A vida cristãLição 11                                                                                                     ...
Segunda - Dízimo: uma pequena parte2. O que recebemos em Cristo? O que essas coisas devem significar para nós? Como essas ...
A lei divina requer que amemos a Deus sobre tudo, e a nosso semelhante como a nós mesmos. Sem oexercício desse amor, a mai...
Unicamente onde Cristo reina, pode haver amor profundo, verdadeiro, altruísta. Então uma pessoa e outra seamalgamarão, e a...
Quando, posteriormente, os fariseus O interrogaram acerca da legalidade do divórcio, Jesus apontou a Seus ouvintes aantiga...
III) Responsabilidade social (Is 61:1-3; Mt 25:31-46).O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu p...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

A vida cristã_Resumo_Liç_1142012_Esc_Sab.

316

Published on

O Objetivo do resumo da lição não é substituí-la, pelo contrário e dar mais amplitude ao estudo do tema.

A ideia e colocar os textos bíblicos diretos que respondam as questões da lição, somados aos escritos de Ellen White que dão luz sobre o assunto,  eu procuro comentar o minimo possível, só detalhes referentes as questões e algumas definições todas em azul, pois se os textos forem realmente claros, que é intenção, não há necessidade de ficar comentando, e a aplicação, como e mais extensa, procuro fazer na nossa classe.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

“Esse é o objetivo, que as pessoas estudem, debatam o assunto e entendam o que o Senhor tem revelado a nós como Seu povo escolhido”.

Que... Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe ; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação. Sal. 67:1-2. 

Bom Estudo!

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
316
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
9
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A vida cristã_Resumo_Liç_1142012_Esc_Sab.

  1. 1. A vida cristãLição 11 8 a 15 de dezembro VERSO PARA MEMORIZAR: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a Sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos” (1Jo 3:16).Cristo veio para fazer a vontade de Seu Pai. Estamos seguindo em Seus passos? Todos que têm professado o nomede Cristo devem constantemente procurar familiaridade mais íntima com Ele, a fim de andarem como Eleandou, e fazer as obras de Cristo. Devemos nos apropriar das lições de Sua vida para nossa vida. Cristo “Se deu a Simesmo por nós, para nos remir de toda iniquidade e purificar para Si um povo Seu especial, zeloso de boas obras”. Tito2:14. “Conhecemos a caridade nisto: que Ele deu a Sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos.” 1 João3:16. Eis a obra de abnegação na qual devemos ingressar com alegria, imitando o exemplo de nossoRedentor. A vida do cristão precisa ser uma vida de conflito e sacrifício. O caminho do dever deve ser seguido, não ocaminho da inclinação e escolha. Testemunhos para a Igreja 3, p. 538.“Meus irmãos, qual é o proveito, se você disser que tem fé, mas não mostrá-la por suas obras? Pode essetipo de fé salvar alguém?” (Tg 2:14, New Living Translation [tradução nossa]).Objetivo: Decidir com seriedade a não tomar o nome de Deus em vão Êxo. 20:7. “E a falta de abnegação em Seusprofessos seguidores, Deus considera como negação do nome de cristão. Os que professam ser um com Cristo, econtemporizam com seus desejos egoístas de riquezas, e vestes, mobílias e alimentos dispendiosos, são cristãos apenasno nome. Ser cristão é ser semelhante a Cristo. Conselhos Sobre Mordomia, p. 54. Domingo: Mordomia1. Na vida diária, como posso manifestar os maravilhosos princípios ensinados nos textos abaixo? Como essas verdadesdevem influenciar minha maneira de viver e de me relacionar com os outros, com Deus e com os dons concedidos porEle? Dt 8:11-17 | Sl 24:1 | Fp 2:3, 4 | 1Jo 3:16Guarda-te não te esqueças do SENHOR, teu Deus, não cumprindo os seus mandamentos, os seus juízos e os seusestatutos, que hoje te ordeno; para não suceder que, depois de teres comido e estiveres farto, depois de haveres edificadoboas casas e morado nelas; depois de se multiplicarem os teus gados e os teus rebanhos, e se aumentar a tua prata e o teuouro, e ser abundante tudo quanto tens, se eleve o teu coração, e te esqueças do SENHOR, teu Deus, que te tirou da terra doEgito, da casa da servidão, que te conduziu por aquele grande e terrível deserto de serpentes abrasadoras, de escorpiões e desecura, em que não havia água; e te fez sair água da pederneira; que no deserto te sustentou com maná, que teus pais nãoconheciam; para te humilhar, e para te provar, e, afinal, te fazer bem. Não digas, pois, no teu coração: A minha força e opoder do meu braço me adquiriram estas riquezas. (Deut. 8:11-17)Ao SENHOR pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam. (Sal. 24:1)Nada façais por partidarismo ou vanglória, mas por humildade, considerando cada um os outros superiores a si mesmo.Não tenha cada um em vista o que é propriamente seu, senão também cada qual o que é dos outros. (Filip. 2:3-4)Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a sua vida por nós; e devemos dar nossa vida pelos irmãos. (1 João 3:16)- Guarda-te não te esqueças do SENHOR, teu Deus, deixando de cumprir os seus mandamentos, os seus juízos e os seusestatutos e de que todas as bênçãos vêm Dele e devem ser usadas para Sua glória; fazendo assim colocaremos asnecessidades dos outros acima das nossas, sabendo que o Senhor tem cuidado de cada uma delas, por isso é importantededicar a vida no objetivo divino de salvar pessoas, e assim glorificar a Deus.- Os cristãos são mordomos (administradores) das possessões de Deus, estão no Lugar do Dono da Casa, até que Ele volte.Mat. 25:14-15.Mordomo é uma pessoa “encarregada da administração da casa ou propriedades de outra pessoa”.Mordomia é “a posição, dever ou serviço de um mordomo”. Webster’s New Universal Unabridged Dictionary, 2aedição, 1979, pág. 1.786.Para o cristão, mordomia significa “a responsabilidade do homem por (e pelo uso de) tudo o que Deus lheconfiou – vida, corpo físico, tempo, talentos e habilidades, posses materiais, oportunidades de serviço emfavor de outros, e seu conhecimento da verdade”. SDA Encyclopedia, edição revista, pág. 1.425.O mordomo identifica-se com o patrão. Aceita as responsabilidades de um mordomo e deve agir em lugardo dono da casa, fazendo o que este faria se estivesse presidindo. Os interesses do senhor tornam-se seus.A posição do mordomo é uma posição de dignidade, porque o patrão nele confia. Se, de qualquer modo,atuar de forma egoísta, e reverter as vantagens obtidas pelo negociar com os bens de seu senhor emproveito próprio, trai a confiança nele depositada. Testimonies, vol. 9, pág. 246.Num grau maior ou menor, a todos são confiados os talentos de seu Senhor. A capacidade espiritual, mental e física,a influência, condição social, posses, afetos, simpatia, são todos preciosos talentos, que devem ser usadosna causa do Mestre, para a salvação das almas por quem Cristo morreu. Review and Herald, 26 de outubro de 1911.Os talentos da fala, memória, influência, propriedade, devem ser acumulados para a glória de Deus e oavanço de Seu reino. Ele abençoará o devido uso de Seus dons. Review and Herald, 9 de abril de 1901. ramos@advir.com
  2. 2. Segunda - Dízimo: uma pequena parte2. O que recebemos em Cristo? O que essas coisas devem significar para nós? Como essas promessas devem afetar cadaaspecto da nossa existência? 1Co 15:51, 52; Ap 21:4; Gl 3:13; Ef 1:6, 7; Ap 22:1-5Eis que vos digo um mistério: nem todos dormiremos, mas transformados seremos todos, num momento, num abrir efechar de olhos, ao ressoar da última trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nósseremos transformados. (1 Cor. 15:51-52)E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor , porqueas primeiras coisas passaram. (Apoc. 21:4)Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar (porque está escrito: Malditotodo aquele que for pendurado em madeiro), (Gál. 3:13)para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado, no qual temos a redenção, peloseu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça, (Efés. 1:6-7)Então, me mostrou o rio da água da vida, brilhante como cristal, que sai do trono de Deus e do Cordeiro. No meio da sua praça,de uma e outra margem do rio, está a árvore da vida, que produz doze frutos, dando o seu fruto de mês em mês, e as folhas daárvore são para a cura dos povos. Nunca mais haverá qualquer maldição. Nela, estará o trono de Deus e do Cordeiro. Osseus servos o servirão, contemplarão a sua face, e na sua fronte está o nome dele . Então, já não haverá noite, nemprecisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos séculosdos séculos. (Apoc. 22:1-5)- Recebemos a promessa de que os mortos em cristo ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados; Elemesmo enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor; isto porqueCristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar; através do amado temos aredenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça; e não haverá na cidade nada queesteja debaixo da maldição e trono de Deus e do Cordeiro será único, e nos o adoraremos, o Senhor Deus brilhará sobretodos. E reinaremos com Ele para todo o sempre.O sistema do dízimo remonta a um tempo além dos dias de Moisés. Requeria-se que os homens oferecessem dádivas aDeus com intuitos religiosos antes mesmo que um sistema definido fosse dado a Moisés - já desde os dias de Adão.Cumprindo o que Deus deles requeria, deviam manifestar em ofertas a apreciação das misericórdias e bênçãos a elesconcedidas. Conselhos para a Igreja, p. 282.Deus tem feito depender a proclamação do evangelho do trabalho e dos donativos de Seu povo. As ofertasvoluntárias e os dízimos constituem o meio de manutenção da obra do Senhor. Dos bens confiados aoshomens, Deus reclama uma porção definida - o dízimo. Atos dos Apóstolos, p. 41.“Se nós vos semeamos as coisas espirituais”, indagou mais o apóstolo, “será muito que de vós recolhamos as carnais?Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antessuportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo. Não sabeis vós que os que administramo que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar participam do altar? Assimordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho”. 1 Coríntios 9:7-14.O apóstolo aqui se refere ao plano do Senhor para a manutenção dos sacerdotes que ministravam no templo. Os queeram separados para esse sagrado ofício eram mantidos por seus irmãos, aos quais ministravam bênçãos espirituais. “Osque dentre os filhos de Levi recebem o sacerdócio têm ordem, segundo a lei, de tomar o dízimo do povo”. Hebreus 7:5. Atribo de Levi fora escolhida pelo Senhor para os sagrados ofícios relacionados com o templo e o sacerdócio. Do sacerdotefoi dito: “O Senhor teu Deus o escolheu... para que assista a servir no nome do Senhor”. Deuteronômio 18:5. Um décimode toda a renda era reclamada pelo Senhor como Lhe pertencendo, e reter o dízimo era por Ele considerado como roubo.Foi a esse plano para sustento do ministério que Paulo se referiu quando disse: “Assim ordenou também oSenhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho”. 1 Coríntios 9:14. E mais tarde, escrevendo aTimóteo, disse o apóstolo: “Digno é o obreiro do seu salário”. 1 Timóteo 5:18. Atos dos Apóstolos, p. 187. Terça: A responsabilidade para consigo mesmo3. O que Jesus quis dizer com essas palavras? Como podemos interpretá-las e aplicá-las, de maneira que reflita aessência do genuíno cristianismo? Mt 22:39O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mat. 22:39)- Amar ao teu próximo como a nos mesmos, significa que devemos tratá-lo como gostaríamos de ser tratados.Assim, (na parábola do samaritano, Lucas 10:25-27) Jesus ensinou que qualquer pessoa que precisar de ajuda é nossopróximo. Devemos tratá-lo como gostaríamos de ser tratados.O sacerdote e o levita pretendiam guardar os mandamentos de Deus, mas era o samaritano que realmenteos guardava. Seu coração era terno e compassivo.Ao socorrer o estranho ferido, ele havia demonstrado amor a Deus e ao próximo. É agradável ao Senhor quefaçamos o bem uns aos outros, pois assim demonstramos nosso amor a Ele e àqueles que nos cercam.Um coração bondoso e compassivo vale mais do que todas as riquezas do mundo. Os que vivem para fazer o bemdemonstram que são filhos de Deus. Esses são os que habitarão com Cristo em Seu reino. Vida de Jesus, p. 47.(acrescentei os parênteses) ramos@advir.com
  3. 3. A lei divina requer que amemos a Deus sobre tudo, e a nosso semelhante como a nós mesmos. Sem oexercício desse amor, a mais alta profissão de fé não passa de hipocrisia. Signs of the Times, 10 de janeiro de 1911.4. Qual é a relação entre a admoestação de Jesus, acima, e os textos abaixo? Fp 2:5, 8 | 2Co 5:14, 15 | 1Co 10:31-33 | 1Pe 1:13-16Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, (Filip. 2:5)a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. (Filip. 2:8)Pois o amor de Cristo nos constrange, julgando nós isto: um morreu por todos; logo, todos morreram. E ele morreu portodos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu eressuscitou. (2 Cor. 5:14-15)Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus. Não vos torneis causa detropeço nem para judeus, nem para gentios, nem tampouco para a igreja de Deus, assim como também eu procuro, emtudo, ser agradável a todos, não buscando o meu próprio interesse, mas o de muitos, para que sejam salvos . (1Cor. 10:31-33)Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelaçãode Jesus Cristo. Como filhos da obediência, não vos amoldeis às paixões que tínheis anteriormente na vossaignorância; pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos emtodo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. (1 Ped. 1:13-16)- Como disse o apóstolo Paulo “logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho nacarne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim”. (Gál. 2:20), tendo o mesmosentimento que houve também em Cristo Jesus; sendo assim procuremos andar como filhos da obediência, segundo ésanto aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, em tudo, sendoagradáveis a todos, não buscando nosso próprio interesse, mas o de muitos, para que sejam salvos.Há no coração de muitos um elemento de egoísmo que se apega a eles como se fosse lepra. Por tantotempo consultaram seus desejos, o próprio prazer e conveniência, que não julgam que os outros tenhamalgum direito sobre eles. Seus pensamentos, planos e esforços concentram-se neles mesmos. Vivem para si, e nãocultivam a desinteressada beneficência, que, posta em prática, havia de aumentar e fortalecer-se até setornar um deleite - viver para o bem dos outros. Esse egoísmo deve ser reconhecido e verificado, pois é pecadograve à vista de Deus. Precisam praticar um especial interesse na humanidade; e, assim fazendo, levariam ocoração em mais íntima ligação com Cristo, e seriam imbuídos de Seu espírito, de modo que se apegariam aEle com tão firme tenacidade que coisa alguma os poderia separar do Seu amor. Review and Herald, 13 dejulho de 1886. Quarta: O casamento cristão5. Qual é a definição bíblica de casamento? Gn 2:21-25; Ml 2:14; Ef 5:28Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugarcom carne. E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe. E disse o homem: Esta,afinal, é osso dos meus ossos e carne da minha carne; chamar-se-á varoa, porquanto do varão foi tomada. Por isso, deixa ohomem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne . Ora, um e outro, o homem e sua mulher,estavam nus e não se envergonhavam. (Gên. 2:21-25)E perguntais: Por quê? Porque o SENHOR foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tufoste desleal, sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança. (Mal. 2:14)Assim também os maridos devem amar a sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo seama. (Efés. 5:28)Marido, ame a sua esposa, assim como Cristo amou a Igreja e deu a sua vida por ela. (Efés. 5:25)Esposa, obedeça ao seu marido, como você obedece ao Senhor. Pois o marido tem autoridade sobre a esposa, assim comoCristo tem autoridade sobre a Igreja. E o próprio Cristo é o Salvador da Igreja, que é o seu corpo. Portanto, assim como aIgreja é obediente a Cristo, assim também a esposa deve obedecer em tudo ao seu marido. (Efés. 5:22-24)- É A união entre o homem e a mulher tornando-se uma só carne, a tua companheira e a mulher da tua aliançapermanente; o SENHOR mesmo foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade; os maridos devem amara sua mulher como ao próprio corpo. Quem ama a esposa a si mesmo se ama; m arido, ame a sua esposa, assim comoCristo amou a Igreja e deu a sua vida por ela; portanto, assim como a Igreja é obediente a Cristo, assim também a esposadeve obedecer em tudo ao seu marido.O Marido que está disposto a amar a sua mulher e dar a vida por ela, assim como cristo fez a igreja, certamente comoresultado espontâneo a mulher estará também disposta em lhe ser obediente reconhecendo-o como representante divino,como Sara à Abraão, “como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e nãotemendo nenhum espanto”. I Ped. 3:6; Ver o Contexto nos versos de 1-7.Na relação matrimonial é dado um passo muito importante: a união de duas vidas numa só. ... Deus ordenou quehaja perfeito amor e harmonia entre os que se casam. Que os noivos, na presença do universo celestial, secomprometam a amar um ao outro como Deus ordenou que façam. O Lar Adventista, págs. 102 e 103. ramos@advir.com
  4. 4. Unicamente onde Cristo reina, pode haver amor profundo, verdadeiro, altruísta. Então uma pessoa e outra seamalgamarão, e as duas vidas se fundirão em harmonia. Anjos de Deus serão hóspedes do lar, e suas santas vigíliassantificarão a câmara matrimonial. Testemunhos Seletos, vol. 2, pág. 119.Homens e mulheres no início da vida matrimonial, devem-se reconsagrar a Deus. … Onde reina o Espírito de Deus,não haverá conversas de desarmonia na vida matrimonial. O Lar Adventista, págs. 103 e 120.Embora possam surgir dificuldades, perplexidades e desânimo, nem o marido nem a esposa abrigue o pensamento de quesua união é um erro ou uma decepção. Resolva cada qual ser para o outro tudo que é possível. Continuai asprimeiras atenções. De todos os modos, anime um ao outro nas lutas da vida. Procure cada um promover afelicidade do outro. Haja amor mútuo, mútua paciência. Então, o casamento, em vez de ser o fim do amor, serácomo que o seu princípio. A Ciência do Bom Viver, pág. 360.6. Que conselhos fundamentados na Bíblia você pode dar sobre essas questões?- Poligamia: Leia sobre seus resultados (Gên. 16; cf. 29:16 a 30:24, etc.)Deus não sancionou a poligamia num único exemplo sequer. Ela é contrária a Sua vontade. Ele sabia que afelicidade do homem seria destruída por ela. A paz de Abraão foi grandemente turbada por seu infeliz casamentocom Hagar. ...Se Deus tivesse sancionado a poligamia, Ele não teria levado Abraão a despedir Hagar e seu filho. Nisto Ele queriaensinar a todos a lição de que os direitos e felicidade de uma relação matrimonial devem ser semprerespeitados e guardados, mesmo com grande sacrifício. Sara era a primeira e única verdadeira esposa deAbraão. Ela estava habilitada, como esposa e mãe, a direitos que nenhuma outra podia ter na família. Elareverenciava o marido, chamando-o senhor, mas tinha ciúme de que suas afeições fossem divididas com Hagar. Deusnão a censurou pela conduta que estava seguindo. Abraão foi reprovado pelos anjos por duvidar do poder de Deus, o queo levou a tomar Hagar como sua esposa, pensando que mediante ela a promessa seria cumprida. História da Redenção,76 e 80.- Fornicação e Adultério: As escrituras condenam tais práticas (Lev. 20:10-12; Prov. 6:24-32; 7:6- 27; I Cor. 6:9, 13 e 18;Gál. 5:19; Efés. 5:3; I Tess. 4:3; etc.).O Senhor fez um concerto especial com o Israel antigo: "Agora pois, se diligentemente ouvirdes a Minha voz, eguardardes o Meu concerto, então sereis a Minha propriedade peculiar dentre todos os povos, porque toda a Terra éMinha; e vós Me sereis um reino sacerdotal e o povo santo." Êxo. 19:5 e 6. Ele Se dirige a Seu povo que guarda osmandamentos nestes últimos dias: "Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido,para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz." "Amados, peço-voscomo a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra aalma." I Ped. 2:9 e 11.Nem todos os que professam guardar os mandamentos de Deus mantêm seu corpo em santificação e honra.A mais solene mensagem já entregue a mortais foi confiada a este povo, e eles poderão exercer uma poderosa influênciacaso sejam por ela santificados. Eles professam estar em pé sobre a elevada plataforma da verdade eterna, guardandotodos os mandamentos de Deus; por isso, se condescenderem com o pecado, se cometerem fornicação e adultério,seu crime é de magnitude dez vezes maior do que o das classes que mencionei, que não reconhecem a leide Deus como obrigatória. Num sentido especial os que professam guardar a lei de Deus O desonram, edesacreditam a verdade quebrantando-lhe os preceitos. Conselhos Sobre Saúde, 567.- Impureza de Pensamentos:Saber o que constitui a pureza da mente, da alma e do corpo é parte importante da educação. Paulo resumiuas realizações possíveis a Timóteo, dizendo: "Conserva-te a ti mesmo puro." I Tim. 5:22. O Filho de Deus não serácondescendente com a impureza de pensamentos, palavras ou atos. Todo encorajamento e as mais ricasbênçãos são oferecidos aos vencedores das más práticas, mas as mais terríveis penalidades impostas aosque profanam o corpo e contaminam a alma. Conselho aos Pais, Professores e Estudantes, 103.Pecado não é apenas o ato exterior; ao contrário, é também uma questão do coração que alcança profundamente osdomínios do pensamento. Se a fonte estiver contaminada, não poderão ser limpos os rios. Jesus percebeu que dasreservas íntimas da mente provinham as motivações do comportamento humano, afirmando que “do coração procedemos maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias” (Mat. 15:19). Dentrodessa linha de pensamento, esboçou Ele o ato de infidelidade praticado em nível de pensamentos e emoções: “Ouvisteso que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, nocoração, já adulterou com ela” (Mat. 5:27 e 28). Toda uma indústria desenvolveu-se a fim de capitalizar a perversão daimaginação. Os filmes e livros sensuais que ela produz não podem encontrar lugar na vida do cristão. Eles não somenteestimulam relacionamentos ilícitos, como também reduzem homens e mulheres a meros objetos sexuais, distorcendodesse modo o verdadeiro significado da sexualidade e obscurecendo a imagem de Deus. Os cristãos são chamados aexercitar pensamentos puros e viver vida pura, pois estão se preparando para viver numa sociedade pura ao longo detoda a eternidade. Nisto cremos, Cap. 21.- Divórcio.Entre os judeus era permitido ao homem repudiar sua mulher pelas mais triviais ofensas, e a mulher seachava então em liberdade de casar outra vez. Este costume levava a grande infelicidade e pecado. NoSermão do Monte, Jesus declarou plenamente que não podia haver dissolução do laço matrimonial, a não ser porinfidelidade do voto conjugal. "Qualquer", disse Ele, "que repudiar sua mulher, a não ser por causa de prostituição, fazque ela cometa adultério; e qualquer que casar com a repudiada comete adultério." Mat. 5:32. ramos@advir.com
  5. 5. Quando, posteriormente, os fariseus O interrogaram acerca da legalidade do divórcio, Jesus apontou a Seus ouvintes aantiga instituição do casamento, segundo foi ordenada na criação. "Moisés", disse Ele, "por causa da dureza do vossocoração, vos permitiu repudiar vossa mulher; mas, no princípio, não foi assim." Mat. 19:8.Ele lhes chamou a atenção para os abençoados dias do Éden, quando Deus declarou tudo "muito bom". Gên.1:31. Então tiveram origem o casamento e o sábado, instituições gêmeas para a glória de Deus no benefícioda humanidade. Então, ao unir o Criador as mãos do santo par em matrimônio, dizendo: Um homem "deixará... o seupai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne" (Gên. 2:24), enunciou a lei do matrimôniopara todos os filhos de Adão, até ao fim do tempo. Aquilo que o próprio Pai Eterno declarou bom, era a leida mais elevada bênção e desenvolvimento para o homem. O Maior Discurso de Cristo, págs. 63 e 64.- Homossexualidade.Deus criou macho e fêmea para serem diferentes um do outro, e ainda assim se complementarem. Ao assim criá-los,orientou seus sentimentos sexuais em direção ao sexo oposto. A diferenciação e conexão que caracterizam as pessoas,manifestam-se na atração que aproxima os dois sexos um do outro, de modo a estabelecer uma relação completa. Emalguns casos, o pecado afetou até mesmo essa orientação básica, trazendo a lume um fenômeno que tem sidoidentificado como inversão. Em tais casos, a orientação natural em direção ao sexo oposto aparece invertida, produzindouma orientação sexual básica dirigida para pessoas do mesmo gênero.As Escrituras condenam as práticas homossexuais em termos fortemente negativos (Gên. 19:4-10; cf. Jud. 7 e 8; Lev.18:22; 20:13; Rom. 1:26-28; I Tim. 1:8-10). Práticas desse tipo produzem séria distorção da imagem de Deus sobrehomens e mulheres.Uma vez que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Rom. 3:23), os cristãos tratarão com vistas à redençãodaqueles que são afligidos por esta distorção. Eles procurarão refletir a atitude de Cristo manifestada para com a mulherapanhada em adultério: “Nem Eu tampouco te condeno; vai e não peques mais” (João 8:11). Não apenas os que possuemtendências homossexuais, mas todas as pessoas que se encontram presas a comportamentos ou relações que causamansiedade, vergonha e sentimento de culpa, necessitam do ouvido cheio de simpatia de um conselheiro cristão treinadoe experiente. Nenhum comportamento está além do alcance da restauradora graça de Deus.15. Nisto cremos, Cap. 21.Para cada privilégio lícito, concedido por Deus, Satanás tem uma contrapartida a propor. O pensamentopuro e santo ele procura substituir pelo impuro. A santidade do amor matrimonial ele quer substituir pelapermissividade, infidelidade, excesso e perversão; pelo sexo pré-marital, adultério, animalismo, dentro efora do casamento, e a homossexualidade. Mente, Caráter e Personalidade 1, p. 220. Quinta: Conduta cristã7. Considere as seguintes três áreas da vida cotidiana e comente sobre as responsabilidades do cristão no que dizrespeito ao estilo de vida e comportamento:I) Relacionamento entre patrão e empregado (Tg 5:4-6; Ef 6:5-9).Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram os vossos campos e que por vós foi retido com fraude estáclamando; e os clamores dos ceifeiros penetraram até aos ouvidos do Senhor dos Exércitos. Tendes vividoregaladamente sobre a terra; tendes vivido nos prazeres; tendes engordado o vosso coração, em dia de matança; tendescondenado e matado o justo, sem que ele vos faça resistência. (Tia. 5:4-6)Quanto a vós outros, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne com temor e tremor, na sinceridade dovosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar a homens, mas como servos de Cristo,fazendo, de coração, a vontade de Deus; servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens , certosde que cada um, se fizer alguma coisa boa, receberá isso outra vez do Senhor, quer seja servo, quer livre. E vós, senhores, deigual modo procedei para com eles, deixando as ameaças, sabendo que o Senhor, tanto deles como vosso, estános céus e que para com ele não há acepção de pessoas. (Efés. 6:5-9)“Os pais não podem cometer pecado maior que permitir que seus filhos nada tenham para fazer. As crianças aprendemlogo a amar a ociosidade, e se tornam homens e mulheres inúteis e ineficientes. Quando tiverem idade suficiente paraganhar sua subsistência e achar ocupação, trabalharão de modo negligente e preguiçoso, e contudo esperarão serremunerados como se fossem fiéis”. Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 345.II) Deveres cívicos (Rm 13:1-7).Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e asautoridades que existem foram por ele instituídas. De modo que aquele que se opõe à autoridade resiste àordenação de Deus; e os que resistem trarão sobre si mesmos condenação. Porque os magistrados não são para temor,quando se faz o bem, e sim quando se faz o mal. Queres tu não temer a autoridade? Faze o bem e terás louvor dela,visto que a autoridade é ministro de Deus para teu bem. Entretanto, se fizeres o mal, teme; porque não é sem motivoque ela traz a espada; pois é ministro de Deus, vingador, para castigar o que pratica o mal. É necessário que lheestejais sujeitos, não somente por causa do temor da punição, mas também por dever de consciência. Por esse motivo,também pagais tributos, porque são ministros de Deus, atendendo, constantemente, a este serviço . Pagai a todoso que lhes é devido: a quem tributo, tributo; a quem imposto, imposto; a quem respeito, respeito; a quem honra,honra. (Rom. 13:1-7)“a lealdade a Deus em primeiro lugar não autoriza ninguém a se tornar independente e criar desarmonia social e caos.Os cristãos pagam impostos, participam dos deveres cívicos, respeitam as leis de trânsito e de propriedade, e cooperamcom as autoridades civis em restringir ou controlar a criminalidade e violência” (Handbook of Seventh-day AdventistTheology [Tratado de Teologia Adventista do Sétimo Dia]; Maryland, Review and Herald Publishing Association, 2000, p. 701). ramos@advir.com
  6. 6. III) Responsabilidade social (Is 61:1-3; Mt 25:31-46).O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados,enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade osalgemados; a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram ea pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste delouvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a suaglória. (Isa. 61:1-3)... então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparadodesde a fundação do mundo. Porque tive fome, e me destes de comer; tive sede, e me destes de beber; eraforasteiro, e me hospedastes; estava nu, e me vestistes; enfermo, e me visitastes; preso, e fostes ver-me. ... (Mat.25:31-46)“O cristão pode exercer sua vocação de buscar o reino de Deus se, motivado pelo amor ao próximo, prossegue em seutrabalho nas comunidades morais da família e da vida econômica, cívica e política. ... Somente pelo envolvimento notrabalho cívico em prol do bem comum, pela fidelidade na vocação social, é possível ser fiel ao exemplo de Cristo” (H.Richard Niebuhr, Christ and Culture [Cristo e a Cultura]; HarperCollins Publishers, 1996, p. 97).Cristo veio e estabeleceu o exemplo da santificação, e se formos de Cristo, então realizaremos Suas obras. Em vez desatisfazer-nos a nós próprios estaremos buscando realizar o bem de outrem e compartilhar benefícios coma humanidade sofredora. E a menos que isto seja feito, não podemos esperar ter uma parte com Cristo.Manuscrito 60, 1886. Sexta: adicionalConclusão: Em “ A vida cristã” aprendi que …É importante decidir com seriedade a não tomar o nome de Deus em vão Êxo. 20:7. “E a falta de abnegação em Seusprofessos seguidores, Deus considera como negação do nome de cristão. Os que professam ser um com Cristo, econtemporizam com seus desejos egoístas de riquezas, e vestes, mobílias e alimentos dispendiosos, são cristãos apenasno nome. Ser cristão é ser semelhante a Cristo. Conselhos Sobre Mordomia, p. 54.Domingo – Para o cristão, Mordomia significa “a responsabilidade do homem por (e pelo uso de) tudo o que Deus lheconfiou – vida, corpo físico, tempo, talentos e habilidades, posses materiais, oportunidades de serviço em favor deoutros, e seu conhecimento da verdade”. SDA Encyclopedia, edição revista, pág. 1.425.Os cristãos são mordomos (administradores) das possessões de Deus, estão no Lugar do Dono da Casa, até que Ele volte.Mat. 25:14-15.Guarda-te não te esqueças do SENHOR, teu Deus, deixando de cumprir os seus mandamentos, os seus juízos e os seusestatutos e de que todas as bênçãos vêm Dele e devem ser usadas para Sua glória; fazendo assim colocaremos asnecessidades dos outros acima das nossas, sabendo que o Senhor tem cuidado de cada uma delas, por isso é importantededicar a vida no objetivo divino de salvar pessoas, e assim glorificar a Deus.Segunda - Dízimo: uma pequena parte “Foi a esse plano para sustento do ministério que Paulo se referiu quando disse:“Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho”. 1 Coríntios 9:14. E mais tarde,escrevendo a Timóteo, disse o apóstolo: “Digno é o obreiro do seu salário”. 1 Timóteo 5:18.” Atos dos Apóstolos, p. 187.“Examine cada um regularmente sua renda, a qual é toda uma bênção de Deus, e ponha de parte o dízimo como um fundoseparado, para ser sagradamente do Senhor. Esse fundo não deve em caso algum ser empregado em qualquer outro fim;unicamente para sustento do ministério do evangelho. Depois de separado o dízimo, sejam tirados donativos e ofertas,segundo a prosperidade que Deus lhe deu”. Conselhos sobre a Escola Sabatina, p. 67.Terça - A responsabilidade para consigo mesmo está ligada a nosso semelhante, amar ao próximo como a nosmesmos, significa que devemos tratá-lo como gostaríamos de ser tratados.A lei divina requer que amemos a Deus sobre tudo, e a nosso semelhante como a nós mesmos. Sem o exercício desseamor, a mais alta profissão de fé não passa de hipocrisia. Signs of the Times, 10 de janeiro de 1911.Quarta - O casamento cristão é a união entre o homem e a mulher tornando-se uma só carne, a tua companheira e amulher da tua aliança permanente; o SENHOR mesmo foi testemunha da aliança entre ti e a mulher da tua mocidade.O Marido que está disposto a amar a sua mulher e dar a vida por ela, assim como cristo fez a igreja, certamente comoresultado espontâneo a mulher estará também disposta em lhe ser obediente reconhecendo-o como representante divino,como Sara à Abraão, “como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós sois filhas, fazendo o bem e nãotemendo nenhum espanto”. I Ped. 3:6; Ver o Contexto nos versos de 1-7.Homens e mulheres no início da vida matrimonial, devem-se reconsagrar a Deus. … Onde reina o Espírito de Deus, nãohaverá conversas de desarmonia na vida matrimonial. O Lar Adventista, págs. 103 e 120.Quinta - Conduta cristã: Cristo veio e estabeleceu o exemplo da santificação, e se formos de Cristo, então realizaremosSuas obras. Em vez de satisfazer-nos a nós próprios estaremos buscando realizar o bem de outrem e compartilharbenefícios com a humanidade sofredora. E a menos que isto seja feito, não podemos esperar ter uma parte com Cristo.Manuscrito 60, 1886. ramos@advir.com

×