4 ed3 ch-jogos-educac
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
813
On Slideshare
813
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 1 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE CONCEITOS DE CRIANÇAS DE 5 A 6 ANOS Adriana Vieira do Nascimento1 Dione Marise Iurk2RESUMO ABSTRACTO presente estudo teve por finalidade The present study had as purpose toinvestigar a prática pedagógica do professor investigat the educational practice of teacherse a importância dos jogos de Educação and the importance of the games in theInfantil, ao serem incentivadas a estabelecer chindren education, when they areuma relação funcional dos mesmos na encouraged to establish a functionalformação de conceitos. Dessa forma, parte-se relationof them in the formation ofda concepção de que os jogos, na Educação conception that the games are essential in theInfantil, são essenciais para o clindren education, to the development of thedesenvolvimento do processo de ensino- process teaching and learning. However, itaprendizagem.Todavia, surgem as seguintes appears the following inquirement: how toindagações: como explicar a razão pela qual explain the reason for wich some teachersalguns professores não utilizam os jogos para don’t use the games for the formation ofa formação de conceitos? Será que os que concepts? We want to know if those who useutilizam o fazem de forma significativa? A this, do the activity in a significant way. Dofalta de capacitação e não compreensão da the lack of qualification and understanding ofimportância dos jogos no processo ensino- the importance of the games in the processaprendizagem é o que leva o educador a não teaching and learning leads the teacher not toutilizá-los? Para tanto, realizou-se em um use them? For this, it was carried out in aCentro Municipal de Educação Infantil no municipal center of chindren education inmunicípio de Imbituva, durante o segundo Imbituva, during the second term in 2006, asemestre de 2006, um estudo de caso de qualitative case study. Twenty-eight childrencunho qualitativo. Selecionaram-se vinte e were selected aged between five and sixoito crianças de uma turma de Pré III, com years old. As instruments of data collection,idade entre 5 e 6 anos. Como instrumentos de it was used observation of the educationalcoleta de dados, utilizaram-se observações practice in classroom, application ofdas práticas pedagógicas em sala de aula, activities with the students and interviewaplicações de atividades junto aos alunos e with the teacher of the group. From teentrevista com a professora da turma. A interpretation of the data, it was verified thatpartir da interpretação dos dados, verificou- the students who are bein taught to read andse que os alunos que são alfabetizados por write by the games, develop themselves in a1 Pós Graduanda do Curso de Especialização (Pós Graduação latu sensu) em Ensino e Formação de Recursos Humanos para a Educação Básica. UNICENTRO, 2007.2 Professora Orientadora Mestre do Departamento de Pedagogia, UNICENTRO, 2007. A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 2. 2 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas meio de jogos, desenvolvem-se com maior better way. The results revealed that iteficiência. Os resultados obtidos revelam que mustse deve investir na formação do educador e be invest in the teachers formation and in thena conscientização dos pais quanto à parents awareness about the importance if theimportância do lúdico no processo de ensino- games in the teaching and learning process asaprendizagem como recurso pedagógico, a educational resource, effective in theeficaz na obtenção dos objetivos propostos. obtaining of the objectives.Palavras-chave: Educação Infantil, jogos, Words-key: Children education, games,educação, conceitos. education, concepts.1 INTRODUÇÃO No Brasil, a Educação Infantil tem sido objeto de estudos ao longo da História.Constata-se que, durante o início do século XX, praticamente não existia uma política queregulamentasse o atendimento educacional de crianças. Segundo ANTUNES (2004, p.13) “noBrasil, o atendimento de crianças de zero a seis anos, em creches e pré-escola, constituidireito assegurado pela Constituição Federal de 1988, consolidada pela Lei das Diretrizes eBases da Educação Nacional (LDB)” que estabelece a Educação Infantil como a primeiraetapa da Educação Básica e deve ser oferecida pelos sistemas de ensino em complementaçãoà ação da família e comunidade, onde as propostas pedagógicas devem estar articuladas com afaixa etária de cada aluno, proporcionando condições totais de desenvolvimento. Desse modo, as questões atuais nos levam a refletir sobre as práticas pedagógicasvoltadas para a criança e provocam a necessidade de ressignificar e organizar os espaçoseducacionais da Educação Infantil, de forma a estruturá-los, criticamente, diante dastransformações sociais que afetam a criança na contemporaneidade. O interesse pela temática dos jogos para a formação de conceitos na criança a partirdas estratégias metodológicas utilizadas pelo professor, surgiu da minha curiosidade,enquanto mãe, visto que meu filho encontrava-se nesta fase escolar, onde as atividades lúdicassão muito utilizadas pela sua professora. A partir desse estudo exploratório, verifica-se que ojogo é um instrumento eficaz e, se convenientemente planejados, contribui para o processo dedesenvolvimento da criança, pois jogos e brincadeiras fazem parte da vida da criança, desdemuito cedo, ela participa de várias situações lúdicas. Diversos estudos demonstram que, por meio dos jogos, a criança vê e constrói o mundo.Em função disso, é essencial que os professores resgatem as atividades lúdicas, na pré-escola,de modo que esse processo trabalhe com a diversidade cultural e desperte a vontade para oaprender. Podemos dizer que todo ser humano pode beneficiar-se dos jogos, tanto peloaspecto lúdico de diversão e prazer quanto pelo aspecto da aprendizagem. Dentro dessa perspectiva, justifica-se a escolha do tema na tentativa de possibilitar aoseducadores a compreensão de que os jogos propiciam conhecimentos aos alunos, e suautilização deve ser considerada como um instrumento integrado ao processo ensino-aprendizagem, pois, além de contribuir para o desenvolvimento cognitivo, garante também, de A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 3. 3 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasforma prazerosa, o desenvolvimento pessoal, social, afetivo, físico e psicomotor. Nesse contexto, surgem as seguintes indagações: como explicar a razão pela qualalguns professores não utilizam os jogos para a formação de conceitos? Será que os queutilizam o fazem de forma significativa? A falta de capacitação e não compreensão daimportância dos jogos no processo ensino-aprendizagem é o que leva o educador à nãoutilizá-los? De acordo com o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil (1998,p.27), “no ato de brincar, os sinais, os gestos, os objetos, os espaços valem e significam outracoisa daquilo que aparenta ser. Ao brincar as crianças recriam e repensam os acontecimentosque lhe deram origem, sabendo que estão brincando”, em outras palavras, através do brincar,a criança tem em suas mãos a possibilidade de lidar estabelecer relações com os outros e comela mesma. Assim, cabe ao professor perceber que a prática pedagógica deve atender às reaisnecessidades das crianças, porque desde pequenas, elas apresentam atitudes de interesse emdescobrir o mundo que as cerca, e podem realmente construir o conhecimento. Portanto,partindo dessas premissas, o presente artigo busca demonstrar como os jogos estão inseridosno trabalho pedagógico, realizado na Educação Infantil, mais precisamente em uma sala depré do Centro Municipal de Educação Infantil (CMEI) no município de Imbituva, com alunosde 5 a 6 anos, verificando como eles se manifestam na prática do professor e com quaisobjetivos.2 REVISÃO DE LITERATURA Na história da Educação brasileira, verifica-se que o Ensino Fundamental éreconhecido pela Lei 4.024/61 como sendo dever do Estado e da Família e direito da criança.No entanto, a Educação Infantil passou a ser reconhecida como direito a partir da ConstituiçãoBrasileira de 1988, que, em seu artigo 208, inciso IV, explicita que: “O dever do Estado com aeducação será efetivado mediante garantia de atendimento em creche e pré-escola às criançasde zero a seis anos de idade”, pois, nota-se, em sua trajetória histórica, que a escola deeducação infantil tinha apenas uma conotação assistencial, as crianças ficavam ali para queseus pais pudessem trabalhar. A partir do seu reconhecimento, na Constituição Brasileira, que a Educação Infantilpassou a ser vista como um direito das crianças e como área de estudo. SARMENTO &PINTO (1997, p.7) argumentam que, “as crianças sempre estiveram presentes no mundo,porém, as condições de vida dos tempos atuais produziram novas relações para essa categoria,o que, conseqüentemente, tem gerado novas discussões e crescentes preocupações”. Nessesentido, a Educação Infantil, nos últimos anos, tornou-se uma grande preocupação por partedos pais, professores e governantes, tendo-se confirmado, cada vez mais, a sua importânciapara a aprendizagem infantil. Para que ocorra uma aprendizagem significativa, é imprescindível conhecer a natureza,as raízes históricas da educação infantil e os desdobramentos da prática educacional dos A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 4. 4 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanaseducadores. A ação conjunta dos educadores e dos demais membros da instituição escolar éessencial para garantir que o desenvolvimento infantil ocorra de forma integrada. Essa atitudedeve ser contemplada desde o planejamento educacional até a realização das atividades em si. A partir de atividades lúdicas, destaca-se a importância dos jogos para a formação deconceitos de crianças com idade compreendida entre 5 e 6 anos. Segundo LOPES (2000,p.35), “a criança sempre brincou. Independentemente de épocas ou de estruturas decivilização (...), portanto, se a criança brincando aprende, por que, então, não a ensinarmos demaneira que ela aprenda melhor?” A importância dos jogos, na educação, já era discutida entre os romanos e gregos,dessa forma, a relação entre o jogo, a educação e o desenvolvimento da criança é bastanteantiga. Em suas pesquisas, KISHIMOTO (1994) demonstrou, que os primeiros estudos,referentes ao jogo educativo, surgiram em Roma e na Grécia. Entre os romanos, háreferências de jogos destinados ao preparo físico, na Grécia, Platão refere-se à importância do“aprender brincando”. Na Idade Média, a forte influência do Cristianismo impõe uma educaçãodisciplinadora, na qual não há lugar para o jogo, com o Renascimento, no século XVI, surgemnovas concepções pedagógicas que reabilitam o jogo. Ele aparece na educação de criançasque aprendem a ler e escrever como um suporte atrativo, utilizam-se os aspectos do jogo queprovocam o interesse e a motivação da criança para a realização de seus estudos. Seja comofor, a ação da criança durante a participação em jogos passa a ser instrumento paracompreender os talentos e a personalidade dos alunos. A idéia de se introduzir jogos à educação, começou a se difundir, no século XVIII,com estudiosos como Pestalozzi e Rousseau, ao afirmar sobre a importância dos jogos comoinstrumento formativo. Quanto a isso, RIZZI & HAYDT (1997, p.14) comentam que: “alémde exercitar o corpo, os sentidos e as aptidões, os jogos também preparam para a vida emcomum e para as relações sociais”. Dessa forma, os jogos e brincadeiras utilizadas, no espaçoescolar, auxiliam no desenvolvimento das capacidades infantis, permitindo que a criançaconstrua representações de mundo, já que “o jogo, nas mãos do educador, é um excelentemeio de formar a criança”, afirmam as autoras. Entretanto, ainda existe uma certa distorção em relação à natureza do lúdico, na buscapela sua definição, percebe-se que o jogo, brinquedo e brincadeira apresentam significadosdistintos. As atividades lúdicas são caracterizadas pela iniciativa, intenção e curiosidade doaluno, pois, “os jogos podem ser utilizados para introduzir conteúdos ou formar conceitos,todavia, devem ser escolhidos e preparados com cuidado, levando a criança a adquirirconceitos significativos”. (ALMEIDA , 2000, p.31), VYGOTSKY (apud KISHIMOTO, 1997, p.51) afirma que “por meio do brinquedo acriança aprende a agir numa esfera cognitivista, sendo livre para determinar suas própriasações”. Segundo o autor, o brinquedo estimula a curiosidade e a autoconfiança,proporcionando desenvolvimento da linguagem, do pensamento, da concentração e daatenção. Para FERNANDES (1993), brincar e jogar chegam a ser sinônimos; o brinquedo está A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 5. 5 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasrelacionado à brincadeira, e esta, à ação de brincar. O lúdico é relativo a jogos, brinquedos edivertimento. Já para QUEIROZ & MARTINS (2002, p.7), “brincar é uma proposta criativa erecreativa de caráter físico ou mental, desenvolvido espontaneamente, cuja evolução édefinida e o final nem sempre previsto”. E, segundo MALUF (2004, p.13), “as brincadeirassão admiráveis instrumentos de realização para o ser humano, especialmente para as crianças;reúnem potencialidades, desenvolvem iniciativas, exercitam capacidades de concentrar aatenção, descobrir, criar e, especialmente, de permanecer em atividade”. KISHIMOTO (1994, p.7) afirma que “quanto mais se permite à criança explorar, maisela está perto do brincar”. A autora afirma que brinquedo será entendido sempre como objeto,suporte de brincadeira, brincadeira como a descrição de uma conduta estruturada, com regrase jogo infantil para designar tanto o objeto como as regras do jogo da criança (brinquedo ebrincadeiras). PIAGET (1975) utiliza a palavra jogo para se referir ao brincar. Já para ALMEIDA(2000, p.19), “os jogos constituíram sempre uma forma de atividade inerente ao ser humano”.Cada grupo étnico apresenta sua forma particular de ludicidade, sendo que o jogo se apresentacomo um objeto cultural, por isso, encontramos uma variedade infinita destes, nas diferentesculturas e em qualquer momento histórico. É evidente que, tanto os jogos quanto as brincadeiras inseridas no contexto escolar,auxiliam na formação integral do educando, que se desenvolve de acordo com os estímulosvindos da realidade vivenciada. Sendo assim, brincar é indispensável à saúde física,emocional e intelectual de qualquer criança e, se utilizados corretamente, são excelentesinstrumentos de aprendizagem. Porém, a introdução destes, no ambiente Pré-escolar, implicaem uma revisão de conceitos e atitudes por parte dos educadores. Compara-se por meio dasteorias que o brincar é mais do que uma atividade com conseqüências significativas eformativas para a criança. O valor pedagógico dos jogos é incontestável, as brincadeiras e os jogos são atividadesindispensáveis para o desenvolvimento da criança. É por meio do brincar que ela pensa ereorganiza as situações cognitivas que vivencia. Portanto, na Pré-escola, os jogos podem serutilizados pelo professor de forma espontânea ou dirigida, a fim de propiciar a aprendizagem,tornando-se necessária uma reflexão por parte de todos os sujeitos envolvidos com aEducação Infantil. Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta duplanatureza que nos leva a considerar o jogar e brincar parte integrante da atividade educativa.Para ANTUNES (2004, p.31), “brincando a criança desenvolve a imaginação, fundamentaafetos, explora habilidades e, na medida em que assume múltiplos aspectos, fecundacompetências cognitivas e interativas”. Nesse sentido, além de possibilitar o exercício daquiloque é próprio no processo de desenvolvimento e aprendizagem, brincar é uma situação emque a criança constitui significados, sendo uma forma, tanto para a assimilação dos papéissociais e compreensão das relações afetivas que ocorrem em seu meio como para a construçãodo conhecimento. O jogo e a brincadeira são sempre situações que a criança realiza, constrói e se A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 6. 6 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasapropria de conhecimentos das mais diversas ordens. Eles possibilitam, igualmente, aconstrução de categorias e a ampliação dos conceitos das várias áreas do conhecimento. Nesseaspecto, o brincar assume papel didático e pode ser explorado no processo educativo. Segundo VYGOTSKY (1991), a aprendizagem precede o desenvolvimento. Nessesentido, tem-se idéia antagônica à outra difundida de que a criança precisa, primeiramente,adquirir determinada capacidade para aprender determinado conteúdo, o que equivale dizerque as habilidades não precedem o conhecimento, mas, é no processo de elaboração doconhecimento, que se constróem, também, as habilidades. A aprendizagem de conteúdos específicos levaria, portanto, ao desenvolvimento defunções específicas. Esta formulação de VYGOTSKI (1991) parte de suas pesquisasempíricas, em que pôde verificar que a criança apresenta um nível de desempenho, quandorealiza algo sozinha, mas, esse nível passa a ser outro, de maior complexidade, se ela trabalhacom um adulto ou com outra criança mais experiente. Este fato, além de revelar a importânciado papel do professor e das interações entre crianças, significa que, por meio da colaboraçãode um indivíduo mais experiente a criança pode construir e ampliar conceitos, os quais elanão teria condições de realizar sozinha, naquele momento de seu desenvolvimento. De acordo com essa concepção, a Pré-escola tem função de promover a construção deconhecimentos, assim como todos os outros níveis da educação, pois, desta construção,depende o próprio processo de constituição dos indivíduos que a freqüentam. SegundoBORGES (1994. p.14), “o objetivo básico da pré-escola é a educação, toda a nossametodologia estará atenta aos valores e ao desenvolvimento da criança”. O que existe de específico, na Pré-escola, é o recorte, que é feito do conhecimento aser ensinado, de forma que ele se amolde às possibilidades reais e potenciais das crianças. Naforma de encarar o conhecimento, entretanto, a Pré-escola não deve diferir dos outros níveisde ensino, uma vez que a aprendizagem geralmente ocorre, quando se problematiza oconhecimento para o aluno. Quando se fala em problematizar, significa colocar, para acriança, uma questão básica que suscite um processo de aprendizagem. Significa apresentar ojogo de forma que ele constitua uma questão real para o educando, um problema a sersolucionado, seja este de natureza lingüística, científica ou estética. Esta forma será umaopção do professor, existem, portanto, inúmeras maneiras de se problematizar um mesmoconteúdo. O processo de aprendizagem, por sua vez, implica na realização de atividades quelevem à construção dos conceitos, que constituem o referido conteúdo, mediante asinformações que o jogo contém. Isto é, todo conteúdo é constituído de uma série deinformações, dados e fatos articulados entre si segundo uma ordem interna, que deverá sercompreendida pelo educando. Pelo domínio desses elementos, a criança desenvolve asfunções do pensamento, assim como constitui noções de tempo, espaço, simultaneidade,dentre outros. O pensamento vem, portanto, das atividades desenvolvidas. As atividades envolvidas,no processo de aprendizagem, são: observação, experimentação, reflexão e apresentação doconhecimento adquirido. É a partir dessa perspectiva mais abrangente do processo de A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 7. 7 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasconstituição do indivíduo, como ser social e afetivo, que se deve pensar o papel do jogo e dabrincadeira na Pré-escola. Logo, a escola não é um local como outro qualquer, é uma instituição que tem comoobjetivo possibilitar ao educando a aquisição do conhecimento formal e o desenvolvimentodos processos do pensamento. É na escola que a criança aprende a forma de relacionar-secom o próprio conhecimento. Brincar e/ou jogar, na escola, não é exatamente igual a brincar em outras ocasiões,porque a vida escolar é regida por algumas normas que regulam as ações das pessoas e asinterações entre elas e, naturalmente, estas normas estão presentes, também, nas atividadesdiárias da criança. Assim, as brincadeiras e os jogos têm uma especificidade quando ocorremna escola, pois, são mediadas pelas normas institucionais. A utilização do brincar, como recurso pedagógico, tem de ser vista, primeiramente,com cautela e clareza. Brincar é uma atividade essencialmente lúdica, se deixar de sê-lo,descaracteriza-se como jogo ou brincadeira. Todavia, não se pode, restringir o brincar a estafunção, uma vez que ele também promove a constituição do próprio indivíduo, ANTUNES(2004, p.31) afirma que “brincando as crianças constroem seus próprios mundos”. Dessaforma, incluir o jogo e a brincadeira na escola tem como pressuposto, o duplo aspecto daconstrução do conhecimento e o desenvolvimento da criança enquanto indivíduo, processos,estes que estão intimamente interligados. É função da escola levar a criança, em qualquer nível de ensino e período dedesenvolvimento, a obter experiências e informações que enriqueçam seu repertório, bemcomo procedimentos metodológicos que permitam integrar sucessivamente estes novosconhecimentos àqueles que a criança já detém. Isto implica, necessariamente, trabalhar com oinstrumental que a criança dispõe em cada etapa de seu desenvolvimento, ou seja, com asformas de intervir e apreender o real e com o imaginário que o ser humano vai adquirindo aolongo da vida. Os jogos, como forma de atividade humana desenvolvida na escola, têm também umafunção informativa para o professor. De acordo com BORGES (1994, p.15), “ser educadorpré-escolar é, antes de tudo, conseguir manter uma profunda relação empática com a criança,é viver com ela, intensamente, cada momento desse processo, num envolvimento tal quepossa promover o desenvolvimento de ambos: o professor e aluno”. Assim, ao observar um jogo ou brincadeira e as inter-relações entre as crianças em suarealização, o educador aprende bastante sobre seus interesses, podendo perceber o nível derealização em que elas se encontram, suas possibilidades de interação, sua habilidade para seconduzir, de acordo com as regras do jogo, assim como suas experiências do cotidiano e asregras de comportamento reveladas pelo jogo de faz-de-conta. A partir de suas observações, o educador terá condições de programar atividadespedagógicas que desenvolvam os conceitos de número, quantidade, lateralidade, noções deespaço, de direção que as crianças já estão constituindo, que sejam adequadas àspossibilidades reais de interação e compreensão que os educandos apresentam emdeterminado estágio de seu desenvolvimento. A ação do educador deve ser, antes de tudo, A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 8. 8 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasrefletida, planejada e, uma vez executada, avaliada. É importante que a ação do educador seoriente no sentido de ampliar o repertório das crianças, não só do ponto de vista lingüístico,como também do cultural. No planejamento, precisam ser explicitados que conceitos devem ser desenvolvidos,os conteúdos a serem trabalhados e as expectativas de realização das crianças, pois, paraRIZZO (1992, p.330) “as atividades proporcionadas pela pré-escola devem permitir cada umao alcance de vários objetivos e cada objetivo pode também ser atingido por diferentesatividades”. A partir dessa definição, deve-se selecionar o tipo de atividade que poderá serutilizada para atingir tal fim, o qual poderá ser alguma forma de jogo ou de expressãoartística. Ao educador cabe, então, tendo em vista a compreensão e o conhecimento da evoluçãodas crianças, pensar que tipo de atividade propor, tendo clareza de intenção, isto é, sabendo oque as crianças podem desenvolver com a atividade proposta. Um segundo ponto, tambémfundamental, é o encaminhamento da atividade, ou seja, a definição de como ela serárealizada, prevendo a ocupação do espaço e o limite do tempo, de acordo com a natureza daprópria atividade, permitindo a realização dos movimentos em sua amplitude. O brincar da criança, visto do prisma aqui apresentado, não pode ser considerado umaatividade complementar a outras de natureza dita pedagógica, mas sim como atividadefundamental para a formação de conceitos de crianças da pré-escola.3 METODOLOGIA O presente trabalho teve como propósito realizar um estudo sobre a inserção dos jogosna Educação Infantil, voltada para a prática pedagógica do educador na formação de conceitosda criança no âmbito escolar, e se desenvolveu a partir do estudo de caso, por meio de umaabordagem qualitativa. Para BOGDAN e BIKLEN (1994, p.89), “o estudo de caso consiste naobservação detalhada de um contexto, ou um indivíduo, de uma única fonte de documentos oude um acontecimento específico”. Trata-se de uma pesquisa do tipo estudo de caso por se tratar de um método que levaem consideração, principalmente, a compreensão como um todo do assunto investigado. Odirecionamento deste método foi dado na obtenção de uma descrição e compreensãocompletas das relações dos fatos. Segundo CERVO & BERVIAN, (1996, p.18), “suaprincipal função é a explicação sistemática dos fatos que ocorrem no contexto social egeralmente se relacionam com uma multiplicidade de variáveis”. CHIZZOTTI (1995 p.102) completa essa idéia dizendo que: (...) é uma caracterização abrangente para designar uma diversidade de pesquisa que coletam e registram dados de um caso particular ou de vários casos a fim de organizar um relatório ordenado e crítico de uma experiência, ou avaliá-la analiticamente, objetivando tomar decisões a A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 9. 9 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas seu respeito ou propor uma ação transformadora. Um dos instrumentos utilizados para a coleta dos dados foi a observação de setenta eduas horas do cotidiano escolar que, de acordo com RICHARDSON (1999, p. 261), “naobservação participante, o observador não é apenas um expectador do fato que está sendoestudado, ele se coloca na posição e ao nível dos outros sujeitos que compõem o fenômeno aser observado”. LÜDKE e ANDRÉ (1986, p.26) complementam que “a observação diretapermite que o observador chegue mais perto da ‘perspectiva dos sujeitos’.(...) Na medida emque o observador acompanha “in loco” as experiências diárias dos sujeitos, pode tentarapreender a sua visão de mundo”. Desse modo, torna-se possível ao pesquisador vivenciar ocotidiano dos sujeitos envolvidos e, assim, perceber o que pensam em relação ao objetopesquisado. Outro método selecionado foi a realização de uma entrevista com a professora daturma, pois, segundo LÜDKE e ANDRÉ (1986, p. 33) “ao lado da observação, a entrevistarepresenta um dos instrumentos básicos para a coleta de dados”. Esta entrevista realizou-senos momentos em que a professora não estava em sala de aula, isto é, durante sua hora-atividade, a fim de coletar dados sobre sua experiência profissional e opinião sobre aimportância dos jogos no desenvolvimento cognitivo da criança, assim como a sua práticapedagógica em sala de aula. O período para esta coleta foi de aproximadamente dois meses,iniciando-se em outubro de 2006, e a escola alvo dessa pesquisa foi um Centro MunicipalInfantil do município de Imbituva - PR.4 DESENVOLVIMENTO Para a investigação em questão, tornou-se necessário obter informações relativas àprática pedagógica adotada pela professora durante o processo de ensino-aprendizagem, bemcomo a análise do cotidiano das crianças, a fim de se verificar a utilização dos jogos infantisna formação de conceitos dos mesmos. A turma envolvida, no presente estudo, foi uma turmade Pré do Centro Municipal Infantil no município de Imbituva. A mesma é constituída porquinze meninas e treze meninos, totalizando vinte e oito alunos com idade entre 5 e 6 anos. Logo, é de extrema importância descrever a rotina escolar da turma pesquisada, paratanto, faz-se uma descrição da rotina, com o objetivo de mostrar como o trabalho pedagógicoé organizado e de que forma se efetiva a construção do conhecimento. É de extremaimportância destacar que, durante este processo, o jogo esteve presente nas várias situaçõesdestacadas, principalmente na fase final das observações. No que diz respeito ao cotidiano das crianças, ao chegarem na escola, elas aguardam acampainha de entrada, que ocorre às 13 horas. A sala de aula, é organizada da seguintemaneira: uma mesa e uma cadeira para a professora, quadro de giz; vinte e oito mesinhas ecadeiras individuais, distribuídas por toda a sala; há uma prateleira no fundo da sala para osalunos guardarem suas sacolas, sobre o quadro de giz há um varal com o alfabeto. Ainda, naparede, há um calendário móvel, um cartaz de pregas com os nomes das crianças para a A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 10. 10 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanaschamada e um cartaz com os nomes dos aniversariantes do mês. A sala de aula possui umbanheiro para a utilização dos alunos. Na frente da sala, há um armário onde são guardados os cadernos das crianças emateriais como: folhas de papel sulfite, lápis de cor, giz de cera, canetinhas, colas, tintas,tesouras, dentre outros. Em uma das paredes laterais, há um varal para as crianças penduraremseus trabalhos. A sala de aula é bem ventilada e iluminada. Ao chegar, a professora da turma organiza as crianças nas carteiras, solicitandosilêncio, em seguida, cumprimenta as crianças e inicia uma oração. Posteriormente, ascrianças sentam-se e a professora faz a chamada atualizando o calendário com os alunos. Esseprocedimento é repetido diariamente, faz parte da rotina e sempre segue o mesmo padrão. É de extrema importância ressaltar que, durante as observações, verificou-se que asatividades apontavam para um tipo de trabalho que privilegia conteúdos, revelando que aEducação Infantil, de certo modo, está preparando paulatinamente a criança para o seuingresso no Ensino Fundamental. Segundo GARCIA (1993, p.29), “as atividades propostas ea manipulação do material disponível ‘preparam’a criança para a futura aprendizagem, aquelaque acontecerá na escola. Nesta concepção, o papel da Pré-escola é desenvolver hábitos,atitudes, habilidades e comportamentos necessários à sua vida escolar”. Neste contexto, a Pré-escola se diferencia da escola no sentido de que não apresenta conteúdos ou um programa acumprir, a sua ação está direcionada ao desenvolvimento da criança, ou seja, a sua preparaçãopara a escolaridade. Algumas atividades observadas, que servem de exemplo, foram as cruzadinhas, caça-palavras, exercícios para completar as vogais que faltavam nas palavras, exercícios de ligar onome ao desenho correspondente, atividades com as noções das operações básicas comoadição e subtração, dentre outras. Estas atividades são consideradas de extrema importância,visto que há a necessidade da sistematização do conhecimento, em outras palavras, oprofessor deve utilizar atividades para fixar os conteúdos desenvolvidos, na aplicação dosjogos. A criança necessita transcrever para o papel as hipóteses elaboradas durante a execuçãodos jogos. Desse modo, a partir de uma análise da proposta pedagógica e curricular do CMEI,verifica-se que a mesma é organizada, a partir das áreas de conhecimento, como: linguagemoral e escrita, matemática, natureza e sociedade. Além dessas áreas, aparecem as Artes eEducação Física, denominados como organizadores do trabalho pedagógico. Quanto ao corpo docente, trabalham, na turma pesquisada, duas professoras: umaresponsável pelas aulas de Educação Física e outra responsável pelo desenvolvimento dasoutras áreas do currículo. Entretanto, a preocupação maior estava ligada às atividadesdesenvolvidas pela segunda professora, relacionadas à aprendizagem dos alunos. Por isso,entrevistou-se apenas a professora responsável diretamente por esse trabalho. A entrevistavisava coletar informações da professora, tendo ainda por finalidade identificar dados sobre asua formação e qualificação para o exercício da função, assim como a sua opinião sobre aimportância dos jogos infantis para formação de conceitos. A professora entrevistada trabalha em apenas uma escola, ela pertence ao quadro de A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 11. 11 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasprofessores efetivos e não exerce outra atividade profissional. Possui, além do curso dePedagogia, cinco anos de experiência, exercidos na docência, na Educação Infantil e EnsinoFundamental (1ª a 4ª séries). Ela afirmou ter participado de quatro cursos de capacitação quecontribuíram para a sua formação. Quanto ao nível de informação por meio de leitura,afirmou que lê jornais, revistas e livros. Ela disse que, sempre, participa dos cursos decapacitação oferecidos pela Prefeitura Municipal de Imbituva. Foi perguntado à professora, qual a sua opinião sobre a importância dos jogos nodesenvolvimento cognitivo da criança, e como os utiliza no processo de ensino-aprendizagem? A professora respondeu: “os jogos são fundamentais nesta fase daaprendizagem, a utilização de jogos, brincadeiras, músicas, teatro, dentre outros. Pois, aaprendizagem se torna mais significativa e prática, a criança absorve os conceitos com maisfacilidade. Sempre utilizo os jogos em duas situações, antes de iniciar um conteúdo e paraverificação do mesmo”. Nessa perspectiva, ANTUNES (2004, p.31) afirma que “é no ato de brincar que todacriança se apropria da realidade imediata, atribuindo-lhe significado, em outras palavras,jamais se brinca sem aprender”. E a partir da resposta da professora, observa-se uma visãofavorável acerca dos jogos e que a mesma tem conhecimento da importância, destes, noprocesso de ensino-aprendizagem. Notou-se que a docente está consciente de que o brincar éfonte de lazer, mas é, também, fonte de conhecimento. É esta dupla natureza que nos leva aconsiderar o brincar como parte integrante da atividade educativa na Educação Infantil. Quando perguntado à professora se todas as atividades lúdicas desenvolvidas por elaem sala de aula apresentam objetivos, ou em algumas vezes, elas são utilizadas somente paraacalmar os alunos, ela respondeu que “procuro sempre determinar objetivos para as minhasatividades, pois, as minhas aulas são planejadas diariamente, são poucas as atividades quedesenvolvo para acalmar os alunos ou descontrair a aula”. Percebe-se que, por meio do seu relato, a professora organiza e preparaantecipadamente as atividades lúdicas desenvolvidas em sala de aula, para que as mesmasatinjam os resultados esperados. Desse modo, GARCIA (1993, p.99) afirma que “aprofessora, ao se conscientizar do poder educativo do grupo e ao valorizar a prática coletivaem sala de aula, contribui para o desenvolvimento individual e social de seus alunos”. A ação do educador deve ser, antes de tudo, refletida, planejada. No planejamento,precisam ser explicitados os conceitos a serem desenvolvidos, os conteúdos a seremtrabalhados e as expectativas de realização das crianças. Cabe, então, ao educador, tendo emvista a compreensão e o conhecimento da evolução das crianças, pensar que tipo de atividadepropor, tendo clareza de intenção, isto é, sabendo o que as crianças podem desenvolver com aatividade proposta. Posteriormente, perguntou-se à professora se sua sala de aula possui espaço para ascrianças brincarem livremente. A mesma nos disse que, em relação aos jogos de faz-de-contanão, que brincar de casinha, bonecas, montar carros e outras brincadeiras como essasrequerem um espaço físico bem amplo, e sua sala de aula apesar de ser grande nãopossibilita estas brincadeiras, já que as mesinhas estão dispostas por toda a sala, e quando A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 12. 12 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasexiste a necessidade de realizar tais brincadeiras, precisa-se remover as mesas durante aexecução da atividade. Na seqüência, observou-se o espaço físico da escola e questionou-se junto à professorase a escola possuía materiais diversificados para as crianças jogarem. Os resultados obtidossão favoráveis, visto que a professora nos disse que a escola possui muitos materiais e, emalgumas vezes é necessário fabricar alguns dos jogos com as próprias crianças, afirmandoainda, que esta situação torna o jogo ou a brincadeira mais divertida e significativa. Finalmente, solicitou-se que a professora citasse um exemplo prático do seu cotidianode um jogo utilizado por ela que tenha dado resultado na formação de um conceito por parteda criança, ela nos disse que: “Sempre quando aplico um projeto, fazemos algum jogo oubrincadeira, principalmente produzindo os materiais dos jogos e brincadeiras. Por exemplo:com material sucata quando trabalhamos o Meio Ambiente e falamos sobre a reciclagemtambém. Com estes recursos didáticos, facilita a fixação do assunto sem se tornar cansativopara o aluno”. No que diz respeito às observações realizadas, nota-se que a professora utilizou jogosde quebra-cabeça, de seqüência lógica, de palitos, de bolinhas de papel, de trilha de números,de figuras geométricas, de bingo, e outras brincadeiras como coelhinho sai da toca,elefantinho colorido, brincadeiras livres de faz-de-conta para desenvolver os conceitos denúmero, contagem, lateralidade, noções de espaço, valores éticos, dentre outros. Por meio das atividades lúdicas, percebe-se que a professora pode trabalhar assuntosespecíficos relacionados a cada atividade, como, por exemplo, o jogo do bingo, onde elaelaborou várias cartelas com exercícios de adição e subtração. Por meio desse jogo, pode-setrabalhar com os conceitos de adição e subtração, o valor posicional dos algarismos, aagilidade e a atenção. Atividades como estas contribuem para que as crianças desenvolvam deforma descontraída o raciocínio, o pensamento lógico-matemático, a atenção, a percepçãovisual, a agilidade, a imaginação, o equilíbrio, a memorização, a coordenação motora, além decontribuir para a socialização, a cooperação entre as crianças, pois, a maioria das atividades serealizaram em grupos e enfatizou-se à importância do trabalho em equipe. É evidente que todos os jogos e brincadeiras desenvolvidos, independentes de seremplanejados, isto é, com objetivos específicos ou apenas jogos de faz-de-conta, todosapresentaram pontos positivos e negativos, assim como qualquer trabalho que se venha a serdesenvolvido de forma coletiva, pois, atingir um grupo de vinte e oito crianças de formahomogênea é um desafio para todo profissional, principalmente para os de educação, quepossuem em sala de aula um grupo cuja heterogeneidade está presente, visto que cada criançapossui a sua personalidade e parte dela já esta desenvolvida. Dos pontos negativos, o que mais se destacou, foi a recusa de duas crianças emparticipar, desde o início de cada jogo, pois, primeiramente, queriam observar o andamento daatividade para em seguida decidir se participariam ou não da atividade proposta. Nessemomento, a intervenção da professora permitiu que os alunos observassem antes departiciparem, foi ponto positivo, considerando que as crianças participaram da atividade delivre e espontânea vontade sentindo prazer durante a realização da atividade. A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 13. 13 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas Outra situação observada foi à discussão entre os alunos na hora de organizarem osgrupos para o desenvolvimento do jogo, pois, desde pequenas, as crianças têm suaspreferências quanto às amizades. Contudo, a atividade foi organizada pela professorarespeitando ao máximo a preferências das crianças e, outras vezes, a mesma dissolveu aestrutura dos grupos fazendo com todas as crianças interagissem entre si. Notou-se, portanto,que apesar das mudanças dos grupos fechados, as crianças aceitaram bem e acabaram tendo aoportunidade de fazer novas amizades, atingindo, assim, os objetivos propostos. A irritação de um aluno perdedor, num primeiro momento, foi considerada como umponto negativo, entretanto, observou-se que não, pois, a professora pôde intervir, trabalhandocom a questão da competição. ALMEIDA (2000) aconselha a trabalhar com a criança avitória e a derrota. Embora perder não seja fácil, a criança precisa passar por essa experiênciapara aprender que o perder, assim como o ganhar, faz parte do jogo e da vida, e se desejouparticipar da brincadeira, tem que se arriscar e encarar a perda, se for o caso, como umademonstração de que seu desempenho precisa ser melhorado. A longa duração das atividades, tornou-se um ponto negativo, pois a atividade como, oquebra-cabeça, se estendeu por mais de quarenta minutos fazendo com que a maioria dosalunos perdesse a vontade de jogar, e solicitarem à professora outro jogo ou brinquedo. Esegundo RIZZO (2001, p.47), “os jogos devem ser realizados diariamente e o período do diamais aconselhável é o de meia hora ou quarenta minutos” pois, passado esse período, ascrianças se cansaram e a atividade deixou de ser significativa. Segundo a autora, o verdadeiroeducador é aquele que consegue gerar um clima de fascínio e sedução em torno das atividadesque desafiam o aluno a pensar. A conduta do educador deve ser a de um líder democráticoque propicia, coordena, e mantém um clima de liberdade e disciplina entre os alunos. A forma pela qual os alunos assimilaram os conteúdos trabalhados é um ponto quemerece destaque, observou-se claramente, na atividade dos palitos, que as crianças fixaram asnoções de quantidade e números, pois, ao organizarem os palitos ampliaram os seusconhecimentos matemáticos. Convém destacar que durante essa atividade não foi necessária aintervenção da professora. Para complementar essa idéia BORGES (1994, p. 48) afirma que: (...) quando na pré-escola, uma criança brinca com palitos ou pedrinhas, criando relações de agrupamento, ordenação e quantificação, não está simplesmente aprendendo a organizar materiais. Muito mais do que isso, está desenvolvendo uma habilidade de inteligência, uma competência cognitiva, um pensamento lógico- matemático que ao longo de seu desenvolvimento, ampliar-se á cada vez mais, na compreensão objetiva de si e do mundo. Durante a execução dessa atividade, a professora orientou os alunos quanto àcomposição de quantidades, mostrando, por exemplo, que para ter 5 (cinco) pode-se somar 1+ 1 + 1 + 1 + 1 ou 2 + 3 ou 1 + 2 + 2 ou 4 + 1. Antes da realização da atividade proposta, elapromoveu situações em que as crianças experimentaram, diferentes possibilidades nacomposição de uma quantidade. É importante observar que a composição do número nãosegue uma ordem única. Outro, foi uma das brincadeiras que as crianças mais gostaram, a que mais A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 14. 14 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasmovimentou a turma. A partir dela, a professora pôde fixar as noções de quantidade,reforçando, também, a compreensão do número. Essa atividade, como já foi dito, reforçou-sea idéia de compreensão do número, lembrando que, segundo BORGES (1994, p.67), “aaprendizagem dos numerais só terá sentido, se antecedida pela compreensão do número”.Portanto, foi uma atividade que gerou excelentes resultados, uma brincadeira simples quepropiciou à professora inúmeras explorações. Notou-se, ainda, durante a execução desse jogo, que a professora realizou também umtrabalho voltado para os valores éticos, já que os jogos contribuem para a formação deatitudes sociais, tais como, o respeito mútuo, a solidariedade, a cooperação, a obediências àsregras, o senso da responsabilidade, o espírito em equipe e a iniciativa pessoal e grupal. Pode-se dizer que foi uma das atividades mais simples e que mais trouxe resultados. Diante do exposto,neste trabalho, fica evidente que as atividades lúdicas,na EducaçãoInfantil,possibilitam que sejam alcançados os objetivos educacionais que norteiam o trabalhopedagógico. Como já foi comprovado por muitos pesquisadores, as experiências adquiridaspelas crianças nos seus primeiros anos de vida são fundamentais para o seu desenvolvimentoem todos os aspectos. Nesse sentido, GARCIA (1993, p.126) afirma que “o jogo ocupa umpapel específico no desenvolvimento infantil”. Assim, a Pré-escola deve formar crianças queirão para a etapa de alfabetização, autônomas, críticas, criativas, ou, ao contrário,dependentes, estereotipadas, com aversão ao trabalho escolar. É de fundamental importância destacar que ao observar uma brincadeira e as relaçõesentre as crianças durante sua realização, o professor observa os interesses dos seus alunos,podendo perceber o nível em que eles se encontram. A partir destas observações, ele terácondições de programar atividades que desenvolvam os conceitos que as crianças já estãoconstituindo e que sejam adequadas às possibilidades reais de interação e compreensão deacordo com o estágio do seu desenvolvimento. Portanto, pode-se dizer que o Centro Municipal de Educação Infantil pesquisado,possui um espaço amplo e livre para as crianças brincarem, além das salas de aula,distribuídas de forma a proporcionar à criança, oportunidades de diversão dentro e fora dela.Desse modo, na escola, as crianças têm liberdade para se movimentar e para se beneficiar comos jogos, na formação de conceitos.5 Considerações Finais Há muito tempo, a Educação Infantil apresenta em sua história, marcas muito fortes noque se refere à inserção dos jogos e brincadeiras em seu cotidiano. Muitas dessas marcasrefletem e se reproduzem na prática pedagógica de boa parte dos educadores. A propostadesta investigação é a de contribuir na conscientização dos professores da Educação Infantilnuma perspectiva lúdica, direcionando um novo olhar para o “brincar” da criança. No que diz respeito à investigação, não se encontraram obstáculos quanto à escola,pois, esta é uma escola modelo, isto é, uma escola piloto do município de Imbituva, e, quantoà professora, a mesma possui grande experiência na área e concebe os jogos como elementos A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 15. 15 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanasfacilitadores da aprendizagem e como forma de despertar o interesse do aluno para oconhecimento, logo, não houve a necessidade de reestruturar os seus conceitos sobre os jogose brincadeira para que se pudesse viabilizar a sua prática pedagógica. As brincadeiras e osjogos são propostos por ela com outra intencionalidade, a de realmente explorá-los para aformação de conceitos e construção do conhecimento por parte da criança. As atividades observadas, na presente investigação, são sugestões de alternativasmetodológicas diferenciadas que possibilitarão ao professor tomar conhecimento daimportância desses instrumentos no processo de ensino-aprendizagem para que, por meio doseu uso, possam interferir significativamente no desenvolvimento do educando, tornando osjogos situações propícias às aprendizagens. Durante as observações e as atividades aplicadas em sala de aula, percebeu-se umavisão positiva da professora acerca do papel dos jogos na Educação Infantil. Para ela, os jogose brincadeiras possibilitam momentos de aprendizagem agradável e prazerosa, demonstrandoque o uso desses, no cotidiano escolar, são de extrema importância, situação esta que severificou principalmente na atividade do jogo dos palitos, onde as crianças puderam perceberde forma concreta as noções de adição. Desse modo, os jogos são situações em que a criança revela uma maneira própria dever e pensar o mundo, aprende a se relacionar com os companheiros, a trocar pontos de vistacom outras perspectivas possíveis, a raciocinar sobre o dia-a-dia, aprimorar as coordenaçõesde movimentos, enfim, compreendidos a sua importância, eles podem tornar-se uma atividadepedagógica indispensável à formação de conceitos. Logo, utilizar o jogo como um meio educacional é um avanço para a EducaçãoInfantil. Tomar consciência disto, requer mudanças, o que nos leva a resgatar nossas vivênciaspessoais e incorporar o lúdico em nosso trabalho. Ainda há muito a ser aprendido equestionado, pois, o jogo oferece condições de sociabilidade, levando a criança a se organizarmutuamente nas ações e intensificando a comunicação e a cooperação. Permite ainda, adescoberta do ‘outro’ e isso repercute sobre a descoberta de si mesmo. Diante do exposto, neste trabalho, evidencia-se que as atividades lúdicas, na escolapossibilitam que sejam alcançados os objetivos educacionais que norteiam o trabalhopedagógico, como já foi comprovado por muitos pesquisadores, que as experiênciasadquiridas pelas crianças nos seus primeiros anos de vida, são fundamentais para o seudesenvolvimento em todos os aspectos. Neste sentido, a Pré-escola pode formar crianças queirão para a etapa de alfabetização, autônomas, críticas, criativas, ou ao contrário, dependentes,estereotipadas, com aversão ao trabalho escolar. Portanto, a partir da análise dos dados, os resultados demonstram que vale a penainvestir na formação dos professores para a utilização dos jogos na Educação Infantil comoalternativa metodológica eficaz para a formação de conceitos. Assim, espera-se que estainvestigação possa servir de incentivo aos educadores que não utilizam o lúdico no processode ensino-aprendizagem, uma vez que se demonstrou a importância dos jogos e brincadeiraspara o desenvolvimento de crianças na Educação Infantil Sendo assim, com esta investigação espera-se contribuir no sentido de alertar os A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 16. 16 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanaseducadores para a importância da inserção das atividades lúdicas, no contexto escolar, e queestas não sejam deixadas em um segundo plano, ou apenas no período do recreio. Almeja-se,ainda, que este estudo possa servir de incentivo para os professores inovarem sua prática, eque a partir de agora tenham, nos jogos e brincadeiras, aliados permanentes, possibilitando àscrianças uma forma de desenvolver as suas habilidades intelectuais, sociais e físicas, de formaprazerosa e participativa, uma vez que os jogos e brincadeiras são de grande contribuição parao processo de ensino e aprendizagem.6. REFERÊNCIASALMEIDA, Paulo Nunes de. Educação lúdica: técnicas e jogos pedagógicos. 10 ed. São Paulo: Loyola, 2000.ANTUNES, Celso. Educação infantil: prioridade imprescindível. Rio de janeiro: Vozes, 2004.BOGDAN, Robert C.; BIKLEN, Sari. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto, 1994.BORGES. Tereza Maria Machado. A criança em idade pré-escolar.São Paulo: Ática, 1994.BRASIL. Lei 9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, 1997._______. Lei n° 4.024/61. Lei das Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília: Diário Oficial, 21 de dezembro de 1961. Disponível em: <http://www.mj.gov.br/conade2.htm>. Acesso em 17 abril 2007._______. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Diário Oficial, 05 de outubro de 1988. Disponível em: http://www6.senado.gov.br/con1988/CON1988_05.10.1988/ CON1988.htm. Acesso em: 17 abril 2007._______. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil Vol. 1, 2, 3. Brasília, 1998.CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino. Metodologia Científica. 4.ed. São Paulo: MAKRON, 1996.CHIZOTTI, Antonio. Pesquisa em Ciências Humanas e Sociais. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1995.FERNANDES, Francisco et ali. Dicionário brasileiro da Editora Globo. 27.ed. São Paulo: A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 17. 17 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências Humanas Globo, 1993.GARCIA, Regina Leite (org). Revistiando a pré-escola. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1993.KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O Jogo e a educação infantil. São Paulo: Pioneira, 1994._______. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 3 ed. São Paulo. Cortez, 1997.LÜDKE, Menga; ANDRÈ, Marli. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.LOPES, Maria da Glória. Jogos na educação: criar, fazer, jogar. 3 ed. São Paulo: Cortez, 2000.MALUF, Ângela Cristina. Brincadeiras para sala de aula. Rio de Janeiro: Vozes, 2004.PIAGET, Jean. Psicologia e epistemologia: Por uma teoria do conhecimento. São Paulo: Forense, 1975._______. A formação do símbolo na criança: imitação, jogo, sonho-imagem erepresentação. Trad. Álvaro Cabral e Christiano M. Oiticica. Rio de Janeiro: Zahar, 1975.QUEIROZ, Tânia Dias; MARTINS, João Luis. Pedagogia lúdica: jogos e brinquedos de A a Z. 1 ed. São Paulo: Rideel, 2002.RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa Social: métodos e técnicas. 3ed. São Paulo: Atlas, 1999.RIZZI, Leonor; HAYDT, R.egina Célia. Atividades lúdicas na educação da criança. 6 ed. São Paulo: Ática, 1997.RIZZO, Gilda. Educação Pré-Escolar. 7 ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992._______. Jogos inteligentes: a construção do raciocínio na escola natural. 3 ed. Rio de Janeiro: Berttrand Brasil, 2001.SARMENTO, Manuel Jacinto; PINTO, Manuel. As crianças e a infância: definindo conceitos delimitando o campo. In: PINTO, Manuel e SARMENTO, Manuel Jacinto. As crianças contextos e identidades. Portugal, Centro de estudos da criança: Bezerra, 1997.SEBER, Maria da Glória. Psicologia do pré-escolar: uma visão construtivista. São Paulo: Moderna,1995. A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.
  • 18. 18 Revista Eletrônica Lato Sensu – Ano 3, nº1, março de 2008. ISSN 1980-6116 http://www.unicentro.br - Ciências HumanasVYGOTSKY, Lev. A formação Social da Mente. São Paulo: Martins fontes, 1991. A Importância dos Jogos na Educação Infantil para a Formação de Conceitos de Crianças de 5 a 6 Anos NASCIMENTO,A.V.;IURK,D.M.