Gilbert cardoso bouyer 23-06-2012-v25
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Gilbert cardoso bouyer 23-06-2012-v25

on

  • 1,380 views

Cinema Comentado em Joao Monlevade Baseado em Gilles Deleuze e Michel Foucault. Projeto de Educacao Continuada e Pesquisa Simultaneamente

Cinema Comentado em Joao Monlevade Baseado em Gilles Deleuze e Michel Foucault. Projeto de Educacao Continuada e Pesquisa Simultaneamente

Statistics

Views

Total Views
1,380
Views on SlideShare
1,379
Embed Views
1

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 1

http://www.docshut.com 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Gilbert cardoso bouyer 23-06-2012-v25 Gilbert cardoso bouyer 23-06-2012-v25 Presentation Transcript

  • P r o f. Cinema G i l D Comentado b E e E : r t N P . Abordagem C. .Interdisciplin B . I ar em o u C Educação y E A Continuada e r Quadro: Las Meninas, de Diego Velázquez (1656).“[...] um vazio essencial é imperiosamente indicado: o desaparecimento necessário daquilo quefunda a representação” (Michel FOUCAULT, 1966 [Les mots et les choses, cap. 1, Las Meninas]).
  • Função... Dispositivo... Diagrama ... Organização... Forma... Relação... O QUADROInstituição... Visibilidade... Enunciado... Não-Estratificado... Estratégia... Tática... Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Em “Les Mots et Les Choses” (1966) Fct analisa o quadro de Velázquez (1656).“O ser mesmo do que é “A imagem representado deve sair da vai agora cair moldura”fora da própria (Fct, 1966, sobre “Lasrepresentação” Meninas ”)(Fct, 1966, sobre“Las Meninas ”...) Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • O quadro é a única representação visível; mas ele não é o principal, e sim para onde se olha:“É que nesse quadro [...] a essência manifestada, a invisibilidade profunda do que se vê é solidária com a invisibilidade daquele que vê” (Fct, 1966, sobre “Las Meninas...”). Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Ou seja:Em Las Meninas, o espectador - não representado no quadro - é ocentro mesmo do que o quadro não representa (não poderepresentar).O espectador é visado. O movimento de visibilidade da obra se volta para o espectador : não representado no quadro. • P o r t a n t o ...Sejam todos bem vindos, espectadores-agentes desta obra !! Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • O projeto Cinema Comentado :Uma ação de ... suscitar / incitar / afetar / produzir... (Categorias do poder, segundo Deleuze (1986) ref. Fct). Aquilo que escapa ao quadro... Reflexão / Compreensão / Saber (es) Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • O projeto Cinema Comentado :-Propõe “quadros”- Oferece o “quadro” de acordo com a demanda:- Saúde?- Educação?- Cultura?- Ciência? .- Trabalho?- Arte?- Terapia? Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Novamente... O QUADRO Função... Dispositivo... Diagrama ... Organização... Forma... Relação...Instituição... Visibilidade... Enunciado... Não-Estratificado... Estratégia... Tática... Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Veja o Q U A D R O: categorias do poder... -A m p l i a r -Estruturar -Organizar -Incitar - Articular - Disciplinar: -Suscitar Processo Disciplinado de Pensamento de “Ruptura” -P r o d u z i r (Bachelard) - Concepção Científica x Repertório do Senso Comum Reflexão Saberes Locais (sujeitados) Conhecimento engajado Compreensão (incorporado) – embodiment: As VIVÊNCIAS dos que possuem Nova Percepção know how “no quadro” em questão Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • O Quadro: AFETAR e SER AFETADO .“O poder de ser afetado é como uma matéria daforça, e o poder de afetar é como uma função daforça” (Gilles Deleuze, ref. Fct, p. 79)“Só que se trata de uma pura função, isto é, umafunção não-formalizada, tomadaindependentemente das formas concretas em queela se encarna, dos objetivos que satisfaz e dosmeios que emprega” (Deleuze, ref. Fct, p. 80). Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br Vejamos:
  • Cinema: “Poder de Afetar – Função da força” (p.79): estética afetar (poder) & razão Poder do cinema, o lado de fora, Complexo PODER-SABER : o não estratificado, o quadro, o une o diagrama ao arquivo não dito, o não representado, o não enunciado, não-formalizado. Incita / suscita/produz“um afeto como estado de (função da força)poder sempre local e instável” Diálogo / Reflexão(Dlz, p. 81) SABERES LOCAIS Substâncias SABERES SUJEITADOS formadas: visível, Embodiment/Vivência dos enunciável, dito. Profissionais da área / local Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com
  • FORMADOR É AQUELE QUE PÕE O QUADRO... DO PODER... DE AFETAR...A dimensão política do poder nunca deixou de ser também afetiva Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Multiplicidade de olhares possíveis...Vários mundos são possíveis pelo quadro – eletem a função de incitar, suscitar, produzir:- Reflexão- Compreensão- Pensamento Crítico / disciplinado (dif. do sensocomum, de acordo com Bachelard)- Espírito Científico de Apreensão da Realidade- “Ontologias Constitutivas...” (sob amparo da vivênciados profissionais experientes: “embodiment” de quemvive na carne o problema debatidoAbstração disciplinada (de acordo com Bachelard) Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • - Ampliar os possíveis- Potencializar a capacidade de percepção ecompreensão da realidade- Fomentar o espírito crítico / reflexivo- Suscitar o debate, o diálogo, as trocas, aparticipação de todos (de forma estruturada / organizada)- Gerar uma compreensão que possibilite:Visibilidade do Problema / questãoTornar mais claro AÇÃOMais nítido SOCIALMais translúcido / Cristalino (Crystal...) Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Se experiência ótica e sonora da{crystal-image deleuziana} instigareflexão e compreensão...a vivência, a atuação concreta, o“embodiment” dos profissionaisda região... Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Com sua experiência vivenciada no trabalho,seu mundo vivido,seus saberes incorporados...Sua história de atuação / incorporação...Rompem com a representação de um mundoque está “lá fora”...Para mostrar que o mundo somos nós, (aquidentro)... Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Que vivemos na carne, no cotidiano,o dia a dia do trabalho,Com suas lutas, suas resistências,sua facticidade,Com o revés do real...O saber está na vivência, naatuação, na incorporação, no“embodiment”... dos nossostrabalhadores.Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Espaço VIVIDO X Espaço virtual (representação inexistente cf. realismo representativo) A TELA Experiência Ótica (Cf. G. Deleuze) Ver (cinema) Experiência Sonora (Cf. G. Deleuze) Ouvir (cinema) Ainda o não dito / Imagem cristal Falar (debate) Dito Não-dito (indizível?)Compreensão Pensado Não – pensado (impensado?)Reflexão Não – refletido (irrefletido?) Imaginado Prof. Gilbert Cardoso BouyerNão- imaginado Refletido www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • MUNDO VIVIDO NO TRABALHO (Bouyer, 2008) E m b o d i m e n t (atuação / engajamento / experiência) Vivência dos Trabalhadores (Bouyer, 2011)Compreensão(cf. Gadamer,Ricoeur) Partilha Social no Debate / Reflexão Democratização do Diálogo / Compreensão Fala e Escuta Autênticas / (cf. Gadamer, Ricoeur) Espaço Público de Deliberação / Reflexão Socialização do Conhecimento Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Compreensão / Reflexão :Fenomenologia Hermenêutica (Bouyer, 2008, 2011) de Heidegger segundo Gadamer e Ricoeur Mundo vivido no Trabalho / Embodiment (Bouyer, 2008) Vivência dos Trabalhadores (Bouyer, 2011) FENOMENOLOGIA HERMENÊUTICA Fenomenologia Hermenêutica (Bouyer, 2008, 2011) Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • O PRÓXIMO QUADRO... Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • DEDICATÓRIADedico este trabalho...A Ana Maura Cardoso (in memoriam)Que lutou até a mortecontra o sofrimento no trabalho,Sem nunca ter sido compreendidaem sua vivência de trabalhadora,E a Moisés Tadeu Cardoso (1982- ),Seu filho,Que segue no caminho da mãe.Prof. Gilbert Cardoso Bouyer Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br
  • Referências Úteis: Husserl, Heidegger, Gadamer e RicoeurDreyfus, H. L., & Rabinow, P. (1995). Michel Foucault, uma trajetória filosófica: para alémdo estruturalismo e da hermenêutica (V. P. Carrero, Trad.) (Coleção Campo Teórico). Riode Janeiro: Forense Universitária. (Original publicado em 1983).www.gilbertufop.comBouyer, Gilbert Cardoso. Entre o Número e a Vivência: Qual Ergonomia Praticar? In:Sznelwar, L.I. Saúde dos Bancários. São Paulo: Publisher Brasil, 2011. pp. 187-205.http://www.fundacentro.gov.br/sistemas/EventoPortal/AnexoPalestraEvento/SaudeDosBancarios_Miolo_bx.pdfBouyer, Gilbert Cardoso. Ergonomia Cognitiva e Mente Incorporada. São Paulo: EdgardBlucher, 2008. (Tese de Doutorado pela Escola Politécnica da USP).http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-26092008-095830/pt-br.php Prof. Gilbert Cardoso Bouyer www.gilbertufop.com gilbertcb@uol.com.br