• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Taa 1
 

Taa 1

on

  • 223 views

Tratamento de água, diversos autores - sem revisão final

Tratamento de água, diversos autores - sem revisão final

Statistics

Views

Total Views
223
Views on SlideShare
223
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
10
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Taa 1 Taa 1 Presentation Transcript

    • TRATAMENTO DE ÁGUA DE ABASTECIMENTO Aula 1 - Introdução
    • 1 Desigualdade no acesso à água potável e saneamento O fornecimento de água potável e o saneamento são temas que levantam preocupações sobre a prestação de serviços, particularmente nos países em desenvolvimento. Apesar de várias iniciativas bem sucedidas têm sido lançadas para o abastecimento de água potável às populações urbanas, os esforços ainda ficam aquém das metas necessárias para o desenvolvimento sustentável. Nos países em desenvolvimento os sistemas de distribuição de água são atormentados por vazamentos, ligações clandestinas e vandalismo, enquanto preciosos recursos hídricos são desperdiçados através da ganância e má administração.
    • Desigualdade no acesso à água potável e saneamento
    • Acesso à água potável Existem atualmente mais de 1 bilhão de pessoas no mundo que não tem acesso a uma fonte de água de fácil e seguro, como uma conexão com a rede de água ou um bem protegido. Em vez disso, o acesso à água é limitado ou disponíveis através de fontes não protegidas. O alvo, no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, é reduzir para metade, até 2015, a proporção de pessoas sem acesso sustentável à água potável e saneamento.
    • O acesso à água potável Percentagem da população com acesso a água potável
    • Água a nível mundial Ao contrário das guerras e das catástrofes naturais, a crise global da água não ocupa lugar de destaque nos títulos da imprensa. Também não galvaniza uma ação internacional concertada. Tal como a fome, a privação do acesso à água é uma crise silenciosa suportada pelos pobres e tolerada por aqueles que dispõem dos recursos, da tecnologia e do poder político para acabar com ela.
    • Água a nível mundial A principal causa de escassez na grande maioria dos casos tem raízes institucionais e políticas e não se deve a uma deficiência física de água. Em muitos países a escassez é produto de políticas públicas que têm encorajado a utilização abusiva de água.
    • A água potável e o saneamento constituem alguns dos motores mais poderosos do desenvolvimento humano. Alargam a oportunidade, aumentam a dignidade e ajudam a criar um ciclo virtuoso de melhoria da saúde e de crescimento da riqueza. http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142003000200012 A crise da água
    • A crise da água As mortes por diarréia em 2004 foram seis vezes mais numerosas do que a média anual de mortes em conflitos armados nos anos 90. Uma em cada cinco pessoas do mundo em desenvolvimento — 1 bilhão no total — não tem acesso a uma fonte de água tratada. Uma em cada duas pessoas — 2 bilhões no total — não tem acesso a um saneamento adequado.
    • A crise da água Embora as quantidades absolutas de água doce na terra sempre se manteve aproximadamente o mesmo, a distribuição desigual da água e dos assentamentos humanos continua a criar crescentes problemas de disponibilidade de água doce e de acessibilidade. escrevalolaescreva.blogspot.com
    • A crise da água Como resultado da ação do homem, os exemplos de poluição são numerosos: despejos de efluentes industriais ou domésticos; contaminação do solo por defensivos agrícolas, resíduos sólidos urbanos e industriais; desmatamento, vazamento de combustíveis e outros produtos em embarcações e muitos outros. vieirajeferavatar.blogspot.com abae.pt superhealthnation.com
    • A crise da água PESTICIDAS A água do subsolo pode ser contaminada com pesticidas e outras substâncias tóxicas. Toda água armazenada por dezenas de milhares de anos num aqüífero pode, assim, ser definitivamente inutilizada. LAGOS E RIOS MORTOS Os nutrientes arrastados do solo das plantações para rios e lagos pelas chuvas estimulam o crescimento de algas, que acabam com o oxigênio da água e a tornam imprópria para peixes e outros seres aquáticos.
    • A crise da água EFLUENTES TÓXICOS As substâncias contaminantes, como o mercúrio presente em aparelhos eletrônicos e usado na mineração, tornam os efluentes industriais venenosos. IMPERMEABILIZAÇÃO O solo impermeabilizado prejudica a recarga dos aqüíferos e aumenta o escoamento superficial. Isso favorece as inundações e o assoreamento de rios. ESGOTO SEM TRATAMENTO Cerca de 90% do esgoto doméstico dos países em desenvolvimento não é tratado. Além de contaminar as fontes subterrâneas, o esgoto espalha doenças diarréicas e parasitárias que matam mais de 4 mil crianças por dia.
    • A crise da água FIM DAS GELEIRAS Estima-se que 80% das geleiras do Himalaia possam sumir em 30 anos, reduzindo a vazão dos principais rios asiáticos, que abastecem um sexto da população mundial. A redução das neves andinas, onde nasce o rio Amazonas, afetará toda a América do Sul, principalmente nos aspectos climáticos. CHUVA ÁCIDA Os óxidos liberados pela queima de combustíveis reagem com a água e o oxigênio atmosféricos, formando ácidos como o sulfúrico (H2SO4) e o nítrico (HNO3). Carregados pela chuva, esses ácidos podem envenenar os rios e a terra, matar as plantas e causar doenças.
    • A crise da água IRRIGAÇÃO No decorrer do século XX, muitos ambientes aquáticos, como rios, lagos, pântanos e mangues, foram comprometidos por projetos de irrigação e ocupação irregular do solo. CONSUMO EXAGERADO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA Em 60% das cidades européias com mais de 100 mil habitantes, o consumo de água subterrânea é maior que sua taxa de reposição. A Cidade do México fica sobre um lençol freático responsável por 72% do abastecimento. Seis mil poços sugam 52 m3 por segundo e recebem ―apenas‖ 28 m3 por segundo. Esse esvaziamento do lençol faz a cidade afundar 10 cm por ano.
    • Histórico do Abastecimento de Água Os assentamentos humanos sempre se desenvolveram próximos aos cursos d’água:  Uso da água para as mais diversas finalidades, inclusive para fins potáveis; porta-retrato-ap.blogspot.com 2
    • Histórico do Abastecimento de Água    A preocupação sempre estava vinculada à quantidade e não à qualidade; As primeiras iniciativas relacionadas à qualidade da água datam de 4.000 A.C. 4.000 A.C: Documentos em sânscrito e grego recomendavam que águas impuras deveriam ser purificadas por fervura ou serem expostas ao sol ou purificadas por filtração em leitos de areia antes do seu uso para abastecimento público.
    • Histórico do Abastecimento de Água    Uso de Alumem, pelos egípcios 1.500 A.C., para clarificar a água. 500 A.C Hipócrates, considerado o pai da medicina, recomendava a fervura e filtração da água de chuva antes do seu uso para abastecimento público. 300 A.C a 300 D.C: Engenheiros romanos criaram os primeiros sistemas públicos para abastecimento de água e os grandes aquedutos.
    • Histórico do Abastecimento de Água
    • Histórico do Abastecimento de Água No século XVII, a filtração se estabeleceu como um meio efetivo para remoção de partículas da água.  1855 John Snow conseguiu provar que a cólera era uma doença de veiculação hídrica;  Final da década de 1880 Louis Pasteur demonstrou a ―Teoria do Germe‖ para doenças: - Desenvolvimento do processo de desinfecção; - Só foi aceito após um litígio sobre a sua eficiência, no final do século XIX. 
    • Histórico do Abastecimento de Água     1804 – Construção e operação dos primeiros filtros lentos em areia para tratamento de água para abastecimento público em Paisley (Escócia) 1807 – A cidade de Glasgow (Escócia) foi uma das primeiras a distribuir água tratada por meio de tubulações 1829 – Construção e operação de filtros lentos em areia para tratamento de água na cidade de Londres Parâmetros de qualidade da água estéticos considerados: Turbidez, cor aparente e real, etc.
    • Histórico do Abastecimento de Água Evolução dos Problemas sobre Qualidade da Água  Principal preocupação relacionada à qualidade da água para abastecimento foram os microrganismos patogênicos;  A partir da 2ª Grande Guerra Mundial, outros problemas começaram a despertar preocupação.
    • Histórico do Abastecimento de Água Primeiras aplicações do cloro como agente regular no processo de desinfecção de águas de abastecimento  Alemanha (1890)  Inglaterra Lincon – (1905)  Estados Unidos – Chicago – (1908)
    • Histórico do Abastecimento de Água
    • Concepção de sistemas de abastecimento de água Manancial Captação Distribuição Adução de água bruta Reservação ETA Adução de água tratada
    • Concepção histórica de sistemas de tratamento de água Manancial Captação Distribuição Filtros lentos Adução de água bruta Reservação ETA Adução de água tratada
    • Concepção histórica de sistemas de tratamento de água Manancial Captação Distribuição Filtros lentos Adução de água bruta Reservação Desinfecção ETA Adução de água tratada
    • Concepção histórica de sistemas de tratamento de água Manancial Captação Distribuição Coagulação Floculação Sedimentação Adução de água bruta Reservação Filtração rápida ETA Adução de água tratada Desinfecção
    • 3 Sistema de Abastecimento de água Um Sistema de Abastecimento de Água pode ser concebido e projetado para atender a pequenos povoados ou a grandes cidades, variando nas características e no porte de suas instalações. Caracteriza-se pela retirada da água da natureza, adequação de sua qualidade, transporte até os aglomerados humanos e fornecimento às população em quantidade compatível com suas necessidades.
    • Qualidade da água bruta Tratamento de Água Qualidade da água final Esteticamente agradável Compostos inorgânicos - Qualidade da água bruta - Qualidade da água final - Confiabilidade em processos e equipamentos - Mão de obra e pessoal - Flexibilidade operacional em lidar com mudanças na qualidade da água - Manter a eficiência, ao longo da vida útil - Área disponível - Disposição dos resíduos (Aspectos ambientais) - Custos de operação e construção - Aspectos políticos Compostos orgânicos Microbiologicamente segura Sub-produtos da desinfecção
    • Objetivos do Tratamento de Água Água para consumo humano:  Deve ser segura do ponto de vista de saúde do consumidor (potável);  Livre de organismos patogênicos e outras formas biológicas prejudiciais à saúde humana;  Não conter compostos químicos em concentrações que possam resultar em danos fisiológicos, agudos ou crônicos.
    • Objetivos do Tratamento de Água Sua aparência estética deve impedir a busca por fontes menos seguras: - Sabor e odor não objetáveis; - Ausência de cor e partículas em suspensão.  waterandmoreblog.com
    • Objetivos do Tratamento de Água   O custo de produção deve possibilitar a distribuição da água à toda a população (função social); As características da água devem garantir a integridade das estruturas utilizadas para armazenagem, transporte e distribuição.
    • Importância sanitária e social Sob o aspecto sanitário e social, o abastecimento de água visa, fundamentalmente, a: • controlar e prevenir doenças; • implantar hábitos higiênicos na população como, por exemplo, a lavagem das mãos, o banho e a limpeza de utensílios e higiene do ambiente; • facilitar a limpeza pública; • facilitar as práticas desportivas; • propiciar conforto, bem-estar e segurança; • aumentar a esperança de vida da população.
    • Importância econômica Sob o aspecto econômico, o abastecimento de água visa, em primeiro lugar, a: • aumentar a vida média pela redução da mortalidade; • aumentar a vida produtiva do indivíduo, quer pelo aumento da vida média quer pela redução do tempo perdido com doença; • facilitar a instalação de indústrias, inclusive a de turismo, e conseqüentemente ao maior progresso das comunidades; • facilitar o combate a incêndios.
    • Doenças relacionadas pela ausência do sistema de tratamento e abastecimento de água Transmissão Pela água. Pela falta de limpeza, higienização com a água. Doença Medida Cólera Febre tifóide Giardíase Amebíase Hepatite infecciosa Diarréia aguda - Implantar sistema de abastecimento e tratamento da água, com fornecimento em quantidade e qualidade para consumo humano, uso doméstico e coletivo; - Proteger de contaminação os mananciais e fontes de água; Escabiose Pediculose (piolho) Tracoma Conjuntivite bacteriana aguda Salmonelose Tricuríase Enterobíase Ancilostomíase Ascaridíase - Implantar sistema adequado de esgotamento sanitário; Instalar abastecimento de água preferencialmente com encanamento no domicílio; - Instalar melhorias sanitárias domiciliares e coletivas; - Instalar reservatório de água adequado com limpeza sistemática (a cada seis meses);
    • 4 Qualidade da água A água não é encontrada pura na natureza. Ao cair em forma de chuva, já carreia impurezas do próprio ar. Ao atingir o solo seu grande poder de dissolver e carrear substâncias altera ainda mais suas qualidades. Entre o material dissolvido encontram-se as mais variadas substâncias como, por exemplo, substâncias calcárias e magnesianas que tornam a água dura; substâncias ferruginosas que dão cor e sabor diferentes à mesma e substâncias resultantes das atividades humanas, tais como produtos industriais, que a tornam imprópria ao consumo.
    • Qualidade da água A água pode carrear substâncias em suspensão, tais como partículas finas dos terrenos por onde passa e que dão turbidez à mesma; pode também carrear organismos, como algas que modificam o seu odor e gosto, além de liberar toxinas, ex. cianobactérias, ou ainda, quando passa sobre terrenos sujeitos à atividade humana, pode levar em suspensão microorganismos patogênicos.
    • Qualidade das Águas A água em cada uso tem um conjunto de características diferentes, ou seja, em cada uso tem-se água com qualidade diferente. Cada uso exige água com qualidade que atenda aos requisitos de desempenho próprios àquele uso. Essa complexidade no uso do recurso hídrico exige sistemas de gestão integrados, bem como tecnologias e procedimentos que provoquem os menores impactos possíveis nos ecossistemas naturais e preservem as características necessárias da água.
    • Qualidade das águas As características da água, conseqüentemente, sua qualidade são afetadas por vários fatores:  Tipo de reservatório onde se encontra;  Região de ocorrência;  Atividades desenvolvidas pelo ser humano;  Usos dos corpos d’água. A principal estratégia para garantir a qualidade das águas é proteger os mananciais
    • Principais Questões Relacionadas à Qualidade da Água por Tipo de Manancial em Escala Global Tipo de Manancial Questão Rios Lagos Reservatórios Água Subterrânea Organismos Patogênicos XXX X X X Sólidos Suspensos XX Na X NA Matéria orgânica XXX X XX NA Eutrofização X XX XXX NA Nitratos X 0 0 XXX xxx – Degradação severa ou global; xx – Deterioração significativa; x – Deterioração regional ou ocasional; 0 – Deterioração rara; NA – não aplicado. Fonte: CHAPMAN, D. Water Quality Assessments. UNESCO, WHO, UNEP. 1992
    • Principais Questões Relacionadas à Qualidade da Água por Tipo de Manancial em Escala Global Tipo de Manancial Questão Rios Lagos Reservatórios Água Subterrânea Salinização X 0 X XXX Elementos traço (metais) XX XX XX XX Micropoluentes orgânicos XXX XX XX XXX Acidificação X XX XX 0 Mudança de regime hidrológico XX X NA X xxx – Degradação severa ou global; xx – Deterioração significativa; x – Deterioração regional ou ocasional; 0 – Deterioração rara; NA – não aplicado. Fonte: CHAPMAN, D. Water Quality Assessments. UNESCO, WHO, UNEP. 1992
    • Qualidade das águas – Microbiológica A principal preocupação se relaciona aos despejos humanos e animais:  Presença de uma variedade de bactérias, vírus e protozoários;  Risco potencial de epidemias de doenças intestinais e infecciosas; Presença de substâncias químicas variadas, as quais são utilizadas no nosso dia-a-dia:  Risco potencial de doenças crônicas.
    • Qualidade das águas - Microbiológica   É a mais relevante o seu controle é de fundamental importância e nunca deve ser comprometido; Os grupos com maior potencial de risco são as crianças e o idosos: A dose infectiva é significativamente menor que para a população adulta em geral.
    • Qualidade das águas - Substâncias Químicas Tóxicas Poucas substâncias químicas presentes naturalmente na água podem conduzir a problemas agudos de saúde, mesmo em condições de acidente a água acaba adquirindo características que a tornam repulsiva ao consumo.  Menor prioridade em relação aos organismos patogênicos, no caso de abastecimento humano;  Efeitos crônicos resultantes da ingestão de pequenas concentrações por períodos prolongados
    • Qualidade das águas - Contaminantes Radioativos Alguns mananciais podem apresentar naturalmente, substâncias radioativas. Contudo, a contribuição da água potável para a exposição total à radiação dos seres humanos é muito pequena. Mesmo assim, devem ser estabelecidos padrões de qualidade para as substâncias radioativas presentes naturalmente na água.
    • Qualidade das águas - Aspectos Estéticos da Água A principal preocupação recai sobre os parâmetros que afetam as características organolépticas da água:  Cor, aparência, sabor e odor.  Características inadequadas podem fazer com que o consumidor busque fontes alternativas de abastecimento;
    • Qualidade das águas - Aspectos Estéticos da Água
    • Qualidade das águas - Cianobactérias e microcistinas  Resultantes do processo de eutrofização do reservatórios. Este ambiente favorece a incidência de florações de microalgas e cianobactérias. vários gêneros e espécies de cianobactérias produzem toxinas que têm função protetora estas toxinas são potencialmente tóxicas para os mamíferos, podendo causar a morte.
    • Qualidade das águas - Cianobactérias e microcistinas
    • Qualidade das águas - Micropoluentes orgânicos Estão incluídas nesta categoria uma ampla variedade de substâncias e compostos químicos; - Produtos de higiene pessoal; - Fármacos; - Defensivos agrícolas; - Produtos químicos diversos. - Perturbadores ou disruptores endócrinos.
    • 5 Mananciais para abastecimento de água É toda fonte de água utilizada para abastecimento doméstico, comercial, industrial e outros fins. De maneira geral, quanto à origem, os mananciais são classificados em:  Manancial superficial É toda parte de um manancial que escoa na superfície terrestre, compreendendo os córregos, ribeirões, rios, lagos e reservatórios artificiais. As precipitações atmosféricas, logo que atingem o solo, podem se armazenar nas depressões do terreno, nos lagos e represas, ou alimentar os cursos d’água de uma bacia hidrográfica, se transformando em escoamento superficial. Outra parcela se infiltra no solo.
    • Mananciais para abastecimento de água Manancial subterrâneo É a parte do manancial que se encontra totalmente abaixo da superfície terrestre, compreendendo os lençois freático e profundo, tendo sua captação feita pelos poços rasos ou profundos, galerias de infiltração ou pelo aproveitamento das nascentes.  Águas meteóricas Compreende a água existente na natureza na forma de chuva, neve ou granizo. 
    • Escolha do manancial A escolha do manancial se constitui na decisão mais importante na implantação de um sistema de abastecimento de água, seja ele de caráter individual ou coletivo. Havendo mais de uma opção, sua definição deverá levar em conta, além da pré-disposição da comunidade em aceitar as águas do manancial a ser adotado, os seguintes critérios:
    • Escolha do manancial • Primeiro critério: previamente é indispensável a realização de análises de componentes orgânicos, inorgânicos e bacteriológicos das águas do manancial, para verificação dos teores de substâncias prejudiciais, limitados pela Resolução nº 20, do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama), de 18 de junho de 1986 – Dispõe sobre a classificação das águas doces, salobras e salinas do Território Nacional;
    • Escolha do manancial • Segundo critério: vazão mínima do manancial, necessária para atender a demanda por um determinado período de anos; • Terceiro critério: mananciais que dispensam tratamento, inclui águas subterrâneas não sujeitas a qualquer possibilidade de contaminação; • Quarto critério: mananciais que exigem apenas desinfecção: inclui as águas subterrâneas e certas águas de superfície bem protegidas, sujeitas a baixo grau de contaminação;
    • Escolha do manancial • Quinto critério: mananciais que exigem tratamento simplificado: compreendem as águas de mananciais protegidos, com baixos teores de cor e turbidez, sujeitas apenas a filtração lenta e desinfecção; • Sexto critério: mananciais que exigem tratamento convencional: compreendem basicamente as águas de superfície, com turbidez elevada, que requerem tratamento com coagulação, floculação, decantação, filtração e desinfecção.
    • Formas de captação da água De acordo com o manancial a ser aproveitado, podem ser utilizadas as seguintes formas de captação: • superfície de coleta (água de chuva); • caixa de tomada (nascente de encosta); • galeria filtrante (fundo de vales); • poço escavado (lençol freático); • poço tubular profundo (lençol subterrâneo); • tomada direta de rios, lagos e açudes (mananciais de superfície).
    • Formas de captação da água - Água de chuva A água de chuva pode ser armazenada em cisternas, que são pequenos reservatórios individuais. A cisterna tem sua aplicação em áreas de grande pluviosidade, ou em casos extremos, em áreas de seca onde se procura acumular a água da época chuvosa para a época de estiagem com o propósito de garantir, pelo menos, a água para beber. A cisterna consiste em um reservatório protegido, que acumula a água da chuva captada da superfície dos telhados das edificações. A água que cai no telhado vem ter às calhas, e destas, aos condutores verticais e, finalmente, ao reservatório. Os reservatórios mais simples são os de tambor, de cimento amianto e os de plástico.
    • Formas de captação da água Captação de águas superficiais A escolha das obras de captação deve ser antecedida da avaliação dos seguintes fatores: • dados hidrológicos da bacia em estudo ou de bacias na mesma região; • nível de água nos períodos de estiagem e enchente; • qualidade da água; • monitoramento da bacia, para localização de fontes poluidoras em potencial;
    • Formas de captação da água Captação de águas superficiais •distância do ponto de captação ao ponto de tratamento e distribuição; • desapropriações; • necessidade de elevatória; • fonte de energia; • facilidade de acesso.
    • Manancial abastecedor Manancial abastecedor é a fonte de onde se retira a água com condições sanitárias adequadas e vazão suficiente para atender à demanda. No caso da existência de mais de um manancial, a escolha é feita considerando-se não só a quantidade e a qualidade mas, também, o aspecto econômico. Nem sempre o que custa inicialmente menos é o que convém, já que o custo maior pode implicar em custo de operação e manutenção menor.
    • Manancial abastecedor Para que se possa fazer o cálculo do consumo provável, é necessário conhecer: • população a ser abastecida: Nos projetos, costuma-se fazer uma estimativa de população. Esta estimativa baseia-se em: • população atual; Número de anos durante os quais vai servir o projeto (período de projeto); • taxa de crescimento da população. - consumo per capita; - variação diária de consumo; - número de horas de funcionamento do sistema.
    • Abastecimento público de água Partes constituintes do sistema público de abastecimento de água Um sistema de abastecimento de água é composto das seguintes unidades: • manancial; • captação; • adução; • tratamento; • reservação; • rede de distribuição; • estações elevatórias; • ramal predial.
    • Manancial abastecedor - Captação É o conjunto de equipamentos e instalações utilizados para a tomada de água do manancial, com a finalidade de lançá-la no sistema de abastecimento. O tipo de captação varia de acordo com o manancial e com o equipamento empregado.
    • Manancial abastecedor – Adução Adutora é o conjunto de tubulações, peças especiais e obras de arte, dispostas entre: • Captação e a Estação de Tratamento de Água (ETA); • Captação e o reservatório de distribuição; • Captação e a rede de distribuição; • ETA e o reservatório de distribuição; • ETA e a rede de distribuição. A tubulação que deriva de uma adutora indo alimentar um setor qualquer da área a ser abastecida, é chamada subadutora.
    • Projeto de Sistema de Tratamento de Águas Normas ABNT    NBR 12216 - Projeto de estação de tratamento de água para abastecimento público NBR 12211 - Estudo de concepção de sistemas públicos de abastecimento de água - Procedimento NBR 12213 - Projeto de sistemas de captação de água de superfície para abastecimento público – Procedimento
    • Manancial abastecedor - Tratamento da água O tratamento de água consiste em melhorar suas características organolépticas, físicas, químicas e bacteriológicas, a fim de que se torne adequada ao consumo humano. As águas de superfície são as que mais necessitam de tratamento, porque se apresentam com qualidades físicas e bacteriológicas impróprias, com exceção das águas de nascentes que, com uma simples proteção das cabeceiras e cloração, podem ser, muitas vezes, consumidas sem perigo.
    • Vídeo  http://www.youtube.com/watch?v=_R_vpNQ0fJc
    • Pesquisa Complementar Avaliar qual a relevância do micropoluentes orgânicos para o tratamento de água de abastecimento nas regiões metropolitanas do Brasil? Pesquise em artigos técnicos para avaliar o comportamento dos micropoluentes orgânicos nos sistemas de tratamento (água e esgotos).
    • Bibliografia     Relatório do Desenvolvimento Humano 2006 Publicado para o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) A água para lá da escassez: poder, pobreza e a crise mundial da água Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento Dossiê da água - 1º Semestre 2009 Atualidades Vestibular http://www.grida.no/ http://virtualwater.eu/
    • Bibliografia    Escola Politécnica Da USP Departamento De Engenharia Hidráulica E Sanitária – Tratamento Avançado De Águas De Abastecimento Concepção De Estações De Tratamento De Águas De Abastecimento. Prof. Dr. Sidney Seckler Ferreira Filho Brasil. Fundação Nacional De Saúde. Manual De Saneamento. 3. Ed. Rev. - Brasília: Fundação Nacional De Saúde, 2006. Escola Politécnica Da USP Departamento De Engenharia Hidráulica E Sanitária - Projeto de Sistemas de Tratamento de Água Prof. José Carlos Mierzwa ―Introdução, Objetivos do Tratamento de água, Qualidadeda Água para Abastecimento e Identificação de Riscos‖
    • Objetivo da aula Ao final dessa aula, você deverá conhecer:  O papel fundamental que o abastecimento de água e o saneamento desempenham no desenvolvimento.  A problemática da falta e ao acesso de água e saneamento.  Histórico do abastecimento de água.  Doenças relacionadas ao abastecimento de água e a qualidade da água.  Captação e escolha dos mananciais.  E Normas sobre o sistema de abastecimento de água.