteira, mas essa porta a impedirá de fazerpasseios noturnos.
  • 197. Eu quase surtei com as explicações absurdas de Jake e fiquei discutindopor um bom tempo com ele. Mas no fim não houve jeito, ele acabou ficandono outro quarto sozinho e eu naquele lugar tenebroso. Mas o pior ainda estava por vi, pois quando pedi que trouxesse as minhamalas, ele se negou e mais uma vez de deu uma explicação absurda. – Jake, pode trazer as minhas coisas¿ Preciso tomar um banho antes dedormir. Estou muito cansada. Disse aborrecida para ele. – Amor! Tomei a liberdade de fazer uma mudança em seu guarda roupa.Não temos muito dinheiro e não podemos andar vestidos com roupas de ricos.Então achei melhor comprar roupas mais apropriadas para você. Não queroque os comerciantes locais nos vendam as coisas por preços absurdos,achando que estamos nadando em dinheiro. – Tem algumas roupas e sapatos novos que comprei no seu guarda roupa.Dá uma olhadinha!
  • 198. Fiquei pasma, abismada e totalmente assustada, mas não tive reação paradiscutir com ele. Então me dirigi para o guarda roupa e o abri, quase entrandoem colapso ao ver as roupas ridículas (vestidos estampados, muito coloridos eoutras coisas horrorosas que não consigo nem descrever). – Não!! Não mesmo!! Não vou usar essas roupas! Nem adianta reclamarou querer me obrigar. Você está surtado se pensa que vou andar uma palhaça jeca tatu!!! Nãomesmo. – Amorzinho, escuta bem o que vou falar! Nós teremos muito trabalho nafazenda e não vai querer cuidar de cavalos, porcos, vagas, galinha,patos,cachorros.... arrumar a casa... lavar roupas... como uma princesa. E tenhocerteza que não vai querer estragar suas roupas de marca. – Outra coisa, nós só teremos dois empregados para me ajudar naplantação e se acharem que estamos nadando em dinheiro, vão me cobrar oolho da cara. Além disso, temos que andar modestamente, pois se oscomerciantes acharem que temos dinheiro vão cobrar o olho da cara por tudoque comprarmos.
  • 199. – JAKE! NÓS NÃO ESTAMOS TAL MAL DE VIDA ASSIM!!!PODEMOS CONTRATAR EMPREGADAS PARA CUIDAR DOSANIMAIS E DA CASA. EU NÃO VOU ME ACABAR COMO UMAEMPREGADA. NÃO MESMO E NÃO VOU USAR ESSAS ROUPASRIDICULAS! Você está louco!! Está querendo me torturar¿ Não vou suportar isso!!Não sei nem lavar louças!! Como vou cuidar dessa casa e desses animaissozinha¿ Que droga!! – Amor, não temos dinheiro para contratar mais empregados! Lembro quequando discutimos sobre o casamento estava disposta a tudo. Você lembra¿ – Lembro que meu pai te deu uma boa quantia em dinheiro para me dáboa vida!! Disse para ele irritada,andando de um lado para o outro enquantoele estava calmo sentado na cama. – O dinheiro que seu pai me deu, gastei comprando esse terreno,reformando essa casa, comprando os animais, remédios para os animais,rações, a caminhonete, pagando os empregados para tomarem conta enquantoestivemos fora... – O dinheiro que restou é para nos mantermos nos próximos meses!! Nãodá para contratar mais empregados!! Ele respondeu.
  • 200. – Vamos ligar para o meu pai e pedir mais dinheiro! Problema resolvido! Meu pai manda mais dinheiro e contratamosempregados que precisamos. E das minhas roupas não abrirei mão!! – Não vou passar pela humilhação de pedir dinheiro ao seu pai!! Elerespondeu secamente. – MAS EU VOU!! ONDE FICA O TELEFONE¿ VOU LIGAR PARAELE AGORA!! Gritei irritada. – Amor, não fica nervosa!! Olha só, tenho que te contar uma coisinha queme esqueci. Não temos telefone na casa! Ele disse despreocupado.
  • 201. – COMO¿ SEM TELEFONE¿ O QUE MAIS NÃO TEMOS, ALÉM DEEMPREGADOS E TELEFONE¿ DROGA!! Gritava nervosa. – Pega o seu celular e liga para ele, então! Onde o colocou¿ Eleperguntou. – Não sei! Acho que deixei o celular, o notebook, mp4 e outras coisaseletrônica na mala preta. – Qual mala¿ A que sumiu¿ Ele perguntou franzindo a sobrancelhas equase surtei. – OH! NÃO!! NÃO MESMO!! VOCÊ VAI AGORA NO AEROPORTOE VAI ARRUMAR UMA FORMA DE TRAZAR MINHAS MALAS!! NÃOVOU FICAR NESSE FIM DE MUNDO SEM TELEFONE E INTERNET!!DROGA!! NÃO MERECO ISSO. Gritei chorando muito, então ele veio atémim e me abraçou fortemente. E depois começou a me beijar para meacalmar.
  • 202. Estava inconformada por ficar naquele quarto, virar empregada da casa ecuidar dos animais, perder minhas únicas formas de comunicação comomundo. Mas o calor do corpo dele conseguiu afastar toda a raiva e desesperoque sentia e percebi, a partir daquele dia, que todas as vezes que perdia ocontrole, ele sempre vinha e fazia amor comigo para me dobrar. A hora de dormir foi a pior possível, pois quando ele sair e foi para o seuquarto, fiquei trancada chorando desesperada na cama enquanto olhava paraas paredes escuras do meu quarto. Mas tinha esperanças das coisas mudarem epoder ficar no quarto junto ao meu amor, coisa que não aconteceu nos demaisdias. Jake me acordou as cinco horas para tirar leite das vagas e alimenta osanimais. Então coloquei um daqueles vestidos horrorosos e fui com a cara acom a coragem. Ele ficou um bom tempo tentando me ensinar como se tirava o leite, masestava com tanta má vontade que não queria aprender. Contudo essa não foi apior parte, pois ainda tinha que cuidar dos cavalos, alimentar aquele monte deanimais, tirar os ovos das galinhas (que quase me atacaram), e a pior parte foialimentar os porcos.
  • 203. Nunca passei uma situação tão difícil na vida e confesso que tive vontadede matar Jake, quando cai no chiqueiro e fiquei totalmente imunda e fedendo,enquanto ele ria como uma criança achando graça de tudo aquilo. Nos dias que seguiram a minha insuportável vida não melhorou em nada.E continuava aprendendo a cuidar da casa,com meu marido me ensinandotudo, mas odiava aquela coisa de ter que limpar, arrumar, lavar, passar ecozinhar. Mas ele parecia se divertir com toda a situação e me deixavaextremamente irritada. E quando reclamava que não estava agüentando mais,ameaçava me devolver parar os meus pais, o que me deixava desesperada edepois fazia amor comigo, convencendo-me que nos acostumaríamos comaquela nova vida. Tive muita dificuldade em aprender a usar a máquina de lavar e ele sedivertia muito com meu pavor e desespero tentando aprender. – Amor, olha só!! Você escolhe o nível de água, o tipo de roupa, colocasabão, alvejante e o amaciante e depois é só ligar. Mas não pode esquecer deseparar as roupas, pois não pode bater roupas brancas com coloridas, astoalhas são batidas separadamente, as calças jeans também. Você quer queescreva e desenhe para você¿ Ele disse sarcasticamente
  • 204. – Não acho que entendi! Respondi para ele. Na primeira lavagem eu acertei, mas depois não sei o que aconteceu quemanchei todas as roupas. E Jake ficou furiosos. Nós discutimos mais uma vez e insistir que contratasse empregadas.Contudo se negou terminantemente e mais uma vez me seduziu para me fazerficar boazinha, sem reclamar. Passeis os dois primeiros meses chorando o tempo inteiro e a noite sentiauma profunda solidão trancada naquele quarto escuro, e sentindo a falta domeu Jake. Mas nem imaginava que o pior ainda estava por vir e ainda sofreriamuito mais. Amor, por que você está me torturando desse jeito¿ Por que me obriga a viver como sua empregada¿ Por que me obriga a dormir trancada nesse quarto escuro¿ Se soubesse o quanto sofro!!
  • 205. Quanto tenho medo de ficar aqui sozinha! Parece brincadeira mas esse quarto me dá medo!! Essa casa me da medo!! E você as vezes me dá medo!! Tenho a impressão que está fazendo tudo de propósito, mas qual motivo teria para me sacrificar desse jeito¿ Gostaria que voltasse a ser o meu Jake... o que tanto amo.Mas as vezes parece outra pessoa... uma pessoa que não conheço. Queria ter forças para ir embora, mas te amo tanto que não conseguiria viver sem você. Prometo que vou suportar tudo para ficar ao seu ladoe sei que essa fase difícil passará... e você voltará a ser meu Jake!!
  • 206. Meu amor!! CONTINUA SOFRIMENTO PVO JAKE(Cap. 14) SOFRIMENTO - PVO JAKE SOFRIMENTO PVO JAKE
  • 207. Fui para o banheiro e chorei feito uma criança. Então depois de umtempo, decidi me acalmar um pouco para ela não perceber que havia chorado.E enquanto estive sozinho na banheira, tive tempo para pensar e resolvi queela não merecia a minha pena. Era uma assassina e havia matado meu pai da forma mais cruel, ainda porcima escondia e mentia sobre o que havia acontecido. Então não era digna dereceber a minha clemência e eu cumpriria a promessa que fiz a memória domeu pai, e a faria pagar pelo seu crime mesmo que sofresse junto com ela. Voltei para o quarto como se nada houvesse acontecido e tentei dormirum pouco antes de conversar com ela novamente. Pois minha raiva eratamanha, que seria capaz de estrangulá-la ali mesmo. Então aproveitei queestava cochilando e dormi um pouco também. Quando acordamos, começamos a preparar as coisas para a viagem e tiveum pouco de tempo para tramar como daria sumiço no seu celular e notebook.Então sugeri que colocasse todos os eletrônicos em uma única mala,justamente a que se extraviaria no aeroporto.
  • 208. Passamos o dia andando de mãos dadas pela praia, comemos um pouco etiramos algumas fotografias. Então quando começou a ficar tarde, voltamospara a nossa suíte e pegamos nossas malas para fazer o check out no resort. Embarcamos para a Guatemala sem maiores transtornos e quandochegamos, sugeri que fosse fazer um lanche, enquanto pegava as malas elevava para o taxi. E quando a deixei na lanchonete, pequei as malas e tomeium taxi. Então pedi ao taxista para guardar a mala preta e deixei uma boaquantia para que me encontrasse em alguns dias para o resgate. Voltei para a lanchonete, como se nada houvesse acontecido, e falei comela que uma mala havia sumido. Mas que havia feito contato com acompanhia aérea e depois entrariam em contato para entregar as bagagensperdidas. E ela caiu completamente em meu relato, sem questionar nada ouperguntar qual mala havia sumido. Chegamos em casa e quando ela a viu pelo lado de fora, sorriu encantadae ficou maravilhada com a vista da casa e da natureza que havia a sua volta. Equando entramos, estava radiante de felicidade e saltitava como uma pererecaao olhar a sala de visita, a sala de jantar, a cozinha, lavanderia e os outros
  • 209. cantos da casa. Mas quando fomos para o segundo andar, a sua alegria acabouinstantaneamente. Mostrei para Nesse um quarto vazio, depois mostrei o meu quarto (grandee bem aconchegante com cama de solteiro) e depois a levei para o quarto quepreparei especialmente para ela. Vi o choque e o pavor em seu rosto, ao perceber que não era umabrincadeira e que aquele seria o seu quarto. E no inicio tentou fazer piada,depois rebater e depois pareceu apavorada. – Que brincadeira é essa¿ Ela perguntou apavorada ao olhar para o quarto. – Esse é o seu quarto! Disse calmamente e depois me sentei na cama.
  • 210. – Meu quarto¿ Você só pode está brincando¿ Ela começou a choramingare seus olhos encheram de lágrimas, enquanto olhava para mim, implorandoque estivesse brincando. – Nesse, amor! Preciso de espaço e de privacidade. E sinceramente achoque você se move muito quando dorme. Então fiz quarto separados para nós,mas quando quisermos fazer amor poderemos ir para o quarto um do outro.Mas o que realmente preciso é de privacidade e não sei se vou me acostumar adividir um quarto com você. Por isso preparei quartos diferente e só deixeivocê ficar com esse, por causa da porta. Pois será melhor ficar trancadadurante a noite, para evitar que ataque os nossos animais e os dos vizinhos. Eu não poderei vigiá-la a noite inteira, mas essa porta a impedirá de fazerpasseios noturnos. Droga Jake, o que está fazendo¿ Olhe para ela!! Como está assustada eindefesa!! Pegue-a no colo e diga que é brincadeira!! Esqueça essa vingançaestúpida!! Droga!! Meu amor, perdoe-me pelo que vou fazer com você!!Apesar de tudo eu te amo!! Droga!! Maldita mentira!! Droga!! Nós ficamos discutimos por algum tempo e fiz tudo para convencê-la deque era o melhor para nós termos quartos separados. E mesmo sabendo que
  • 211. não engoliria essa conversa, estava disposto a levar até as últimasconseqüências. Mas ela ficou histérica quando pediu suas malas e dei a noticia de quehavia comprado roupas novas e não poderia mais usar as suas roupas. – Jake, pode trazer as minhas coisas¿ Preciso tomar um banho antes dedormir. Estou muito cansada. Ela disse aborrecida. – Amor! Tomei a liberdade de fazer uma mudança em seu guarda roupa.Não temos muito dinheiro e não podemos andar vestidos com roupas de ricos.Então achei melhor comprar roupas mais apropriadas para você. Não queroque os comerciantes locais nos vendam as coisas por preços absurdos,achando que estamos nadando em dinheiro. – Tem algumas roupas e sapatos novos que comprei no seu guarda roupa.Dá uma olhadinha!
  • 212. Céus!! Agora ela realmente irá enlouquecer!! Será que vou agüentarisso¿ Droga!! Não sou forte o suficiente para vê-la sofrer tanto!! Seja forte esiga em frente!! Sem pena!! Sem compaixão!! Ela tem que pagar pelo quefez!! Nesse ficou em choque e não conseguia nem respirar. Então passoualguns segundos e ela se dirigiu para o seu velho guarda roupas. E quando oabriu começou a gritar e a chorar desesperada. – Não!! Não mesmo!! Não vou usar essas roupas! Nem adianta reclamarou querer me obrigar. – Amorzinho, escuta bem o que vou falar! Nós teremos muito trabalho nafazenda e não vai querer cuidar de cavalos, porcos, vagas, galinha,patos,cachorros.... arrumar a casa... lavar roupas... como uma princesa. E tenhocerteza que não vai querer estragar suas roupas de marca.
  • 213. – Outra coisa, nós só teremos dois empregados para me ajudar naplantação e se acharem que estamos nadando em dinheiro, vão me cobrar oolho da cara. Além disso, temos que andar modestamente, pois se oscomerciantes acharem que temos dinheiro vão cobrar o olho da cara por tudoque comprarmos. Calma, cara!! Seja forte!! Não vai fraquejar agora!! Ai!! Queria tantoabraçá-la e dizer que é tudo brincadeira!! Não agüento vê-la desse jeito!!Calma cara!! Conte até dez e respire fundo!! Seja forte!! Seu pai mereceisso!! Pense na promessa que fez!! Fica calmo!! Droga!! Isso é uma “M”! – JAKE! NÓS NÃO ESTAMOS TAL MAL DE VIDA ASSIM!!!PODEMOS CONTRATAR EMPREGADAS PARA CUIDAR DOSANIMAIS E DA CASA. EU NÃO VOU ME ACABAR COMO UMAEMPREGADA. NÃO MESMO E NÃO VOU USAR ESSAS ROUPASRIDICULAS! – Amor, não temos dinheiro para contratar mais empregados! Lembro quequando discutimos sobre o casamento estava disposta a tudo. Você lembra¿
  • 214. Ela estava disposta a tudo quando decidiu casar. Mas não sabia o queprentendia para faze-la sofrer. Sou um canalha!! Safado!! Como posso fazerisso com minha branquinha¿ Droga!! “M”!! Respira! Respira!! Fica calmo!! – Lembro que meu pai te deu uma boa quantia em dinheiro para me dáboa vida!! Ela disse andando de um lado para o outro. – O dinheiro que seu pai me deu, gastei comprando esse terreno,reformando essa casa, comprando os animais, remédios para os animais,rações, a caminhonete, pagando os empregados para tomarem conta enquantoestivemos fora... – O dinheiro que restou é para nos mantermos nos próximos meses!! Nãodá para contratar mais empregados!! Respondi para ela
  • 215. Seu filho da “p” mentiroso!! Você tem muito dinheiro guardado e nãoprecisa fazê-la de empregada!! Droga!! Mate-a logo de uma vez e acabe comessa vingança estúpida!! Isso não vai dá certo!! Não vai agüentar vê-lasofrer!! Droga!! Pergunte logo se ela matou seu pai e por que fez isso!!Acabe com essa agonia!! Ela nunca vai confessar!! Então fale diretamentesobre o assunto e acabe logo com isso! – Vamos ligar para o meu pai e pedir mais dinheiro! Ela respondeuirritada. – Não vou passar pela humilhação de pedir dinheiro ao seu pai!!Respondi decepcionado comigo mesmo. Nesse, amor!! Espero que um dia me perdoe por tudo isso!! Eu ainda teamo tanto... Só queria que as coisas fossem diferentes e que pudesse perdoá-la pelo que fez!! Queria esquecer tudo, mas ele era meu pai! Como possoignorar que você matou meu pai¿ Mais não consigo deixar de te amar e isso éuma “M”, pois seria mais fácil se não sentisse nada por você.
  • 216. – MAS EU VOU!! ONDE FICA O TELEFONE¿ VOU LIGAR PARAELE AGORA!! Ela gritava histericamente, enquanto eu tentava parecercalmo, mas estava morto de tanta dor que sentia naquele momento. – Amor, não fica nervosa!! Olha só, tenho que te contar uma coisinha queme esqueci. Não temos telefone na casa. Respondi para ela. – COMO¿ SEM TELEFONE¿ O QUE MAIS NÃO TEMOS, ALÉM DEEMPREGADOS E TELEFONE¿ DROGA!! Ela gritava e chorava. – Pega o seu celular e liga para ele, então! Onde o colocou¿ Disse paraela.
  • 217. Jacob Black, você é um canalha safado!! Como pode ser tão sínico eperguntar pelo telefone se deu fim em todas as formas de comunicação¿Como pode ser tão mentiroso¿ Está ficando igualzinho a ela!! Mas que “M”. – Não sei! Acho que deixei o celular, o notebook, mp4 e outras coisaseletrônica na mala preta. Ela disse um pouco mais calma. – Qual mala¿ A que sumiu¿ Perguntei para ela e percebi que o desesperovoltou mais forte dessa vez. Nesse amor, por favor não fica assim!! Vou morrer desse jeito!! Nãoagüento vê-la sofrer desse jeito!! Fica calma!! Por favor!! Ai!! Não vouagüentar fazer isso por muito tempo!! Vou ficar louco desse jeito!! Nãoagüento vê-la assim!! Droga!! Droga!!
  • 218. – OH! NÃO!! NÃO MESMO!! VOCÊ VAI AGORA NO AEROPORTOE VAI ARRUMAR UMA FORMA DE TRAZER MINHAS MALAS!! NÃOVOU FICAR NESSE FIM DE MUNDO SEM TELEFONE E INTERNET!!DROGA!! NÃO MERECO ISSO. Gritava e esperneava chorando muito. Fiquei tão atordoado em vê-la daquela forma, que fui até ela e a abraceifortemente, fazendo carinho e mostrando que estava tudo bem. Mas no fundoqueria morrer, por ver minha pequena branquinha naquele desespero ecomecei a chorar junto com ela, sem que percebesse. Depois que consegui me acalmar, puxei seu rosto em direção ao meu e abeijei calmamente. E por uns momentos senti um alívio percorrer meu corpo,quando percebi que estava mais calma e o desespero havia passado. Depois de alguns momentos abraçados e nos beijando, deixei-a sozinha edepois que tomou seu banho, tranquei a porta por fora, para impedir de sair.Então tomei o meu banho, totalmente desnorteado com o que havia acontecidoe fui para o meu quarto.
  • 219. Fiquei deitado na cama, rolando de um lado para o outro e sentindo faltado calor do seu corpo. Mas a pior coisa foi escutar o seu choro baixinho noquarto ao lado. E por várias vezes me levantei para ir até lá, mas o ladoracional me segurava e permiti que meu amor chorasse parte da noite. Não suporto isso!! Cada lágrima que derrama é uma facada em meu peito! Mas tenho que ser forte e continuar com meus planos. Quanto tempo mais vou agüentar te ver desse jeito¿ Como será nossa vida a partir da agora¿ Tudo isso é muito mais difícil do que imaginei... e só temos algumas horas nessa casa. Como viveremos¿
  • 220. Como posso te torturar se te amo tanto¿ Mas não posso esquecer que você matou meu pai!! Por que não mato a nós dois logo e acabo com isso¿ Passei parte da noite acordado e quando escutei o galo cantando, próximoda cinco horas, fui acordar nesse para o seu segundo dia de tortura. Acordei Nesse as cinco horas e a fiz tirar leite das vacas. E mesmo comtoda má vontade que estava, atendeu o meu pedido e fomos para o nosso diade fazendeiros.
  • 221. Enquanto tirava leite de uma vaca, ela fazia na outra com tanta raiva queestava irritando o pobre animal. Depois das vacas, fomos cuidas dos cavalos, galinhas e galos, patos eporcos. A parte dos porcos foi a mais engraçada e mesmo sofrendo junto com ela,morri de ri quando caiu no chiqueiro e ficou suja dos pés a cabeça,olhandopara mim com tanta fúria que pensei que me mataria. Continuei a ensiná-la a cuidar dos animais e da casa, mas ela pareciamuito mal humorada com toda a situação. E eu sofria juntamente com ela, portudo sacrifício que impunha, mas quando começava a reclamar usava umaarma que descobri ser muito útil, além do sexo, e a fazia fica boazinhanovamente. E percebia como entrava em pânico quando ameaçava devolve-lapara seus pais. Então ensinei como arrumar e limpar a casa, lavar as roupas, lavar obanheiro (isso a deixava morrendo de nojo e raiva) e tentei ensiná-la acozinhar, mas essa última parte não teve muito jeito.
  • 222. Uma das coisas mais complicadas para ela, foi a lavagem das roupas quea tirava do sério. E nos primeiros dias conseguiu fazer um bom estrago emesmo dando todas as orientações, parecia fazer de propósito. Ela chorava dia e noite, mas tentava fazer isso escondido de mim. Masnão sabia que havia câmeras espalhadas pela casa e que eu podia observarcada lágrima que derramava. Passava parte o dia no porão, que havia preparado e escondido comparedes falsas, vigiando todos os movimentos e pensando no que fazer paratornar as coisas mais difíceis. Então depois que perceber que a parte do “FAZER SOFRER” havia sidocumprida, tinha que passar para a segunda parte que era “HUMILHAR” etinha que encontrar uma forma de humilhá-la tanto que o seu sofrimento seriapequeno diante da vergonha e da raiva.
  • 223. Nesse meu amor!! Só preciso de uma palavra sua... PERDÃO.Preciso que se arrependa e confesse o que fez, para parar de torturá-la dessa forma.Saiba que não estou feliz com isso, e a cada lagrima que derrama morro um pouco. Espero que um dia entenda tudo o que fiz! Não que perdoe a minha crueldade... mas que entenda que fiz pela memória do meu pai.Apesar de tudo continuo te amando a cada dia... mas esse amor está me matando.Só espero que o seu arrependimento não chegue tarde demais para nós dois! Por favor, coloque as mãos na consciência e confesse o seu crime!
  • 224. Peça perdão pelo que fez e assim poderemos ser felizes juntos! Por favor!! Por favor!! CONTINUA HUMILHAR PVO NESSE(Cap. 15) HUMILHAR - PVO NESSE
  • 225. Notas do capítuloPessoal, não fiquem com ódio de Jake!! Lembre-se que é tudo um plano devingança!! HUMILHAR PVO NESSE Os três primeiros meses não foram fáceis para mim e tirando o fato de seruma verdadeira empregada e andar vestida como uma jega, meu maridodormia em quanto separado, deixando-me trancada durante a noite. E só faziaamor comigo quando ficava muito nervosa e precisava me acalmar. E,contudo isso estava disposta a ficar ao seu lado, aceitando tudo o que fazia edizia pelo simples fato de ter medo de ficar sem ele. Para mim seria muito mais doloroso ter que voltar para a casa dos meuspais e me separar o meu amor, o que viver uma vida de empregada. Entãoestava disposta a viver da forma como a vida se apresentou para mim e tinhaesperanças dele voltar a ser meu Jake de sempre.
  • 226. Só que algumas coisas machucam muito mais do que um soco ou umafacada. E aprendi isso da forma mais dura e cruel do mundo, quando ele mefez experimentar a dor da traição e as humilhações. Tudo começou quando finalmente decidiu me levar para a cidade maispróxima, para eu ligar para minha família. Então enquanto estava em umorelhão, que ficava em uma pequena farmácia, vi quando ele começou a jogarcharme para a moça do balcão e quase entrei em colapso. Mas precisava meconcentrar para conversar com meus pais, sem deixar perceberem comoestava infeliz. – Alô, mãe! – Filha estamos mortos de suadade! Por que não ligou antes¿
  • 227. – Perdi minha mala com celular, notebook e outras coisas. E na nossacasa não há telefone, Então fica difícil tentar comunicação. – O por que não compram um¿ – Mãe, as coisas aqui são bem caras e estamos com algumas despesascom a fazenda. Assim que for possível, Jake colocará um telefone e compraráum computador para mim. Mas não fica preocupada, pois estou muito bem efeliz com a minha vida e o meu marido. Boa mentirosa é!! Feliz¿ Se isso é feliz, imagino como será ainfelicidade! – Nesse, como você está filha¿
  • 228. – Pai! Está tudo bem!! Estou ótima!! – Jake está com você¿ – Ele foi comprar umas coisas. – Assim que possível quero conversar com ele. Quero saber quando virãonos visitar.
  • 229. – Pai, estamos com muito trabalho na fazenda e não sei quando serápossível. Mas vou dizer a ele que precisa falar com ele. – Te amo, filha! – Também te amo, pai! Diga a todos que sinto saudade. – Tchau! –Tchau!
  • 230. Quando fui procurá-lo, havia sumido e percebi que a garota da farmáciacom quem conversava também não estava. Então fiquei andando pela cidade evi quando os dois saíram de um beco, arrumando as roupas. Então as lágrimasrolaram instantaneamente em meu rosto e quase morri de tanto desespero.Mas virei de costas e sai dali, antes que ele me visse. Entrei em uma lanchonete e me dirigi ao banheiro, então coloquei asmãos no peito e comecei a chorar desesperadamente. Oh! Não!! Não!! Isso não!! Não suporto isso!!
  • 231. Por que está me fazendo sofrer desse jeito¿ Por que renega o meu amor e procura prazer nos braços de outra¿HAHAHAHAHA!! Não!! Não!!HAHAHAHAH!! HUMMM! HAHAHA!! HUM HUM HUM!! Se não te amasse tanto... Se fosse capaz de te deixar...Mas são tão dependente de você que suportarei até a sua traição calada! Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿Não!! Não!!HAHAHAHAH!! HUMMM! HAHAHA!! HUM HUM HUM!! Queria arrancar esse amor que sinto do meu coração!! Queria te odiar!!
  • 232. Mas ainda sim tenho tanto medo de te perder... Tenho medo que minha família descubra o que acontece e... mate você!!Não posso viver sem seu amor, mas não suporto tanto sofrimento! Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿ Por quê¿ O que você viu nessa garota idiota¿ Por que foi se esfregar com ela bem em baixo do meu nariz¿ HAHAHAHAH!! HUMMM! HAHAHA!! HUM HUM HUM!!
  • 233. Fiquei por um bom tempo no banheiro chorando, depois lavei o meu rostoe sai. Mas sabia que ele perceberia que havia chorado. E para não ter motivospara uma briga, resolvi mentir que havia ficado emocionada ao falar comminha mãe . – Amor,onde você esteve¿ Procurei você por todos os lugares. Eleperguntou me abraçando. – Estava no banheiro da lanchonete.Não me senti bem e precisei ir paralá. Safado!! Mentiroso!! Cretino!! Mas te amo assim mesmo!! Como podefingir que não fez nada e me abraçar desse jeito¿ Como¿ – Você estava chorando¿ Ele perguntou ainda me abraçando.
  • 234. – Só fiquei um pouco emocionada ao falar com meus pais. Ah! Meu paiprecisa falar com você e quer saber quando vamos fazer uma visita. Deveria deixá-lo matar você, mas morreria também!! Se meu paidesconfiar de tudo o que acontece... está morto!! Não!! Não!! Tenho queesconder isso!! Tenho que fingir que estou feliz!! Droga. – Não vou ligar para ele hoje. Tenho muita coisa para fazer na fazenda eprecisamos voltar logo. – Tudo bem! Vamos embora de uma vez! Estou me sentindo mal e querodeitar um pouco. – OK! Vamos! Ele disse e depois me afastou dos seus braços.
  • 235. Fomos para casa e estava totalmente arrasada, mas ele parecia indiferenteao meu estado emocional. Então depois que fiz as minha tarefas,fui para meuquarto sombrio e me tranquei. Ele pareceu surpreso por me recolher tão cedo e até quis ficar comigopara fazermos amor. Mas quando me lembrei da imagem dele saindo do becocom aquela garota, fiquei com tanto nojo que pedi para me deixar só. Depois que saiu do quarto, chorava como uma criança e a dor que sentiaera tão profunda, que pensei que morreria. Mas apesar de tudo, continuava oamando da mesma forma e tinha muito medo de perdê-lo. Então estavadisposta a aceitar tudo o que fizesse, mesmo que fosse uma traição. E apesar de amá-lo tanto, nunca havia me sentido tão humilhada em todaa minha vida e pensei que não haveria forma daquilo piorar.
  • 236. Nos dias que se seguiram, ele ficou muito estranho e não me procuroupara fazer amor nenhuma vez. Então comecei a perceber que estava voltandomais tarde da plantação,mas que as suas roupas não pareciam sujas pelotrabalho. E comecei a olhar os detalhes de suas blusas e calças, encontrandorecibos de motéis, manchas de batons e cheiro de perfume barato. Mas uma vez fui invadida por uma terrível dor e um desespero tão grandeque achava que morreria. E soube que esse era o motivo de não me querermais: TINHA UMA AMANTE. Apesar de não me conformar com a situação, estava disposta a fingir nãosaber de nada e ficar bem quieta para evitar brigas. Pois o meu maior medoera de perdê-lo de vez. Contudo não encontrava uma forma de reverter aquela situação tão difícile a cada dia que voltava para casa tarde,sentia-me mais humilhada e as coisasficam piores quando ele recusava o meu corpo. Não sabia quanto tempo mais agüentaria viver daquela forma, masprecisava ser forte e passar por cima do orgulho para não perder o meu maridoe essa era a única certeza que tinha, aquela altura do campeonato.
  • 237. A gota d’água e o que me fez perder a cabeça, e quase ir embora, foi nanoite em que acordei assustada e ouvi barulhos estranhos em seu quarto. Fiquei quieta para tentar entender o que estava acontecendo, então percebique ele estava transando com uma mulher em nossa própria casa. E isso medeixou num estado de choque tão grande, que não consegui nem falar ai e ochoro não saia de meus olhos. Na manhã seguinte, depois que abriu a porta do meu quarto, fui diretopara o quarto dele e estava uma bagunça. E havia lençóis espalhados por todoquarto, roupas de mulher, um perfume barato que infestava todo a ambiente, ealgumas coisas que não prefiro comentar. Então recolhi tudo o que podia, inclusive o colchão do quarto, levei para oquintal e ateei fogo. E se pudesse naquele momento o jogaria no fogo atambém. Depois corri pela floresta, sem rumo, apenas querendo me afastar daquilotudo e encontrei um velho moinho. E apesar de saber que a propriedade eraprivada, entrei e fiquei lá do alto olhando para todo aquele verde e afogandoas minhas lágrimas que não foram poucas naquele dia. Então um rapaz muitobonito (que lembrava muito o meu Jake), aparentando seus 23 anos, veio atémim e perguntou se precisava de algo e se estava me sentindo mal. Ele me levou para sua casa, deu-me um pouco de calmante, e ficamosconversando um pouco e finalmente ma acalmei.
  • 238. Juan se ofereceu para me levar até minha casa, mas recusei pois sabia queJake faria uma cena se me visse com outro homem. Então nos despedimos eele disse que poderia ir para o seu moninho sempre que quisesse. Quando voltei para casa, ele estava me esperando com cara de ofendido.E não entendeu o que havia acontecido para o meu acesso de raiva e afogueira no quintal. E apesar de está com profundo ódio, não falei nada e nãodiscuti com ela aquele dia. Apenas fui para o meu quarto e me tranquei, paraque pudesse chorar em paz. Nos dias que seguiram, as coisas ficaram estranhas entre nós epraticamente não nos falávamos mais. E apesar de já ter perdoado ahumilhação que me fez passar, não queria conversa com ele. Mais diante dessa situação tão difícil, encontrei um bom amigo em Juan epodia desabafar as minhas amarguras. O que deixava o meu amigo revoltado eàs vezes ele ameaçava ir conversar com Jake (para o meu desespero).
  • 239. Comecei a enlouquecer de uma forma tamanha, que estava ouvindo vozesestranhas pela casa. E isso começou a me apavorar. Então quando achei queminha vida não poderia ficar pior do que estava, comecei a ficar louca. CONTINUA HUMILHAR – PVO JAKE . . . ENLOUQUECER PVO NESSE .
  • 240. . .ENLOUQUECER PVO JAKE
  • 241. (Cap. 16) HUMILHAR - PVO JAKENotas do capítuloPessoal, para que achou que ele realmente traiu Nesse, se enganou! Ele sóteve essa idéia para humilhá-la um pouco.Não deixem de comentarHUMILHAR PVO JAKE Nesse já havia começado a pagar pelo seu crime, mas antes do golpe demisericórdia ainda tinha que humilhá-la e enlouquecê-la. Então passeis doisdias pensando em uma forma de deixá-la tão humilhada a ponto de perdersuas forças. E foi ai que tive a idéia de fazê-la acreditar que tinha uma amante. Então fui para o centro da cidade Panajachel e comecei a procurar umacandidata para apresentar como minha amante. E bastaria que ela nos vissejuntos apenas uma vez para tirar suas conclusões. E encontrei uma moça bembonitinha na farmácia e soube que ela seria ideal para os meus planos.
  • 242. Entrei na farmácia e fingi procurar algo para comprar. Então comecei apuxar conversa com a garota, Anna, e consegui chegar onde queria. – Anna! Estou passando por um momento difícil com minha esposa.Então gostaria de deixá-la enciumada e fingir que tenho uma amante. E estoudisposto a pagar bem só para você fingir. O que me diz¿ – Como assim fingir¿ Ela perguntou ofendida. – Vou trazer minha esposa para a cidade e deixar ela me ver conversandocom você. Depois que estiver distraída, sairemos juntos para algum lugar equando voltarmos, fingiremos arrumar nossas roupas. Também precisarei quesuje minha roupa de batom e que passe um pouco do seu perfume nela.
  • 243. – Não temos que fazer mais nada¿ Ela perguntou franzindo assobrancelhas. – Realmente não!! Só quero dá a entender que fizemos. OK¿ – Eu aceito! Mas dinheiro adiantado. Ela disse. – Vou te dá cem dólares agora e amanhã mais cem. OK¿ – OK! Ela disse apertando minha mão.
  • 244. No dia seguinte, perguntei a Nesse se gostaria de falar com seus pais.Então a levei para o centro e comecei a colocar meu plano em ação. Deixei a no orelhão da farmácia e enquanto falava no telefone meobservava com Anna. E procurei parecer me insinuar para ela e a recíproca foibem convincente. Então nesse desviou o olhar e nos dois saímos, entramosem uma rua ao lado para esperar o tempo passar. Ficamos conversando e ela não entendia porque estava fazendo aquilo,mas disse que era muito complicado explicar os meus motivos. Anna olhou discretamente e a viu sair da farmácia, então ela me sujou debatom e passou um pouco do perfume que estava e seu bolso, depoisdesarrumamos nossas roupas e fomos para a rua principal. E quandopercebemos que Nesse nos olhava de longe, começamos a arrumar as roupasdiscretamente.
  • 245. Quando me virei, ela já havia sumido e fiquei um bom tempo andandopela cidade para encontrá-la. E depois de algumas horas a avistei andandototalmente desconsolada e com rosto muito vermelho, como se houvessechorado muito. Então me dirigi para ela como se nada houvesse acontecido. – Amor,onde você esteve¿ Procurei você por todos os lugares. Disse paraela, abraçando-a fortemente. Perdão por fazer isso, mas só vou ter paz quando você pagar pelo quefez! Mas não agüento vê-la assim tão destruída!! Droga!! Por que você temque ser tão fraco e mariquinha¿ Não pode ficar com pena dela¿ Ela matouseu pai sem pena!! Droga!! – Estava no banheiro da lanchonete.Não me senti bem e precisei ir paralá. Ela respondeu desviando os olhos de mim.
  • 246. – Você estava chorando¿ Perguntei abraçando-a mais forte. – Só fiquei um pouco emocionada ao falar com meus pais. Ah! Meu paiprecisa falar com você e quer saber quando vamos fazer uma visita. – Não vou ligar para ele hoje. Tenho muita coisa para fazer na fazenda eprecisamos voltar logo. Esse leitor de mentes filho da “p” não vai estragar meus planos!! Nãoagora!! Droga!! – Tudo bem! Vamos embora de uma vez! Estou me sentindo mal e querodeitar um pouco. Ela pediu com a voz rouca e baixinha.
  • 247. – OK! Vamos! Disse afastando-a do meu abraço e nos dirigimos para acaminhonete. Fomos para casa em silencio e quando chegamos, surpreendentemente,ela começou a arrumar as coisas e a preparar a minha comida. E depois foipara o seu quarto, totalmente arrasada e destruída, e fiquei com muita penadela. Então fui atrás e comecei a acariciá-la, para excitar o seu corpo. Maspara a minha surpresa, ela me rejeitou e pediu para deixá-la sozinha. Fiquei sentado do lado de fora do seu quarto, ouvindo o seu chorobaixinho e quase morri com aquela dor que rasgou meu coração. Então desejeinão ter feito o que fiz, apesar de saber que deveria continuar com aquele planoestúpido de vingança. Nesse, amor!
  • 248. Basta uma palavra para mudar tudo!! Por favor, confesse o seu crime e peça perdão¿Não quero mais te fazer sofrer, mas não me dá outra alternativa. E não irei parar até nós dois estarmos mortos! Por favor!! Não minta mais!! Diga por que matou meu pai!! Confesse o seu crime!! Eu te amo tanto, mas também te odeio pelo que fez!!
  • 249. Acabe com nosso sofrimento!! Por favor!! Nos dias seguintes, continuei com o meu plano de vingança. Então todosos dias saia para a cidade e ia para um motel barato sozinho. E antes de voltarpara casa, passava batom nas minhas roupas e um pouco do perfume baratoque havia comprado. Mas para deixar a prova da minha traição mais evidente,colocava os recibos do motel no bolso da calça. E também passei a rejeitá-la,mesmo morrendo de vontade de fazer amor, deixando-a totalmente humilhadaquando se oferecia para mim. Apesar de fazer isso com muita freqüência, percebi que Nesse estavacalada e indiferente aquela situação. E isso começou a me irritar um pouco,pois esperava que perdesse o controle e desse um chilique. Então resolvi pegarmais pesado e armei para que achasse que trouxe uma mulher para casa. Arrumei uma garota que estava disposta a me ajudar no meu plano. Entãodepois que Nesse foi dormir e a tranquei no quarto, levei a garota para o meuquarto e começamos a nossa encenação.
  • 250. Fizemos bastante barulho, fingindo que estava transando, e deixamos oquarto totalmente destruído. Mas para minha surpresa, novamente, não ouvium só ruído do quarto de Nesse e fiquei bastante frustrado com aquilo. No dia seguinte, abri a sua porta bem cedo, e sai para a plantação. E derepente levei um susto com a fumaça que se formava no céu, fazendo-meachar que havia tacado fogo na casa inteira. Então corri desesperado, masquando cheguei só havia um colchão com roupas queimando no quintal. Procurei a pela casa, mas havia desaparecido e por um momento tivemedo que tivesse me abandonado. Mas estava tão seguro quanto aos seussentimentos, que resolvi esperar até que se acalmasse e voltasse para a casa. Quando chegou a casa, eu estava com muita raiva pelo que havia feito epor ter sumido por tanto tempo. E tentei iniciar uma discussão, mas ela estavatão destruída que não falou nada e foi para o seu quarto chorar como semprefazia.
  • 251. Vendo Nesse daquele jeito, tive a certeza que já havia humilhado demaise que agora era hora de passar para a próxima parte doplano: ENLOUQUECER. E já tinha tudo pronto para isso, então bastava começar a fazê-la ouvir asvozes, que já estavam gravadas, e um pouco tempo ela estaria totalmenteacabada e louca. Fui para o porão, peguei o gravador e comecei a ouvir novamente asgravações que havia feito. Então coloquei o gravador no alto falante eprogramei para reproduzir as vozes cinco vezes: EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAITER PAZ!! ASSASSINA!! Deixei o gravador preparado e fiquei vendo-a, pelo monitor, apavorada ese encolhendo de tanto medo.
  • 252. Aquele só foi o início do plano para enlouquecê-la e se não haviaconfessado por bem, confessaria por mal. CONTINUA ENLOUQUECER PVO NESSE . . . ENLOUQUECER PVO JAKE
  • 253. (Cap. 17) ENLOUQUECER - PVO NESSENotas do capítuloPessoal, não estou conseguindo responder os comentários, pois estou usandointernet discada. E por isso só dá tempo para postar e sair. Também por quenão quero me influencia pelos pedidos de vocês, e não li a maioria ainda.Peço desculpa para todos que estão aguardando uma resposta. E prometo queamanhã de manhã, quando chegar no trabalho, responderei a todos.bjn ENLOUQUECER PVO NESSE Aquela noite foi dormir totalmente desnorteada e não quis conversa comele. Então entrei em meu quarto sombrio e esperei que as portas se trancassempelo lado de fora.
  • 254. Fiquei pensando em tudo o que aconteceu e imaginado porque damudança em seu comportamento nesses últimos meses. E quando estavaquase dormindo, comecei a escutar uma voz estranhas no quarto. Então meencolhi e cobri as minha cabeça de tanto medo, mas as vozes continuavam ame assombrar. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!
  • 255. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! Fiquei tão apavorada e me lembrei daquele dia que me encontrei comBilly e tivemos aquela discussão horrível. E apesar de tudo não fiz nada porquerer e se ele teve um infarto, a minha única culpa foi discutir com ele e ... Droga! Estou ficando louca!!! Por que essas vozes não param¿
  • 256. Jake!! Jake!! Por favor, fica comigo Tenho tanto medo!! Será que estou louca¿ Mãe!! Preciso tanto de você! Queria tanto o seu colo agora!!HAHAHAHAHA!! HUHUHUHUHU.Não vou ficar chorando uma criança!! Sou mais forte que isso!!
  • 257. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!
  • 258. Não!! Não!! Billy me perdoa!! Jake, por favor fica comigo! Não vou suportar isso!! Estou ficando louca!! Queria minha mãe! Mãeeee!! Adormeci apavorada enquanto as vozes perturbavam minha mentedurante algum tempo. Então quando acordei no dia seguinte, estava horrível eacabada, e Jake fez questão de me chamar s cinco para começar a cuidar dos
  • 259. animais. E apesar de está revoltada com ele, não falei nada que pudessecausar uma briga e fui tirar leite da vaga. O dia foi passando rápido e fiquei em casa sozinha cuidando das minhastarefas. Então comecei a ouvir as vozes novamente e corri para fora da casade tanto medo que senti. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!
  • 260. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! Fiquei sentada na varanda por algum tempo, como medo de entrar e ouviras vozes. Então Jake chegou e perguntou por que estava tão estranha daquelejeito.Mas como não estava falando com ele, simplesmente não contei nada. Fui para cozinha e Jake saiu da casa, para verificar alguma coisa nocurral. Então enquanto fazia o jantar, comecei a ouvir a voz novamente equase entrei em pânico.
  • 261. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!
  • 262. – Nesse, o que você tem¿ Por que está com essa cara de medo¿ Eleperguntou franzindo as sobrancelhas. – Acho que estou louca! Estou ouvindo vozes. Tomara que não pergunte o que essa voz fala! – Vozes¿ Você realmente não está bem! Ele disse e depois bebeu umcopo de água. – Você ultimamente não presta atenção em mim! Se prestasse, veria quenão estou bem! Disse irritada para ele.
  • 263. Por que você mudou desse jeito¿ Por que me trata com tantaindiferença¿ Por que me rejeita e fica saindo com vagabundas¿ – Você está muito sentimental ultimamente! Depois que nos mudamospara cá só faz reclamar da vida! Qual homem consegue ter tesão com umamulher chata e reclamona. Ele respondeu friamente. – Você realmente acha que a culpa é minha¿ Você é doente! Disse paraele e as lágrimas rolaram em meu rosto. Por que me trata desse jeito¿ Se soubesse o tamanho do amor que sinto!A força que faço para aturar tudo e não ir embora! O medo que sinto de teperder! Por que me trata tão mal¿ Por que me rejeita e fica atrás dessasvagabundas¿ não faz assim comigo! Estou morrendo a cada dia!! – Não estou com paciência para discutir com você. Fica ai batendo bocacom as tais vozes. Ele disse com raiva e saiu da cozinha.
  • 264. Jake! A minha única culpa foi te amar tanto!Apesar de não merecer as minhas lágrimas e o meu sofrimento... não vou deixá-lo. Se tiver que morrer de tristeza ao seu lado... morrerei. Só lamento por tudo o que podiam ter e fazer... e perdemos. Toda felicidade jogada no lixo desse jeito! Mas vou continuar a te amar por toda vida!
  • 265. Continuei a fazer o jantar e depois coloquei na mesa para ele comer, masnão me sentei ao seu lado e voltei para cozinha. E quando tentei comer umpedaço de carne, senti um embrulho no estomago. E corri para o banheiro paravomitar. Fiquei tão enjoada que desisti de jantar e fui para o meu quarto sombrio.Para tentar dormir um pouco, contudo depois de alguns minutos as vozescomeçaram novamente. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!!
  • 266. EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! EU SEI O QUE VOCÊ FEZ!!! ASSASSINA!!! VOCÊ NÃO VAI TER PAZ!! ASSASSINA!! Fechei meus olhos e fiquei escutando aquela frase se repentindo,enquanto via o rosto de Billy a minha frente. Então as lagrima correramviolentamente em meu rosto, deixando-me totalmente desnorteada eenlouquecida. Comecei a andar de um lado para o outro, ainda sentindo um embrulho noestomago, e acabei ficando tonta e desmaiei. Quando acordei pela manhã, estava deitada na cama e ele estava sentadome olhando de uma forma bem estranha.
  • 267. – Jake! O que aconteceu¿ – Encontrei você caída no chão hoje pela manhã. Ele disse com rostoestranho, como se estivesse com dor. – Só me lembro da voz e depois comecei a andar, mas tudo ficou escuro. Por que me sinto tão mal! Que sensação estranha é essa¿ Droga! – Você está estressada e a culpa é minha. Sabia que seria difícil essa novavida e não tive muita paciência com você. Ele disse beijando minha testa.
  • 268. – Pega um copo de água para mim¿ Por favor. Minha garganta está tão seca e esse enjôo é tão estranho. Será que estoudoente¿ Não vou falar nada para ele! Isso vai passar e não tem necessidadede ficar aqui me pajeando. – O que essa voz diz¿ Perguntou, passando o copo de água para mim. – Não importante! Só coisas sem sentido! Não posso te contar!! Gostaria de pedir sua ajuda, mas nãoposso!!Céus!! O que farei¿
  • 269. – Tudo bem! Não quer contar, não conta. Vou trabalhar! Disse e depoissaiu do quarto. Aquele dia, curiosamente, não ouvi a voz. Contudo o enjôo permaneceu enão consegui comer nada. Os dias se passaram e a voz, as vezes, voltava e ficava me acusando. Masjá estava começando me acostumar com tudo aquilo e não me importava tantoquanto antes. Foi então que duas semanas depois, uma nova voz veio me assombrar etive que pedir colo para Jake. E sabia que morreria de tanto medo se ficassesozinha. Estava em meu quarto quase dormindo, quando a voz começou:
  • 270. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!!
  • 271. POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ – OH! NÃO!! BILLY!! NÃO!! NÃO!! – JAKE!! JAKE! JAKE!! ME TIRA DAQUI!! QUERO SAIR DESSEQUARTO!! QUERO IR EMBORA!! ESSA CASA É ASSOMBRADA!!JAKE.
  • 272. – Meu amor, o que você tem¿ o que está acontecendo¿ Ele me abraçouforte e me levou para o seu quarto, enquanto chorava desesperada. – HAHAHHHHHH HUMHUMHMHHU HAHAHAHAHAHAH!!NÃO!! QUERO SAIR DAQUI. Chorava desesperadamente. Ele me levou para o seu quarto e ficamos abraçados em sua cama,enquanto chorava de medo, pavor e remorso. Então quando já estava mesentindo segura, a voz de Billy voltou. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿
  • 273. POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ – Jake! Jake!! Está ouvindo isso¿ Está ouvindo a voz¿ Disse baixinho,afundando minha cabeça em seu peito.
  • 274. – Nesse, não tem voz alguma. Isso é coisa da sua cabeça. Ele dizia paramim, enquanto me abraçava forte. Mas a voz continuou e eu estavaapavorada. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿
  • 275. POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ Comecei a ver o rosto de Billy e sentia pavor, mas sem perceber mostreias imagens do rosto dele para Jake. – Nesse! Por que você está me mostrando meu pai¿ Ele perguntoucurioso. – Por que estou ouvindo a voz dele. Disse assustada.
  • 276. – Nesse! Há alguma coisa que queira me contar¿ – Não! Não! Não! Não! – Nesse! O que está escondendo de mim¿ – NADA!! NÃO HÁ NADA!! POR FAVOR, NÃO PERGUNTE MAISNADA!! QUERO DORMIR!! Estou louca!! Estou louca!! Ele vai descobrir tudo!! Ele não pode saber!!Não posse te perder!!
  • 277. Não posso!! Te amo!! Jake, te amo!! Não tive culpa!! Estou louca!! Fazessa voz parar!! Não quero mais ouvir!! LALALALALA!! Não estou ouvindo!!LALALALALALA!! LALALALALAL Dormi nos braços de Jake e quando acordei, estava sentando me olhandode um jeito estranho. Então quis conversar e não tinha mais saída. CONTINUA FUGA(Cap. 18) ENLOUQUECER - PVO JAKENotas do capítuloPessoal, esse é o ultimo cap de hoje. Amanhã a noite postarei o novo cap,
  • 278. quando Nesse decidi fugir de Jake, depois de descobrir uma coisinhas.Amanhã pela manhã responderei todos os comentários. ENLOUQUECER PVO JAKE Esperei Nesse ir para o seu quarto e depois que tranquei a porta, fui para oporão e preparei o gravador pra ficar repetindo as vozes de acusação poralgumas horas. Então fiquei olhando no monitor como ela se encolhia demede e cobria a sua cabeça, parecendo apavorada com o que ouvia. Fiquei com tanto remorso, tanta raiva por fazer aquilo com ela. Contudonão poderia desistir dos meus planos nessa fase e iria ser forte para continua aminha vingança.
  • 279. Meu amor!Quando tudo isso acabar, espero que ainda estejamos vivos para dizer tudo o que ficou reprimido. Espero que você me perdoe pelo que estou fazendo,Não espero a sua compreensão, mas que tenha em mente que faço isso pelo meu pai.Se você pelo menos fosse capaz de admitir seu erro... talvez tudo fosse diferente.Tenho tanto medo que nunca mais queira me ver quando souber o que estou fazendo. Mas compreenderei se não quiser mais olhar meu rosto! Se me disser que não me ama mais!
  • 280. Se disser que me odeia! A única coisa que pode me matar é o seu desprezo. Então acredito que quando tudo terminar estaremos os dois mortos. Pois não agüentarei viver um dia sem você. Te amo muito e fazer você sofrer me custa bastante.E preferia arrancar um braço fora, mas a promessa que fiz tem que ser cumprida. Então peço aos céus que tudo acabe logo, pois não suporto mais essa vida miserável que estamos vivendo. Se soubesse o quanto é difícil para mim te rejeita, quando a única coisa que quero é te amar e fazer feliz¿
  • 281. Se soubesse o quanto me seguro para não tomá-la em meus braços e te dá todo o meu amor!Já te dei todas as chances de me contar a verdade, mas você insiste em escondê-la de mim! Seria tão mais fácil se admitisse o que fez! Sei que tem medo da minha reação...medo de me perder. Mas te amo tanto que seria capaz de te perdoar! Realmente espero que não seja tarde para nós dois! Agora vou ficar aqui sofrendo e velando o seu sofrimento... mas se achar que é demais! Corro para te socorrer!
  • 282. Meu amor!! Minha Nesse! Na manhã seguinte, seguimos a nossa rotina e continuei a minha torturadiária, obrigando-a acordar muito cedo para começar os trabalhos de casa.Depois sai para trabalhar, mas antes programei o aparelhos para começar asvozes em aproximadamente duas horas e ficar tocando o dia inteiro,compequenos intervalos. Quando voltei para casa no fim da tarde, ela estava na varanda assustada eparecia esperar por mim para entrar em casa. Perguntei o que havia acontecido, mas em um primeiro momento serecusou a falar comigo e foi para cozinha preparar o nosso jantar. Fui para fora de casa, com desculpas de ver os animais. Mas entrei noporão por outra passagem que havia feito e programei rapidamente as vozes
  • 283. para tocar mais um pouco. E quanto retornei para casa, ela estava maisapavorada do que antes. – Nesse, o que você tem¿ Por que está com essa cara de medo¿ Pergunteifranzindo as sobrancelhas e tentando parecer casual. Será que vai falar¿ Vai ficar com medo de eu perguntar que vozes sãoessas!! Vamos testá-la um pouco. – Acho que estou louca! Estou ouvindo vozes. Ela disse cortando a carne,sem olhar para mim. – Vozes¿ Você realmente não está bem! Disse e depois bebi um copo deágua. Você não tem nem a dignidade de explicar as coisas direito. É claro que éculpada!!
  • 284. – Você ultimamente não presta atenção em mim! Se prestasse, veria quenão estou bem! Respondeu irritada para mim. – Você está muito sentimental ultimamente! Depois que nos mudamospara cá só faz reclamar da vida! Qual homem consegue ter tesão com umamulher chata e reclamona. Respondi duramente para ela, apesar de saber queera o culpado de tudo, queria que se sentisse culpada. Sei que a culpa disse tudo é minha!! Sou eu quem está te enlouquecendo!!Mas só preciso de uma palavra para acabar com isso tudo!! Você émaravilhosa!! Sempre foi!! – Você realmente acha que a culpa é minha¿ Você é doente! Elarespondeu chorando, mas sem olhar para mim. E senti uma pontada em meucoração, que me deixou sem fôlego.
  • 285. – Não estou com paciência para discutir com você. Fica ai batendo bocacom as tais vozes. Disse com raiva de mim mesmo e sai da cozinha. Ela colocou o meu jantar, mas não se sentou a mesa comigo. E voltoupara a cozinha, onde ficou por um tempo e depois de uns minutos, vi quandofoi para o quarto. Então aproveitei para trancar a porta e ir para o porãopreparar a gravação para mais uma rodada. Fiquei observando, no monitor,o seu desespero que a fazia andar de umlado para o outro. E depois de um tempo vi quando desmaiou e ficou apagadano chão do quarto. Quase enlouqueci de tanto medo e ansiedade, e corri para o quarto. Entãocoloquei-a em meus braços e fiquei ninando como uma criança, enquantochorava desesperado pelo que havia feito. Depois de algum tempo arrumei seu corpo cuidadosamente na cama efiquei sentado no chão, velando o seu sono. E consegui tirar alguns cochilos,mas acordava toda hora com os gritos de pavor que soltava de tempo emtempo.
  • 286. O dia amanheceu e estava sentado na cama quando acordou, e vi queficou feliz pela minha presença ao seu lado. Mas eu a olhava apavorado commedo que não agüentasse tudo aquilo e morresse. – Jake! O que aconteceu¿ Ela perguntou bocejando. – Encontrei você caída no chão hoje pela manhã. Respondi para ela, coma dor apertando meu coração. Meu amor, me perdoa pelo que fiz! Por favor!! Vou cuidar de você! – Só me lembro da voz e depois comecei a andar, mas tudo ficou escuro.
  • 287. – Você está estressada e a culpa é minha. Sabia que seria difícil essa novavida e não tive muita paciência com você. Disse beijando a sua testadocemente. Ah minha pequena! Como gostaria as coisas fossem diferentes! – Pega um copo de água para mim¿ Por favor. Ela pediu. – O que essa voz diz¿ Perguntei ao passar o copo de água para ela. Fala a verdade! Quero tanto te perdoar! Se abre comigo! Confia emmim! – Não importante! Só coisas sem sentido!
  • 288. – Tudo bem! Não quer contar, não conta. Vou trabalhar! Disse para ela esai do quarto decepcionado com a recusa de contar a verdade. Por que insiste em mentir¿ Isso é ruim para nós dois! Quero muito teperdoar, mas só depende de você me dizer a verdade! Que droga! Por quenão é sincera comigo¿ Resolvi dá uma folga para ela e passei a não colocar as vozes com tantafreqüência. Mas estava agoniado com a sua recusa em me dizer a verdade,então tinha que arrumar uma forma de obrigá-la a fazer isso. Fui até o porão, peguei o celular e liguei para Quil. – Quil! Sou eu Jake.
  • 289. – Tudo bem com vocês cara¿ O que você manda¿ – Quero que pegue as fitas de vídeo que Billy estajam. Depois quero quelevem para um especialista e edite o áudio para mim. Pode fazer isso¿ – Acho que sim! Quil respondeu. – Quero a seguinte frase: NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿
  • 290. – Jake! Não está pegando pesado¿ Ele disse seriamente. – Não!! Ela vai confessar de uma forma ou de outra. Dê um jeito deformarem essa frase e me enviar por email: jakeblack@gmail.com. – Vou ver o que dá para fazer. Ele respondeu. – Faça o impossível! Vou aguardar. Disse. – Tchau!
  • 291. – Tchau e obrigada pela força. Disse e desliguei o telefone. As semanas se passaram rapidamente e Nesse parecia mais calma. Eapesar de tudo, continuava se insinuando para mim e tinha que fazer umaforça absurda para recusar o corpo que tanto amava. Depois de duas semanas, recebi um emailde antonystevem@yahoo.com.br, com o título edição de áudio. Abri o email e vi que o amigo de Quil havia conseguido editar o pequenoáudio. E quando ouvi, fiquei muito satisfeito com o resultado e tive a certezaque ela confessaria. NESSE! NESSE!!
  • 292. POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ Deixei tudo preparado para aquela noite e coloquei outro alto falante nomeu quarto, pois tinha a certeza que ela iria para lá quando tudo começasse,então tinha que deixar tudo perfeito. Ela já estava dormindo e deixei todo preparado para começar e terminar,sem que precisasse ir para o porão. Então comecei a escutar a gravação efiquei esperando a sua reação. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿
  • 293. POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿
  • 294. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ – OH! NÃO!! BILLY!! NÃO!! NÃO!! Ela gritava histérica. – JAKE!! JAKE! JAKE!! ME TIRA DAQUI!! QUERO SAIR DESSEQUARTO!! QUERO IR EMBORA!! ESSA CASA É ASSOMBRADA!!JAKE. Os gritos ficaram cada vez mais alto e corri para socorrê-la.
  • 295. – Meu amor, o que você tem¿ o que está acontecendo¿ Eu a abracei e alevei para o meu quarto, enquanto chorava e gritava de medo. – HAHAHHHHHH HUMHUMHMHHU HAHAHAHAHAHAH!!NÃO!! QUERO SAIR DAQUI. Ela chorava desesperadamente. Nós deitamos agarradinhos em minha cama e cheguei a ficar comremorso, ao vê-la tão desesperada e amedrontada. Mas tinha que seguir adiante e fazê-la confessar o seu crime. Então a voz recomeçou novamente: NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿
  • 296. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ – Jake! Jake!! Está ouvindo isso¿ Está ouvindo a voz¿ Ela disse baixinho,afundando a cabeça em meu peito.
  • 297. – Nesse, não tem voz alguma. Isso é coisa da sua cabeça. Respondi paraela, mesmo ouvindo a voz falando bem alto e sentindo o seu pânico. NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿ POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ NESSE! NESSE!! POR QUE ME MATOU¿
  • 298. POR QUE FEZ ISSO COMIGO¿ Ela continuava chorando enquanto estava abraçada a mim e sem percebercomeçou a me mostrar o rosto furioso do meu pai. – Nesse! Por que você está me mostrando meu pai¿ Perguntei para ela. – Por que estou ouvindo a voz dele. Ela disse assustada. – Nesse! Há alguma coisa que queira me contar¿ Comecei a pressionar naesperança dela finalmente falar.
  • 299. – Não! Não! Não! Não! Ela choramingou baixinho. – Nesse! O que está escondendo de mim¿ Continuei a pressão paraobrigá-la. – NADA!! NÃO HÁ NADA!! POR FAVOR, NÃO PERGUNTE MAISNADA!! QUERO DORMIR!! Ela gritava desesperada. Ela dormiu em meus braços e tive muita pena e remorso pelo que haviafeito. E sabia que dessa vez ela irai enlouquecer.
  • 300. Passei a noite quase toda olhando para o seu rosto inchado e quis quenada daquilo tivesse acontecido. Mas se não esclarecêssemos logo aquelasituação, nós dois estaríamos acabados. Deixei que dormisse até tarde e quando acordou finalmente, estavasentando na cama e pedi para conversarmos. CONTINUA FUGA(Cap. 19) FUGA - PVO NESSE
  • 301. Notas do capítuloPessoal, espero que gostem do cap. Vou tentar escrever o PVO Jake aindahoje. Mas se não postar hoje, postaria amanhã pela manhã. FUGA PVO NESSE Dormi nos braços de Jake e quando acordei, estava sentando me olhandode um jeito estranho. Então quis conversar e não tinha mais saída. - Nesse, amor! Por que me mostrou o rosto de Billy furioso¿ Ele dissecom um olhar estranha, sentado na beira da cama.
  • 302. – Como¿ Fingi não entender. Não!! Não!! Por favor, não toca nesse assunto! Não posso falar sobreisso! Estou ficando louca!!Billy não!! Por favor!! Por favor!! Jake, não fazisso comigo! Não me obriga a falar nada! Por favor!! Por favor!! – Nesse, por favor! Falar a verdade! Você não estava falando coisa comcoisa, mas me mostrou o rosto do meu pai, furioso, olhando para você.Quando foi que meu pai a olhou daquela forma¿ Por que¿ Ele disse olhandoseriamente para mim, apertando fortemente as duas mãos. – Não sei do que está falando! Eu estava delirando! Realmente não sei.Disse para ele, fingindo não entender nada. Não quero falar sobre isso!! Vai embora!! Deixe-me em paz!! Não!!Não!! Por favor!! Você não pode saber!! Por favor!!
  • 303. – POR QUE VOCÊ MENTE DESSE JEITO! Ele gritou me sacudindo nacama, muito furioso e descontrolado. – Jake! Por favo, não!! Não!! Não tenho nada para falar...para contar. Porfavor me deixe em paz. Disse chorado muito. Hahahahahah!! Isso não está acontecendo!! Você não pode remexernisso agora!! Por favor!! Hahahaha!! Minha cabeça vai explodir!!Não!NÃO! NÃO!! NÃO!! NÃO!!NÃO!! – VOCÊ E BILLY BRIGARAM¿ QUANDO ISSO OCORREU¿ PORQUÊ¿ Ele gritava e me sacudia. – Jake! Por favor! Não estou bem!! Depois nós conversamos! Por favor,me deixe em paz!! Dizia chorando muito e com o corpo inteiro tremendo.
  • 304. Não!NÃO! NÃO!! NÃO!! NÃO!!NÃO!! Não!NÃO! NÃO!! NÃO!!NÃO!!NÃO!! Não!NÃO! NÃO!! NÃO!! NÃO!!NÃO!! – Tudo bem! Vou deixar você sozinha. Mas quando voltar, iremosconversar e você vai me contar o que está me escondendo. Ele disse selevantando da cama e saiu do quarto. Fiquei deitada na cama, chorando por algum tempo e não conseguia melevantar, devido a uma estranha dor que sentia na barriga. Então fiquei deitadaquase toda manhã, esperando a dor passar e pensando no que faria. Quando consegui levantar, fui para a cozinha e tentei beber um copo desuco de laranja que estava na geladeira. Mas depois que bebi o suco, senti umenjôo enorme e comecei a vomitar ali mesmo n cozinha. Depois que consegui colocar tudo para fora, consegui limpar a cozinha edecidi que precisava tomar algum tipo de remédio, que acabasse com meu malestá. Então fui para o quarto de Jake e revirei as gavetas até achar algumdinheiro.
  • 305. Peguei o dinheiro que encontrei e nem sabia se seria o suficiente. Entãodecidi sair, mas havia um problema: não tinha um carro para ir. Fui para o banheiro e tomei um banho bem demorado. Então senti queconseguiria correr um pouco se tentasse, mesmo não me sentindo bem. Eapesar de saber que poderia cair no meio da floresta, precisava chegar até acasa da única pessoa que poderia me ajudar, Juan. Depois que me arrumei e peguei o dinheiro, corri o mais rápido possível.E enquanto corria, pedia aos céus que não me deixasse cair naquele lugar tãodeserto. Mas finalmente, apesar de tudo, consegui chegar na fazenda de Juan epedir ajuda. – Juan! Juan! Gritei ofegante.
  • 306. – Nesse! O que aconteceu¿ Você está tão pálida! Ele disse me aparando. – Não me sinto bem! Poderia me levar de carro até uma farmácia ouclinica... qualquer lugar que possam me receitar um remédio¿ Pedi para ele,depois que finalmente consegui falar. O que está acontecendo comigo¿ Nunca fiquei doente! Por que me sintotão enjoada e fraca¿ Droga! – Tudo bem! Podemos ir! Ele disse e correu para sua casa, voltando semseguida dirigindo o carro.
  • 307. – Não quero ir para Panajachel! Disse envergonhada. – Por quê¿ É o local mais perto! Ele disse, enquanto me ajudava a entrarno carro. – A atendente da farmácia de lá é amante do me marido. Espero queentenda o meu constrangimento!. – Ele é realmente um canalha! Já não basta tudo o que a faz passar e aindaesfrega uma amante na sua cara¿ Queria dá uma boa surra nele! Ele disseirritado. – Não! Por favor! Não!! Só me ajude a chegar na farmácia! Por favor!
  • 308. Droga Juan, não estrague tudo!! Se Jake imaginar que sou sua amiga...que o vejo sempre... que passo tanto tempo com você... vai acabar comigo ecom você!! Ele dirigiu para um povoado próximo, que não conhecia, e quandochegamos fomos direto para a farmácia. – Olá! Disse para a balconista, falando em espanhol fluente. – Olá! Ela respondeu!
  • 309. – Estou me sentindo muito mal! Tenho enjôos, tonteira, estou vomitandohá alguns dias e sinto uma leve dor na barriga. Você poderia me indicar algumremédio¿ – Você já fez um teste de gravidez¿ Esses sintomas são de uma mulhergrávida. Mas essa dor que sente pode ser contração. Então se estiver grávidatem que tomar muito cuidado e procurar um médico. – Como¿ Grávida¿ Perguntei assustada. Grávida!! Grávida!! Como¿ OH!! Como vou suportar tudo isso se estivergrávida¿ OH!! O que faço agora¿ – Tome! Leve esse remédio para enjôo, mas só o beba depois que fizer oteste. Leve essas duas caixas e leia as instruções. Se realmente estiver grávida,não tome o remédio e procure um médico. A moça me disse passando doistestes de gravidez e um remédio para enjôo.
  • 310. Depois que paguei as mercadorias, voltei para o carro. Contudo nãocontei nada para Juan e voltamos para Panajachel. Juan me deixou próximo de casa e andei o resto do caminho, pensando noque faria se realmente estivesse grávida. Jake vai ficar feliz!! Vai sim!! Tudo vai ser diferente agora!! Ele vai ficar mais carinhoso comigo... e vai largar essa amante.
  • 311. Como contarei para ele¿ Ele vai ficar tão emocionado!! Mal posso esperar para contar!! Corri para o banheiro e fiz o teste pela primeira vez. Então para tercerteza que estava grávida, repeti o resultado, que também deu positivo. Fiquei tão feliz, que pensei que explodiria de felicidade e até esqueci-meda fatídica conversa que tivermos pela manhã. Mas como continuava mesentindo mal, fui para o meu quarto e fiquei deitada o resto do dia, nãolevantando para alimentar os animais ou fazer a comida para ele. Quando chegou em casa, foi ao meu quarto me procurar e a primeiracoisa que reclamou foi da falta da comida do almoço e da janta. Então mejustifiquei, explicando que estava me sentindo mal e não consegui sair dacama. E mesmo assim, continuou a brigar comigo furioso.
  • 312. Levantei da cama e resolvi ir fazer algo para comer, mas fiquei tãochateada que desistir de contar a novidade. E enquanto saímos do quarto,começamos a discutir novamente sobre a imagem de Billy. – Nesse! Vai me contar agora o que aconteceu entre você e meu pai¿ Eleperguntou segurando o meu braço para evitar que saísse. – SOLTA O MEU BRAÇO! ESTÁ ME MACHUCANDO! Gritei. – Você vai me contar a verdade¿ Esteve com meu pai antes de morrer ebrigaram¿ O que aconteceu¿ FALA LOGO!! Ele ordenou furioso e sai doquarto, indo direção as escadas.
  • 313. – Vou fazer a sua janta e não quero discutir!! Não estou me sentindo bem,então me deixa em paz. Disse baixo para ele, enquanto andava lentamente. Quando chegamos ao topo da escada, ele segurou meu braço mais umavez e voltou a gritar comigo. – NÃO VOU PERGUNTAR NOVAMENTE!! ESTEVE COM MEU PAINO DIA QUE MORREU¿ O QUE ACONTECEU ENTRE VOCÊS¿ PORQUE MENTIU PARA MIM¿ FALA LOGO!! Ele começou a me sacudir,então puxei o meu braço e tentei descer a escada. Mas me desequilibrei e cai. – NESSE! NESSE!! VOCÊ ESTÁ BEM¿ SE MACHUCOU¿ DEIXAVER COMO ESTÁ! Ele gritava nervoso, pegando-me no colo. – Ai!! Ai!! Está doendo muito!! Ai!! Comecei a chorar com medo deperder o meu bebê, mas não contei nada sobre a gravidez.
  • 314. Ai! A dor na minha barriga aumentou!! AHAHAH!! Meu bebê!! Nãoquero perder o meu bebê! – Nesse! Por favor! Diga-me que não está machucada¿ Vou chamar ummédico! Ele disse assustado, enquanto me carregava nos braços para o quarto. – Não precisa! Vou ficar bem! Choraminguei para ele. Céus! Meu bebê! Meu bebê!! Espero que esteja bem! Por favor! Porfavor! – Desculpa o meu nervoso. Ele disse me colocando na cama.
  • 315. – Jake! Do que você está me acusando¿ Por que insiste em falar nesseassunto¿ O que acha que fiz¿ Perguntei, mas depois me arrependi. Droga! Droga!! Idiota!! Para que abriu essa boca grande¿ Por quevoltou a esse assunto¿ Droga! – Você matou meu pai¿ Ele perguntou secamente olhando em meus olhose as lágrimas caíram imediatamente. – VOCÊ ESTÁ ME ACUSANDO DE TER MATATO O SEU PAI¿NÃO ACREDITO NISSO!! É POR ISSO QUE ESTÁ MEMALTRATANDO¿ QUE TEM ME TORTURADO¿ VOCÊ ESTÁFAZENDO TUDO PREMEDITADAMENTE¿ Comecei a despejar a minhafúria e a minha frustração sobre ele, que não conseguiu falar nada. Apenasabaixou a cabeça e tive a certeza da sua culpa.
  • 316. – SOME DA MINHA FRENTE!! NÃO QUERO MAIS TE VER!! VAIEMBORA!! AHAHAHAHAHSHAHAHAHAHAH!!HAHAHAHAHAHAHAHAH!! HAHAHAHAHAHA! VOCÊ É UMMONSTRO!! MONSTRO!! EU TE ODEIO, JACOB BLACK!! NÃO VOUTE PERDOAR NUNCA!! NUNCA!! TE ODEIO!!HAHAHAHAHAHAHAH!!HUMHUMHUMHUMHUMHUM!!HAHAHAHAHAHAHAHAHA! SEUMALDITO MISERÁVEL!! SEU MONSTRO!! TE ODEIO!!! NUNCA VOUTE PERDOAR!! SOME DAQUI. Comecei a gritar desesperada, então saiu doquarto e me deixou com meu ataque histérico.. Seu miserável!! Fez tudo de caso pensado!! Me torturou, humilhou, me fez sofrer!!! Tudo de caso pensado!! Como fui burra!!
  • 317. Só quis te dá o meu amor... e você acabou com minha vida! E apesar disso ainda te amo muito!! Como posso te amar depois de tudo¿ HAHAHAHAHAHAH Quero morrer!! Quero sumir da face da terra!!Você pisou no meu amor da forma mais cruel... me maltratou tanto!! Te odeio por isso!!Sei que não posso viver sem você, mas tenho que pensar no meu filho!
  • 318. Ele é a única coisa boa que restou de nós dois! É o fruto de todo amor que dediquei a você. Mas você nunca saberá dessa criança!! Essa será a minha vingança!! Nunca saberá do seu filho!! Vou sumir com ele e nunca o verá! Nunca Sabará o que é ser pai!! Nunca!! Nunca!!!Vou matar esse amor que sinto... e esquecer você!
  • 319. Nem que para isso tenha que arrancar o coração fora!! Seu miserável!! Maldito!! Safado!! Cretino!! Vou odiá-lo da mesma forma que me odiou e me maltratou!Você vai pagar um preço caro pelo que fez com a minha vida!! Prometo isso!! Prometo pelo meu filho, Jacob Black.
  • 320. Passei dois dias deitada na cama, ainda sentindo dor. Mas precisava serforte pelo meu filho. Então resolvi fugir daquela casa e estava disposta a fazer isso da formamais cruel. Deixaria ele pensar que fui embora com outro homem e sabia que ficarialouco de tanta raiva. Mas essa era a minha vingança e não perderia isso pornada. Escrevi uma carta para ele e deixei sobre a minha cama. Então fui pedirajuda para o meu amigo Juan. Jake,
  • 321. Cansei dessa vida que estava levando ao seu lado. Sinceramente não nasci para ser dona de casa e viver ao lado de um marido como você. Realmente esperava que pudesse dá certo, mas quando percebi que não me queria mais. E que tinha uma amante,resolvi pagar na mesma moeda e comecei a merelacionar com um rapas que conheci, que me lembrou muito você há algum tempo atrás. Depois de tudo que me fez, Juan e eu decidimos que não poderia continuar nessa situação. Então resolvemos ir embora juntos e não voltarei mais para você. Realmente desejo que seja feliz com aquela balconista sem graça. E que me esqueça e não me procure. Sei que a fazenda foi comprada com o dinheiro do meu pai, mas nãoquero nada desse lugar horrendo. Então faça muito bom proveito de tudo!!
  • 322. PS realmente o amei, mas tudo na vida acaba! Nesse Peguei meus documentos e deixei preparados para a minha fuga. E corripara a casa de Juan, pedindo que me ajudasse. – Juan! Juan!! Preciso da sua ajuda!! Preciso fugir do meu marido!! Disseassustada para ele. Por favor! Diga que irá me ajudar! Você é minha ultima saída! Se ficaraqui vou perder o meu bebê!! Por favor! Por favor!!
  • 323. – O que aconteceu¿ Perguntou nervoso. – Não brigamos feio e cai da escada. E como estou grávida, tive medo deperder meu bebê. Não posso mais continuar a viver com ele. Por favor meajude! Implorei. Por favor! Por favor!! Por favor! Por favor!! Por favor! Por favor!! Porfavor! Por favor!! – O que faço para ajudá-la¿ Ele perguntou.
  • 324. – Deixa eu ligar para a minha tia e pedir dinheiro. Então me leve para oaeroporto e vamos comigo até Washington! Pedi. Ai!! Tomara que consiga falar com Alice!! Preciso muito de ajuda!! AiAlice!! Por favor me ajude!! – Tudo bem! Tome o telefone. Ele disse passando o celular para mim. Peguei o telefone e disquei o numero da minha tia Alice. – Alice!! Preciso de você!! Estou fugindo de casa e preciso de dinheiro!!Pode depositar na conta do meu amigo¿ E, por favor, não deixe meus paissaberem disso. Por favor!! Disse correndo, uma coisa atrás da outra. Por favor! Por favor!! Alice não faz muitas perguntas!! Preciso deajuda!! Não conte nada ao meu pai!! Ele matará Jake e não suportarei isso!!Por favor, mantenha segredo!!
  • 325. – Nesse! Calma! Fala de vagar! Não estou entendendo. Ela disse paramim, então expliquei tudo para ela – OK! Vai para o aeroporto e vou pedir para o gerente do meu bancodepositar a quantia no City Bank como me pediu. Então venha para Seattle edepois veremos o que fazer. Ela disse. – Anota a conta! Disse para ela e passei os dados de Juan. Então fomospara o aeroporto sem perder tempo e nem reparei que estava como uma jeca,com aquela roupa horrível. Juan comprou as passagens para Seattle e o vôo não demorou a sair.Então pude finalmente respirar aliviada e dormir no avião.
  • 326. Quando chegamos ao aeroporto, a primeira coisa que minha tia fez foi melevar para comprar roupas novas. Depois nós três fomos para uma cabana quepossuía em Ozette. CONTINUA FUGA – PVO JAKE . . . AMANDA – PVO NESSE
  • 327. (Cap. 20) FUGA - PVO JAKE Pessoal, para quem esperava o castigo de Jake, ele chegou!! Não deixem de comentar!! bjn FUGA PVO - JAKE Deixei que dormisse até tarde e quando acordou finalmente, estavasentando na cama e pedi para conversarmos.
  • 328. - Nesse, amor! Por que me mostrou o rosto de Billy furioso¿ disseolhando para ela, sentado na beira da cama. Amor! Por favor, fala a verdade! Conta logo tudo o que aconteceu! Porfavor!! Não agüento mais essa situação! Estou no limite das minhas forças! – Como¿ Ela se fez de desentendida e me deixou sem paciência. – Nesse, por favor! Falar a verdade! Você não estava falando coisa comcoisa, mas me mostrou o rosto do meu pai, furioso, olhando para você.Quando foi que meu pai a olhou daquela forma¿ Por que¿ Perguntei,apertando minhas mãos furiosamente para não estrangulá-la. Droga, Nesse!! Estou tentando ser paciente!! Estou tentando arrancar averdade da melhor forma possível, mas se continuar a mentir... vou apertar oseu pescoço. Droga!! O que estou pensando¿ Está ficando louco¿ Como podepensar em machucá-la¿ Louco!! Louco!!
  • 329. – Não sei do que está falando! Eu estava delirando! Realmente não sei.Ela respondeu, fazendo cara de inocente e quase voei em seu pescoço, mas mesegurei. – POR QUE VOCÊ MENTE DESSE JEITO! Gritei, sacudindo-a comforça na cama, enquanto as lágrimas rolavam pelo seu rosto. Você está me obrigando a te machucar!! Droga!! Fala logo a “m” daverdade!! Acaba logo com isso!! Droga!! Droga!! – Jake! Por favo, não!! Não!! Não tenho nada para falar...para contar. Porfavor me deixe em paz. Ela respondeu chorando muito e parecendo apavoradacom meu descontrole. Mas estava tão atordoado que vi tudo vermelho emminha frente e continuei a torturá-la. – VOCÊ E BILLY BRIGARAM¿ QUANDO ISSO OCORREU¿ PORQUÊ¿ Gritava com ela, enquanto a sacudia na cama.
  • 330. Você vai me fazer perder a cabeça se continuar a mentir desse jeito!!Droga, Nesse! Conta logo o que aconteceu!! Está me deixando nervoso!!Droga!! Não me obriga a te machucar!! Por favor! Estou no meu limite!!Droga!! Por favor! Por favor!! Fala logo!! – Jake! Por favor! Não estou bem!! Depois nós conversamos! Por favor,me deixe em paz!! Ela implorava chorando muito e com o corpo todo trêmulo. – Tudo bem! Vou deixar você sozinha. Mas quando voltar conversaremose você vai me contar o que está me escondendo. Disse,largando os seusbraços. Depois me levantei e sai do quarto. Jake, por favor! Vá embora agora! Você não quer machucá-la! Se fizerisso com ela, não se perdoará! Por favor, se acalme!! Saia agora e esfrie acabeça. Deixe para conversar com ela quando estiver mais calmo!! Não podemachucar sua Nesse!!
  • 331. Não vê como ela está¿ Ela parece doente! Está muito mal!! Coloque asmãos na consciência e saia desse quarto agora!! Vá agora, antes que sejatarde e cometa uma loucura!! Vá! Sai de casa e fui para a plantação, mas estava tão desesperado com o quehavia acabado de fazer com ela, que cai de joelhos no chão e fiquei chorandocomo uma criança. Não consegui fazer nada, então fui para de baixo de uma arvore de deiteipara afogar as minhas mágoas. Estava tão decepcionado comigo mesmo, sentindo-me tão culpado ecanalha, por tudo que estava disposto a contar tudo para ela naquele dia eacabar com aquela tortura. Fui para casa almoçar bem tarde e não havia comida pronta. E percebique os animais também não haviam sido alimentados. Então fui até seu quartoe a encontrei dormindo tranquilamente.
  • 332. Desci as escadas e fui alimentar os animais, e depois voltei para prepararalgo para mim. Ela continuou dormindo por horas e resolvi voltar para a roça, para tentardistrair a minha mente. Mas só conseguia me lembrar da cena horrível, daminha discussão com Nesse e chorava como uma criança de tanto desesperopelo que havia feito. Voltei para casa ao anoitecer e estava tudo escuro, então acendi as luzes efui direto para cozinha cheio de fome. Então percebi que não havia nada paracomer e mais uma vez fiquei com raiva dela. Fui para o seu quarto e ela parecia ter acabado de açodar. E comecei areclamar que não havia comida na casa, mesmo quando dizia que não se sentiabem. Ela se levantou da cama e começou a andar em direção a porta. Entãocomecei a perguntar novamente sobre a imagem do meu pai e a discussãocomeçou.
  • 333. – Nesse! Vai me contar agora o que aconteceu entre você e meu pai¿Perguntei segurando o seu braço. Por favor, Nesse! Não quero ser rude com você! Por favor diz a verdadede uma vez! – SOLTA O MEU BRAÇO! ESTÁ ME MACHUCANDO! Ela gritou. – Você vai me contar a verdade¿ Esteve com meu pai antes de morrer ebrigaram¿ O que aconteceu¿ FALA LOGO!! Gritei furioso com ela. Mas que “m”! Por que tem que mentir tanta¿ Por que não conta logo oque aconteceu¿ Por que é tão teimosa¿ Está me tirando do sério! Vou perdeua razão e cometer uma loucura! Droga!! Droga!! Não quero te machucar!!
  • 334. – Vou fazer a sua janta e não quero discutir!! Não estou me sentindo bem,então me deixa em paz. Ela respondeu baixinho. Chegamos à beira da escada e comecei a gritar com ela novamente,enquanto segurava o seu braço. Foi então que ela puxou com violência edepois se desequilibrou, rolando as escadas para o meu total desespero. – NÃO VOU PERGUNTAR NOVAMENTE!! ESTEVE COM MEU PAINO DIA QUE MORREU¿ O QUE ACONTECEU ENTRE VOCÊS¿ PORQUE MENTIU PARA MIM¿ FALA LOGO!! Fala logo se não mato você!! Juro que te mato!! Sei que vou morrertambém!! Não me importo em morrer!! Já vivo no inferno mesmo!! Falalogo!! Fala!! Que droga!! Está me deixando louco!! Não quero te machucar!!Fala logo!! Para de me torturar desse jeito!! Fala!! Droga!!
  • 335. – NESSE! NESSE!! VOCÊ ESTÁ BEM¿ SE MACHUCOU¿ DEIXAVER COMO ESTÁ! Desci as escadas pulando os degraus, peguei-a no colodesesperado com a sua queda. E quase morri de desespero com a possibilidadede ter se machucado. Oh! Não! Nesse, não!! Não morra!! Por favor!!Fica comigo!! Por favor!Diz que está bem¿ Não! Não posso te perder!! Não suportarei te perder!!Você é minha vida!! É tudo que tenho!! Nesse, amor!! Fica!! Diz que estábem!! Me perdoa¿ Por favor !! – Ai!! Ai!! Está doendo muito!! Ai!! Ela começou a chorar e reclamar dedor. – Nesse! Por favor! Diga-me que não está machucada¿ Vou chamar ummédico! Disse assustado, carregando-a em meus braços para o quarto.
  • 336. Amor! Vai ficar tudo bem!! Você vai ficar bem!! Vou cuidar de você!!Por favor me perdoa! Por favor!! Fica calma!! – Não precisa! Vou ficar bem! Respondeu ainda chorando. – Desculpa o meu nervoso. Disse ao colocá-la na cama. Desculpa, amor!!Prometo que nunca mais vou te magoar!! Nunca mais afarei sofrer!! Vou esquecer essa vingança e vou fazê-la feliz!! Vou te amarmuito para compensar tudo o que fiz!! Vou te fazer muito feliz!!Por favor, meperdoa!! Por favor!! – Jake! Do que você está me acusando¿ Por que insiste em falar nesseassunto¿ O que acha que fiz¿ Ela perguntou.
  • 337. – Você matou meu pai¿ Perguntei olhando em seus olhos e vi as lágrimasrolarem imediatamente. É a ultima vez que falo sobre isso! Prometo, amor! – VOCÊ ESTÁ ME ACUSANDO DE TER MATATO O SEU PAI¿NÃO ACREDITO NISSO!! É POR ISSO QUE ESTÁ MEMALTRATANDO¿ QUE TEM ME TORTURADO¿ VOCÊ ESTÁFAZENDO TUDO PREMEDITADAMENTE¿ Ela começou a gritar edespejar toda sua fúria em mim. Mas não consegui falar nada e apenas abaixeia minha cabeça envergonhado. – SOME DA MINHA FRENTE!! NÃO QUERO MAIS TE VER!! VAIEMBORA!! AHAHAHAHAHSHAHAHAHAHAH!!HAHAHAHAHAHAHAHAH!! HAHAHAHAHAHA! VOCÊ É UM
  • 338. MONSTRO!! MONSTRO!! EU TE ODEIO, JACOB BLACK!! NÃO VOUTE PERDOAR NUNCA!! NUNCA!! TE ODEIO!!HAHAHAHAHAHAHAH!!HUMHUMHUMHUMHUMHUM!!HAHAHAHAHAHAHAHAHA! SEUMALDITO MISERÁVEL!! SEU MONSTRO!! TE ODEIO!!! NUNCA VOUTE PERDOAR!! SOME DAQUI. Ela gritava desesperada e quis morrernaquele momento. Mas sabia que seria pior se tentasse me defender, entãodeixei que ficasse só até a poeira baixar. Nesse, amor! Se soubesse o quanto me arrependo de tudo que fiz! Do medo que tenho de te perder agora!! Queria que tudo isso fosse evitado, mas chegamos a um ponto onde não dava mais para voltar atrás. Desfiz todas as promessas de felicidade,
  • 339. Destrui seus sonhos, Acabei com a nossa vida, Impus um sofrimento extremo, Humilhei-a o máximo que pude, Menti, enganei, roubei...tudo por vingança. Mas nunca deixei de te amar!E sempre soube que esse sentimento nunca morreria, apesar do ódio que também sinto. Como ficaremos agora¿ Como olharei para você novamente¿
  • 340. Será que um dia me perdoará¿ Será que ainda há uma chance para nós dois¿Estou morrendo a cada minuto sem você e a sua dor é dobrada em mim! Vou fazer o impossível para te reconquistar! Isso eu prometo nesse momento! E não me importa que tenha matado meu pai, por que meu amor é tão grande que viveria com isso. Amanhã será um novo dia para nós dois! Vou fazer o possível para me perdoar e sermos felizes novamente.
  • 341. Te amo mais do que minha vida! No dia seguinte, acordei bem cedo e fui para o seu quarto. E fiqueisentado no chão vendo-a dormir e com uma imensa vontade de tomá-la emmeus braços para dizer o quanto a amava. Depois de algum tempo, sai para trabalhar e ficou dormindo. E quandovoltei para o almoço, percebi que ainda estava deitada e parecia muito doente. Resolvi não incomodá-la e alimentei os animais. E depois prepareicomida para nós dois. Deixei a comida em seu quarto, mas não falou ou olhou para mim. Esimplesmente ignorou a minha presença, o que me deixou muito mal naqueledia.
  • 342. O dia, no almoço, seguinte não foi diferente, e apesar de saber que estavaextremamente magoada, ainda tentei conversar. Mas fui totalmente ignoradopor ela. Foi então que a minha vida virou um completo inferno e quando chegueia casa ao anoitecer, procurei-a pela casa e não havia nem sinal dela. Entãopassei hora andando de um lado para o outro, pensando onde teria ido, masnada me ocorreu. Fui ao seu quarto e fiquei olhando para o guarda roupa, que pareciaintacto. E foi então que percebi em um papel sobre a cama e resolvi pegar paraler. Jake,
  • 343. Cansei dessa vida que estava levando ao seu lado. Sinceramente não nasci para ser dona de casa e viver ao lado de um marido como você. Realmente esperava que pudesse dá certo, mas quando percebi que não me queria mais. E que tinha uma amante,resolvi pagar na mesma moeda e comecei a merelacionar com um rapas que conheci, que me lembrou muito você há algum tempo atrás. Depois de tudo que me fez, Juan e eu decidimos que não poderia continuar nessa situação. Então resolvemos ir embora juntos e não voltarei mais para você. Realmente desejo que seja feliz com aquela balconista sem graça. E que me esqueça e não me procure. Sei que a fazenda foi comprada com o dinheiro do meu pai, mas nãoquero nada desse lugar horrendo. Então faça muito bom proveito de tudo!!
  • 344. PS realmente o amei, mas tudo na vida acaba! Nesse Naquele momento senti desespero, depois dor, depois ódio e quissimplesmente morrer. Então cai e joelhos no chão do quarto e chorei até nãoagüentar mais. Então decidi procurar o tal Juan. Sai pela vizinhança, perguntando se alguém conhecia alguém chamadoJuan. Então um senhor me indicou uma fazenda que não ficava longe daminha. Corri como um louco até a tal fazenda e um jagunço me perguntou o quequeria. E disse que gostaria de falar com o seu patrão. Mas o cara mal
  • 345. encarado disse que ele havia viajado com uma jovem mais cedo e não sabiaquando voltava. E foi ali que tive a certeza de que ela realmente havia fugido com ele. E omeu desespero só fez aumentar. Fui para o centro da cidade e tomei o maior porre a minha vida. Ficandotão mal que dormi como um cachorro no banco da praça.. No dia seguinte voltei para casa e fiquei andando de um lado para o outro,sem saber o que fazer e onde procurá-la Então decidi deixar a casa com omesmo senhor que havia tomado conta na primeira vez, para voltar paraWashington e procurar a minha Nesse. Pois mesmo acreditando que havia metraído e fugido com outro, não desistiria de reconquistá-la e fazê-la minhamulher novamente. Estava tão desesperado, que nem a dor de ser corno se comparava com aque sentia por perdê-la. E não me importava se havia dormido com um ou dezhomens, pois a queria de volta de qualquer maneira e não m conformaria tãofacilmente em perdê-la.
  • 346. Então arrumei tudo e deixei instruções e dinheiro para o senhor quecuidaria da fazenda. E parti para onde tudo começou, em busca da minhaesposa e razão da minha vida. Nesse, amor!! Não me importo se matou meu pai!! Não me importo se me traiu com outro homem!! É você que quero e não vou desistir!! Esteja onde estiver, vou te encontrar!! Sei que não conseguirá dizer que não me ama mais! Sei que não esqueceu tudo o que vivemos e fomos um para o outro!
  • 347. Mesmo depois de tudo o que fiz!Não me importa o que irá acontecer daqui em diante se estiver comigo! Aceito tudo que quiser me dá! Pode me pisar, humilhar... o que achar que mereço! Mas por favor, volta para mim!! Sempre te amei!! Sempre vou amar! Não importa o que acontece!! Sempre será minha Nesse e não vou desistir de nós dois!!
  • 348. Nunca desistirei de você!E a tirarei dos braços desse homem com quem fugiu!! Te amo de mais e não suporto a sua falta. CONTINUA AMANDA – PVO NESSE . . . PROCURA – PVO JAKE
  • 349. (Cap. 21) BÔNUS - ESCONDENDO SEGREDOS DEEDWARDNotas do capítuloPessoal, escrevi esse cap para explicar como Nesse esconderia tudo de seu pai,impedind de matar Jake.Pessoal, tenho uma pequena reclamação! Sol da minha vida e SimplismenteJake tiveram duas indicações no Nyah! E apesar da ótima trama, ninguémindicou a mentira ainda.Acho que mereço!! bj BÔNUS - ESCONDENDO SEGREDOS DE EDWARD PVO – NESSE
  • 350. – Nesse! Você está simplesmente horrível!! O quê¿ O quê aconteceu comvocê¿ Alice perguntou no saguão do aeroporto, quase tendo uma crise denervos ao ver-me com roupas tão horríveis. – Isso é coisa do Jake. Mas é uma longa história e depois conto. Vamosembora logo, pois estou cansada. Disse para ela – Não! Primeiro me apresenta o seu amigo bonitão e depois vamos trocaressas roupas ridículas. Ela disse olhando curiosa para Juan. – Tia, esse é Juan San Martins. Ele é um grade amigo e me ajudou muito. – Juan! Essa é minha tia maluquinha, Alice Cullen. Disse apontado paraela.
  • 351. – Muito prazer em conhecê-la. Juan disse em inglês fluente e apertou amão de Alice. E pude perceber a expressão estranha dele, com a sensação datemperatura fria da pela dela. – O prazer é tudo meu! Os amigos de Nesse são meus também. Ela dissesorrindo para ele. – Juan, você pode ir comer algo enquanto vamos trocas essas roupas deNesse¿ Alice pediu. – Claro! Vou ficar naquele restaurante lendo jornal e espero vocês. Eledisse simpaticamente para Alice.
  • 352. – Vamos Nesse! Quanto mais rápido tirar essas coisas horrendas melhor!!Não sei nem o que aconteceu entre vocês, mas só por esta vestida assimaquele cachorro merece morrer. Ela disse sorrindo. Enquanto fazíamos compras, contei sobre tudo que havia passado nasmãos de Jake. Deixando Alice revoltada. – Nesse! Seu pai vai matar aquele cachorro!! Não tem como impedirEdward de acabar com ele. Ela disse franzindo as sobrancelhas. – Tia, precisamos esconder tudo isso do meu pai. – Não vou agüentar vê-lo matar meu Jake!!
  • 353. – Seu Jake¿ Toma vergonha nessa cara!! Alice disse com raiva. – Eu o amo muito e não vou suportar a sua morte!! Vamos esconder tudodo meu pai! – Seu pai vai ler os nossos pensamentos! Como pretende esconder issodele¿ Ela perguntou, enquanto pegava um vestido. – Se minha mãe bloquear os nossos pensamentos, ele só saberá o quedissermos.
  • 354. – Boa!! E quanto tempo você acha que ele vai demorar para descobrir averdade¿ Acha que sua mãe vai ficar bloqueando tudo mundo, o tempointeiro¿ Disse, colocando um vestido a minha frete para ver se combinavacomigo. – Alice! Você vai ligar para a minha mãe e pedir para nos encontrar naestrada, no caminho de Ozette. Então quando chegarmos lá, contarei tudo aele. E pedirei que me ajude com meu pai. – Que belo plano!! Você acha que Bella deixará Jake se safar disso¿ Elaperguntou, pegando duas blusas. – Ela não vai querer ver seu amigo morto. Eu acho!
  • 355. – Mesmo depois dele ter acabado com a vida de sua filha¿ Duvido!! – Alice!! Vamos seguir esse plano!! Por favor!! E não pode contar nada aninguém!! Quando digo ninguém é ninguém!! Só confio em você e na Meg. – Meg está na Europa com Emmett e Rosi. Então não pode contar com elaagora. – OK! Outra coisa, temos que conseguir com que Carlisle nos ajude! – Ah! Você vai querer convencê-lo também¿