Aula 3   sga qualidade
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Aula 3 sga qualidade

on

  • 423 views

Qualidade ambiental, vários temas, vários autores

Qualidade ambiental, vários temas, vários autores

Statistics

Views

Total Views
423
Views on SlideShare
423
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
22
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Aula 3   sga qualidade Aula 3 sga qualidade Presentation Transcript

  • Qualidade Ambiental Aula 3 –Sistema de Gestão Ambiental
  • Mudanças de cenários As questões ligadas ao meio ambiente e sua proteção vêm ganhando atenção crescente por parte da sociedade em todo mundo. No Brasil, em particular, assistiu-se nas duas últimas décadas a um fortalecimento do sistema jurídico voltado à proteção do meio ambiente. Projetos que antes eram analisados considerando apenas a viabilidade técnica e econômica, hoje somente são plenamente definidos após a avaliação dos aspectos ambientais.
  • Relações entre o homem e o meio ambiente As relações entre o homem e a natureza têm sido regidas por valores em constante evolução através dos tempos, desde a crença de que os recursos naturais eram inesgotáveis e a capacidade de a natureza absorver os resíduos que a atividade humana gerava era infinita, até o reconhecimento de seus limites e a busca de métodos de gerenciamento ambiental. Nesta evolução identificam-se alguns paradigmas que refletem a percepção aceita pela sociedade, em diversos momentos:
  • Diversos momentos A solução para a poluição é a diluição – Esta visão prevaleceu nos países industrializados até o final dos anos 60 e firmava-se na crença de que a natureza era capaz de suprir indefinidamente as necessidades do homem em termos de recursos físicos (matérias-primas, energia, água, solo e ar), podia absorver indefinidamente os resíduos e regenerar-se de toda degradação.
  • Diversos momentos A limitação de recursos, a escassez e os danos ambientais, acreditava-se, poderiam sempre ser contornados ou solucionados através do desenvolvimento tecnológico, que também era tido como infinito. No passado foi possível conviver com esta solução, pois os ecossistemas tinham capacidade de assimilação para fazer frente às emissões e resíduos associados à crescente produção industrial.
  • Diversos momentos O controle da poluição – No final dos anos 60, com o crescimento da produção industrial e com a intensificação do êxodo rural, os problemas relacionados à poluição passaram a ser percebidos nos países industrializados e a predominância do paradigma da inesgotabilidade dos recursos e da infinita capacidade assimilativa dos ecossistemas começou a enfraquecer. Com o objetivo de proteger o meio ambiente, surgiu, então, a abordagem do controle de danos, caracteristicamente defensiva e remediadora, estabelecendo limites aceitáveis para as atividades poluidoras e degradadoras.
  • Diversos momentos Este paradigma corresponde às tecnologias denominadas ― end-of-pipe (fim de linha), que introduzem dispositivos para reduzir as emissões ou torná-las menos nocivas, sem, no entanto, alterar o processo produtivo. Mesmo a dispersão dos poluentes, dentro de certos limites, continua a ser aceita como método para enquadrar a poluição nos níveis estabelecidos. Na cadeia de produção, a etapa de controle da poluição é completamente desvinculada e seus custos são contabilizados como adicionais aos do processo produtivo.
  • Diversos momentos A prevenção da poluição – Os resultados alcançados com as tecnologias ―end-of-pipe (fim de linha) revelaram-se insuficientes e as pressões para evitar a geração de poluentes, com a inserção das ações de combate à poluição no próprio processo produtivo, deram origem às tecnologias de prevenção da poluição. A idéia abrange desde a redução dos insumos (matérias-primas e energia), ampliação de sua taxa de aproveitamento, substituição de matérias-primas tóxicas, redução da quantidade e toxicidade das emissões e resíduos, e reciclagem ou reuso dos resíduos.
  • In plant design – considera uma série de procedimentos industriais, que podem ser analisados, revistos e otimizados. Assim antes de se considerar as técnicas de tratamento ou tecnologia a ser utilizada, procura-se estudar o processo industrial, as fontes de poluentes, o consumo, composição das correntes. Uma vez definidas e implantadas as recomendações resultantes desse estudo, um novo efluente é gerado e, certamente, o custo será reduzido. In plant design - Ações com esta ótica vem sendo apoiada e muitas vezes recebendo apoio financeiros de governos.
  • Diversos momentos Gestão ambiental integrada – Nesta abordagem, amplia-se o campo de responsabilidades das indústrias para além do processo produtivo, incluindo aspectos da produção de matériasprimas, do uso do produto e de seu descarte ou reciclagem, além da consideração dos impactos ambientais do projeto em suas fases de instalação, operação e desativação. Gestão ambiental integrada
  • Política Ambiental Brasileira • A prioridade é dada para o controle da poluição industrial, com a adoção de normas e padrões inspirados na legislação norte-americana. O modelo desta fase pode ser sintetizado no tripé: Problema Poluição Industrial Agente Industria Controle Estado
  • Esforço multidisciplinar que envolve uma combinação entre teorias e práticas, científicas, legais, técnicas e de gerenciamento, com o objetivo de proteger o ser humano e o meio ambiente. meioambiente.culturamix.com Gestão Ambiental - Definição
  • Gestão Ambiental - Definição A gestão ambiental é uma abordagem sistêmica em que a preocupação ambiental está em todos os aspectos dos negócios das organizações. A implementação de sistema de gestão ambiental é, normalmente, um processo voluntário. Ao optar pela sua implantação, porém, as companhias não estão visando apenas os benefícios financeiros (economia de matériaprima, eficiência na produção e marketing).
  • Princípios da Gestão Ambiental Princípios 1 – Prioridade corporativa 9 - Pesquisa 2 – Gestão Integrada 10 – Princípio da Precaução 3 – Melhoria do Processo 11 – Fornecedores e Contratados 4 – Educação e Treinamento 12 – Preparação e atendimento à emergências 5 – Avaliação Prévia 13 – Transferência de Tecnologias 6 – Foco nos Produtos e Serviços 14 – Contribuir para o Esforço Comum 7 – Informação ao Consumidor 15 – Abertura às Preocupações 8 – Instalações e Operações 16 – Conformidade e Divulgação Fonte: The Business Charter for Sustainable Development. Principles for Environmental Management.
  • Gestão ambiental para todos As micro e pequenas empresas representam 98% das empresas brasileiras e empregam cerca de 60% de mão-de-obra, contribuindo com algo em torno de 20% do PIB nacional. Estes números demonstram a importância dos pequenos negócios para o meio ambiente, visto que o segmento empresarial, como qualquer outro, demanda recursos naturais e libera elementos (aspectos ambientais) que podem interagir com o meio ambiente, provocando-lhe adversidades. Além disso, há que se considerarem as oportunidades de negócios relacionados ao meio ambiente, devido ao crescimento do mercado para os produtos verdes.
  • Benefícios de um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) • Conformidade legal; • Pressão das partes interessadas, melhoria da imagem (reputação); • Melhoria da competitividade; • Redução de custos; • Conformidade junto à matriz e/ou clientes; • Visão preventiva x visão corretiva; • Melhoria contínua
  • • • • • Aumento das penalidades; Exigência de auto monitoramento; Indenizações civis e processo criminal; Menor tolerância das autoridades ante empresas poluidoras; • Paralisação das atividades; • Mudança de local; • Aquisição de novos equipamentos de controle e/ou correção do dano ambiental lcgconsultoria.com.br Conformidade legal
  • • Os consumidores preferem produtos ambientalmente corretos; • Instituições financeiras e seguradoras avaliam o desempenho ambiental das empresas; • A comunidade se manifesta contra empresas sem licenças; • Grupos de pressão e consumidores mais influentes; • Empresas “limpas” são bem vistas; • Divulgar melhorias no desempenho ambiental; • Transparência; • Parceiros da comunidade pedagogiaempresarialsolucoes.blogspot.co Pressão de Partes Interessadas Melhoria da Imagem (Reputação)
  • • Melhoria da Competitividade Custos maiores por desperdício de recursos naturais, matéria prima, retrabalho; • Exposição do trabalhador à poluição; • Compromisso ambiental é prática básica no comércio internacional; • Consumidores começam a exigir critérios ambientais; • Padrões internacionais mais rigorosos para acesso a mercados alentejolitoral.pt Melhoria da Competitividade
  • • Minimizar desperdícios de matéria-prima e insumos pode diminuir os custos de produção; • Favorece a obtenção de financiamentos e prêmios de seguro; • Funcionários concentram-se nas tarefas principais sem se preocuparem com riscos ou protestos públicos; • Elimina risco de passivo ambiental e despesas dele decorrentes boadecisao.com Redução de Custos (finanças)
  • Conformidade Junto à Matriz e/ou Clientes • • - Visão preventiva x visão corretiva; Mudança de paradigma; Evita ocorrência de acidentes e impactos; Minimiza despesas com remediação e multas; Melhoria contínua Dos processos, serviços e produtos
  • Características dos Programas de Gestão Ambiental Coorporativos
  • Características dos Programas de Gestão Ambiental Coorporativos
  • Características dos Programas de Gestão Ambiental Coorporativos 5º Estágio O Pró-ativo 4º Estágio – O Pragmático 3º Estágio – Cidadão Preocupado 2º Estágio – O Apagador de Incêndios 1º Estágio – O Iniciante
  • O Início dos Programas de Gestão Ambientais • Inglaterra, berço dos sistemas de qualidade foi a primeira a normatizar os SGA’s; • 1992 publicação da versão preliminar da BS7750, Especificação para Sistemas de Gestão Ambiental; • 1994 publicação da versão final da BS-7750;
  • Nascimento da Série ISO 14.000 Crescente interesse pelas questões ambientais por países de todo o Mundo; • Em 04 de março de 1993 foi implantado pela International Organization for Standardization (ISO), o Comitê Técnico 207; – Representantes de 120 países membros, inclusive o Brasil, representado pela ABNT; – A função do TC 207 era o de elaborar uma série de normas direcionadas para o meio ambiente; – Origem da Série ISO 14000 de normas.
  • Família ISO 14.000 de Normas • A série ISO 14000 de normas aborda os seguintes temas: – Sistemas de Gestão Ambiental; – Auditoria de Sistemas de Gestão Ambiental; – Rótulos e Declarações Ambientais; – Avaliação do Desempenho Ambiental; – Análise do Ciclo de Vida do Produto; – No total são 14 normas
  • Modelo de Gestão Ambiental pelas normas ISO 14.001 e 14.004 • A ISO 14001 especifica os principais requisitos de um SGA; Capacita uma organização a desenvolver e implementar política e objetivos que levem em consideração requisitos legais e informações sobre aspectos ambientais. O sucesso deste sistema depende do comprometimento de todos os níveis e funções da organização, principalmente da Alta Administração.
  • Desenvolvimento de um SGA • O SGA está baseado nos ciclos PDCA; – Plan – Planejamento; – Do – Execução; – Check – Verificação; e – Act – Ação Modelo de sistema de gestão ambiental: PDCA (Plan, Do, Check, Act). Fonte: ABNT NBR ISO 14001:2004, modificado.
  • Elementos do SGA – ISO 14001 • Política ambiental: – Dá o senso global de direção e apresenta princípios de ação para a organização e estabelece metas relativas ao desempenho ambiental; – Deve ser definida pela Alta Administração da empresa; – Deve incluir comprometimento com a melhoria contínua, prevenção da poluição e atendimento à legislação; – Seja documentada, implantada, mantida e comunicada para todos os empregados; e – Esteja disponível para o público
  • Exemplo 1 Empresa cuja política diz respeito apenas ao sistema de gestão ambiental segundo a ISO 14001. Uma empresa líder no desenvolvimento, fabricação e calibração de instrumentos para o mercado sul americano e no fornecimento de instrumentos para o mercado internacional, é comprometida com a proteção do meio ambiente e assume: • Atender os requisitos estipulados pela legislação e a outros requisitos relacionados a seus aspectos ambientais; • Identificar e buscar a prevenção da poluição decorrente das operações fabris, com ênfase na minimização da geração de resíduos e redução do consumo de recursos naturais; • Considerar os aspectos ambientais na execução diária das tarefas; • Buscar a melhoria contínua do desenvolvimento ambiental, por meio de incentivo à reciclagem e ao reuso, e ao envolvimento de seus colaboradores na conscientização ambiental, despertando o interesse pelo meio ambiente, por meio de processos educativos.
  • Elementos do SGA – ISO 14001 P D • Planejamento: – Com base na política ambiental deve ser feito um planejamento para atender aos requisitos estabelecidos. • Implementação e operação: – Este processo deve ser conduzido de forma a serem atingidos os objetivos e metas estabelecidos.
  • Elementos do SGA – ISO 14001 • Verificação e ações corretivas: – Desenvolvimento de procedimentos para monitorar e medir as principais características das operações e atividades que podem causar impacto significativo sobre o meio ambiente; – Devem ser estabelecidos os procedimentos referentes às ações corretivas para eliminar as causas que poderiam resultar em impacto. C
  • Elementos do SGA – ISO 14001 A • Revisão do gerenciamento: – Efetivar o comprometimento com a melhoria contínua, por meio da revisão do SGA; – Verificação da necessidade de mudanças na política, objetivos e outros elementos do SGA.
  • Planejamento do SGA Na etapa de planejamento é que se começa a estruturar o SGA; Nesta etapa do processo deverão ser desenvolvidas as seguintes atividades: • Identificação dos aspectos e impactos ambientais; • Identificação da legislação e outros requisitos relevantes; • Definição dos objetivos e metas para o SGA; • Desenvolvimento do programa de gestão ambiental.
  • Aspectos e Impactos Ambientais A relação entre aspectos ambientais e impactos é de causa e efeito. Os aspectos ambientais referem-se aos elementos das atividades, produtos e serviços que têm um impacto, benéfico ou adverso, sobre o meio ambiente; Um impacto ambiental refere-se a uma mudança que ocorre no meio ambiente, como resultado do aspecto.
  • Exemplos de Aspectos e Impactos Ambientais Adverso Benéfico Benéfico Adverso Adverso Avaliar a significância dos impactos.
  • Desenvolvimento do programa de gestão ambiental • Desenvolvimento dos objetivos e metas; • Desenvolvimento do programa de gestão: – Atividades e procedimentos que irão possibilitar atingir os objetivos e metas estabelecidos
  • Exemplo de Processo para Desenvolvimento do Programa de Gestão Ambiental
  • Sistemas Integrados Empresas de Gestão nas • Evolução dos sistemas de gestão – 1987 criação da série ISO 9.000; – 1996: Criação da série ISO 14.000; Criação da norma BS 8.800; – 1999 criação da série OHSAS 18.000. calidad-gestion.com.ar
  • Série ISO 9.000 • Representa um consenso internacional sobre boas práticas de gerenciamento; Objetivam assegurar que a organização disponibilize um produto ou serviço que: – Atenda os requisitos de qualidade do cliente; –Atenda os requisitos da regulamentação específica; –Melhore a satisfação de seus clientes; –Obtenha a melhoria contínua do seu desempenho na busca desses objetivos.
  • Série ISO 14.000 • Pensar globalmente e agir localmente; Disponibilizam as ferramentas para as organizações controlar seus aspectos ambientais e melhorar o seu desempenho ambiental através: - Redução do uso de matérias-primas e recursos; - Redução do consumo de energia; - Melhorar a eficiência de seus processos; - Reduzir a geração de rejeitos e os custos de disposição; - Utilização de recursos recuperáveis.
  • Série OHSAS 18.000 Fornece os requisitos para uma organização implantar um sistema da gestão da segurança e saúde ocupacional que garanta: – A eliminação ou minimização dos riscos de Saúde e Segurança Ocupacional associados às suas atividades;
  • Integração dos Sistemas Com base nas necessidades da organização direciona a estrutura coorporativa para a sustentabilidade e responsabilidade social; Possibilita a obtenção dos seguintes benefícios: - Maior foco em seus objetivos; - Redução do risco de suas atividades; - Definição clara das funções e responsabilidades no sistema integrado de gerenciamento; - Redução da documentação; - Promoção de um sistema simplificado; - Redução dos recursos para o gerenciamento; - Facilidade na gestão
  • Sistema de Qualidade Organização: Estratégia; Visão de futuro; Compromisso. Saúde e segurança ocupacional Gestão Ambiental
  • Sistema de Gestão da Responsabilidade Social NBR-16.001 • • • • Boas práticas de governança; Combate à pirataria, sonegação, fraude e corrupção; Práticas leais de concorrência; Direitos da criança e do adolescente, incluindo o combate ao trabalho infantil; • Direitos do trabalhador, incluindo o de livre associação, de negociação, a remuneração • Justa e benefícios básicos, bem como o combate ao trabalho forçado;
  • Sistema de Gestão da Responsabilidade Social NBR-16.001 • Promoção da diversidade e combate à discriminação (por exemplo: cultural, de gênero, de raça/etnia, idade, pessoa com deficiência); • Compromisso com o desenvolvimento profissional; • Promoção da saúde e segurança; • Promoção de padrões sustentáveis de desenvolvimento, produção, distribuição e consumo, contemplando fornecedores, prestadores de serviço, entre outros; • Proteção ao meio ambiente e aos direitos das gerações futuras; • Ações sociais de interesse público
  • Material consultado • Escola Politécnica da USP - Introdução à Engenharia Ambiental - Aula 11 – Gestão Ambiental - Professor: Mierzwa - 19/11/2010 • Escola Politécnica da USP - Curso de Engenharia Ambiental - Gestão Ambiental • Escola Politécnica da USP - Curso de Engenharia Ambiental Ambiental - Professor: Mierzwa Evolução da Gestão • Experiência Sebrae em implantação de gestão ambiental em micro e pequenas empresas. – Brasília : Sebrae, 2004. • Universidade De São Paulo Escola Politécnica Da Usp Pece – Programa De Educação Continuada Ead – Ensino E Aprendizado À Distância Est-603a / St-10 Proteção Ao Meio Ambiente (Parte A) Aluno São Paulo, 2010 EPUSP/PECE • Federação das Indústrias do Estado de São Paulo Melhore a competitividade com o Sistema de Gestão Ambiental - SGA / Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. – São Paulo : FIESP, 2007.
  • Atividade para reflexão Dê um exemplo da evolução da proteção do meio ambiente relacionando-o à evolução dos paradigmas apresentados sobre os diversos momentos.
  • Atividade 1 Questões ambientais de uma empresa Objetivo: Desenvolver percepção para as questões ambientais numa empresa. Muitos gerentes têm dificuldades em reconhecer as questões ambientais inerentes às atividades, produtos e serviços de sua empresa. Com a percepção ambiental aguçada pode-se, por exemplo, converter um problema ambiental em oportunidade de negócio e melhorar o desempenho ambiental da empresa. No desenvolvimento deste exercício, a equipe deve escolher uma empresas. A seguir, verifiquem as características da sua empresa, procurem identificar as principais questões ambientais e proponham soluções para elas.