Your SlideShare is downloading. ×
Mordomia cristã e o ambiente_Lição_original_1012013_com_textos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Mordomia cristã e o ambiente_Lição_original_1012013_com_textos

486

Published on

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os …

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet. 

O esbouço tem como objetivo facilitar para aqueles que querem responder a lição, mas tem pouco espaço na revista para isso. Ele vem com as perguntas e com os textos relacionados na ordem para respondê-las, sem nenhum tipo de comentários, para vc poder meditar e ligar a pergunta com o texto sugerido para a sua resposta. vc também tem a facilidade de poder pesquisar através do computador e copiar e colar textos, o que acrescenta muito a sua lição, e ainda podendo deixá-la armazenada para pesquisas posteriores sobre o mesmo assunto, estes são algumas, entre muitas outra vantagens.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
486
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Lição 10 2 a 9 de março Mordomia cristã e o ambienteSábado à tarde Ano Bíblico: Dt 18–20VERSO PARA MEMORIZAR: “Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a Terra e sujeitai-a;dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela Terra” (Gn 1:28).Leituras da semana: Sl 8; Gn 2:15; Ap 4:11; Êx 20:8-11; 1Co 3:16O mundo em que vivemos é um presente de amor do Deus Criador, “[d]Aquele que fez o céu, e a Terra, e o mar, e asfontes das águas” (Ap 14:7). Dentro dessa criação Ele colocou os seres humanos, ligados intencionalmente emrelacionamento com Ele, com outras pessoas e com o mundo ao redor. Portanto, como adventistas do sétimo dia,consideramos que a preservação e cuidado do meio ambiente estão intimamente relacionados com nosso serviço paraEle.“Visto que a pobreza humana e a degradação ambiental estão inter-relacionadas, comprometemo-nos a melhorar aqualidade de vida de todas as pessoas. Nosso objetivo é o desenvolvimento sustentável dos recursos, enquantoatendemos às necessidades humanas. [...]“Nesse compromisso, confirmamos nossa condição de mordomos da criação de Deus e cremos que a total restauraçãoserá alcançada somente quando Deus fizer novas todas as coisas” (Extraído de “Cuidando da Criação, uma Declaraçãoda Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia sobre o Meio Ambiente”, votada em 12 de outubro de 1992).Domingo Ano Bíblico: Dt 21–23Domínio outorgado no princípioDe acordo com Gênesis 1:26, o domínio de Adão se estendeu a todos os outros seres criados, no mar, na terra e no ar. Odomínio inclui a ideia de governar ou ter poder sobre essas criaturas. Nada é dito a respeito do domínio sobre as forçasda natureza em si, mas apenas sobre as criaturas. E, de acordo com o texto, essa regra era universal: Adão devia ser,essencialmente, o governante da Terra.“Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre ospeixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis querastejam pela terra.” (Gênesis 1:26 RA)1. Qual foi a resposta de Davi para a honra que Deus deu aos seres humanos? O que significam a “honra e glória” quenos foram dadas, especialmente no contexto dos seres humanos recebendo o domínio sobre a Terra? Sl 8“Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome! Pois expuseste nos céus a tua majestade. Daboca de pequeninos e crianças de peito suscitaste força, por causa dos teus adversários, para fazeres emudecer oinimigo e o vingador. Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que éo homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do queDeus e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste:ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre assendas dos mares. Ó SENHOR, Senhor nosso, quão magnífico em toda a terra é o teu nome!” (Salmos 8:1-9 RA)De acordo com Gênesis 2:19, uma das primeiras tarefas de Adão foi dar nome aos animais. Nomes tinham grandesignificado nos tempos bíblicos. O nome representava a própria pessoa e, muitas vezes, a situação da pessoa. Aautoridade para dar nomes às aves e animais foi a confirmação da posição de Adão como governante sobre os animais.“Havendo, pois, o SENHOR Deus formado da terra todos os animais do campo e todas as aves dos céus, trouxe-os aohomem, para ver como este lhes chamaria; e o nome que o homem desse a todos os seres viventes, esse seria o nome ramos@advir.com
  • 2. deles.” (Gênesis 2:19 RA)2. Leia Gênesis 2:15. De que forma você vê o princípio da mordomia cristã revelado nesse texto?“Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” (Gênesis 2:15 RA)Adão foi incumbido de cuidar do jardim, administrá-lo e atender às suas necessidades. A raiz hebraica, smr, traduzida alicomo “guardar”, geralmente significa “zelar” ou “proteger”. O jardim foi um presente para Adão, uma expressão doamor de Deus. Adão também recebeu a responsabilidade sobre ele, outro exemplo do domínio que lhe foi conferido nomomento da criação.Como nossa compreensão de Deus como Criador, ou ainda mais especificamente, nossa compreensão da história dacriação, deve influenciar nossa maneira de tratar o meio ambiente? Por que a compreensão dessas coisas deve nosproteger da indiferença grosseira ou, ao contrário, da devoção fanática para com o meio ambiente?Segunda Ano Bíblico: Dt 24, 25Cuidando de outras criaturas3. “Todos os animais da floresta são Meus, como são as cabeças de gado aos milhares nas colinas” (Sl 50: 10, NVI). Está otema da mordomia da Terra implícito nesse texto?4. Leia Apocalipse 4:11. Qual é a diferença radical entre esse texto e as noções comuns dos ateus acerca de uma criaçãosem um criador, que surgiu unicamente pelo acaso?“Tu és digno, Senhor e Deus nosso, de receber a glória, a honra e o poder, porque todas as coisas tu criaste, sim, porcausa da tua vontade vieram a existir e foram criadas.” (Apocalipse 4:11 RA)A criação dos animais não foi um acidente nem uma ideia posterior. Deus os criou propositalmente. Era Sua vontade queeles existissem, e esse princípio deve orientar nossa maneira de tratá-los (veja também Êx 23:5, 12; Pv 12:10; Lc 14:5).“Se vires prostrado debaixo da sua carga o jumento daquele que te aborrece, não o abandonarás, mas ajudá-lo-ás aerguê-lo.” (Êxodo 23:5 RA)“Seis dias farás a tua obra, mas, ao sétimo dia, descansarás; para que descanse o teu boi e o teu jumento; e para quetome alento o filho da tua serva e o forasteiro.” (Êxodo 23:12 RA)“O justo atenta para a vida dos seus animais, mas o coração dos perversos é cruel.” (Provérbios 12:10 RA)“A seguir, lhes perguntou: Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado?”(Lucas 14:5 RA)Na verdade, a crueldade para com os animais e a indiferença em relação ao seu sofrimento são amplamentereconhecidas como sintomas de transtornos de personalidade. Muitas organizações foram criadas para promover o bomtratamento dos animais, e com razão.No entanto, ao mesmo tempo, algumas pessoas têm chegado a afirmar que os seres humanos não são intrinsecamentemais importantes do que os animais. Assim, os seres humanos não deveriam receber tratamento preferencial. Em muitosaspectos, isso é uma linha de pensamento que flui logicamente a partir de um modelo evolucionista das origenshumanas. Afinal, se nós e os animais somos separados apenas pelo tempo e pelo acaso, por que deveríamos ser maisespeciais do que eles? Um filósofo chegou a argumentar que uma galinha, ou mesmo um peixe, tem mais“personalidade” do que um feto no ventre ou até mesmo do que uma criança recém-nascida. Por mais ridículas queessas ideias possam parecer, elas podem ser derivadas, com uma quantidade razoável de lógica, de um modelo ateístaevolucionista das origens humanas.Essas ideias não são apoiadas nas Escrituras. Os seres humanos têm uma posição especial no plano de Deus, emcontraste com a dos animais (veja Gn 3:21; Êx 29:38; Lv 11:3).“Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.” (Gênesis 3:21 RA)“Isto é o que oferecerás sobre o altar: dois cordeiros de um ano, cada dia, continuamente.” (Êxodo 29:38 RA)“todo o que tem unhas fendidas, e o casco se divide em dois, e rumina, entre os animais, esse comereis.” (Levítico 11:3RA)Imagine que você é um evolucionista ateu. Pense nas razões pelas quais acha que os animais devem ser tratados damesma forma que os seres humanos. O que isso diz sobre a importância dos nossos pressupostos para determinar oresultado do nosso pensamento?Terça Ano Bíblico: Dt 26–28O sábado e o meio ambienteComo vimos, o conceito de mordomia, no contexto da nossa maneira de cuidar do planeta, está diretamente ligado àcriação. Nossos pontos de vista sobre a criação influenciam nossas opiniões sobre a forma pela qual devemos nos ramos@advir.com
  • 3. relacionar com a criação.Para alguns, a criação deve ser explorada, usada, e até mesmo saqueada, em qualquer grau necessário para cumprirnossos desejos e necessidades. Outros, ao contrário, quase adoram a criação (Rm 1:25). Então, é a visão bíblica que devenos dar uma perspectiva equilibrada sobre a forma com que devemos nos relacionar com o mundo que o Senhor crioupara nós.“pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é benditoeternamente. Amém!” (Romanos 1:25 RA)5. Leia Êxodo 20:8-11. O que encontramos nesse mandamento que diz respeito à mordomia cristã?“Lembra-te do dia de sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás e farás toda a tua obra. Mas o sétimo dia é o sábadodo SENHOR, teu Deus; não farás nenhum trabalho, nem tu, nem o teu filho, nem a tua filha, nem o teu servo, nem a tuaserva, nem o teu animal, nem o forasteiro das tuas portas para dentro; porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e aterra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e osantificou.” (Êxodo 20:8-11 RA)“Deus separou o sábado como memorial e lembrança perpétua de Seu ato criador e do estabelecimento do mundo. Aodescansar nesse dia, os adventistas do sétimo dia reforçam o sentido especial de relacionamento com o Criador e Suacriação. A observância do sábado destaca a importância da nossa integração com o meio ambiente como um todo”(Extraído de “Cuidando da Criação, uma Declaração da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia sobre o MeioAmbiente”, votada em 12 de outubro de 1992).Ao apontar o fato de que Deus nos criou e o mundo em que habitamos, o sábado é um lembrete constante de que nãosomos criaturas totalmente autônomas, que podem fazer tudo o que desejam aos outros e ao mundo. O sábado deve nosensinar que somos, de fato, mordomos, e que a mordomia implica responsabilidades. E, como podemos ver no própriomandamento, a responsabilidade se estende à nossa maneira de tratar os que estão “abaixo” de nós.Como você trata as outras pessoas, especialmente as que estão sob seu comando? Você está tratando-as com respeito,justiça e graça? Ou está tirando vantagem do poder que você tem sobre elas? Se for o último caso, lembre-se: um diavocê terá que responder por suas ações.Quarta Ano Bíblico: Dt 29–31Mordomos da saúdeComo vimos ao longo deste trimestre, a criação original de Deus era “muito boa”. Tudo e todos saíram das mãos doCriador em estado de perfeição. Não havia doença, sofrimento nem morte. Ao contrário do modelo evolutivo, no qual adoença, o sofrimento e a morte são parte dos meios de criação, essas coisas surgiram somente depois da queda, após aentrada do pecado. Assim, é apenas no contexto da história da criação que podemos melhor compreender o ensinobíblico sobre saúde e cura.6. Leia 1 Coríntios 6:19, 20. Qual é nossa responsabilidade diante de Deus a respeito do cuidado do nosso corpo?“Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, eque não sois de vós mesmos?” (1 Coríntios 6:19 RA)É por meio do nosso cérebro que o Espírito Santo Se comunica conosco. Se quisermos ter comunhão com Deus, devemoscuidar do corpo e do cérebro. Se abusarmos do nosso corpo, destruiremos a nós mesmos, física e espiritualmente. Deacordo com esse texto, a saúde e nossa maneira de cuidar do corpo, o “templo de Deus”, é uma questão moral, cheia deconsequências eternas.Cuidar da saúde é uma parte vital do nosso relacionamento com Deus. Obviamente, alguns aspectos da saúde estãoalém do nosso controle. Temos genes defeituosos, estamos expostos a produtos químicos ou outros agentes prejudiciaisdesconhecidos e estamos em risco de danos físicos que podem prejudicar nossa saúde. Deus sabe de tudo isso. Mas namedida de nossas possibilidades, devemos fazer o melhor para preservar nosso corpo feito à imagem de Deus.“Ninguém que professe piedade considere com indiferença a saúde do corpo, nem se iluda com o pensamento de que aintemperança não é pecado e não afetará sua espiritualidade. Existe uma estreita afinidade entre a natureza física e amoral. O padrão de virtude é elevado ou rebaixado por meio dos hábitos físicos [...] Qualquer hábito que não promova operfeito funcionamento saudável do organismo humano degrada as mais elevadas e nobres faculdades” (Ellen G.White,Conselhos Sobre Saúde, 67).Quinta Ano Bíblico: Dt 32–34Princípios de mordomia cristã7. “Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm do alto, descendo do Pai das luzes, que não muda como sombrasinconstantes” (Tg 1:17). Como esse texto ajuda a estabelecer a base para um conceito de mordomia fundamentado naBíblia?Muitas vezes tendemos a pensar em mordomia em termos de dinheiro. No entanto, como vimos nesta semana, amordomia envolve muito mais do que isso. Porém, seja lidando com dinheiro, com preocupações ambientais ou comnossa saúde, existem certos princípios envolvidos na boa mordomia, princípios que têm seu fundamento último na ramos@advir.com
  • 4. criação descrita em Gênesis. No fim, visto que Deus é nosso Criador, e que tudo que temos é dádiva dEle, devemos serbons mordomos de tudo o que foi confiado a nós.8. Leia Mateus 25:14-30. Como essa parábola ilustra as recompensas da boa mordomia? Qual é a mensagem da parábolasobre os princípios da mordomia em geral?“Pois será como um homem que, ausentando-se do país, chamou os seus servos e lhes confiou os seus bens. A um deucinco talentos, a outro, dois e a outro, um, a cada um segundo a sua própria capacidade; e, então, partiu. O que receberacinco talentos saiu imediatamente a negociar com eles e ganhou outros cinco. Do mesmo modo, o que recebera doisganhou outros dois. Mas o que recebera um, saindo, abriu uma cova e escondeu o dinheiro do seu senhor. Depois demuito tempo, voltou o senhor daqueles servos e ajustou contas com eles. Então, aproximando-se o que recebera cincotalentos, entregou outros cinco, dizendo: Senhor, confiaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que ganhei.Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei; entra no gozo do teusenhor. E, aproximando-se também o que recebera dois talentos, disse: Senhor, dois talentos me confiaste; aqui tensoutros dois que ganhei. Disse-lhe o senhor: Muito bem, servo bom e fiel; foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei;entra no gozo do teu senhor. Chegando, por fim, o que recebera um talento, disse: Senhor, sabendo que és homemsevero, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste, receoso, escondi na terra o teu talento; aqui tens oque é teu. Respondeu-lhe, porém, o senhor: Servo mau e negligente, sabias que ceifo onde não semeei e ajunto ondenão espalhei? Cumpria, portanto, que entregasses o meu dinheiro aos banqueiros, e eu, ao voltar, receberia com juros oque é meu. Tirai-lhe, pois, o talento e dai-o ao que tem dez. Porque a todo o que tem se lhe dará, e terá em abundância;mas ao que não tem, até o que tem lhe será tirado. E o servo inútil, lançai-o para fora, nas trevas. Ali haverá choro eranger de dentes.” (Mateus 25:14-30 RA)“Cristo confia a Seus servos ‘Seus bens’ – alguma coisa que deve ser usada para Ele. Dá ‘a cada um a sua obra’. Todostêm seu lugar no plano eterno do Céu. Todos devem colaborar com Cristo para a salvação das pessoas. Tão certo comonos está preparado um lugar nas mansões celestes, há também um lugar especial designado na Terra, onde devemostrabalhar para Deus” (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 326, 327).O que você está fazendo com os talentos que recebeu do “Pai das luzes”? Que escolhas você pode fazer que lhepermitirão usar esses dons em um serviço melhor para a causa do Senhor?Sexta Ano Bíblico: Js 1–4Estudo adicionalOs seguidores de Cristo foram redimidos para o serviço. Nosso Senhor ensina que o verdadeiro objetivo da vida é servir.[…] A lei de servir se torna o vínculo que nos liga a Deus e a nosso semelhante” (Ellen G, White, Parábolas de Jesus, p. 326).Perguntas para reflexão1. Alguns secularistas propuseram que o valor da vida não deve ser medido pela condição humana, mas pelo potencialpara viver de modo agradável. Eles podem valorizar um chimpanzé jovem e saudável mais do que a um ser humanovelho e doente.Peter Singer argumenta que, em certos casos, os seres humanos não devem ter mais direitos do que alguns animais: “Osque protestam contra o aborto, mas se alimentam regularmente de frangos, porcos e bezerros mostram apenas umapreocupação tendenciosa pela vida dos membros de nossa espécie. Porque, a partir de qualquer comparação justa dascaracterísticas moralmente relevantes, como racionalidade, autoconsciência, percepção, autonomia, prazer, dor, e assimpor diante, o bezerro, o porco e o muito ridicularizado frango, ficam bem à frente do feto em qualquer fase da gravidez.Se fizermos a comparação com um feto de menos de três meses de idade, um peixe mostraria mais sinais deconsciência” (Peter Singer, Writings on an Ethical Life [Escritos sobre uma Vida Ética; New York, NY, The Ecco Press, 2000,p. 156).Singer é evolucionista. Ele acredita que não há nenhuma diferença qualitativa evidente entre nós e os animais.Acabamos de evoluir para algo diferente do que eles evoluíram, isso é tudo.O que está errado com essa descrição? Como devemos responder a esse raciocínio?2. Leve para a classe o texto “Cuidando da Criação, uma Declaração da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Diasobre o Meio Ambiente”, votada em 12 de outubro de 1992 (procure no site adventist.org/beliefs/statements/main--stat5.html.) Se não for possível, use os trechos citados na lição de sábado. Como essa declaração relaciona a criação emGênesis ao meio ambiente? Como uma visão adequada da criação pode nos proteger de tomar uma posição extrema?Respostas sugestivas: 1. Davi louvou a grandeza de Deus em criar as maravilhas da Terra e colocar todas as coisas sob odomínio e cuidado do ser humano. 2. O homem foi colocado no jardim para o cultivar e guardar. Essa é a obra damordomia cristã. 3. Sim, porque a mordomia cristã envolve a noção de que todos os animais e todo o planeta pertenceao Senhor. Por isso, devemos zelar pelo ambiente da melhor maneira possível. 4. Acreditamos que Deus criou todas ascoisas e por Sua vontade elas existem. 5. Mordomia cristã inclui: 1. Trabalhar durante seis dias; 2. Cuidar dos recursos daTerra; 3. Santificar o sábado como memorial da criação; 4. Gastar tempo especial com o Senhor, com a família e com acomunidade. 6. Devemos glorificar a Deus em nosso corpo e espírito porque fomos comprados pelo sangue de Cristo. 7.Visto que toda boa dádiva e todo dom perfeito são dados por Deus, devemos usá-los para glória de Deus e para Seuserviço. 8. Os mordomos que multiplicaram os talentos recebidos serão aprovados e recompensados com maioresresponsabilidades e alegrias. Deus nos dá talentos e espera que negociemos com eles, para que o Seu reino cresça emais pessoas sejam salvas. ramos@advir.com
  • 5. Resumo da Lição 10Mordomia cristã e meio ambienteTextos-chaves: Gênesis 1:27; 2:15“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1:27 RA)“Tomou, pois, o SENHOR Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden para o cultivar e o guardar.” (Gênesis 2:15 RA)O aluno deverá...Reconhecer: O plano de Deus para a mordomia do ambiente do Éden.Sentir: A importância de cuidar da criação de Deus no contexto da crença na breve volta de Cristo.Fazer: Aceitar a responsabilidade de ser um bom mordomo da natureza e do meio ambiente.EsboçoI. Conhecer: Guardiões da TerraA. O cristianismo leva à deficiência na mordomia do meio ambiente? Por quê?B. Na criação, como o domínio da humanidade foi limitado?II. Sentir: Cuidando do ambienteA. Por que cuidar do meio ambiente é importante, mesmo que sintamos que Cristo virá em breve?B. O relato da criação inspira você a servir mais e a proteger o meio ambiente?III. Fazer: Sendo mordomos melhoresA. De que forma você pode usar sua influência pessoal para ser um melhor mordomo deste mundo?B. Além da proteção à Terra, que outras áreas da mordomia Deus chama os cristãos a praticar? Como podemos sermordomos fiéis nessas áreas?Resumo: O domínio dado a Adão e Eva na criação não é irrestrito, no sentido de fazer com o ambiente o que quisessem.O domínio humano foi limitado, por exemplo, pelo fruto proibido. Além disso, a humanidade foi colocada no Éden paraservir e proteger o Jardim, não para explorá-lo e destruí-lo. Alguns, no entanto, tentaram culpar o cristianismo pelosnossos problemas ecológicos, afirmando que o cristianismo tem uma teologia inerentemente exploradora, com baseemGênesis 1. As limitações ao poder humano apresentadas em Gênesis 1 e outras informações refutam essa posição.Finalmente, devemos considerar a questão: Por que cuidar do meio ambiente se você acredita que Jesus voltará embreve?Ciclo do aprendizadoMotivaçãoConceito-chave para o crescimento espiritual: A criação revela que Deus criou a humanidade para cultivar e cuidar deSeu mundo, não para explorá-lo e saqueá-lo. Isso deve afetar nossa maneira de tratar os seres indefesos.Só para o professor: Mostrar que Gênesis 1 e 2 não apoiam qualquer tipo de liderança opressiva sobre os outros sereshumanos ou sobre a natureza.Na Bíblia, a justiça é um conceito de relacionamento de aliança. É sobre quem você é, não apenas o que você faz. Emresumo, a justiça é estar na orientação adequada quanto aos relacionamentos para com os membros da comunidade daaliança, que, na lição desta semana, é a comunidade da criação. Balaão demonstrou sua injustiça abusando de suajumenta. Por outro lado, Provérbios 12:10 declara que “o justo atenta para a vida dos seus animais”. A lei do AntigoTestamento protegia até mesmo os animais de carga de seu inimigo.Ao encontrar o boi ou o jumento de um inimigo lutando para se levantar debaixo da sua carga, a pessoa devia ajudar aaliviar o seu sofrimento, mesmo que fosse o animal do seu inimigo (Êx 23:5). Esses princípios têm relevância para nóshoje?Para entender melhor o ponto principal dessa questão, é útil considerar o dilema ético de José durante seu noivado comMaria, no qual ele descobriu que ela estava grávida e ele não era o pai. Mateus diz: "José, seu esposo, sendo justo e nãoa querendo infamar, resolveu deixá-la secretamente” (Mt 1:19). José, que acreditava ter sido terrivelmente prejudicadopor sua noiva, procurou evitar envergonhar Maria precisamente porque essa é a maneira pela qual os justos agem.Sim, José iria responsabilizá-la, mas procurou fazer isso da forma menos vergonhosa possível, a fim de proteger suadignidade. José estava num relacionamento justo, mesmo com sua inimiga aparente. Que exemplo de ética da criação!CompreensãoSó para o professor: Deus não deu a Adão e Eva domínio ilimitado sobre a Terra. Seu domínio devia ser exercido dentrode condições e limites divinamente prescritos. Exploração da criação de Deus não faz parte do pacote do domínio dacriação.Comentário BíblicoServir e proteger: uma ordem divina (Recapitule com a classe Gn 1:27 e 2:15.)Em 1973, Lynn White Jr. publicou um artigo contundente, “The Historical Roots of our Ecologic Crisis” [“As RaízesHistóricas de Nossa Crise Ecológica"], na obra Western Man and Environmental Ethics: Attitudes Toward Nature andTechnology [O Homem Ocidental e a Ética Ambiental: Atitudes em Relação à Natureza e a Tecnologia (Reading, ramos@advir.com
  • 6. Massachusetts, Addison-Wesley Publishing Co., 1973, p. 18-30). White afirmou que a teologia cristã, fortemente baseadano conceito do domínio da criação, proveu uma base teológica para a promoção de uma visão de exploração norelacionamento do homem para com a natureza e, portanto, essa exploração tem causado a nossa atual crise ecológica.O artigo de White fez algum bem ao desencadear uma cadeia de reações dentro do cristianismo, inclusive entre osevangélicos, ao procurar refutar White e os proponentes de uma visão de exploração, enquanto defendiam a mordomiacristã como modelo de cuidado do ambiente com base na criação. É verdade que apareceu uma teologia de exploraçãona história cristã, especialmente durante a Revolução Industrial. No entanto, a maioria dos expositores a favor daexploração fez mau uso das informações bíblicas ao construir seus argumentos. É provável, porém, que a maioria dosjudeus e cristãos não tenham mantido tais pontos de vista.A lição desta semana destaca evidências de Gênesis a respeito da razão pela qual White – e os teólogos que defendiam aexploração – no fim estavam errados. Além do fato de que encontramos crises ecológicas em áreas completamente nãocristãs, Gênesis 1 e 2 não contêm nenhuma mensagem de exploração.Em primeiro lugar, depois que Adão e Eva receberam o domínio conjunto, o texto diz: "Dominem". Mas esse domínio éimediatamente limitado. Uma árvore não estava sob seu domínio, e o seu fruto era proibido. Além disso, em Gênesis 2, ahumanidade foi colocada no jardim para "servi-lo e protegê-lo" (essa é uma tradução literal das raízes abad (trabalhar ouservir), da qual é derivado o termo para servo, e shamar (guardar, vigiar ou, com relação ao sábado, guardar e observar).A humanidade não recebeu qualquer autoridade para fazer o que quisesse, nem para explorar e saquear a criação deDeus. O ser humano era um governante vassalo, subordinado às políticas do suserano soberano, Deus.Embora a humanidade tenha recebido um nível mais elevado de proteção moral do que os animais ou a natureza ( Gn9:5,6), esse privilégio não implica logicamente que a natureza e os animais sejam desprovidos de proteção divina. Omandamento do sábado tipifica esse ponto. As pessoas abordadas pelo mandamento são agentes de poder. Essesagentes de poder têm a capacidade de negar o descanso sabático aos seus filhos, servos, boi, jumento e ao estrangeiroem suas portas. O denominador comum desse grupo potencialmente oprimido era precisamente a sua impotência pararesistir à privação injusta e forçada do descanso sabático. Com o sábado, Deus mostrou que Ele concedeu direitosbásicos de não exploração aos fracos e indefesos. Faz sentido que o memorial da criação partilhe do mesmo espírito decuidado e atenção de Gênesis 1 e 2. Isso pode ser visto no poema sobre o sábado em Isaías 58, no qual parte daobservância do sábado é cessar a opressão dos pobres e desamparados, não apenas para guardar um dia para a práticareligiosa. Isaías não procura o ativismo político contra os opressores. Em vez disso, ele chama os próprios opressores aguardar o sábado, deixando seus caminhos de exploração sobre os mais fracos e desamparados.Pense nisto: Por que cuidar da Terra e do meio ambiente, se Jesus virá em breve? Que princípios bíblicos nos exortam aevitar fugir da nossa mordomia da Terra em nome da segunda vinda de Cristo?AplicaçãoSó para o professor: A criação nos chama a uma vida de não exploração sobre aqueles sobre os quais exercemos poder.Perguntas para testemunho:1. Sobre quem você tem poder? Como os princípios da criação e o sábado influenciam você no exercício do poder?2. Até que ponto podemos usar a tecnologia para obter maior controle da natureza? Que princípios devem dirigir asnossas conclusões?CriatividadeSó para o professor: Mordomia é uma ordenança da criação que significa que pertencemos a Deus.Atividade para discussão:1. Visto que eu não sou o dono de mim mesmo, quais são as minhas obrigações e deveres para com o meu Dono?2. Como a mordomia da criação define e esclarece o tipo de reivindicações que Deus tem sobre nós?3. Acreditar que eu sou o dono de mim mesmo faz diferença na minha maneira de lidar com os outros e com asreivindicações de Deus sobre mim? ramos@advir.com

×