IV encontro de pesquisas do francês_gisele galafacci
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
558
On Slideshare
558
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. A contribuição da Linguística de Corpus e de suas ferramentas para a Lexicografia bilíngue Gisele Galafacci (bolsista Capes) Orientadora: Profa. Dra. Adriana Zavaglia
  • 2. ResumoNa perspectiva de elaboração do Dicionário Relacional(português-francês) – DIRE, a proposta deste trabalho consisteem relatar aspectos relevantes da contribuição da Linguística deCorpus e de suas ferramentas para a Lexicografia bilíngue.O material de base do dicionário é composto de corporaparalelos, ou seja, textos autênticos em língua portuguesa e suasrespectivas traduções em língua francesa, o que permite, doponto de vista da metodologia, detectar padrões lexicais(fraseológicos e colocacionais), além de padrões gramaticais e deprosódia semântica.
  • 3. DIREDicionário Relacional elaborado a partir decorpora paralelos - formado por obrasoriginais em português e suas respectivastraduções para o francês.Sua nomenclatura trará marcas conhecidastradicionalmente como gramaticais.
  • 4. Corpus paralelo - Benjamin
  • 5. Linguística de Corpus“A Linguística de Corpus trabalha dentro de um quadro conceitualformado por uma abordagem empirista e uma visão da linguagemcomo sistema probabilístico; encaixa-se no que pode ser chamadode Linguística Empírica. Na linguística, empírico significa primaziaaos dados provenientes da observação da linguagem, em geralreunidos sob a forma de um corpus. Essa posição contrapõe-se auma visão racionalista da linguagem, segundo a qual, em linhasgerais, o conhecimento provém de princípios, estabelecidos a priori.” BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004, p.30.
  • 6. Visões racionalista e empiristada linguagem
  • 7. Importância do corpus como fonte de informaçãoEle registra a linguagem natural realmente utilizada por falantes e escritores da língua em situações reais e, pelo conhecimento da frequência atestada que permite estimar a probabilidade teórica, é possível investigar a frequência da ocorrência de traços lingüísticos (lexicais, sintáticos, semânticos, discursivos). BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004, p.32.
  • 8. Importância do corpus comofonte de informaçãoO mais importante da diferença de frequência entre os traços é o fato de nãoserem aleatórias, pois há um mapeamento regular entre a frequência maior oumenor de um traço em um contexto de ocorrência, o que permite obterinformações das possibilidades estruturais.Dizer que a variação não é aleatória é afirmar que a linguagem é padronizada.A padronização se evidencia pela recorrência, isto é, uma colocação, coligaçãoou estrutura que se repete significativamente mostra sinais de ser, na verdade,um padrão lexical ou léxico-gramatical.A linguagem forma padrões que apresentam regularidade (estáveis emmomentos distintos, isto é, têm frequência comparável em corpora distintos)e variação sistemática (correlacionam-se com variedades textuais, genéricas,dialetais, etc). BERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004, p.31.
  • 9. Padrões Lexicais (fraseológicos e colocacionais)Fraseologia: estudo das frases feitas, isto é, fossilizadas em sua forma e seu sentido e usadas no discurso à maneira de uma locução: a reunião de dois ou mais vocábulos que constituem uma unidade de significaçãoColocação: disposição dos vocábulos na frase que, ao mesmo tempo em que é limitada por certos padrões sintáticos impostos pela língua do indivíduo, também pressupõe alguma liberdade CAMARA JUNIOR, J.M. Dicionário de Linguística e Gramática: referente à lingua portuguesa. 13ª ed. Petrópolis: Vozes, 1986.
  • 10. ConcordanciadoresNo que concerne ao levantamento da frequência das lexias e suas respectivas traduçõesno corpus, o trabalho começa a ser realizado com o auxílio do concordanciador, ou seja,um programa de computador que constrói automaticamente uma concordância.Na Linguística de Corpus, concordanciadores são utilizados para listar as ocorrências deuma determinada palavra ou frase, a qual fica centralizada, com uma quantidadedefinida de contextos, tanto à esquerda quanto à direita, fornecendo uma visualizaçãoprivilegiada do item. De forma geral, muitos concordanciadores, além de produziremconcordâncias, também executam outras funções, como listar a freqüência de palavrasem um texto ou corpus, extrair palavras-chave e colocados. WordSmithTools 6.0 AntConc 3.2 (gratuito)
  • 11. Ocorrências de “bem”corpus Benjamin
  • 12. Ocorrências de “bem”corpus Benjamin
  • 13. Ocorrências de “bem”corpus Benjamin
  • 14. Ocorrências de “bem”corpus paralelo Benjamin
  • 15. AnálisePodemos observar alguns padrões lexicais (fraseológicos e colocacionais).Exemplos: o padrão colocacional do advérbio no passé composé o padrão fraseológico “traços bem-feitos”, traduzido por “traits bien dessinés” Mas não poderia ser traduzido por “traits bien faits”? Foi uma opção do tradutor ou realmente se trata de um padrão fraseológico?
  • 16. Dicionários bilínguestraço nm trait, ligne; trace, vestige; trait, ligne du visage. (Michaelis, 1998)traço nm trace; trait. (Signer, 1998)traço. S.m. 1. Trait, ligne. 2. Trait, ligne du visage. 3. Trace, vestige.(D’Olim Marote, 2004)traço m trait m ; [vestígio] trace f. (Larousse, 2008)
  • 17. Dicionáriosbilíngues
  • 18. Dicionáriosbilíngues
  • 19. Google
  • 20. Ocorrência no corpus
  • 21. Outras ocorrências
  • 22. Considerações FinaisEste trabalho procurou mostrar como a visão probabilística da Linguística de Corpuspode contribuir para a produção de dicionários bilíngues com informações maisdetalhadas e contextualizadas das lexias de maneira a auxiliar, sobretudo, na expressãoem língua estrangeira e/ou na transposição de enunciados do português ao francês.Welker , conforme cita Gomes (2006, p.112), acredita que o dicionário pode contribuirpara uma escolha acertada do consulente ao fornecer-lhe o maior número possível deinformações sobre cada equivalente, como informações relativas à regência, àscolocações e às marcas de uso, já que a produção de textos é bastante prejudicada pelofato destas informações serem insuficientes na maioria dos dicionários bilíngues. GOMES, Denise Ferreira. O uso do dicionário bilíngue na produção escrita em alemão como língua estrangeira. 2006. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada). Universidade de Brasília, Brasília, 2006.
  • 23. ReferênciasBERBER SARDINHA, T. Linguística de Corpus. Barueri, SP: Manole, 2004.BUARQUE, Chico. Benjamin. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.______________. Court-Circuit. Traduit du portugais par Henri Raillard. ÉditionsGallimard, 1997.CAMARA JUNIOR, J.M. Dicionário de Linguística e Gramática: referente à linguaportuguesa. 13ª ed. Petrópolis: Vozes, 1986.GOMES, Denise Ferreira. O uso do dicionário bilíngue na produção escrita em alemãocomo língua estrangeira. 2006. 137 f. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada).Universidade de Brasília, Brasília, 2006.